Livro: As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – por Amber M. Tuttle

poradmin

Livro: As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – por Amber M. Tuttle

As atividades dos Auxiliares Invisíveis são desenvolvidas continuamente durante incontáveis idades.

Eles pertencem a diferentes ondas de vida e de diversos graus de desenvolvimento.

O trabalho desses Auxiliares Invisíveis não é novo, mas está sendo realizado desde a criação de nosso sistema solar, há eras.

Deus nos criou, a nós e à Terra sobre a qual vivemos, e Ele e outros Exaltados Seres têm estado ajudando-nos, a todo momento, em nossa jornada evolutiva.

Estamos em dívida com muitos Seres pela imensa quantidade de cuidado, proteção e guia que temos recebido em cada etapa do caminho.

A Bíblia dá uma boa ideia da ajuda dada à humanidade, durante parte de nossa história passada.

1. Para fazer download ou imprimir:

Amber M. Tuttle – As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – Introdução – Capítulo I – O Caminho

Amber M. Tuttle – As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – Capítulo II – Como se Tornar um Auxiliar Invisível

Amber M. Tuttle – As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – Capítulo III – Auxiliares Invisíveis em Ação

Amber M. Tuttle – As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – Capítulo IV – Mais Atividades dos Auxiliares Invisíveis

Amber M. Tuttle – As Atividades dos Auxiliares Invisíveis – Capítulo V – Algumas Histórias Ocultistas Estranhas

2. Para estudar no próprio site:

AS ATIVIDADES DOS AUXILIARES INVISÍVEIS

 

Por

Amber M. Tuttle

 

Fraternidade Rosacruz

 

Centro Rosacruz de Campinas – SP – Brasil

Avenida Francisco Glicério, 1326 – conj. 82

Centro – 13012-100 – Campinas – SP – Brasil

Revisado de acordo com:

1ª Edição em Inglês, The Work of Invisible Helpers, editada por The Rosicrucian Fellowship

Pelos Irmãos e Irmãs da Fraternidade Rosacruz – Centro Rosacruz de Campinas – SP – Brasil

www.fraternidaderosacruz.com

contato@fraternidaderosacruz.com

fraternidade@fraternidaderosacruz.com

Sobre a pintura da capa: nessa representação simbólica de um Auxiliar Invisível, pintado por Mary Hanscom em 1937, a artista retrata o Corpo Vital ou Corpo-Alma, como (de acordo com os Ensinamentos Rosacruzes) um Auxiliar Visível durante o dia funciona à noite, enquanto o Corpo Denso está se recuperando da atividade do dia. Na verdade, para a visão etérica, o Auxiliar Invisível aparece vestido com roupas usadas durante o dia.

O rosto do Auxiliar Invisível foi inspirado pela artista aos nove anos de idade. Uma expressão aureolada inundada de luz lhe causou uma impressão tão vívida que permaneceu em sua consciência.

As mãos do Auxiliar Invisível, abertas e estendidas, são simbólicas para o serviço.

A Lua Nova crescente significa o momento em que o Aspirante pode melhor avançar para a função de Auxiliar Invisível.

Os pássaros são colocados na figura para mostrar que as funções do Auxiliar Invisível são na Região Etérica do Mundo Físico da Terra.

Os querubins são indicativos de Egos por nascer e, portanto, simbolizam a doutrina do renascimento.

Conforme é dito no Ritual do Serviço de Cura da Fraternidade Rosacruz: “a rosa branca é um símbolo do coração do Auxiliar Invisível”.

Essa pintura está no Departamento de Cura da Fraternidade Rosacruz em Mt. Ecclesia, Oceanside, Califórnia, EUA.

(Texto retirado da Revista “Rays from Rose Cross” nov-dez/2002 – Revista cristã-esotérica criada por Max Heindel em junho de 1913.)

 

PREFÁCIO

A finalidade desse livro é proporcionar informação oculta aos investigadores da verdade, que estejam buscando algo que lhes ajudem em sua vida diária, aqui e agora, e também indicar um caminho que lhes ajudará física, mental e espiritualmente. Aconselho um fervoroso estudo, que proporcionará felicidade duradoura a quem o leve a cabo.

Durante os últimos dez anos tenho estado recolhendo material para minhas conferências sobre filosofia. Compilei muito desse material neste livro oculto que ilustra a obra que os Auxiliares Invisíveis estão levando a cabo no mundo. O trabalho desses Auxiliares não é novo, mas está sendo realizado desde a criação de nosso sistema solar, há eras. Deus nos criou, a nós e à Terra sobre a qual vivemos, e Ele e outros Exaltados Seres têm estado ajudando-nos, a todo momento, em nossa jornada evolutiva. Estamos em dívida com muitos Seres pela imensa quantidade de cuidado, proteção e guia que temos recebido em cada etapa do caminho. A Bíblia dá uma boa ideia da ajuda dada à humanidade, durante parte de nossa história passada.

Hoje parece haver uma necessidade de extensa informação sobre os Auxiliares Invisíveis e seu trabalho com as pessoas de todas as partes. Necessitam-se muito mais Auxiliares para combater as forças do mal que operam hoje no mundo. Há muitas almas procuradoras que estão ansiosas por entender as razões subjacentes nas condições atuais, as quais gostariam de aportar seus serviços para ajudar aos seus próximos necessitados e com problemas na Terra.

Tenho tentado explicar fielmente muito dos ensinamentos ocultos e místicos, e recopilei muitas histórias do trabalho atual levado a cabo por um grupo de Auxiliares, que são Estudantes de uma escola preparatória para uma das Escolas de Mistérios Menores. Todas as Escolas de Mistérios estão sob a liderança direta de Jesus. Jesus e um grupo de Auxiliares Invisíveis, formado por Discípulos de Cristo, estão trabalhando com as diferentes igrejas. Eu só sou um Estudante muito humilde que tem sido o bastante afortunado para receber muita inspiração e ajuda de amigos, que aportaram a maior parte do conteúdo deste livro, que é uma coleção de histórias sobre o trabalho realizado pelos Auxiliares Invisíveis nos últimos tempos.

Desejo expressar meu agradecimento, pela ajuda recebida, a esses amigos que contribuíram com relatos e informação para este livro. Fui generosamente ajudado pela Fraternidade Rosacruz e pelos escritos de Max Heindel. Desejo agradecer à Senhora Heindel a permissão concedida para citar os trabalhos de seu marido. Também desejo expressar meu agradecimento a todos os que contribuíram de alguma maneira para a escrita e impressão deste livro.

Acredito que meus leitores acharão interessantes e educativos o material contido nas páginas seguintes. Sei que as histórias relatadas são corretas e confio em que em nenhum erro se haja deslizado nestes capítulos. Tive grande cuidado em ser tão veraz quanto possível no que disse. Usei esses relatos para ilustrar leis e verdades que foram explicadas mais amplamente nos escritos de Irmãos Leigos e Irmãs Leigas, em outros grandes livros. Tentei expor histórias que interessaram e entretiveram, ao mesmo tempo em que instruíram. Todas elas poderiam ser denominadas verdadeiros contos de fadas modernos.

Não rotule apressadamente esses relatos como irreais, porque qualquer amante da verdade pode investigar esses mesmos ensinamentos e, mediante um esforço honrado e sincero durante um certo número de anos, pode descobrir por si mesmo que há Auxiliares Invisíveis e que fazem esse tipo de trabalho para a humanidade.

O Caminho está aberto a todos e as oportunidades de serviço são muitas. Desejas ser um dos obreiros de Cristo Jesus, tanto no mundo de hoje como no de amanhã?

Isto nos recorda os versículos seguintes, do novo Testamento:

Então Ele disse a seus Discípulos: “a colheita realmente é abundante, mas os obreiros são poucos; roga, pois, ao dono dos campos semeados para que envie obreiros a seu campo” Mt 9:37-38.

Tem-se dito muitas vezes que não podemos obter algo do nada. Se desejarmos sabedoria, devemos buscá-la, trabalhar por ela e rogar por ela. Devemos esforçar-nos pacientemente pela sabedoria que aspiramos e, logo, devemos comunicá-la a outros que também andem procurando-a.

Amber M. Tuttle

 

PREFÁCIO

  • O CAMINHO
  • COMO POSSO CHEGAR A SER UM AUXILIAR INVISÍVEL?
  • AUXILIARES INVISÍVEIS EM AÇÃO
  • MAIS ATIVIDADES DOS AUXILIARES INVISÍVEIS
  • ALGUMAS HISTÓRIAS OCULTAS INSÓLITAS
  • VI OBSESSÃO, ELEMENTAIS, VAMPIROS E ENTIDADES
  • DIVAS, ESPÍRITOS DA NATUREZA E ANJOS
  • COMO OS AUXILIARES AJUDAM AO REINO ANIMAL
  • COMO TRABALHAM OS AUXILIARES COM A MORTE
  • A REINCARNAÇÃO É UM FATO
  • AS CATÁSTROFES, SUAS CAUSAS E REMÉDIOS
  • É POSSÍVEL A CURA ESPIRITUAL?
  • ESTÃO SUJEITOS OS ANIMAIS À INFLUÊNCIA ESPIRITUAL?
  • OS PENSAMENTOS DAS CRIANÇAS DETERMINAM SUA VIDA FUTURA
  • COMO O MÍSTICO SE CONVERTE EM GÊNIO
  • A VIDA DE UM AUXILIAR INVISÍVEL É ALEGRE OU TRISTE?
  • MISCELÂNEA DE HISTÓRIAS DE AUXILIARES
  • OS ANJOS SÃO REAIS?

 

Capítulo 1 – O Caminho

Perto do final de seu ministério, Cristo Jesus disse a seus Discípulos que logo os deixaria, mas que lhes prepararia um lugar na casa de seu Pai e que Ele voltaria para recebê-los.

“Tomé lhe diz: ‘Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?’. Diz-lhe Jesus: ‘Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim’”. (Jo 14:5-6).

Cristo Jesus quis dizer que devemos aceitá-lo e seguir seus passos para alcançar o Mundo de Deus, onde habita Deus, o Arquiteto de nosso Sistema Solar. O primeiro que devemos fazer é aceitar a Cristo Jesus como nosso Senhor e Salvador. Devemos preparar-nos para poder entrar em contato conscientemente com os Grandes Seres nos Mundos superiores. Esses Exaltados Seres podem levar-nos até Deus quando tenhamos a preparação necessária. O propósito deste livro é ajudar-lhe em sua jornada evolutiva.

Consideremos primeiro o futuro imediato e vamos passo a passo. Vivendo uma boa vida, aqui e agora, e evitando os diversos perigos de nossa Terra, podemos preparar-nos para o Céu e evitar uma perda de tempo no Purgatório.

Então, quando renascermos, o faremos em melhores circunstâncias, poderemos continuar no caminho, fazer mais rápidos progressos e situar-nos para melhor servir a Deus, onde quer que estejamos. Não podemos avançar sozinhos. Precisamos ser ajudados pelos mais avançados no Caminho, mas nós também devemos ajudar aos outros na senda e socorrê-los em seu avanço. A vida é uma jornada desde o berço até a tumba e mais além e de novo ao berço; e assim, de vida em vida. Cada vida é como um dia na escola. Aprendemos umas poucas lições da vida, cada vez que regressamos à Terra e, a seu tempo, devemos tê-las aprendido todas; então estaremos preparados para conhecer a Deus.

Quando olhamos nossa Bíblia, percebemos que é uma história relativa a comunidades de pessoas que viveram sobre a Terra, desde o princípio do atual Período Terrestre. Os primeiros nove capítulos do Gênesis nos falam da vida na Terra antes e logo depois do dilúvio, que teve lugar quando o continente da Atlântida se submergiu. Posteriormente, Noé morreu e seus descendentes estabeleceram-se em diferentes partes da Terra.

Através de todo o Antigo Testamento, nos é mostrado como as nações floresceram e se fundiram, de acordo a como viveram. Quando obedeciam a Deus e eram boas, prosperavam e Deus as ajudava de muitas maneiras. Quando se negavam a obedecer a Deus e se tornavam cruéis e perversas, eram castigadas e suas vidas cortadas, ou eram tornadas cativadas por seus inimigos. Nos diz como morriam os malvados que não estavam preparados para encontrar-se com Deus e o que ocorria àqueles outros, que sim o estavam. Em alguns casos nos fala de como eram suas circunstâncias depois da morte.

Diz-se aos Estudantes dos Ensinamentos Ocultos e místicos que o Purgatório é um lugar muito real e que todos serão julgados depois da morte. Quando chega o momento da morte e nosso espírito abandona o corpo, cada um de nós é levado à Região Fronteiriça por um Auxiliar Invisível. A pessoa encarregada da Zona Fronteiriça dirá ao Anjo que nos leve à região inferior do Mundo do Desejo, para sermos purgados de nossos maus desejos e castigados por nossas más ações, ou que nos conduza ao Céu, onde poderemos desfrutar a recompensa pelas boas ações que tenhamos feito na Terra.

Será fácil, para qualquer um que esteja presente, ver se vivemos vidas boas ou não, pois nossos Corpos de Desejos assim o revelarão. Cada um de nós deveria se esforçar por construir um bonito Corpo de Desejos sem mancha nem defeito. Um Corpo de Desejos composto de delicados matizes de ouro, azul, rosa, verde claro, azul claro com traços de lilás e branco brilhante indica um Ego avançado, que viveu uma vida útil, como um auxiliar da humanidade.

Deveríamos nos preparar para o encontro com a morte enquanto gozamos de boa saúde. Se esperarmos até que nos surpreenda alguma enfermidade, pode ser muito tarde para fazer a necessária preparação. A morte pode vir de repente. Em nossos dias, milhares de pessoas morrem todo ano em acidentes de automóvel ou de outro tipo. Em tais casos, não há tempo para se preparar para a morte. Vamo-nos tal como somos, tanto se estamos prontos, como se não.

Há alguns anos, certo número de empregados de uma companhia elétrica planejou um dia de excursão. Subiram a bordo do barco Eastland com seus lanches, esperando desfrutar de um piquenique durante a travessia do Lago Michigan[1]. Nunca conseguiram sair do porto. O navio virou e afundou no lodo do rio, levando muitas pessoas à morte. Não tiveram tempo para se preparar para a morte. A morte veio de repente e suas vidas expiraram como chamas de velas. Naturalmente que os Egos dessas pessoas não morreram, mas passaram ao grande além, tanto se estavam prontos ou não para essa grande mudança.

Consideremos que diferença haverá se não estivermos preparados para a morte. São Lucas nos conta que Cristo Jesus falou a seus Discípulos de um homem rico que estava preparado para viver, mas não para morrer:

“Depois lhes disse: ‘Precavei-vos cuidadosamente de qualquer cupidez, pois, mesmo na abundância, a vida do homem não é assegurada por seus bens’. E contou-lhes uma parábola: ‘A terra de um rico produziu muito. Ele, então, refletia: ‘Que hei de fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. Depois pensou: ‘Eis o que vou fazer: vou demolir meus celeiros, construir maiores, e lá hei de recolher todo o meu trigo e os meus bens. E direi à minha alma: Minha alma, tens uma quantidade de bens em reserva para muitos anos; repousa, come, bebe, regala-te’. Mas Deus lhe diz: ‘Insensato, nessa mesma noite ser-te-á reclamada a alma. E as coisas que acumulaste, de quem serão?’. Assim acontece àquele que ajunta tesouros para si mesmo, e não é rico para Deus” (Lc 12:15-21).

O pintor Tissot[2] ilustrou muito bem essa história. Pintou a um avaro com uma bolsa de dinheiro e a um Anjo radiante, ou um Auxiliar Invisível, junto a ele. O Auxiliar Invisível vinha para levar o espírito do avaro ao Mundo do Desejo. Tal homem pode estar preparado para viver na Terra, mas não está preparado para morrer, porque seus tesouros estão na Terra e não no Céu. Um homem assim sofrerá no Mundo de Desejo, pois seus pensamentos têm estado centrados, toda sua vida, nas coisas materiais. Um homem materialista, provavelmente, terá poucos tesouros no Céu. Assim, quando finalmente chegue ao Primeiro Céu, terá pouco do que desfrutar e sua permanência ali será muito curta.

Consideremos a história do homem rico e de Lázaro. O rico não estava preparado para conhecer a Deus, mas Lázaro sim. Isto nos mostra a vantagem de viver uma vida boa e estar pronto para ir ao Céu em vez de ao Purgatório. A história é como segue:

Houve certo homem rico que se vestia de púrpura e de linho finíssimo e tinha, a cada dia, esplêndidos banquetes.

Havia um certo mendigo chamado Lázaro, que estava jogado a sua porta, coberto de chagas e desejando se saciar com as migalhas que caíam da mesa do rico. Os cachorros vinham e lhe lambiam as chagas.

“Aconteceu que o pobre morreu e foi levado pelos Anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. Na mansão dos mortos, em meio a tormentos, levantou os olhos e viu ao longe Abraão e Lázaro em seu seio”.

Isto significa que o homem rico estava no Purgatório, sofrendo devido suas maldades e desejos; enquanto Lázaro estava no Primeiro Céu aproveitando tudo de bom que ele havia feito durante sua vida passada, e sentindo a gratidão de tudo que havia feito em seus muitos atos de bondade.

“Então exclamou: ‘Pai Abraão, tem piedade de mim e manda que Lázaro molhe a ponta do dedo para me refrescar a língua, pois estou torturado nesta chama’”.

“Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te de que recebeste teus bens durante tua vida, e Lázaro, por sua vez, os males; agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado”.

“E além do mais, entre nós e vós existe um grande abismo, a fim de que aqueles que quiserem passar daqui para junto de vós não o possam, nem tampouco atravessem de lá até nós’”.

“Ele replicou: ‘Pai, eu te suplico, envia então Lázaro até à casa de meu pai, “

“…pois tenho cinco irmãos; que leve a eles seu testemunho, para que não venham eles também para este lugar de tormento’”.

“Abraão, porém, respondeu: ‘Eles têm Moisés e os Profetas; que os ouçam’”.

“Disse ele: ‘Não, Pai Abraão, mas se alguém dentre os mortos for procurá-los, eles se arrependerão’”.

“Mas Abraão lhe disse: ‘Se não escutam nem a Moisés nem aos Profetas, mesmo que alguém ressuscite dos mortos, não se convencerão’” (Lc 16:19-31).

Os Auxiliares Invisíveis acham que isto é verdade, porque eles, às vezes, encontram pessoas no Purgatório, os quais perguntam se tem como ir até seus familiares e lhes dizer que passem a ter uma vida boa e que viva o melhor possível, para que não tenham que sofrer após sua morte. Ouvi falar de dois casos deste tipo. Nos dois casos, o Auxiliar Invisível disse que não seria bom, uma vez que os parentes não acreditariam de qualquer forma.

Outra noite dois Auxiliares Invisíveis encontram uma Estudante de uma Escola de Ocultismo, a quem haviam conhecido alguns anos atrás. Ela tinha falecido há algum tempo quando a encontraram no Purgatório. Ela os chamou enquanto estavam a caminho de uma missão.

“Desculpe por não ter tido uma vida melhor” – disse ela. “Fui a reuniões no Centro de estudo, mas não acreditava realmente que os ensinamentos eram verdadeiros e não tentei fazer o melhor. Por favor, me ajude a sair daqui”.

“Você deve orar a Deus” – disse o Auxiliar Invisível – “e prometer-Lhe que procurará viver melhor quando outra chance lhe for dada”.

“Eu farei isto” – disse a senhora. “Por favor, vá e diga as minhas filhas que os ensinamentos são verdadeiros e que sejam boas. Não quero que elas sofram como estou sofrendo agora”.

Os Auxiliares Invisíveis não poderiam ir até suas filhas, porque não as conheciam. Mesmo se pudessem ir até elas, as filhas não acreditariam neles.

Algumas pessoas estão prontas quando a morte chega a elas. Em uma noite de setembro, uma Auxiliar Invisível foi enviada para fazer o que ela estava apta a fim de ajudar uma outra Auxiliar Invisível mais avançada (uma Irmã Leiga) que foi assassinada em um lugar distante. Ela correu para confortar esta pobre Irmã Leiga que estava aterrorizada. Ela tinha sido baleada e morta por soldados. Eles jogaram seu corpo juntos com outros formando uma pilha de corpos com o intuito de queimá-los, pois não tinham tempo para enterrá-los.

A Auxiliar Invisível a levou a sua casa, sentou com ela em sua cama e a consolou. A Irmã Leiga disse-lhe como lamentava era ter sido assassinada. Sabia tudo sobre condições post-mortem. Ela abraçou a Auxiliar Invisível para demonstrar a sua gratidão pela sua bondade e simpatia. Ela contou a sua nova amiga que o seu corpo iria ser queimado com gasolina. Quando isso acontecesse ela iria sentir muita dor porque seu corpo ainda estava conectado com seus veículos superiores pelo Cordão Prateado.

A angustiada Irmã Leiga se perguntava porque ela tinha que ser assassinada e seu corpo queimado. Uma outra Irmã Leiga mostrou a essa Irmã Leiga, recém assassinada, e a sua nova amiga, por meio da Consciência de Júpiter, que era o seu destino morrer dessa maneira. Elas viram essa Irmã Leiga tinha sido responsável pelo assassinato de muitas pessoas e por seus respectivos corpos serem queimados, há exata cinco vidas anteriores à atual. Ela sofreu muito depois disso.

Finalmente, ela seguiu o caminho do Discipulado e, em uma vida mais tarde, ela se tornou uma Irmã Leiga. Na vida atual ela vinha fazendo bem o trabalho atribuído a ela. Ela havia nascido em um país, e depois tinha imigrado para um país vizinho para ali viver.

A Auxiliar Invisível acompanhou a Irmã Leiga até que seu Cordão Prateado se rompeu pelo fogo, e então ela levou para a entrada do Purgatório. Lá a senhora responsável disse a esta Irmã Leiga que ela poderia ser levada diretamente para o Primeiro Céu, ou ela poderia continuar seu trabalho como uma Auxiliar durante vinte quatro horas por dia, pois ela foi autorizada a continuar seu trabalho de ajudar os outros.

Esta Irmã Leiga não tinha nenhuma experiência purgatorial para passar e estava ansiosa a renunciar a seu descanso no Céu. Ela havia limpado o Átomo-semente de seu coração e, por isso, ela estava realmente preparada para a morte. Ela pagou uma dívida de Destino Maduro que tinha feito cinco vidas antes, e, agora, ela está livre para trabalhar continuamente pela humanidade até quase o momento de um próximo e novo renascimento.

Não muito longe daqui estes mesmos Auxiliares Invisíveis e sua parceira receberam a bela Irmã Leiga em algum lugar, enquanto trabalhavam como Auxiliares. Ela perguntou a jovem Auxiliar Invisível se poderia ser sua amiga pelo mundo e ajudar neste trabalho, uma vez que não era permitido se materializar.

“Tenho muitos amigos em minha terra nativa”, ela disse, “que gostaria de ajudar, mas não devo me materializar pelo fato de ser contrária a lei espiritual e, também, poderia assustá-los”.

A Auxiliar Invisível disse que estaria feliz em ajudá-la naquilo que estivesse ao seu alcance.

Nós não podemos realmente encontrar a Deus, o Arquiteto de nosso Sistema Solar, até que estejamos prontos para nossa décima terceira Iniciação. Isto implica, pelo menos, três vidas de verdadeiro esforço e sacrifício para lograr essa meta. Muitos estão no Caminho e muitos alcançaram essa exaltada posição, e se tornaram pilares na casa de Deus, enquanto a maioria de nós andamos errantes.

É possível para qualquer um começar a galgar o Caminho do progresso espiritual. Somos todos deuses em formação, ainda que a maioria de nós não se pareça. Somos todos filhos e parte de Deus, desde quando, ao princípio de nosso período de manifestação, Deus diferenciou dentro de Si mesmo todos os Espíritos Virginais de nossa onda de vida como chispas de uma chama. Estamos aqui na Terra para experimentar e se espera que nos adiantemos graças a essa experiência, que melhoremos com cada vida na Terra até que tenhamos aprendido todas as lições da existência e que cheguemos a ser professores dos seres menos evoluídos, que também devem ser ajudados ao longo de seu caminho.

Um dos frutos da evolução é o desenvolvimento do: Corpo-Alma, Corpo Mental e Corpo do Espírito de Vida. O Corpo-Alma de um ser humano não desenvolvido é só uma linha e seu Corpo de Desejos está, principalmente, composto de matéria de desejos: marrom escuro, verde escuro, vermelho lamacento e cinza. Um ser humano desenvolvido tem um Corpo-Alma glorioso e um bonito Corpo de Desejos, composto de dourado, branco e delicadas cores de grande beleza. Uma pessoa com visão espiritual basta apenas olhar para alguém para saber o estado aproximado de seu desenvolvimento espiritual. Quando nos chega o momento da morte e somos levados à Região Fronteiriça, nosso Corpo-Alma e Corpo de Desejos são como ingressos que nos permitem entrar no Céu ou no Purgatório.

Para preparar nosso desenvolvimento, devemos começar a purificar nossas Mentes e Corpos, imediatamente. É um longo processo, mas eis aqui os essenciais: suprimir nossos pensamentos de ódio, ciúmes, preconceito e medo. Devemos deixar, gradualmente, de comer carne e peixe. Devemos nos abster de maus hábitos tais como: fumar, beber bebidas alcoólicas e outras práticas daninhas. Antes que uma pessoa possa servir à noite como Auxiliar Invisível, deve ser um Auxiliar Visível durante o dia.

Devemos escolher a quem desejamos servir, tal como fizeram os antigos Profetas. Josué foi um dos melhores Auxiliares Invisíveis descritos no Antigo Testamento. A história de sua vida é uma inspiração para todos os que desejem encontrar a maneira de obter ganhos espirituais. Um pouco antes da sua morte Josué chamou ao povo de Israel junto a si e revisou sua história até esse momento. Falou-lhes de tudo o que Deus havia feito por eles e como Ele havia levado a Abraão ao largo da Terra de Canaã e havia ajudado a Isaac, Jacob e Esaú. Disse ao povo como Deus havia enviado a Moisés e a Aarão para que os tirassem do Egito e como Deus lhes havia dado uma Terra frutífera na qual morar. Então Josué disse:

“Agora, pois, temei a Iahweh[3] e servi-o com integridade e com sinceridade; lançai fora os deuses aos quais serviram os vossos pais do outro lado do Rio e no Egito, e servi a Iahweh. Porém, se não vos parece bem servir a Iahweh, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses aos quais serviram vossos pais do outro lado do Rio, ou aos deuses dos amorreus em cuja terra agora habitais. Quanto a mim e à minha casa, serviremos a Iahweh” (Js 23:14-15).

A Bíblia nos diz que o povo prometeu servir e obedecer a Deus, que Josué fez um pacto com eles esse dia e que escreveu essas palavras em uma pedra e a colocou perto do santuário do Senhor, para lhes recordar sua promessa de servir a Deus. Josué foi um dos melhores servidores da humanidade, dos que se tem notícia. Foi o sucessor de Moisés e foi seu grande privilégio levar os israelitas através do Rio Jordão até a Terra Prometida. Foi, ao mesmo tempo, general e sacerdote daquele antigo povo.

Foi Josué quem se supõe haver ordenado ao Sol permanecer imóvel, enquanto a batalha acontecia entre os filhos de Israel e os cinco reis, com seus grandes exércitos. O que realmente ocorreu foi que Josué orou pedindo ajuda e um Liberado[4] veio a ajudar-lhe. Este grande Ser expandiu sua grande aura dourada que eclipsou o Sol e o povo não achou falta do Sol físico quando este declinou. Quando a batalha terminou, o Liberado recolheu sua dourada aura, foi embora e a noite apareceu.

Foi Josué quem dividiu a Terra Prometida entre as doze tribos. Durante muitos anos instou o povo a amar e obedecer a Deus. Enquanto Ele esteve com eles conduziram-se muito bem, mas Josué sabia que errariam novamente e adorariam aos ídolos outra vez. Apesar disso, fez tudo o que pode para inculcar-lhes a ideia de que se escolhiam servir a Deus deviam ser sinceros e honestos no que fizeram.

Quando Josué falou do outro lado do dilúvio quis dizer no tempo da Atlântida. Este mesmo povo havia vivido na Atlântida em vidas anteriores e alguns deles, como Moisés e Josué, haviam servido fielmente a Deus naquele tempo e haviam chegado às Iniciações, e conduziram ao povo pelo caminho correto. Outros haviam praticado magia negra e haviam sido muito perversos. Alguns deles haviam criado corpos de pecado que lhes haviam induzido a fazer o mal, vida após vida. Outros continuaram adorando ídolos vida após vida.

Josué disse ao povo que escolhessem bem, ali e naquele momento, a quem serviriam. Queria que os que escolhessem servir ao Senhor se unissem firmemente, de tal maneira que pudessem formar uma grande nação e fossem capazes de defender-se das tribos vizinhas que adoravam aos ídolos. Sabia que a unidade faz a força. Ele deu um bom exemplo e o povo teve grande confiança nele e se dispôs a lhe seguir na promessa de servir a Deus. Mas nem sempre foram fiéis à suas promessas.

Nos tempos de Moisés, o povo viu a grande aura do Deus Jeová e a outros Grandes Seres em seus veículos superiores. Também viu os milagres que Moisés e Aarão fizeram e por isso acreditou, porque tiveram a prova visível de que Deus é um Ser vivente com mensageiros capazes de cumprir suas ordens. Ao povo que renasceu posteriormente não lhe foram dadas tantas provas e foi muito obstinado e pertinaz.

Josué e Moisés conheciam a lei do Destino Maduro. Sabiam que devemos colher o que semeamos. Moisés havia recebido os dez mandamentos de Deus e havia explicado plenamente seu significado ao povo. Muitas outras grandes leis foram dadas para ajudar-lhes, mas os Israelitas não viveram de acordo a essas leis, como tampouco o fazemos nós hoje.

Jeová Deus viu e ouviu o que ocorria e, no momento em que Josué e o povo Lhe prometeram adorar e Lhe obedecer, Se regozijou de sua promessa de serem obedientes. Podemos estar seguros de que Deus Se alegrou da boa vida de serviço de Josué. As atividades dos Auxiliares Invisíveis são desenvolvidas continuamente durante incontáveis idades. Eles pertencem a diferentes ondas de vida e de diversos graus de desenvolvimento.

Na Bíblia lemos que havia vários povos adoradores de ídolos que viviam perto dos Israelitas. Isto tornou mais difícil para eles serem fiéis a Deus, porque se casaram com esses não crentes. Havia muitas guerras entre os povos da Terra naquela época, tal como agora. Deus enviou: Débora, Barak, Gideão, Sansão e outros juízes para ajudar ao povo a progredir. Quando o povo era obediente a Deus, prosperavam, mas, quando desobedeciam consumiam-se na aflição.

Parecia como se cada geração de indivíduos tivesse que escolher a quem queria servir. Quando tinham líderes sábios como Samuel, Davi e Salomão, serviam a Deus; mas, quando os líderes morriam e sua influência se extinguia, serviam de novo aos ídolos, ainda que, todavia, tinham os dez mandamentos para guiar-lhes. A Bíblia está cheia de relatos sobre pessoas que escolheram servir a Deus, e de outras que elegeram servir a Mammon[5], as forças do mal no mundo.

Enoque foi uma pessoa de caráter excepcional e, também, um Auxiliar Invisível. Viveu nos tempos da Atlântida e teve uma vida interessante. Tratou de ajudar a todos a quem pôde. No Livro Apócrifo de Enoque lemos, em verso, como ele intercedeu por Lúcifer e os Anjos Caídos, mas lhe disseram que deviam receber o castigo que mereciam.

Lúcifer foi, durante certo tempo, um poderoso Anjo do Céu, mas causou problemas e foi expulso por Miguel e os Arcanjos. Durante um grande período, esses Anjos de Lúcifer aborreceram aos seres humanos e causou muitos problemas e sofrimentos. Ao escritor, lhe foi dito, em 1931, que Lúcifer abandonou seu mau Caminho e está agora tratando de recuperar seu lugar perdido, fazendo o bem no mundo, ao invés do mal. Lúcifer gerou, para si, muito Destino Maduro, mas, se persistir em seu bom intento pode, finalmente, redimir-se a si mesmo. Diabolus, o seguinte em discórdia, é agora o novo líder dos Anjos Rebeldes. Esperemos, também, que logo escolha servir ao Senhor e voltar atrás em seus maus passos.

Enoque renasceu como Noé e fez sua escolha. Elegeu servir ao Senhor e obedecer a seus mandamentos. Noé construiu a arca e salvou da destruição a sua família e a um exemplar de todos os animais, quando veio o dilúvio. Nesse momento, uma grande parte do antigo continente da Atlântida afundou. Noé voltou a renascer como Abraão e fez a mesma sábia escolha. Escolheu servir ao Senhor e fez tanto bem quanto pôde, ao longo de sua longa vida. Depois de um tempo, este mesmo Ego renasceu como Salomão e decidiu adorar a Deus. Atuou erroneamente durante algum tempo, mas retornou ao reto e estreito caminho, e foi um rei muito sábio que fez muito para ajudar a seu povo. Finalmente, o Ego conhecido como Salomão renasceu como Jesus e já sabemos que executou um inestimável serviço à Humanidade.

Jesus cedeu seu Corpo Denso e Vital ao grande Espírito Solar, Cristo, durante três anos e que acabaram na crucificação. Graças a essa ajuda, Cristo foi capaz de vir à Terra e estabelecer a Religião Cristã, entre uns poucos fiéis Egos que foram os amigos e companheiros de Jesus, antes que o atual continente tivesse o aspecto com o qual estamos familiarizados hoje. Nos tempos Atlantes, os seres humanos mais avançados chegaram a ser a vanguarda da onda de vida humana. Por meio do sacrifício de Jesus, Cristo pôde se converter no Espírito Interno da Terra. Cristo veio para redimir os peregrinos da Terra que estavam ficando para trás na evolução.

Moisés renasceu como Elias e foi levado ao Monte Níbio para morrer. Depois que abandonou seu corpo, esse se desintegrou rapidamente devido a sua alta vibração. É por isso que o povo nunca pôde encontrar seu cadáver. Elias regressou como João, o Batista. Foi me dito que São João Batista foi São Jerônimo em uma vida posterior.

Daniel foi um grande Ego que escolheu servir ao Senhor. Começou fazendo rápidos progressos nos tempos atlantes e ganhou sua décima terceira e última Iniciação como Daniel, o amigo dos três reis babilônicos. Não teve um caminho fácil de percorrer. Recordemos que o enviaram ao fosso dos leões porque adorou publicamente a Deus, em um tempo em que era excessivamente perigoso fazê-lo dessa forma. Deus o salvou do perigo enviando um Auxiliar Invisível para lhe ajudar. Esse Auxiliar ordenou ao Espírito-Grupo dos leões que os tornou dóceis e inofensivos para com Daniel. Os leões obedeceram ao Espírito-Grupo e Daniel não foi machucado. Os homens que planejaram assassinar a Daniel não mereceram essa ajuda e os famintos leões acabaram logo com eles.

Há a história dos amigos de Daniel: Sidrac, Misac e Abdenago[6], os três jovens Hebreus que foram fiéis e decidiram adorar e obedecer a Deus. Sua fé foi realmente provada. Foram postos no interior de um forno ardente e foram salvos por um Elevado Ser que fez com que as Salamandras se apaziguassem. Este grande Ser tinha uma aura tão brilhante que o rei achou que era um Anjo. Este Auxiliar veio em seu Corpo-Alma e logo materializou seu Corpo Denso no forno, onde o rei o viu. A Aura de um Liberado pode expandir-se através de centenas de quilômetros, mas neste caso o fez somente no espaço do forno.

Outro Auxiliar Invisível foi Jó[7] que viveu uns tempos muito árduos. O pobre Jó foi terrivelmente tentado por seu Guardião do Umbral, que obteve permissão dos Senhores do Destino para persegui-lo. Esse guardião não transmutados, ou Satanás, pediu a Deus, ou aos Senhores do Destino, que lhe permitissem submeter à Jó sua prova final. Deus sabia que Jó não pecaria, mas sim que, a seu tempo, chegaria até a libertação.

– Sim, mas mantenham a salvo sua vida – disseram os Senhores do Destino.

O Guardião do Umbral atraiu todos daquela região, a quem Jó havia conhecido em vidas passadas, contra ele e separou dele a sua família. Logo o abateu com uma enfermidade crônica. Influenciou os amigos de Jó para que o induzissem a renegar a seu Deus e incitou a sua família para que tentasse fazê-lo pecar e maldizer a Deus e assim perder os dons espirituais que ganhou. Esses dons haviam sido temporariamente suprimidos, de tal maneira que Jó teve que depender somente de seu discernimento.

Após o passar desse tempo, os Senhores do Destino foram até Jó e o questionaram sobre a prova. Depois que passou por essa prova, Jó foi admitido como Adepto e alcançou a libertação na vida seguinte. Foi conhecido como José de Arimateia, em sua seguinte vida como homem, e em uma vida posterior foi conhecido como Sir Galahad e viveu na Inglaterra.

Foram muitos os egos que escolheram o incorreto ao invés do correto. Notório dentre eles está Judas Iscariotes, o Discípulo que entregou Cristo nas mãos de seus inimigos por trinta moedas de prata. Judas permitiu ser obsidiado por uma entidade maligna. Quando executou sua terrível ação, a entidade obsessora o abandonou e Judas se encheu de remorsos. Voltou ao templo, jogou as moedas de prata, fugiu e se enforcou. Os sacerdotes não se atreveram a depositar as moedas no caixa do templo; com elas compraram um campo do oleiro no qual enterravam aos estrangeiros. Judas escolheu o lado errado e sua queda foi súbita e terrível.

Houve outros, como São Paulo, que começaram perseguindo aos seguidores de Cristo Jesus, mas desistiram do seu mau caminho quando viram para onde estavam indo[8]. São Paulo ficou cego em seu caminho para Damasco, pouco depois de conhecer a Jesus. Foi conduzido à cidade e orou insistentemente a Deus para que lhe restaurasse a visão. Três dias depois, Ananias foi enviado a ajudá-lo e recuperou a visão. São Paulo então escolheu seguir a Cristo e, desde então, foi realmente um bom servidor. Dedicou o resto de sua vida a pregar o Evangelho e curar totalmente aos enfermos.

Muitos Egos escolheram servir a Deus, vida após vida. E um destes Egos foi Davi[9], filho de Jessé. Davi era um poderoso guerreiro, um doce cantor, bom músico, escritor e poeta. David renasceu, mais tarde, como Jonas e salvou a cidade de Nínive da destruição, devido a sua sinceridade e eloquência.

Este mesmo Ego renasceu, depois, como Simão Pedro, e tornou-se o pescador da Galileia. Depois foi um dos doze Discípulos de Cristo. Pedro foi um homem devoto que seguiu praticando o Evangelho e curando os enfermos, até que encontrou a morte nas mãos dos inimigos do Cristianismo.

Centenas de anos depois, este mesmo Ego renasceu num corpo de um jovem italiano que morreu na cidade de Assis. Este grande Ego havia renascido antes do seu tempo e quando seu Corpo Denso se tornou desgastado para ser utilizado de maneira eficaz, ele foi vinculado a um outro Corpo Denso, pelos Irmãos Maiores. Então, recebeu o nome de Francisco. E por muitos anos, Francisco de Assis trabalhou entre os pobres leprosos desta região, e viveu de maneira simples e humilde. Ele fundou muitos Mosteiros, e era muito amado e reverenciado pelo povo.

Durante essa vida Francisco recebeu sua décima terceira Iniciação. Foi dito que este Ego se encontra nos Mundos Superiores, ainda trabalhando para ajudar a humanidade, como fazia anteriormente.

Quando este Ego renasceu como Jonas, teve uma experiência incomum, pois, foi salvo da morte por uma baleia. Vejamos como isto aconteceu.

No livro de Jonas (1:1-4): “A palavra de Iahweh foi dirigida a Jonas, filho de Amati: ‘Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e anuncia contra ela que a sua maldade chegou até mim’. E Jonas levantou-se para fugir para Társis, para longe da face de Iahweh. Ele desceu a Jope e encontrou um navio que ia para Társis, pagou a passagem e embarcou para ir com eles para Társis, para longe da face de Iahweh. Mas Iahweh lançou sobre o mar um vento violento, e houve no mar uma grande tempestade, e o navio estava a ponto de naufragar”.

Jeová (Iahweh) somente teve que enviar uma mensagem a alguém, para que as Ondinas, nas águas, e os Silfos, no ar, iniciassem sua maior atividade, e, assim, houve uma terrível tempestade. Um elevado Irmão Leigo disse a Jonas que ele deveria ir à Nínive; mas, Jonas estava amedrontado e fugiu, ao invés de ir. A tempestade foi tão assustadora que os marinheiros estavam aterrorizados, e todos os homens rezavam para que Deus os salvasse. Até jogaram toda carga no mar para aliviar o navio.

O capitão do navio encontrou Jonas dormindo na parte de inferior do navio, e ordenou-lhe que orasse a Deus pela sua segurança. Os marinheiros lançaram sortes para ver quem era o culpado por estarem em apuros, e a sorte caiu sobre Jonas.

Os marinheiros perguntaram a Jonas o que tinha feito para trazer esta desgraça sobre eles. Jonas disse que era um hebreu e que temia a Deus, e havia fugido de Sua presença. Os homens perguntaram a Jonas como eles poderiam ajudá-lo para que o mar se acalmasse. Jonas pediu que o lançasse ao mar por ser o causador do problema. Antes que fizessem isto, os homens remaram para tentar levar o navio à terra, mas não conseguiram devido a força da tempestade.

Em seguida, os marinheiros oraram novamente a Deus, e pediram que eles não perecessem por causa de Jonas. Pediram a Deus para não os condenar pelo que iam fazer a Jonas. Eles, então, pegaram Jonas, o lançaram ao mar e este se acalmou.

“Os homens foram então tomados por um grande temor para com Iahweh, ofereceram um sacrifício a Iahweh e fizeram votos” (Jn 1:16).

A Bíblia com a nova versão diz o seguinte: “E Iahweh determinou que surgisse um peixe grande para engolir Jonas. Jonas permaneceu nas entranhas do peixe três dias e três noites” (Jn 2:1).

Esta última parte está incorreta, e ilustra como a Bíblia tem sido traduzida incorretamente. Um elevado Irmão Leigo disse que grande parte da tradução da Bíblia está incorreta, e que aqueles que buscam diligentemente a verdade na Bíblia, encontrarão o seu significado correto. Aqui está a maneira que Jonas foi realmente salvo do afogamento pela baleia. Jonas estava abrigado na parte de trás da baleia e não no estômago.

Esta história tem causado muita preocupação e constrangimento aos Estudantes da Bíblia, e é utilizada pelos incrédulos como um argumento contra a toda a Bíblia. A maioria das pessoas não acredita que a baleia engoliu Jonas vivo, e que depois o atirou para cima pelo seu estômago após três dias. A vida de Jonas foi salva por uma baleia de uma maneira notável, mas de uma maneira que possa ser facilmente aceita pelos Estudantes de Ocultismo.

Depois que os homens, a bordo do navio, descobriram que Jonas havia desobedecido à ordem de um Irmão Leigo, pois, tinha sido enviado a uma missão em Nínive, para alertar as pessoas do perigo iminente que eles corriam, eles foram influenciados a jogar Jonas ao mar, a fim de que pudesse aprender que não poderia escapar dos Seres Superiores, que guiam os destinos das pessoas neste Planeta. Este mesmo Irmão Leigo, que tinha sugerido que jogassem Jonas ao mar, solicitou também a uma baleia que seguisse ao lado do navio para apanhar Jonas na parte de trás do navio. A baleia se manteve na superfície da água com Jonas em cima e assim ficou por três dias.

Assim aconteceu para que Jonas tivesse a oportunidade de se arrepender das suas ações, e aprender a obedecer; pois, algumas vezes ele se mostrava muito teimoso, apesar de ser um bom servo da humanidade, quando estava de bom humor. Depois de Jonas ter se arrependido e prometido obedecer, foi levado, então, para o outro lado esquerdo da margem. E as ondas o levaram à terra firme e ele ficou em segurança.

Enquanto Jonas se encontrava no mar, muitos outros peixes e outras espécies se acercavam perto dele. Mas ninguém poderia tocá-lo, pois, ele tinha sido protegido da morte por Auxiliares Invisíveis que o guiavam.

O destino de Jonas era ir a Nínive, e salvar as pessoas que estavam sob seus cuidados. Mais tarde conseguiu cumprir tão bem sua missão, que as pessoas malvadas daquela cidade o escutaram, arrependeram e oraram para Deus por libertação. Estas pessoas eram tão sinceras e fervorosas em suas orações que todos se salvaram do desastre.

Agora, algumas pessoas podem dizer que não havia entendido como a baleia poderia ter feito para nadar até o navio, e permitir que Jonas ficasse nas costas dela por três dias; e também como alguém poderia manter a baleia imersa no mar durante três dias inteiros.

Esses Espíritos-Grupo têm corpos que parecem com humanos, e suas cabeças parecem com os animais que estão aos seus cuidados. Muitos Auxiliares Invisíveis veem e conversam com esses Espíritos-Grupo, no transcurso de seu trabalho à noite, enquanto estão fora de seus corpos durante o sono.

Um Irmão Leigo, que tem alcançado cinco ou mais Iniciações Menores, pode se comunicar com estes Espíritos-Grupo, e terá suas ordens obedecidas pelos animais. O Irmão Leigo, que estava cuidando de Jonas, tinha o poder de dirigir o Espírito-Grupo das baleias para resgatar o Profeta Jonas. Depois que Jonas compreendeu sua condição, orou a Deus para salvá-lo da morte, e   prometeu ir ao povo de Nínive. Em seguida, ele foi levado para a terra.

O mundo de hoje é muito parecido com a cidade de Nínive, e precisamos de alguém como o profeta Jonas, para dizer às pessoas que se voltem a Deus em busca de orientação. A maioria das pessoas gastam seu tempo com filmes, boates e barzinhos muito mais do que se supõe. A humanidade está se tornando propensa ao materialismo, e um grande número de pessoas está se afastando de Deus, e só estão interessados na aquisição de riqueza e ter uma vida tranquila. Há pouco interesse ou crença nas coisas espirituais.

As palavras de Josué: “Escolhei hoje a quem quereis servir”, é tão importante para nós, como foi para as pessoas daquela época. Nós somos Egos reencarnados do passado, e certamente ainda teremos muitas lições a aprender. Os velhos ódios e amores do passado ainda estão dentro de nós, e a lei do Destino Maduro está ativa, pois, agora estamos colhendo o que plantamos no passado. O que se espera é que vivamos em paz uns com os outros, e amemos aos nossos inimigos. A maioria das pessoas apenas parece ser verdadeira a seus amigos, e muitas delas são falsas a si mesmas.

Muitos se chamam a si mesmos Cristãos, mas não atuam como Cristãos. Combatem contra seus semelhantes de outras nações, que são seus Irmãos, pois Deus é o Grande Pai de todos os habitantes da Terra. Roubam e desfalcam a seus vizinhos para poder obter mais riqueza e poder, sem pensar que a lei do Destino Maduro lhes cobrará inexoravelmente. Ainda devoram a seus irmãos menores, os animais, e assassinam as aves e as feras só para demonstrar quão boa é sua pontaria. Vestem-se com roupas feitas de suas pobres vítimas, o couro e peles dos animais.

Os Cristãos devem vestir a armadura de Deus e antecipar-se a ajudar aos outros, porque esse é o caminho do ganho espiritual. A armadura de Deus é o Corpo-Alma, o qual construímos vivendo uma vida pura e por meio do serviço aos seres humanos, animais e plantas, porque todos eles necessitam ajuda em suas evoluções. Sabemos que nos tempos passados houve muitos bons cavaleiros que dedicaram suas vidas ao serviço de algum rei, que tratou de maneira justa a seu povo, que lhes protegeu de ser saqueados por ladrões que vagavam por todos os continentes e de piratas que perseguiam os barcos no mar.

Esses cavaleiros tinham que cumprir uma longa aprendizagem antes que lhes fosse permitido vestir uma armadura e cavalgar junto aos outros cavaleiros. Em tempos remotos muitos desses cavaleiros chegaram a ser Irmãos Leigos, que cavalgavam durante o dia protegendo ao débil e indefeso e, pela noite, saíam de seus corpos, enquanto estavam dormindo, e trabalhavam como Auxiliares Invisíveis

Aqueles cavaleiros, frequentemente, saiam de suas casas quando eram crianças e iam viver em um castelo próximo, onde viviam em quartos parecidos com celas e com uma comida muito simples. Alguns deles dormiam em camas de palha e tinham peles de animais como cobertores. Esses jovens eram treinados como soldados e eram ensinados na obediência, na coragem e no valor em serem úteis aos demais.

Um bom Estudante dos Ensinamentos da Sabedoria Ocidental, por exemplo, deve cobrir-se com essa armadura se deseja servir como Auxiliar Invisível ao serviço dos Irmãos Maiores da Rosacruz. Vestindo a armadura de Deus, ou construindo o Corpo-Alma, obterá uma recompensa inapreciável, porque depositará seus tesouros no Céu. Poderá inclusive evitar desperdiçar seu tempo no Purgatório depois da morte.

Aqueles que servem como Auxiliares Invisíveis, gradualmente, recordam-se aonde vão durante a noite, o que fazem e isto lhes proporciona uma grande satisfação e gozo. O Corpo-Alma é a armadura de Deus, a qual todos os verdadeiros grandes homens e mulheres do passado vestiram e usaram a Seu serviço. Esse Corpo-Alma não pode ser comprado. Deve ser construído pela vida pura e pelos atos de auxílio aos outros.

Nós dissemos que os Discípulos eram chamados Cristãos, inicialmente, em Antioquia[10]. Isso aconteceu durante o tempo em que São Pedro foi enviado para pregar a palavra de Deus aos gentis em Antioquia. Antes disso São Pedro encontrou Cornélio e, em sua companhia, pregou para eles.

“Tomando então a palavra, Pedro falou: ‘Dou-me conta, em verdade, de que Deus não faz acepção de pessoas, mas que, em qualquer nação, quem o teme e pratica a justiça, lhe é agradável’” (At 10: 34-35).

São Pedro pregou um sermão maravilhoso para esse povo. Mais tarde ele explicou todas as circunstâncias para os Apóstolos e os irmãos na Judeia, os quais ficaram surpresos com a pregação dele e mesmo o fato de comerem com os gentis.

“Havia entre eles, porém, alguns cipriotas e cireneus. Estes, chegando a Antioquia, falaram também aos gregos, anunciando-lhes a Boa Nova do Senhor Jesus. A mão do Senhor estava com eles e um grande número, abraçando a fé, converteu-se ao Senhor. Ora, a notícia chegou aos ouvidos da Igreja que está em Jerusalém, pelo que enviaram Barnabé até Antioquia. Quando ele chegou, e viu a graça que vinha de Deus, alegrou-se. E exortava a todos a permanecerem fiéis ao Senhor, com prontidão de coração. Pois era um homem bom, repleto do Espírito Santo e de fé. Assim, considerável multidão agregou-se ao Senhor. Entretanto, partiu Barnabé para Tarso, à procura de Saulo. De lá, encontrando-o, conduziu-o a Antioquia. Durante um ano inteiro conviveram na Igreja e ensinaram numerosa multidão. E foi em Antioquia que os Discípulos, pela primeira vez, foram chamados de ‘Cristãos’” (At 11:20-26).

Estes eram tempos de provas para os seguidores de Cristo, pois Estevão fora apedrejado até a morte e Herodes ordenou que São Tiago, irmão de São João, fosse morto pela espada. Herodes também tinha colocado São Pedro na prisão, mas um Anjo o tinha libertado. Não muito distante disso, São Paulo e Barnabé foram expulsos da Antioquia pelos judeus, residentes lá. Muitos desses primeiros Cristãos foram martirizados. Nossa liberdade para adorar à Deus nós devemos a eles e àqueles crentes sinceros que os seguiram ao longo dos anos.

O Cristianismo Místico nos ensina que nós estamos aqui na Terra para experiências, e que nós já vivemos aqui antes e viveremos novamente.

Ele nos ensina porque alguns são aleijados, doentes, nascidos em ambientes pobres e infelizes, enquanto outros têm corpos físicos esplêndidos, boa saúde, nasce em ambientes melhores e são felizes. Ele nos ensina que, se nos esforçarmos muito em nossa vida presente, podemos melhorar nossas condições no futuro.

A doutrina da “expiação vicária”, que significa que Cristo morreu para nos salvar, instilou a esperança para muitas pessoas boas que conseguiram subjugar os seus desejos inferiores e se tornaram bons servos da humanidade e alguns encontraram o Caminho.

Vamos considerar os ensinamentos de Cristo na Montanha e ver como eles vão nos ajudar no Caminho para atingirmos o objetivo. Em primeiro lugar, existem as nove Bem-aventuranças. Vamos, brevemente, discutir uma por uma[11]:

“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus”.

Isso significa que as pessoas que tem consciência de suas deficiências estão humildemente vivendo a melhor vida que podem, se esforçando para superar suas falhas. Elas não prejudicam seu próximo de forma alguma. Elas não falam maldades sobre ninguém, mas cuidam de seus próprios afazeres e são honestas, confiáveis e leais. Quando morrem acabarão chegando ao Céu e em alguma vida chegarão à libertação.

“Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados”.

Isto significa que aqueles que perderam seus entes familiares e amigos serão consolados. Isso pode significar que quando eles vão dormir à noite, podem ir para o Mundo do Desejo, encontrar os seus entes queridos, e falar com eles. Eles podem se lembrar disso como se fosse um sonho, o que lhes dá conforto. Então, quando Egos são separados pela distância, ou por parentes que se recusam a lhes permitir se casar ou visitar uns aos outros, eles, às vezes, são autorizados a se encontrar fora de seus Corpos, durante o sono. Eles podem ir juntos, inconscientemente, e em outros casos eles se tornam Auxiliares Invisíveis e trabalham, como parceiros, e por isso são consolados.

Quando, na morte, Egos são, frequentemente, reunidos e podem passar seu tempo felizes no Céu, juntos. Quando eles renascem, podem ser gêmeos, ou irmãos, irmãs, ou, ainda, amigos em famílias vizinhas.

“Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra”.

Isso significa que aqueles que são humildes serão recompensados.

As pessoas que trabalham com humildade entre os seus semelhantes e que não mentem, não roubam, não cobiçam, ou não dão falso testemunho são ajudados a serem bem-sucedidos. Quando essas pessoas se aplicam à agricultura ou à negócios, eles costumam obter uma vida bem-sucedida para si e para suas famílias.

Abraão, Isaac e Jacó tornaram-se bem-sucedidos pastores por causa da sua paciência e persistência. Jacó trabalhou arduamente e com fé durante vinte e um anos para Labão, seu padrasto. Então, a ele, finalmente, foi permitido sair e voltar para casa, para ver seu pai. Ele trabalhou por 14 anos para suas duas esposas, Raquel e Lea, e sete anos para seu gado e suas cabras. Ainda é possível para um homem adquirir uma fazenda ou um negócio por meio de um árduo trabalho, assim, ele terá algo para passar para seus filhos. Quando tais pessoas renasceram, eles estavam em circunstâncias mais confortáveis. Assim, eles herdam a Terra.

“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados”.

Se uma pessoa deseja ser boa e quer adquirir conhecimento espiritual, e se procura e ora por isso, ela encontrará algum dia. Ela pode ser levada a alguém que vai ensiná-la particularmente, como foi feito durante a Idade Média, quando o conhecimento esotérico não era fornecido publicamente. Muitos trovadores da Idade Média eram Irmãos Leigos. Como eles viajaram de um lugar para outro eles estavam sempre à procura de almas que estavam buscando e que estavam prontos para os ensinamentos Místicos. Os Meistersingers[12] da Alemanha eram estudantes do Cristianismo Esotérico. Todo mundo pensava que eles se encontraram apenas para cantar e estudar música, mas eles também estudavam a religião, assim, serviam também como portadores de luz. Precisamos de portadores de luz hoje, e aqueles com fome de verdades espirituais podem se satisfazer, se forem persistentes. As várias igrejas satisfazem muitas pessoas, mas há alguns que querem conhecimento mais avançado da vida e seus mistérios. O Cristianismo Místico satisfaz plenamente tais necessidades e anseios.

“Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”.

O significado disto é claro. Aqueles de nós que têm um pouco de conhecimento sobre o funcionamento das leis gêmeas do Renascimento e de Consequência sabem que colhemos o que semeamos. Se somos misericordiosos com outros seres humanos nós receberemos a misericórdia de Deus para nossas imperfeições. A menos que tenhamos a certeza que alguém foi culpado por um crime, devemos tomar muito cuidado com o que fazemos. Em um caso como esse, as pessoas não devem aplicar a lei com suas próprias mãos, pois eles serão punidos. Relembre as palavras da Bíblia: “Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor”[13]. Se um ser humano parece ser culpado e há evidências circunstanciais e mesmo assim é libertado, esteja convencido de que se ele precisa de punição, ele irá tê-la no Purgatório. Nós não precisamos nos preocupar com isso. Temos tudo o que podemos fazer para cuidar de nós mesmos, para nos mantermos fora de problemas e sermos úteis para outras pessoas.

Agora essa ordem tem um outro significado. “Bem-aventurados os misericordiosos” também significa que devemos ser misericordiosos, também, para com os nossos irmãos mais jovens. Isso abre um grande campo para todos servirem, atualmente. Este é um assunto que é doloroso para algumas pessoas e tentam evitar discutir sobre isso. Espera-se que sejamos misericordiosos para com os animais. Se com os nossos próprios animais de estimação formos gentis e bons, então, os ajudaremos a avançar na evolução. Ao fazê-lo também nós nos beneficiamos.

Nós devemos tratar os animais domésticos e de fazenda gentilmente e não os prejudicar ou privá-los ou, ainda, causar-lhes sofrimento desnecessário. Os animais selvagens não devem ser capturados em armadilhas de aço cruéis, que causam um enorme sofrimento para os adoráveis animais fornecedores de pele. Se você deseja ser misericordioso você vai parar de usar casacos de pele e encontrar substitutos. Lã pode ser cortado de um carneiro, desde que não cause qualquer dor e esses animais possam continuar a viver e ganhar experiência.

Então, você pode dar um passo além e deixa de comer carne. Assim, você vai diminuir a demanda por alimentos de origem animal, que não é mais necessário para a maioria de nós, na atualidade. O abate dos animais é um dos maiores crimes do nosso tempo e se isto continua podemos esperar guerras e rumores de guerras, enquanto as pessoas continuam a consumir grandes quantidades de carne.

Tais pessoas serão bélicas e procurarão matar seus irmãos por algum motivo insignificante. Eu acredito que este é o maior obstáculo ao progresso espiritual. É por isso que os Centros de grupos ocultistas são pequenos. As pessoas não querem negar a si mesmos.

Algumas pessoas se interessam pelo Cristianismo Esotérico por um tempo, mas quando eles são convidados a parar de comer carne eles, secretamente, se rebelam e lá se vão perseguir seus próprios interesses. Assim, alguns estudantes tentam viver uma vida misericordiosa, mas perdem o interesse e voltam a comer carne, e, assim, eles nunca conseguem obter o conhecimento direto de que tanto necessitam e que os tornariam satisfeitos por praticar o bem. Este é um dos mais difíceis requisitos de Cristo para ser um Cristão.

         “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus”.

Isto significa exatamente o que é dito. Quando uma pessoa se purificou, ele construiu um grande e luminoso Corpo-Alma. A fim de fazer isso, ela tem que ser pobre em espírito, mansa e solitária. Ela tem fome e sede de justiça, e ela tem que se tornar misericordiosa com todos. Tal pessoa vai avançar rapidamente ao longo do Caminho em direção a Deus. Quando ela estiver pronta para sua décima terceira e última Iniciação, ela é levada, em seu Corpo-Alma a Deus por uma escolta de Anjos, Arcanjos e outros Seres Elevados e ela encontra o Deus do nosso Sistema Solar face a face.

Tal Ego torna-se um Liberado. Tais Egos avançados sempre desejam retornar à Terra e trabalhar com a humanidade. Alguns são autorizados a fazê-lo e outros vão para Vênus ou Júpiter para trabalhar.

“Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus”.

Ser um bom pacificador é um bom sinal de avanço. A história nos conta que George Washington[14] e Abraham Lincoln[15] eram muitas vezes pacificadores bem-sucedidos. Dois outros pacificadores proeminentes foram William Penn[16] e Benjamin Franklin[17].

 “Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus”.

“Bem-aventurados sois, quando vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por causa de mim”.

“Alegrai-vos e regozijai-vos, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois foi assim que perseguiram os profetas, que vieram antes de vós”.

Cristo Jesus quis dizer exatamente o que ele disse nesses versículos. Ao longo da história, tem sido mais difícil ser bom do que ser mau. Os malfeitores se ressentiam com a presença desses Egos que eram superiores a eles. Considere José[18], que tinha a túnica de várias cores. Ele era um Ego avançado que tentou ser bom. Seus irmãos o venderam como escravo para tirá-lo do caminho. José viveu e se tornou um homem de influência e, mais tarde, ajudou a estes mesmos irmãos que finalmente haviam aprendido ter compaixão por meio do sofrimento. Outros homens não se saíram tão bem. O gentil Jônatas[19], amigo de Davi, foi imolado e o pobre Jó[20] perdeu todos os seus filhos e todas as suas posses e sofreu muito fisicamente, mas ele suportou tudo pacientemente. No final, Deus deu a ele mais do que ele tinha no início.

Muitos dos primeiros cristãos sofreram por causa de suas crenças religiosas. Dos onze Discípulos fiéis, todos, exceto São João, tiveram morte violenta.

Enquanto em Roma, São João foi jogado em um caldeirão de óleo em chamas, mas estava protegido por um Auxiliar Invisível e saiu ileso, São Paulo e dez dos seus Discípulos foram mortos de diferentes maneiras.

Muitos dos primeiros cristãos foram executados.

Neste contexto, gostaria de dizer algo que os estudantes do Cristianismo místico devem saber: foi dito que os Apóstolos não sofreram, como as pessoas comuns sofrem quando são mortos, porque eles foram assistidos pelos Seres Superiores.

Com isso um grande sofrimento foi evitado por meio do envio do Anjo da Morte para cortar o Cordão Prateado, no momento que eles estavam prestes a serem torturados e, portanto, os Egos foram retirados de seus Corpos a tempo de salvá-los do sofrimento.

Grupos de Auxiliares Invisíveis e Anjos levaram seus Egos e seus veículos superiores para o Céu, deixando seus inanimados Corpos Densos à ira de seus inimigos. É um grande alívio saber isso.

As cruzadas, mais tarde, causaram milhares de mortes, grandes misérias e sofrimentos. Tudo isso é uma história triste, mas ao longo da história, o caminho dos verdadeiros seguidores de Cristo tem sido, geralmente, duro. Aqueles que não deram suas vidas, deram dos seus recursos, e serviram o melhor que puderam. Muitas vezes eles não foram reconhecidos na Terra, mas podemos ter certeza de que eles foram recompensados no final.

As bem-aventuranças devem ter sido um conforto para milhares de cristãos envolvidos em problemas, alguns em terras estrangeiras, alguns presos, e alguns escravizados. O Cristianismo atende às nossas necessidades modernas, e a Bíblia aponta o caminho para nós. Jesus Cristo disse: “Brilhe do mesmo modo a vossa luz diante dos homens, para que, vendo as vossas boas obras, eles glorifiquem vosso Pai que está nos céus”[21].

O profeta Isaías falou da vinda de Jesus Cristo muitos anos antes de ele nascer.

“Um ramo sairá do tronco de Jessé, um rebento brotará das suas raízes”.

“Sobre ele repousará o espírito de Iahweh, Espírito de sabedoria, de inteligência, de conselho e de fortaleza, de conhecimento e de temor de Iahweh: no temor de Iahweh estará a sua inspiração. Ele não julgará segundo a aparência. Ele não dará sentença apenas por ouvir dizer”.

“Antes, julgará os fracos com justiça, com equidade pronunciará uma sentença em favor dos pobres da terra. Ele ferirá a terra com o bastão da sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio”.

“A justiça será o cinto dos seus lombos e a fidelidade, o cinto dos seus rins. Então o lobo morará com o cordeiro, e o leopardo se deitará com o cabrito. O bezerro, o leãozinho e o gordo novilho andarão juntos, e um menino pequeno os guiará” (Is 11:1-6).

São Marcos nos diz que Cristo Jesus amava muito as crianças, como nos mostram os seguintes versículos da Bíblia:

“Traziam-Lhe crianças para que as tocasse, mas os Discípulos as repreendiam. Vendo isso, Jesus ficou indignado e disse: ‘Deixai as crianças virem a mim. Não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus. Em verdade vos digo: aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele’. Então, abraçando-as, abençoou-as, impondo as mãos sobre elas” (Mc 13:10-16).

Cristo Jesus sabia que algumas dessas crianças foram egos avançados, e que iriam algum dia se realizarem espiritualmente. Ele era capaz de plantar sementes de espiritualidade nelas, muito mais fácil do que era possível em pessoas adultas, porque elas, instintivamente, amavam e confiavam Nele, e percebeu que Ele era um Grande Ser. Elas queriam estar com Ele. Elas, plenos de Cristo Jesus, eram em tal número que, às vezes, seus Discípulos se irritavam com a persistência dos pais, que estavam ansiosos para ter seus filhos abençoados e auxiliados pelo amor de Cristo, que amava as crianças pequenas como demonstrava tão claramente.

George Frederick Handel[22], o famoso compositor, amava a música quando era menino e podia tocar de ouvido. Seu pai queria que ele fosse médico e tentou impedi-lo de tocar qualquer instrumento, mas o menino aprendeu sozinho por meio de um velho piano que fora guardado no sótão. Quando George tinha oito anos, ele tocou um órgão tão bem que seu pai ficou muito contente e permitiu que ele estudasse música. Diz-se que Handel escreveu mais de cinquenta óperas e vários oratórios. Esse grande músico foi um Irmão Leigo, e quando criança foi capaz de liderar os outros, porque era uma criança avançada.

Ludwig van Beethoven[23] era outra criança superdotada. Antes de ter quatro anos de idade seu pai o fazia tocar o cravo, várias horas por dia. Beethoven amava o piano, mais que qualquer instrumento e tocava notavelmente. Algumas das suas sinfonias são as melhores que já foram escritas.

Outra criança superdotada foi Felix Mendelssohn[24], compositor. Um artista pintou um quadro que mostra Felix Mendelssohn sentado em seu piano compondo a sua “ Sonata ao Luar”. Na frente dele o artista colocou um Deva e um grupo de Fadas, pequenas e delicadas, que vinham e dançavam ao som de sua música. Mendelssohn podia ver as Fadas e ele podia ouvir a música das esferas. Assim, ele foi capaz de compor muitas peças de músicas harmoniosas, para todo mundo poder desfrutar de tudo, através dos séculos.

Johann Sebastian Bach[25] foi um dos maiores músicos que já viveu, e ele mostrou sua habilidade natural ainda em uma idade precoce. Ele escreveu muitas belas peças de música e teve dez filhos, que eram todos excelentes músicos. Assim, vemos que Bach deu oportunidade para dez egos, que amavam a música, a chance de renascer em uma família musical, onde eles poderiam desenvolver seus talentos. Sabemos que muitos egos avançados ficam esperando no Primeiro Céu muito tempo, porque eles não conseguem encontrar pais que podem dar-lhes os corpos sensíveis que eles precisam para o seu desenvolvimento.

Quando nos voltamos para o campo da arte, descobrimos que a maioria dos grandes artistas começou a vida como crianças talentosas, que logo foram destacados pelos seus professores na arte. Buonarotti Michelangelo[26] foi um famoso pintor italiano, escultor e arquiteto, que mostrou sua habilidade em uma idade precoce.

Gustave Doré[27] era uma criança muito talentosa. Quando criança ele desenhou imagens realistas de sua família e das pessoas que ele viu na rua. Quando ele tinha cinco anos de idade, ilustrou suas cartas a seus amigos com esboços de caneta e tinta. Gustave Doré aprendeu a ler quando ele tinha entre três e quatro anos de idade.

Ele é mais conhecido pelas suas maravilhas xilogravuras que desenhou para ilustrações, para a Bíblia e outros livros bem conhecidos. Ele fez um trabalho maravilhoso por meio da pintura. Ele também foi um gravador em madeira, um gravador em água-forte e um escultor. Gustave Doré era um ego avançado, cuja missão parece ter sido tentar mostrar as belezas dos Mundos, visível e invisíveis por meio da arte, e, assim, atrair a humanidade para mais perto de Deus e dos Elevados Seres.

Os desenhos e pinturas de Gustave Doré devem ter inspirados milhares de pessoas a fazer melhor, e se esforçar mais para fazer as coisas que valem a pena. Este artista foi capaz de liderar os outros desde sua infância, porque ele renasceu como um homem sábio e de visão.

Duas das maiores crianças que conhecemos foram Jesus e Samuel. Jesus tinha Anjos como amiguinhos, e muitos dos maiores pintores mostraram isso em suas pinturas encantadoras. São Lucas descreveu o menino Jesus assim: “E o menino crescia e se fortalecia em espírito, e a graça de Deus estava sobre ele”[28].

Em seguida, é dito como Maria e José levaram Jesus a Jerusalém quando ele tinha doze anos. Mais tarde, o acharam no Templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os. São Lucas disse: “E todos os que O ouviam se admiravam da sua inteligência e respostas”[29]. Com a idade de doze anos Jesus era um líder ao longo das linhas espirituais. Jesus Cristo se tornou o líder da Religião Cristã, que é a Religião mais avançada que o mundo já conheceu. Ela está destinada a ser a Religião do mundo.

O profeta Isaías falou da vinda de Cristo Jesus, muito antes de ele nascer. Isaías disse das condições que irão aparecer na Era de Aquário, quando ele diz: “E uma criança os guiará”[30]. Vou te dizer como isso vai acontecer: uma criança deve liderar porque ela será uma criança avançada com dons especiais de sabedoria e de entendimento. Ela terá a visão e audição espiritual, e será capaz de falar com os Anjos e Auxiliares Invisíveis, os quais ele vê, e será capaz de controlar as feras da selva e da floresta. Ele será um líder nato que as pessoas vão querer seguir.

Você gostaria de se preparar para ser uma dessas crianças avançadas do futuro? Então, comece agora purificando sua Mente e seu Corpo. Lance fora todos os desejos e preconceitos do mal que você tem abrigado, comece a estudar os Ensinamentos Místicos e Ocultos e a viver uma vida boa e útil. Isto irá permitir-lhe construir um Corpo-Alma em que você poderá funcionar quando estiver fora de seu Corpo, durante o sono. Então, dois egos, que realmente estão tentando seguir os passos de Cristo Jesus, podem se tornar os pais de crianças avançados, e isso deve ser um grande regozijo.

A fé sem obras é morta e por isso devemos não só ter fé, mas temos que fazer algo com ela. Temos de ser pessoas úteis e ajudar a tornar o mundo um lugar melhor para se viver. No livro de Gênesis, somos informados de como Noé construiu a arca sob o comando de Deus. Naquela época, as pessoas na Terra eram muito más e estavam produzindo maus pensamentos continuamente. Deus decidiu destruir o ser humano, mas Ele amou Noé e sua família, e desejou salvar suas vidas.

O Senhor foi para Noé, disse-lhe para construir a arca, e lhe deu instruções cuidadosas sobre a sua construção. Ele também disse a ele para colocar certos animais nela, quando o grande barco estivesse pronto para uso. Isto aconteceu durante tempos da Atlântida, pouco antes da última parte do continente Atlante afundar. A arca foi construída, veio o dilúvio, e depois de muitos dias estacionados Noé e sua família foram salvos. Noé teve fé e trabalhou para construir a arca e domar os animais necessários. Ao mesmo tempo, ele foi ridicularizado por seus vizinhos que rejeitaram a ideia de que eles seriam punidos pelo mal que estavam fazendo.

Noé mostrou sua fé por suas obras e ele foi bem recompensado por sua fidelidade. Se Noé acreditasse que um grande dilúvio estava vindo, mas tivesse esquecido de seguir as instruções dadas a ele sobre a construção da arca, ele teria se perdido quando ocorreu a catástrofe; poderia ter sido tarde demais para ter feito os preparativos necessários.

O mesmo ocorre com a gente. Somos instruídos a nos preparar para a morte, e podemos ver que este é um evento que nenhum de nós pode esperar escapar. Nós olhamos para nós e vemos como a vida é incerta. A Bíblia é um guia, que nos dá instruções cuidadosas de como viver e nos preparar para esta mudança. Somos informados de dois destinos futuros, onde podemos ir.

Se negligenciarmos as nossas oportunidades de auto aperfeiçoamento e serviço aos outros e cometermos muitos pecados, então quando morrermos, passaremos para o Inferno ou Purgatório, como muitas pessoas, na parte inferior do Mundo do Desejo. Aqui seremos purgados dos nossos maus desejos e punidos pelo mal que fizemos.

Por outro lado, nos é dito de como nós podemos escapar de ir para o Purgatório e, ao invés, como podemos ir para o Céu. Devemos ter fé no poder de Cristo para nos salvar, mas isso não é suficiente. Devemos envolver-nos em ajudar os outros para tornar suas vidas mais felizes e mais úteis, pois a fé sem obras é morta.

Considere a história do Bom Samaritano e aqueles que também viram o homem que tinha sido roubado e ferido. Uma dessas pessoas, um samaritano, era um homem bom que teve pena do homem, atou-lhe as feridas, e levou-o onde ele poderia descansar e ser cuidado. Ele era o bom vizinho que Cristo Jesus admirava por sua bondade.

Todos nós podemos ser bons vizinhos, pois há oportunidades ao nosso redor. O mundo está cheio de pessoas que hoje são como o sacerdote e o levita que passaram pelo homem ferido sem ajudá-lo.

O preconceito é uma característica comum das pessoas hoje. Na Índia, o sistema de castas deveria ser alterado. Uma classe de pessoas é chamada de intocáveis. Essas pessoas pobres têm grandes dificuldades, porque as outras classes são muito cruéis e desumanas com elas. Os intocáveis ​​se parecem com o resto, mas falta-lhes dinheiro e lugares apropriados para se viver. Eles nasceram para essa classe e, aparentemente, não podem escapar.

Como nos tempos bíblicos, há desavenças entre as pessoas que não se gostam, pertencentes a várias raças. Em alguns países, certas pessoas não possuem privilégios iguais, seja por causa da raça, cor ou do credo. As pessoas da raça branca, como um todo, se consideram superiores a todos os outros, e se esquecem de que todos são irmãos e devem ser tratados de forma justa. Vamos seguir a regra de ouro e vamos cometer menos erros.

Devemos considerar nossa própria fé. Quanto é que nós temos?

Temos fé em Deus e em Cristo Jesus? Estamos dispostos a seguir a Cristo e fazer o que Ele nos pediu para fazer? Lembremo-nos de que Cristo Jesus disse aos seus Discípulos para pregar o evangelho e curar definitivamente[31] os doentes. É muito bom ter fé, mas também temos que fazer algo a mais. Devemos colocar nossos talentos para trabalhar. Devemos considerar como podemos ajudar os outros.

Médicos e enfermeiros têm grandes oportunidades de servir. Eles podem fazer tudo que está ao seu alcance para curar definitivamente os enfermos. Padres, pastores, sacerdotes e professores podem explicar a Bíblia e os Ensinamentos Ocultos e Místicos.

Algumas pessoas podem trabalhar em escolas e outras instituições. Alguns podem escrever livros que irão inspirar outros a ter mais fé. Todos nós podemos nos virar para ajudar os outros. Podemos mostrar que cremos em Deus, e que nós também acreditamos em colocar nossa fé em prática. Nós podemos trabalhar para aumentar e aperfeiçoar nossos talentos.

Nós podemos fazer o nosso melhor e pedir a Deus para nos ajudar a fazer melhor.

E quais são as recompensas para viver bem? No Velho Testamento, lemos sobre os Mandamentos, no qual Deus Jeová concedeu a Moisés ser um guia dos Israelitas. Esses Mandamentos ainda estão valendo e precisamos obedecê-los, se quisermos progredir na evolução e ganhar recompensas, tanto na Terra como no Céu. Nós devemos ter fé e confiança perfeitas em Deus, porque Ele é o Todo Poderoso, repleto de amor e de compaixão por nós.

Salomão disse: “Para aquele que semeia a justiça, a recompensa é certa”. Cristo Jesus nos disse para acumular tesouros para nós no Céu e é isso que os Auxiliares Invisíveis esperam fazer, levando uma vida de serviço à humanidade. Quando o ser humano vive uma boa vida e acumula tesouros no Céu, ninguém poderá tirá-lo dele. Sua recompensa é certa, porém, devemos ser cuidadosos em manter estes tesouros. Tudo que o ser humano faz durante sua existência é gravado na Memória da Natureza, que está localizada no Mundo do Pensamento. Tudo que fazemos é registrado nesta Região e os avançados Auxiliares Invisíveis são ensinados a ler esses registros. Todas as ações do ser humano estão também gravadas no átomo-semente localizado no coração e, após sua morte, verá este panorama se passar diante dele[32].

Quando o ser humano chega ao Purgatório verá este panorama pela segunda vez; revisão que acontece lentamente, e sofre todo o mal que tenha cometido. Quando o Ego atinge o Primeiro Céu, o panorama se desenrola novamente, e o Ego goza de todo o bem que tenha feito na última vida.

Uma das recompensas para uma vida reta e feliz é a oportunidade de ir para o Céu e permanecer lá por um longo tempo. O Céu é um lugar onde nenhum mal pode existir. Quando uma pessoa vai ao Céu está longe da influência de todas as coisas e das condições terrenas. Ela desfruta de tudo que há de bom que foi feito em sua vida passada, e de todas as gentilezas que os outros fizeram para ele. Aqui o ser humano pode descansar e desfrutar da casa que construiu por seus bons pensamentos e ações.

O Céu é um lugar maravilhoso para estar, e as oportunidades de crescimento são muitas. Os estudantes têm acesso as vastas bibliotecas para estudar. Músicos podem ouvir e apreciar a música celestial, que é muitas vezes mencionado como a Música das Esferas. Os artistas podem deliciar-se com as mudanças constantes de cores que são encontrados no Primeiro Céu e podem continuar o seu trabalho com muito mais êxito do que tinham aqui na Terra.

A expectativa de ir para o Céu é um dos maiores incentivos para se viver bem. Muitas pessoas cristãs viveram na pobreza e no sofrimento, e o fato de pensar ou ganhar um lugar no Céu foi a sua sustentação para aguentar os revezes. Outros indivíduos tornaram-se cansados da vida e anseiam por descanso. Algumas pessoas que viveram nobremente e assim ganharam o privilégio de ver no Céu, e por isso, conseguem ter a prova da realidade do que acontece no Céu. No livro do Atos dos Apóstolos –  7:55, somos informados de que “Estevão viu a glória de Deus, e Cristo estava à direita de Deus”, quando ele olhou fixamente para o Céu, no momento em que foi falsamente acusado por alguns homens maldosos.

Cristo Jesus disse aos seus Discípulos que eles veriam o Céu, e que veriam o Anjo de Deus ascendendo e descendendo sobre o Filho do Homem. Nos quatro Evangelhos encontramos o registro de muitas coisas que os Discípulos viram e que ficaram convencidos da realidade no Céu. Muitos artistas, com visão espiritual, pintaram imagens mostrando as condições e as pessoas que vivem no Céu, e milhares de cristãos devotos têm adorado estes quadros.

São João descreveu as pessoas e Anjos que viu no Céu no livro do Apocalipse ou Livro da Revelação.

Uma das recompensas do reto viver é que um Auxiliar Invisível pode ir para o Céu durante suas horas de sono e conversar com seus amigos e familiares. Irmãos e Irmãs Leigos podem investigar as condições no Céu e também podem fazer o que João fez. Eles podem ver o Céu, com sua visão espiritual, enquanto estiverem em plena consciência de vigília.

Outros Auxiliares Invisíveis podem ir para o Céu, enquanto estão dormindo, e conversar com as pessoas, e, em seguida, lembram de tudo ao despertar. Muitas pessoas vão para o Céu, conversar com seus amigos e parentes, e quando retornam ao corpo tem a lembrança do ocorrido como um sonho. Muitas pessoas fazem todas as coisas que eles sonham em fazer à noite e retornam com a lembrança de desejo realizado. Quando um Auxiliar Invisível se lembra de seu trabalho, enquanto ele está fora no sono, ele sente muita satisfação.

Outra recompensa por estar certo é a proteção do perigo.

Contarei uma história de uma garota que foi salva da morte de uma maneira muito estranha. Ela vivia a boa vida, e ganhou a proteção dos Seres Superiores, os quais estão tentando promover o bem-estar de todos os seres vivos na Terra.

Numa tarde de janeiro, um Auxiliar Invisível pôs-se a dormir, deixou seu Corpo Denso e saiu para os estados do Noroeste. Em um dado lugar um passarinho pintarroxo voou sobre ele e tentou pousar nele; não conseguindo, passou por ele.

“Oh, você quer passear, não quer?” – Disse o Auxiliar Invisível ao passarinho.

Ele pegou o passarinho e neste instante notou uma pequena etiqueta em volta de seu pescoço.

Nesta etiqueta havia o nome e o endereço de uma mulher. Havia também um pedaço de papel preso em sua perna. O Auxiliar Invisível retirou o papel e leu o seguinte: “Por favor, siga esse passarinho até minha casa. Estou enferma”.

“Certo, Amigo, vamos para casa” – disse o Auxiliar Invisível. “Vou lhe acompanhar”. O Auxiliar Invisível e o pintarroxo voaram rapidamente para o edifício que estava em chamas. A garota morava no terceiro andar.

Uma grande quantidade de fumaça estava saindo da sua janela. O Auxiliar Invisível entrou e encontrou a garota em sua cama, que tinha sido queimada pelo fogo. Ela gritava por ajuda. O Auxiliar Invisível pegou a menina, jogou para o lado a roupa de cama queimada e a levou para fora, pela janela.

As pessoas na rua gritaram quando os viram, porque eles acharam que o Auxiliar Invisível tinha se jogado com a garota e que eles estariam mortos ao se chocarem com o chão. Ao invés disso flutuaram e o Auxiliar Invisível colocou a garota no chão. Alguém a cobriu. Neste instante o Corpo de Bombeiros chegou e a garota foi levada para o hospital, porque estava muito queimada.

Depois de resgatar a garota, o Auxiliar Invisível voltou ao edifício em chamas para ver se havia mais alguém lá, mas ele não encontrou ninguém.

O Auxiliar Invisível então foi ao hospital e encontrou a menina toda enfaixada na cama. “Você pode me ouvir?” – Ele perguntou. Ela não prestou atenção. O Auxiliar Invisível então saiu para o corredor e se materializou e voltou ao quarto em seu corpo físico. “Quem você gostaria de ver?” – Perguntou a enfermeira.

“Poderia ver a senhorita que foi trazida para cá com queimaduras” – ele respondeu.

“Ela está agora sob sedativo, para aliviar a dor” – disse a enfermeira.

O Auxiliar Invisível foi até a cabeceira da cama da menina e ela o viu desta vez. “Onde está meu passarinho?” – ela perguntou – “Por favor, vá e traga meu passarinho”.

O Auxiliar Invisível retornou a cena do incêndio e encontrou o passarinho num galho de árvore. Ele o chamou e este veio até ele sem hesitar.

“De quem é este passarinho?” – perguntou o policial que estava observando.

“Ele pertence a senhorita que foi queimada no edifício” – disse o Auxiliar Invisível.

“Eu poderia tomar conta do passarinho” – respondeu o policial.

“Não. Ela me pediu que o levasse para ela” – disse o Auxiliar Invisível.

“Nada sei sobre isso, mas vou ter que apreendê-lo” – disse o policial.

“Certo, mas eu cuidarei do passarinho” – disse o Auxiliar Invisível, e desapareceu no ar com o passarinho. As pessoas observaram o passarinho até perder de vista.

O Auxiliar Invisível retornou ao Hospital com o passarinho e foram para um lado do Edifício. Quando ninguém estava olhando, ele se materializou, e colocou o passarinho embaixo de seu casaco, para entrar com ele no Hospital. Ele entrou na enfermaria onde a garota estava e entregou o passarinho a ela. Quando ela falou com o pintarroxo, ele cantou.

“Leve esse passarinho para fora” – disse a enfermeira.

“Não!” – disse a garota – “Eu achei o passarinho quando era bebê com a perna quebrada, e cuidei dele até que ficou bom e agora ele dorme comigo, e onde quer que eu vá, ele vai comigo”.

O pintarroxo olhou para ela como se dissesse: “Qual o seu problema?”

“Por que não me deixa morrer?” – A garota perguntou ao Auxiliar Invisível – “Meu rosto e meu corpo estão arruinados e terei que desistir do meu cargo na Escola Dominical. Sou a superintendente e temos quinhentas crianças matriculadas. Estou tentando ensiná-las e conduzi-las corretamente para se tornarem pessoas úteis”.

“Talvez você possa ter uma aparência melhor, depois que estiver recuperada” – disse o Auxiliar Invisível, sorridente.

“Obrigada, mas não acredito nisso” – respondeu a garota – “Posso sentir o formato do meu rosto agora e a dor é muito forte”.

“Deixe-me segurar sua mão” – disse o Auxiliar Invisível e tocou em suas mãos – “Gosto de você porque ajudou o passarinho quando estava ferido e porque cuidou muito bem dele”.

Nesse momento, o pai, a mãe e a irmã da garota apareceram e a mãe desmaiou quando viu sua filha naquelas condições.

“Leve-a daqui” – disse o Auxiliar Invisível – “Não precisamos dela aqui”.

A irmã ficou com raiva e começou a questionar o desconhecido sobre sua irmã: “Você é namorado da minha irmã?” – Perguntou ela.

“Eu poderia ser seu colega, seu irmão, seu amigo ou qualquer outra coisa, exceto o marido dela” – respondeu o Auxiliar Invisível.

“Você fala em enigmas!” – Disse o pai da garota.

A mãe recuperou a consciência e ficou muito irritada.

“Se você não tivesse sido tão rude com sua filha, isto não teria lhe acontecido” – disse o Auxiliar Invisível – “O tratamento dado a ela por você a obrigou a viver em outro lugar”. Ele se virou para a garota enfaixada.

“Você não está com dor agora. Peça a enfermeira um pouco de água e em seguida peça um copo de leite”.

A enfermeira trouxe a água, mas se recusou a dar o leite.

“Vamos, enfermeira” – disse o Auxiliar Invisível – “Traga o leite e seja tão amável como o é na aparência. Eu sei que você é formosa”.

A enfermeira sorriu e se foi e trouxe o leite. “Você terá que assumir a culpa por isto” – disse a enfermeira, quando retornou.

“Eu sei” – respondeu o Auxiliar Invisível.

A garota bebeu o leite e se sentiu bem melhor.

“Veja se está dolorida” – disse o Auxiliar Invisível, depois de alguns minutos.

“Claro que estou e as bandagens estão secas” – disse a garota.

Em seguida ela começou a apalpar-se e seus olhos se arregalaram e, espantada, começou a se mover. “Não tenho mais dor!” – disse com voz surpresa.

“O que aconteceu aqui diante dos meus olhos!” – exclamou o pai da garota.

“Tire as bandagens de seu rosto e do corpo” – disse o Auxiliar Invisível.

“As bandagens estão secas e vai doer para retirá-las” – disse a garota.

A garota não entendia que tinha sido curada, mas a força da cura vem de Deus.

“Experimente” – sugeriu calmamente o Auxiliar Invisível.

A garota verificou que as bandagens saíram facilmente e ela o fez rápido. Quando ela removeu todas as bandagens verificou que não tinha nenhuma marca ou cicatriz em seu corpo, exceto que seus cabelos e suas sobrancelhas estavam chamuscados.

“Seus cabelos e suas sobrancelhas crescerão com o tempo” – disse o Auxiliar Invisível. “Ouça bem o que digo: Deus cuidará dos Seus, quando eles mesmos se negarem a fazer pelos outros o que você tem feito”.

O Auxiliar Invisível viu que esta garota tinha desenvolvido um belo Corpo Alma pela ajuda prestada durante a sua vida.

“Quem é você?” – a garota perguntou, maravilhada.

“Eu sou um servo como você” – respondeu o Auxiliar Invisível.

“Tenho que saber onde você mora, assim posso ir e lhe ver” – disse a garota.

“Não, você não pode fazer isto” – respondeu o Auxiliar Invisível.

A garota ficou inquieta e queria se levantar.

“Suas unhas vão quebrar e seus dedos poderão ficar doloridos, mas poderá ir para casa amanhã à tarde se você sentir que está melhor” – disse o Auxiliar Invisível – “Devo ir embora. Seja meiga e boa”.

A garota queria beijar o Auxiliar Invisível, mas ele disse: “Não, não criança, isso poderia lhe machucar” (Isto aconteceria porque o Auxiliar Invisível estava em um corpo materializado).

“Sou grata a você por tudo que fez para me ajudar” – disse a garota.

“Que Deus abençoe você, minha irmã” – ele disse e desapareceu.

“Meu Deus!” – exclamou a mãe – “Ele deve ser um Anjo”.

Este Auxiliar Invisível e seu parceiro voltaram para ver a garota, aproximadamente cinco horas depois, e eles a encontraram dormindo, tranquilamente, na cama do hospital. O homem Auxiliar Invisível não se materializou, neste momento, mas a senhora Auxiliar Invisível se materializou e eles entraram no quarto. A enfermeira mostrou a ela a cama da garota e a Auxiliar Invisível a acordou.

“Onde está o Anjo? – Perguntou a garota – “É você?”.

“Não” – respondeu a Auxiliar Invisível – “mas ele está aqui”.

“Oh, você é um Anjo, também!” – exclamou a garota, rapidamente.

“Não” – disse a Auxiliar Invisível – “Eu sou somente uma serva da humanidade” – e conversou com a garota por algum tempo.

A garota continuou a perguntar pelo Auxiliar Invisível, e finalmente ele se materializou e falou com ela, o que a deixou satisfeita. Em seguida, a garota pediu a senhora Auxiliar Invisível para ser sua amiga e que ela viesse vê-la quando ela estivesse restabelecida.

“Você vai retornar à sua vida normal? – Perguntou a Auxiliar Invisível.

“Não, não vou” – respondeu a garota.

Quando a Auxiliar Invisível estava pronta para sair, a garota pediu que a beijasse. “Sim” – a Auxiliar Invisível disse, que se inclinou e a garota a beijou.

“Sou muito grata, por ter beijado um Anjo” – disse a garota.

“Dei a menina um pouco de força, pois, ela estava muito exaltada” – o homem Auxiliar Invisível expressou-se através do pensamento.

A senhora Auxiliar Invisível colocou a garota em seus braços, expandiu a sua aura e a garota disse: “Oh!”. Então a Auxiliar Invisível desapareceu.

A enfermeira veio e correu até a cama. Os outros pacientes acordaram assustados e ficaram extasiados.

“Você é uma santa a quem os Anjos vieram, e a ajudaram?” – Perguntou a enfermeira – “Eu ouvi sobre você, da enfermeira que disse ter se curado. Como você pode ser tão boa?”.

“Não sou santa” – disse a garota – “Simplesmente rezo e ensino crianças em uma escola dominical, porém, sou a garota mais feliz do mundo”.

A enfermeira fez o sinal da cruz. “Quando os Anjos aparecem é que a morte se aproxima” – disse ela.

O homem Auxiliar Invisível pediu a sua companheira para materializar-se rapidamente e dizer-lhes que isto não é verdade.

A senhora Auxiliar Invisível materializou-se e falou com a enfermeira.

“Isto não é verdade” – ela disse – “Não diga isto novamente”.

Depois disso os Auxiliares Invisíveis partiram e continuaram seu trabalho.

O livro apócrifo chamado A HISTÓRIA DA VIRGEM MARIA E A HISTÓRIA DA SEMELHANÇA COM CRISTO, editado e traduzido por E. A. Wallis Budge[33], fornece muitos casos que dizem como a Virgem Maria foi salva da morte pelos Seres Superiores.

Foi-me dito que Cristo Jesus tinha doze Discípulos seniores, sessenta e seis Discípulos júnior, e quatrocentos e cinquenta e seis Discípulos intermediários. Embora supõe-se que todos os onze Discípulos seniores encontraram uma morte violenta, exceto São João, a maioria dos outros Discípulos se saiu melhor e viveu para servir como Auxiliares Invisíveis por muitos anos. Mais tarde, eles renasceram e se tornaram Auxiliares Invisíveis e foram protegidos contra muitos perigos.

Aqui está uma história de uma criança avançada espiritualmente que foi salva por uma leoa. Quando alguns Auxiliares Invisíveis estavam passando por uma selva na Índia, eles viram uma leoa carregando uma menina de pele escura de cerca de quatro anos, em sua boca. Os Auxiliares Invisíveis desceram, se materializaram e foram até a leoa. Ela cuidadosamente colocou a criança e ferozmente partiu em direção aos Auxiliares Invisíveis. A criança começou a chorar e a leoa parou e olhou para ela e, em seguida, olhou para os Auxiliares Invisíveis, como se indecisa no que fazer.

Em seguida, a leoa partiu em direção aos Auxiliares Invisíveis.

– “Senhorita Leoa, nós somos seus amigos”, disse o Auxiliar Invisível, “mas queremos saber o que você está fazendo com a criança”.

A leoa veio até os Auxiliares Invisíveis choramingando. Em seguida, ela voltou para a criança, empurrou-a para cima, pegou-a e começou a se afastar.

– “Espere um minuto” – solicitou o Auxiliar Invisível.

A leoa colocou a criança, novamente, no chão e deu um rosnado feroz.

– “Não fique brava, senhorita Leoa, mas aja como uma dama” – disse o Auxiliar Invisível. “Você, supostamente, é a rainha da selva. Por que não ser dama quando você tem amigos em torno de você?”.

A leoa pegou a criança e começou novamente a se afastar.

“Espere” – disse o Auxiliar Invisível. Em seguida, ele entrou em contato com o Espírito-Grupo, que tem a seu cargo os leões, e perguntou-lhe o que a leoa ia fazer com a criança.

– “Siga-a e não deixe que nada de mal aconteça com ela” – disse o simpático Espírito-Grupo.

Os Auxiliares Invisíveis desapareceram, a leoa grunhiu e olhou em volta com um olhar de surpresa e, em seguida, continuou caminhando. Ela saltou ao longo de vários pequenos riachos e pântanos e finalmente chegou a uma aldeia indígena. Ela entrou na aldeia e os nativos começaram a correr e gritar. Um grupo de guerreiros saíram, armados com longas lanças com a qual eles estavam indo para atacar a leoa. O Auxiliar Invisível disse a sua parceira para aparecer a eles e expandir a sua aura. Quando ela fez isso, os guerreiros caíram para trás e a leoa continuou até que chegar a uma certa cabana. Então ela colocou a criança no chão e se virou para ir embora.

“Espere, senhorita leoa” – falou o Auxiliar Invisível – “você não conseguirá sair daqui viva”. Ele então virou-se para a mulher nativa na cabana e disse: “Esse é o seu filho?”.

A mulher estava em pé ao lado da parede, tão dura como uma tábua, e seus olhos estavam arregalados de medo. Seu rosto tornou-se mais pálido quando viu a leoa na porta. A cabana tinha apenas uma porta, então ela sabia que ela não poderia escapar.

O Auxiliar Invisível foi até a mulher, sacudiu-a; ela gritou em voz alta e agarrou a criança em seus braços e disse: “Meu, meu”. Eles olharam a criança e não havia riscos ou marcas em seu corpo em qualquer lugar que demonstrasse que a leoa a tinha levado. Os Auxiliares Invisíveis se perguntaram porque a leoa não tinha matado a criança.

O Espírito-Grupo disse que esta criança tinha renascido para ajudar os nativos e sempre tinha sido boa em suas atividades no passado. A criança se afastou da vila e o Espírito-Grupo tinha influenciado a leoa para levá-la de volta para casa.

Os Auxiliares Invisíveis curaram alguns doentes nativos, brincaram com a leoa e com algumas crianças e, depois, se sentiram muito felizes com o que tinham visto.

Outra recompensa por estar correto é a sabedoria.

Quando um pregador por levar uma vida correta purifica seu corpo e constrói um Corpo-alma recebe os dons espirituais de visão e audição, e ele pode atrair pessoas a ele, como alguns dos primeiros pregadores fizeram.

Quando um artista ganha esses dons espirituais preciosos por viver uma vida correta, ele pode ver na Memória da Natureza e se reproduzir eventos passados ​​na vida de Cristo, dos Seus Discípulos e de outros, como muitos dos grandes pintores foram capazes de fazer. Quando a um músico é dado estes inestimáveis ​​dons, ele pode ser ensinado como reproduzir a música das esferas.

A Bíblia fala de muitos sábios profetas e professores que muito ajudaram a humanidade. A sua sabedoria não foi o resultado de longo e continuado estudo de livros. Muito do que tiveram como uma recompensa foi por terem vivido uma vida correta. Tomemos Salomão, por exemplo. Ele pediu sabedoria e foi dada a ele, e ele usou para governar o seu povo com sabedoria por muitos anos. Josué, Aarão, José, Jesus, Paulo e muitos outros tinham os dons espirituais da visão e da cura definitiva[34], e alguns tinham o dom de curar os outros. Desde então, apareceram muitos outros.

Quando alguém realmente vive uma vida correta ele tem uma satisfação e alegria interior que ninguém pode tirar dele. Exala satisfação e alegria que não podem ser explicadas, quando ajuda um amigo querido, ou quando um amigo querido o ajuda. Da mesma maneira, a apreciação de outras pessoas para conosco nos faz muito felizes. Quando alguém realmente vive uma vida inofensiva e útil ele pode ganhar o direito de ser um Auxiliar Invisível. Esta é uma recompensa que vale a pena lutar para alcançá-la.

Outra recompensa por viver uma vida correta é uma vida mais longa, o que nos dará mais oportunidades para a experiência. Algumas pessoas tiveram suas vidas prolongadas, a fim de que eles pudessem continuar o seu trabalho. A Bíblia nos diz que Ezequias[35] ficou doente e foi dito que ele iria morrer. Ele orou a Deus e pediu ajuda e Deus adicionou quinze anos à sua vida e enviou Isaías para curá-lo. Não quero dizer que isso acontece com todos os Auxiliares Invisíveis, em cada vida, pois isso não acontece. No entanto, muitas pessoas que eram Auxiliares Invisíveis tiveram suas vidas prolongadas.

A maior recompensa de todas é para ganhar a libertação de Deus, o Grande Pai de todos nós. A fim de fazer isso, um Auxiliar Invisível deve servir a humanidade por muitas vidas e obter as treze Iniciações. Quando isso tiver sido feito o indivíduo será escoltado até a presença do Deus de nosso Sistema Solar, por Anjos, Arcanjos e outros Seres Elevados.

***

Capítulo 2 – Como posso me tornar um Auxiliar Invisível

Talvez você esteja se perguntando quem são os Auxiliares Invisíveis e como eles são compostos. Os Auxiliares Invisíveis pertencem a muitas ondas de vidas.

Esta faixa de seres, muito úteis, percorrem todo caminho de Deus, o Ser Supremo, dos Seres Superiores – que habitam os vários planos cósmicos – até seres inferiores como os Espíritos da Natureza, que trabalham com o Fogo, Terra, Ar e Água.

Neste capítulo vamos considerar os Auxiliares Invisíveis que pertencem à onda de vida humana. Podemos dividi-los, resumidamente em duas classes, os Auxiliares Invisíveis conscientes e os inconscientes.

Os Auxiliares Invisíveis conscientes, geralmente, são os Irmãos e Irmãs Leigas. Eles chegaram a um ponto onde eles podem deixar seus Corpos Densos, por sua vontade, sair em seus Corpos-Alma e trabalhar como Auxiliares Invisíveis, em plena posse de suas faculdades. Eles podem retornar a seus Corpos e lembrar apenas onde eles estiveram ou que fizeram e falaram. Eles podem reter o que aprenderam e trazer suas experiências vividas para a Mente, sempre que desejarem. Eles foram ensinados a trabalhar com os vivos e os mortos, como operar as leis espirituais e como curar definitivamente os doentes.

Os Auxiliares Invisíveis inconscientes são pessoas que saem à noite para curar definitivamente outras pessoas durante o sono. Eles fazem o que podem para ajudar, porém, não conseguem se lembrar daquilo que fizeram. Tal tipo de Auxiliar Invisível não é capaz de enviar mensagem, devido ao seu pouco treinamento como Auxiliar, por meio do brilhante Cordão Prateado, para ser gravada no cérebro físico. Por esta razão não consegue lembrar onde foi e o que fez. É necessário um tempo maior de treinamento e muito esforço para que este Auxiliar Invisível se torne consciente nos planos internos, mas, pode ser alcançado e muitas pessoas avançaram até este ponto.

Qualquer pessoa pode ser um Auxiliar Invisível, se desejar e se cumprir com os requisitos necessários. Algumas pessoas foram Auxiliares Invisíveis em vidas passadas e hoje, encarnados, continuam como Auxiliares Invisíveis. Qualquer pessoa que pratica o “Sermão da Montanha” ou os “Dez Mandamentos” na sua vida pode se tornar um Auxiliar Invisível. Qualquer pessoa que tem as leis de Deus escrita em seu coração pode se tornar um Auxiliar Invisível consciente, independentemente de sua raça, seu credo, sua cor ou religião. O caminho está aberto para todos.

Se você deseja ser um Auxiliar Invisível precisará ter um só objetivo em mente. Você deve acreditar que pode fazer as coisas que você se propôs a fazer, ao longo de linhas religiosas e ajudar a humanidade.

Você deve ser altruísta e se dispor a ajudar a todos, independentemente de quem seja. Isto é muito importante, pois os Seres Superiores só consideram o coração e os desejos superiores e não as aparências externas. Muitos aspirantes acabam falhando por não estarem dispostos a fazer este trabalho, devido a um sentimento de superioridade e preconceito.

O aspirante deve ter fé inabalável em Deus. Deve acreditar que aqui nada poderá machucá-lo e nem mesmo nos planos superiores, enquanto estiver fora do Corpo durante o sono. É preciso muito tempo para que a maioria dos aspirantes se tornem bravos Auxiliares Invisíveis. Eles esquecem que estão fora de seus Corpos Densos e não podem ser feridos por pessoas e animais. Eles fogem em momentos críticos e retornam a seus Corpos e, quando entram nele ficam acordados por muito tempo. Às vezes, eles retornam em seus Corpos com tanta rapidez que acabam ferindo o Corpo Físico devido ao estado de choque que se encontram. Tais pessoas são consideradas de pouca utilidade, pois não se pode confiar nelas para completar o trabalho que foram enviadas para fazer.

Vou contar-lhe uma história, muito interessante, de um Auxiliar Invisível que desistiu de sua missão, e em seguida, ao acordar ficou pensando sobre o que havia acontecido e sentiu remorso por não ter feito o trabalho, devido ao medo. Dois Auxiliares Invisíveis (um homem e uma mulher) foram enviados para ajudar uma égua muito valiosa, que estava carregando dentro de si um potro e que por ser grande não conseguia dar à luz sozinha. A dor estava deixando-a louca e não sabia o que estava acontecendo. Ela corria ao redor de si mesma e estava muito excitada. Seu instinto animal a levou a procurar a ajuda de seu dono, e após subir os degraus da varanda começou a dar patadas na porta da casa.

Em seguida a égua, assustada, começou a virar em volta de si mesma na tentativa de forçar o potro a nascer. Isto a deixou desnorteada e acabou caindo escada abaixo. Depois que a égua se levantou começou a correr descontroladamente pelo quintal.

As pessoas saíram de suas casas e viram a condição em que estava a égua e queriam sacrificar o animal para terminar com seu sofrimento.

“Não façam isto, pois ela pode ser ajudada”, disse o Auxiliar Invisível.

Este animal pertencia a um garoto que tinha treze anos de idade e que gostava muito dele. Era seu animal de estimação e como estava prenha ele tinha até permitido que ela   entrasse em sua casa. O menino chorou quando viu seu animal em apuros. “Você não pode fazer nada por ela, pode? “, disse para o estranho que tinha pedido para não sacrificar o animal.

“Sim, acho que posso”, respondeu o Auxiliar Invisível, sorrindo.

A Auxiliar Invisível sentiu o mesmo medo que envolvia as pessoas e a égua, porém, ela se esqueceu que não poderia ser ferida, enquanto estivesse fora de seu corpo. Ela não queria que o outro Auxiliar chegasse próximo à égua assustada. Ela ficou apreensiva porque a égua era muito selvagem e indomável; e ela foi embora, não voltando para continuar a servir para resolver aquele problema.

O Auxiliar Invisível era mais corajoso e se aproximou da égua e a tocou. Ela ficou calma imediatamente, e sua dor parou com o toque dele. O Auxiliar Invisível podia ver o Espírito-Grupo da égua no Mundo do Desejo, e perguntou o que poderia fazer para salvá-la. O Espírito-Grupo lhe deu as instruções e com uma corda amarrou as duas patas traseiras do potro e prendeu a outra ponta da corda num poste. Então, puxou a égua para longe do poste para que o potro pudesse sair de dentro da égua. O Auxiliar Invisível falou com a égua o tempo todo para mantê-la quieta. O potro nasceu bem e deu tudo certo e o Auxiliar Invisível desamarrou a corda dos pés do potro e viu que ele era forte e perfeito. Sem esta ajuda, tanto o potro como a mãe teriam morridos.

O Espírito-Grupo agradeceu o Auxiliar Invisível e disse que esperava que a outra Auxiliar pudesse servir melhor da próxima vez, mas que ela era uma pessoa corajosa. Estes Auxiliares Invisíveis tinham visto o Espírito-Grupo antes, quando eles ajudaram outro belo cavalo marrom, cuja perna tinha sido quebrada em um acidente.

Talvez você possa imaginar como o Espírito-Grupo se parece. Basta tentar imaginar um espírito parecido com um Arcanjo com um corpo de um homem, uma cabeça como a de um cavalo, e um corpo etérico estendido para trás dele. Imagem de si mesmo refletida, com maravilhoso olhar compassivo, e uma radiante luz envolvendo seu corpo e estendendo-se para fora dele em todas direções.

Então você terá uma breve concepção deste maravilhoso Espírito-Grupo, o qual tem a seu cargo os cavalos, que os guia e os direciona. Quando eles sofrem e morrem, o Espírito-Grupo sente a dor mais intensamente do que aqueles que estão sob seus cuidados. O Espírito-Grupo faz tudo o que pode por aqueles que estão sob sua responsabilidade, e aqueles seres humanos misericordiosos que são amáveis e bondosos para com seus cavalos são abençoados pelo Espírito-Grupo.

Estes Auxiliares Invisíveis voltaram duas vezes para ver a égua e o lindo potro. O dono disse que ele tinha recebido uma oferta de mil dólares pelo potro, naquele momento; mas ele não queria vendê-lo. O homem questionou o desconhecido e queria saber seu nome e endereço, mas é claro, ele não poderia dar.

“Se você realmente precisar de mim novamente” disse o Auxiliar Invisível, “Eu estarei aqui”.

Você pode observar nesta história que o Auxiliar Invisível precisa ser corajoso e destemido. Eles devem lembrar que estão fora de seus corpos e não podem ser feridos por nenhuma criatura.

Os Auxiliares Invisíveis também devem ter algum conhecimento de como cuidar dos doentes e feridos. Quanto mais capazes e experientes eles forem, melhor, pois eles precisam pensar e agir rapidamente.

Um estudante de Ocultismo tem de ser corajoso o suficiente para confirmar a sua religião contra a oposição. Quando um estudante, definitivamente, abraça o Caminho, ele perceberá que sua família e seus amigos vão se opor a seus desejos e eles podem tentar afastá-lo do Caminho escolhido. Eles podem ridicularizar suas crenças. Eles podem colocar obstáculos em seu caminho e causar-lhe muito desconforto físico e mental. Os membros da sua família podem abandoná-lo, seguir seus próprios caminhos e ignorá-lo. Ele pode perder seus amigos e ter que procurar outros que vão compreendê-lo. Ele precisará ficar mais tempo sozinho. Ele será chamado de uma pessoa estranha. Alguém pode dizer que ele tem uma religião imaginária e que é impraticável. Seus amigos podem até dizer que ele é um tolo ou um louco por acreditar na Lei do Renascimento.

Talvez você se pergunte porque não há mais estudantes Ocultistas. É porque as pessoas estão mais interessadas em ter prazeres, preferem estudar sobre as coisas materiais deste mundo, em vez de se preparar para um desenvolvimento ao longo das linhas espirituais. Algumas pessoas se aproximam dos ensinamentos místicos por mera curiosidade. Elas ouviram sobre a clarividência e a desejam por motivos egoístas. Tais pessoas podem até se tornarem Probacionistas e estudarem até de maneira diligente por um tempo. Alguns deles logo se cansam de se privar de carne e peixe, e outras coisas que um Probacionista promete a si mesmo não mais fazer. Então, eles se voltam para seus velhos hábitos e nunca mais se comprometem com qualquer progresso espiritual em sua vida.

Qualquer religião é importante, na medida em que torna as pessoas melhores aqui e agora. Tal religião deve tornar as pessoas gentis e atenciosas em seu lar, de boa consciência em todos os seus negócios, leal a seus amigos e pronto a perdoar os seus inimigos.

Os ensinamentos Ocultos promoverão tudo isso, se eles são totalmente compreendidos e praticados.

Quando uma pessoa decidiu dedicar sua vida ao serviço da humanidade, deve meditar muito tempo antes de dar esse passo, porque uma vez que o passo foi dado, a pessoa se sentirá deslocada no lento caminho da evolução da humanidade em geral. Se ela avança, encontrará a felicidade e satisfação no trabalho que ela fará, no conhecimento que adquirirá e novos amigos que ela conhecerá. Se ela, aos poucos, desiste e deixa de tentar melhorar a si mesma, verá que não mais se encaixa em nenhum lugar. Ela não ficará satisfeita em fazer o que fazia no passado, e sentirá que perdeu algo que era vital para a sua paz de espírito e felicidade.

Devemos lembrar que cada ser humano deve trabalhar para o seu próprio destino. Quando consideramos o destino, pensamos, imediatamente, da Lei do Renascimento e na Lei de Consequência. Estas Leis trabalham em harmonia com os Astros, de modo que uma criança nasce no momento em que os Astros do nosso Sistema Solar lhe dão as condições que são necessárias para ela adquirir experiências e evoluir na escola da vida. Nós somos o que somos por causa do que fomos em vidas passadas, e nossas ações atuais determinam as condições futuras. Se você deseja se tornar um Auxiliar Invisível, você precisa estudar o assunto de todos os ângulos, e então você será capaz de entender a melhor forma de como realmente começar.

Não só temos trabalho a fazer na Terra, mas quando chegarmos ao céu estaremos ocupados. Quando chegar ao Mundo do Pensamento vamos trabalhar para alterar a superfície da Terra, que será o palco de nossos desafios futuros, na Terra densa, onde viveremos novamente. Além disso, estaremos muito ocupados em aprender a construir melhores corpos físicos para se trabalhar quando estamos prontos para renascer novamente.

Durante o tempo em que nós estivermos no Céu, vamos aprender a construir todos os tipos de corpos, porque um Corpo Denso não é suficiente. Precisamos também de um Corpo Vital, um Corpo de Desejos, uma Mente, e um Corpo-Alma, antes que possamos nos tornar Auxiliares Invisíveis.

O mais avançado da humanidade também tem que desenvolver um outro corpo que é chamado o Corpo Espírito de Vida, ou Corpo Causal. Este Corpo está correlacionado ao Mundo do Espírito de Vida. Quando o Corpo Espírito de Vida é construído, um Auxiliar Invisível pode deixar seu Corpo Denso e viajar de um Planeta para outro. Há ainda um outro Corpo que devemos construir no futuro. É o Corpo Espírito Divino, que é o mais sutil veículo do ser humano. Quando um ser humano pode funcionar conscientemente neste veículo, ele pode deixar seu Corpo e viajar conscientemente de um Sistema Solar para outro.

Nós não podemos mudar nosso passado, mas, até certo ponto, podemos mudar nossas vidas futuras. Devemos harmonizá-las com as leis de Deus, e de alguma maneira, podemos nos elevar acima das leis de nosso Mundo Físico, e com o tempo podemos livrar-nos destas dívidas.

A fim de que possamos entender melhor como cada pessoa deva trabalhar o seu próprio destino, eu vou contar de que maneira um homem estava lidando com seu destino, sob provas muito difíceis.

Há alguns anos, dois Auxiliares Invisíveis encontraram um homem que estava doente, acamado e só. Durante sua vida ele tinha causado muitos problemas para outras pessoas. A falência de uma instituição financeira o fez perder todo o seu dinheiro e ele acabou indo para o Norte começar uma nova vida.

“Eu não tinha nada além de problemas e contratempos, mas me mantive firme”, disse o homem. “Uma noite, uma matilha de lobos me atacou e uma mulher veio, espantou os lobos e depois cuidou de minhas feridas.

Ela me disse que se eu ajudasse o meu próximo, minha vida não seria tão sem sentido e solitária. Ela me disse que deveria trabalhar com o meu destino que eu mesmo tinha escolhido, e que eu teria que desfazer os erros que havia cometido.

“Eu perguntei-lhe como eu poderia fazê-lo e, ela respondeu: vá para cidade e viva uma vida de serviço a toda a humanidade e também aos animais. Comecei a fazer isso com grande alegria. Mas, minha alegria não durou muito tempo, pois, mal ganhava para me sustentar e eu já estava passando fome. Finalmente consegui um emprego, mas, roubaram o meu primeiro salário no caminho para minha casa. Fui despejado do meu quarto pela proprietária e fiquei passando frio. Então, fui até o meu chefe e ele me ajudou naquela semana pagando o meu aluguel. Mais tarde, apaixonei por uma mulher, porém, ela me deixou um dia antes de nos casarmos. Isso tirou todo o meu desejo de fazer o bem”.

“Você se casaria com ela por um motivo egoísta”, disse a Auxiliar Invisível. “Você não quis ajudar ninguém durante esse tempo? “

“Não, mal eu poderia ajudar a mim mesmo!”, respondeu o homem.

“Quando você começou a ser útil?”, perguntou a Auxiliar Invisível.

“Bem”, disse o homem, “uma noite a mesma mulher apareceu a mim, em sonho, e pediu que eu ajudasse a humanidade com o aquilo que eu tinha.

A primeira pessoa a quem eu ajudei foi uma menina indiana. Desde então, tenho ajudado as pessoas, cães, gatos e vários animais”.

“Numa manhã de domingo na primavera fui para floresta e não prestei atenção por onde estava indo. Finalmente, eu entrei em um covil de lobos e um lobo rosnou para mim. Isso me fez voltar a mim, percebi que a morte estava perto e fiquei apavorado. Eu orei a Deus e Lhe pedi para que me poupasse um pouco mais. Eu prometi que iria tentar desfazer as maldades que eu tinha cometido”.

“Neste momento, um lobo transportou um de seus filhotes e depositou aos meus pés”.

Observei que uma de suas patas traseiras estava parcialmente mutilada. Lavei-a com cuidado, enrolei com o meu lenço e a coloquei no chão.

Depois o filhote voltou para sua mãe. Então, me dirigi até no meio dos oito lobos e nenhum deles me incomodou.

“Fui para casa me sentindo um novo homem e fui promovido rapidamente no meu trabalho. Agora sou o supervisor das florestas. Fui para a floresta novamente, há cerca de um ano atrás. E lá libertei uma grande cobra de uma armadilha e ela não tentou me morder. Eu não quero morrer. Eu não completei ainda meu trabalho aqui. Tenho desfeito muita coisa do que fiz, mas, quero ainda terminar”.

“Você vai viver para terminar o seu trabalho”, disse a Auxiliar Invisível.

“Por favor, me diga por que a mulher me abandonou no momento do nosso casamento?”, disse o homem.

O Auxiliar Invisível lhe disse que em vidas anteriores havia mantido relações sexuais com essa mulher para satisfazer seus desejos deixando-a depois, e que agora estava colhendo aquilo que semeou.

“Você irá conhecer esta mulher a quem feriu”, disse o Auxiliar Invisível. “E você terá a oportunidade de corrigir o erro que cometeu e, ainda dar um nome a uma criança. Certamente, estará pagando o seu destino”.

Os Auxiliares Invisíveis observaram que o Corpo-Alma do homem estava começando a brilhar. Eles fizeram o que podiam para ajudá-lo e foram continuar o trabalho deles. Esperemos que este tenha pago as suas dívidas, e que em vidas futuras possa ser útil e feliz, e assim evitar o Purgatório, quando vier a falecer.

Na Bíblia, lemos as seguintes palavras de sabedoria: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal” (II Cor 5:10).

Os Auxiliares Invisíveis precisam de conhecimento, pois é necessário se relacionar com vários tipos de pessoas, e por isso ser capazes de lidar com todo tipo de situação, quando são enviados em missões (serviço). A eles são dados os meios de levar adiante o trabalho a ser executado. Por meio da Consciência Jupiteriana, que é algo semelhante às cenas passadas em imagens, o Auxiliar Invisível mostra às pessoas, que irão ajudar, de que maneira devem proceder.

Existem algumas pessoas que são tão preguiçosas e negligentes como crianças malvadas e crescem preguiçosas e incapazes. Vocês veem muitas destas pessoas (membros) na família humanidade. Sem dúvida, tem se perguntado por que elas não se esforçam por elaborar melhores condições de vida para si mesmas. Elas tentam resistir a todos os esforços para serem melhores e seguirem a linha de menor resistência, que é mendigar ou furtar àqueles que lhes convém.

Aqui está uma história que mostra como algumas pessoas foram ajudadas numa noite, e como alguns mendigos decidiram dar uma mãozinha na construção de seus destinos. Os mendigos aproximaram de uma casa e planejaram roubar as pessoas que ali viviam. Um deles foi até à porta de uma casa para pedir comida. Caminhou até a porta, enquanto os demais permaneceram no quintal. O homem esperava entrar na casa, e assim, observar o que havia lá dentro, para que em seguida os demais pudessem aproveitar e roubar a família.

Aconteceu que dois Auxiliares Invisíveis estavam dentro da casa socorrendo uma pessoa enferma. Quando ouviram uma forte batida na porta os Auxiliares Invisíveis olharam para fora e viram o mendigo na porta e os demais no quintal.

“Irei até a porta”, disse a Auxiliar Invisível, pois sabia que as pessoas estavam nervosas e com medo.

“O que quer?”, a Auxiliar Invisível perguntou ao mendigo, após abrir a porta.

O mendigo pediu algo para comer. A Auxiliar Invisível, cuidadosamente, fechou a porta e foi pegar um pouco de pão e manteiga.

Ela entregou a comida ao mendigo, que parecida muito bravo, porque estava descontente. A Auxiliar Invisível, então, viu mais quarto mendigos próximos com olhares maldosos em seus rostos. A Auxiliar Invisível sabia que os mendigos estavam intencionados em roubar as pessoas e, então, resolveu impedir que isto acontecesse, se fosse possível. Ela foi até onde eles estavam e lhes falou.

“O que posso fazer por vocês?”, ela perguntou.

Os homens murmuraram algo sobre sua má sorte e a Auxiliar Invisível começou, imediatamente, a reprová-los por serem descuidados e preguiçosos. Ela lhes disse que a culpa era de cada um por serem pessoas difíceis e por isso não teria mais ninguém a quem culpar. A senhora Auxiliar conversou com cada um por vez, e disse a data e onde nasceu. E falou dos principais acontecimentos em cada uma de suas vidas.

Os mendigos ficaram tão surpresos que não sabiam o que fazer. Um dos homens chegou a afirmar que ela estava certa no que disse a seu respeito.

“Sim, é verdade”, disse outro homem.

A Auxiliar Invisível lhes contou de sua vida e de seus esforços para fazer o bem e ter êxito no seu trabalho e como ela trabalhou com o seu dinheiro para que fosse possível aproveitá-lo por mais tempo. Os homens a olharam com surpresa e admiração. O Auxiliar Invisível disse a ela que os tirasse de sua aura expandida. Quando a fez, os homens ficaram assustados.

“Senhora, os Anjos trabalham no céu?”, perguntou um dos homens.

“Sim, eles trabalham no Céu”, a Auxiliar Invisível respondeu. “Os seres humanos, Anjos e Arcanjos trabalham em toda parte do Universo. Todas as pessoas, tanto boas ou más, necessitam trabalhar nesta onda de vida”. Ela reafirmou que havia deixado bem claro a todos os mendigos que todo ser humano deve trabalhar pelo seu destino e que colhemos aquilo que semeamos.

Os cinco mendigos se viraram e foram embora calmamente, porém, muito mais instruídos do que quando chegaram.  Eles acabaram mudando de opinião sobre o que iam fazer e decidiram que, a partir de agora, seriam pessoas melhores no futuro.

Se você deseja ser um Auxiliar Invisível, você deve gostar de trabalhar. Se você se orgulha de trabalhar e gosta de se colocar nisso e de fazer o melhor que pode, você vai ser bem-sucedido na longa jornada. Um Auxiliar Invisível ama seu trabalho. Depois que ele sabe que estão dando a ele a permissão de fazer parte neste trabalho, ele anseia por fazer seu melhor e evoluir e, assim, será capaz de realizar trabalhos cada vez mais difíceis, enquanto está fora de seu Corpo durante o sono. Auxiliares Invisíveis de todos os tipos são necessários. Pessoas das origens mais humildes necessitam de ajuda, tanto quanto engenheiros altamente habilidosos, médicos, professores e todos aqueles de todas as outras profissões. Há um lugar para todos que desejam servir.

Não devemos negligenciar os deveres ordinários de nossas vidas. Não devemos esperar nos colocar em novos deveres e deixar de lado nossas obrigações que já foram assumidas. É possível para nós sermos realmente bons como estudantes ocultistas, sem negligenciar algum de nossos deveres habituais. Não estamos prontos para o trabalho mais elevado se não estivermos desejosos por completar nossos DEVERES para com nossas famílias. Iremos descobrir que trabalhar como um Auxiliar Invisível será a coisa mais interessante e valiosa que faremos. Não desejaremos fazer nada que possa nos levar a perder nosso lugar no grupo de Auxiliares Invisíveis. Não devemos apenas pensar grande, mas devemos trabalhar no sentido da meta que impusemos a nós mesmos.

Consideremos o lugar em que a religião deveria ter em nossa vida moderna e, então, veremos qual papel deveríamos desempenhar no drama da vida, a fim de fazer do mundo um lugar melhor para todos nós vivermos.

São Tiago escreveu aos Cristãos sobre seu dia e contou-lhe várias coisas que os encorajaram a se esforçar muito para viver vidas boas e úteis. O seguinte conselho nos fala sobre como podemos ser bons Auxiliares Invisíveis:

“Se alguém dentre vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a concede generosamente a todos, sem recriminações, e ela ser-lhe-á dada”.

“…todo dom precioso e toda dádiva perfeita vêm do alto e desce do Pai das luzes, no qual não há mudança nem sombra de variação”.

“Se alguém pensa ser religioso, mas não refreia a sua língua, antes se engana a si mesmo, saiba que a sua religião é vã”.

“Tornai-vos praticantes da Palavra e não simples ouvintes, enganando-vos a vós mesmos!”.

“Com efeito, a religião pura e sem mácula diante de Deus, nosso Pai, consiste nisto: visitar os órfãos e as viúvas em suas tribulações e guardar-se livre da corrupção do mundo” (Tg 1:5-16-17-22-26-27).

São Tiago era um Ego desenvolvido que não teve medo de escolher seguir a Cristo, e depois de ter escolhido segui-Lo, nunca vacilou, mas continuou a ser fiel a Ele enquanto viveu. Naquele tempo, não era algo fácil seguir os ditames de seu coração.

Depois de Cristo ter sido crucificado, os Discípulos estavam sempre em perigo, pois eles tinham muitos inimigos. As ideias de Cristo eram muito elevadas para aqueles seres humanos vis de seu tempo segui-las e eles temiam aqueles que instintivamente reconheciam como nobres e verdadeiros. Tais homens sabiam que estavam agindo errado quando mataram e prenderam os primeiros cristãos, porque possuíam os ensinamentos do Antigo Testamento. Eles sabiam sobre os ensinamentos dos profetas e tinham os Dez Mandamentos.

Vejamos como os seres humanos dos tempos modernos podem colocar os ensinamentos cristãos em prática. Alguns estão fazendo isto agora e serão recompensados por sua fé e obras. Mas, e quanto a maioria? Seriam eles executores da palavra ou meros ouvintes, enganando a si mesmos? A verdade é que eles não são executores e muitos não são nem ouvintes. Perguntemo-nos por que isto acontece.

Muitas influências, as quais são decorrentes de todos nós, estão agindo neste nosso grande mundo. Em terras estrangeiras as condições não são boas.

Os diplomatas do mundo professam que estão trabalhando para promover a paz. Mas eles estão usando sua sabedoria e estão pedindo a Deus por orientação? A resposta é “não” em ambos os casos. Eles dependem de sua baixa capacidade de prever como as coisas vão se desenrolar. Eles dependem da ideia de que o poder é o certo, o que é uma base falsa sobre a qual construir uma paz duradoura.

Somos guardadores de nossos irmãos e somos confrontados com a necessidade de escolher qual lado tomar na vida de hoje. Os líderes das nações do presente têm uma tremenda responsabilidade. Como eles estão desempenhando seu trabalho? Estão usando da justiça e da misericórdia? Estão liderando seus seguidores nos caminhos da paz?

Se você desejar ser um Auxiliar Invisível você deve usar da justiça e da misericórdia em sua vida cotidiana, pois um ser humano vil não pode fazer atos de misericórdia à noite. Tal ser humano não pode ser usado como um Auxiliar Invisível para curar o doente e pregar o evangelho do caminho correto. Um Auxiliar Invisível deve ser honesto consigo mesmo e com os outros.

Estudantes ocultistas devem ser obedientes às leis da terra onde vivem. Devem obedecer aos Dez Mandamentos e os ensinamentos de Cristo no melhor de suas capacidades. Um grande místico disse que o orgulho do intelecto, a intolerância e a impaciência das limitações devem ser os pecados habituais do nosso dia. Se você gostaria de ser um Auxiliar Invisível, seja cauteloso em evitar tais traços, caso contrário os Seres Superiores não poderão fazer de você um instrumento em seus serviços benevolentes para com a humanidade.

Aqueles que desejam se preparar para prestar serviço como Auxiliares Invisíveis precisam desempenhar algum papel na comunidade em que vive. A fim de ter um melhor governo, eles devem fazer a sua parte para promover os melhores interesses do povo para poder governar. Muitas pessoas estão seguindo os ditames daqueles que estão no poder, não porque os amam e confiam nele, mas, porque esperam receber deles prestígio, dinheiro ou poder. Existem pessoas hoje em dia que estão prontas para vender suas almas por pequenos valores monetários, assim como Judas fez quando traiu seu amigo e Salvador.

Com o objetivo de ser um Auxiliar Invisível a pessoa deve ter uma firme crença em Deus. A religião tem seu lugar em cada nação, em cada casa e no coração de cada pessoa dentro daquela casa.  Não é necessário que todo Auxiliar Invisível acredite exatamente na mesma forma religiosa.

De tempos em tempos, diferentes tipos de religiões são fornecidos à humanidade para que cada uma atenda as necessidades espirituais, dentre as quais estão inseridas. Todas estas religiões vêm de Deus e das Hierarquias Superiores que trabalharam, desde os tempos passados, para fazer com que as pessoas que vivem na Terra pudessem avançar. Todas as religiões têm fundamentos e objetivos similares. As religiões anteriores deram lugar à religião Cristã, que foi fundada por Cristo Jesus há quase dois mil anos atrás.

Há muitas religiões no mundo moderno e se cada pessoa vivesse a concepção mais elevada de sua religião, certamente, o mundo seria um lugar muito melhor do que é hoje. Qual é o problema? Por que cada ser humano não faz jus a sua religião? Isto se deve ao fato dele não querer ou não se esforçar o suficiente. Naturalmente, é mais fácil seguir a linha de menor resistência. É preciso coragem para seguir os Dez Mandamentos.

A fim de fazê-lo, o ser humano precisa crer em Deus e passar algum tempo meditando e lendo sobre Deus. Não deve tomar o nome do Senhor em vão. Não deve blasfemar, porque se o fizer, seguramente, será punido por isto. Cada pessoa é julgada em silêncio por sua família, seus vizinhos e pelos demais.

Se o ser humano usa o nome de Deus de maneira desrespeitosa, ele não é religioso e, realmente, não engana nem a si mesmo nem a qualquer outra pessoa, quando finge ser um cristão. As pessoas religiosas devem ter mais cuidados em como educar seus filhos. As crianças aprendem muito pela observação e são grandes imitadoras. Se uma criança ouve seus pais falarem palavrões, ela acaba sendo susceptível a fazer o mesmo em pouco tempo e este hábito fica muito difícil de se romper. Aqueles que desejam servir aos Irmãos Leigos precisam evitar esta prática ruim.

Depois há o mandamento “Não furtarás”. Devemos respeitar o direito de propriedades dos outros, e manter toda lei porque queremos. Então, não iremos precisar ninguém nos ficar vigiando, já que prestamos obediência porque somos servos da lei, e trabalhamos com isto, porque queremos fazer o que é certo e justo. Todo servidor público eleito ou escolhido para servir em uma repartição pública deve se lembrar de seus ensinamentos religiosos e ser justo com todos. Eles devem escolher assistentes e trabalhadores por sua aptidão em fazer o trabalho honestamente. Os servidores públicos devem tomar cuidado com a intolerância a outras raças e credos. Aqueles que estão tratando de viver uma boa vida estão tendo dificuldades.

No entanto, devem cumprir com seu dever como o veem e não se deixar influenciar pelas forças invisíveis do mal. Em toda Bíblia lemos sobre o conflito entre o bem e o mal. Assim, as pessoas más estiveram no poder ou a maioria delas, e ao que parece tem se superado na luta. Já é tempo para que as pessoas boas de todas as religiões se coloquem firmes e fortes para o que é correto. Os indivíduos e as nações não devem extorquir. Não devem matar, e não devem levantar falso testemunho contra seu próximo.  Pessoas que cometem estes pecados serão punidas nesta vida ou em outra futura. Uma pessoa que tenha dado um falso testemunho contra outra, também será colocada em situação idêntica de falso testemunho contra ela mesma. Então, esta pessoa irá sofrer como fez o outro sofrer, pois colhemos o que plantamos. Não devemos cobiçar o que pertence aos outros. De cada um de nós é esperado que se faça o correto, não importando onde nos encontremos.

O advogado ou juiz deve guiar-se de sua religião na sala do tribunal. Ele deve ouvir, atentamente, as evidências apresentadas e tentar honestamente ser justo e correto. A pena de morte deve ser abolida. A prisão é mais humana em todos os casos.

As prisões devem ser higienizadas e a comida deve ser nutritiva e suficiente. Se uma pessoa, supostamente, cometeu um crime e é sentenciada a prisão por vários anos, e mais tarde se descobre que era inocente, então, o ser humano pode ser liberado e seu nome reabilitado publicamente. Se, por outro lado, este ser humano tenha sido enforcado ou eletrocutado, o crime cai sobre o Estado e nenhuma restituição poderá ser feita a pessoa injustiçada.

Um juiz que é religioso tentará fazer justiça utilizando o melhor de sua capacidade. O ser humano que, realmente, se esforça para ser um servo de Deus conseguirá desenvolver sua intuição. Entretanto, poderá discernir o real motivo por trás do ato e dará, infalivelmente, uma decisão justa. De modo que, se o ser humano é honesto consigo mesmo e com os outros, ele será recompensado através de sua atenção consciente no trabalho da vida. Assim, a pessoa poderá tornar-se um Auxiliar Invisível muito útil.

Consideremos um médico e vejamos como ele pode fazer uso de sua religião na prática da medicina. Um médico tem uma alta vocação e pode ganhar muita recompensa no Céu, construir melhores condições para ele mesmo em sua próxima vida na terra; ou ele poderá acumular grande sofrimento para si mesmo no Purgatório e em outras vidas pela forma que ele conduziu sua vida. É dever do médico aliviar o sofrimento e servir àqueles que procuram seus serviços quando estão doentes.

Um médico deveria sair de seu caminho para tratar os doentes. Não deveria cobrar honorários que sejam muito além das possibilidades de seus pacientes que sejam pobres nos bens deste mundo. Aqueles que podem pagar deveriam fazê-lo prontamente. Todo médico deveria desejar fazer algum trabalho de caridade.  São Lucas era chamado o amado médico por causa de seus atos caridosos.  Um médico tem mais oportunidades para servir do que a maioria das pessoas. Se ele é uma boa pessoa, ela torna-se um Auxiliar Invisível, pois o trabalho de curar é uma das mais importantes linhas de trabalho exercidas pelos Irmãos Maiores e seus Auxiliares.

Cristo foi chamado de Grande Médico por causa de sua extraordinária habilidade em curar as pessoas doentes e sofredoras. Cristo não apenas curava os doentes, ele curava os cegos e expulsava os demônios. Expulsar demônios significa que ele podia curar casos de obsessão.  Auxiliares Invisíveis frequentemente fazem isso hoje. O médico moderno pode fazer muito para ajudar a si mesmo e aos outros se ele for uma pessoa religiosa que realmente deseje fazer todas as suas obrigações pelos outros. Essa pessoa precisa de uma religião de esperança, pois ela terá mais sucesso se for capaz de instilar esperança e confiança em seus pacientes. Se colocar seu grande coração em seu trabalho, desenvolverá a intuição necessária para ajudá-la a diagnosticar casos difíceis de doença e tratá-las com sucesso. Alguns dos médicos atuais desenvolveram suas faculdades finas e são, por este motivo, muito melhor equipados para ajudar ao doente.

Um verdadeiro médico e outras pessoas evitarão a bebedeira e outras formas de dissipação, e manter-se-ão em forma para que sempre tenham cabeça fria e pronta para qualquer emergência. Qualquer um que deseje ser um Auxiliar Invisível deve manter-se sem interferência de todas as formas de bebidas intoxicantes.

Aqui está um mandamento difícil de ser mantido pelas pessoas do mundo moderno. É este: “Não deverás matar”. Muitas pessoas entendem como significado disso que não devemos matar seres humanos, mas o Estudante Rosacruz oculto sabe que os animais estão incluídos neste mandamento. Você deveria lembrar que Daniel e seus amigos recusaram-se a comer carne da mesa do rei da Babilônia. Para realmente obedecer este mandamento de Deus, você deve viver uma vida inofensiva. Você deve desabituar-se de comer carne, peixe e ave porque eles são irmãos mais novos.

Aqueles que fazem com que terceiros, por necessidade econômica, matem animais para sua alimentação, são realmente acessórios da obrigação por ser responsáveis pela morte dos animais.  Um homem honesto e religioso não pode tornar-se um açougueiro, servidor de bebidas ou um caçador de animais com peles. Tais homens não podem ser aceitos como Auxiliares Invisíveis.

Há apenas uma desculpa para o caçador que vai atrás de uma atividade.  Se ele estiver faminto ou se sua família estiver com necessidade de alimentos, e ser for necessário matar um animal para sustentar a vida, poder-lhe-á ser perdoado assim agir, mesmo se ele esteja tentando viver uma vida religiosa.

Caçar meramente por esporte é cruel, e o ser humano que professa ser um Cristão deveria empenhar-se contra isso aberta ou secretamente. O caçador coloca-se em uma posição onde ele torna-se desumano e insensível a toda dor e sofrimento.

O cientista também necessita de sua religião em seu trabalho. Se ele devota seu tempo ao trabalho, será útil aos seres humanos e animais, e será recompensado; ao revés, ele será punido por seus atos. Os cientistas que efetuaram curas para várias doenças humanas ajudaram em nossa vida moderna.

Muitos cientistas trabalharam pelo bem da humanidade e podemos ter certeza de que eles serão recompensados após a morte. Muitos dos cientistas do passado foram Auxiliares Invisíveis muito úteis.

Inventores que desejam tornarem-se Auxiliares Invisíveis deveriam trabalhar somente para o bem da humanidade. Seria melhor se cada inventor perguntasse a si mesmo se sua invenção faria do mundo um local mais seguro e mais feliz onde viver, ou se isso causaria mais sofrimento e crime. Inventores deveriam usar sua habilidade para ajudar a humanidade e não para causar sofrimento.

Na Época Atlante as pessoas tinham um instrumento maravilhoso chamado gerador de água. Por meio dessa útil invenção, as pessoas geravam água ao utilizar o oxigênio e hidrogênio da atmosfera e combinando esses gases para formar água pura. Essa invenção foi perdida. Algum dia será mostrado a um homem valoroso como fazer um gerador de água para a humanidade. Seria maravilhoso para as pessoas de terras semiáridas onde há chuva insuficiente. Poderia também resolver o problema de água potável para as cidades e comunidades rurais.

Para inventar esse instrumento o inventor terá de melhorar a si mesmo, que é a melhor maneira de aprender os segredos da natureza.

É possível ao ser humano desenvolver faculdades dentro de si, que o capacitarão a ler a Memória da Natureza. Aí ele poderá investigar muitas coisas em sua procura pela verdade e conhecimento. Antes que uma pessoa possa atingir este estágio, ela deve tornar-se um Auxiliar, tanto em suas horas de vigília como durante o sono. Um ser humano recebe dons espirituais como uma recompensa por mérito e por persistência em fazer o bem.

Um fazendeiro poderá se tornar um Auxiliar Invisível e usar sua religião no trabalho. Um bom fazendeiro poderá fazer sua parte em melhorar a qualidade dos grãos, vegetais e frutas que ele cultiva em sua fazenda.  Ele dá aos membros do reino vegetal uma oportunidade para crescer e ganhar experiência.  O fazendeiro cultiva alimentos para alimentar outras pessoas. Se ele produzir boa comida e vender a um preço razoável, ele estará ajudando outras pessoas a viver e planejar seus destinos e aprender lições necessárias.

Um bom fazendeiro é gentil aos animais da fazenda e os alimenta de forma apropriada.  Se eles estão feridos, ele os medica e tenta dar-lhes conforto. Um fazendeiro que tenta ser religioso cuida dos membros de sua família e proporciona oportunidade para irem à escola e à igreja. Ele tenta ensinar às suas crianças como trabalhar na fazenda, de forma que elas aprendam a ter o seu próprio sustento para viver.

Algumas pessoas ajudaram o mundo ao desenvolver novos e melhores tipos de vegetais, árvores frutíferas e plantas. Essas pessoas deixam o mundo muito melhor e ganham tesouros no Céu por seus serviços.

Qualquer religião pode ser julgada pelo que faz pelas outras pessoas que acreditam nela e praticam seus ensinamentos. A religião fez muito por milhares de pessoas que estão vivendo hoje. Se as verdades fossem sabidas, constataríamos que muitas pessoas foram curadas pela sua fé em Deus. Outras pessoas foram salvas da morte por suas preces. Se você quer ser um Auxiliar, escolha uma religião, estude-a, viva-a e distancie-se das práticas demoníacas do mundo.  Você deverá rezar a Deus por liberdade e orientação e fazer todo o bem que você puder. Se você fizer isso, você certamente irá adiante para o lugar onde você poderá ser usado como um Auxiliar Invisível para a humanidade.

Se você deseja tornar-se um Auxiliar Invisível, você deve ser altruísta. Você deve desejar fazer para outras pessoas. Eu não quero dizer que você deve doar tudo que você tem, mas você pode dividir o que você tem com outros. Se você é afortunado o suficiente para ter dinheiro ou poder, sinta que é seu para usar de maneira sábia para uma boa causa. Esteja disposto a dar seu tempo para ajudar outras pessoas que estão lutando para se melhorar e avançar em alguma linha escolhida de empenho ou para ajudar aos outros a aprender os ensinamentos Místicos. Seguem duas estórias que narram sobre um homem egoísta e um homem altruísta.

Uma noite dois Auxiliares Invisíveis pararam em uma casa onde um menino estava com apendicite. Os Auxiliares Invisíveis foram informados que o médico não iria ver o menino doente a não ser que eles recebessem o pagamento de cinquenta dólares pela visita. O médico vivia a alguma distância das pessoas e era muito proeminente. A Auxiliar Invisível foi ver esse médico que iria atender o menino e ele recusou-se a fazer a visita se ela não garantisse que ele receberia o dinheiro.

A Auxiliar Invisível se voltou para o menino doente e o Auxiliar Invisível chamou os Seres mais elevados para ajudar. Eles foram informados, através de pensamento, para massagear cuidadosamente o apêndice do menino a fim de esvaziá-lo.  O Auxiliar Invisível fez isso e então massageou o intestino grosso do menino e passou o conteúdo do apêndice para fora e o menino ficou melhor rapidamente.  Os Auxiliares Invisíveis disseram aos pais do menino para alimentá-lo com sopa e vegetais moles, mas sem carne. Eles prometeram voltar a ver o menino em um dia ou dois.

Após dois dias os Auxiliares Invisíveis voltaram a ver o menino e verificaram que ele estava sentindo-se bem. Eles contaram aos pais que seu filho ficaria bem.  “Você deve sempre ser cuidadoso na dieta dele”, disse o Auxiliar Invisível, “e não lhe permita engolir qualquer tipo de sementes.”.

“O médico veio ontem ver nosso menino”, disse a mãe. “Ele disse que se preocupou a noite toda com ele e ofereceu fazer o que estivesse ao seu alcance gratuitamente se nós quiséssemos.  Eu lhe disse que não precisaríamos mais dele uma vez que alguns novos amigos vieram e ajudaram. Ele queria saber quem eram nossos amigos e onde eles moravam.  Ele disse que gostaria de ver a mulher que lhe pediu assistência.”.

A Auxiliar Invisível materializou-se no consultório do médico no dia anterior quando lhe pediu para ir ver o menino. Ele terminantemente se recusou a ir, a não ser que fossem pagos seus honorários de cinquenta dólares.  Ela disse-lhe que chegaria hora em que ele iria alegremente a qualquer lugar ajudar uma pessoa doente independentemente de quão longe fosse.

Os pais do menino queriam saber quem eram os estranhos e eles lhes disseram sobre seu trabalho. Esses Auxiliares Invisíveis encontraram muitos outros médicos que eram altruístas e estavam alegres em fazer o que estivesse ao seu alcance pelo doente.

Aqui está uma estória sobre como um Auxiliar Invisível salvou um homem que ia viver somente um braço.  Esta estória é tão estranha que é quase inacreditável.  No entanto, várias pessoas sabem que é verdade. Um Auxiliar Invisível que é médico e outro Auxiliar Invisível foram enviados para um país na Europa para ajudar um homem. Esse país estava no meio de uma terrível guerra naquela época.

Os Auxiliares Invisíveis chegaram ao lugar tão rápido quanto o homem que cortou fora o braço de outro homem com um sabre.  Os Auxiliares Invisíveis correram até o homem ferido e a Auxiliar Invisível pegou o braço severamente ferido e seu parceiro disse-lhe para segurá-lo em um local abaixo do ombro do homem. Ela fez isso rapidamente e o Auxiliar Invisível colocou as duas partes juntas e as roçou, elas cicatrizaram rapidamente e o homem começou a mover seu braço.

Os soldados que viram isso acontecer ficaram tão atordoados que não conseguiam se mexer. Um Auxiliar Invisível disse-lhes para voltar ao seu trabalho que eles encontrariam sua recompensa.  Isto significaria que eles iriam ser punidos pelo que fizeram, quando a hora viesse para eles colherem o que semearam.

O homem que recebeu este auxílio era um Estudante Rosacruz ocultista adiantado.  Os Auxiliares Invisíveis deram-lhe algumas instruções e disseram-lhe para voltar ao seu trabalho e ele não seria mais molestado. O Estudante Rosacruz tinha audição e visão espiritual e estava fazendo um bom trabalho entre as pessoas naquele lugar. Ambos Auxiliares Invisíveis lembraram plenamente os detalhes deste trabalho útil e a Auxiliar Invisível maravilhou-se em ver que tal coisa pudesse acontecer. O poder de cura que vem de Deus pode fazer muitas coisas maravilhosas para as pessoas que tenham ganhado tal assistência.

Outra recompensa por viver corretamente é ser capaz de viver o próprio Purgatório aqui na Terra e em ir diretamente para o Primeiro Céu após a morte. Isto pode ser realizado ao rever os eventos do dia em ordem reversa toda noite antes de dormir e julgando as próprias ações cuidadosamente[36], e vivendo uma vida boa, limpa e prestativa.

Este exercício noturno é chamado Retrospecção. É muito valoroso para o Estudante Rosacruz que deseja adiantar-se no caminho da realização, que capacita uma pessoa a aprender todas as lições desta vida e algumas lições que são ordinariamente reservadas para vidas futuras.

O exercício ajuda o Estudante Rosacruz a restabelecer harmonia em seu Corpo de Desejos conscientemente e em menos tempo do que seria necessário durante o sono, deixando mais tempo para o ego sair como um Auxiliar. Quando um Estudante Rosacruz faz sua Retrospecção meticulosamente toda noite, ele limpa seu Corpo de Desejos e começa o trabalho de construir o Corpo-Alma.

Uma noite dois Auxiliares tiveram a oportunidade de ver três pessoas concentrarem-se: uma Estudante Rosacruz, um homem comum e um comerciante. Todos fizeram bem.

A Estudante Rosacruz era uma mulher casada com duas crianças amáveis. Ela deu banho nas crianças, colocou-as na cama e fez o que precisava para seu marido.  Colocou a casa em ordem e foi para cama. Após deitar, ela relaxou. Os Auxiliares Invisíveis viram-na reunir seus pensamentos até que não irradiassem mais.  Sua Mente tornou-se escura e então ela começou a repassar os eventos do dia. Às vezes sua Mente ardia e coloria, primeiramente vermelho, o escuro e então o verde e cinza, mostrando as diferentes emoções que ela vivenciou.  Finalmente, sua Mente clareou e um azul pálido e amarelo claro fluiu de sua cabeça.  Então ela mudou de posição e dormiu. Os Auxiliares Invisíveis viram-na sair de seu corpo em um lindo Corpo de Desejos e ir embora.

Em seguida os Auxiliares Invisíveis viram um homem deitando em uma cama estreita em um albergue. Ele teve um dia duro para obter algo para comer e dinheiro suficiente para uma cama para dormir. Ele teve um período difícil para trazer sua Mente sob controle. A única coisa em que ele se concentrava era como fazer para viver. Sua infância flutuava na sua frente e ele viu-se sentado no colo de sua mãe e ela estava dizendo-lhe para ser um bom menino e tornar-se um bom homem. Ele era feliz e contente até sua mãe falecer quando ele tinha em torno de doze anos. A partir daí ele foi colocado em vários lares pelo seu pai e então ele acabou ficando com alguns meninos que o desviaram do caminho. O homem suspirou e disse: “Mãe, como as coisas teriam sido diferentes se você tivesse viva.”

“Sua mãe deu-lhe instruções suficientes”, disse o Auxiliar Invisível, “para durar por toda a sua vida se você enfrentasse as situações e fosse bom. Há muito que possa fazer se você deseja ser um homem de verdade e não um fraco”.

“Se eu puder achar um emprego, eu serei bom”, o homem prometeu. “Eu farei pelos outros o que gostaria que fizessem por mim”.

“Você achará um trabalho”, prometeu o Auxiliar.

O homem logo dormiu. Seu Corpo de Desejos parecia muito penoso, com todas as cores turvas e indefinidas, exceto o vermelho escuro da paixão. Nunca viu os Auxiliares Invisíveis. Ele só ouviu o Auxiliar Invisível quando este estava falando com seu Ego. Os Auxiliares Invisíveis estavam seguros de que este homem iria melhorar e se reabilitar.

O último era um homem de negócios duro e sagaz que estava deitado em sua cama sozinho pensando como poderia fazer um acordo que pudesse arruinar outro homem, que estava participando de um mesmo negócio. Ele esquematizou um plano que poderia, lentamente, levar o outro homem para fora do negócio. Depois disto, ele dormiu, foi para seu belo escritório começou a rever seu trabalho. Sua imaginação correu solta e, tendo a Mente como seu olho, se viu rodeado pelo dinheiro. Seu Corpo de Desejos mostrava somente ganância e egoísmo. Seu veículo mental estava expandido.

Os Auxiliares Invisíveis descobriram que o principal ponto da Retrospecção é que a pessoa deve ter como um objeto ou ponto de concentração. A princípio, dever estar em um lugar tranquilo para que ele consiga passar pelos acontecimentos do dia, focar nos defeitos e substituí-los por algo bom ou que seja necessário.

Na concentração da Retrospecção, para se limpar o corpo, se deve rever as cenas do dia em ordem inversa. Deve-se, então, ser franco e justo consigo mesmo. Ele deve censurar a si mesmo, onde houver culpa, e louvar-se onde houver mérito.

O objetivo é despertar a consciência para que esta fique inconformada quando um erro é cometido e comprometer a pessoa para que se empenhe até que o erro seja corrigido. Depois de algum tempo quando a pessoa deixar de cometer o erro, procurará fazer o bem por dever de fazer o bem e esquecerá as recompensas.

A pessoa que queira se tornar um Auxiliar Invisível deveria fazer um inventário de sua vida e anotar o que ela precisa eliminar e onde ela precisa melhorar. Ela deveria buscar a maneira pela qual a reforma deveria acontecer. Ela tem três direções para escolher.  Primeiro, ela pode escolher estudar os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental. Segundo, ela pode escolher o método da Bíblia. Terceiro, ela pode escolher o caminho do cientista ocultista.

Os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental é o mais seguro que eu conheço, porque ele ensina o Estudante Rosacruz como limpar seu Corpo de Desejos dia após dia. Nesse caminho ela vive suas experiências do Céu e Purgatório aqui e agora.

O cientista ocultista toma o caminho do intelecto e nada aceita que não satisfaça o intelecto.  Ao final, a não ser que ele seja extremamente cheio de fé, limpará suas dívidas nas regiões do Purgatório.

O Cristão devocional reza e é batizado, juntando-se a uma igreja Cristã. Ele se autodenomina como uma pessoa convertida e uma criança de Deus. Quando ele morre, vai para o Céu, anda nas nuvens e toca sua harpa. Ele falha em reconhecer que seja o que ele semeou, deverá também colher.

Nosso querido Irmão Maior Cristo ensinou que um homem deve fazer restituição por seus atos errados. Se ele fraudou alguém por algo, ele deve buscar devolver o que ele pegou ao ser humano a quem pertence ou, para sua família. Se um ser humano fere outra pessoa em um acidente, ele deve pagar os prejuízos.  Se a restituição não for feita, ele também terá de passar um tempo no Purgatório, limpando seu Átomo-semente, e então, em outra vida, terá de igualar a contagem e liquidar seus débitos do destino.

Muitas pessoas consideram que é melhor buscar uma organização que dê especial treinamento junto a linhas Místicas e Ocultas. Há sete escolas de Mistérios Menores e cinco escolas de Mistérios Maiores. Cada uma das escolas de Mistérios Menores tem uma escola preparatória que treina os Estudantes para entrada na escola que trata das Iniciações. Toda a humanidade deveria estudar em uma dessas Escolas. Cada uma dessas Escolas serve pessoas de uma certa região ou raça.

Os Estudante Rosacruz são geralmente atraídos pelos ensinamentos da Escola mais apropriada ao seu desenvolvimento, mas algumas vezes as pessoas cometem erros e seguem ensinamentos que não são apropriados ao seu desenvolvimento. Pessoas do mundo ocidental deveriam estudar os métodos designados para suas necessidades e não utilizar os métodos usados pelas pessoas do Oriente.

Os Ensinamentos Espirituais não deveriam jamais ser vendidos. Portanto, é melhor não estudar em uma organização que cobre dinheiro para dar lições ou para ensinar uma pessoa como desenvolver suas faculdades espirituais.

É correto que os Estudante Rosacruz façam doações voluntárias. Eles devem doar sua contribuição para financiar a organização que eles escolheram. As pessoas não podem esperar obter algo por nada.

Disseram-me que Jesus está encarregado dos trabalhos das igrejas e que ele tem um grupo de Auxiliares Invisíveis trabalhando com ele. Esses Auxiliares Invisíveis foram os Discípulos de Cristo. Há treze Irmãos Maiores que estão a cargo dessas pessoas que trabalham no mundo como cientistas e utilitários.

Antes que um Estudante Rosacruz possa sair como um Auxiliar Invisível ele deve primeiramente desenvolver suficientemente o seu Corpo-Alma para ser capaz de materializar seu corpo se necessário. Os Alquimistas Medievais chamavam-no de corpo astral, porque através dele podia-se atravessar as regiões cintilantes. Em outras palavras, eles poderiam deitar e deixar seus corpos e sair como Auxiliares Invisíveis para terras distantes e auxiliar os outros em muitos lugares. Posteriormente eles poderiam voltar para seus corpos, levantar e ir para seu trabalho diário usual.

O Corpo-Alma é um dos corpos do espírito. É composto dos dois Éteres superiores do Corpo Vital. Esses Éteres são denominados de Éteres de Luz e Refletor. O Corpo de Desejos está em constante movimento, mas o Corpo-Alma não se movimenta.  Ele é construído a partir da cabeça para baixo.

O Corpo-Alma do ser humano comum e apenas uma linha. O Corpo-Alma de um ser humano que está apenas começando a desenvolver estende-se por, em torno de, 3 centímetros além da borda do Corpo Vital.  A extensão do Corpo-Alma de um Irmão Leigo depende de quantas Iniciações ele teve.  A média do Corpo-Alma de um Irmão Leigo com poucas Iniciações estende-se, em torno de, 51 centímetros além do fim do Corpo de Desejos.

O Corpo de Desejos de tal pessoa estende-se, aproximadamente, quarenta e seis centímetros além do Corpo Denso. Esses Corpos mais elevados do ser humano formam uma aura com formato oval, que rodeia e interpenetra seu Corpo Denso.

Um Anjo comum tem uma aura de, em torno, um quilômetro e meio de espessura, enquanto a aura de um Arcanjo estende-se para tão longo quanto possamos ver. A aura de um Liberado é muito maior do que aquela. É tão brilhante que quando um Auxiliar Invisível a vê, ele quase fica cego pelo brilho de seu Corpo-Alma e de seu Corpo Mental amarelo, e não pode ver seu Corpo de Desejos colorido. Quando vemos um Ser Elevado nós podemos somente ver a luz brilhante de seu semblante.  O resto de seu corpo é tão brilhante que não podemos ver, mesmo quando estamos adormecidos.  Não podemos contar quão longe sua aura estende-se no espaço, pois ela ofusca nosso Sol físico, que fornece a nossa Terra luz e calor.

Para construir um Corpo-Alma que seja grande o suficiente para usá-lo como veículo para viajar, a pessoa deve viver uma vida de amor e serviço para a humanidade. Ela inconscientemente atrairá mais dos dois Éteres superiores e eles serão construídos em seu Corpo-Alma e continuará a crescer.  Quanto mais uma pessoa faz para ajudar os outros, mais seu Corpo-Alma crescerá; mas ela deve ser altruísta e desejadora de ajudar todos que puder, independentemente de quem seja a pessoa.  O Corpo-Alma definhará se não continuarmos a adicionar mais a ele. Uma pessoa não pode ficar imóvel.  Ela vai para frente ou para trás. Quando vamos para frente, nós adicionamos Corpo-Alma, mas quando retrocedemos, perdemos alguma parte de nosso Corpo-Alma.

Para ilustrar como os aspirantes podem fazer seu Corpo-Alma crescer, contaremos quatro histórias verdadeiras de trabalho feito por alguns Auxiliares Invisíveis que estão tentando seguir as sugestões dadas neste capítulo.

Uma vez dois Auxiliares Invisíveis foram à casa de um homem bêbado e ciumento cuja esposa e filho tinham medo dele. Ele voltava para casa alcoolizado e espancava os dois.  A esposa contou aos Auxiliares Invisíveis como seu marido tinha-os tratado os últimos seis anos.

“Ele é bom quando está sóbrio”, disse ela.

Pouco depois o homem chegou à casa e o menino correu para sua mãe.  A Auxiliar Invisível colocou-se entre o homem e o menino, pois ela percebeu que o homem estava alcoolizado.  Ele segurou a Auxiliar Invisível e fez um juramento. Ela deixou sair sua aura e ele pareceu congelar no local onde ele estava com suas mãos e pernas e boca aberta.

Vá e sente-se”, disse a Auxiliar, e o homem foi para a cadeira mais próxima e sentou-se como um homem sóbrio.

“Anjo, o que você quer que eu faça ?”, ele perguntou.

“Pare de beber de uma vez”, disse ela. “Pare de comer carne, mas você pode continuar a comer peixe por seis meses. Após isso, pare de comer todos os tipos de carne, ave e peixe. Você deve tratar sua família com gentileza. Sua esposa não lhe deu causa para ser ciumento. Vá à igreja com eles também.”.

“Nós não gostamos da igreja aqui”, disse a esposa.

A Auxiliar Invisível então contou a essas pessoas sobre seus ensinamentos e onde comprar os livros. Ela disse que eles poderiam estudar e viver os mesmos ensinamentos.

“Faremos isso”, disse o homem.

“Você deve consertar sua casa para sua família”, continuou a Auxiliar. “Se você voltar a beber eu voltarei e o levarei para o Purgatório.”

Veja, a Auxiliar Invisível sabia pela aparência do Corpo Vital do homem que ele não viveria muito mais a não ser que parasse de beber imediatamente.

“Eu pararei de beber e fazer como você disse”, prometeu o homem.

Outra noite esses Auxiliares Invisíveis foram enviados para um local onde uma senhora estava doente com pneumonia. Ela estava orando para que as pessoas na casa ficassem quietas e parassem de tocar o piano e ligar o rádio em alto volume. Ela tinha um amigo quieto e refinado que estava a ajudando, mas aquela senhora não podia fazer nada para impedir que os parentes fizessem muito barulho.

Os Auxiliares Invisíveis materializaram-se no quarto da senhora doente e conversaram com ela.

“Por favor, faça-os parar de fazer tanto barulho no quarto ao lado”, a senhora doente pediu com uma voz enfraquecida. “Eu gostaria que eles me deixassem descansar e morrer em paz. Eu estou tão fraca e desgastada.”

A Auxiliar Invisível foi ao quarto ao lado e as pessoas pararam o barulho, porque ela era uma estranha e eles queriam ouvir o que ela tinha a dizer. “A mulher no quarto ao lado está muito doente e vocês deveriam fazer menos barulho”, disse a Auxiliar.

“Oh, ela não está tão doente”, disse o homem ao piano. “Ela é uma idosa. Somos jovens e precisamos de música”, e começou a tocar novamente.

“Parem de tocar e fiquem quieto e vá para a cama”, disse a Auxiliar. “É hora de vocês estarem na cama, pois já passou da meia-noite”.

“Mulher”, disse o homem, “vá ajudar a doente e nós deixe em paz”.

A Auxiliar Invisível expandiu sua aura e as pessoas no quarto saíram apressada e rapidamente, com exceção do homem que era muito descarado. A Auxiliar Invisível foi até ele, o agarrou pelo pescoço e ele ficou com medo.

“Oh, eu não sabia que você era um Anjo”, disse ele. “Nós faremos silêncio até que ela fique bem”.

Aí os parentes foram dormir. O visitante, cujo nome era Rux, agradeceu à Auxiliar: “Oh, estou tão feliz que você veio, pois, essas pessoas estavam a ponto de me expulsar e deixar que essa senhora morresse. Estou feliz que tenha vindo, pois eu vi um Anjo”.

Após esse evento os Auxiliares Invisíveis trabalharam com a senhora doente e quando eles foram embora, eles sabiam que ela iria ficar bem.

“Quando você ficar bem, você deveria colocar sua casa em ordem”, disse o Auxiliar Invisível. Posteriormente esses Auxiliares Invisíveis passaram por esse lugar duas vezes e na casa reinava o silêncio.

Uma noite, alguns Auxiliares Invisíveis foram ao lar de um velho homem e encontraram sua esposa, os filhos e alguns netos.

Eles conversaram sobre várias coisas e então, aos poucos, contaram a essas pessoas sobre seus ensinamentos.

“Baboseiras, não há nada senão isso”, disse o velho homem com uma boa risada.

O Auxiliar Invisível nada disse sobre aquilo, mas começou a falar sobre o trabalho diferente que os Auxiliares Invisíveis fazem, e a Auxiliar Invisível inconscientemente começou a brilhar e enviar bonitos raios de luz.

O velho homem tinha um cachimbo em sua boca e deixou-o cair na medida em que olhava fixamente a Auxiliar Invisível. O outro Auxiliar Invisível continuou falando e observando o velho homem. Finalmente, sua bengala caiu no chão.

“Estou vendo Anjos ou vendo coisas?”, ele perguntou repentinamente.

“Qual é o problema, meu amigo?”, perguntou o Auxiliar Invisível.

“Eu vejo todos os tipos de luzes bonitas e cores vindo da mocinha”, o homem disse. “Mocinha, você é um Anjo? Certamente você é. Bem, eu tenho oitenta e oito anos e agora eu vejo um. Mocinho, você é um Anjo? Conte-me isso, são humanas todas as pessoas que eu vejo ?”.

“Eu não sei. Depende de como você vê”, respondeu o Auxiliar Invisível. “O homem tem dois conjuntos de olhos”.

“Onde está o segundo conjunto?”, perguntou o velho homem sorrindo.

“Eles estão em seus olhos”, o Auxiliar Invisível disse. “Vamos juntar mãos e olhar para trás três ou quatro mil anos”. Então ele começou a falar sobre a vida do velho homem e ela se se revelou na frente de todos.

Mostrava como ele encontrou seu irmão e seus pais e em direção a sua vida presente. O velho homem e o resto da família estavam muito surpresos e comovidos pelo que viram e ouviram. O Auxiliar Invisível contou a todos que se eles vivessem boas vidas, seus olhos deveriam se abrir antes de eles morrerem.

O velho homem não vivia uma vida pura e santificada e, então, o Auxiliar Invisível lhe disse como purifica-la, santifica-la e escapar da punição que lhe esperava.

Os membros da família estavam todos muito interessados na Auxiliar Invisível por causa do seu belo Corpo-Alma e Corpo de Desejos.

As muitas cores estavam intercambiando e se tornando visíveis de tempos em tempos. Os Auxiliares Invisíveis deixaram essas pessoas muito mais sábias e felizes do que antes.

Certa vez os Auxiliares Invisíveis avistaram dois lobos se preparando para atacar um filhote de veado, em um quintal. “Vamos afastá-los”, o Auxiliar Invisível disse a uma das Auxiliares Invisíveis, que não tinha muita experiência como Auxiliar Invisível.

“Oh, eu não posso”, ela disse. “Eles vão me matar e eu quero viver”.

“Venha comigo”, disse ele, mas a outra Auxiliar Invisível se recusou, protestando:

“Não, eu estou com medo”.

O Auxiliar Invisível desceu e interrompeu o ataque dos lobos, os apaziguou amigos e chamou os outros Auxiliares Invisíveis para se aproximarem dos lobos. A Auxiliar Invisível, que não tinha muita experiência, aproximou-se com cautela, pois aparentava que estava com medo. A outra Auxiliar Invisível foi até o filhote de veado e o tranquilizou; este tremia de medo, e estava amarrado em uma árvore no quintal.

O Auxiliar Invisível foi até a casa, acordou as pessoas e lhes disse que colocassem o filhote de veado no celeiro ou no abrigo; uma vez que seria morto caso o deixasse no quintal. Disseram a eles que tinham detido os lobos, pois eles o mataria.

Uma jovem ouviu os Auxiliares Invisíveis falando sobre o veado e saiu correndo atabalhoada. Ela se desesperou, porque pensou que seu filhote tinha sido morto.

“Não, ele está salvo”, disse o Auxiliar Invisível.

Mesmo assim, a menina saiu correndo, desamarrou o filhote de veado e o levou para dentro de casa, já que era muito pequeno. Havia um menino junto aos Auxiliares Invisíveis que queria saber quem eram aqueles animais que se pareciam com cães policiais. Quando descobriu que eram lobos, se manteve bem distante deles. Um dos Auxiliares Invisíveis disse às pessoas que não amarrassem o filhote de veado até porque ele não iria fugir. Em seguida, eles levaram os lobos para longe e os deixaram em uma grande floresta.

Grandes verdades são muito caras.

A verdade comum,

Como os homens dão e recebem dia após dia,

Vem na caminhada comum da vida fácil,

Soprada pelo vento descuidado em nosso caminho.

 

Grandes verdades são grandemente conquistadas, não encontradas por acaso,

Nem soprada no alento do sonho de verão;

Mas apreendida na grande luta da alma,

Por golpes fortes com o vento e a corrente adversos.[37]

***

 

[1] N.T.: O lago Michigan ou Michigão é um dos cinco Grandes Lagos da América do Norte.

[2] N.T.: James Joseph Jacques Tissot (1836-1902) foi um pintor francês.

[3] N.T.: Também grafado como Jeová ou Joshua ou, ainda, simplesmente: o Senhor.

[4] N.T.: um Iniciado que passou por todas as Iniciações Menores, pelas Iniciações Maiores e pela Iniciação do Libertador.

[5] N.T.: ou Mamon é um termo, derivado da Bíblia, usado para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria das vezes, mas nem sempre, personificado como uma divindade.

[6] N.T.: Dn 3:1-30

[7] N.T.: Jo 1:42

[8] N.T.: At 1:1-43

[9] N.T.: ISm 17:18

[10] N.T.: Antioquia-nos-Orontes foi uma cidade antiga erguida na margem esquerda do rio Orontes. Antioquia ocupa um importante lugar na história do cristianismo.

[11] N.T.: Mt 5:1-12

[12] Um Meistersinger era um membro de uma associação germânica de poesia lírica, composições e canto à capela dos séculos XIV, XV e XVI. Na maior parte eram homens da classe média.

[13] Rm 12:19

[14] N.T.: Primeiro Presidente dos Estados Unidos. O seu estilo de liderança estabeleceu várias características de governação que, desde então, têm sido adotadas. Washington foi celebrado como “Pai da Nação” ainda durante a sua vida.

[15] N.T.: Político norte-americano: 16° presidente dos Estados Unidos. Criado em uma família carente na fronteira oeste, Lincoln foi autodidata. Ele acreditava em um Deus todo-poderoso e demonstrava isso por meio dos eventos que participava.

[16] N.T.: Fundador da província de Pensilvânia (depois estado). Os princípios democráticos que ele implementou na colônia serviram como uma fonte de inspiração para a Constituição Americana.

[17] N.T.: Jornalista, editor, autor, filantropo, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata, inventor e enxadrista estadunidense.

[18] N.T.: Décimo primeiro filho de Jacó, nascido de Raquel, citado no Antigo Testamento, em Gênesis 37; considerado o fundador da tribo de José.

[19] N.T.: ISm 18:1-4

[20] N.T.: Veja o Livro de Jó na Bíblia.

[21] N.T.: Mt 5:16

[22] N.T.: Ou Georg Friedrich Händel (1685-1759) foi um célebre compositor germânico, naturalizado cidadão britânico em 1726. Considerado um dos grandes mestres do Barroco musical europeu.

[23] N.T.: Ludwig van Beethoven (1770-1827) foi um compositor alemão, do período de transição entre o Classicismo (século XVIII) e o Romantismo (século XIX). É considerado um dos pilares da música ocidental, pelo incontestável desenvolvimento, tanto da linguagem como do conteúdo musical demonstrado nas suas obras, permanecendo como um dos compositores mais respeitados e mais influentes de todos os tempos

[24] N.T.: Jakob Ludwig Felix Mendelssohn Bartholdy conhecido como Felix Mendelssohn (1809 -1847) foi um compositor, pianista e maestro alemão do início do período romântico. Algumas das suas mais conhecidas obras são a suíte Sonho de uma Noite de Verão (que inclui a famosa marcha nupcial), dois concertos para piano, o concerto para violino, cerca de 100 lieder, e os oratórios São Paulo e Elijah entre outros.

[25] N.T.: Johann Sebastian Bach (1685-1750) foi um compositor, cravista, Kapellmeister, regente, organista, professor, violinista e violista oriundo do Sacro Império Romano-Germânico, atual Alemanha. Praticou quase todos os gêneros musicais conhecidos em seu tempo, com a notável exceção da ópera, embora suas cantatas maduras revelem bastante influência desta que foi uma das formas mais populares do período Barroco. Sua habilidade ao órgão e ao cravo foi amplamente reconhecida enquanto viveu e se tornou legendária, sendo considerado o maior virtuose de sua geração e um especialista na construção de órgãos.

[26] N.T.: Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni (1475-1564), mais conhecido simplesmente como Michelangelo, foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente.

[27] N.T.: Paul Gustave Doré (1832-1883) foi um pintor, desenhista e o mais produtivo e bem-sucedido ilustrador francês de livros de meados do século XIX. Seu estilo se caracteriza pela inclinação para a fantasia, mas também produziu trabalhos mais sóbrios, como os notáveis estudos sobre as áreas pobres de Londres, realizados entre 1869 e 1871.

[28] N.T.: Lc 2:40

[29] N.T.: Lc 2:47

[30] N.T.: Is 11:6

[31] N.T.: Cura do Corpo, da Alma e do Espírito.

[32] N.T.: inversamente: do último ao primeiro acontecimento.

[33] N.T.: Ernest Alfred Thompson Wallis Budge (1857 – 1934) foi um arqueólogo britânico. Realizou escavações no Egito, Sudão e Mesopotâmia. Durante 27 anos dirigiu o departamento de antiguidades asiáticas e egípcias do Museu Britânico.

[34] N.T.: Cura do Corpo, da Alma e do Espírito

[35] N.T.: Ezequias, do hebraico, significa, em português “Javé Fortalece” ou “Jeová Fortalece”. O rei Ezequias foi o 13º Rei de Judá, e reinou por 29 anos.

[36] N.T.: se arrependendo e executando a reforma íntima, para cada fato que, ao seu ver, praticou o mal e, também, gerar gratidão a todo fato que, ao seu ver, praticou o bem.

[37] N.T.: Trecho do poema no Capítulo “The Soul” do Livro “Our Spiritual Skies” (1914) de Charles Coke Woods.

 

Capítulo III – Auxiliares Invisíveis em Ação

Cristo deu dois mandamentos para Seus Discípulos, quando Ele disse: “Pregai o Evangelho e Curai os enfermos”.  Agora isto é exatamente o que os Auxiliares Invisíveis intencionam, contando com a melhor de suas habilidades. Quando um Auxiliar Invisível está fora do seu Corpo Denso e capacitado para trabalhar em seu Corpo de Desejos, sob a orientação de um Irmão Leigo ou Irmã Leiga, que é quem lhe solicita diretamente, lhe instrui e cuida dele, ele pode fazer muitas atividades, como nós mostraremos a seguir.

Em muitos lugares, os Auxiliares Invisíveis explicam os Ensinamentos Místicos às outras pessoas que eles salvaram ou ajudaram. Em tais casos, eles têm um senso de observação muito mais aguçado que o normal. Aquelas pessoas têm uma visão visível ruim da situação, enquanto que os Auxiliares Invisíveis esclarecem exatamente o que está acontecendo.

Cada Auxiliar Invisível deve gostar do ser humano que ele encontra, ser seu amigo e auxiliar toda pessoa que cruza o seu caminho.

Quando criança, nós fomos ensinados que o fogo poderia nos queimar; que a água poderia nos afogar, se nós não treinarmos com muito cuidado para lidar com isso; que os nossos Corpos são mais pesados que o ar; que uma queda em um precipício ou de um edifício muito alto poderia nos machucar e até causar a nossa morte; que era impossível para nós penetrar na terra ou passar por paredes de pedra; e que era perigoso trabalhar nos subterrâneos, por causa do perigo da terra desmoronar.

Os Auxiliares Invisíveis, quando estão fora do seus Corpos ajudando os outros, não podem ser machucados pelo fogo, terra, ar ou água. Eles podem ir para as profundezas dos oceanos. Eles podem ir para dentro de vulcões ativos e penetrar em suas crateras. Eles podem ir através do ar como os pássaros fazem e mais rápido do que eles, e podem penetrar na terra com toda a segurança. Eles foram ensinados a fazerem tudo isso enquanto seus Corpos Densos estavam dormindo. No início, há com muito medo, mas gradualmente o medo vai sendo deixado para trás e eles podem ir através das chamas para resgatar alguém e, ainda, ser alvos de tiros ou de esfaqueamento, porque eles sabem que quando eles estão atuando por meio dos seus Corpo de Desejos e revestidos de compaixão, ninguém pode machucá-los.

O trabalho dos Auxiliares Invisíveis é de uma imensa vastidão e muito fascinante. Sabemos que a nós é dito que a verdade é mais estranha que a ficção, e eu estou convencido que realmente ela é. Há uma quantidade imensa de seres que estão engajados em serem úteis no trabalho de auxiliar a humanidade. Vamos enumerá-los.

Há os “Espíritos da Natureza”, que incluem as Salamandras, os Silfos (ou Sílfides), as Ondinas, os Gnomos e as Fadas. Ainda existem os Devas, os Anjos da Lua, os Arcanjos do Sol (Cristo é um desses Grandes Seres) e outros Seres Superiores de Vênus e dos outros Planetas do nosso Sistema Solar.

Além disso, há Auxiliares Invisíveis entre a humanidade. Neste capítulo limitaremos o tema somente para esta classe e lhes direi sobre o presente trabalho desenvolvido pelos Auxiliares Invisíveis que estão encarnados e cujos Corpos Densos são empregados durante o dia, pois eles têm de trabalhar para sustentar-se.

Max Heindel, que fundou a Fraternidade Rosacruz sob a direção dos Irmãos Maiores, ensinou-nos que os Auxiliares Invisíveis são agrupados em grupos de doze pessoas, sob um líder qualificado, que frequentemente é um médico; e eles trabalham nos corpos invisíveis de pessoas enfermas e as ajudam ou as curam.

Muitas pessoas, que são Auxiliares Invisíveis durante a noite, não se lembram na manhã seguinte o que fizeram enquanto trabalharam fora de seu corpo.

Outros, ocasionalmente, lembram-se de ter encontrado pessoas que conhecem, ou lembram-se de vários incidentes que aconteceram e tiveram uma impressão tão forte que foram capazes de trazer à memória.  Há outros que, algumas vezes, se lembram de cenas inteiras e escrevem o que foi dito e feito por todos os presentes. Auxiliares Invisíveis conscientes são capazes de lembrar tudo que fizeram, porque suas consciências são contínuas. Há vezes, no entanto, quando são colocados para dormir temporariamente pelos seus instrutores, que entendem não ser melhor para eles lembrar-se de certas jornadas realizadas ou trabalhos realizados, quando estão em missões importantes.

Alguns grupos de Auxiliares Invisíveis trabalham principalmente com os enfermos, indo de paciente em paciente, frequentemente materializando uma mão ou um braço para fazer o que seja necessário. Eles podem até materializar seus corpos integralmente.

Uma noite, dois Auxiliares Invisíveis foram até um barco de pesca para retirar um espinho de peixe cravado na mão de um homem, a qual estava inchada: duas vezes mais que o tamanho normal.

Ele tinha febre alta e estava deitado em sua cama sem conseguir dormir.

Quando os Auxiliares Invisíveis se aproximaram dele, este pensou que eram Anjos e rezou para que o ajudassem.

Os Auxiliares Invisíveis se materializaram e um deles segurou firmemente a mão ferida, enquanto o outro colocou seus dedos no espinho de peixe e o puxou para fora.

Isto causou muita dor na mão do homem que chorou tão alto que outros pescadores ouviram e vieram até onde ele estava.

Quando viram os Auxiliares Invisíveis, eles esfregaram os olhos com força, pois não conseguiam acreditar em suas próprias visões. Depois um homem chamou o restante dos pescadores.

Todos chegavam e ficavam à distância assistindo o que estava se passando naquele lugar.

Após o espinho ter sido retirado, os Auxiliares Invisíveis friccionaram o braço do homem para baixo, lavaram a mão dele em água salgada, e deixaram um pacote de sal molhado.

Eles pediram ao homem que lavasse sua mão duas vezes ao dia em água salgada.

Então, os Auxiliares Invisíveis se viraram e saíram para outro trabalho.

Outra noite, estes dois Auxiliares Invisíveis estavam passando sobre as ilhas Havaianas quando perceberam um garoto com um fino espinho de peixe preso em sua garganta. Seu pescoço tinha dilatado tanto que ele estava sufocando.

Havia muitas pessoas reunidas no quarto e estavam desesperadas.

Dois médicos presentes queriam enviá-lo a um cirurgião para remover o espinho.

Os Auxiliares Invisíveis se materializaram e uma delas disse: “Nós podemos tirar o espinho”.

O médico riu do Auxiliar Invisível e disse: “Ela está delirando”.

A mãe do garoto disse para ela fazer qualquer coisa para salvar a criança.

Os Auxiliares Invisíveis aproximaram-se da criança que estava na cama. Um segurou a criança enquanto o outro tirou o espinho.

Quando uma pessoa está fora do Corpo Denso, tem visão de clarividente. Por causa dessa habilidade, o Auxiliar Invisível viu exatamente onde estava o espinho. Então ela desmaterializou sua mão e a colocou na garganta da criança por detrás do espinho e materializando um dedo empurrou-o para cima.

O garoto engasgou e tossiu, e o espinho voou para fora de sua boca e o Auxiliar Invisível o pegou e deu para sua mãe.

Os médicos se olharam e pasmaram com o ocorrido. Então os Auxiliares Invisíveis deram ao garoto um pouco de água salgada para fazer um gargarejo e deixou-o descansar.

As pessoas fizeram muitas perguntas aos Auxiliares Invisíveis; eles responderam todas e então partiram.

Aqui está um estranho caso de cura.

Na Europa alguns Auxiliares Invisíveis encontraram um pobre fazendeiro que havia sido assaltado por soldados.

Eles tinham baleado seu corpo e o abandonaram para morrer.

Os Auxiliares Invisíveis retiraram trinta e uma balas de seu peito e o levaram a um lugar onde ele tinha abrigo, comida e cuidados.

Numa segunda visita eles o encontraram se recuperando rapidamente.

Ele não estava destinado a morrer naquela época.

Muitas enfermidades são tratadas com sucesso. Eu gostaria de contar-lhes de várias fases desse trabalho conduzido pelos Auxiliares Invisíveis, e fiz registros de muitas ocorrências presentes. Quando ocorre a morte, há sempre alguém presente para ajudar o espírito, que está sempre com medo e incapaz de entender o que aconteceu. Normalmente, duas pessoas levam o espírito para o Mundo do Desejo, onde ele é cuidado por outros Auxiliares Invisíveis, que são Iniciados. Eles lhe explicam coisas e ajudam-no a ajustar-se às novas condições.

Suicidas são difíceis de lidar porque querem reentrar nos seus corpos físicos e tornam-se violentos se alguém os contraria. Auxiliares normais não podem controlá-los sozinhos. Irmãos ou Irmãs leigas têm de vir e gentilmente colocá-los para dormir.

Assim eles poderão levá-lo para o Mundo dos Desejos, onde os suicidas são mantidos. Eles devem permanecer lá por um período que será mais curto ou mais longo, compatível com o tempo que eles deveriam ter vivido normalmente.

Os bebês são levados para o mundo do Céu da mesma forma que qualquer um levaria um bebê normalmente. Um Auxiliar Invisível se lembrou de ter levado dois bebês em momentos diferentes.

Em um caso, dois Auxiliares Invisíveis foram informados sobre o que deveriam fazer e entraram em um ônibus que ia para St. Louis[1]. Havia uma mãe no ônibus com um bebê de cor que acabara de morrer.

Uma das Auxiliares Invisíveis pegou o ego do bebê morto em seus braços e carregou-o por algum tempo até levá-lo ao mundo das crianças[2].   Ela era nova neste serviço e tinha de esperar até que outro Auxiliar Invisível estivesse livre para ir até ela.

Uma noite, alguns Auxiliares Invisíveis relataram que estiveram no Oceano Atlântico Sul, onde avistaram um barco em apuros.

Eles foram informados de que o barco poderia afundar com todos a bordo. Era um cargueiro, carregando seis mulheres e quarenta e dois homens. O barco tinha se chocado em algo, tinha feito um grande buraco no casco e a água estava entrando, rapidamente.

Depois de se materializarem, os Auxiliares Invisíveis seguiram até a cabine onde as mulheres estavam agrupadas e tentaram acalmá-las. O capitão entrou e disse que toda a esperança de salvar o barco havia acabado e que eles não foram capazes de colocar os botes salva-vidas fora, pois, a água do mar estava violenta. Eles tinham acabado de perder dois botes. As pessoas rezavam e pediam aos Auxiliares Invisíveis para salvá-los. Um dos Auxiliares Invisíveis disse-lhes que tudo ficaria bem e caso morressem, todos voltariam em um curto espaço de tempo.

Rapidamente, o barco se levantou e ficou em pé por cerca de cinco minutos, sacudiu um pouco quando a caldeira explodiu, e então afundou. Finalmente, bateu no fundo, e pendeu para o lado, e acomodou-se na lama. As pessoas todas perguntaram o que havia acontecido, não percebendo que eles já estavam mortos. Eles disseram que a princípio haviam se sentido como que estrangulados por falta de ar, porém, tal sentimento havia cessado. Eles foram instruídos a seguir os Auxiliares Invisíveis, os quais os levaram a Região Fronteiriça[3], onde foram avisados de que estavam mortos.

Na saída, um Auxiliar Invisível lembrou-se de ter visto muitas espécies de peixes no fundo do oceano. Alguns eram enormes em tamanho. Eles nadaram em volta do navio e tentaram pegar os Auxiliares Invisíveis, que escorregaram para um lado quando eles correram.

Durante os últimos anos, navios tiveram dificuldade crescente em navegar de um lugar para outro, devido à elevação do fundo do mar e a tempestades e descuidos de vários tipos. Em uma ocasião, alguém a bordo intencionava afundar o navio e afrouxou a válvula de fundo. A parte inferior do casco inundou e o navio adernou para um lado. Teria afundado se não houvesse sido enviada ajuda às pessoas, pois os marinheiros não sabiam onde estava o problema e, além disso, era perigoso abrir o alçapão que dava acesso ao fundo do navio. Os Auxiliares Invisíveis contaram ao capitão qual era o problema e disseram que iriam lá embaixo fazer o aperto. O capitão disse-lhes que eram loucos e iriam afogar-se.

“Não, estaremos bem”, disse um dos Auxiliares Invisíveis.

O capitão deu-lhes uma chave inglesa e eles foram para baixo, no buraco do navio.  Um Auxiliar Invisível materializou uma mão e amarrou a válvula do fundo. Os Auxiliares Invisíveis voltaram ao capitão e ele lhes agradeceu. Depois disso, eles desapareceram.

Há uma lei da natureza pela qual um corpo pode temporariamente extrair o Éter do ar.  Os Auxiliares Invisíveis, que são de início ensinados a fazer isso inconscientemente com a ajuda de alguns Irmãos ou Irmãs Leigos, fazem isso regularmente. Os Auxiliares Invisíveis também são dotados de poderes especiais para fazer o trabalho, que pode ser muito difícil. Por exemplo, não é fácil controlar cobras venenosas e bestas selvagens que são, no entanto, controladas por Espíritos Grupos, que parecem ser tão maldosos quanto seus controlados.

Uma vez, dois Auxiliares Invisíveis foram ao norte longínquo, onde um pesqueiro de bacalhau teve um vazamento e afundava rapidamente. Os homens estavam muito longe da costa para nadar até lá, com segurança.  Os Auxiliares Invisíveis materializaram-se para tornarem-se visíveis, como se eles estivessem em seus Corpos físicos. Eles encontraram alguns cobertores e enfiaram-nos firmemente nas rachaduras do navio vazante. As bombas foram colocadas para trabalhar com toda potência e o barco foi direcionado para a costa. Estava chovendo e ventando muito forte.

Os pescadores queriam saber quem eram os estranhos e como eles haviam chegado ao barco. Quando os Auxiliares Invisíveis, que nem molhados estavam, entraram no barco, os homens ficaram com medo.  Eles queriam alimentar os Auxiliares Invisíveis. Os Auxiliares Invisíveis tentaram explicar que eles tinham corpos humanos que estavam adormecidos muito longe dali.  Disseram que iriam retornar aos seus Corpos quando fosse hora de acordar.  Naturalmente, pessoas que nunca estudaram ensinamentos Místicos ficam profundamente perplexas sobre isto, mas são muito gratas pela ajuda que recebem.

Um amigo contou-me sobre esta experiência marcante:

Dois Auxiliares Invisíveis foram enviados ao Capitão de um navio a caminho dos EUA para informar-lhe sobre a necessidade dele parar o navio e consertar um vazamento.

Ele estava muito longe da terra e não sabia do vazamento. Os Auxiliares Invisíveis se materializaram e avisaram o Capitão, que a princípio não acreditou.

Ele enviou seu primeiro imediato para verificar. O homem retornou e disse ao Capitão que havia um vazamento no navio. O Capitão quase desmaiou de susto.

O Capitão parou o navio e requisitou alguns homens que o acompanhassem.

As pessoas a bordo se assustaram e quase tiveram um início de pânico, mas foram tranquilizadas por um dos Auxiliares Invisíveis.

O Capitão queria alguém que pudesse mergulhar para colocar uma placa quadrada no buraco, de modo que pudesse ser parafusada pelo lado interno.

Os Auxiliares Invisíveis, um homem e uma mulher, disseram que poderia fazer o trabalho.

O Capitão se opôs que a Auxiliar Invisível descesse, pois, poderia afogar-se ou que poderia ser comida por um tubarão.

“Não, eu ficarei bem”, respondeu ela.

Quando o Auxiliar Invisível pegou a placa, que era aproximadamente de meio metro quadrado, e começou a descer a escada de corda, a Auxiliar Invisível o seguiu, apesar do Capitão tê-la segurado para tentar mantê-la no convés.

Ela se livrou dele e mergulhou. O buraco estava acerca de 3 metros abaixo da linha da água, e os Auxiliares Invisíveis tiveram que mergulhar para colocar a placa no buraco.

Os reparos foram feitos, e quando os Auxiliares Invisíveis voltaram, eles não estavam molhados. Isto causou surpresa nas pessoas que os viram.  Dois peixes grandes pularam em direção ao Auxiliares Invisíveis, mas atingiram o navio e acabaram morrendo com o impacto. Os marinheiros pensaram que os Auxiliares Invisíveis os tinha matado.

Numa ocasião, uma Irmã Leiga disse a alguns Auxiliares Invisíveis que se apressassem para ir aos Estados Unidos e orientassem algumas pessoas que saíssem de suas casas, pois seriam destruídas por um vendaval.

A Irmã Leiga mostrou aos Auxiliares Invisíveis onde aconteceria e disse-lhes: “Vão depressa! ”.

Nesta casa havia algumas pessoas e também uma criança com dois anos de idade. Sua casa estava localizada no topo de uma colina com vista para a planície. Os Auxiliares Invisíveis acordaram os adultos que saíram correndo da casa deixando a criança lá dentro.

Uma das Auxiliares Invisíveis disse a outra para buscar a criança, o que ela fez, regressando, justamente, antes que o vendaval destruísse a casa.

O vento levou a casa para dois quarteirões longe de onde estava, passando por cima do rochedo e a despedaçou.

Os Auxiliares Invisíveis desceram e recolheram algumas roupas e algum dinheiro dos escombros e trouxeram tudo que foi possível encontrar das pessoas, as quais ficaram muito agradecidas por terem sido salvas da morte.

Aqui está uma história estranha que os dois Auxiliares Invisíveis recordaram com muita clareza na manhã seguinte ao acordarem. Eles foram a uma fazenda no Texas para ajudar um homem que estava acuado por um touro num celeiro.

Isto é, o touro estava tão raivoso que correu atrás do homem e este subiu ao lugar mais alto que encontrou no celeiro. O touro ficou em baixo, de modo que o homem não podia descer e rezou por ajuda. Estava muito longe da casa para que pudesse chamar por alguém.

Uma das Auxiliares Invisíveis era, especialmente, amante dos animais, mas, não de touros bravios. Entretanto, ela se aproximou do touro acalmando-o até que este a seguiu para fora dos portões do celeiro. O homem, então, desceu e queria saber para onde o touro estava vindo tão cedo. O homem estava vindo do seu serviço de ordenha. Quando ela lhe disse que que eles eram Auxiliares Invisíveis humanos e que poderiam ajudar a todos que estavam com problemas; ele simplesmente olhou com surpresa e ficou nervoso, então, os deixou. A Auxiliar Invisível recordou do susto do homem, se colocando na mesma situação. Sabia exatamente como ele ficou quando o animal foi atrás dele.

Aqueles que são Auxiliares Invisíveis conscientes e podem lembrar dos trabalhos realizados a noite, enquanto seus corpos estão pacificamente adormecidos, compreenderão a grande alegria que estas memórias podem lhes proporcionar.

Uma noite, dois Auxiliares Invisíveis estavam na América do Sul. Pararam em um pequeno lago que se desaguava em um rio afluente do Rio Amazonas. Era uma noite de lua cheia e muitas pessoas estavam fora, em barcos a remo, tendo um momento prazeroso.  Os Auxiliares Invisíveis foram por cima da água e viram muitos peixes nadando entre os arbustos, na água clara. Eles foram a um hotel próximo e materializaram-se.

O proprietário estava sentado em uma grande varanda.  Uma empregada veio até os Auxiliares Invisíveis pensando que eles fossem hóspedes e perguntou-lhes se queriam alguma coisa.  Algumas crianças vieram atrás dela.

– “Não, não preciso de nada”, disse a Auxiliar Invisível. “Qual é o seu problema?”, ela perguntou.

A mulher disse-lhe que havia sido demitida e que era sua última noite de trabalho.  Em seguida ela foi até o lago, entrou em um barco e remou para longe, onde a água era profunda e veloz. De repente ela pulou na água.

Um Auxiliar Invisível disse ao outro: “Oh, veja! Ela pulou no lago. Salve-a!”.

Ele disse: “Vá em frente e eu pegarei o barco”.

O Auxiliar Invisível correu sobre o lago onde a mulher havia pulado, mergulhou e agarrou-a a aproximadamente 31 metros de onde ela havia desaparecido. A outra Auxiliar Invisível correu para o barco e os outros Auxiliares Invisíveis colocaram-na no barco e vieram para a beira do lago.  As pessoas estavam maravilhadas com os Auxiliares Invisíveis e fizeram muitas perguntas, que foram prontamente respondidas. O Auxiliar Invisível, que entrou na água, estava muito satisfeito com seu sucesso em resgatar esta mulher infeliz.  Ele contou aos presentes quais seriam as consequências se ela houvesse se afogado.

Uma senhora idosa pediu ao Auxiliar Invisível para ir a sua casa e ver uma moça enferma.  Eles encontraram sua mãe muito doente com indigestão nervosa e conseguiram aliviá-la muito da dor.

Eles instruíram-na quanto à alimentação e o que ela deveria fazer para ficar bem.

Eis como alguns esquimós foram salvos no norte longínquo. Eles estavam em um extenso bloco de gelo que se desprendeu e flutuava no mar. Havia uma grande fenda em sua volta. Os esquimós estavam sobre ele há dois dias e sem esperança. Eles sabiam que congelariam se caíssem no mar. Os Auxiliares Invisíveis pegaram os adultos no ar e levaram-nos para um local seguro sem muita dificuldade, mas quando eles pegaram as crianças, elas gritaram e contorceram-se em seus braços por não estarem acostumados com estranhos. Os cachorros e o trenó foram transferidos da mesma forma. Havia vinte e cinco pessoas e vinte e quatro cachorros.

Os esquimós, pensando que os Auxiliares Invisíveis fossem Anjos, agradeceram-lhes e foram para suas casas, enquanto os Auxiliares Invisíveis continuariam seu trabalho. Auxiliares Invisíveis podem conversar com todas as pessoas e fazê-las entender, porque eles falam a linguagem da alma.

Os Ajudantes Invisíveis também socorrem os animais de várias maneiras.

Eu sei um número de casos onde ursos polares foram soltos de armadilhas. Eis aqui um exemplo: enquanto estavam no longínquo norte, alguns Auxiliares Invisíveis avistaram quatro ursos brancos muito bonitos. Um foi pego por uma armadilha e estava muito bravo. Seu companheiro estava lá, também. Quando os Auxiliares Invisíveis chegaram, todos eles mostraram os dentes, que eram bonitos e brancos. Eles também mostraram suas garras afiadas. Levaram dez minutos até que os Auxiliares Invisíveis conseguissem aquietá-los, para que pudessem abrir a armadilha e soltar o urso.  Eles finalmente livraram-no e os outros ursos ficaram em pé em volta dos Auxiliares Invisíveis, que brincaram um pouco com eles porque se mostraram muito amigáveis. Quando os Auxiliares Invisíveis foram embora, os ursos seguiram-nos por um longo tempo.

Eles encontraram dois montadores de armadilhas, que disseram ser donos da armadilha. Eles queriam atirar nos quatro ursos. Um Auxiliar Invisível disse-lhes para atirar neles se pudesse. Eles tentaram e erraram e após isso ficaram assustados.

Estudantes ocultistas sabem que as Salamandras são os Espíritos da Natureza que causam o fogo. Sem sua atividade, nenhuma arma pode ser acionada e nenhum fogo começado.  Isto explica como as três crianças hebreias puderam ser atiradas nas chamas de um forno e não se ferirem[4]. A quarta pessoa que o rei viu nas flamas poderia controlar esses Espíritos da Natureza e assim o fez.

Naquele caso, o instrutor desses Auxiliares Invisíveis poderia controlar os Espíritos da Natureza e então as armas não funcionariam. Os ursos queriam brigar com os montadores de armadilhas e os Auxiliares Invisíveis chamaram-nos de volta.

Os homens queriam saber quem eram os Auxiliares Invisíveis e o que eles faziam no Norte, vestidos com roupas finas e sem sobretudos.

Os Auxiliares Invisíveis contaram-lhes que eram apenas pessoas que socorriam todos os seres viventes em dificuldades. Os montadores de armadilhas queriam saber onde eles viviam e um Auxiliar Invisível disse-lhe o Estado. Eles riram e disseram que os Auxiliares Invisíveis eram loucos, pois aquele Estado estava a uma distância de três mil milhas[5]. Um Auxiliar Invisível disse-lhes que distância nada representava para eles.

Os Auxiliares Invisíveis direcionaram os ursos para seu caminho e assim eles foram, embora não quisessem ir.  Um Auxiliar Invisível disse aos homens que eles não poderiam atirar em nada até o próximo dia. Eles foram mandados diretamente para suas casas e lá deveriam ficar por um dia. Durante esse período nada lhes poderia fazer mal. Depois disso os Auxiliares Invisíveis desapareceram. Os montadores de armadilhas tinham bastante o que pensar sobre sua experiência.

Uma manhã, uma Auxiliar Invisível acordou com as memórias mais prazerosas sobre o que ela havia feito quando sozinha em uma manhã cedo. Ela foi a algum lugar na Arábia ou perto dela, onde um cavalo havia morrido. Era um animal de estimação chamado Frank ou algo similar. Esse cavalo havia sido um bonito companheiro e tinha um formato de cabeça muito bonito. Ele envelheceu e ficou magro. Seus dentes estavam tão ruins que não mais poderia comer grãos e capim seco; por esse motivo ele foi sacrificado para acabar com seu sofrimento. A família ficou pesarosa e sentiu-se angustiada pelo ocorrido.  Havia outros Auxiliares Invisíveis lá para levar o espírito do cavalo para o Mundo do Desejo, mas essa Auxiliar Invisível quis fazer isso. Ela colheu o Corpo Vital do cavalo e ele dobrou suas patas ordenadamente para que ela pudesse carregá-lo sem dificuldades.

A Auxiliar Invisível lembrou-se integralmente, no dia seguinte, quão lindo era o cavalo, enquanto ele estava em seus braços totalmente acordado, mas perfeitamente em silêncio e nenhum pouco assustado. Ela o carregou para o lado do estábulo, que era cinza e sem pintura.  Havia um pouco de feno no chão, que ela notou ao sair.

Ela estava com uma mão livre e, quando caminhou carregando o Corpo de Desejos do cavalo, ela lhe deu um suave tapinha no pescoço e disse: “Querido velho Frank”.

Talvez você ria disso e diga, “isso é um absurdo”, mas é verdade. Animais são irmãos mais jovens[6] e são assistidos em sua evolução da mesma forma que fomos ajudados quando éramos similares a animais no Período Lunar, embora fôssemos bem diferentes. Os animais estão em um estágio mais avançado do que estivemos, comparativamente.  Eles estão aqui na Terra para aprender lições e para avançarem na evolução, da mesma forma que nós, como humanos, e se formos bons para eles, seguramente colheremos o que semeamos.

Uma noite, quando alguns Auxiliares Invisíveis estavam cruzando o país, viram alguns caçadores correndo dos lobos e foram até lá para socorrer. Esses Auxiliares Invisíveis precisaram pedir socorro, pois eles não conseguiram fazer com que o Espírito-Grupo lhes obedecesse e fazer com que os lobos recuassem. Vieram outros Auxiliares Invisíveis que tinham habilidade em fazer isso. Havia quatro homens brancos e um homem negro, que era o cozinheiro. Eles estavam caçando e os lobos quebraram suas barracas. O cozinheiro estava morrendo de medo e ficou branco de susto. Ele estava tremendo como uma folha. Quando ele viu uma Auxiliar Invisível se materializar ele lhe disse: “Por favor, Anjo, ajude-me a voltar para casa e eu serei um bom Cristão e irei à igreja”.

A Auxiliar Invisível disse aos homens para jamais matar por esporte, mas somente quando era necessário para alimentar-se. Ela não teve tempo para explicar que não era um Anjo, mas um ser humano que era capaz de deixar seu Corpo durante a noite e trabalhar em seu Corpo de Desejos. Os homens disseram que jamais voltariam a caçar novamente. A Auxiliar Invisível disse-lhes que encontrariam suas armas onde deixaram, ao correr dos lobos famintos, e que iriam chegar ao seu acampamento em segurança.

Em seguida, os Auxiliares Invisíveis foram para o Oceano Atlântico e viram um navio em perigo. Era uma noite de tempestade e o navio colidiu com uma montanha de gelo flutuante e estava muito danificado. Havia aproximadamente duzentas pessoas dentro do navio.  Os Auxiliares Invisíveis materializaram-se e um deles disse ao capitão para descer os barcos salva-vidas. Ele disse que ela estava louca; que se ele o fizesse, todos se afogariam no mar bravo. Ela lhe disse para fazê-lo de qualquer forma, e ele assim o fez. Os dois Auxiliares Invisíveis ataram os dois barcos juntamente, um atrás do outro, com as pessoas dentro deles; e então eles os empurraram para a costa. Eles foram procurar o navio, mas ele havia desaparecido.

Agora, o leitor naturalmente dirá que isto não poderia ser possível. No entanto, quando os Auxiliares Invisíveis estão trabalhando em seus Corpo de Desejos, sua força é muito maior do que quando estão em seus Corpos Densos. Em razão dessa força, os Auxiliares Invisíveis devem ser muito cautelosos para não ferir ninguém. Auxiliares Invisíveis são ensinados a socorrer os que estão em dificuldades e deixar a Lei de Consequência tomar conta do resto.

Uma vez, alguns Auxiliares Invisíveis visitaram a casa de um Irmão Leigo. Ele se materializou e permitiu-lhes olhar alguns de seus livros. Eles foram convidados a examinar a América perto do lado ocidental da Groenlândia. Foi-lhes mostrado o que estava acontecendo neste lugar por meio da consciência Jupteriana, que é um pouco parecido como imagens se movendo.  Eles viram dois ursos tentando quebrar a porta de uma casa. Foi-lhes dito para ir lá e pará-los, pois, as pessoas estavam muito tensas, e também porque havia uma mulher que iria dar à luz a três bebês e eles precisavam de ajuda.

Os Auxiliares Invisíveis correram para a cena e encontraram um Irmão Leigo Maior que também estava lá para socorrer. Um Auxiliar Invisível chamou os ursos famintos, eles olharam os Auxiliares Invisíveis e foram para cima deles. O Irmão Leigo fê-los parar e ir embora.

Os três Auxiliares Invisíveis foram até a porta e bateram. Uma mulher olhou-os pelo olho mágico e permitiu-lhes a entrada. Um Auxiliar Invisível disse-lhe que dois deles eram médicos. Ele contou sobre sua filha, que estava muito assustada. Agora ela estava enferma e o médico mais próximo morava vinte e cinco milhas[7] de distância.

Eu não vou contar-lhes todos os detalhes, mas os Auxiliares Invisíveis começaram a se preparar para fazer o parto.  Um dos médicos olhou para a mulher enferma e viu os três bebês. Ele disse à mãe da moça para esquentar o mais rápido possível uma grande quantidade de água no fogão.  As duas mulheres e o menino, que estavam lá sozinhos, perguntaram aos Auxiliares Invisíveis de onde eles vinham.  Dois dos Auxiliares Invisíveis disseram que vieram dos Estados Unidos e que o outro veio da Alemanha.  Eles não pareciam acreditar.

Os Auxiliares Invisíveis disseram que saíam todas as noites para socorrer pessoas no mundo inteiro e que eram chamados de Auxiliares Invisíveis. O garoto disse, “Não há essas coisas de Auxiliares Invisíveis ou Anjos”. Algum dia esse garoto entenderá seu erro.  Muitas pessoas sabem que existem Anjos e Auxiliares Invisíveis porque elas os viram.

Era uma noite muito fria e as pessoas estavam vestidas com pijamas muito quentes que cobriam suas cabeças e pés. O primeiro bebê nasceu e eles o colocaram em uma bacia sobre o fogão, com um pedaço de madeira debaixo dela para mantê-lo aquecido.  A cabeça do bebê estava fora da água e um Auxiliar Invisível cuidou dele cuidadosamente.

Após o bebê estar totalmente aquecido, o Auxiliar Invisível deu-lhe um banho com todo cuidado e colocou-o em um lugar quente. Os dois médicos ficaram perto da mãe para ajudá-la.  Logo, o segundo bebê foi trazido para a cozinha para ser aquecido e banhado e colocado na bacia d’água. Mais tarde veio o terceiro bebê. O Auxiliar Invisível e a avó estavam muito animados e felizes trabalhando com eles.

Os bebês eram duas meninas e um menino e pesavam cerca de cinco libras[8].  Um pouco depois, o Auxiliar Invisível pegou os bebês no colo e deu-os para a mãe.  O médico encarregado escreveu uma prescrição e disse à mãe para utilizá-la o mais rápido possível, e os Auxiliares Invisíveis foram embora. Dois deles voltaram pelo menos duas vezes e encontraram a mãe lentamente ganhando forças e os bebês bem e crescendo rápido.  Você não concorda comigo que este foi um serviço real para a humanidade? Um dos Auxiliares Invisíveis ainda ficou maravilhado com as estranhas coisas vistas e lembradas naquela visita no norte longínquo.

Uma noite, um Auxiliar Invisível foi solicitado a ir a um navio na costa da África. Foi-lhe dito que na hora que ele chegasse lá ele veria uma criança na água. Ele deveria pegar a criança e colocá-la em um barco salva-vidas com os outros sobreviventes. O Auxiliar Invisível encontrou a criança flutuando na água indo para longe dos barcos salva-vidas. Quando ele alcançou a criança, viu três tubarões seguindo-a e um tubarão debaixo dela. Eles não pareciam incomodá-la. Provavelmente algum Ser Elevado disse ao Espírito-Grupo dos tubarões para não permitir que os tubarões fizessem mal à criança.

O Auxiliar Invisível pegou a criança e levou-a para o barco salva-vidas.  Algumas mulheres se assustaram com a presença do estranho e o barco salva-vidas quase virou.  Ele sentou a criança no barco e disse às pessoas para irem em direção sul.  “Vocês estão aproximadamente quatro milhas[9] da costa”, disse ele. Um homem disse ao Auxiliar Invisível para entrar no barco, mas ele disse que não poderia, pois havia mais trabalho a fazer. Ele lhe disse que a mãe da criança a receberia em um dia ou dois. O Auxiliar Invisível voltou para o navio e viu muitas pessoas mortas que receberam tiros de piratas. Muitas pessoas caíram no oceano e os tubarões comeram algumas delas, pois havia muitos deles em volta do navio.

Os Auxiliares Invisíveis foram para a Europa, perto de uma pequena porção de água, e viram um grande hotel quase totalmente destruído pelo fogo. Todos haviam saído, exceto uma pequena menina, com seis anos de idade, que foi deixada no prédio no quarto andar. Sua mãe estava chorando e orando para que alguém salvasse sua menina.  Um homem dispôs-se a entrar no prédio em chamas para resgatá-la, mas a polícia e os bombeiros não permitiram.

Os Auxiliares Invisíveis materializaram-se e foram ao local, e a polícia tentou fazê-los voltar.  Em vez disso, os Auxiliares Invisíveis foram em direção à entrada, subiram as escadas e foram para o quarto da criança. Ela estava chorando junto à janela. O quarto estava tomado pela fumaça. Os Auxiliares Invisíveis foram até ela e o Auxiliar Invisível masculino a pegou e levou para fora, mas as chamas os fizeram voltar.  Então, a outra Auxiliar Invisível ficou um pouco nervosa.

“Como podemos sair com ela sem ela se queimar?”, perguntou a Auxiliar Invisível.

“Sairemos pela janela”, o Auxiliar Invisível disse.

Naquele exato minuto a escada caiu e eles saíram pela janela e flutuaram até o chão, a salvo. A mãe correu para sua filha e os Auxiliares Invisíveis desapareceram.

Naquela noite os Auxiliares Invisíveis viajaram para a África, onde eles viram quatro leões cercarem uma criança e sua mãe. Eles estavam fechando o cerco quando os Auxiliares Invisíveis chegaram para salvá-los.

Um pegou a criança e o outro alcançou a mãe e levantou-a para o ar. Eles chegaram na hora exata em que os leões iriam atacá-las.

Os Auxiliares Invisíveis foram adiante e encontraram uma clareira onde uma casa havia sido construída em uma palafita. Era onde essas pessoas moravam e os Auxiliares Invisíveis colocaram-nas no chão. A mulher contou que ela e sua filha saíram para uma caminhada e perderam-se enquanto colhiam flores.

Uma noite alguns Auxiliares Invisíveis foram a uma casa de fazenda em Wisconsin para socorrer uma família que acabara de mudar-se. Eram pessoas pobres e o local havia sido doado a eles, mas estava em más condições. Eles cozinharam o jantar e foram para a cama não sabendo que o local era frequentado por cobras perigosas. A casa tinha orifícios no chão, através dos quais as cobras rastejavam-se. Havia oito cobras na casa quando os Auxiliares Invisíveis lá chegaram.

Quando os Auxiliares Invisíveis acordaram as pessoas, elas ficaram assustadas e os Auxiliares Invisíveis tiveram dificuldades em fazê-las entender que eles vieram para ajudar. Eles estavam aproximadamente três milhas[10] para dentro do campo, sem vizinhos por perto. Os Auxiliares Invisíveis finalmente puseram-nos em direção à cidade e disseram-lhes para ir e ficar lá até a luz do dia; e para deixar as crianças na cidade até que eles consertassem a casa para que pudessem retornar em segurança.

Os Auxiliares Invisíveis viram aproximadamente vinte cobras grandes no local.

As pessoas não queriam que os Auxiliares Invisíveis fossem embora, mas os Auxiliares Invisíveis deixaram-nas após tê-las tirado do perigo. Um desses Auxiliares Invisíveis voltou mais tarde e avisou àquelas pessoas para pegar alguns porcos.  Ele lhes disse que os porcos afastariam as cobras do local, pois as cobras têm medo de porcos em condições normais.

Auxiliares Invisíveis frequentemente socorrem pessoas que foram roubadas ou estão na iminência de o serem. Em todos os casos, as pessoas não mereciam as perdas, caso contrário nenhum socorro ser-lhes-ia dado.

Muitas pessoas à beira do suicídio foram impedidas de dar um passo tão ruim.

Uma moça estava a ponto de beber veneno, outra, que vivia na Suíça, estava à beira de pular de um penhasco, quando os Auxiliares Invisíveis chegaram até ela e a puxaram de volta e a perguntaram porque ela queria se destruir. Ela lhes disse que a vida não valia ser vivida.  Os Auxiliares Invisíveis, que se materializaram, disseram-lhe para sentar-se e conversar com eles por algum tempo e então, se ela quisesse suicidar-se, poderia fazê-lo. Os Auxiliares Invisíveis contaram-lhe quais seriam as consequências. Ela colocou as mãos em seu rosto e disse: “Pare, já entendi o suficiente”. Eu suponho que ela visualizou o que os Auxiliares Invisíveis estavam descrevendo.  Ela lhes disse de seu caso de amor. O moço com quem estava saindo repentinamente parou de ir vê-la e ela não sabia a razão. Ela escreveu-lhe e telefonou para sua casa, mas não recebeu resposta. Um Auxiliar Invisível explicou-lhe porque ele não mais a procurou e ela sentiu-se muito melhor.  Os Auxiliares Invisíveis deixaram-na sorrindo em frente a um portão, antes que fossem para casa.

Uma noite, alguns Auxiliares Invisíveis foram solicitados a socorrer um aviador que estava prestes a desmaiar enquanto pilotava um avião.  Os Auxiliares Invisíveis encontraram o avião cruzando algumas montanhas na parte ocidental dos Estados Unidos.  Inicialmente, os Auxiliares Invisíveis voaram ao lado do avião. Então, um Auxiliar Invisível disse a outra para materializar-se, para que o piloto pudesse vê-la. Ele a viu imediatamente antes de desmaiar. Os Auxiliares Invisíveis correram e a Auxiliar Invisível sentou-se e guiou o avião quando ele apontou o nariz para baixo. A Auxiliar Invisível disse ao piloto para subir o avião para mil pés[11]. O avião subiu e, quando eles olharam, o primeiro Auxiliar Invisível disse: “Suba mais mil pés”, assim eles voaram sobre as montanhas. O Auxiliar Invisível começou a trabalhar com o piloto inconsciente e, após trazê-lo para a realidade, perguntou-lhe onde aterrissar e o piloto lhes contou. Os Auxiliares Invisíveis viram as luzes no campo e um deles disse para o outro: “Solte o trem de pouso”, o que ela prontamente fez.  Então ele disse: “Desligue o motor e o encoste”. Quando o avião estava a uns cem pés do solo, o Auxiliar Invisível suspendeu a gravidade e o avião permaneceu parado no ar. Então o Auxiliar Invisível direcionou lentamente para o solo perto do local de aterrissagem. O Auxiliar Invisível desapareceu e ficou observando o que aconteceria. O piloto cambaleou para fora do avião e disse, “Não estou me sentindo bem”. “Você adiantou quinze minutos e houve um vento intenso”, disse-lhe um homem. “Vá para casa e descanse”.

Os Auxiliares Invisíveis foram até a casa dele e viram-no com a cabeça entre as mãos. Um Auxiliar Invisível disse ao outro para materializar-se e tocar no piloto. Ela fez isso e o piloto olhou para ela e disse, “Ó, Anjo! Fico pensando o que poderia ter acontecido se eu desmaiasse! Há alguns dias eu estava discutindo com um homem que dizia haver Anjos e que ele havia visto um.  Eu lhe disse que estava sonhando. O homem disse-me que eu veria um Anjo em uma dessas noites e que poderia acontecer de eu ver dois deles juntos”.

A Auxiliar Invisível disse ao piloto que havia muitos Anjos.

Seria bom se você procurasse o reino de Deus”, disse ela.

“Eu não sei rezar”, disse o piloto.

A Auxiliar Invisível disse-lhe o que ele deveria fazer e o que deveria prometer fazer, e ele assim o prometeu.

“Anjo, deixe-me tocar você”, pediu o piloto.

A Auxiliar Invisível deu-lhe a mão e, quando ele a pegou, pulou repentinamente.

“Qual é o problema?”, disse ela.

“Eu acabei de sentir um choque, mas estou bem agora”, disse ele.

A Auxiliar Invisível disse-lhe para virar-se e, assim, ela rapidamente desmaterializou-se e desapareceu.

“Bem, eu vi e toquei em um Anjo!”, exclamou o piloto. “Nossa! Ela cheirava como uma rosa!”.

Outra noite, dois Auxiliares Invisíveis salvaram dois lindos ursos polares que foram pegos em uma armadilha. Eles os libertaram e curaram, mas, antes que os ursos fossem embora, dois homens vieram e atiraram nos Auxiliares Invisíveis e quase acertaram um dos ursos. O Auxiliar Invisível rapidamente pediu ao Espírito-Grupo das Salamandras para cessar as detonações na munição das armas.

Assim, os Auxiliares Invisíveis foram até onde os homens estavam escondidos e os ursos os seguiram. Quando os ursos sentiram o cheiro de pó das armas, eles ficaram ferozes e um deles pegou a Auxiliar Invisível em seus braços.

“Coloque-a no chão, senhor Urso”, ordenou o outro Auxiliar Invisível.

O lindo urso, vagarosamente, a colocou no chão.

“Assim é melhor”, disse o Auxiliar Invisível com uma voz amigável. “Você pode esquecer e esmagar a mão dela e eu posso ficar com ciúmes e machucar você”.

“Ó deixe-o me carregar”, disse a Auxiliar. “É engraçado e eu gosto disso”.

“Sim, eu gosto de ser carregado também”, disse ele. “Mas se o urso vê os homens e corre atrás deles, eles poderão atacar o urso com facas e assustar você, de forma que você correria de volta para sua casa e poderia machucar o seu Corpo”.

Foi isso que quase aconteceu, pois, os ursos correram em direção ao homem e eles ficaram em pé com suas facas em punho.

O Auxiliar Invisível teve de parar os homens e os ursos. Os homens estavam tão assustados que tremiam.

O Auxiliar Invisível disse aos caçadores para jamais caçar ursos ou qualquer outro animal para obtenção de seus couros. “Se você necessitar de comida, mate um animal e nada mais; e jamais faça armadilha para os animais, pois eles sofrem muito até serem encontrados”, preveniu o Auxiliar Invisível.

Nesta hora, a Auxiliar Invisível já havia aquietado ambos os ursos. Ela estava em pé entre eles conversando, e eles estavam muito amigáveis. Os dois caçadores observaram-na com surpresa e medo. O Auxiliar Invisível disse aos caçadores para voltar para suas casas, mas quando eles começaram a se mover, os ursos rosnaram e pularam sobre eles.

Os Auxiliaras chamaram-nos e os fizeram voltar. Os ursos começaram a resmungar entre si como a dizer: “Gostaria de por minhas mãos neles”.

“Não, não agora”, disse o Auxiliar Invisível.

Os ursos viraram e olharam-no como se estivessem surpresos de ele estar lendo seus pensamentos. Os Auxiliares Invisíveis guiaram os ursos para outra direção e eles desapareceram.

De lá, os Auxiliares Invisíveis foram visitar várias pessoas doentes e ajudá-los. Eles foram até uma garota que parecia ter vinte e cinco anos de idade, tão doente que mal podia falar.

Ela estava sozinha em seu quarto. Ela morava perto de seu trabalho, enquanto seu verdadeiro lar ficava longe. A garota explicou que tinha uma vida dura e mal tinha recursos para seu próprio sustento. “Eu quero morrer e ainda quero viver” disse ela. “As pessoas com quem eu vivo dificilmente aproximam-se de mim. O médico já veio aqui há quatro dias, mas eu pareço cada vez pior. Por favor, dê-me água pois em tenho febre. Por favor ajude-me”.

Um Auxiliar Invisível disse-lhe que eles iriam fazer o melhor que pudessem. Ele pediu para que sua febre fosse removida e que seus pulmões fossem limpos. Ele trabalhou nela vagarosamente e finalmente limpou a passagem do ar. Então ele foi à proprietária que estava adormecida e lhe ordenou, enquanto dormia, para ajudar a garota em tudo que ela pudesse.

Quando o Auxiliar Invisível voltou ao quarto da garota doente, a outra Auxiliar Invisível tinha limpado e aerado o quarto. A Auxiliar Invisível pegou um balde pequeno, fora a um restaurante distante duas quadras e comprou uma sopa de ostras e biscoitos para alimentar a garota.  Mais tarde, os Auxiliares Invisíveis colocaram-na na cama e disseram: “Até logo”, e prometeram que ela ficaria bem em dez dias.

Vou contar-lhes uma coisa muito estranha que aconteceu uma noite. Dois Auxiliares Invisíveis foram enviados para uma casa onde uma mulher estava a ponto de ser morta pelo seu próprio filho. Os Auxiliares Invisíveis fizeram o que puderam para trazer o filho à consciência e então acalmaram a mulher que estava horrorizada, que ficaria ao lado de seu corpo após a morte. Os Auxiliares Invisíveis foram até a casa, no noroeste do país, e ouviram a família a conversar.  Uma moça queria ir para a Flórida para passar o resto do inverno, em vez de ir para a Califórnia, conforme havia sido planejado por sua mãe.  Esta moça tinha poupado apenas duzentos dólares e não queria gastá-los em uma viagem, porque estava com medo que algo pudesse acontecer e ela poderia precisar do dinheiro para despesas inesperadas. Essa jovem tinha um irmão que tinha uns trinta anos de idade.

O irmão era indolente e vivia às custas dos membros de sua família que estavam em melhores condições econômicas. Ele, também, queria ir à Flórida.  Ele fez um cheque pagável a si mesmo e queria que sua irmã o assinasse, mas ela não o fez.  Sua mãe também se recusou a assiná-lo. O homem saiu da casa após aquilo, foi à lavanderia e pegou uma calça de seu pai sem sua permissão. Ele a usou bastante e deixou para lavagem. Ele não queria que sua mãe pegasse a calça depois do que ele fez.

A família foi para a sala de jantar e começaram a refeição. Alguém entrou pela porta da frente e subiu as escadas. A moça estava nervosa, pois os seus duzentos dólares estavam lá em cima, em seu quarto. Ela descobriu que era apenas o homem que morava no andar de cima, voltando para casa. Então o filho veio para casa, passou através da sala de jantar e subiu as escadas com a calça coberta por papel marrom. Sua mãe levantou-se e seguiu-o, pois ela tinha dinheiro em seu quarto e tinha medo que ele pegasse. O filho deixou a calça de lado.  Ele e sua mãe discutiram sobre o que ele havia feito e que era errado. Ela sentou-se no sofá, ele foi até ela, agarrou-a e ela tentou gritar.

Os Auxiliares Invisíveis escutaram e perceberam um som estranho abafado e, com sua visão espiritual, viram o homem sacudindo sua mãe até a morte.  Um Auxiliar Invisível chamou o marido e a filha da mulher. Eles subiram as escadas e viram a mulher morrer.  A filha desmaiou de choque e a Auxiliar Invisível a retirou da cena, mas ela permaneceu em pé até que o filho fugisse. Então ela desapareceu e o encontrou no andar de baixo, onde ela o pegou e o segurou, apesar de seus esforços para escapar.

A Auxiliar Invisível fez esse homem sentar-se à mesa, debruçou-se e o observou. “A vingança é minha. Eu repagarei, disse o Senhor”[12], citou ela da Bíblia. Os olhos da Auxiliar Invisível brilharam e o homem ficou alarmado. Ela olhou seus olhos assustados e conversou com ele sobre o que ele fez. Ela lhe disse que ele teria de sofrer o mesmo destino naquela vida ou em alguma vida futura, e que ficaria chocado até a morte.

Então ela lhe perguntou se ele estava preparado para morrer.

Enquanto isso, o marido chamava o médico, que veio e comunicou a morte da mulher. Em seguida o homem chamou a polícia, que veio e levou seu filho.

“Eu quero saber por que meu filho sacudiu sua mãe até a morte!”, exclamou o marido.

A Auxiliar Invisível disse-lhe que em uma vida pregressa, ela havia-o sacudido até a morte, em um momento de raiva, porque tiveram uma discussão. Ela era então o pai dele, pois havia sido um homem na vida pregressa.

“Uma vez que você sabe tanto, porque não o impediu?”, perguntou o homem.

“Não poderia fazer isso, pois foi-lhe dada a oportunidade de parar a causa que havia sido começada na vida pregressa”, disse a Auxiliar Invisível. “Agora ele falhou e deve ter essa condição novamente e colher o mesmo destino, a não ser que ela se recuse a insultá-lo, pois, com certeza ela terá a oportunidade de fazê-lo”.

A filha recuperou-se do desmaio e disse: “Senhora, você é humana?”. “Sim”, respondeu a Auxiliar Invisível.

“Como você foi capaz de desaparecer e parar meu irmão?”, perguntou a moça.

A Auxiliar Invisível disse-lhe que eles eram Auxiliares Invisíveis e servidores da humanidade e propunham-se a ajudar todos que pudessem.

Em seguida, a Auxiliar Invisível foi embora e desmaterializou-se. Mais tarde ambos os Auxiliares Invisíveis voltaram e pegaram a mulher, que estava assustada e ofegante. Um dos Auxiliares Invisíveis disse-lhe para se querer bem. Ela fez isso, parou de ofegar e disse: “Por que meu filho fez isso quando eu daria minha vida por ele de bom grado? Qual é o problema?  Estou morta ou em transe ou sonhando?”.

“Você está morta como o ser humano conhece desse termo”, disse um dos Auxiliares Invisíveis.

O Auxiliar Invisível contou-lhe que em uma vida sua anterior, quando ela era um homem, ela havia matado seu filho, que era uma mulher, em um momento de raiva. Nesta vida, ele fez-lhe a mesma coisa, e na próxima vida ela terá a oportunidade de matá-lo.

“Desculpe, mas eu não quero matá-lo independentemente do que ele me fez”, disse a mulher. “Por favor, ajude-o a livrar-se da prisão, se você puder”.

“Não podemos fazer isto”, disse o Auxiliar Invisível. “Você deve repensar sua vida cuidadosamente e alguém estará aqui para levá-la onde você tem que ir”.

Em seguida os Auxiliares Invisíveis saíram e continuaram seu trabalho.

Aqui está uma história de como alguns Auxiliares Invisíveis ajudaram uma mulher doente, uma árvore e uma cobra.

Uma noite, três Auxiliares Invisíveis foram enviados a uma fazenda na Dakota do Sul para responder às orações, que solicitavam ajuda de uma mulher doente. Ela estava um pouco melhor quando eles a encontraram, e, depois de terem trabalhado com ela, ela conseguiu se levantar. Ela estava preocupada com suas plantas porque ela estava muito doente e não tinha sido capaz de cuidar delas, embora o tempo estivesse muito seco.

A Auxiliar Invisível foi regar as plantas da janela e encontrou uma cobra ali. A mulher viu e ficou muito agitada e nervosa. Ela disse ao Auxiliar Invisível para se afastar dela, pois era uma cobra venenosa.

“Pegue-a, coloque-a ao ar livre e diga para ir embora”, disse o Auxiliar Invisível para seu companheiro.

O Auxiliar Invisível fez isso, e a cobra se foi.

“Foi maldade você fazer isso com ele, e se a cobra o tivesse picado!” – Disse a mulher doente.

Veja, ela não sabia que os Auxiliares Invisíveis estavam em seus Corpos de Desejos e não podiam ser feridos.

Quando a Auxiliar Invisível foi à cozinha buscar mais água para as plantas, um rato sedento apareceu e queria beber água. A princípio, a Auxiliar Invisível pensou que o rato ia atacá-la; então ela pensou em jogar água nele, mas ele estava apenas com muita sede. A Auxiliar Invisível colocou o prato com água, e o rato bebeu tão rápido que quase perdeu a respiração. A Auxiliar Invisível olhou para seu rosto e viu seus olhos muito brilhantes e suas orelhas quase eretas.

Como a mulher pediu para regar uma grande árvore, o terceiro Auxiliar Invisível pegou um balde, encheu-o de água, levou-o até a árvore e despejou a água sobre ela. Antes, então, cavou uma trincheira ao redor da árvore para manter a água no chão. A mulher tinha uma grande bomba de moinho de vento e muita água, bem como um grande tanque na casa para uso no inverno.

Os Auxiliares Invisíveis aconselharam a mulher a manter sua porta bem fechada para manter as cobras fora da casa, pois havia muitas cobras, por causa da água e das condições de seca. Eles disseram à mulher o que comer e aconselharam-na a sempre manter alguém na casa com ela, e ela disse que faria. Os Auxiliares Invisíveis contaram-lhe sobre o seu trabalho, e ela estava muito interessada.

“Como é bom ir para lugares e ajudar as pessoas”, disse ela.

Você vê, quando os estudantes fiéis de uma Escola de Mistério trabalham como Ajudantes Invisíveis, eles usam seu conhecimento para ajudar os outros.

Ajudando os outros eles se ajudam a si mesmos porque aumentam o tamanho e a luminosidade de seus Corpos-Alma e ganham o direito de receber mais conhecimento que eles podem, por sua vez, compartilhar com outros que são qualificados para compartilhá-lo.

Agora vou lhe contar várias histórias sobre o trabalho de Auxiliares Invisíveis com crianças.

Aqui está o que ocorreu em uma pequena cidade de um país ocidental há alguns anos. Alguns Auxiliares Invisíveis estavam passando por lá. Olharam para baixo e viram um cão da raça collie correndo bem abaixo deles.

Ele sentiu os Auxiliares Invisíveis passando por cima dele, e começou a latir e saltar em direção a eles. Então ele começou a voltar, retornando para o mesmo lugar de onde tinha vindo.

“Vamos descer e ver qual é o problema”, disse um dos Auxiliares Invisíveis. Eles desceram e a Auxiliar Invisível se sentou nas costas do cão pegando uma carona. Estando em seus veículos mais elevados, ela não tinha peso e por isso não sobrecarregou o cão, que continuou correndo no caminho.

O cão correu o mais rápido que pôde pelos campos. Ele atravessou um lago e finalmente chegou a um lugar onde uma criança tinha caído em um canyon. Os Auxiliares Invisíveis viram a criança deitada, inconsciente e maltratada. – Oh, ela está morta! – Disse o Auxiliar Invisível.

– Não, ela está apenas inconsciente e maltratada – respondeu sua companheira.

Os Auxiliares Invisíveis levaram a criança para casa dela. Primeiro disseram ao cão para ir para a casa dela, e eles o seguiram. Ele correu pela lagoa e subiu a estrada cerca de três quilômetros para uma fina casa de fazenda. A casa estava toda iluminada. Havia duas mulheres lá quando os Auxiliares Invisíveis e o cão collie entraram com o menino ferido. Uma das mulheres disse que o resto da família estava procurando o menino e o cão. Depois que os Auxiliares Invisíveis levaram o menino para dentro da casa, uma das mulheres saiu e tocou um sino para chamar o povo de volta para a casa. O pai e a mãe do menino entraram e a mãe gritou quando viu o menino e chorou: “Meu menino está morto!”

– Não – Disse o Auxiliar Invisível – Ele vai ficar bem. Ele terminou de enfaixar os ferimentos do menino e o colocou na cama.

A mãe disse ao Auxiliar Invisível que o menino tinha saído à noite.

O menino logo recuperou a consciência e pediu comida e água. Os Auxiliares Invisíveis, então, saíram desapercebidos pela família e foram no quintal brincar com o cão. Um dos Auxiliares Invisíveis teve a mais deliciosa lembrança na manhã seguinte. Ela se lembrou de estar sentada sobre o cão e de nadar na lagoa.

A Auxiliar Invisível correu ao redor do pátio brincando com o cão feliz, que correu em círculos, se aproximou dela e olhou para seu rosto com expectativa. Ele ficou de pé com o peso nas patas dianteiras, pronto para uma corrida e acenou suavemente a cauda de um lado para o outro. O cão podia ver os Auxiliares Invisíveis e era o companheiro mais amigável. Ele sabia que os Auxiliares Invisíveis o haviam ajudado a salvar o menino, seu dono, e que ele estava livre da responsabilidade pelo ocorrido.

Esse é um caso onde um animal, um cachorro, está quase individualizado. Esse cachorro alcançou um alto grau na evolução ao ponto de não precisar nascer como um animal novamente. Quando ele morrer, seu espírito será mantido no Mundo do Desejo e será um dos pioneiros quando a onda de vida dos animais se tornar humana. Essa é a mais extraordinária história que deve ser destacada.

Em um sábado à tarde um Auxiliar Invisível se deitou para tirar uma soneca. Depois que adormeceu, ele foi para a África e em algum lugar na selva. Lá ele viu uma família de tigres, composta de pai tigre, mãe tigre e bebê tigre.

O Auxiliar Invisível pegou o bebê tigre. Quando a mãe tigre o viu, ela mostrou seus dentes. “Deite-se”, disse o Auxiliar Invisível, “Eu não o machucarei”, e ela calmamente se deitou e o assistiu brincar com seu bebê.

O papai tigre então deu uns poucos passos, rosnou e mostrou seus dentes. “Deite-se”, o Auxiliar Invisível disse. Ninguém irá aborrecer alguém daqui.

Enquanto o Auxiliar Invisível estava segurando o pequeno tigre e acariciando suas costas gentilmente, ele ronronou e se tornou muito amistoso. Em seguida ele levantou os olhos e se surpreendeu ao ver uma pequena criança negra que estava perdida e divagava dentro da selva. O Auxiliar Invisível chamou a criança e pediu para ela se aproximar. A criança olhou os tigres e tremeu de pavor, mas finalmente se dirigiu ao homem, que a pegou e a manteve num braço e o pequeno tigre no outro. O tempo todo os dois tigres grandes permaneceram assentados calmamente perto dele.

O Auxiliar Invisível chamou alguém à distância e por meio de pensamento perguntou a ela se ela poderia ficar com a família de tigres enquanto ele levaria a criança para casa. A Irmã Leiga disse a ele que isso não era frequentemente permitido, mas que ela faria isso. O Auxiliar Invisível chamou os tigres e partiu indo por um caminho dentro da selva até o vilarejo.

Um tigre caminhou de um lado dele e o outro do outro lado.

Quando eles alcançaram a aldeia, as pessoas se assustaram e correram em todas as direções. O Auxiliar Invisível os chamou de volta e eles detiveram seu espanto e então chegaram pertinho.

O Auxiliar Invisível colocou o bebê humano nas costas da mamãe tigre, e o tigre não fez nenhuma objeção. Após isso ele pegou o bebê de novo e o manteve em seus braços.

O Auxiliar Invisível disse aos nativos que se eles fossem amigáveis e gentis com todos e as criaturas selvagens da selva não fariam mal a eles. “Enquanto vocês lutam entre vocês mesmos e com outros”, ele disse, “esses animais causarão danos a vocês como todo o restante dos animais da selva”. O Auxiliar Invisível perguntou “de quem é este bebê?”.

É meu, mas estou com medo de ir até aí”, disse uma mulher.

O Auxiliar Invisível pediu aos tigres que se deitassem, e eles se comportaram como bons cães treinados. A mulher calmamente se aproximou do Auxiliar Invisível e da família de tigres. Ela estava pálida e tremendo.

Ela pegou sua criança, que pareceu muitíssimo à vontade nos braços do Auxiliar Invisível.

Um homem da aldeia pegou sua arma e preparou para atirar no Auxiliar Invisível. “Você pode puxar o gatilho, mas a arma não disparará”, o Auxiliar Invisível disse para ele.

O homem tentou insistentemente, mas a arma falhou.

Isto porque foi solicitado às Salamandras, as quais começam todo fogo e explosão, para permanecerem em silêncio.

Então o Auxiliar Invisível se virou e começou a retornar para a selva. Os tigres o seguiram.

O Auxiliar Invisível pediu a eles que voltassem para o lugar onde ele os tinha encontrado, e colocassem o bebê para deitar, despois ele desapareceu, e foi adiante com seu trabalho.

Os Auxiliares Invisíveis ajudam de muitas maneiras. Gustave Doré, um artista muito talentoso, ilustrou a Bíblia com desenhos notáveis. Um deles é chamado “Moisés Criança no Nilo”. Mostra o bebê Moisés em uma cesta que flutua no rio Nilo e observado por quatro Auxiliares Invisíveis que estão suspensos no ar, acima dele. Os Auxiliares Invisíveis estão parcialmente materializados.

Esses Auxiliares Invisíveis foram os que induziram a filha do rei a ir ao rio, encontrar o bebê Moisés e levá-lo como seu próprio filho. O retrato mostra que esse artista famoso sabia tudo sobre Auxiliares Invisíveis e seus trabalhos e tentou mostrá-los em muitas maneiras. A Bíblia contém muitas outras histórias sobre pessoas que podiam ver e ouvir Auxiliares Invisíveis, Anjos e Arcanjos.

O historiador judeu, Flavius Josephus, diz muitas coisas interessantes sobre Moisés em seu livro OS TRABALHOS DE JOSEPHUS. Nesse livro, nos diz que Amram, o pai de Moisés, um homem nobre, estava preocupado com sua esposa, que esperava uma criança. Ele orou a Deus e implorou Sua ajuda, e Deus lhe disse muitas coisas encorajadoras. Ele lhe disse que seu filho deveria ser escondido daqueles que queriam destruí-lo, e que depois de ter sido criado de uma forma especial, ele iria retirar a nação dos egípcios. O pai de Moisés confiou em Deus e seguiu as sugestões dos Seres Elevados, o bebê foi salvo e mais tarde cumpriu sua missão de salvar os hebreus da escravidão e da morte.

Aqui está uma história de como um pai e suas crianças foram resgatados da morte no mar. Esse homem vivia no sul. Uma noite ele levou suas três crianças para um pequeno passeio de barco. A água tornou-se repentinamente revolta, e foram levadas para o mar. O pai perdeu de vista a costa e ele remou a noite toda orando por ajuda. Por fim a ajuda foi enviada a ele, e eles foram salvos da morte. Por meio da consciência Jupteriana foi mostrado a dois Auxiliares Invisíveis, à distância, o que estava acontecendo com esse homem e suas três crianças pequenas.

Quando os Auxiliares Invisíveis chegaram ao lugar e olharam para baixo, viram um barco grande quase cheio de água. O pai tentava desesperadamente chegar à praia. Em uma extremidade, um menino estava sentado com água até o pescoço. Na outra extremidade outro menino estava sentado só com a cabeça fora da água, enquanto uma menina tinha ficado debaixo da água e deitada no fundo do barco. Um Auxiliar Invisível abaixou e rapidamente resgatou as duas crianças de uma extremidade do barco e as levantou no ar. O outro Auxiliar Invisível pegou o pai e o outro menino e os levou para a praia, onde os outros estavam já recebendo cuidados. Ambos os Auxiliares Invisíveis se lembravam claramente dessas cenas na manhã seguinte.

Aqui está uma história sobre algumas pessoas que estavam necessitando de ajuda e o que lhes aconteceu. Alguns anos atrás, dois Auxiliares Invisíveis estavam passando pelas Montanhas Rochosas quando viram um garotinho descendo uma montanha, ao lado de um alto penhasco. Eles também viram um lobo se esgueirar atrás da criança.

O lobo estava prestes a pular sobre ele. Um dos Auxiliares Invisíveis pegou a criança no momento em que o lobo saltou. O lobo então se voltou para os Auxiliares Invisíveis, mas eles o fizeram se afastar. O lobo estava desesperado por comida e teria matado o menino. Os Auxiliares Invisíveis perguntaram à criança de onde ela vinha, pois não havia nenhuma casa à vista por quilômetros de distância.

O menino disse que sua mãe o havia enviado para trazer um homem para ajudá-los. Os Auxiliares Invisíveis lhe disseram para levá-los para onde sua mãe estava. Um dos Auxiliares Invisíveis o carregou, pois eles poderiam ir muito mais rápido dessa maneira. Quando eles dobraram uma curva, viram um automóvel à distância, inclinado sobre a borda da estrada. Naquele lugar havia um penhasco de cerca de trezentos pés. Havia duas pessoas no carro pendurado sobre o penhasco, um homem e uma mulher. A criança queria descer e ir ao encontro do seu irmão que estava no carro, mas o Auxiliar Invisível disse ao seu companheiro para segurar a criança por causa do perigo.

O Auxiliar Invisível olhou ao redor para ver qual era a melhor maneira de resgatar aquelas pessoas. Ele disse à mulher para jogar a sua bolsa para fora através da janela e, depois, jogar a pequena mochila que estava com ela. Então ele lhe disse para abrir a porta com muito cuidado, e ela conseguiu sair com segurança. Isso fez com que o carro deslizasse um pouco mais e ela desmaiou. O Auxiliar Invisível disse ao homem para passar, cuidadosamente, para o banco traseiro e sair. Ele fez isso, e assim que ele pisou no chão, o carro deslizou sobre o penhasco. O Auxiliar Invisível agarrou sua mão e o puxou para cima, e assim todos os três foram salvos. O homem estava tão fraco de terror e da tensão nervosa que teve que se deitar para descansar. Os Auxiliares Invisíveis foram cuidar da mulher, ela estava histérica e teve que ser acalmada e se tranquilizou quando viu que todos estavam sãos e seguros.

A família não tinha nada além de dinheiro e roupas para o menino. Eles não tinham água ou comida, e estavam a quilômetros longe de qualquer coisa. Os Auxiliares Invisíveis não podiam deixá-los sozinhos, pois sabiam que havia lobos. Estava frio e escuro.

Um Auxiliar Invisível disse ao seu parceiro para voltar à montanha e olhar ao redor até encontrar um homem com um carro e, então, o trazer.

Depois de várias horas, ele voltou com um homem e um carro. O homem queria cobrar da família quinze dólares para levá-los para uma cidade.

– Não, isso é demais – disse o Auxiliar Invisível. “Um dólar cada um é suficiente”.

O homem então se recusou a levar as pessoas em seu carro e puxou uma arma. O Auxiliar Invisível tirou a arma do homem e lhe disse para passar para o outro lado do assento que ele dirigiria o carro. Todos entraram no carro e o Auxiliar Invisível conduziu o povo até a cidade mais próxima, que estava a quarenta quilômetros de distância. Aqui eles encontraram um lugar para ficar até de manhã.

O Auxiliar Invisível disse a eles para tentar obter seus pertences de seu carro destruído. A mulher estava tão desgastada que estava prestes a entrar em colapso. As pessoas se esqueceram de agradecer aos Auxiliares Invisíveis, que se materializaram, ou de perguntar quem eram antes de partir, mas o homem não se esqueceu de pedir seu dinheiro. O pai do rapaz deu ao Auxiliar Invisível o dinheiro, e ele pagou ao homem, lhe devolveu sua arma e lhe disse para não incomodar essas pessoas, pois ele iria vê-los novamente. Então o homem ficou zangado e atacou o Auxiliar Invisível, que teve que o sacudir um pouco. O homem clamou por misericórdia. A coragem do Auxiliar Invisível em não temer sua arma tirou toda a energia do homem. Depois disso, os Auxiliares Invisíveis se aproximaram e olharam para o carro destruído. Depois prosseguiram com seu trabalho de ajudar os outros.

Os Auxiliares Invisíveis ajudam todas as pessoas, independentemente de raça ou religião. Quando eles estão fora de seus corpos e ajudando a humanidade da melhor maneira possível, eles são capazes de ouvir e falar qualquer idioma. Eles falam a linguagem da alma, que todas as pessoas no mundo podem entender.

Aqui está uma história que ilustra esse assunto. Em um dia de julho, dois Auxiliares Invisíveis conheceram uma menina no Japão e ela pediu que ajudassem sua mãe, que tinha caído, não se levantava nem falava com ela. Os Auxiliares Invisíveis disseram à criança que se apressasse para levá-los até a mãe. Ela correu de volta para casa e os Auxiliares encontraram a mãe na banheira, inconsciente. Ela tinha escorregado, batido a cabeça e caído na água, que agora estava no seu queixo. Se a água estivesse um pouco mais alta, ela teria se afogado. Ela tinha um corte feio na cabeça.

Os Auxiliares Invisíveis retiraram a mãe da banheira e a reviveram.

Eles fizeram um curativo em seu machucado e colocaram algumas roupas nela. Os Auxiliares Invisíveis disseram à moça que sua filhinha os havia chamado e ela ficou muito agradecida pela ajuda que recebeu. Eles eram japoneses prósperos e tinham uma bela casa. A senhora japonesa pediu aos Auxiliares Invisíveis para tomar chá. Ela queria saber se os Auxiliares Invisíveis moravam no Japão e onde eles tinham aprendido seu idioma, pois ficou surpresa que eles pudessem falar tão bem.

Os Auxiliares Invisíveis então explicaram seu trabalho e ela lhes disse que uma vez participara de uma reunião no Ceilão, onde ensinavam o que os Auxiliares Invisíveis falavam. Quando o marido entrou, ela disse o que tinha acontecido e ele ficou um pouco agitado. Depois, agradeceu aos Auxiliares Invisíveis pela gentileza com sua família.

* * *

Agora, vamos considerar o trabalho dos Auxiliares Invisíveis com os animais.

Em uma noite, dois Auxiliares Invisíveis dedicaram-se a uma mãe urso pardo e seu filhote, que tinha aproximadamente três meses de idade. Eles buscavam água. O ursinho cavalgava nas costas da mãe.

Quando os Auxiliares Invisíveis se aproximaram, a ursa se levantou e o filhote deslizou, ficando entre as pernas dela. Os Auxiliares Invisíveis começaram imediatamente a fazer amizade com eles. Um Auxiliar Invisível estava especialmente interessado no ursinho, que era muito fofo. Os ursos viram um poço de água, ou nascente, e subiram até ele; no entanto, a mãe não bebia nem deixava o filhote beber, porque sentia que algo estivesse errado.

Um dos Auxiliares Invisíveis deduziu que a água estivesse envenenada e pediu que fosse purificada. Sua oração foi atendida, porque em pouco tempo duas grandes cobras d’água rastejaram e foram embora. Então os ursos beberam da nascente. Pareceu estranho a mãe ursa perceber que não fosse seguro beber aquela água. Se eles tivessem bebido, as cobras certamente os teriam picado e eles teriam morrido.

* * *

Certa vez, um Auxiliar Invisível foi para a Nova Zelândia. Lá, ele teve problemas com alguns nativos e policiais, ao tentar impedir que espancassem um animal para fazê-lo exibir truques. Os policiais queriam prender o Auxiliar Invisível e alguém queria agredi-lo. O Auxiliar Invisível disse aos homens para não tocar nele, pois protegia todos os animais mudos e pessoas indefesas.

“Agarre-o e jogue no poço”, disse um homem.

As pessoas deixaram os policiais fazerem isso. Depois de colocarem o Auxiliar Invisível dentro de um poço onde havia cobras e crocodilos, ficaram ao redor para ver o Auxiliar Invisível morrer; no entanto, os répteis não deram atenção a ele nem se ofereceram para machucá-lo.

Uma Irmã Leiga da Índia entrou no poço. Os homens pensaram que ela tivesse pulado. Os dois Auxiliares Invisíveis então brincaram com as cobras e os crocodilos, enquanto os homens olhavam, surpresos. Eles não conseguiram tirar o Auxiliar Invisível porque não tinham algo para abaixar no poço. Então, os Auxiliares Invisíveis levitaram, já que estavam em seus Corpos de Desejos, e as pessoas fugiram.

Duas criancinhas foram até os Auxiliares Invisíveis, a Irmã Leiga tocou-as na testa e lhes disse para guiar seu povo até coisas na vida que fossem mais elevadas. O menino e a menina não eram parentes, mas amigos de brincadeira. Essas crianças ajudarão pessoas e animais à medida que passam pela vida. Eles são Egos avançados que renasceram naquele lugar para Auxiliar Invisível os nativos. Depois disso, os Auxiliares Invisíveis foram para as ilhas próximas e ajudaram muitas pessoas doentes.

* * *

Certa noite de sexta-feira, enquanto alguns Auxiliares Invisíveis estavam no extremo norte, onde moram as focas, encontraram uma família de focas em um pouco de água no bolso de gelo de um iceberg. A massa de gelo estava movendo-se para o sul e parecia ter pouco mais de um quilômetro de comprimento. Do outro lado do local onde as focas estavam presas havia uma cavidade com alguns peixes. Uma Auxiliar Invisível queria alimentar as focas, mas ela não conseguia pegar os peixes nem podia colocá-las onde eles estavam.

Um Irmão Leigo parou e logo viu a situação. Ele disse que as focas poderiam comer os peixes, porque eles morreriam quando descessem para a quente Corrente do Golfo, que sobe o Oceano Atlântico, mas as focas nadariam de volta. O Auxiliar Invisível foi embora e voltou com uma lança. A Auxiliar Invisível pegou um peixe, foi até as focas e as convenceu a sair. Elas saíram da água e se aproximaram dela. Havia quatro focas crescidas e duas pequenas. Ela largou o peixe enquanto tentava pegar uma das foquinhas. Ela pegou uma, porém não conseguiu segurar porque era muito lisa. A Auxiliar Invisível deu alguns peixes às focas e elas começaram a segui-la. Finalmente, a Auxiliar Invisível pegou uma das focas bebês e brincou com ela por um tempo. Ela voltou para sua mãe e depois retornou para a Auxiliar, por vontade própria.

A Auxiliar Invisível então pegou a lança e fez um buraco no gelo para que os peixes pudessem nadar onde as focas estavam e para que estas pudessem ir aonde eles estavam. A princípio, as focas, famintas, comeram os peixes tão rápido quanto entraram pela abertura no gelo. Entre os dois buracos, o gelo não era muito espesso e não houve dificuldade em fazer a abertura. O iceberg estava rachando e estalando ao redor dos Auxiliares Invisíveis, movendo-se firmemente para o sul. Os Auxiliares Invisíveis gostaram muito de ficar com as focas por um tempo e elas tornaram-se muito amigáveis.

* * *

Certa vez, dois Auxiliares Invisíveis atravessavam as selvas da África quando um olhou para baixo e viu uma pantera negra presa em uma trepadeira, choramingando tristemente. Os Auxiliares Invisíveis desceram e se materializaram para ajudá-la. A pantera rosnou e se enfureceu. Então um Auxiliar Invisível lhe disse: “Fique firme, amiga; se você quiser que a ajudemos, você deverá ser boa. Eu só quero ajudá-la, mas se você agir assim, eu a deixarei ficar aqui mais alguns dias e a fome vai matá-la”.

A pantera pareceu entender perfeitamente e se acalmou para que os Auxiliares Invisíveis a soltassem. Ela estava presa de tal modo pela parte do corpo que fica entre os quadris e as costelas que, quando lutava, apenas apertava as trepadeiras ao redor do corpo.

Depois que a pantera foi libertada, ela começou a lamber as mãos da Auxiliar Invisível e ficou esperando os Auxiliares Invisíveis se moverem para poder segui-los.

“Jovem companheiro”, disse o Auxiliar, “é melhor você buscar algo para comer, pois há muitos amigos aqui que gostariam de testar sua força. Se eles vencerem, farão de você uma boa refeição”.

Então a pantera lambeu as mãos da Auxiliar Invisível novamente e foi embora lentamente.

* * *

Temos aqui uma história curiosa de como um leão foi ajudado.

Alguns Auxiliares Invisíveis estavam nas selvas africanas, aonde foram enviados para ajudar um grande leão que enfiara um espinho na parte macia de sua pata dianteira esquerda. Ele não conseguia tirar o espinho, sua pata estava inchada e dolorida. O leão estava deitado, quando os Auxiliares Invisíveis se aproximaram dele, mas ele pulou, ameaçou lutar e rugiu alto.

“Diga, camarada”, falou o Auxiliar. “Viemos aqui para ajudá-lo, não estamos procurando briga. Se você não quiser que nós o ajudemos, poderemos ir embora.”

O leão se acalmou, gemeu e levantou a pata, pois não podia ficar de pé por causa da dor. Um dos Auxiliares Invisíveis aproximou-se do leão e ele se afastou. “Escute, Sr. Leão”, disse o Auxiliar, “em vez de recuar, venha aqui e me dê sua pata. Serei o mais cuidadoso possível com você”.

O leão olhou em volta, depois pulou sobre três pernas até o Auxiliar Invisível e lhe deu a pata. O Auxiliar Invisível olhou para ele e viu imediatamente que precisava de algo para abrir o abscesso e deixar o pus escapar. Ele disse à outra Auxiliar Invisível para procurar um espinho afiado e foi o que ela fez. Então o Auxiliar Invisível disse ao leão para se deitar. Quando os Auxiliares Invisíveis começaram a abrir a ferida, o leão ficou com raiva e bateu no homem.

“Deixe o leão sozinho ou ele poderá machucá-lo”, disse a Auxiliar.

Ela tinha esquecido que estavam fora de seus Corpos Densos e não poderiam ser feridos. O Auxiliar Invisível disse a ela para esfregar a cabeça do leão enquanto ele abria a pata. Ela fez isso e, quando o leão ficou quieto, o Auxiliar Invisível espremeu todo o pus para depois procurar o espinho na pata. Quando o encontrou, o leão rugiu, porque estava preso no osso.

Os Auxiliares Invisíveis tiveram que abrir um buraco na carne, grande o suficiente para colocar dois dedos, antes que pudessem arrancar o espinho. Eles não conseguiram materializar a mão e colocá-la no osso, como fariam se fossem de carne. O Auxiliar Invisível agarrou o espinho e puxou, enquanto o pobre leão tremia e gemia. Um Auxiliar Invisível apertou o pé dele, o outro o massageou e ele se recuperou em poucos minutos.

Então o leão lambeu a mão da Auxiliar, levantou-se, sacudiu e rugiu como se quisesse agradecer. O Auxiliar Invisível que arrancou o espinho disse ao leão para ter mais cuidado. O leão se aproximou da Auxiliar, que se escondeu atrás do Auxiliar.

“Ele não vai machucá-la”, disse.

O leão se aproximou dela e a observou; ficou de pé como um cachorro enorme, deitou-se como um gato doméstico e não se mexeu.

De repente, ele pulou, soltou um rugido feroz, saltou muito alto e começou a lutar contra uma cobra grande. O leão ainda estava fraco e a cobra logo o cansou. Duas voltas do seu corpo estavam ao redor dele quase que imediatamente. A Auxiliar Invisível pediu a eles que parassem, mas não pararam e ela ficou abalada.

O outro Auxiliar Invisível pediu ao Espírito-Grupo da serpente e ao do leão para detê-los. Ele chamou a cobra e o leão, disse-lhes para parar e eles obedeceram depressa. O Auxiliar Invisível então os chamou e eles vieram. Ele viu que a cobra era uma grande jiboia africana. O corpo da cobra ficou bastante rasgado pelas garras do leão e ele tinha sido mordido, quando a cobra o segurou. Os Auxiliares Invisíveis logo curaram a cobra e o leão; depois, mandaram a cobra embora.

Os Auxiliares Invisíveis partiram e o leão os seguiu até desaparecerem.

* * *

Aqui está o relato de como uma baleia doente foi ajudada, certa noite, por alguns Auxiliares Invisíveis. A eles foi mostrada uma baleia na superfície da água, por meio da Consciência de Imagem Jupiteriana, algo como figuras em movimento exibidas em uma tela. A baleia estava ofegando e tentando retirar um peixe preso em sua garganta. Os Auxiliares Invisíveis correram para o local onde ela estava e logo a localizaram. Essa baleia tinha uma cabeça e uma boca enormes e o que parecia ser fileiras de dentes.

A baleia estava com problemas de estômago, não conseguia vomitar a comida que a fizera sentir-se mal e o intestino estava entupido. E o pior de tudo, ela tinha um peixe preso na garganta. Não muito longe dela havia sete ou oito tubarões. Eles viram que ela estava doente e aguardavam para torná-la sua refeição assim que estivesse fraca demais para lutar.

Os Auxiliares Invisíveis foram até a baleia. Ela afundou e apareceu em outro lugar, como uma criança brigando com um médico, depois de machucada. A baleia tímida fez isso várias vezes. Então um dos Auxiliares Invisíveis a massageou para ficar acordada. Ela deu um tapinha na cabeça da baleia, que se virou, abriu a boca e o outro Auxiliar Invisível puxou o peixe para fora. Era um peixe grande, com as barbatanas presas na garganta da baleia, uma de cada lado, não podendo sair nem descer. Os Auxiliares Invisíveis ajustaram o estômago e o intestino da baleia. Isso a fez sentir-se bem novamente e se tornou brincalhona.

Os tubarões viram que ela estava agindo de modo natural de novo e foram embora; a baleia então nadou para longe.

* * *

Agora eu vou narrar o que aconteceu com o cachorro de estimação de um menino. Alguns Auxiliares Invisíveis estavam voando e viram um belo Collie atravessando a rua. Um homem veio em seu carro, atropelou as duas patas da frente do cachorro e as quebrou. Ele olhou ao seu redor e não viu ninguém; então começou a dirigir, deixando o cachorro ferido na estrada.

A Auxiliar Invisível sentou-se sobre o carro e o fez retornar. Ela se materializou sobre a soleira. Ele estava com muito medo de continuar e fez o que ela mandou. Naquele momento, o outro Auxiliar Invisível levou o cachorro até um gramado e o deitou. O cachorro estava choramingando.

O Auxiliar Invisível contatou o Espírito-Grupo dos cachorros e perguntou onde morava o seu dono. Ele revelou que o cachorro pertencia a pessoas que moravam quatro casas abaixo, na rua em que estavam. O Auxiliar Invisível foi até a casa e conversou com o dono da casa sobre o cachorro; ele ficou muitíssimo estremecido.

“Eles são amigos, o que meu filhinho fará agora?”, ele perguntou. “Eu sempre deixo o cachorro sair cedo, todas as manhãs, para que possa correr por algum tempo. Ele sempre volta para casa quando o menino se levanta.”

O homem que atingiu o cachorro falou e perguntou qual era o seu preço.

“Eu paguei 150 dólares por ele; mas não aceitaria 1.000, porque passei vários anos treinando-o”, disse o proprietário.

O Auxiliar Invisível levou o cachorro para a casa do seu dono e o colocou em uma rede, na varanda lateral. O garoto, que despertara com o som das vozes, desceu as escadas. Quando viu que seu cachorro estava machucado, começou a chorar e o cachorro uivou. O garoto se virou para a estranha senhora e disse: “Senhora, cure meu cachorro para que possamos brincar juntos. Sempre comemos juntos e ele dorme ao pé da minha cama. Veja, ele está chorando porque está machucado. Você pode ajudá-lo e os Anjos a abençoarão algum dia. Minha mãe disse que os Anjos abençoam todos os que ajudam as pessoas”.

A mãe do menino ficou observando o cachorro ferido e disse: “Não podemos curá-lo. Ele deve ser sacrificado”.

“Ele ficará bem, assim?”, perguntou o menino.

“Não, ele vai morrer e alguém vai levá-lo embora”, respondeu sua mãe.

“Não, mamãe, espere”, implorou o garoto. “Pedirei a Deus para fazê-lo andar de novo.” “Querido Deus”, disse o garoto, “faça meu cachorro ficar bem para que possamos brincar. Mamãe disse que Você fará isso por pessoas que sejam boas. Serei o melhor que puder e sei que serei bom com o meu cachorro. Você fará isso por mim, meu Deus, não é?”. Então ele se virou para a Auxiliar Invisível e disse: “Agora, senhora, conserte meu cachorro”.

O pai do garoto disse a ele: “Ela não pode fazer isso, mas peço a Deus que possa”.

A Auxiliar Invisível falou com o querido menininho: “Meu queridinho”, disse ela, “sua fé fará com que o seu cão fique bom”.

As pessoas presentes estavam todas com lágrimas nos olhos, porque seus corações foram tocados pelas palavras da criança, que implorava por seu cachorro. A Auxiliar Invisível colocou uma das mãos sobre o cachorro e o esfregou com a outra. O Auxiliar Invisível pegou uma pata, ajustou os ossos e a força curadora de Deus curou o ferimento. O cachorro lambeu a mão do Auxiliar, que então pegou a outra pata, curou e tudo ficou bem.

O cachorro se deitou aos pés do Auxiliar, como se quisesse agradecê-lo.

“Os Anjos vão abençoá-la”, disse a criança, feliz. “Ah, não! Você é um Anjo, pois eu vejo cores bonitas de ouro brilhante, azul e branco sobre você; não, em você. Mamãe, eu não sei o que ela é, mas posso ver através dela. O que ela é?”

A Auxiliar Invisível ficou tão feliz que levantou a criança em seus braços e, por um momento, o menino se perdeu em sua aura. Todos os presentes viram e se curvaram diante da Auxiliar. “Sim, criança, eu sou o seu Anjo”, eles a ouviram dizer. Então ela o pôs no chão e desapareceu.

Os Auxiliares Invisíveis ficaram muito felizes por terem sido autorizados a curar o cachorro e fazer o menino e seus pais felizes.

* * *

Vamos agora analisar como outras orações foram respondidas.

Certa noite, alguns Auxiliares Invisíveis estavam voando, quando viram um homem cair de um ônibus que estava viajando a uma boa velocidade. O homem levantou-se e correu atrás do ônibus, tentando alcançá-lo, mas teve que desistir. Seu cachecol caiu atrás dele enquanto corria.

Os Auxiliares Invisíveis aproximaram-se do pobre homem e ele contou o que havia acontecido. Estava sentado em um dos bancos da parte traseira do ônibus e tinha retirado o gorro, porém ainda tinha o cachecol no pescoço. A maioria das pessoas do ônibus estava dormindo. O homem que estava sentado à sua frente roubou seu dinheiro e sua bagagem.

Um dos Auxiliares Invisíveis perguntou se poderia oferecer ajuda, pensando que alguém devesse ajudar, e disseram-lhe que isso poderia ser feito. Os Auxiliares Invisíveis deixaram o homem ao lado da estrada. Eles alcançaram o ônibus, entraram, materializaram-se e encontraram o ladrão. Eles viram que ele estava com o dinheiro furtado em uma carteira. Os Auxiliares Invisíveis indagaram se poderiam ajudar a vítima a chegar à próxima cidade, onde o ônibus pararia, para que pudesse pegar sua bagagem e recuperar o dinheiro. Os Auxiliares Invisíveis foram instruídos a fazer o possível para auxiliar.

Os Auxiliares Invisíveis voltaram correndo, pegaram o homem e o levaram à cidade aonde o ônibus estava indo. Quando o ônibus chegou à cidade, o homem prendeu o ladrão, recuperou seu dinheiro e recolheu a bagagem.

* * *

Na América do Sul, um homem estava terrivelmente preocupado com a perda de seus magníficos bordos e carvalhos. Ele orou a Deus por ajuda para salvar do corte o melhor de suas árvores. Dois Auxiliares Invisíveis foram enviados para ampará-lo. Eles chegaram ao lugar rapidamente e se materializaram no que pareciam corpos físicos naturais. Então caminharam até onde viram um fazendeiro conversando com um grupo de funcionários da empresa de telefone. Esses homens foram instruídos a comprar uma faixa de terra do outro lado da fazenda e ofereceram uma quantia muito pequena.

A companhia telefônica planejara forçar o homem a vender seus direitos à terra e às árvores. Eles sabiam que essa terra tinha 500 ou 600 árvores grandes e que dessas árvores eles fariam madeira fina e cara. Pretendiam cortar as árvores de uma só vez; trouxeram suas serras e machados para que pudessem realizar o trabalho de destruição em um único golpe para, depois, colocar os postes e fios de telefone.

O fazendeiro ficou muito angustiado, pois amava aquelas belas e grandes árvores e não queria que fossem cortadas. Ele não desejava vender a melhor parte da sua fazenda, porém o capataz da gangue tentava fazê-lo ceder. Os Auxiliares Invisíveis fizeram os homens parar e disseram ao fazendeiro que não recebesse menos de 50.000 dólares. Os Auxiliares Invisíveis também lhe explicaram que, se vendesse, não deveria se esquecer de manter o direito de atravessar a faixa de terra; caso contrário, teria de percorrer quase dois quilômetros e meio para chegar à outra parte da sua fazenda.

O fazendeiro disse ao encarregado que ele não venderia por menos de 50.000 dólares. Os homens então saíram, sabendo que a companhia telefônica redirecionaria sua linha, porque não poderia enganar esse homem e afastá-lo da sua valiosa floresta.

Os Auxiliares Invisíveis examinaram a floresta e se encantaram com as grandes árvores, umas das melhores que já tinham visto. Disseram ao fazendeiro que deveria ficar com a terra e que era dono de um lugar encantador. Antes que os homens da companhia telefônica saíssem, um dos Auxiliares Invisíveis lhes falou que não demoraria muito para que as pessoas não precisassem mais de telefones. Ela explicou como, na próxima e nova era, as pessoas terão clarividência, audição espiritual, transferência de pensamentos e, assim, poderão enviar pensamentos pelo ar, que serão capturados por outras pessoas da mesma forma que um aparelho receptor de rádio capta as ondas sonoras no ar.

Então o dono das grandes árvores perguntou aos Auxiliares Invisíveis quem eles eram e responderam. Os Auxiliares Invisíveis contataram o Espírito-Grupo de algumas das árvores e conversaram com Ele. Esse Ser Elevado parecia um homem; contudo, era muito mais sábio e inteligente. O Espírito-Grupo das árvores agradeceu aos Auxiliares Invisíveis por impedir aqueles homens de cortá-las desnecessariamente. Ele revelou que o fazendeiro tinha amado e cuidado das árvores em seus bosques e isso fez com que crescessem. Ele disse que as árvores valiam uma fortuna.

O Espírito-Grupo também mostrou aos Auxiliares Invisíveis como seria o local, se os homens conseguissem o que queriam e tivessem cortado as árvores. Era uma imagem desolada: uma terra nua com muitos troncos de árvore e uma linha de postes telefônicos correndo por ela com alguns fios. Um Auxiliar Invisível estremeceu ao pensar na ruína que teria resultado do corte. O Espírito-Grupo abençoou os Auxiliares Invisíveis por seu bom trabalho. Ambos os Auxiliares Invisíveis se lembraram claramente no dia seguinte de tudo o que havia ocorrido e ficaram muito impressionados com o que viram e ouviram.

* * *

Eis como um menino foi ajudado certa noite. Alguns Auxiliares Invisíveis foram enviados como resposta às orações de uma mãe por seu filho pequeno que tinha sido queimado e estava no hospital. No hospital, sua condição foi agravada pelos médicos e enfermeiras. A mãe estava então a caminho de casa com ele. Os Auxiliares Invisíveis encontraram a mãe em uma estação de trem, onde esperavam o trem para levá-los para casa. O garoto estava com muita dor. Uma Auxiliar Invisível materializou o seu corpo, foi até eles e viu como a criança sofria; então perguntou à mãe qual era o problema do menino.

A mãe disse que ele teve a mão, o peito e as pernas queimados acidentalmente. “Eu o carreguei para o hospital”, disse ela, “e eles pioraram a situação; agora, vou levá-lo para casa”.

Enquanto a mãe conversava, a Auxiliar Invisível tranquilizava o menino, ele logo ficou quieto e dormiu. Um homem que estava próximo disse à Auxiliar: “Sua presença parece ter um efeito calmante sobre ele, porque ele dormiu”.

Um Auxiliar Invisível pediu para ver como o garoto se queimou e foi tratado no hospital. Eles então viram, por meio da Consciência Jupiteriana, como ele foi ao celeiro, pegou um pouco de palha, feno e outras coisas para queimar. Ele tinha sido enviado para limpar o local. Enquanto estava de pé ao lado do fogo, seu macacão esfarrapado se incendiou. Ao tentar apagar o fogo, as mangas da roupa foram queimadas. O menino ficou aterrorizado e correu para a casa, chamando a mãe. Todas as suas roupas estavam em chamas, nessa hora.

Sua mãe o envolveu em um cobertor e o levou para o hospital, onde ele recebeu tratamento. Ele e sua mãe ficaram no hospital por uma semana. O médico não forneceu o tratamento adequado e as enfermeiras não embeberam os curativos. Isso piorou o estado das feridas e o menino ficou mais fraco. Lágrimas surgiram nos olhos da Auxiliar Invisível e ele disse: “Senhora, você é muito simpática. Com ajuda dos Superiores eu o ajudarei”.

A Auxiliar Invisível pediu a mãe para retirar os curativos das mãos e braços do menino, já que estavam bons. “Não, senhora”, respondeu a mãe, “você está deixando que seus sentimentos lhe enganem”.

A essa altura, o garoto havia acordado. “Mamãe”, ele disse, “eu me sinto bem e nada me machuca. Veja, eu posso mover meus braços”.

Sua mãe removeu os curativos e viu que seus braços e mãos estavam lisos e brancos. Sua pele estava curada e não havia cicatrizes. Todas as pessoas por perto estavam surpresas.

“Senhora, coloque as mãos sobre a minha cabeça, porque isso me faz sentir muito bem e vejo pessoas bonitas, quando fecho os olhos”, disse o garoto à Auxiliar. “As pessoas parecem ouro. Não, eles parecem prata. Não, eles se parecem com ouro e prata juntos e têm asas, porém não se movem. Veja! Existem alguns pequenos.”

O garoto viu, na Região Etérica, algumas Fadas e Auxiliares Invisíveis que lá estavam.

O trem chegou e os dois Auxiliares Invisíveis colocaram a criança e a mãe nele. Então eles despediram-se e foram embora, deixando-os muito felizes.

* * *

Nossa próxima história fala sobre uma garota, um gato, um pássaro e como foram salvos de um incêndio. Em uma noite, dois Auxiliares Invisíveis chegaram a um incêndio e viram por uma porta de vidro uma garota de 12 anos de idade cujas roupas estavam em chamas. Ela tentava sair, mas o fogo estava ao seu redor. Ninguém iria socorrê-la e o corpo de bombeiros não estava lá. Um Auxiliar Invisível perguntou se poderia salvá-la e lhe disseram para fazê-lo. O Auxiliar Invisível atravessou a parede, disse às Salamandras que deixassem a garota e as chamas se apagaram. O Auxiliar Invisível abriu a porta, levou a garota para fora e um homem a colocou em um automóvel para levar ao hospital.

O Auxiliar Invisível voltou à casa em chamas e resgatou o pai e a mãe. Antes que a mãe ficasse inconsciente, ela disse: “Salve minha filha, seu gato e o pássaro no andar de cima, nos fundos”.

Nesse momento, o telhado já estava caindo, porém, os Auxiliares Invisíveis encontraram o gato no chão. Estava arisco por medo porque foi cortado. O Auxiliar Invisível chamou o gato. Ele aproximou-se dele e foi pego. Então o Auxiliar Invisível resgatou o canário. Depois disso, o Auxiliar Invisível saltou da janela e colocou o gato e o pássaro ao lado da mãe e do pai. Os Auxiliares Invisíveis foram embora, ao hospital para ver a garota.

A garota estava na sala de exames, quando os Auxiliares Invisíveis entraram. Ela apontou para o Auxiliar Invisível e disse: “Ele me salvou”.

“Sim, criança, eu lhe salvei e lhe curarei”, ele prometeu.

“Estou muito machucada”, a garota disse, fracamente.

O Auxiliar Invisível ouviu o médico dizer que ela iria morrer.

“Ela é boa demais para morrer”, disse o Auxiliar. Ele pegou a criança, expandiu a própria aura e pediu que ela fosse curada.

A enfermeira e o médico recuaram, espantados. O Auxiliar Invisível entregou a menina à Auxiliar Invisível. Ela também expandiu sua aura e rezou para que a garota fosse curada. Quando a colocou no chão, a menina estava bem, feliz e sorridente.

[1] N.T.: St. Louis ou Saint Louis é uma cidade localizada no estado americano do Missouri, na fronteira com o estado do Illinois, nos Estados Unidos.

[2] N.T.: Segundo Céu

[3] N.T.: Purgatório

[4] N.T.: veja Bíblia: Dn 13:9

[5] N.T.: em torno de 1600 km

[6] N.T.: ou irmãos menores

[7] N.T.: cerca de 40 km.

[8] N.T.: cerca de 2,5 Kg.

[9] N.T.: aproximadamente 6 Km

[10] N.T: aproximadamente 4 Km

[11] N.T.: aproximadamente 305 m

[12] N.T.: Rm 12:19

Capítulo IV – Mais Atividades dos Auxiliares Invisíveis

Aqui está uma história incomum que trata de um Auxiliar Invisível que utilizou um cão com ventríloquo para ajudar um homem e sua família.

Certa noite, dois Auxiliares Invisíveis passavam por uma cidade do leste e viram que uma mulher estava parada em frente a uma taberna com dois filhos e um cachorro da raça Collie. Os Auxiliares Invisíveis desceram e foram até eles. E um dos Auxiliares Invisíveis perguntou à mulher o que havia acontecido, e ela disse: “Estou esperando meu marido sair para que eu possa pedir algum dinheiro para ele para comida. Do contrário, ele irá beber até não poder mais”.

O Auxiliar Invisível perguntou a alguém à distância, por meio do pensamento, se ele poderia ajudar a mulher, e então, foi autorizado a fazê-lo.

– O cachorro pode fazer alguns truques? – Perguntou o Auxiliar Invisível.

– Sim – respondeu o menino.

O Auxiliar Invisível descobriu que o cão sabia vários truques. “Isso é tudo que eu quero saber” – disse ele. Então o Auxiliar Invisível disse ao cão para ir até o seu dono. O cão entrou na taverna e foi até o pai do menino. O Auxiliar Invisível disse ao cão para se sentar, e ele obedeceu.  “Senhor, por favor, pare de beber e volte para casa” – disse o Auxiliar Invisível que estava perto do cachorro. “Eles precisam de você e de seu dinheiro, e eu gostaria de obter mais ossos”.

O Auxiliar Invisível havia somente materializado o suficiente de seu corpo físico para falar, e o homem não o viu.

O marido da mulher virou–se e olhou para o cão sentado. Então, o Auxiliar Invisível falou novamente e disse: “Senhor comerciante – o dono da taverna – você está errado em levar todo o dinheiro desse homem que tem uma família e você sabe disso. Venha, senhor, estamos esperando por você lá fora”.

O homem saiu e viu sua família, e se sentou na entrada da taverna. Ele deu para sua esposa todo o seu dinheiro, e depois se levantou e foi para casa.

Este homem estava bêbado antes que o cachorro falasse, mas a experiência o deixou sóbrio rapidamente. Quando os Auxiliares Invisíveis chegaram a sua casa, ele já estava lá, e se encontrava tremendo como uma folha. O cachorro aproximou–se dele, e o Auxiliar Invisível disse: “Obrigado, senhor, por voltar para casa, agora posso ter mais ossos” – e ele foi embora.

O homem ficou pálido. Um Auxiliar Invisível pediu a outra Auxiliar Invisível que dissesse a ele que tinha sido avisado para parar de beber e que ele deveria tomar conta de sua família. A Auxiliar Invisível disse ao homem, e ele prometeu que o faria.

– “O que fez o cachorro falar?” – a esposa perguntou ao visitante.

– “Ele foi usado como um meio para fazer o seu marido saber que estava na hora de parar de beber e cuidar de sua família” – disse o Auxiliar Invisível. “Ele não acreditaria em nenhum ser humano”.

O Auxiliar Invisível disse à esposa de que se ele bebesse novamente, ele poderia ter um derrame.

Os Auxiliares Invisíveis pensaram que ele poderia ter um acidente vascular cerebral a qualquer momento, ou que ele poderia ter delirium tremens[1].

– “O que aconteceu com o homem que estava com você? – Perguntou a esposa à Auxiliar Invisível. “Ele ficou assustado e fugiu?”.

– “Não – disse a Auxiliar Invisível. “Ele tinha outro trabalho a fazer”. Depois disso, a Auxiliar Invisível brincou por alguns minutos com o Collie, e depois partiu.

Aqui está outra história de como um homem foi ajudado. Dois Auxiliares Invisíveis estavam em um dos estados do sul, onde encontraram um homem que tinha perdido todas suas chaves em um canal. Ele estava parado na margem do canal, com o maço de chaves na mão, conversando com sua esposa. Quando ele apontou para o outro lado do canal, as chaves escaparam de sua mão e caíram na água barrenta. Ele não tinha outras chaves, então, eles ficaram trancados para fora de sua casa.

O homem começou a orar pedindo ajuda para tê-las de volta. Ele marcou o lugar onde estava com um pedaço de madeira preso ao chão. Os Auxiliares Invisíveis foram até ele, e ele lhes contou o que tinha acontecido: “Nós estamos hospedados em uma casa de campo no hotel” – disse o homem, “e todo o nosso dinheiro está em nossa mala de viagem. As chaves estão no fundo do canal, e eu não sei como pegá-las. Se você pegar minhas chaves, eu lhe darei cem dólares”.

O homem preocupado achava que o Auxiliar Invisível era alguém que vivia por perto.

Se as chaves não forem recuperadas agora – disse a senhora Auxiliar Invisível – “elas podem afundar na lama, e pela manhã pode ser impossível encontrá-las. A água está a 1 metro e meio de profundidade neste lugar”.

– “Eu não consigo ver as chaves agora, e é muito escuro para tirá-las antes da manhã” – disse o homem.

– “Pegue as chaves para ele” – disse a senhora Auxiliar Invisível.

O Auxiliar Invisível deslizou na água, estendeu a mão e pegou as chaves e subiu com elas e as entregou ao homem que estava muito surpreso e sem palavras.

– “Como você enxergou minhas chaves, e como você poderia respirar na água enlameada?” – Perguntou o homem surpreso.

– “Não preste atenção nisso, mas seja gentil e útil para todos que você conhece” – disse o Auxiliar Invisível.

– “Tento ser” – respondeu o homem. “Venha me ver amanhã, e eu lhe darei os cem dólares”.

Os Auxiliares Invisíveis se foram, e é claro que eles nunca mais voltaram para ver o homem; pois não o ajudaram por qualquer recompensa. Estes Auxiliares Invisíveis gostam de andar por aí ajudando pessoas e animais. Na manhã seguinte ao acordarem, os dois Auxiliares Invisíveis lembraram claramente dessa história.

Aqui está uma história de como uma senhora foi ajudada.

Ela estava rezando para que ela pudesse ficar bem e que seu filho parasse de beber tanto.

Os Auxiliares Invisíveis foram enviados para ajudá-la.

Quando eles estavam trabalhando nos veículos invisíveis dela, o filho chegou em casa bêbado e começou a fazer muito barulho.

Um Auxiliar Invisível disse a ele que ele não deveria ficar bêbado e que ela queria que ele ficasse quieto, porque sua mãe estava muito doente e não seria capaz de se levantar.

O filho então tornou–se agressivo e o Auxiliar Invisível pegou ele com firmeza e o colocou para fora de casa.

Estava uma noite fria e ele logo ficou sóbrio e suplicou para deixá-lo entrar. A Auxiliar Invisível o deixou entrar, e ele ouviu o que ela tinha para dizer. A Auxiliar Invisível disse a ele que ele poderia morrer se não se não se emendasse. O homem pediu que a Auxiliar Invisível provasse quem ela era e ela expandiu sua aura e, então, desapareceu.

Ela foi para um quarto próximo, se materializou e voltou para onde ele estava.

– “Certamente eu devo estar falando com um Anjo, pois humanos não fazem o que ela fez” – o atônito homem disse.

– “Eu me pergunto se estava sonhando ou vendo coisas”.

A Auxiliar Invisível estava atrás dele, e lhe falou claramente: “Não, você não está sonhando”.

E no que o homem se virou era como se ele tivesse levado um pontapé.

– “Por favor, Anjo, ele disse, tenha misericórdia de mim, eu farei de mim um homem e pararei de beber”.

O segundo Auxiliar Invisível também estava presente, e ele disse a ela para colocar sua mão na cabeça do homem para dar a ele energia, pois ele estava tremendo como uma folha.

Este homem cumpriria sua promessa, pois os Auxiliares Invisíveis atenuaram nele o desejo por bebida.

Um grande evangelista uma vez disse em sua congregação duas histórias similares a esta.

Em cada caso o homem, que era um beberrão, orou por ajuda, e o desejo por bebida forte o deixou completamente.

Estudantes de Ocultismo sabem que um Irmão Leigo ou Irmã Leiga pode eliminar o um desejo de um ser humano, de modo que esse nunca mais vai querer se intoxicar com bebidas novamente.

Aqui está como uma oração feita por um homem chinês pedindo ajuda foi atendida. A dois Auxiliares Invisíveis foram mostrados um chinês que estava doente com paralisia. Também lhes mostraram como ajudá-lo. Os Auxiliares Invisíveis foram até o homem que tinha, em torno de, 55 anos. Eles o encontraram tremendo.

– “Oh, Anjo! Tu poderoso e único, ajude–me, um pobre verme do pó” – disse o pobre homem. “Eu sou dócil e humilde. Eu estou desta maneira a 25 anos, e ninguém mais pode me ajudar. Ajude–me, tu poderoso Anjo”.

– “Você é casado?” – Perguntou o Auxiliar Invisível.

– “Não” – Ele respondeu.

– “Você é pobre?” – Ela perguntou a ele.

– “Eu tive em abundância, mas as guerras e meu irmão me tiraram tudo” – ele replicou. “Se eu fosse um homem de boa saúde, eu poderia conseguir tudo de volta. Eu tenho rezado por 10 anos para Deus me curar”.

– “Se você se tornar bom, você seria um bom homem e seria amável com todas as coisas vivas e ajudaria todas as pessoas que você pudesse?” – A Auxiliar Invisível perguntou. “Você ajudaria igualmente os animais e as plantas?”.

– “Minha Religião ensina isso” – o chinês respondeu.

– “Qual é a sua religião?” – A Auxiliar Invisível perguntou.

– “Confucionismo era minha religião até 10 anos atrás” – ele respondeu.

– “Agora eu acredito na Religião Cristã. Eu tenho rezado, mas não tenho recebido ajuda, e tenho perdido tudo que eu tinha”.

– “Isto não pode ser uma dívida do passado que você está pagando?” – A Auxiliar Invisível indagou.

– “Eu não sei” – ele disse, “eu vivi antes?”.

– “Com todo o seu estudo, você não sabe sobre renascimento?” – Ela perguntou.

– “Sim, eu li sobre isso quando eu era jovem, mas eu não estava interessado nisso” – ele disse. “Se você me ajudar, eu farei qualquer coisa, absolutamente, que você pedir. Eu quero ir para a América”.

A Auxiliar Invisível perguntou para alguém à distância se eles poderiam ajudar este homem doente, e eles disseram que eles poderiam ajudá-lo.

O homem disse que durante a guerra com o Japão o telhado de sua casa tinha sido alvejado, mas ele não se machucou, e os soldados não o tinham aborrecido, nem o roubado. Os Auxiliares Invisíveis ajudaram o chinês a se erguer e cambalear pelo quarto, caindo de joelhos em frente a Auxiliar Invisível.

– “Poderoso Anjo” – ele disse, “este modesto verme do pó agradece. Possa Deus abençoá-la.

A Auxiliar Invisível tentou explicar que eles eram Servos de Deus, mas o chinês não acreditava nisso.

– “Vá chamar meu servo no outro quarto para vir aqui” – ele disse para o Auxiliar Invisível.

O Auxiliar Invisível desceu até a área da entrada da casa, num caminho curto e entrou em um quarto onde encontrou uma mulher chinesa de boa aparência. Ele disse a ela que o homem queria vê-la. A mulher correu para o quarto e se curvou ante ele.

– “Verme do pó” – o chinês disse para ela, “ vá pegar minhas roupas”.

– “Basta!” – Disse o Auxiliar Invisível. “De agora em diante que ninguém se curve para você. Chame-a pelo seu nome. Já que você é um Cristão de fé, não pode ter escravos”.

O Auxiliar Invisível sugeriu um nome sutil, no qual o homem gostou. “Eu a chamarei assim” – ele disse.

– “Agora desde que você esteja bem, se você gosta dela, case–se com ela, de acordo com os costumes chineses e a trate como sua esposa e não como sua serva” – o Auxiliar Invisível disse. “Seja honesto com ela, e diga por favor quando você pedir a ela para fazer alguma coisa para você. Dê a ela algum dinheiro para gastar com ela mesma”.

O Auxiliar Invisível disse para a mulher que tudo que ele tinha dito se aplicava a ela também.

– “Eu lhe agradeço” – ela disse.

– “Eu estou bem?” – O homem perguntou.

– “Sim, mas você deve sempre cumprir sua promessa; tenha modos e seja prestativo com todos os seres vivos”.

Ambos os chineses prometeram que eles cumpririam. O homem não podia acreditar que ele estava curado, e ele não parava de se examinar para se certificar que estava tudo bem.

Os Auxiliares Invisíveis partiram da China e retornaram ao seu país de origem.

Um dia, os Auxiliares Invisíveis encontraram uma jovem, que era prisioneira, que tinha solicitado ajuda deles.  Havia cinco anos que esta jovem e seus pais estavam orando pedindo ajuda. A menina estava em algum lugar nas montanhas num prédio velho e bem construído, mas num país vizinho. Os Auxiliares Invisíveis a encontraram no porão dormindo em cima de um pouco de palha. Eles a acordaram.

– “Por favor, deixe–me ir para casa, pois estou morrendo” – disse ela.

– “Quanto tempo você esteve aqui?” – Perguntou um dos Auxiliares Invisíveis.

– “Não sei” – disse ela. “Fui trazida para cá em agosto de 1931. Minha casa fica na costa oeste. Eu fui transferida de lugar umas cinco ou seis vezes desde que fui sequestrada. Uma mulher me traz as refeições, mas eu não tenho comida suficiente, e eu estou lentamente morrendo de fome”.

A mulher contou aos Auxiliares Invisíveis onde ficava sua casa. Ela já fora muito bonita, mas sua aparência, atualmente, era pele e osso.

Os Auxiliares Invisíveis olharam ao redor para ver uma maneira de tirá-la dali. Eles não encontraram nenhuma maneira; porém um Auxiliar Invisível pegou na sua mão e chamou a mulher que lhe trazia comida.

– “Quem trouxe essa moça aqui?” – Perguntou o Auxiliar Invisível.

– “Eu não sei onde estão os dois homens, mas o patrão está lá em cima” – disse ela. “Ele nunca desce aqui”.

O Auxiliar Invisível enviou uma chamada mental para o sequestrador, que chegou armado. Ambos, o homem e a mulher, ficaram tão agitados que eles mal sabiam sobre o que estavam falando.

O homem disse que tinha raptado a moça por dinheiro, mas que não havia conseguido nada. Então ele decidiu mantê-la prisioneira até morrer. Assim, ele levaria seu corpo para casa e o colocaria na varanda da casa de seus pais à noite.

– Nós viemos para levá-la para casa – disse o Auxiliar Invisível. “Pegue algumas roupas para ela”.

O homem malvado riu. “Bem, vocês podem morrer como ratos” – disse aos Auxiliares Invisíveis.

Ele levantou sua arma para atirar num dos Auxiliares Invisíveis, mas eles pediram para as Salamandras[2] ou Espíritos do fogo que aquietassem o fogo; então, sua arma somente clicou. O Auxiliar Invisível pegou a arma do homem que estava assustado e tremendo de medo. O Auxiliar Invisível lhe solicitou, enfaticamente, para encontrar algumas roupas para a mulher e também trazer cobertores grossos. Pediram a mulher que lhe trazia comida para que fosse com o homem para buscar as coisas que eram necessárias.

Os dois saíram e trancaram a porta. “Agora vocês três podem morrer” – gritou o homem malvado e saiu.

A jovem começou a chorar, e os Auxiliares Invisíveis lhe disseram que iriam tirá-la dali. Os Auxiliares Invisíveis desapareceram e subiram para o salão onde estavam o homem e a mulher, se materializaram diante deles e exigiram as roupas. O homem estava paralisado de medo. “Pegue algumas roupas dela e um cobertor, e dê quinhentos dólares” – disse ele. “Não. Dê a ela mil dólares e a deixe ir”.

A Auxiliar Invisível pegou as roupas e o cobertor. “Ninguém nos impedirá, uma vez que podemos atravessar qualquer coisa” – disse ela.

Os Auxiliares Invisíveis desceram até o porão e abriram a porta. Vestiram a mulher e a levaram para cima, embrulhada no cobertor. No topo das escadas, eles foram recebidos por dois cães grandes e ferozes. Os cães começaram a se arrastarem em direção aos Auxiliares Invisíveis sobre seus estômagos, e eles choramingaram ao invés de rosnar. O Auxiliar Invisível solicitou ajuda para tirar a moça da casa, pois achava que os guardas poderiam começar a atirar neles e podia ferir a moça. O outro Auxiliar Invisível disse que não precisaria de nenhuma ajuda.

Os Auxiliares Invisíveis disseram às Salamandras para aquietassem o fogo até que eles saíssem. Eles enrolaram a mulher no cobertor e saíram pela porta. Eles criaram uma espécie de escudo em forma de nuvem ao redor dela por meio do pensamento. Depois disso, os Auxiliares Invisíveis flutuaram no ar e a levaram para a pequena cidade onde ela morava, a deixando em segurança em casa, com seus pais.

– “Agora vou voltar para aquele lugar para ver se há mais gente mantida em cativeiro” – disse o Auxiliar Invisível a seu companheiro. A Auxiliar Invisível disse que ela também iria. Quando os Auxiliares Invisíveis voltaram à casa do sequestrador, o homem estava conversando com a mulher.

Um Auxiliar Invisível apareceu na sala e perguntou ao homem se havia mais prisioneiros naquele lugar e ele disse: “Sim”.

– “Mostre–nos onde eles estão”.

O homem foi a um quarto, destrancou uma porta, e disse aos Auxiliares Invisíveis que havia uma mulher no armário na outra sala.

Os Auxiliares Invisíveis começaram a atravessar o chão. Quando chegaram ao centro da sala, o homem ergueu uma porta de armadilha, e os Auxiliares Invisíveis entraram em um lugar escuro. Um Auxiliar Invisível gritou e agarrou o outro, pois ela tinha esquecido que não estava em seu corpo físico e, portanto, não podia ser ferida.

– “Acalme–se” – disse o Auxiliar Invisível. “Nada podem te machucar”.

– “Eu tenho medo” – a senhora Auxiliar Invisível respondeu a ele.

– “Vá para casa” – disse seu companheiro.

– “Me leve para fora e eu irei” – ela respondeu. Nesse momento, ela viu alguns crânios. “Oh! Olhe para esses crânios” – ela disse. “Olha! São quatro”.

– “Sim, quatro pessoas pagaram o preço” – disse ele. “Venha, vamos sair daqui”.

Os Auxiliares Invisíveis se desmaterializaram rapidamente, retornaram até o homem e se materializaram.

– “Não queremos mais confusão, companheiro” – disse o Auxiliar Invisível.

O homem deu um salto, assustado.

– “Sim, seu tempo acabou, e eu tenho um lugar para você” – disse o Auxiliar Invisível.

– “Eu não quero morrer” – disse o homem com muito medo. “Eu te darei um milhão de dólares para me salvar”.

– “Eu não posso fazer nada” – disse o Auxiliar Invisível. “Olhe para sua vida, e veja o que você fez”.

O homem começou a contar e disse: “Eu sou culpado de sete assassinatos. Olhe para as pessoas que eu chicoteei e roubei! Olhe para todo o gado que já envenenei e as casas que eu queimei! Razão pela qual, eu não fiz nada de bom!”. E ele caiu morto.

Este homem malvado estava revendo os acontecimentos que ele tinha feito durante sua vida, pouco antes de morrer, até quando ele era um bebê. Chamamos isso de panorama da vida.

Os Auxiliares Invisíveis levaram o homem para a região fronteiriça, que é uma região entre o Primeiro Céu e o Purgatório.

– “Levem–no para próximo da atmosfera da Terra” – disse um dos responsáveis. “Mantenha sua companheira perto de você. Não, melhor deixa-la aqui”.

– “Eu quero ir” – disse a Auxiliar Invisível.

O Auxiliar Invisível a manteve do seu lado, e eles levaram o homem para baixo. O que eles viram foi muito terrível para se colocar em palavras, e nenhum dos dois Auxiliares Invisíveis desejou ir àquela região nunca mais. Esse homem maligno tinha criado todos os tipos de entidades enormes, feias e ferozes, por meio dos seus maus pensamentos e ações.

Essa história nos faz lembrar um dos Auxiliares Invisíveis nas palavras de Cristo Jesus no Evangelho segundo São Mateus, Capítulo 16, versículos de 26 a 27: “De fato, que aproveitará ao homem se ganhar o mundo inteiro mas arruinar a sua vida? Ou que poderá o homem dar em troca de sua vida? Pois o Filho do Homem há de vir na glória do Seu Pai, com os Seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com o seu comportamento”.

Aqui mostra como uma senhora foi salva de se afundar numa areia movediça no México. Dois Auxiliares Invisíveis estavam passando perto de uma colina no Oceano Pacífico. Eles olharam para baixo e viram um carro parando. Os passageiros desceram e caminharam até a beira de um penhasco para apreciar a bela vista.

De repente, a terra cedeu e uma das mulheres escorregou ladeira abaixo. Ela foi parar dentro de um buraco de areia movediça, e começou a afundar na lama fofa/macia. Tinha chovido e a encosta estava molhada. A mulher logo descobriu que era impossível sair dali. Ela se afundava mais a cada esforço na tentativa de se levantar. A mulher estava a cerca de 10 metros do alto do penhasco. A mulher gritou por ajuda e orou para que alguém pudesse salvá-la, pois ela estava afundando lentamente. Seus amigos estavam tentando buscar alguma maneira de ajudá-la, mas foi em vão.

Os Auxiliares Invisíveis se materializaram; e desceram até a mulher e um Auxiliar Invisível segurou seu braço direito e o outro segurou seu braço esquerdo, e puxaram a mulher para fora da areia movediça, que parecia uma lama macia e escorregadia. Então, os Auxiliares Invisíveis conduziram a mulher assustada para junto de seus amigos do penhasco.

É estranho como poucas pessoas acreditam ser possível para alguns indivíduos terem vidas normais e úteis e quando vão dormir deixarem seus corpos físicos em suas camas; de tal modo que eles saem em seus corpos etéricos e ajudam pessoas e animais sob um sistema organizado realizado por Seres Avançados que formam uma longa fila de Auxiliares Invisíveis.

Esses Auxiliares Invisíveis são constituídos como Deus, os quatro Senhores do Destino, verdadeiro Seres de outros Planetas, Liberados, Irmãos Maiores, Arcanjos, Anjos, Irmãs e Irmãos leigos, Auxiliares Invisíveis e, finalmente, pessoas que vivem vidas normais aqui entre nós. Muitos dos estudantes inscritos em várias das Escolas de Mistérios formam grupos de Auxiliares Invisíveis que participam desse trabalho. Eu não quero dizer simplesmente que, por ser um estudante, qualquer pessoa poderá participar uma vez nesse trabalho. São necessárias certas qualificações.

Uma pessoa deve desenvolver o seu Corpo-Alma até certo ponto antes de poder deixar seu corpo físico e viajar em seu Corpo-Alma. Ela deve ser sincera em seu desejo de ajudar os outros e deve também se esforçar em adquirir o conhecimento em linhas espirituais. Deve ser absolutamente destemida, altruísta e desejar sabedoria que possa usá-la em benefício aos demais e não com a finalidade de ganhar dinheiro. Ela não deve vender esse conhecimento. Ela deve dá-lo gratuitamente se desejar manter o canal aberto para que possa receber mais e com instruções melhores. Se uma pessoa busca adquirir conhecimento oculto e se recusa a transmitir seu conhecimento a outros, ela, por sua vez, fechará a fonte do conhecimento. O que você recebeu gratuitamente, você deve dar gratuitamente aos outros.

Um dia uma estudante de ocultismo tentou falar a um homem de negócios, de idade avançada, algo sobre verdades ocultas.

– “Eu não acredito nisso” – ela disse.

Que provas você pode me dar?

– “Você acredita em Deus?” – Ela perguntou, e o homem de pronto respondeu “sim”.

Veja, alguma coisa dentro dele reconhecia que há um Deus e que ele é uma parte de Deus.

Este homem tinha vivido muitos anos e sabia que deve ter um Deus tomando conta do nosso mundo.

A estudante perguntou se ele acreditava em Anjos.

– “Eu não” – ele replicou.

Se a pessoa não acredita em Anjos, em geral, é completamente em vão esperar que a pessoa acredite em Auxiliares Invisíveis, ou que nós vivemos após a morte e que renascemos, aproximadamente, a cada mil anos.

A Bíblia tem tantas histórias de Anjos como algo formidável, que uma pessoa pode apenas acreditar nisso, sem acreditar que Anjos atualmente existem.

Por outro lado, se a pessoa acredita em Anjos, fica menos difícil para explicar os ensinamentos Ocultos e Místicos para ele. Algumas pessoas acreditarão nos ensinamentos superiores, porque eles satisfazem uma real necessidade para elas. Outros precisam ter uma prova real. Muitas pessoas têm tido provas que existem Anjos, Arcanjos e Auxiliares Invisíveis; e eu espero que o leitor os vejam alguma vez, também.

Aqui está uma história de uma menina que foi ajudada por meios da cura espiritual definitiva. Dois Auxiliares Invisíveis foram conduzidos a certo lugar na Europa, onde uma menina estava pedindo por ajuda. Eles foram até ela e viram uma menina muito simples que estava chorando porque sua boca estava deformada.

Depois que ela contou sua história, um dos Auxiliares Invisíveis disse: “pegue um pouco farinha e água para fazer uma pasta, e vamos tentar melhorar seu rosto”.

A menina pegou a farinha, a água e uma toalha. Foi-lhe dito para se deitar. E depois de ter deitado, a Auxiliar Invisível colocou a toalha debaixo de sua cabeça. A Auxiliar Invisível fez uma pasta de farinha e água e colocou em seu rosto espalhando nele até secar.

Enquanto massageava sua face, a força curadora de Deus foi enviada a ela através do outro Auxiliar Invisível, e a boca dela voltou ao normal. Quando a pasta secou por completo, a Auxiliar Invisível a retirou e pediu que ela fosse lavar seu rosto. Ela o fez rapidamente e olhou no espelho. Ela disse que seu rosto estava maravilhosamente claro e limpo e sua boca estava como antes. Sua alegria não tinha limites.

– Quem fez isto? – Ela perguntou.

O primeiro Auxiliar Invisível apontou para a segunda Auxiliar Invisível, e a menina correu para ela e a beijou. Então, a menina agradeceu aos dois Auxiliares Invisíveis por tudo que tinham feito por ela. Depois de pedirem a ela para ir à igreja e ser uma boa menina, os Auxiliares Invisíveis saíram e continuaram com suas atividades.

Uma noite, alguns Auxiliares Invisíveis salvaram um homem da morte por afogamento. Eles foram enviados para salvar um homem num navio entre a França e a Inglaterra.

No navio estavam dois homens e uma mulher que tinham planejado roubar o homem e atirá-lo ao mar.

Um dos conspiradores, a mulher, o estava seguindo pelo navio.

Ele estava rezando para Deus salvá-lo, porque sentiu que estava sendo observado constantemente e estava tremendo.

Os Auxiliares Invisíveis falaram com ele em seu pequenino quarto no navio.

Um Auxiliar Invisível disse para ele manter seus papéis de valor e dinheiro juntos. Ele os tinha escondido entre dois colchões em seu beliche.

O Auxiliar Invisível colocou um cobertor na cama, e o homem se deitou nele. Então eles puseram seus pertences nas mãos e sobre ele e o envolveram cuidadosamente.

Eles abriram a porta, carregaram o homem para fora e o levaram até a uma praia, no país no qual ele gostaria de ir e o deixaram num lugar seguro.

Isso parecia uma história de fadas, mas realmente aconteceu.

Auxiliares Invisíveis podem reverter a força da gravidade, assim objetos pesados podem voar pelos ares e podem ser carregados adiante facilmente pelos Auxiliares Invisíveis, que podem se materializar todo ou parte de seus corpos, quando eles precisarem fazer, desta forma, no decorrer de suas atividades.

O Sr. Max Heindel, em seu folheto, A INTERPRETAÇÃO MÍSTICA DA PÁSCOA se refere à materialização quando, ao falar de Cristo Jesus, ele diz: “Ao morrer o Corpo Denso de Jesus, os Átomos-semente retomaram ao seu primitivo dono. Durante os três anos de intervalo entre o batismo, em que ele abriu mão de seus veículos, e a crucificação, quando pôde reaver os Átomos-semente, Jesus formou um veículo etérico, do mesmo modo que um Auxiliar Invisível junta matéria física sempre que se faça necessário materializar um corpo ou parte dele. Contudo, matéria que não corresponda ao Átomo-semente não pode ser utilizada de modo permanente: desintegra-se tão logo desapareça a força de vontade que a atraiu. Portanto, aquilo foi para Jesus apenas um expediente de ocasião”.

Muitos outros escritores que tratam dos ensinamentos ocultos contaram sobre as coisas maravilhosas que os Auxiliares Invisíveis fizeram. Muitas dessas histórias foram disfarçadas de várias maneiras. Depois de um tempo, o aspirante fiel aprende a interpretar o verdadeiro significado dessas histórias verdadeiramente maravilhosas que inspiraram a humanidade ao longo dos tempos.

Uma noite de novembro, dois Auxiliares Invisíveis foram a um lugar na América do Sul onde encontraram, em uma grande árvore, uma mamãe esquilo e seus bebês. Os esquilos estavam magros e com fome, pois a comida era muito escassa. Um Auxiliar Invisível disse a mamãe do pequeno esquilo, de olhos bem brilhantes, que os levariam para um lugar onde ela pudesse conseguir mais alimento.

O Espírito-Grupo mostrou aos Auxiliares Invisíveis para onde deveria levar os esquilos. Os Auxiliares Invisíveis os levaram a uma fazenda que ficava a cerca de 24 quilômetros dali e lá teriam facilidade em conseguir alguns vegetais verdes e milho em um silo. O fazendeiro, que era um homem gentil, certamente não machucaria os esquilos. O Espírito-Grupo disse para os Auxiliares Invisíveis que eles poderiam ficar lá.

A seguinte história é bastante diferente, mas ilustra bem o trabalho dos Auxiliares Invisíveis. Uma noite, alguns Auxiliares Invisíveis foram enviados a uma terra estrangeira para salvar um jovem que morava numa casa com vista para uma bela represa. No caminho, os Auxiliares Invisíveis passaram por um país montanhoso que, em determinados lugares, era muito bonito. Muitas guerras aconteceram naquela parte do país. Os Auxiliares Invisíveis chegaram a casa que havia sido mostrado e receberam instruções de Seres Elevados para executar sua missão naquela noite. À medida que os Auxiliares Invisíveis desceram avistaram dois cordeiros bonitos e um cão pastor no pátio, em frente da casa. Um dos Auxiliares Invisíveis foi vê-los, aproximando-se.

Um pouco antes dos Auxiliares Invisíveis chegarem ao local, alguns soldados encontraram um rapaz, um jovem aparentando uns dezoito anos, que vivia com suas três irmãs. Ele tinha ido à cidade para comprar suprimentos e estava voltando para casa. Os soldados iriam atirar no jovem por ser antipatriota. A um dos Auxiliares Invisíveis foi solicitado que levasse esse jovem assustado a uma casa e que construísse um campo de proteção invisível ao seu redor e o aconselhasse a ficar longe do seu lar por um tempo.

No exato momento em que os soldados estavam prontos para matá-lo, o Auxiliar Invisível agarrou o jovem, o suspendeu no ar e depois o levou para tal casa. O outro Auxiliar Invisível assistiu a tudo isso e na manhã seguinte, quando acordou, lembrou de tudo com clareza.

Os soldados estavam muito confusos e surpresos; pois quando atiraram no jovem viram o Auxiliar Invisível afastando-o com segurança. A Auxiliar Invisível perguntou ao jovem se saberia explicar como ele atravessou a casa tão rapidamente.

“Não, você viu?”, ele perguntou.

Então o Auxiliar Invisível explicou como foi feito. Ela lhe contou como foi conduzida a situação e falou sobre os Auxiliares Invisíveis e seu trabalho – como eles fazem e como eles podem ter controle sobre os Corpos físicos suspensos no ar. O jovem estava muito interessado.

O Auxiliar Invisível lhe disse que tinha sido enviado para ajudá-lo porque ele tinha um trabalho a fazer pelo seu povo.

“Eu simplesmente não consigo entender como você me pegou e me levantou tão rápido pelo ar e me desceu tão facilmente”, disse o jovem. “Eu tive até dificuldade em respirar”.

“Oh, seu trabalho é maravilhoso!”

Então, o Auxiliar Invisível disse ao jovem para deixar o seu lar e que nada de mal ocorreria com suas irmãs ou a seus animais de estimação. O jovem foi embora imediatamente.

Os Auxiliares Invisíveis entraram na casa e conversaram com suas três irmãs. Uma delas tinha sido uma enfermeira do exército por dez anos, depois disso, manteve-se em casa. A irmã mais nova tinha um tipo de debilidade mental incurável e nunca tinha frequentado uma escola. Os Auxiliares Invisíveis queriam ajudá-la, mas foram informados que não podiam ajudá-la, uma vez que tinha lições a aprender. Os pais estavam mortos, e as irmãs e seu irmão se apropriaram daquele lugar e foram informados de que não deveriam se preocupar.

Os Auxiliares Invisíveis perceberam um empregado que estava tentando ajudar um cachorro de estimação que estava doente. O cachorro estava enrolado em um cobertor acolchoado e deitado numa cama no chão. Ele estava constipado e tinha febre. Os Auxiliares Invisíveis curaram o cachorro, que, em seguida, logo levantou e correu.

A essa altura, os cordeiros tinham sido levados ao porão, onde seriam guardados. Uma irmã disse que eles deixavam os cordeiros se alimentarem de capim no quintal várias vezes por dia e, então, os guardavam, pois queriam protegê-los dos soldados que passavam por lá.

Uma noite dessas, Auxiliares Invisíveis foram enviados para um país na Europa, onde ainda era dia, para evitar que soldados matassem algumas mulheres e crianças.

Os Auxiliares Invisíveis mandaram as Salamandras silenciarem. Então eles disseram às mulheres para irem para um país vizinho, e as ajudaram até chegarem lá.

(As Salamandras são os Espíritos da Natureza que causam todos os tipos de fogo. Esses Espíritos da Natureza são de chamas coloridas de diversos tamanhos. Algumas são pequenas e outras, tal como aquelas encontradas nas crateras de vulcões, são enormes em tamanho).

Nesse momento lá havia muitas mortes e pessoas feridas espalhadas pelo chão, e a região parecia uma terra árida, com prédios velhos e destruídos espalhados por todo lado. Aqui os Auxiliares Invisíveis apagaram o fogo que estava queimando algumas pessoas. Eles disseram às Salamandras para irem embora e elas os obedeceram.

Os Auxiliares Invisíveis foram atingidos muitas vezes. Um Auxiliar Invisível resgatou um garotinho de um soldado que estava prestes a enfiar uma baioneta no corpo da criança. A mãe da criança tinha sido morta. O Auxiliar Invisível levou a criança até outro país e encontrou um lar para ela.

Agora, vou contar-lhes outra história de urso. É uma história sobre um pequeno urso que alguns Auxiliares Invisíveis viram em uma casa grande, em um determinado país. Primeiro eles viram uma criança e um pequeno urso na cama. Alguém entrou e descobriu que o ursinho tinha feito xixi na cama.

Essa pessoa ficou muito irritada e repreendeu o urso, castigando-o. Os Auxiliares Invisíveis se materializaram, e um deles disse a ela para tentar fazer com que o urso a compreendesse e ser um urso mais cuidadoso no futuro.

Então a Auxiliar Invisível acariciou o pequeno urso e falou com ele. Ela lhe mostrou a porta, a abriu, se pôs em posição como se também tivesse quatro patas e foi com ele até a porta.

Ela roçou a porta e mostrou para ele como conseguir fazer o mesmo. Então ela o levou ao ar livre e continuou dizendo-lhe o que ele deveria fazer. Ela o pegou de novo e fez ele ir até a porta e roçar nela, e depois o deixou.

O Espírito-Grupo se mostrou ao Auxiliar Invisível e ela lhe pediu para sugestionar o ursinho a fazer como ela o tinha mostrado.

“Ele entende, e ele estará tudo bem agora”, disse o Espírito-Grupo.

A visão espiritual dos Auxiliares Invisíveis está desenvolvida para que eles possam ver o Espírito-Grupo. Ele tinha uma cabeça e pescoço que parecia um urso gentil, e ele conversou com os Auxiliares Invisíveis na linguagem da alma. Seu corpo era como o de um ser humano, mas sua aura era muito maior e mais brilhante do que a maioria das auras dos seres humanos. O Auxiliar Invisível viu esse Espírito-Grupo no Mundo do Desejo, onde ele vive. Parecia que ele estava bem perto deles. Tente imaginar um ser bonito e radiante com a cabeça e o pescoço de um urso, e você terá uma pequena ideia de quão adorável é esse Espírito-Grupo.

As pessoas eram fazendeiros e gostavam de animais de estimação. Eles disseram aos Auxiliares Invisíveis que encontraram a mãe urso quando era jovem, a levaram para casa, a alimentaram e domesticaram. De vez em quando ela ia embora por alguns dias e depois voltava. Um dia, veio o pequeno urso, ainda bebê, e eles o pegaram e o alimentaram como um bebê usando uma mamadeira.

Eles o mantiveram em casa, e ele era o animal de estimação e companheiro da filha. Ela o amava e o queria perto dela. Às vezes ele dormia em sua cama, mas ele sempre sujava a cama. Por fim, perderam paciência com ele.

“O pequeno urso nasceu aqui, mas o pai urso nunca esteve aqui”, disse a mãe da menina.

O Espírito-Grupo disse que essas pessoas ajudariam os ursos em sua evolução e que o bebê urso, em sua última vida, estava em uma família e era muito inteligente e domesticado.

Outro dia, os Auxiliares Invisíveis passaram e entraram para ver como o urso estava se comportando. Eles viram arranhões na porta onde ele tinha arranhado; então eles sabiam que ele entendeu o que fazer quando precisava sair. O pequeno urso estava na cama com a menina, e ambos estavam profundamente adormecidos. Eu acredito que os alunos ocultistas que amam animais lembrarão dessa história. É uma das felizes lembranças dos Auxiliares Invisíveis que estiveram lá.

A humanidade tem uma grande dívida com a onda de vida animal, pois essa sofreu terrivelmente nas mãos de seres humanos implacáveis.

Basta pensar em quantos de nossos irmãos, revestidos de pele, foram mortos ou feridos em armadilhas de vários tipos para virarem belos casacos de pele. Os caçadores atiraram em milhares de animais, muitas vezes apenas por esporte.

Uma noite, alguns Auxiliares Invisíveis estavam sobre o bosque no norte do Canadá, onde eles encontraram um jovem alce preso numa armadilha, e com a mãe e o irmão em pé ao lado dele. Com certeza, o alce estava preso à esta armadilha há mais de vinte e quatro horas; pois sua mãe trouxe comida e o alimentou. Os dois filhotes de alce ainda eram incapazes de cuidar de si mesmos.

Quando a mãe viu pela primeira vez os Auxiliares Invisíveis, ela se posicionou em combate, mas logo eles a acalmaram falando com ela. O jovem alce estava preso na armadilha pela perna traseira esquerda e essa estava muito inchada, mas a sua pele não estava ferida. Os dois Auxiliares Invisíveis conseguiram tirar o alce da armadilha e friccionaram a sua perna inchada até que a circulação se restabelecesse. E, então, o inchaço foi reduzido.

A mãe do alce entendeu o que estava acontecendo, e ela estendeu as patas dianteiras aos Auxiliares Invisíveis, demostrando seus agradecimentos. Os Auxiliares Invisíveis pegaram a armadilha e caminharam até um riacho próximo. Então jogaram a armadilha nas águas profundas.

Aqui está outra história de alces que é bastante diferente. Cerca de um mês antes, estes mesmos Auxiliares Invisíveis tinham libertado um jovem alce de uma cilada, quando passavam por uma fazenda e viram um jovem alce tentando sair de uma parte da pastagem. No caminho de volta, o alce havia desaparecido. Os Auxiliares Invisíveis desceram e encontraram uma pequena menina alimentando-o com leite. A criança disse que encontrou o alce no bosque de seu pai, e a seguiu até sua casa, recusando-se a sair.

Os Auxiliares Invisíveis queriam saber por que o alce estava lá. Um deles chamou uma Irmã leiga Superior, que lhes disse que seus pais – dos alces – haviam sido mortos enquanto caçavam para se alimentar, e o Espírito-Grupo dos animais é que tinha dirigido o alce até a menina.

“Meu pai me disse que eu poderia ficar com o alce, e eu coloquei o nome dela de Ruth”, disse a menina. “Eu vou alimentar Ruth agora”.

Ela pegou no chão uma panela de cenouras e leite. A essa altura, o alce tinha percorrido uma curta distância. A criança chamou: “Ruth, Ruth”, e ele veio até ela e logo comeu a comida.

O Auxiliar Invisível disse à criança que não deixasse seu animal sair, pois não estaria a salvo, porque os caçadores e seus cães logo o matariam. Ele disse ao jovem alce para ficar dentro do recinto do celeiro e não pulasse a cerca. O Espírito-Grupo disse que ele iria sugerir ao alce para ficar lá.

A Auxiliar Invisível chamou o alce, e quando este chegou a Auxiliar Invisível o abraçou e beijou e falou com ele com grande alegria.

A menina trouxe também seu gato para que a Auxiliar Invisível pudesse acariciar, pois estava doente e estava com os olhos inflamados. A Auxiliar Invisível cuidou do gato e logo estava curado. Depois pediu a menina que desse um bom banho no gato, porém, que deixasse os olhos e ouvidos sem colocar água e sabão.

“Mamãe já colocou sabão e água nos meus olhos e ouvidos, e eu não gosto disso, mas eles devem estar limpos”, disse a criança.

“Seu gato vai limpar seus próprios olhos e ouvidos, e você limpa as outras partes dele”, sugeriu a Auxiliar Invisível.

Veja como alguns Auxiliares Invisíveis ajudaram e confortaram dois gatos selvagem que estavam doentes. Os Auxiliares Invisíveis encontraram a gata mãe que tinha colhido diferentes tipos de grama para os gatinhos se alimentarem, pois, eles estavam muito doentes. Eles estavam totalmente inchados e inflados. A mãe viu os Auxiliares Invisíveis e rosnou.

“Senhora Gata, nós viemos ajudar seus filhos, se você nos deixar”, disse um dos Auxiliares Invisíveis. “Se você quer que ajudemos seus filhos, traga um aqui”.

A gata mãe pegou um de seus gatinhos e o colocou aos pés dos Auxiliares Invisíveis. O Auxiliar Invisível pegou o gatinho e o examinou. O estômago estava inflado, e ele estava fraco. Ele começou gentilmente a rolar o gatinho em suas mãos, e assim começou a circular o ar dentro dele e o gatinho arrotou.

Então, suas entranhas começaram a se mover, pois, havia cabelos de coelho no trato intestinal. Eram os cabelos de coelho que tinham obstruído o trato intestinal do gatinho. Neste momento, o gatinho começou a miar expressando seus agradecimentos, e o Auxiliar Invisível o colocou no chão. Voltou para junto de sua mãe que se aconchegou perto dela.

A gata mãe trouxe o segundo gatinho com mais vontade, e o Auxiliar Invisível logo o deixou em condições normais. Neste momento, o gato pai chegou com uma parte traseira de algum animal. Ele soltou a carne e começou a rosnar, se colocou em posição de luta e pulou sobre os Auxiliares Invisíveis. Um dos Auxiliares Invisíveis falou com ele.

“Traga sua carne para sua família, Sr. Gato”, disse ele. “Não há necessidade de problemas; então, aja como um bom gato”. O gato selvagem ficou quieto, e os Auxiliares Invisíveis os deixaram e continuaram com seu trabalho.

Auxiliares Invisíveis vão a todos os lugares para trabalhar.

Um dia de outubro um Auxiliar Invisível se deitou para dormir e logo foi para uma selva na África e se encontrou com um homem nativo que estava caçando para comer. Enquanto estavam cautelosamente escolhendo que trilhas utilizariam na selva, viram um leão grande andando em círculo. Ele estava esfregando sua pata na sua mandíbula, salivando bastante pela boca.

“O que há de errado com o leão?” – O Auxiliar Invisível perguntou ao homem.

“Ele está com dor de dente” – o nativo respondeu.

“Eu o ajudarei, pois eu sei o quanto dói nele” – o Auxiliar Invisível disse, e ele foi em direção do leão.

“Cara, aquele leão te matará antes de você tocar nele” – preveniu o nativo.

“Não, está tudo bem; ele está com dor” – o Auxiliar Invisível respondeu.

Então ele foi em direção ao leão, que parou e olhou para o estranho. O Auxiliar Invisível esse aproximou mais e coçou a cabeça dele.

“Deite-se e deixe-me olhar dentro da sua boca” – Ele disse.

O leão obedeceu e o Auxiliar Invisível olhou sua boca. Ele viu que um dente havia quebrado e que a mandíbula inferior do leão estava muito inchada.

O Auxiliar Invisível viu que a gengiva do leão estava tão solta que ele podia empurrar seus dentes com os dedos.

“Olhe! Garotão” – o Auxiliar Invisível disse para o leão – “Eu estou te ajudando, portando, não seja grosseiro”.

Enquanto ele ia falando com o leão, o Auxiliar Invisível ia trabalhando o dente perdido. Então ele deu um grande empurrão e o dente veio para fora.

O leão saiu rugindo, mas o Auxiliar Invisível sugeriu para que ele ficasse deitando, enquanto o Auxiliar Invisível tirava a dor. O leão obedeceu, e após o Auxiliar Invisível massagear sua mandíbula, ele se sentiu muito aliviado.

Após isso o leão se esticou no chão e o Auxiliar Invisível foi terminando o tratamento enquanto o leão ficava tranquilo, pois ele percebeu que estava sendo ajudado pelo Auxiliar Invisível.

Após o Auxiliar Invisível completar o tratamento, o leão recostou sua cabeça nele e se comportou como um enorme gato brincalhão.

“Até logo, garotão” – disse o Auxiliar Invisível -”Se cuide – Sua mandíbula está boa agora”.

O Auxiliar Invisível foi embora deixando o leão feliz.

Aqui está uma história de como uma garota e seu cachorro São Bernardo foram levados para casa através do ar. Levar pessoas através do ar é um trabalho bastante comum para os Auxiliares Invisíveis, porém, a maioria das pessoas não sabe que isso possa ser feito. Os que já foram ajudados desta forma evitam comentar, porque sabem que as pessoas não acreditarão em suas histórias.

Uma noite, um Auxiliar Invisível deixou seu corpo dormindo em sua cama e foi até os Alpes para resgatar uma garotinha e seu cachorro São Bernardo. A menina e o cachorro estavam presos na neve, mas separados por uma curta distância. O Auxiliar Invisível encontrou o cachorro primeiro e o resgatou. Porém, o cão saltou para o lugar onde a criança havia caído em um buraco. O Auxiliar Invisível olhou para baixo e viu a menina. Ele desceu e a carregou suspensa pela gravidade, e assim conseguiu retirar a garotinha. A criança aparentava ter cerca de seis ou sete anos de idade.

O próximo problema era como levar a criança e o grande cachorro para casa ao mesmo tempo. O Auxiliar Invisível com a garota nos braços foi até o cachorro e o ajeitou debaixo dele, assim ascendeu pelo ar e desceu a montanha até próxima a uma casa. Ele bateu na porta e uma mulher a abriu. Ela ficou surpresa e gritou quando viu o Auxiliar Invisível com a criança em seus braços e o cachorro nas costas.

“Eles moram aqui?” – Perguntou o estranho.

“Sim, ela é minha filha, e este é seu cachorro”, disse a mulher.

A criança e o cachorro não ficaram perdidos por muito tempo para que ficassem resfriados, mas eles teriam congelados até a morte se a ajuda não chegasse a tempo para salvá-los.

Uma noite, três Auxiliares Invisíveis estavam com uma elevada Irmã Leiga trabalhando para a humanidade. Eles estavam acompanhando-a nas visitas que fazia aos doentes e aos mais carentes que estava sob sua responsabilidade. Eles foram ver um homem nas proximidades da Arábia. Os Auxiliares Invisíveis viram o homem andando dentro de sua casa, e perceberam que estava com muita dor. Ele tinha enfrentado uma tempestade de areia e devido a isso ambos os olhos estavam cheios de areia fina e isso lhe provocava grande sofrimento. Os Auxiliares Invisíveis viram que a Irmã Leiga estava examinando seus olhos e removendo cuidadosamente toda partícula de areia existente. Os olhos do homem estavam muito inflamados, e as suas pálpebras estavam vermelhas e inchadas. Para um dos Auxiliares Invisíveis esses eram os piores olhos que ele já tinha visto em sua vida.

A Irmã Leiga disse ao homem para ir se deitar em seu quarto. Enquanto isso a Irmã Leiga fez todo trabalho de restauração nos olhos do homem. E em poucos minutos, o homem se levantou e se dirigiu até a sala. A essa altura, seus olhos estavam quase normais; o inchaço havia desaparecido e seus olhos estavam, ainda, um pouco avermelhados. O homem já podia enxergar sem dor.

Os Auxiliares Invisíveis ficaram impressionados com a maravilhosa mudança ocorrida nos olhos do homem. Este estava tão feliz e grato pela ajuda recebida que não sabia quem o tinha ajudado para agradecer.

“Eu estou quase totalmente normal, mas não entendo como eu poderia sido curado tão rapidamente”, disse ele.

Contarei, agora, a vocês uma história de como uma mulher obsidiada escapou por pouco de ser enterrada viva.

Três Auxiliares Invisíveis foram enviados a uma casa na parte Norte de um dos países escandinavos, onde um funeral acontecia.

Os Auxiliares Invisíveis encontraram a casa repleta de familiares e amigos de uma senhora aparentemente morta, porém não estava.

Os Auxiliares Invisíveis olharam para aquela senhora no caixão. E viram que não estava morta, mas estava obsidiada por uma entidade que não podia usar o Corpo Denso.

Um Auxiliar Invisível então disse: “Ela não está morta”.

O outro Auxiliar Invisível pediu que a entidade saísse do corpo da mulher para que fosse poupada do sofrimento de ser enterrada viva.

Ele disse à entidade que saísse, e ela o fez. Ela logo se materializou e tornou-se enorme. Todas as pessoas presentes viram seu olhar horrendo e se assustaram.

A mulher tomou posse de seu corpo e revirou seus olhos grandes. Um dos Auxiliares Invisíveis disse a jovem enferma que antes que viesse a falecer deveria avisar que não era para embalsamar seu corpo. Então, esclareceu o que aconteceria depois da morte e explanou tudo sobre estas condições.

A entidade ficou irritada e tentou entrar novamente no corpo da mulher.

O Auxiliar Invisível o deteve, já que a mulher estava muito frágil para oferecer qualquer resistência necessária. Em seguida, a entidade partiu para cima da Auxiliar Invisível, que tinha explicado à mulher os preparativos necessários quando ocorresse a sua morte, no futuro.

A entidade tentou tirar a Auxiliar Invisível da casa e as coisas ficaram muito agitadas. As duas Auxiliares Invisíveis correram para trás do Auxiliar Invisível.

Eles, então, atravessaram a entidade, e ela subiu em uma nuvem preta que tinha cheiro parecido de enxofre. Os Auxiliares Invisíveis retiraram a mulher do caixão, a colocaram na cama e pediram para as pessoas para dar-lhe de comer.

A filha da mulher obsidiada contou como havia percebido que algo estava errado com sua mãe e que ela acreditava que a sua mãe não estava morta.

E por isso, não deixou que a família colocasse o corpo de sua mãe em uma geladeira. Desta maneira conseguiu salvar a vida de sua mãe. O ministro chegou com alguns livros de músicas para o serviço de funeral. Tamanha foi a sua surpresa ao encontrar a mulher com vida.

Os Auxiliares Invisíveis também resolveram a rixa familiar naquela casa. Dois dos primos presentes queriam brigar por algo que havia acontecido antes, e o restante da família ficou dividido entre os dois brigões.  Todos os homens tinham armas de fogo ou facas. Os Auxiliares Invisíveis acalmaram os brigões e colocaram ordem na situação, demonstrando o bom trabalho. Isso mostrou o poder da oração. Parecia que seu destino estava selado, porque ela estava obsidiada por uma entidade que não podia usar seu corpo e fazê-la falar ou abrir seus olhos. Ela ficou fora de seu corpo e viu seus parentes prepará-la para o enterro, colocando-a no caixão e, finalmente, seus familiares a velarem, da casa para o funeral. Ainda assim, não era tarde demais e a ajuda veio a tempo para salvá-la de ser enterrada viva.

O que nos faz lembrar que S. Tiago disse no cap. 5: 15: “E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados”.

Lembremos disto, porque nós não sabemos o que passa diante de nós no dia a dia. No capítulo 4, versículo 14 de da Epístola de São Tiago lemos o seguinte: “Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece”. Isto se refere à morte que poderá vir inesperadamente, quando estamos despreparados.

De vez em quando lemos sobre pessoas que sofrem com a doença do sono. Algumas dessas vítimas são bebês muito novos, algumas são crianças, e mesmo pessoas já bem crescidas. Uma vez, por acaso, lemos sobre um caso onde o paciente se recuperava e voltava ao estado normal de saúde. Os Auxiliares Invisíveis assistem muitos desses pobres egos e os ajudam sempre que eles os permitam faze-lo.

Por exemplo: uma noite, dois Auxiliares Invisíveis foram até uma criança com a chamada doença do sono e a acordaram expulsando a entidade que a obcecava. Os Auxiliares Invisíveis foram enviados àquele lugar para responder às orações dos pais do bebê, que haviam orado fervorosamente por ajuda. Essas pessoas ficaram muito felizes quando o bebê foi curado dessa terrível condição.

Passaremos agora para um tipo bastante diferente da história. As pessoas que possuem animais que estão avançados na evolução e os tratam gentilmente não só os ajudam na sua evolução, mas muitas vezes, os salvam da morte ou de serem aprisionados. Os árabes, geralmente, tratam seus cavalos como crianças, e muitas vezes, os mantêm em sua barraca com sua família. As crianças têm os potros como animais de estimação. E quando os potros crescem são, incrivelmente, ligados aos seus donos. Recentemente, ouvi falar de uma amizade tão estreita entre uma menina e seu cavalo.

Dois Auxiliares Invisíveis foram enviados para salvar uma criança de ser baleada. Alguns árabes tinham visto uma garotinha no deserto montando em sua égua. Eles dispararam contra ela com seus rifles. Os Auxiliares Invisíveis desviaram as balas, porém, a égua se assustou. O animal se arrancou de repente e a menina caiu. Antes da égua sair correndo, pegou a garota pela roupa com os dentes e retornou. Os Auxiliares Invisíveis seguiram na frente e contaram ao pai da garota o que havia acontecido.

“Oh, seu cavalo vai trazê-la para casa com segurança, se ela não for morta”, disse o pai da menina.

Com certeza, o cavalo trouxe a menina até a porta da casa e a colocou no chão. Ela se levantou e acariciou seu cavalo e foi apanhar um punhado de tâmaras para comer. O cavalo a alcançou e parecia dizer: “Dê-me uma também”.

A menina tirou o caroço e entregou a tâmara ao cavalo. No caminho havia se mostrado faminto, então, a menina buscou cevada e o alimentou. A criança disse que quando seu cavalo era um potro, dormia ao seu lado, porém, teve medo pelo fato que o animal pudesse deitar sobre ela quando estivesse dormindo. Os Auxiliares Invisíveis ficaram muito felizes por terem participado do salvamento dessa menina e por ter visto a maneira como o cavalo levou a menina com segurança até sua casa.

Aqui está como algumas pessoas foram salvas em um piquenique na América do Sul.

Numa manhã de domingo alguns Auxiliares Invisíveis passavam pela parte central do Peru. Ali viram pessoas que tinham subido as montanhas para, ao nascer do Sol, fazer um piquenique de café da manhã num lugar acolhedor.

Essas pessoas estavam sentadas sob uma grande árvore comendo, quando uma enorme serpente desceu de uma árvore sobre elas. Uma mulher e sua filha ao ver a serpente ficaram tão assustadas que não conseguiam se mexer, apesar de terem visto os outros fugirem. A serpente, provavelmente, deve ter sentido o aroma da comida que estava sendo aquecida e chegou para tomar seu café da manhã.

“O que posso fazer para parar essa serpente?”, disse a Auxiliar Invisível a seu companheiro.

“Vá e lhe diga para vir até você”, ele disse: “Ela não irá te machucar”.

“Não, eu prefiro que você vá fazer isso”, disse ela. “Não tenho medo, mas não quero fazer isso”.

O Auxiliar Invisível retirou a mulher e a criança, no exato momento em que a serpente caia no chão com um baque. A serpente parecia ter cerca de 6 metros de comprimento e se enrolou para se preparar para o combate.

“Companheira, é melhor você ir tratar de suas atividades, antes que alguém o envie para o paraíso das serpentes no céu”, disse o Auxiliar Invisível: “Não se enrole em mim”.

Antes que o Auxiliar Invisível pudesse dizer outra palavra, a serpente rapidamente se enrolou em torno de seu corpo materializado até o pescoço, começou a apertá-lo e foi quando o Auxiliar Invisível desapareceu.

Com a chegada da serpente o piquenique acabou. O cabelo da mãe da criança se ouriçou, e ela pareceu envelhecida, por alguns segundos.

Nossa próxima história trata-se de um garimpeiro que foi salvo da morte.

Uma noite durante a retrospecção, um Auxiliar Invisível viu um homem cair de um barranco de grande extensão de profundidade. O Auxiliar Invisível tentou sair de seu corpo de maneira muito rápida para ir ao socorro desse homem, mas foi impedido de fazê-lo. Mais tarde, o Auxiliar Invisível foi informado de que esse homem precisava de um pouco de tempo para rever o panorama de sua vida e se corrigir de alguns de seus hábitos não bons. Passado esse tempo, o Auxiliar Invisível foi enviado para salvá-lo.

Ele encontrou o homem sobre uma ponta de pedra que o mantinha em segurança. O homem iria morrer de fome, pois era impossível descer dali sozinho. A distância até o chão era de aproximadamente 8 metros, porém, lá em baixo havia um enorme covil de cobras cascavel. Não tinha como se manter vivo naquele lugar, pois estava muito quente. E esse acidente ocorreu em um lugar montanhoso no Oeste.

O homem era um garimpeiro e havia encontrado um pouco de ouro. O homem que estava com ele o empurrou, enquanto estavam atravessando o barranco para chegar até o outro lado. O Auxiliar Invisível sabia que o homem morreria a não ser que fosse ajudado rapidamente. O Auxiliar Invisível se virou e perguntou a sua companheira: “Você tem medo de ir comigo ajudá-lo?”.

“Não, irei”, disse ela.

Os Auxiliares Invisíveis foram até o homem e o levantaram.

“Não me deixe cair”, disse o pobre homem. “Eu quero viver e ser um homem melhor. Eu vi os principais acontecimentos da minha vida passar diante de mim, e eu quero fazer todo o bem possível, enquanto viver os poucos anos que me restam”.

Um dos Auxiliares Invisíveis lhe perguntou quanto tempo ele estava fora de casa.

“Estou aqui há vinte e cinco anos”, disse o garimpeiro. “Eu tive uma discussão com minha namorada e saí de casa. Nunca mais voltei e nem escrevi aos meus pais ou a ela”.

O Auxiliar Invisível disse ao homem que escrevesse para casa, tanto a sua namorada como a seus pais que estavam vivendo na esperança de que ele voltasse para vê-los e também a seu filho, que tinha cerca de vinte e cinco anos.

“Eu vou voltar e fazer o que é certo”, disse o homem. “Eu tenho uma pequena quantia no banco. Meu relógio caiu da minha mão e está lá embaixo entre aquelas cobras. E a foto de minha namorada está dentro dele. Eu gostaria de não o ter perdido, mas acho que já se foi”.

O Auxiliar Invisível procurou sua companheira e quando a avistou estava lá em baixo entre as cascavéis com o relógio na mão. Ele a chamou suavemente e pediu para que subisse, pois estavam saindo daquele lugar. Depois que ela voltou, ele disse a ela que nunca mais fizesse aquilo, pois poderia ter sido atacada pelas cobras e isto a faria correr para casa, para seu Corpo Denso.

O parceiro do garimpeiro tinha continuado seu caminho, mas pensando que ficaria com todos os bens do seu companheiro. O Auxiliar Invisível disse ao garimpeiro que fosse até a cidade para descansar e depois pegasse seus pertences e fosse para casa de seus pais. Ele foi instruído a se casar secretamente com sua namorada. O homem disse que o faria, e os Auxiliares Invisíveis estavam prontos para irem embora, quando o garimpeiro disse que queria resolver as pendências com o homem que o empurrou sobre o barranco.

“Não, ele terá seu acerto de contas em breve”, disse o Auxiliar Invisível.

“Apenas pegue o que você tem no banco e vá para casa”. Depois disso, os Auxiliares Invisíveis continuaram com seu trabalho.

Esta história conta como alguns missionários foram salvos da morte na Arábia.

Aconteceu numa sexta-feira à noite, quando alguns Auxiliares Invisíveis se dirigiram a uma aldeia árabe, num lugar onde haviam dois missionários brancos amarrados a uma parede. Eles pretendiam matar o homem e sua esposa, porque ousaram ir à sua aldeia falando a respeito de sua própria religião, e assim, desestabilizando a religião muçulmana e Alá.

O Auxiliar Invisível perguntou a sua companheira se ela poderia cuidar deles.

“Eu não sei”, respondeu ela.

“Siga-me e não fuja “, disse o Auxiliar Invisível.

Tinha uns cinco ou seis homens, com as mãos cheias de punhais, prontos para atirar no homem e na mulher para matá-los. O primeiro árabe já estava pronto para atirar a sua faca. E assim que apareceu, o Auxiliar Invisível disse: “Pare”.

O homem soltou um grito, e o demais homens rodearam os Auxiliares Invisíveis como um enxame de abelhas.

“Por que matá-los?”, perguntou o Auxiliar Invisível. “Eles não prejudicaram nem feriram ninguém”.

“Alá não quer estrangeiros aqui, e todos os que vierem devem morrer, e você também”, declarou o chefe do grupo, enquanto acenava com a mão. “Mate a todos e me traga os seus anéis”, ele ordenou, mas ninguém se mexeu.

Ele ordenou novamente, mas ninguém se mexeu. O chefe se voltou e chamou o profeta, que prontamente veio com todos os seus trabalhos de mágicas para servi-lo, se dirigiu aos Auxiliares Invisíveis e iniciou seu trabalho.

“Faça essas coisas desaparecerem”, disse o Auxiliar Invisível, e elas desapareceram. O então chamado profeta ficou parado com grande surpresa e desgostoso devido a esse acontecimento incomum.

“Eu não vim ferir ou prejudicar você ou o seu Alá, mas você não fará mal aos filhos de Deus”, disse o Auxiliar Invisível ao povo.

Ele chamou os missionários e disse: “Venha adiante, meus amigos”, e eles foram até os Auxiliares Invisíveis. Então os Auxiliares Invisíveis disseram ao chefe: “Alimente-os, dê-lhes um lugar para descansar e deixe-os continuar seu caminho, caso você não deseje ouvir o que eles têm a dizer”.

“Onde está nosso Alá?”, o chefe perguntou ao profeta.

“Ele não nos deixou antes!”.

“Talvez ele tenha expulsado Alá”, disse o profeta. “Ninguém pode se mover. Ele fez os objetos desaparecerem. Eu não faço nada. Agora, Alá não é mais bom. Seu Deus é o melhor. Adote esse Deus. Ele faz grandes coisas”.

“Seu Alá está aqui, mas ele não quer que você mate pessoas” disse o Auxiliar Invisível. “Ele nunca vai deixa-lo”.

“Outros cães vieram aqui e todos morrem; Alá seja louvado”, disse o chefe intrigado.

“Todos os verdadeiros Cristãos são protegidos pelo seu Deus, e os falsos morrem”, disse o Auxiliar Invisível.

“Sim, eles morrem e você morrerá”, declarou o chefe. Mais uma vez ele ordenou que seus seguidores matassem os estranhos, mas ninguém se mexeu.

“Sr. Chefe, você precisa de uma boa lição e eu vou lhe ensinar uma que você e os demais nunca esquecerão”, disse o Auxiliar Invisível.

Ele se aproximou do chefe, pegou sua faca e a quebrou.

Depois pegou sua túnica, retirou sua coroa, a colocou sobre os joelhos e a entortou com suas mãos. “Rasteje até aprender a poupar vidas humanas”, disse ele.

Depois disso, o Auxiliar Invisível olhou para a multidão e encontrou uma garota com um belo Corpo-Alma, e a chamou. “Senhorita, farei de você rainha, e você deve governar justa e gentilmente, e ninguém ou qualquer coisa poderá prejudicá-la”, disse ele. “Você vai fazer isso?”

“Sim, eu vou”, disse a moça.

O Auxiliar Invisível colocou a túnica sobre ela, depois colocou a coroa e disse ao povo: “Salve a rainha”.

Todas as pessoas caíram de joelhos e se deitaram de bruços. A moça caminhou sobre eles, como o ex-chefe fazia. Esse era o sinal de submissão e obediência daquele povo. Os homens baixaram suas cabeças em direção as suas barbas e as mulheres esconderam seus olhos.

O Auxiliar Invisível disse à rainha para cuidar do homem e da mulher e mandá-los de volta, e ela disse que faria isso. O Auxiliar Invisível perguntou onde estavam seus pais e ela disse: “Alá os levou”, o que significa que eles estavam mortos.

“O ex-chefe não será morto pelas cobras e pelos animais selvagens?”, a Auxiliar Invisível perguntou.

“Nada vai prejudicá-lo, e quando ele decidir parar de matar, ele vai andar novamente”, disse a sua companheira. Ele se virou e falou com os missionários. “De onde vocês vieram?”, ele perguntou.

“Dos Estados Unidos”, disse um deles.

Ambos os missionários tinham belos Corpos-Alma, mas não tinham visão espiritual. Nem a nova rainha, mas ela estará protegida. Essa tribo de árabes vivi longe no deserto e era feroz e guerreira, mas os Auxiliares Invisíveis acreditavam que a moça iria subjugá-los.

“Vocês são Anjos?”, um dos missionários perguntou aos Auxiliares Invisíveis.

“Não”, ela disse, “somos pessoas dos Estados Unidos e ajudamos a todos aqueles que precisam”.

Enquanto isso acontecia, o ex-chefe estava rastejando, mas ninguém prestou atenção nele. Os Auxiliares Invisíveis se despediram do povo, liberaram suas auras, desaparecendo fisicamente e seguiram seu caminho.

Certa noite, alguns Auxiliares Invisíveis foram orientados a ajudar um idoso que corria o risco de morrer queimado. Esse homem era dono de uma fazenda a poucos quilômetros da cidade. Ele sofria de reumatismo e estava muito apreensivo, porque o homem que vivia na fazenda vizinha desejava comprá-la. Este vizinho, porém, havia feito uma oferta para comprá-la por um valor bem abaixo do real valor. O fazendeiro idoso se recusou a vender sua fazenda. E o fazendeiro vizinho pretendia queimá-la, pois sabia que o fazendeiro idoso não teria condições de reconstruir e, assim, conseguiria comprar suas terras por um preço menor.

Os Auxiliares Invisíveis foram até a fazenda e encontraram o fazendeiro idoso assustado, dizendo-lhes que havia sido ameaçado por alguém que lhe dissera que queimaria sua fazenda. O velho fazendeiro não conseguia se locomover e não sabia o que fazer. O Auxiliar Invisível disse a esse homem que não precisaria se preocupar com o fogo.

Ninguém poderia incendiar sua casa além de si mesmo.

“Como você pode impedi-los de fazer isso?”, o fazendeiro perguntou

“Levante-se e coloque algumas roupas”, ordenou o Auxiliar Invisível.

O fazendeiro idoso sorriu e balançou a cabeça negativamente. “Eu não ando há seis meses”, disse ele.

“Isso é porque você não tentou”, o Auxiliar Invisível respondeu.

O fazendeiro se virou e seus olhos se arregalaram quando viu que conseguiu se levantar da cama, aí ele se vestiu e pegou o rifle.

“Aquele que vive pela espada morre com isso”, observou o Auxiliar Invisível.

“Você não vai precisar disso”.

Neste momento ouviram uma voz vindo de fora. “Eles vão incendiar minha casa”, disse o homem.

“Deixe-os tentar fazê-lo, porque não vão queimar”, disse o Auxiliar Invisível.

O homem e os Auxiliares Invisíveis olharam pela janela e viram uma luz. Então, o Auxiliar Invisível pediu que os homens não se movessem, e os Auxiliares Invisíveis e o fazendeiro saíram e identificaram quem eram as pessoas. Era o mesmo homem que morava na fazenda vizinha e alguns de seus amigos. As pessoas também observaram que os vizinhos deixaram um carro esperando na estrada.

O Auxiliar Invisível disse a esses homens que, se não assinassem a confissão contando o que tentaram fazer, eles permaneceriam onde estavam para que todos pudessem vê-los.

O homem escreveu sua confissão, e todos os demais assinaram, incluindo o menino que estava no carro. A marca do carro, a placa e número de licença também foram anotados. O Auxiliar Invisível pegou o papel e disse ao fazendeiro que ele guardaria, pois tinha receio que alguém pudesse roubá-lo. Depois ele disse “Bom dia” e, os Auxiliares Invisíveis desapareceram da visão de todos, mas eles não foram embora.

Assim que os homens deixaram o local, os Auxiliares Invisíveis entregaram ao velho fazendeiro o papel da confissão e pediram que mostrasse a alguém ou mesmo que informasse a alguém que estava de posse do documento, pois do contrário, alguém poderia matá-lo para conseguir o papel da confissão.

Em seguida, os Auxiliares Invisíveis deixaram o velho fazendeiro e alcançaram os homens que haviam tentado incendiar a casa. Como eles não estavam materializados, os homens não puderam vê-los, quando conversavam entre eles dentro do carro. O homem que tinha planejado queimar a casa do velho fazendeiro disse: “Eles não eram humanos, e o velho homem tinha Deus ou o diabo com ele, e eu que vou vender as terras antes que alguém veja essa confissão”.

O Auxiliar Invisível havia dito às Salamandras que ficassem quietas, e foi por isso que o vizinho não podia acender o fogo. As Salamandras são Espíritos da Natureza que causam todos os tipos de incêndios.

Mais tarde, esses mesmos Auxiliares Invisíveis encontraram um homem na Europa que estava descendo uma rua. Eles viram que esse homem tinha um problema nas costas que o fazia se inclinar para a frente. Os Auxiliares Invisíveis pararam na esquina e esperaram até que ele chegasse.

“Meu amigo”, disse o Auxiliar Invisível, “parece que você está mal. Você não consegue ajuda nesse imenso país?”

“Eu ainda não consegui. Eu gastei milhares de dólares, mas minhas costas só parecem piorar, então, acho que é a vontade de Deus”, disse o deficiente.

“Não, meu amigo”, respondeu o Auxiliar Invisível, “não é a vontade de Deus”.

Seu problema é devido ao que você fez na vida passada; é que você, com muita maldade, amarrou um homem, e o manteve amarrado até que suas costas se tornassem rígidas. Você deu ordens para que ele não fosse libertado até que você autorizasse. Porém, você foi embora e ele permaneceu assim por dez anos.

Quando você retornou, sua filhinha entrou no subsolo e o viu. Sua vítima parecia um homem velho devido a sua tortura. Quando ela lhe falou sobre ele, você foi vê-lo, se arrependeu e o libertou, mas o mal já havia sido realizado.

Você tentou fazer algo por ele, mas não foi o suficiente para aliviá-lo. Você está nesta condição devido ao que causou àquele homem.

O Auxiliar Invisível esfregou as costas do homem e disse-lhe para endireitar-se lentamente, e ele o fez. Ele ficou tão ereto quanto os Auxiliares Invisíveis, e ele estava cheio de alegria ao falar, e as lágrimas corriam pelo seu rosto. O Auxiliar Invisível disse a ele para ser bom a todos e respeitar as crenças religiosas, pois todas elas conduzem a Deus.

Esse homem era católico, e o Auxiliar Invisível lhe disse que os protestantes são tão bons quanto ele e que não deveria haver desavenças entre eles, mesmo que alguém dissesse o contrário. O homem prometeu que seria gentil com todos e agradeceu aos estranhos pela ajuda recebida.

O homem que estava incapacitado foi curado por meio da força de cura espiritual que vem de Deus. Os Auxiliares Invisíveis são meros servos de Deus que haviam sido enviados a ele por um Irmão Leigo ou uma Irmã Leiga.

Talvez você pense que a história a seguir soa como um conto de fadas, mas realmente aconteceu. Os Auxiliares Invisíveis quando voltaram para seus corpos na manhã seguinte, conseguiram lembrar com muita clareza do ocorrido e se levantaram para que pudessem se preparar para o trabalho do dia.

Quando os Auxiliares Invisíveis saíram, foram enviados para salvar algumas pessoas que estavam em um navio a vapor que havia sido atingido por uma rocha ou algo que tinha feito um grande buraco na parte lateral. O navio estava afundando rapidamente nas águas agitadas do oceano Atlântico. As pessoas a bordo estavam a, aproximadamente, cento e sessenta quilômetros da costa. Os passageiros estavam terrivelmente assustados e não queriam entrar nos botes salva-vidas sem comida.

Um dos Auxiliares Invisíveis ficou com medo e voltou para sua casa, pois esqueceu que os Auxiliares Invisíveis não podem ser feridos quando saem de seus corpos à noite para ajudar aos outros. Os demais Auxiliares Invisíveis se materializaram e desceram até o barco. “Todo mundo fique calmo, que todos serão salvos”, disse um dos Auxiliares Invisíveis aos tripulantes.

Os Auxiliares Invisíveis colocaram, rapidamente, todas as pessoas nos botes salva-vidas, e pediram para remarem em direção a costa. Logo em seguida o navio tombou para o lado. Houve uma explosão estrondosa, e o navio foi afundando até desaparecer nas águas.

Haviam dez barcos a remos e mais dois barcos cheios de passageiros e membros da tripulação para serem levados para acosta. Os Auxiliares Invisíveis amarraram todos os barcos juntos e levemente os suspenderam em gravidade e partiram para a costa. E logo que avistaram a costa os Auxiliares Invisíveis os deixaram para percorrerem o resto do caminho sozinhos. Ninguém ficou para trás. A Auxiliar Invisível pegou o livro de registro do navio e o entregou ao capitão. Se os Auxiliares Invisíveis não tivessem sido enviados com o poder de salvar essas pessoas, todas teriam se perdido no mar.

Aqui está uma história de um homem perdido que foi salvo da morte na floresta.

Uma noite, dois Auxiliares Invisíveis encontraram um homem que estava perdido há três dias. O pobre homem disse que precisou caminhar para se manter vivo, devido ao tempo frio, e que estava com muita fome. “Eu orei por dois dias e duas noites para que alguém me ajudasse”, disse ele.

“Você deveria ter orado pelo perdão de seus pecados, pois, se a ajuda física não chegasse, certamente, você morreria de qualquer maneira”, disse o Auxiliar Invisível.

“Rezei da melhor maneira que pude, e comecei a ver todas as coisas que eu já havia feito”, disse o homem. “Eu vi um urso e uma raposa em armadilhas, e senti sua fome e dor. Eu até rezei por eles”.

O Auxiliar Invisível perguntou ao homem onde ele morava.

“Eu não sei dizer, mas eu quero ir para casa”, disse o homem que sofria.

O Auxiliar Invisível disse à sua companheira que fosse soltar o urso e a raposa e ajudá-los no que fosse possível, e assim ela se afastou feliz. Mas, ela logo retornou e disse que tinha libertado a raposa, mas não podia fazer nada com o urso.

“Me dê uma mão aqui com esse homem, pois ele está inconsciente e pode congelar até a morte”, disse o Auxiliar Invisível.

Os Auxiliares Invisíveis levaram o homem para a casa mais próxima, que ficava, aproximadamente, cinco quilômetros de distância, e esse era o seu lar. Os Auxiliares Invisíveis deixaram o homem aos cuidados da esposa e disseram que precisavam retornar para libertar um urso.

“Esse homem não é mais importante que um urso?”, ela perguntou.

Um dos Auxiliares Invisíveis lhe disse que voltariam, mas que precisavam ir até o urso preso. O Auxiliar Invisível viu imediatamente que o urso estava congelando e com fome e que a perna presa na armadilha já estava congelada.

Esse Auxiliar Invisível finalmente acalmou o urso e conseguiu libertá-lo, que se deitou aos pés do Auxiliar Invisível. Porém, logo depois o urso morreu de dor, fome e frio. Os Auxiliares Invisíveis retornaram a casa do caçador e a esposa os deixou entrar. Um dos Auxiliares Invisíveis lhe contou que o urso estava morto, pois chegaram tarde demais para salvá-lo. A esposa do caçador começou a retrucar com os Auxiliares Invisíveis enquanto eles cuidavam do homem. O Auxiliar Invisível disse a esposa com que frequência deveria alimentar e que tipo de alimento seu marido poderia ingerir.

Depois disso, os Auxiliares Invisíveis falaram à esposa sobre seus ensinamentos. Eles puderam observar que a mulher não acreditava neles, pois estava em desvario, enquanto eles falavam. O Auxiliar Invisível finalizou dizendo que ela deveria tomar cuidado porque não sabia com quem estava falando.

“Eu não quero saber das bobagens de que você está falando”, disse ela.

Um dos Auxiliares Invisíveis enviou um pensamento ao outro para desaparecerem dali, e ambos desapareceram. A mulher exclamou: “Anjos!”, e desmaiou.

Os Auxiliares Invisíveis voltaram a ficarem visíveis e ajudaram a mulher a retomar a consciência. “Oh, por favor Anjos, perdoem-me”, ela disse, “eu não sabia que existiam Anjos reais”.

“Tudo o que disserem, eu farei com prazer”.

Os Auxiliares Invisíveis disseram-lhe que ajudasse a todos que ela pudesse, mas sem se magoar, independentemente, da cor, raça ou religião que praticassem.

“Fico feliz em poder ajudar”, disse a mulher.

Os Auxiliares Invisíveis disseram-lhe adeus e, usando as suas auras, desapareceram. Seu marido, também viu as auras dos Auxiliares Invisíveis.

Nossa próxima história conta como um menino e seu cordeiro foram salvos da morte. Dois Auxiliares Invisíveis colocaram uma mulher em um trem, e depois seguiram pela ferrovia até encontrarem algumas pessoas caminhando pelos trilhos e arrastando alguns pertences. Um menino estava conduzindo um grande cordeiro branco. Quando os Auxiliares Invisíveis se aproximaram do menino, esse se virou e perdendo o equilíbrio caiu em uma grande lagoa. O garoto estava conduzindo o cordeiro preso a uma corda, assim, o cordeiro também foi arrastado para dentro da lagoa.

As pessoas gritaram e ficaram assustadas, mas ninguém parecia querer tirá-los.

O Auxiliar Invisível desceu e pegou o menino com uma mão e o cordeiro com a outra e os tirou da água. O cordeiro se sacudiu para se secar, mas o menino não conseguiu fazer o mesmo. Os Auxiliares Invisíveis encontraram algumas roupas para o menino e o levaram para uma casa. Uma senhora os deixou entrar em casa para que o garoto trocasse de roupa. E os Auxiliares Invisíveis viram que o menino estava bem. Enquanto um dos Auxiliares Invisíveis embrulhava as roupas molhadas, o menino seguiu com as pessoas, sorrindo e acenando com a mão para os Auxiliares Invisíveis que os havia socorrido.

Aqui está outra história que conta como um fazendeiro assustado foi ajudado numa noite.

Alguns Auxiliares Invisíveis foram enviados até um homem que vivia em uma fazenda. Este homem disse-lhes que uma grande serpente estava em seu celeiro e que ele estava com medo de que mordesse e matasse suas vacas leiteiras e seus cavalos.

O Auxiliar Invisível perguntou, por meio do pensamento, se poderia tirá-la de lá. Alguém disse: “Sim, mas vai lhe dar trabalho”.

A serpente tinha cerca de 20 centímetros de diâmetro e cerca de cinquenta metros de comprimento. Esse Auxiliar Invisível perguntou a sua parceira se gostaria de acompanhá-lo e ela respondeu imediatamente: “Sim”. O agricultor, conhecendo o lugar, tentou deter a Auxiliar Invisível, pois achava que o companheiro dela era seu ajudante.

Os Auxiliares Invisíveis entraram no celeiro e a Auxiliar Invisível viu a serpente em um canto toda enrolada, e ela a mostrou para ele. A princípio, seu companheiro achou que era uma pilha de corda, como costumava ter nos navios a vapor. Ele chegou perto da serpente e ela começou a emitir um silvo e a colocar a língua, como que com raiva. O Auxiliar Invisível falou com a serpente: “meu caro, você não tem nenhum negócio aqui, assustando e ameaçando com a morte a todos. Vá embora. Eu não quero nenhum problema com você. Seja uma boa serpente, e vá para o seu ambiente natural”.

A serpente deu um bote em direção ao Auxiliar Invisível com a boca aberta, mas não o alcançou, e tentou novamente atacá-lo. O Auxiliar Invisível deu um passo para o lado e a segurou pelo pescoço; a força da sua pressão a fez cair no chão. O Auxiliar Invisível apertou-a ainda mais até que ela se enrolou próximo dele. A Auxiliar Invisível bateu em sua cabeça e ela acabou perdendo a consciência. Depois disso, os Auxiliares Invisíveis arrastaram a grande serpente para fora do celeiro. Quando o fazendeiro deparou com a serpente, achou que havia matado os Auxiliares Invisíveis, e então, atirou com a espingarda. Ele não a matou, mas machucou muito a sua pele; foi, então que os dois Auxiliares Invisíveis saíram do celeiro

“Se você se comportar, vou recuperar você, mas deverá ser tão boa quanto uma nova serpente”, disse o Auxiliar Invisível à serpente.

Depois disso, a serpente se se esticou no chão, e o Auxiliar Invisível lavou seus ferimentos, retirou várias balas da espingarda, colocou ataduras nas costas e a mandou embora. O fazendeiro estava tão surpreso que ficou paralisado olhando para os Auxiliares Invisíveis.

“Por que ajudar uma serpente quando ela matará outra pessoa?”, disse finalmente.

“Não, ela não incomodará mais ninguém antes de chegar à selva”, respondeu o Auxiliar Invisível. Então, os Auxiliares Invisíveis se afastaram e continuaram com suas atividades.

Aqui está como as preces de uma garota foram respondidas quando solicitou ajuda.

Alguns Auxiliares Invisíveis foram a uma casa e conversaram com uma garota, enquanto ela estava colocando duas batatas dentro do forno para assar e depois colocou algo dentro de uma panela no fogão para cozinhar.

A garota pediu a um dos Auxiliares Invisíveis que a acompanhasse até uma loja para pegar alguma comida. Quando chegaram à loja, encontraram várias pessoas esperando chegar sua vez para fazer as compras.

A loja parecia estar muito vazia e com pouca coisa para vender. Havia alguns pães à vista e a menina acabou comprando um.

Na volta para casa, encontraram seu irmão e sua irmã que eram mais novos que ela.

Eles estavam chorando e disseram que haviam sido trancados para fora de casa e não sabiam o que fazer. A irmã mais velha contou aos Auxiliares Invisíveis que seus pais tinham ido a uma turnê pelo sul da Europa com estimativa de ficar lá por seis meses. Antes de partirem, a mãe contratou uma empregada para cuidar deles.

 

Essa mulher trouxe muitas pessoas para dentro da casa, e as crianças ficaram com medo, pois não sabiam o que fazer nesta situação. E a esta altura as crianças foram colocadas para fora de casa. Olhando pelo lado de fora as crianças observaram que havia uma da janela um pouco abaixo do teto e queriam tentar subir. Porém, ao subir o menino foi pego.

“Espere só um minuto”, disse a Auxiliar Invisível, então, ela empurrou uma mesa até a janela, assim, eles a abriram e todos entraram.

Os Auxiliares Invisíveis descobriram que a empregada havia se envolvido com alguns ladrões, e planejaram retirar da casa tudo que tinha de valor e depois prender as crianças em troca de resgate.

As pessoas que estavam na casa eram violentas. Dois homens estavam comendo em uma mesa. A menina ficou furiosa. “Você jogou fora minha batata”, disse ela.

Mas, as batatas da menina mais velha ainda estavam lá, e depois ela as tirou do forno. Uma mulher, do grupo que estava lá, foi ao banheiro para se vestir, e a garota teve que se lavar em um quarto com uma tigela e um jarro d’água, mas a menina não gostava de fazer isto.

Os Auxiliares Invisíveis subiram pela escada dos fundos e depararam com dois homens mal-intencionados que tentaram impedi-los de subir. Esses homens estavam sentados nas escadas, separando materiais para fazer bombas. Os Auxiliares Invisíveis conseguiram subir as escadas e viram que os homens estavam em dois quartos e já havia um grande número de bombas já montadas. Os Auxiliares Invisíveis desceram as escadas novamente e viram seis crianças desarrumadas indo para o porão.

Mas, elas não eram daquela casa e, quando um dos Auxiliares Invisíveis os pediu para sair, elas saíram. Os Auxiliares Invisíveis descobriram que os dois homens eram especialistas em fabricar bombas para explodir prédios e matar pessoas. Eles também descobriram que os homens tinham sido incumbidos de fabricar uma grande quantidade de bombas.

Os Auxiliares Invisíveis forçaram os homens a sair e recolhendo todas as bombas, as destruíram. Os Auxiliares Invisíveis disseram às crianças que tudo ficaria bem até que seus pais voltassem para casa e, assim, não tivessem medo. As crianças ficaram contentes e agradeceram aos estranhos pelo que haviam feito.

Auxiliares Invisíveis têm muitas experiências interessantes no transcurso de seu trabalho, quando estão fora de seus corpos durante o sono e sob a liderança das Irmãs e Irmãos Leigos.

Uma noite, dois Auxiliares Invisíveis foram enviados para ajudar um homem que queria salvar seu dinheiro de ladrões. Um Auxiliar Invisível disse ao homem que deveria depositar seu dinheiro no banco. Isso não seria tão fácil assim, pois os ladrões sabiam que o dinheiro estava em sua casa. Eles estavam observando-o e não pretendiam deixá-lo fugir. Os Auxiliares Invisíveis disseram ao homem que o ajudariam a chegar até o banco. O homem tinha mil e duzentos dólares, que foi entregue ao Auxiliar Invisível antes de saírem para o banco, e os ladrões os seguiram e quando entraram no banco, tentaram roubar o dinheiro. Os ladrões criaram algum alvoroço, mas não conseguiram levar o dinheiro. Pois, descobriram que o dinheiro não estava com o homem.

Os Auxiliares Invisíveis enviaram uma mensagem ao presidente do banco dizendo que queriam vê-lo para tratar de negócios. O presidente pediu aos seus funcionários que conduzissem o homem e os Auxiliares Invisíveis ao seu escritório particular, onde a transação necessária seria feita e o homem receberia uma caderneta de poupança. Depois, os Auxiliares Invisíveis voltaram para a casa com o homem. Os quatro ladrões estavam muito determinados a conseguir o dinheiro, e quando viram que aquele desconhecido os haviam enganado, estavam determinados a pegá-lo, fazê-lo pegar a caderneta de poupança do homem e conseguir o dinheiro para eles.

O Auxiliar Invisível deixou que os ladrões o pegasse para que pudesse lhe dar uma lição. A Auxiliar Invisível foi deixada para trás pelos ladrões, mas ela se desmaterializou e os acompanhou e, pode assistir tudo o que aconteceu. Os ladrões amarraram o Auxiliar Invisível em uma mesa, que parecia ser uma maca para exames médicos. Os ladrões já estavam com os ferros quentes para colocar nos pés do Auxiliar Invisível.

Quando os ladrões se prepararam para torturar o Auxiliar Invisível, este os paralisou e disse-lhes que já estava na hora de abandonarem suas atividades para viverem uma vida limpa e tranquila. “Quero que cada um de vocês me prometa isto, e se algum de vocês quebrar essa promessa, esse homem não andará mais”, disse o Auxiliar Invisível.

Os ladrões perceberam que algo estava errado, mas não sabiam o que era. Eles prometeram ser bons, e o Auxiliar Invisível levantou-se da mesa sem a ajuda deles. Isso os deixou muito assustados, pois, não conseguiam entender o que estava acontecendo. O Auxiliar Invisível disse-lhes que eles poderiam ir, e assim o fizeram rápidos. E os Auxiliares Invisíveis continuaram com seu trabalho em ajudar a todos os seres vivos que estivesse em dificuldades.

Aqui está como alguns viajantes foram ajudados em um país estrangeiro.

Alguns Auxiliares Invisíveis foram enviados para ajudar a uma mulher a entrar em um trem, em um lugar muito inóspito. As estradas estavam barrentas e estava muito escuro, já que era tarde da noite. Os Auxiliares Invisíveis encontraram um homem e perguntaram a ele onde o trem iria parar. Ele apontou o lugar, e eles esperaram lá com a mulher.

O trem chegou, mas não ia parar. O Auxiliar Invisível deu sinal para o trem parar, apitou e parou o trem. Era um trem de carga, mas um homem, responsável pelo trem, disse que havia alguns passageiros no quinto vagão. A mulher entrou no quinto vagão, que era um vagão de gado, e o responsável do trem fechou a porta.

Os Auxiliares Invisíveis, então, entraram, olharam as pessoas e viram que deviam ter cavalgados o dia todo. O balde de água estava vazio, e uma senhora doente que estava esticada em uma cama improvisada estava pedindo água. O Auxiliar Invisível pegou o balde e flutuou pela porta do carro. Ele foi até o motor e pegou um balde de água, enquanto o outro Auxiliar Invisível flutuava ao seu lado. Os Auxiliares Invisíveis retornaram e entregaram a um homem o balde de água para que as pessoas pudessem beber água.

Havia uma vaca e um bezerro em cercados improvisado dentro do vagão. O vagão estava frio e as pessoas ficavam cobertas pelas palhas do chão para ficar um pouco mais quentes. Não havia comida no trem, e a maioria das pessoas tinha cestas de comida. Os Auxiliares Invisíveis trataram a mulher doente e ela já conseguia ficar sentada quando eles saíram do vagão. Os Auxiliares Invisíveis fizeram tudo o que podiam para as pessoas e os animais que estavam naquele vagão do trem; e então eles saíram e continuaram com suas atividades.

********

Agora vou contar uma história sobre como um Auxiliar Invisível consciente foi introduzida em um novo corpo. Essa foi uma das muitas experiências incríveis que esses Auxiliares Invisíveis tiveram. Eles viram parte do que aconteceu com outra Auxiliar Invisível que havia sido fiel em seu trabalho.

Alguns Auxiliares Invisíveis foram para a casa de uma senhora doente. Essa senhora tinha cerca de quarenta e cinco anos e nunca se casou. Os familiares e conhecidos da senhora e o médico estavam ao seu redor, pois ela estava muito perto da morte. Uma Auxiliar Invisível viu sua aura brilhante e falou com ela. “Somos amigos; portanto, não tenha medo”, disse ela.

“Oh, eu vou morrer?”, a mulher doente perguntou. “Meu trabalho apenas começou e eu quero viver”.

“Talvez você não morra”, disse a Auxiliar Invisível. “Vamos torcer que não”.

“Eu tive um namorado que também era o meu melhor amigo, e ele morreu há um ano”, disse a senhora. “Não, ele não morreu; ele foi introduzido em outro corpo em uma cidade distante. Era o corpo de um jovem de vinte anos, e ele está agora em uma escola de medicina oriental. Seus novos pais são ricos. Meu querido amigo me conhece desde que ele fez a mudança “.

“Diga-me como isso aconteceu”, disse o Auxiliar Invisível.

“Ele ficou doente com pneumonia, e o médico disse que não poderia viver; sua idade trabalhava contra ele. Ele tinha cinquenta anos. Ele piorou rapidamente. Uma noite, enquanto eu estava sentada sozinha com ele, um homem muito bom apareceu e me disse que ele ia colocá-lo em outro corpo para que ele pudesse terminar o seu trabalho e que eu poderia ver como isso seria feito. Eu perguntei e pedi para ser colocado em outro corpo, também. O homem disse que não podia fazer isso. Eu perguntei ao homem se meu querido amigo saberia disso”.

“Sim, e você também, e será um teste do amor dele por você”, disse ele.

“Oh, deixe-me morrer!”, eu disse. “Não posso esperar que um menino me ame. Por que não me levar para o céu e me deixar esquecê-lo durante a minha estada lá? Oh, isso é demais”.

“Se você o ama e confia em Deus, as coisas podem dar certo para você”, o homem disse para mim.

A senhora disse aos Auxiliares Invisíveis que dissera ao homem:

“Há vinte e cinco anos somos namorados, e trabalhamos à noite durante vinte anos. Por que fazer isso quando há tanto tempo já trabalhamos juntos?”.

Então ela continuou:

“O homem me mostrou uma cena que tinha ocorrido cerca de quinze anos antes. Meu amigo e eu estávamos sentados conversando e planejando sobre o nosso futuro. Nós planejamos o que faríamos se pudéssemos ter corpos mais jovens e ter o mesmo conhecimento que tivemos então O homem conversou comigo sobre isso, e eu disse que tinha pensado que tal coisa era possível para nós, mas agora isso aconteceu com ele.

“O homem foi embora e voltou três dias depois para minha casa e me disse para ir com ele, e fomos na casa do meu amigo doente e o levamos conosco. Outro homem me encontrou e me levou para outra casa onde um menino vinte anos de idade estava muito doente.

Esse garoto era um estudante universitário. O homem entrou com meu amigo e o colocou ao lado da cama e atou o Cordão Prateado ao corpo do garoto, e então retiraram o ego do garoto. Meu amigo entrou no corpo e os homens trabalharam nele e ele pode falar. Eu pensei que meu coração iria explodir, porque eu acreditava que estava perdido para mim. Eu não sabia onde ele morava agora nem seu novo nome, e fiquei doente com isso.

“Bem, uma noite meu amigo veio a mim no meu quarto, e nós tivemos um momento feliz. Ele me levou para sua casa, depois que nosso trabalho foi feito e me disse seu novo nome e seu novo endereço. Eu escrevi para ele, e dois dias depois recebi uma carta dele, e minha alegria não conheceu limites. Naquele verão ele veio me ver pessoalmente. Este foi um teste para nós dossel era velha e de cabelos grisalhos, e ele era jovem e bonito. Perguntei a ele, sem titubear: “Você me quer, uma velha senhora, quando você tem juventude, riqueza e felicidade?”. Parecia que a eternidade passava antes que ele respondesse, pois ele olhava para as vantagens materiais que teria se ele me abandonasse.

“Adeus, mundo”, ele disse, e me pegou em seus braços. “Meu  amor”, disse ele, e eu sabia que ele havia passado no teste.

“Fui à sua antiga casa e peguei todos os seus livros e documentos e os enviei para ele, e ele continuou estudando. Agora estou doente e entreguei ao meu amigo todos os meus livros e documentos”.

“O que eles fizeram com o corpo dele?”, um dos Auxiliares Invisíveis perguntou.

“Eles incineraram”, ela respondeu.

“Como ele é tratado pelos seus novos conhecidos e parentes?”, perguntou o Auxiliar Invisível.

“Eles são tão bons quanto podem ser para ele”, disse ela. “Ele tem uma irmã e não tem irmãos. Sua nova mãe faz tudo o que pode para ele, mas ela não o entende desde que ele se recuperou de sua doença, pois ele está completamente mudado. Ele se acalmou e não conhece seus ex-amigos. Ele está à frente de sua classe na faculdade “.

Um homem apareceu e falou com a mulher doente: “Minha amiga, venha comigo”, disse ele.

“Espere um momento, por favor”, disse ela, e chamou a mãe e o pai idosos, beijou-os e disse-lhes que fossem bons, enquanto ela ia dormir, ela se deitou e saiu do seu corpo. Os dois Auxiliares Invisíveis, que estavam conversando com ela, foram com ela e com o elevado Irmão Leigo que tinha vindo buscá-la.

Quando eles saíram da casa, eles encontraram outra elevada Irmã Leiga que os levou para uma cidade onde uma menina doente, de uns dezoito anos de idade, estava inconsciente em uma cama. O médico estava lá, e ele estava dizendo:

“A crise está agora em curso, e se ela sobreviver, ela terá que se familiarizar com seus amigos mais uma vez. Como ela está em coma muito profundo, ela pode parecer bem diferente quando ela se recupere.

“O elevado Irmão Leigo entrou com o ego da mulher que acabara de morrer e a colocou ao lado do corpo da menina e atou o Cordão Prateado. Então, o separou do corpo velho e rompeu o Cordão Prateado da menina na cama. Depois disso, o elevado Irmão Leigo disse ao ego que estivera em um corpo mais velho para entrar, e trabalhou no coração, os pés e em vários outros lugares do corpo. Ele estava conectando o Corpo Vital no Corpo Denso. O ego acordou e chamou seu amor pelo nome.

“Ela vai viver, mas ela estará muito fraca”, disse o médico. “Apenas deixe seu pai, sua mãe e a enfermeira para vê-la”.

Em pouco tempo, seu amado entrou e ele a abraçou e beijou, e seu rosto se iluminou. Os Auxiliares Invisíveis visitantes lhes deixaram felizes com a mudança que havia sido feita. Os Auxiliares Invisíveis levaram o ego da garota morta para a Região Fronteiriça e a deixaram ali. Era a momento dela de partir, pois seu arquétipo havia cessado de vibrar. Como seu Corpo Denso ainda estava em boas condições, os Irmãos Maiores puderam amarrar outro Ego nele. Os dois homens que fizeram as mudanças nos dois casos foram os mesmos Irmãos Maiores. Um dos Irmãos Maiores disse que esses dois Egos terão vivido cento e vinte anos e cento e quinze anos, antes de realmente morrerem. Isso era, logicamente, o tempo gasto nos dois Corpos que cada uma dessas pessoas tinha vivido.

Os Auxiliares Invisíveis foram informados de que nenhuma dessas pessoas eram Iniciadas, mas eram estudantes conscientes da Fraternidade. O corpo da moça em que a mulher estava atada era bem constituído, e ela tinha uma linda face e um cabelo comprido que ia até abaixo da cintura.

Esses dois amigos nunca se casaram, porque seus pais se opuseram por causa de suas diferenças religiosas. Agora, esses dois amigos próximos se casariam e continuariam trabalhando como Auxiliares Invisíveis.

[1] N.T.: Delirium tremens – uma situação provocada pela abstinência de álcool.

[2] N.T.: Espíritos da Natureza

Capítulo V

Algumas histórias Ocultistas Estranhas

Estudantes místicos e ocultistas geralmente relatam histórias que soam parecerem falsas para aqueles que não estão familiarizados com a ampla gama de trabalhos realizados pelos Auxiliares Invisíveis. As histórias descritas a seguir ilustram alguns destes trabalhos e, também mostram como são fornecidas provas para os estudantes sobre a veracidade dos ensinamentos ocultos e místicos.

Certo dia, um estudante de ocultismo foi almoçar num refeitório, escolheu seu prato e sentou-se à sua habitual mesa. Por meio do pensamento, uma amiga lhe chamou, perguntando se ele gostaria de presenciar um fato incomum. Ela deixou claro que se caso aceitasse, ele não teria tempo para jantar.

“Sim, eu gostaria de ver o que você tem para me mostrar”, ele disse. “Eu posso comer outra coisa em outra hora”.

Então, esta amiga, que é uma Irmã Leiga[1], mostrou-lhe uma jovem mulher que era apresentadora e dançarina em um cabaré. Naquela noite, não estava no trabalho porque pegou uma pneumonia que a afastou do trabalho por uma semana. Nesta condição, ela tinha muito tempo para pensar, enquanto ficava deitada em sua cama. Durante esse tempo enferma e de cama, esta jovem saiu de seu corpo e contemplou seu futuro. Ela se viu numa bifurcação de caminhos. Ela tinha que decidir qual caminho tomaria. Não tinha qualquer consciência da presença de seu Anjo, que estava em pé, atrás dela. Também estava inconsciente da presença de uma forma maléfica de um corpo, criado por seus próprios maus pensamentos e que estava em pé a sua esquerda. Igualmente, não tinha consciência da presença do seu Anjo da Guarda, formado pelos seus bons pensamentos, que ficava a sua direita. Estes três estavam esperando sua decisão.

Então, a jovem mulher foi, lentamente, caminhando para a estrada do reto viver, deixando o caminho da perdição para trás. Após ter caminhado uns três metros além da bifurcação, o Anjo da Guarda envolveu-a e, seu Anjo, um ser da onda de vida Angélica, derramou seus raios luminosos sobre ela. Neste momento, a forma maléfica de pensamento se virou e desapareceu. Em seguida, a jovem retornou para o seu Corpo, entrando pela cabeça, e acordou. Ela pulou da cama e chamou sua mãe, contando que tinha morrido, que havia visto sua vida e para onde sua vida estava sendo levada e, ainda, que tinha decidido viver uma vida melhor. Então, perguntou para sua mãe o que ela deveria fazer. Sua mãe era uma mãe de família típica da sociedade, apreciadora de uma vida boa e não sabia o que dizer para ela. “Espere até ficar boa, pois você pode mudar de ideia”, disse a mãe.

A Irmã Leiga, que estava mostrando todos estes acontecimentos para o estudante, lhe disse que enviaria um Auxiliar para esta jovem moça, a fim de lhe instruir sobre o que ela deveria fazer. Esta jovem pertencia a uma família de bem e acabou indo para um cabaré pelo prazer que aquele ambiente lhe proporcionava.

O aspirante teve que deixar seu jantar sem poder tocá-lo, mas sentiu-se mais do que retribuído, pois ele pode presenciar uma visão maravilhosa. Você pode imaginar que visão maravilhosa poder ver uma garota em seu Corpo de Desejos acompanhada pelo seu Anjo da Guarda, composto pelas boas forma-pensamentos que jovem tinha criado, e ver um Anjo verdadeiro com sua ampla aura composta de cores delicadas e brilhantes?

A forma maléfica de pensamento era realmente seu corpo de pecado. Este corpo de pecado é composto por um Corpo Vital e por um Corpo de Desejos, e possui uma consciência individual que é muito impressionante. Ele não pode raciocinar, mas há uma pequena astúcia presente nele que lhe faz parecer como se, na verdade, fosse dotado de um ego interno, e essa astúcia o permite viver uma vida separada, após a morte do Corpo Denso do Ego que o fez. Quando este Espírito retorna a terra, este corpo de pecado é, naturalmente, atraído para ele e normalmente permanece com ele por toda a nova vida como um demônio.

A próxima história também é muito impressionante e dará uma pequena ideia de como um Ego avançado, espiritualmente, morreu e foi transferido para um Corpo de outro homem, cujo tempo finalizou e cujo arquétipo parou de funcionar, embora seu Corpo ainda estivesse fisicamente sadio.

Um dia um estudante dos Ensinamentos Ocultos estava sentado escrevendo em sua escrivaninha quando um Irmão Leigo lhe perguntou se gostaria de ver um Irmão Leigo desencarnar. “Sim”, falou o estudante, “e posso convidar minha amiga para ir também?”.

“Não, desta vez”, o Irmão falou, “mas você poderá contar a ela depois”.

“No, not this time,” the speaker said, “but you may tell her about it.”

O estudante foi se deitar e rapidamente dormiu. Saiu de seu corpo pronto para partir. Ambos partiram e chegaram numa casa que ficava na costa oeste e no alto de uma colina, com uma bela vista para o Oceano Pacífico, onde morava um ancião. Este ancião era um Irmão Leigo muito avançado que curava todos aqueles que viessem até ele até ele.

Três homens e uma mulher estavam tentando comercializar suas habilidades maravilhosas para curar definitivamente, com o objetivo deles quatro se enriquecer.

Antes, o ancião morava sozinho. Um dia, esta mulher se ofereceu para trabalhar como sua empregada. Os três homens estavam conchavados com   essa mulher. O plano da gangue era convencer as pessoas que lá chegavam para buscar ajuda, a darem dinheiro para suposta construção de um templo dedicado ao ancião. Assim, eles poderiam ter algo para homenagear a sua memória. As pessoas doavam o dinheiro e eles se apropriavam. Este golpe durou três meses, e, durante esse tempo, eles coletaram uma soma razoável.

A mulher, que permanecia na casa do ancião o dia todo, começou a experimentar uma mudança nela mesma, e queria   confessar tudo o que ela tinha tramado contra o ancião.  Porém, o líder da gangue disse que a mataria se ela contasse. Os outros dois homens também foram afetados pelas altas vibrações do Irmão Leigo ancião, e, por isso, se recusaram a pegar qualquer quantia do dinheiro coletado; então o líder ficou com todo o dinheiro e foi embora. Isto havia acontecido no mesmo dia em que o estudante foi lá para ajudar.

Já no local, o estudante viu um homem indo para a casa do ancião. Era um homem que rastejava todo um lado do seu corpo. O estudante pôde notar que o braço direito desse homem estava caído ao longo do corpo e que ele só utilizava a sua mão esquerda. O Irmão Leigo ancião saiu na varanda de sua casa e o homem aleijado foi até ele e se deitou a seus pés. Gradualmente ele começou a se, ao mesmo tempo em que se fortalecia e seu braço direito voltava ao normal. Ele começou a transpirar e grandes gotas de suor começaram a se formar em seu rosto. Então, ele se levantou e gritou de alegria.

Em seguida, ele curou um pequeno garoto que andava de muletas. As muletas caíram e ele foi andando até o ancião, que o pegou no colo e lhe disse para amar toda a humanidade, independentemente da cor, raça, ou credo e orar.

Uma mulher em uma cama implorava a Deus para que lhe ajudasse.  O ancião estendeu sua mão e ela se levantou e caminhou em direção a ele: estava totalmente curada.

Depois disso, o ancião abençoou a todos que estavam ao alcance de sua voz. O ar estava muito tenso, e parecia que estavam na presença de Deus. Muitos olhos ficaram mareados com lágrimas.

Um homem trouxe seu filho para ser curado pelo ancião. Isso porque o garoto havia implorado e suplicado para seu pai o levar. Finalmente, o pai levou seu filho ao ancião, mas não tinha fé como o menino. O homem disse a seu filho aquilo tudo era uma farsa e que eles só queriam tirar dinheiro das pessoas. Após eles chegarem na casa do ancião, o pai do menino tirou uma pequena garrafa de bebida alcoólica para tomar, e seu braço ficou paralisado, permanecendo imóvel a cerca de cinco centímetros de sua boca. Neste momento, o menino já tinha entrado na casa, sido curado pelo ancião, e estava voltando. Quando ele viu seu pai paralisado, e tremendo com muito medo e transpirando profusamente, lhe pediu para orar. “Eu não sei como”, disse o pai, e então ele olhou para seu filho e viu que ele estava curado. Isso o fez ficar tão atônito a ponto de desmaiar. O menino correu de volta para dentro da casa e trouxe o ancião consigo. O ancião esticou sua mão sobre o homem caído, que recobrou a consciência, se levantou, e foi até o ancião que veio ajudá-lo. O pai agora era um outro homem.

“Eu quero aprender a curar assim”, disse o estudante que estava observando tudo.

“Irmão, tenha certeza que você saiba o que está pedindo porque muito será exigido de você antes que possa alcançar este estágio”, disse o Irmão Leigo que o havia levado para aquele lugar.

“Deixe-me manter minha família e meu trabalho, e eu pagarei o preço que for preciso”, o estudante replicou.

“Resta pouco tempo para mim e eu tenho mais duas pessoas para curar”, falou o ancião. “O homem trará o dinheiro de volta, você o pegará para mim e o entregará a um homem que irá encontrá-lo na estrada”. O estudante perguntou se ele conhecia o homem e foi dito que ele o reconheceria pela marca de Vênus nele. O Irmão Leigo contou que ele reconheceria o homem de qualquer forma quando o encontrasse.

As duas pessoas que eram esperadas vieram, e o ancião as curou. Então um carro chegou até a casa, e o líder da gangue saiu e se apressou dentro da casa carregando uma mala. O homem confessou tudo o que fez e deu o dinheiro ao ancião. Então a mulher confessou e assim também os outros dois homens e o ancião os perdoou. A mulher falou que gostaria de ficar lá e ajudá-lo. O Irmão Leigo contou a ele que ele estava partindo e que levaria séculos para ele retornar. Ele disse que ela poderia ficar com o lugar e continuar o trabalho servindo aos outros e orando, mas ela não poderia cobrar nada.

As duas pessoas que eram aguardadas apareceram, e o ancião curou ambos. Logo em seguida, parou um carro em frente à casa do ancião. O líder da gangue desceu do carro e entrou na casa com uma pequena bolsa de viagem. Ele confessou tudo o que tinha feito para o ancião e lhe entregou todo o dinheiro coletado. A mulher também confessou, juntamente com os demais. O ancião perdoou a todos. A mulher disse que gostaria de ficar lá e ajudá-lo. O Irmão Leigo disse que ele iria embora e que passaria séculos antes que ele retornasse.  E que ela poderia ficar na casa e continuar o trabalho por meio de orações e do serviço aos outros, mas ela não devia cobrar nada.

A mulher vendo como o ancião curava os doentes e aflitos e como ele era bom, foi se tronando uma pessoa melhor. Ela estava arrependida e tentou ser melhor, e então ela começou a orar do seu jeito para se tornar íntegra e pura. Sua confissão pavimentou o caminho para uma vida melhor. Seres Superiores deram a ela a chance de continuar o trabalho do ancião Irmão Leigo. Se ela vivesse a altura sua promessa, ela receberia mais poder para curar outros. Muitas pessoas que começaram a fazer as coisas erradas, como ela fazia, depois mudaram, e começaram a viver vidas boas e úteis. Esperemos que ela seja fiel na sua promessa e que sempre faça o que é certo.

Após isto o alto Irmão Leigo disse, “Meus amigos, preciso ir agora”. Em seguida, apareceu em pé, ao lado de seu corpo. O quarto se tornou iluminado com uma luz ofuscante de sua aura brilhante. Havia muitos Liberados e Irmãs e Irmãos Leigos presentes na casa, e a casa estremeceu. Alguns homens levaram o corpo do ancião da cadeira para a cama, mas um Irmão foi informado para dizer a eles que deixassem o corpo sozinho. Eles cobriram o corpo com um lençol e saíram do quarto. Eles mal saíram e o corpo se desintegrou rapidamente permanecendo apenas suas roupas, sapatos e o lençol. Seu corpo foi desintegrado assim como o corpo de Elias e outros que viveram vidas santas.

Ao estudante foi solicitado que pegasse as roupas e sapatos e os queimasse. Ele fez isto, depois ele saiu e contou que o ancião havia realmente partido. Então, o estudante levou o dinheiro e outras coisas para um amigo do ancião que vivia a alguma distância e voltou para casa, reentrou em seu corpo, e se levantou.

Alguns dias depois este estudante e sua amiga foram acompanhados por quatro Irmãos Leigos e quatro Irmãs Leigas para certo Templo em algum lugar nas montanhas onde havia uma reunião. Aos estudantes foi mostrado, por meio da Consciência Jupteriana, tudo o que aconteceu naquele dia da morte do ancião. A estudante que não estava presente naquele dia viu quão idoso e frágil era o ancião e como era amado pelas pessoas de toda parte do país. Ela viu os trabalhos maravilhosos de cura que ele fazia, e notou a gratidão daqueles que foram ajudados. Ela viu os eventos daquele último dia do Irmão Leigo passando um após o outro. Ela o viu sentado na cadeira e conversando com as pessoas ao se despedir. Ela o viu morrer e sair de seu corpo. Então, o corpo caiu e rapidamente se desintegrou, e logo apenas suas roupas e sapatos permaneceram.

O estudante que havia ido lá ajudar o ancião em seu último dia de vida não sabia onde o Ego havia ido, porque ele saiu para levar a mochila de viagem com o dinheiro para o homem que morava distante.

Neste dia ele viu o que aconteceu depois que o ancião saiu de seu corpo pela última vez. Uma Irmã Leiga o levou através do Mundo do Desejo, através do Mundo do Pensamento, e acima até o Mundo do Espírito de Vida onde ele recebeu um novo desejo de viver. Então ele foi trazido de volta e conectado em outro Corpo por dois Irmãos Maiores.

O outro homem era um jovem, talvez de uns vinte e cinco ou trinta anos. Este homem era um homem normal que viveu uma vida boa e pura, e seu Corpo começou a ficar sensível. Era seu tempo de morrer, e seu arquétipo já havia parado de vibrar. Este homem esteva doente e em estado de coma por muitos dias.

No momento que a mudança foi feita, este homem estava cercado pelos familiares que estavam cuidando dele. Eles não viram os eventos maravilhosos que aconteceram, porque os visitantes estavam em Corpos-Almas, e, portanto, invisíveis para pessoas com visão ordinária.

O corpo do homem na cama estava sem vida e inerte. Seu rosto estava sem cor e seus olhos fechados. O Ego do ancião Irmão Leigo escorregou dentro do corpo logo após o Ego do homem sair dele pela última vez. Então, de alguma forma miraculosa dois Irmãos Maiores conectaram o Ego do Irmão Leigo. Este é um processo muito complicado que não consigo explicar.

Eu gostaria que você tivesse visto a mudança maravilhosa que aconteceu. A cor voltou na face do corpo na cama, e a tez se tornou de uma cor uma rosa e branca muito linda. O homem tinha cabelos castanhos bonitos e lindas características também. O rosto se iluminou e ficou radiantemente bonito. O homem abriu seus olhos castanhos amorosos e olhou as pessoas em sua volta. Os estudantes que estavam observando puderam reconhecer o Espírito do Irmão Leigo ali, pois eles estavam olhando com seus olhos espirituais e com a luz dos outros presentes.

Havia oito Seres Superiores no aposento quando o jovem morreu. Eles estavam o corpo pronto para o ancião Irmão Leigo. Quando o Irmão Maior voltou com o Ego do ancião que havia falecido, ele se tornou o nono. Havia cinco homens e quatro mulheres. Os parentes do jovem, que também estavam presentes se rejubilaram por vê-lo voltar depois de tanto tempo do coma. Eles perceberam depois que ele havia mudado muito, mas eles não sabiam que agora o corpo tinha um inquilino muito mais avançado.

Todos os Irmãos e Irmãs Leigos que estavam presentes tinham as nove Iniciações Menores, e eram lindos de se olhar. Suas auras eram de cores que mudavam constantemente, e parecia que uma cor era mais bonita que a anterior. A estudante estava muito entusiasmada pelo cenário destes eventos e seu corpo e rosto brilhavam também. Uma das Irmãs Leigas teve que chamá-la a atenção duas vezes para silenciá-la. Os outros sorriam para ela, pois estavam contentes de vê-la tão feliz.

Agora, um dos motivos desta estudante estar tão entusiasmada era que ela reconheceu o corpo do jovem que havia morrido. Ela já o havia encontrado antes, e tinha certeza de sua identidade. Ela reconheceu seu rosto quando o viu se iluminar após o Irmão Leigo ser conectado a ele. Ela esperava ver este Irmão Leigo pessoalmente algum dia.

Não é maravilhoso saber que um Ego pode ser conectado a um novo Corpo quando seu Corpo velho se tornou inútil para continuar a ser usado? Max Heindel nos conta no livro O Conceito Rosacruz do Cosmos que foi assim que aconteceu quando Jesus foi batizado, no rio Jordão. Jesus saiu de seu corpo, e o grande Espírito Arcangélico de Cristo entrou e foi conectado pelos Irmãos Maiores. Esta mudança foi feita com o total consentimento de Jesus, que sabia a muito tempo que estava preparando o Corpo para o Cristo, que é o maior Iniciado do Período Solar.

Outro exemplo que eu sei deste tipo de trabalho feito por Auxiliares Invisíveis muito avançados foi o conectar do Ego conhecido como Francisco de Assis a um novo Corpo. Ele veio como um monge e foi permitido obter um novo Corpo. Um jovem nobre de Assis, uma cidade da Itália, teve uma doença longa e séria e faleceu. O Ego do monge foi imediatamente conectado por dois Irmãos Maiores. O povo da cidade ficou maravilhado com a grande transformação que aconteceu.

O Ego no corpo assumiu o nome de Francisco e saiu dos muros da cidade e trabalhou entre os pobres leprosos e marginalizados. Este Ego havia sido o Rei Davi em uma vida anterior. Depois renasceu como Jonas, o Profeta. Mais tarde retornou como Apóstolo Pedro e se tornou um discípulo de Cristo Jesus. Pedro retornou e se liberou como Francisco de Assis. Durante sua evolução, este Ego foi conectado em quatro corpos diferentes.

Os Adeptos são seres avançados que já tiveram as nove Iniciações Menores e uma das Iniciações Maiores. Eles podem construir Corpos novos para si mesmos e entrar nele. Alguns Auxiliares Invisíveis estavam presentes na morte de duas dessas pessoas alguns anos atrás.

Quando o Ego do primeiro homem saiu do corpo do ancião, ele deixou um corpo emaciado que parecida apenas pele e ossos. Havia o suficiente para ter um funeral. Então, o Ego foi para outra casa e entrou em um novo Corpo que ele havia construído e foi conectado por dois Irmãos Maiores. Ele participou do funeral de seu Corpo antigo em seu novo Corpo físico.

Em outro momento dois Auxiliares Invisíveis se lembraram de encontrar um homem amigável que mostrou a eles um Corpo que estava construindo, mas que ainda não estava pronto para ser utilizado. Acredito que você irá concordar comigo que estas realmente são histórias estranhas. Você pode comprovar por si mesmo que histórias assim são verdadeiras se estiver disposto a viver uma vida de serviço à humanidade e fazer o esforço necessário.

Aqui está uma história sobre o que aconteceu em uma noite de janeiro, após o falecimento de um ministro. Dois Auxiliares Invisíveis foram instruídos para ir até ao ministro que havia falecido naquela tarde. Eles foram instruídos a ajudá-lo no que fosse possível. Quando chegaram ao local, eles o encontraram em pé ao lado do corpo. Ele estava muito perplexo e ficava andando de um lado para o outro para verificar se ele estava morto. Ele foi até o armário de roupas e depois até as gavetas do armário.

Quando ele viu a Auxiliar Invisível, ele a reconheceu, e ela o conhecia, apesar de não terem se encontrado por vários anos. Quando ele era jovem participou de uma Escola Teológica numa cidade grande, e durante este tempo ele serviu como estudante de Pastor em uma cidade vizinha. Enquanto estudante de Pastor, ele batizou a Auxiliar Invisível e seu primo, que então eram estudantes. Após ele deixar esta pequena Igreja, a Auxiliar Invisível nunca mais ouviu falar dele, até se encontrarem nesta noite, ele em pé ao lado de seu Corpo Denso.

“Estou morto?” – O ministro perguntou para a Auxiliar Invisível.

“Sim, você está, como se diz: morto”, ela respondeu.

“Por que fui ensinado que quando alguém morre não há mais vida para ele e que seus pensamentos perecem com ele?”, ele falou. “Porque o agente funerário colocou esse fluído em mim? Queimou terrivelmente no início e então fiquei frio, como se estivesse congelado. Eu estava revendo a minha vida, quando ele veio e espetou meus braços e começou a colocar o fluído neles. Então, as imagens da minha vida pararam, e estou aqui desde então”.

A Auxiliar Invisível conversou com o homem amedrontado, contando-lhe sobre os Ensinamentos Ocultistas e Místicos e fazendo-lhe várias perguntas. O ministro falou que ele nunca tinha ouvido sobre tal filosofia, e que ele não sabia se deveria acreditar nela ou não. Ele fez várias perguntas a ela. “Eu não fui sempre honesto em relação a meus ensinamentos e talvez você seja minha última tentação”, ele falou.

A Auxiliar Invisível contou que ela não veio para tentá-lo, mas para ajudá-lo, se fosse possível.

“Não há ajuda para ninguém além do túmulo”, ele falou.

A Auxiliar Invisível contou que ele não poderia ser ajudado em forma física, mas que muita ajuda pode ser dada a uma pessoa no Purgatório e em sua vida futura.

“Nós vamos viver novamente?”, ele perguntou surpreso.

“Sim”, ela falou.

“Podemos ter novamente um corpo físico e viver na terra?”, ele perguntou.

“Sim”, ela replicou, e então, mostrou a ele duas de suas vidas passadas.

“Bem, se eu soubesse disso antes, quão diferente teria sido a minha vida”, o ministro falou. “Agora, não sei para onde estarei indo”.

A Auxiliar Invisível disse que se ele tivesse vivido uma boa vida e ajudado a todos, ele se daria bem. Do contrário, ele teria que restituir por tudo aquilo que fez de errado. Ele teria que ir ao Purgatório, e lá ele sofreria pelas coisas erradas que havia feito aos outros; então, ele iria para o Primeiro Céu e se regozijaria por todas as coisas boas que havia feito na Terra.

“Me arrependo de não ter vivido uma vida melhor”, ele falou. A Auxiliar Invisível perguntou ao ministro se ele já tinha visto algum Anjo, e ele tentou se evadir da pergunta, porque ele não queria respondê-la. “Você já viu algum Anjo?” – A Auxiliar Invisível perguntou novamente.

“Não, e nenhum outro”, ele falou. “Eu duvido que exista algum”.

“Eu já vi Anjos, e são Seres maravilhosos”, ela respondeu, e descreveu um.

“Bem, imagino que sim, pois você me contou coisas estranhas e me mostrou algumas coisas maravilhosas. Devo acreditar que existem Anjos”, ele falou.

A Auxiliar Invisível contou a este homem que a coisa mais importante de todas é viver uma vida boa e limpa e que com o tempo a pessoa aprenderá todos os mistérios de Deus. O ministro falou que estava interessado em trabalho missionário em terras estrangeiras. A Auxiliar Invisível disse que era inútil enviar missionários para terras estrangeiras para ensinar religião. “É certo ir para outros países e ensinar as pessoas”, ela falou, “mas as pessoas que fazem isto deveriam deixar a religião dos nativos em paz, pois foi dado a eles a religião que necessitam no presente momento, pelos Seres Superiores, que estão guiando a evolução nessa Terra. A medida que as pessoas se tornam mais educadas, elas se voltam para religiões mais elevadas”.

A Auxiliar Invisível perguntou ao ministro se ele queria acompanha-los, mas ele disse, “Não”. Eles sabiam que seu período de três dias e meio para ver seu panorama da vida ainda não tinha acabado, e que ele ainda estava conectado ao seu Corpo pelo Cordão Prateado, e, portanto, o deixaram.

Aqui está uma das histórias mais estranhas que eu já ouvi. Auxiliares Invisíveis são autorizados a suspender a lei da gravidade quando são enviados a ajudar pessoas que estão em perigo.

Uma noite a Irmã Leiga disse para dois Auxiliares Invisíveis que se apressassem para alcançar algumas pessoas que estavam em um barco a motor. Enquanto ela falava, já mostrava as pessoas e o local onde as pessoas estavam, por meio da Consciência Jupteriana, que é similar a quadros de um filme. Estas pessoas estavam indo de uma ilha para outra, e alguns homens em um outro barco a motor as perseguiam, com a intensão de roubá-las. As pessoas estavam orando por ajuda para escaparem destes perseguidores.

Os Auxiliares Invisíveis se iluminaram   no barco e se materializaram, e as pessoas ficaram com medo. A mulher gritou, pois não percebeu que elas seriam ajudadas e que suas orações, para segurança delas, estavam sendo respondidas. O outro barco estava se aproximando tão rapidamente que um Auxiliar Invisível teve que suspender a gravidade. O barco se elevou no ar de forma maravilhosa e disparou para frente. As pessoas nele olharam como se estivessem paralisadas, e sem reação, porque nunca haviam visto uma coisa igual.

Eles aterrissaram na ilha, e um homem com sua esposa saíram do barco. Os Auxiliares Invisíveis pediram que eles corressem para casa, e eles foram o mais rápido que podiam. O barco fez meia volta, foi elevado ao ar e começou a se movimentar de volta.  No caminho eles encontraram o outro barco à aproximadamente um quilômetro e meio de distância, e passaram por cima dele. O barco em que estavam os Auxiliares Invisíveis passou tão rápido que os ladrões não conseguiram atirar neles.

A Auxiliar Invisível estava muito feliz com o que aconteceu e muito entusiasmada. As outras quatro pessoas no barco ficaram atônitas com o que aconteceu e com a alegria da Auxiliar Invisível. Após o barco alcançar a outra ilha, as pessoas perguntaram se os Auxiliares Invisíveis eram humanos.

“Sim, somos humanos”, um deles respondeu.

Então, eles quiseram saber como os Auxiliares Invisíveis chegaram no barco. Eles perguntaram se eles saíram da água, que estava repleta de tubarões. Os Auxiliares Invisíveis disseram que eles podem ir a qualquer lugar, para ajudar todas pessoas que eles pudessem faze-lo. Eles explicaram algumas coisas às pessoas e depois partiram, continuando seu trabalho.

Ambos os Auxiliares Invisíveis se lembraram deste incidente claramente na manhã seguinte, e para um deles foi uma das maiores emoções de sua vida. Uma prova como esta é muito convincente, não apenas para aqueles que são ajudados, mas também para aqueles que são Auxiliares Invisíveis.

Aqui tem outra história estranha que mostrará mais sobre o trabalho dos Auxiliares Invisíveis. Alguns Auxiliares Invisíveis foram ao norte para um lugar longe da civilização. Quando olharam para baixo, viram uma casa totalmente isolada, a quilômetros de distância de qualquer sinal de civilização.

“Vamos parar e ver se tem alguém naquela casa”, falou um dos Auxiliares Invisíveis. Eles desceram e viram um homem e uma mulher dormindo, entraram e os acordaram. As pessoas estavam muito felizes de vê-los e falaram que não viam e nem conversavam com uma pessoa há quatro anos. Eles contaram que estavam longe demais de uma cidade para caminhar até lá sem suprimentos de alimentos e munição. Eles estavam vivendo da melhor forma que podiam, mas seus corpos estavam muito magros por falta de comida.

O homem disse que eles se casaram contra a vontade de seus pais e foram exilados da comunidade. Finalmente foram para o norte com um time de cães para encontrar ouro, e conseguiram encontrar um pouco, mas eles não podiam voltar porque seus cães morreram e eles haviam usado toda a munição. Os Auxiliares Invisíveis olharam e viram que a cidade mais próxima ficava milhassem torno de 322 quilômetros de lá por terra e em torno de 120 quilômetros pela água.

Os Auxiliares Invisíveis descobriram que essas pessoas viviam de uma maneira muito ingênua e oravam, já há três anos, para que alguém viesse ajudá-los.

“Nós vimos aviões passando no céu”, o homem falou.

“Alguns dias atrás vimos um avião passando para o leste e outro para o oeste, mas não conseguimos atrair a atenção deles”, a mulher falou.

“Nós vimos pessoas passando pelo ar, também”, o homem falou.

Os Auxiliares Invisíveis sabiam que esses eram Auxiliares Invisíveis passando, e que essas pessoas não conseguiram atrair sua atenção. A razão deles conseguirem ver estes Auxiliares Invisíveis, tanto de dia como de noite, era que a falta de comida fez seus corpos ficarem muito sensíveis. Eles tinham dinheiro e ouro, mas não conseguiam comprar nada com isto.

Um Auxiliar Invisível falou para outro: “Vamos carregá-los para uma cidade!”.

O outro Auxiliar Invisível chamou um Irmão Leigo à distância, por meio do pensamento e pediu autorização para levar o homem e a mulher para a civilização, e isto foi concedido. A esse Auxiliar Invisível foi falado que ele seria responsável por essas pessoas até que estivessem acomodados em algum lugar. O Auxiliar Invisível perguntou para onde poderia carregá-los e foi informado para levá-los para a Costa Leste dos Estados Unidos, a centenas de quilômetros dali.

Os Auxiliares Invisíveis então pediram às pessoas para pegar as coisas que eles gostariam de levar, e também todo o dinheiro, e que eles os levariam a um país onde poderiam viver melhor.

Os dois Auxiliares Invisíveis envolveram as pessoas nos farrapos de roupas que eles tinham, amarraram o dinheiro junto, e o casal foi dormir. Os Auxiliares Invisíveis os elevaram, e quando começaram a flutuar, os Auxiliares Invisíveis colocaram o dinheiro junto ao casal e então partiram para o país de destino. Como foram rapidamente, não demoraram muito para que alcançassem o destino.

Os Auxiliares Invisíveis colocaram o casal no chão e os despertaram. Então os levaram a um hotel, e a Auxiliar Invisível voltou para casa. O outro Auxiliar Invisível permaneceu mais tempo. Quando amanheceu, o Auxiliar Invisível foi junto com o casal comprar umas roupas. Então ele os colocou em um trem para um País no ocidente e prometeu que os veria nesse trem à noite. Ele voltou para o lar às 9hh43min da manhã.

Esses Auxiliares Invisíveis encontraram as pessoas no trem, dois dias depois, e o homem contou para o Auxiliar Invisível que a Auxiliar Invisível havia os visitados no dia anterior. “Ela estava em nosso vagão conversando conosco quando o condutor entrou, e ela saiu pela porta e desapareceu, e o condutor ficou admirado. Quem são vocês e de onde vieram?” – O homem perguntou. “Vocês não vão nos contar seus nomes?”.

Os Auxiliares Invisíveis contaram às pessoas sobre seu trabalho, mas não falaram seus nomes, porque isso não é permitido nos Planos Internos. O homem e sua esposa agradeceram a eles e a Deus pela ajuda que receberam. As pessoas não acreditaram que os Auxiliares Invisíveis eram humanos e pensaram que eram Anjos. Os Auxiliares Invisíveis viram essas pessoas várias vezes, desde então.

Aqui está uma história de como um novo lar foi encontrado para um pequeno garoto que tinha visão espiritual. Numa noite no mês de maio, alguns Auxiliares Invisíveis estavam nas montanhas num dos estados do Leste, quando chegaram à uma cidadezinha na encosta da montanha. Havia chovido muito forte; as estradas estavam inundadas e a água estava enchendo os porões de algumas casas. E os Auxiliares Invisíveis estava ajudando algumas pessoas, que estavam dentro de automóveis, sendo levados pela enxurrada. Eram vários adultos e crianças que estavam atravessando a enxurrada e que acabaram sendo levados em direção a alguns carros, e que foram colocadas em segurança pelos Auxiliares Invisíveis.

Os Auxiliares Invisíveis salvaram um garoto pequeno que estava sozinho. Eles viram que a sua Aura dele era muito brilhante e bonita, e por isso, souberam que se tratava de uma criança avançada espiritualmente. Os Auxiliares Invisíveis o transportaram até seus pais, que viviam no alto da montanha.

“Por que vocês deixaram seu filho pequeno para trás?”, perguntou um dos Auxiliares Invisíveis.

“Ele é uma criança engraçada e diz coisas tão estranhas que eu não o quero”, respondeu sua mãe.

“Sim, ele é uma criança estranha”, o pai falou. “Mas, eu o amo, e desejo encontrar um bom lugar, onde possa crescer e se tornar um homem bom.

Um dos Auxiliares Invisíveis lembrou de uma senhora que ele conheceu e que vivia no mesmo Estado, e falou a outra Auxiliar Invisível que iria visitar esta senhora e que ela deveria esperar até que ele retornasse. A Auxiliar Invisível insistiu para ir junto. Então, os dois seguiram para casa da senhora e quando a acordaram explicaram que estavam à procura de uma casa para um menino com um grau de desenvolvimento elevado e que tinha aproximadamente cinco anos de idade. Eles perguntaram se ela gostaria de cuidar dele.

“Sim, ela disse, “mas esperem até eu perguntar ao meu marido”.

O marido chegou e conversou com os Auxiliares Invisíveis sobre a criança. Ele queria saber se eles eram os pais da criança e eles responderam: “Não”. Ele disse que precisaria ver a criança, e que, então, pegaria seu carro e iria até a criança imediatamente. Um dos Auxiliares Invisíveis disse que era muito longe. Então, este Auxiliar Invisível chamou uma amiga, que passava a maior parte de seu tempo trabalhando como Auxiliar Invisível, e quando ela chegou na disse que gostaria de ver seu irmão e sua irmã. O homem, um médico, a recebeu e ficou admirado de sua beleza, e por várias vezes perguntou se ela era irmã do casal de Auxiliares Invisíveis.

“Sim, por quê?”, ela perguntou, com tom de voz agradável.

“Porque você parece tão perfeita”, o médico falou. “Você parece mais do que humana”.

Esta Auxiliar Invisível, que é uma Irmã Leiga, disse ao médico e sua esposa para se deitarem e que ela os levaria até a criança. Ela os fez dormir, e todos foram levados até à criança. Então, ela acordou o médico e sua esposa, mostrou a eles a criança e, imediatamente, eles gostaram dela.

A Irmã Leiga perguntou à mãe do menino se ela entregaria seu filho ao casal e a mãe respondeu: “Sim”.

Então, a Irmã Leiga pediu suas roupas e ela o vestiu, depois colocou um anel em seu dedo que tinha ganhado de alguém. Ela falou aos pais que no futuro iriam procurar por ele, mas que jamais o veriam nesta vida. Ela disse ao pai que poderia ver seu filho em sonho, porém nunca saberia do seu destino.

A Irmã Leiga pediu um lençol e enrolou o menino cuidadosamente nele. A senhora Auxiliar Invisível pediu para segurá-lo, e sendo autorizada a fazê-lo, o levaram à casa do médico. O médico e sua esposa retornaram para seus Corpos; e quando a esposa abriu a porta, e a Irmã leiga, que é uma Liberada, acordou a criança. Então, perguntou ao médico e a sua esposa se desejariam ficar com o garoto, e eles responderam que “Sim”. Então, a Irmã Leiga colocou a criança entre eles e fez alguma coisa que o olhar atento dos Auxiliares Invisíveis não puderam acompanhar.

“Ele agora é de vocês até que a morte os separe”, disse a linda Irmã Leiga. Ela disse a criança que a partir de agora que esta seria sua casa, e que aquelas pessoas seriam seu papai e sua mamãe.

“Estou muito feliz por tê-lo”, disse a esposa do médico. “Por favor, nos conte sobre tudo isto. Quem somos nós; quem é esta criança e por que meu marido e eu estamos tão ansiosos por tê-lo?”.

“Este Ego prestou muitos serviços para vocês dois num passado muito distante, e agora vocês terão a chance de pagar esta dívida, dando-lhe uma casa e a oportunidade de fazer o bem”, disse a Irmã Leiga. “Se prestarem atenção ao que esta criança diz, ambos obterão muito proveito com isso”.

A Irmã Leiga partiu com os Auxiliares Invisíveis, mas os Auxiliares Invisíveis voltaram para ver o que os dois iriam dizer.

“Agora que você tem um menino, faça de tudo por ele, da mesma maneira como se fosse seu”, o marido disse para sua esposa.

“Eu sinto como se ele fosse meu próprio filho”’, ela respondeu.

‘Eu também’, ele respondeu. “Eu me pergunto que tipo de pessoas eles são e se são humanos, pois não parecem ser. Nossa! Aquela mulher não era linda? Ela me fez sentir tanta paz”.

Então, a mulher pegou a criança, deu-lhe um banho e o colocou na cama, e os Auxiliares Invisíveis partiram, sabendo que ele seria muito bem cuidado. Os Auxiliares Invisíveis retornaram   muitas vezes para ver o menino. Agora o médico e sua esposa tem uma garotinha, e ela e o menino são muito próximos. Todos estão se dando muito bem e estão felizes juntos.

Uma vez os Auxiliares Invisíveis estavam na Ásia, e conforme iam passando pelo ar, eles olharam para baixo e viram alguns bandidos a ponto de matar algumas pessoas brancas em um automóvel que estavam atravessando um trecho arenoso do País. Os bandidos tinham três punhais, numa bainha de cobre nas extremidades.

Um bandido estava prestes a ferir uma mulher no abdómen quando os Auxiliares Invisíveis apareceram. Um Auxiliar Invisível derrubou o bandido e este se virou contra ele tentando golpeá-lo. A segunda Auxiliar Invisível foi atrás de outro bandido que tentou cortar o braço dela. E o terceiro bandido se juntou ao seu colega e juntos estavam a ponto de feri-la quando o primeiro Auxiliar Invisível pediu que ela desaparecesse. Ela fez isto imediatamente e os homens se chocaram e acabaram se ferindo um ao outro seriamente. E com isto acabaram se envenenando um ao outro, uma vez que haviam colocado veneno em seus punhais. Os outros três bandidos perseguiram o primeiro Auxiliar Invisível. E enquanto isto acontecia a segunda Auxiliar Invisível libertou as pessoas brancas.

Toda vez que um bandido tentava golpear o primeiro Auxiliar Invisível, o golpe atingia um chinês, e assim aconteceu com cada um deles que ficaram feridos no chão. Porém, o lugar era muito distante para que os Auxiliares Invisíveis pudessem leva-los a um hospital, e isso seria feito, se as circunstâncias o permitissem.

Os viajantes estavam a caminho de outro país. Os Auxiliares Invisíveis os ajudaram a consertar os pneus no automóvel para que pudessem seguir viagem. Os bandidos haviam colocados pregos no caminho para atrasar os viajantes que passassem por lá, pois eles sabiam que quando furassem os pneus os viajantes eram obrigados a parar. Quando as pessoas estavam prontas para seguir viagem, os Auxiliares Invisíveis foram ver os bandidos, e estes já estavam mortos. Os Auxiliares Invisíveis enterraram seus corpos bem fundo na areia para que nenhum animal ou pássaro pudesse perturbá-los.

Os viajantes estavam se perguntando de onde vinham e quem eram aqueles Auxiliares Invisíveis. Então, a mulher perguntou para a Auxiliar Invisível se ela era humana ou um Anjo, e a Auxiliar Invisível disse que era humana. Os viajantes eram pessoas intelectuais e os Auxiliares Invisíveis sabiam que conversar com eles seria muito bom, então, pediram que praticassem coisas boas e úteis em suas vidas e que desenvolvesse seus corações; assim poderiam fazer o que os Auxiliares Invisíveis tinham feito quando ajudaram a salvá-los. Então os Auxiliares Invisíveis desapareceram e foram embora.

Estes Auxiliares Invisíveis foram para a África, onde viram uma cobra naja que estava a ponto de picar um bebezinho. Um Auxiliar Invisível desceu, pegou o bebê e o afastou da cobra naja, que era muito grande e venenosa. Os Auxiliares Invisíveis levaram o bebê até ao seu lar e contaram a seus pais sobre a cobra naja; seis homens saíram e a mataram. A cobra naja tinha mais de sete metros de comprimento. Os nativos contaram que quatro dessas cobras enormes foram vistas e que já haviam matado dois de seus corredores.

Os Auxiliares Invisíveis, então, aproveitaram e foram ver uma leoa com seus filhotes que haviam ajudado há algum tempo atrás. O pai leão estava lá desta vez e tinha uma cabeça e um pescoço muito grande. Uma das Auxiliares Invisíveis foi até ele, fez amizade e tirou alguns galhos e sujeira de sua juba. Ele lambeu suas mãos, olhou para ela e deitou a seus pés. Os filhotinhos corriam em volta dela, e quando ela sentou, eles subiam em seu colo e ela se divertiu muito com eles.

Neste momento o Auxiliar Invisível viu seis caçadores nativos com um homem e mulher brancos vindo naquela direção. Eles estavam a ponto de atirar nos leões quando o Auxiliar Invisível gritou dizendo para não matar os leões. A Auxiliar Invisível se levantou e foi até os caçadores e os filhotes a seguiram. Ela lhes disse que os leões eram seus irmãos menores e que não deviam machucá-los. Os caçadores pensaram que a Auxiliar Invisível fosse louca. O homem branco viu os anéis e o relógio da Auxiliar Invisível e disse aos homens para pegá-los. Eles foram em sua direção e os leões se levantaram e foram ajudá-la. Neste momento os homens tentaram atirar nos leões, porém suas armas não dispararam.

Isto aconteceu, porque o Auxiliar Invisível havia pedido às Salamandras para ajudá-los. As Salamandras são responsáveis pelo início de todos os fogos e explosões. Elas são Espíritos da Natureza, e seus corpos são de cores de chamas clara e de vários tamanhos.

A caçadora branca desmaiou e caiu no chão e, neste momento apareceu uma cobra píton e se enrolou nela. A cobra havia dado duas voltas no corpo da mulher, quando o Auxiliar Invisível vendo, pediu que a cobra parasse.

Neste momento veio um veado correndo da floresta e parou aos pés da Auxiliar Invisível. Uma cobra píton o estava perseguindo quando saiu da floresta e veio em direção a eles. Por um momento a situação se mostrava bastante emocionante. Havia duas cobras, quatro leões, um veado, seis nativos e dois caçadores brancos, um homem e uma mulher, todos agrupados próximo a floresta. E todos se posicionaram em volta da Auxiliar Invisível, que se mostrava amável com os leões e parecia muito amiga deles. O Auxiliar Invisível estava preocupado diante da situação e pensando numa maneira em como impedir que as pessoas, os animais e as cobras atacassem uns aos outros.

O Auxiliar Invisível pediu a Auxiliar Invisível que mandasse o veado em uma direção, as cobras em outra e as pessoas em outra diferente. O veado, as cobras e os caçadores estavam felizes em partir, já que as coisas estavam emocionantes demais para eles.

Depois que todos foram embora, a Auxiliar Invisível colocou os leões de volta nos seus devidos lugares, exatamente da forma que o Espírito-Grupo dos leões havia mostrado a ela, há algumas semanas antes, a fim de proteger a leoa e seus leõezinhos do perigo, e então, os dois Auxiliares Invisíveis foram embora. Para mim, esse acontecimento foi muito marcante, pelo modo como os Auxiliares Invisíveis salvaram todos, livrando-os uns dos outros.

Numa noite de junho alguns Auxiliares Invisíveis foram enviados para umas montanhas altas na Ásia para conduzir um ancião de oitenta anos, que havia morrido, para o Purgatório e também levar sua filha para a civilização. A filha tinha trinta anos e nunca havia saído das montanhas. Ela tinha a consciência dos Planos Internos à noite e podia deixar seu Corpo Denso durante o sono, mas não sabia como sair de sua casa durante o dia.

Os Auxiliares Invisíveis levaram essa mulher para os monges que viviam em um mosteiro muito abaixo na encosta da montanha, e um homem disse aos Auxiliares Invisíveis que cuidaria dela. Essa mulher não queria deixar sua casa, mas os Auxiliares Invisíveis a levaram mesmo assim, porque foram orientados a arrumarem um novo lar0 para ela. Eles descobriram que ela sabia ler e escrever, e que ela gostava muito de animais. Ela tinha cobras, cervos e gatos selvagens como bichos de estimação, e eles não atacavam uns aos outros.

A casa em que ela vivia era feita de pedras e tinha sete quartos. A mulher falou que eles nunca tiveram luz à noite e nem precisavam ter. Ela mesma plantava seu alimento todos os anos e nunca havia comido carne.

Os Auxiliares Invisíveis ouviram a história da família dela pelo homem que ficou responsável por ela. Ele era um elevado Irmão Leigo, e ele a tinha instruído, quando ela estava fora de seu corpo durante o sono.

Muitos anos antes, a mãe da jovem mulher, uma mulher jovem branca se casou com um homem nativo que era muito atraente para as mulheres, e isso a deixava muito ciumenta. A mulher gostava de explorar a montanha e um dia ela encontrou um lugar plano muito acima da linha das árvores. Esse lugar era quente, agradável e com muita vegetação. Ela mandou construir uma mansão naquele lugar. Eles usavam como um retiro para os dias mais quentes.

Um dia a esposa ciumenta planejou fazer algo muito estranho e incomum. Ela estocou comida suficiente na casa para passar seis meses. Ela tinha todos os tipos de comida disponíveis daquele lugar. Ela plantou um jardim com milho, trigo e outros alimentos que cresciam naquela região. O clima era quente e confortável durante o ano todo.

Depois que a esposa havia arrumado tudo da forma como ela queria, ela drogou seu marido e mandou alguns serviçais carregá-lo até a casa, dizendo que ela ficaria com ele para sempre lá em cima, para não o ver com outra mulher.

Depois de uma semana que eles já estavam lá, a mulher mandou levar uma reserva enorme de comida, velas e outras coisas. Depois que os nativos partiram, ela foi caminhar com o marido, porque ele gostou do lugar para descansar um pouco e gostou da mudança.

Naquela noite houve um desmoronamento de 60 metros na montanha e todas as saídas da propriedade foram bloqueadas, e eles ficaram isolados, porque não havia como alcançá-los.

Quando eles perceberam sua condição, acabou a felicidade dos dois. O marido começou a trata-la muito mau. Ele teve que trabalhar na terra e nunca perdoou a esposa por levá-lo até lá. Pouco tempo depois disso uma criança nasceu e depois mais três, conforme o tempo foi passando. A última criança, essa jovem mulher, nasceu trinta anos antes dos Auxiliares Invisíveis a conhecerem. A mãe faleceu quando ela tinha quinze anos. Seus dois irmãos e a irmã faleceram quando adultos. O último irmão faleceu dez anos antes. Eles nasceram e viveram conhecendo somente aquele local.

Os pais ensinaram as crianças a ler a Bíblia inglesa e também a escrever. A mãe ensinou a filha caçula a sempre rezar a Deus para que Ele a tirasse da montanha. A garota orou por quinze anos, mas quando o tempo chegou ela não queria partir.

A filha cuidou do pai por dez anos. Um dos Auxiliares Invisíveis perguntou ao Irmão Leigo porque o lugar não estava repleto de cobras, cervos e gatos selvagens. Ele contou que assim que chegavam novos animais, alguns Auxiliares Invisíveis tiravam os mais velhos e encontravam novos lares para eles; há cinco anos que não apareciam novos animais.

As roupas da mulher eram feitas de gramas longas trançadas juntas. Seu cabelo era comprido e chegava abaixo da cintura. Ela era uma moça muito bonita com uma pele suave e linda e uma disposição muito gentil.

Quando os Auxiliares Invisíveis estavam prontos para levá-la embora, eles disseram a ela para que juntasse suas coisas. Ela pegou o que era mais precioso para ela, e os Auxiliares Invisíveis colocaram em uma bolsa de grama que ela havia feito. Então ela chamou seus animais de estimação e contou que estava indo embora e que eles continuassem bons amigos. Aos Auxiliares Invisíveis foi dito que esses animais seriam levados para fora da montanha e que o lugar não seria descoberto até que a montanha se assentasse durante a próxima mudança na terra. Também foi dito que o pai e as crianças nunca souberam porque estavam em um lugar tão remoto. A mãe sofreu muito por causa de seus ciúmes e viveu uma vida de oração. Eles viviam em um lugar lindíssimo muito acima das nuvens e tão longe no alto da montanha que as pessoas não podiam ver seus vizinhos distantes.

Quando a garota estava pronta para partir, um dos Auxiliares Invisíveis pegou a bolsa de grama com as coisas dela, e o outro Auxiliar Invisível carregou a mulher até o mosteiro e a deixaram com os monges. Aos Auxiliares Invisíveis foi dito que os monges depois enviaram a mulher para viver nos Estados Unidos.

A maioria das pessoas não sabe que os antropoides pertencem à onda da vida humana e que por serem atrasados podem alcançar a onda da vida humana nesta evolução e habitar corpos humanos. Na espécie dos antropoides incluem-se os macacos, gorilas e os chimpanzés. Max Heindel diz o seguinte em relação a eles:

“Os macacos menos evoluídos, ao invés de serem os progenitores das espécies superiores, são atrasados ocupando os corpos mais degenerados do que um dia foi ocupado pela forma humana. Ao invés dos seres humanos descenderem dos antropoides, o contrário é verdadeiro. Os antropoides se degeneraram dos seres humanos”.

Os Auxiliares Invisíveis encontram gorilas com frequência em seus trabalhos na África. Às vezes os Auxiliares Invisíveis protegem as pessoas de gorilas furiosos, e às vezes eles ajudam os gorilas a encontrarem comida e se protegerem de cobras e animais violentos da selva.

Uma noite alguns Auxiliares Invisíveis foram até a África do Sul para ajudar alguns nativos que viviam em pequenas cabanas feitas de capim, e trabalhavam junto das pessoas doentes. Enquanto eles estavam dentro da cabana, um casal de gorilas estava à procura de comida. Quando avistaram alguns nativos próximo a cabana, os gorilas os perseguiram até onde estavam os Auxiliares Invisíveis. Um dos gorilas entrou na cabana e correu atrás dos Auxiliares Invisíveis. Havia uma pequena faca no chão em um canto e uma lança perto dela. Um dos Auxiliares Invisíveis pegou a lança e o outro pegou a faca, que não estava muito afiada.

Um dos Auxiliares Invisíveis falou para o outro tentar afastar o gorila menor que ele tentaria afastar o maior. Os gorilas travaram uma luta tensa e não queriam sair da cabana. Todos os outros que estavam na cabana saíram, exceto a mulher doente, que estava debilitada demais para se mover. Ela simplesmente ficou deitada na cama de capim e gemia.

Um dos Auxiliares Invisíveis relatou, mais tarde, a experiência desta forma: “Eu tinha uma faca pequena e cega. Por duas vezes o gorila pequeno avançou em mim. Eu segurei a faca firmemente na minha frente, e quando o gorila avançou para mim, a lâmina da faca entrou em seu estômago e depois em seu peito. Houve grande agitação por alguns minutos, porque os gorilas estavam muito bravos. Eles estavam em pé e pareciam muito pesados e fortes. Eles eram do tamanho de um homem de constituição forte, com ombros e braços poderosos. Eu estava em uma cabana com chão de terra batida e perto de um corrimão com alguns degraus rudes que davam para o segundo andar ou sótão. Quando o gorila avançou para mim a terceira vez, eu fiquei com medo e esqueci que não poderia ser ferida, enquanto trabalhava fora do meu Corpo como Auxiliar Invisível, e então, desapareci e fui para casa. Quando acordei, me lembrei do que tinha acontecido”.

Você pode ver que esta Auxiliar Invisível não era corajosa o suficiente naquele momento para este tipo de trabalho. O Auxiliar Invisível então teve que lutar com os dois gorilas. Ele não queria matá-los, mas ele queria salvar a vida da mulher doente. Finalmente ele atingiu um dos gorilas que caiu no chão, e então ele derrubou o segundo.

Depois disto o Auxiliar Invisível deu uma boa olhada no exterior da cabana e ele viu que havia uma cerca de piquete para manter as cobras e animais do lado de fora, enquanto as pessoas dormiam. Se algum animal entrasse pela cerca de piquete os nativos poderiam matá-lo antes que ele pudesse escapar, caso houvesse alguma pessoa em casa. Havia sido construído uma pequena plataforma com abertura suficiente para que todos os pés dos animais ficassem presos. Com isso, os sons emitidos pelos animais presos iriam acordar os nativos. Entretanto, as cobras poderiam rastejar em segurança, e assim os nativos tinham que estar vigilantes o tempo todo.

Os nativos voltaram quando viram que a luta havia terminado, e queriam amarrar o gorila menor.

“Não faça isto, ou os pais do gorila irão matar vocês”, disse o Auxiliar Invisível. “Vocês não teriam algo forte que fosse o suficiente para segurá-lo?”.

Quando os dois gorilas se levantaram e foram embora, o Auxiliar Invisível foi atrás das famílias dos gorilas com um pedaço de madeira e depois de alguns contratempos conseguiu afastá-los. Eles eram nômades, e o Auxiliar Invisível recebeu a informação de que eles nunca mais retornariam.

Um dos corredores nativos contou ao Auxiliar Invisível que havia outra família precisando de ajuda. E, justamente, aquela Auxiliar Invisível que havia ficado com medo e retornado ao seu Corpo Denso, retornou, e os dois Auxiliares Invisíveis foram até esta família e ajudaram as pessoas doentes; depois deixaram a África.

Outra noite os Auxiliares Invisíveis estavam numa floresta na África e eles encontraram um pai e mãe gorilas com um filhote. Eles estavam caminhando pacificamente quando uma grande cobra atacou a mãe. Ela gritou por ajuda, e quando o pai foi ajudá-la começou uma briga intensa. A grande cobra começou a se enrolar em volta do corpo dela e o outro gorila começou a empurrá-la para ela soltar a gorila. Então a cobra conseguiu enrolar os dois gorilas, quando outra cobra surgiu e pegou o filhote. Nesse momento os Auxiliares Invisíveis entraram em ação. O filhote estava muito amedrontado e seu olhar era muito penoso e humano. Um Auxiliar Invisível falou para o outro ficar de prontidão, que ele iria resolver isso. Ele foi até uma das cobras e a tocou, e quando ele disse para deixar o filhote em paz ela o soltou. Então este Auxiliar Invisível falou para a Auxiliar Invisível cuidar do filhote. Ela aproximou-se do e o pegou pela mão. Ele estava tremendo todo de medo.

A segunda cobra estava enrolando o pai e a mãe gorila e, os apertando, tentava estrangula-los. A outra cobra se juntou a isso. Uma batalha violenta estava sendo travada, mas não durou muito, porque o Auxiliar Invisível chegou, ordenou que as cobras parassem com isso e fez com que fossem embora. Os gorilas lutaram bravamente por suas vidas, mas eles teriam sido mortos se não fosse enviado ajuda a eles, porque as duas cobras eram fortes demais para eles lidarem com as duas ao mesmo tempo.

As cobras e a mãe gorila estavam muito feridos. O pai foi até onde estava a Auxiliar Invisível com o filhote e foi avisado a ela que ele não iria feri-la. Então os Auxiliares Invisíveis levaram os gorilas até um riacho, lavaram os ferimentos da mãe, e os curaram com a força de cura que vem de Deus, que alguns Auxiliares Invisíveis têm a permissão de utilizar em seu trabalho com seres humanos e animais.

Então quando os Auxiliares Invisíveis estavam prestes a partir, viram uma pantera negra, se esgueirando em direção aos gorilas. Eles esperaram até que ela pulasse em direção à mãe que esteva sangrando. A pantera havia sentido o cheiro do sangue que a gorila derramou durante a batalha. Um dos Auxiliares Invisíveis empurrou a mãe gorila fora do alcance da pantera no momento certo, e ela caiu no chão com tanta força que ficou atordoada. O Auxiliar Invisível fez a pantera ficar deitada lá até que tirassem a família de gorilas do caminho. Os gorilas não queriam deixar os Auxiliares Invisíveis porque os consideravam seus novos amigos. Um dos Auxiliares Invisíveis conversou com os gorilas e contou que eles deveriam tentar alcançar sua onda de vida.

Neste exato momento a Auxiliar Invisível se virou e disse: “Olha!”. O Auxiliar Invisível achou que ela havia visto outra coisa que queria atacar os gorilas. Quando ele se virou, viu um Anjo maravilhoso, que estava radiante e feliz. Ele parecia emitir raios brilhantes de luz própria. Um dos Auxiliares Invisíveis conversou com ele e perguntou o que ele queria.

“Eu só gostaria de agradecer a vocês por salvar as cobras que estavam sob minha responsabilidade”, ela falou.

A Auxiliar Invisível entrou em estado de êxtase ao lado daquele Anjo maravilhoso.

O Auxiliar Invisível pensou consigo mesmo: “Se o Anjo veio até seus protegidos, o que o Espírito Grupo das cobras está fazendo?”. Ele olhou no Mundo do Desejo para ver o que o Espírito Grupo estava fazendo. O que ele viu o fez recuar por um momento. Então ele se recobrou e falou com o Espírito Grupo das cobras. “É nossa responsabilidade cuidar de todas as formas de vida, e não destruir nenhum tipo de vida”, ele falou. “Nós não podíamos ficar lá e ver a família de gorilas ser morta”. Este Auxiliar Invisível falou até que o Espírito de Grupo entrasse em uma vibração melhor. Ele estava enviando impulsos que iriam colocar todas as cobras em estado de guerra.

Se os Auxiliares Invisíveis não estivessem lá, os gorilas teriam sido mortos, e o problema teria sido resolvido; mas sendo frustrado, o Espírito Grupo despertou o impulso de enviar mais forças para a batalha. Este é um dos motivos que é muito perigoso para seres humanos e animais estarem na selva. Muitas vidas são perdidas e o mundo exterior nem percebe. Muita ajuda é necessária para aqueles que vivem lá. Cada um na selva deve estar em alerta constante.

Após acalmar o Espírito Grupo das cobras, o Auxiliar Invisível enviou os gorilas em uma direção e a pantera em outra, e então os Auxiliares Invisíveis continuaram seu trabalho.

Uma outra vez estes Auxiliares Invisíveis encontraram uma colônia de gorilas que haviam tomado posse de uma aldeia nativa assustando seus habitantes. Enquanto os Auxiliares Invisíveis davam uma olhada em torno, observaram que trinta gorilas estavam carregando duas mulheres nativas e uma mulher branca. Os pés das mulheres estavam sangrando e seus corpos arranhados.

Os Auxiliares Invisíveis se materializaram e foram até a mulher branca e perguntaram a ela o que estava acontecendo. Ela disse que um dos gorilas a havia prendido quatro dias antes. Desde então eles caminharam durante o dia e dormiam em árvores à noite, e eles pegaram as mulheres nativas três dias antes.

‘Os gorilas tiveram que brigar duas vezes com cobras, e acabaram por mata-las e depois as comeram’, ela disse. ‘Eles me deram um pouco de comida, e eu estava tão faminta que comi. Os gorilas tinham outras coisas para comer que pareciam saborear com gosto. Um gorila grande tomava conta de mim, e me vigiava bem de perto. Ele batia em seu peito, mas nunca me feriu. As outras mulheres não foram feridas pelos gorilas. Nós nos arranhamos nas árvores e videiras na selva’.

Um Auxiliar Invisível perguntou ao outro como poderiam salvar estas pobres mulheres, e como poderiam lidar com os gorilas, e se eles estavam sob a orientação de um Espírito-Grupo. Ele respondeu que não sabia, mas que iria descobrir. Ele chamou o Espírito-Grupo dos gorilas, que contou aos Auxiliares Invisíveis através da Consciência Jupteriana a causa que originou por esta mulher branca estar nestas condições. Enquanto o Espírito-Grupo falava eles conseguiram ver o que tinha acontecido.

Esta mulher branca em uma vida anterior quando era um homem atraiu um rival para a selva para se livrar dele e os gorilas o pegaram e esse rival nunca mais voltou. Então este homem voltou e se casou com a mulher que ambos queriam se casar. Mesmo assim, reuniu uma equipe de caçadores e foi em busca do homem que ele havia tratado tão cruelmente, mas apesar de procurar e procurar na selva, ele nunca o encontrou. Alguns anos depois este homem morreu de remorsos. Mas nunca teve coragem de contar a ninguém o que havia feito ao outro homem.

Renascendo agora como mulher desse juntou a um grupo de caça que veio para a África, e enquanto ela estava na selva acabou se afastando do grupo e se perdeu; foi quando os gorilas a encontraram. Eles a assustaram tanto que esqueceu que estava armada. Enquanto ela corria deixou os seus braços soltos e isso facilitou o alcance e a captura dela pelo maior dos gorilas. As mulheres nativas foram descuidadas e se afastaram muito e, assim, foram facilmente capturadas pelos gorilas. O Espírito-Grupo disse que os Auxiliares Invisíveis não poderiam levá-la a não ser que os Senhores do Destino dessem a eles a permissão. Os Auxiliares Invisíveis foram até os gorilas, e eles ficaram ferozes com a aproximação deles e tentaram atacá-los.

Os Auxiliares Invisíveis pegaram as duas mulheres nativas e as levaram para casa e depois voltaram para a outra mulher. Ela estava deitada, e o gorila a prendia em seus braços de tal forma que ela não conseguia sair, e também para que nenhum gorila fêmea pudesse feri-la, porque estavam com ciúmes dela.

Os Auxiliares Invisíveis não sabiam como chegar aos Senhores do Destino, dos quais se fala na Bíblia como Anjos Arquivistas, e foi quando chamaram uma amiga deles. Ela veio e contaram o que o Espírito-Grupo dos gorilas havia dito. Ela confirmou como verdadeiro o relato do Espírito-Grupo e que conversaria com um determinado Irmão Leigo.

Ele veio com a sua filha, e os Auxiliares Invisíveis explicaram com detalhes a situação para ele. A Auxiliar Invisível lhe pediu que fizesse a gentileza de fazer alguma coisa, porque ela tinha certeza que a senhora estava arrependida e, certamente, seria uma boa mulher se conseguisse escapar das mãos dos gorilas e que nunca mais mataria qualquer coisa. ‘Por favor, espere até que eu pergunte a ela’, implorou a Auxiliar Invisível, e assim foi até a mulher para perguntar.

O gorila levantou-se e rosnou. A Auxiliar Invisível disse ao gorila para ficar tranquilo e que não iria machucar a mulher, então, ele se deitou novamente. A Auxiliar Invisível fez as perguntas à pobre mulher, e ela respondeu: ‘Eu farei qualquer coisa para sair daqui. Se eu não conseguir sair eu ficarei louca ou morrerei. Não sou casada, e não amo ninguém, mas eu quero viver e estou morrendo de medo de morrer’.

‘Seja corajosa’, disse a Auxiliar Invisível, ‘e eu tentarei ajuda-la’.

Então, a Auxiliar Invisível contou ao Irmão Leigo o que a mulher havia prometido e pediu que ele falasse com os Senhores do Destino e apelasse em favor dela. Ela pediu que ele deveria se apressar para ir falar com os Anjos do Destino, e que esperaria o seu retorno. Ele sorriu e desapareceu.

Depois de um tempo ele voltou e a Auxiliar Invisível correu até ele.

‘Se acalme’, ele falou, pois viu que ela estava muito exaltada. Ele então contou à Auxiliar Invisível que suas preces tinham sido atendidas. Foi quando ela chamou o Espírito-Grupo e perguntou se poderia manter os gorilas calmos para que ela pudesse retirar a mulher e ele respondeu que faria isto.

Ela, e então, foi até o gorila e o acordou e disse-lhe que soltasse a mulher para que ela pudesse levá-la dali. O gorila gemeu, se levantou e lambeu sua mão. Depois que a mulher se afastou do gorila, ela desmaiou e então, ele se abaixou e a pegou, lambeu seu rosto e pescoço e a entregou a Auxiliar Invisível que agradeceu ao gorila. Os outros gorilas olharam, mas ficaram quietos e não protestaram. A pobre mulher estava inconsciente e necessitava de roupas e a Auxiliar Invisível não sabia onde ela morava. Então, consultou novamente o Espírito-Grupo, que informou que ela morava a vários quilômetros a nordeste. ‘Apresse-se e leve-a antes que acorde, pois, ela pode ficar doente’, ele disse. ‘Mas ela ficará bem, e será uma servidora da humanidade como você’.

O Auxiliar Invisível pegou a mulher de onde esteva deitada durante todo o tempo em que o Espírito-Grupo conversava. ‘Venha’, disse a Auxiliar Invisível aos demais, e já segurando pelas pernas da mulher, e partiram levando-a. Quando se levantaram no ar, o gorila começou a bater em seu peito e emitir um rugido alto. Ele era o líder do grupo.

Os Auxiliares Invisíveis chegaram ao vilarejo onde a mulher vivia, desceram ao chão e caminharam pela rua. Eles encontraram um homem que os contou quem era a mulher e onde ela vivia. Eles a levaram ao hotel e ao quarto dela. Seu irmão e sua irmã estavam lá se lamentando, pois pensavam que estivesse morrido. Os Auxiliares Invisíveis ajudaram a cuidar de suas feridas e medicaram seus pés feridos. A mãe dela os contou quem eles eram e onde viviam. Ela falou que haviam ido para este lugar caçar na selva da África. Os Auxiliares Invisíveis contaram a eles o que havia acontecido com a mulher, mas eles tiveram dificuldade em acreditar.

‘Sejam bons para ela’, disse um dos Auxiliares Invisíveis. ‘Ela ficará doente, mas irá se recuperar e será uma mulher transformada e que irá ajudar a todos’.

Depois os Auxiliares Invisíveis voltaram ao bando de gorilas e se tornaram seus amigos. Os gorilas adultos se juntaram em volta deles e os bebês foram se aproximando também, e os Auxiliares Invisíveis seguraram suas mãos. Quando os Auxiliares Invisíveis se sentaram, os bebês subiram neles, e os Auxiliares Invisíveis se divertiram com eles por um bom tempo.

Os gorilas estão sob a guarda de um Espírito-Grupo que envia impulsos para que possam fazer coisas e os ajuda a ter uma vida melhor e os protege o máximo que pode. Este Espírito-Grupo tem uma constituição corporal muito poderosa e uma cabeça e um corpo etérico de um gorila. Havia aproximadamente uns cinquenta a sessenta gorilas naquela colônia. Depois de algum tempo os Auxiliares Invisíveis deixaram os gorilas em um clima de brincadeiras e seguiram seu caminho.

Aqui está uma das mais marcantes histórias que eu já ouvi: um gorila irá renascer como humano em sua próxima encarnação.

Uma vez, dois Auxiliares Invisíveis estavam indo para uma clareira numa parte densa da selva na África quando a Auxiliar Invisível olhou para baixo e viu uma cativa nos braços de um gorila que estava dormindo. “Olhe! Há uma mulher branca”, ela falou para seu companheiro. “Vamos lá salvá-la.”

Eles desceram e perguntaram para a mulher se ela queria ajuda para sair daquela situação.

“Sim, por favor” me tire daqui”, ela falou.

Ela estava deitada nos braços do gorila, e se ela se movesse ele iria acordar. Quando ela se levantou, ele acordou e também se levantou. Os Auxiliares Invisíveis estavam se perguntando como conseguiriam tirá-la de lá. Todas as vezes que eles tentavam tirá-la do gorila, esse se levantava e grunhia para eles. Eles estavam com medo que se eles tentassem pegá-la à força, ele a faria em pedaços.

Ela precisava de roupas e contou a eles como o gorila tirou suas roupas, e que cada vez que ela fazia novas roupas de casca ou grama, ele as tirava novamente. Ele não a machucou, mas a protegeu dos outros gorilas, das cobras e dos animais selvagens da selva. Ele providenciou comida para ela e sempre se manteve próximo a ela e distante dos outros para que nada pudesse machucá-la.

Com o passar do tempo ela ficou com a pele totalmente bronzeada e a pele dos seus pés se tornou tão dura que ela conseguia andar sem machucá-los. Ela aprendeu que para viver dependia de seu gorila protetor, e começou a ensiná-lo tudo que podia. Ela disse que em um certo momento ele se tornou inquieto e desconfortável e ela ficou com medo que a deixasse, então durante a noite ela se amarrava a ele com seus longos cabelos. Ele aprendeu a amá-la de seu modo peculiar e ela sabia que estaria viva, enquanto ele cuidasse dela. Quando perguntaram como ela foi parar naquele lugar, ela contou que acompanhava alguns viajantes que estavam caçando na selva. Eles foram atacados pelo bando de gorilas e ela viu os gorilas matarem a todos.

Os Auxiliares Invisíveis solicitaram permissão para levar essa mulher e eles disseram que poderiam levá-la. Um dos Auxiliares Invisíveis disse a ela para mandar o gorila buscar alguma comida. Ela o fez, e então os Auxiliares Invisíveis disseram para que ela se deitasse. Então, os dois Auxiliares Invisíveis a ergueram e a carregaram até uma vila pequena, onde encontraram algumas pessoas que deram roupas para ela se vestir. Os Auxiliares Invisíveis falaram para ela procurar o Cônsul[2] e conseguir um passaporte para voltar para casa.

Algumas noites depois um altíssimo Irmão Leigo foi até àqueles mesmos Auxiliares Invisíveis e disse para eles irem aquela vila onde levaram aquela mulher e compelir o Cônsul a dar a ela o passaporte e o dinheiro para as despesas para ela poder voltar para casa. Ele deu a Auxiliar Invisível o poder para fazer esse trabalho e disse para que ela fosse mais firme para resolver esse caso.

Quando os Auxiliares Invisíveis chegaram à vila, encontraram a pobre mulher em uma casa velha com algumas pessoas pobres. Ela vestia algumas roupas rasgadas. Quando ela viu os Auxiliares Invisíveis, implorou para que a levassem de volta à selva para seu amigo gorila e a deixasse morrer com ele, porque ele era bom para ela, mesmo de sua maneira, e a amava. Os Auxiliares Invisíveis contaram a ela que vieram para levá-la de volta para sua casa.

“Vocês não podem fazer nada por mim, já que ninguém acredita na minha história”, ela lhes disse.

Os Auxiliares Invisíveis pediram que ela os levassem ao escritório do Cônsul.

“Ele não irá recebê-los”, ela falou.

Eles foram e solicitaram ao guarda, que estava na porta de entrada, que queriam ver o Cônsul.

“Ele não está acordado’, disse o homem.

“Vá acordá-lo e diga que queremos falar com ele sobre um assunto importante, e não fique aí me olhando”, disse o Auxiliar Invisível.

O homem foi e depois de um tempo o Cônsul voltou com o homem e convidou os três estrangeiros a entrar. O Cônsul estava bravo e queria saber o que queriam com ele.

“Eu quero um passaporte e dinheiro para essa mulher poder voltar para sua casa na Europa”, disse um dos Auxiliares Invisíveis.

“Eu não a conheço e não tenho nenhum registro sobre ela”, ele disse. “A mulher que ela diz ser se perdeu há cinco anos, e nenhum dos integrantes do grupo foi encontrado”. Ele pegou seu livro de registros e perguntou à mulher para dizer o nome dos outros integrantes do grupo, onde viviam e a idade deles.

Ela fez isto e ele ficou atônito. “Eu preciso saber na cidade dela se os pais dela ainda vivem ou não”, disse ele.

“Ambos estão vivos”, disse o Auxiliar Invisível. “Escreva aos pais dela e peça a eles que escrevam uma carta, e que o Prefeito da cidade coloque um selo nela”.

O Cônsul escreveu uma carta e colocou um selo nela. Um Auxiliar Invisível contou que o outro iria entregar a carta, enquanto ele fazia o passaporte. O Auxiliar Invisível foi até a cidade onde a mulher vivia, encontrou seus pais e entregou a carta a eles.

A mãe gritou de alegria, se sentou e imediatamente começou a responder a carta. Ela contou ao estranho onde o Prefeito morava e ele foi lá para que ele carimbasse a carta. O Auxiliar Invisível gastou uns vinte minutos e quando ele voltou com a resposta, o Cônsul olhou para ela e quase desmaiou porque viu um carimbo familiar datado e carimbado no papel.

“Você é casado?”, a Auxiliar Invisível perguntou.

“Sim, eu tenho esposa”, ele respondeu.

“Chame sua esposa aqui para ajudar a essa mulher?”, disse a Auxiliar Invisível.

“Eu tenho empregados para esse tipo de serviço”, disse o homem.

“Faça como eu disse”, a Auxiliar Invisível falou com uma voz firme.

“Sim, Vossa Alteza”, o Cônsul respondeu e foi buscar sua esposa.

Ela veio correndo, mas quando a Auxiliar Invisível olhou para ela, ela parou abruptamente. “O que você quer que eu faça?”, ela perguntou.

“Limpe essa mulher e lhe dê algumas roupas para viajar”, a Auxiliar Invisível respondeu.

“Sim, Vossa Alteza”, a mulher do Cônsul falou, e levou a mulher para um outro cômodo.

Elas retornaram em meia hora e os Auxiliares Invisíveis quase não reconheceram a mulher. Seu cabelo estava penteado e ela estava muito bem vestida. Até suas unhas tinham sido feitas. Todas viram que ela estava muito linda.

O Cônsul lhe deu o passaporte e quinhentos dólares. “Temos pouco tempo para tomar o barco”, ele falou. Então, ele pediu aos Auxiliares Invisíveis para retornarem depois que a mulher tivesse partido.

Os Auxiliares Invisíveis se despediram da mulher no barco. Ela chorou e disse que não queria ir para casa, mas queria voltar para seu amigo na selva. Ela pediu aos Auxiliares Invisíveis para cuidar dele e eles disseram que fariam isto.

Os Auxiliares Invisíveis voltaram para a casa do Cônsul. Ele e sua esposa estavam no escritório e eles se ajoelharam aos pés da Auxiliar Invisível. “Senhora Anjo, eu suplico por perdão”, o Cônsul falou: “Eu não sabia quem era essa mulher, quando ela veio aqui na primeira vez.”

“Levante-se”, ela falou. “Não sou um Anjo. Sou apenas uma Auxiliar Invisível da humanidade”.

“Rogo que me diga como posso fazer o que você faz e ser um Auxiliar Invisível”, ele falou. Sua esposa falou que ela também gostaria de saber e a Auxiliar Invisível contou a eles e mostrou todos os ensinamentos e o que eles deveriam fazer. Ela contou a eles que teriam oportunidades em sua posição de fazer maiores trabalhos.

“Nós faremos isto”, o Cônsul prometeu. “Se você conseguir trazer o gorila que é amigo dessa senhora, eu cuidarei dele e o domesticarei”.

A Auxiliar Invisível disse a essas duas pessoas para irem para a cama e se deitarem juntos, e que ela os levaria ao gorila. O homem e sua esposa fizeram isso, e depois que a Auxiliar Invisível os colocou para dormir os quatro foram encontrar com o gorila na selva.

Eles o encontraram morto. Ele havia retornado com frutas para a mulher, e quando descobriu que ela havia sumido seu coração se partiu. Os Auxiliares Invisíveis chamaram o Espírito-Grupo, e ele os contou o que havia acontecido. Ele falou que esse gorila iria renascer como um menino e no futuro sua amiga iria ter a chance de ensinar a ele, porque ela seria uma verdadeira missionária para os seres humanos atrasados de todas as raças.

O Cônsul e sua esposa, em seus Corpos de Desejo, puderam ver e ouvir o Espírito-Grupo e estavam surpresos. “Com certeza eles devem ser Anjos ou Deuses, pois nenhum ser humano consegue fazer o que eles fizeram”, o Cônsul falou.

O Espírito Grupo falou que a mulher trouxe o gorila ao estágio humano com sua bondade, e ele contou sobre o destino maduro que causou seu problema. Uma vez ela havia largado umas pessoas na selva e nessa vida ela devia pagar aquela dívida, e fez isto muito bem.

Uma cobra imensa apareceu e a Auxiliar Invisível a chamou e ela se aproximou, mas o Cônsul e sua esposa se afastaram. Então os Auxiliares Invisíveis levaram o homem e sua esposa para casa.

Na noite seguinte os Auxiliares Invisíveis foram até a mulher e contaram sobre seu amigo. Eles encontraram o navio e a acordaram; ela segurou no braço da Auxiliar Invisível e lhe disse: “Querido Anjo, muitas coisas estranhas me aconteceram. Eu me deitei essa tarde e me vi fora do corpo. Voei através da parede e por cima da água e me vi perto do corpo morto do meu amigo. Estava quase todo comido. Eu tentei enterrá-lo, mas não consegui segurar e nem levantar nada. O que há de errado comigo?”.

A Auxiliar Invisível sentou na cama dela e a explicou tudo; ela chorou de alegria e falou: “Agora eu posso ajudar os nativos e os gorilas. Eu não me importo com as pessoas da minha classe.”

Os Auxiliares Invisíveis viram a vida anterior dessa mulher quando ela era um homem. Ele foi um estudante avançado da Filosofia Hindu e estava quase pronto para a Iniciação. Ele acabou perdendo algumas pessoas na selva por ciúmes, porque ele queria tirar o homem do caminho que estava entre ela e a mulher que ele amava. Após duas semanas ele foi caçar e os tirou de lá, mas logo eles morreram de febre da selva.

A mulher falou que ela não gostava da comida do navio, então ela comia apenas frutas, pão e manteiga e leite ou vegetais crus. “Todos que eu encontro são muito amigáveis”, ela falou, “mas eu quero estar sozinha com meus pensamentos. O capitão é bondoso comigo e me conta várias histórias interessantes que eu gosto”.

A mulher falou que ela viu os Auxiliares Invisíveis uma vez antes na selva. Foi na vez em que eles salvaram a família de gorilas das duas cobras. Ela contou que ficou feliz que eles lidaram com as duas cobras, porque ela e seu gorila protetor estavam com muito medo de se mexerem. Eles estavam a apenas cem passos de distância e viram tudo o que aconteceu com a família de gorilas. Ela contou da vila dos gorilas e disse que haviam uns cinquenta gorilas lá.

Essa mulher pediu aos Auxiliares Invisíveis para levarem uma mensagem para seus pais e dizer à mãe dela que ela ainda tinha seus dedinhos dos pés bonitos. Então ela mostrou aos Auxiliares Invisíveis seus dois dedinhos extras nos pés e onde os tinha removido. Os Auxiliares Invisíveis logo partiram e foram ver a mãe dela.

Quando a mãe ouviu sobre os dedinhos ela ficou muito feliz e disse: “Ela é a minha filha, pois eu sempre admirei seus dedinhos extras.”

Mais tarde a mulher chegou na sua casa a salvo e foi recebida por seus pais com muita alegria. Essa história também conta como funciona a lei do destino maduro. Todos nós somos afetados por ela, mas poucos de nós tem coisas tão marcantes para resgatar.

Relatarei mais uma história do trabalho dos Auxiliares Invisíveis que ilustra bem a ajuda que é dada aos seres atrasados para que eles possam obter o progresso mais rápido em sua evolução.

Alguns Auxiliares Invisíveis estavam na parte oeste da América do Norte e se encontraram com um menino negro que se parecia muito com um gorila. Eles conversaram com ele e descobriram que ele estava muito disposto a aprender. Ele era um bom e forte nadador. Ele tinha salvado muitas pessoas numa recente inundação. Os Auxiliares Invisíveis descobriram que ele estava, agora, no seu segundo corpo humano e que ele tinha reencarnado duas vezes nos últimos quinhentos anos.

Este menino seguiu uma das Auxiliares Invisíveis por todo os lugares, e disse que gostava dela. Quando ela disse que estava indo embora, o menino disse que gostaria de convidá-la para visitá-lo, mas que sua casa havia sido destruída pela inundação e não sabia onde estavam seus pais. A Auxiliar Invisível o beijou, ele a abraçou e disse: “Eu sei que vocês dois não são como eu. Não tenho certeza, mas vocês parecem pessoas que voam pelos ares. Eu já vi vários deles e eles conversaram comigo quando estava dormindo”.

Os Auxiliares Invisíveis contaram para ele que eles viajam pelo ar.

“Então vocês são Anjos”, disse o menino. “Meus pais me contaram sobre os Anjos”.

A Auxiliar Invisível lhe disse que em breve o veria novamente e falou sobre seu trabalho.

“Certifique-se e me encontre, porque eu não sei onde estarei”, o menino respondeu.

“Tudo bem”, disse a Auxiliar Invisível. “Agora, seja um bom menino e ajude em tudo o que você puder”.

Ele disse que faria e os Auxiliares Invisíveis desapareceram.

Mais tarde os Auxiliares Invisíveis encontraram este menino, porém, não havia ainda encontrado seus pais. Os Auxiliares Invisíveis os procuraram e os encontraram no país do outro lado da terra inundada. Eles retornaram até ao menino e disseram-lhe que iriam leva-lo para casa de seus pais.

“Meus pais são bons para mim, mas eu prefiro ir com vocês”, ele disse.

Os Auxiliares Invisíveis disseram-lhe que se deitasse e obedecesse. Os Auxiliares Invisíveis então o pegaram, carregaram pela água até o lar temporário de seus pais, o colocaram no chão e o acordaram. Ele estava atordoado, mas feliz. Os Auxiliares Invisíveis entraram com ele na casa; sua mãe correu até ele e o beijou e o seu pai o abraçou.

Os Auxiliares Invisíveis descobriram que os pais eram pessoas boas e inteligentes e que eram muito gentis com o menino. Os Auxiliares Invisíveis conversaram com os pais, enquanto o menino estava comendo. “Vocês podem me dizer por que nós temos uma criança assim?”, a mãe perguntou. “Deus me tratou injustamente? Não sou tão velha e não prejudiquei ninguém”.

Uma das Auxiliares Invisíveis solicitou que fosse mostrada as vidas passadas deste menino para que ela pudesse contar à mãe ou deixar que os pais vissem também. Aqui está a história que foi revelada:

Dois mil anos atrás quando os pais eram marido e mulher como agora, eles estavam na selva com o caçador profissional. Este menino, que então era um gorila, os salvou da morte, mas se feriu gravemente. Eles carregaram o gorila para fora da selva e cuidaram dele, tornando-se amigo dos dois. Quando morreu renasceu como um gorila. Conheceu amigos que fizeram dele um animal de estimação e quando ele morreu sua vida em corpo de gorila havia terminado.

Quinhentos anos atrás, esse Ego encarnou em um corpo humano pela primeira vez e viveu até aos oitenta anos de idade. Então ele morreu e mais tarde renasceu para esses mesmos pais doze anos atrás, e eles o amaram, estimaram e tiveram um interesse especial em ensiná-lo, pois sabiam que ele deveria ter conhecimento para ganhar a vida nesse mundo. O menino estava na 8ª série da escola.

O Auxiliar Invisível disse à mãe que ela e o pai estavam pagando uma dívida com o menino. “Que dívida?”, perguntou a mãe. Então ela mesma se ouviu a dizer: “Se ele fosse uma criança, eu certamente o ensinaria a ser um homem muito inteligente, pois o amo pela bondade dele em salvar a minha vida”. Então um homem idoso apareceu e perguntou se ela lhe daria um corpo humano se ela tivesse a oportunidade, e ela colocou os braços ao redor do gorila e respondeu: “Sim”. O velho se afastou dizendo: “Talvez você vá fazer isso algum dia, quem sabe.”.

Aqui, novamente, vemos o que a Bíblia quer dizer quando diz que devemos dar conta de toda palavra e pensamento ocioso e vão. Essa mulher não tinha ideia de que isso se tornaria realidade. A mãe disse que viu tudo como o Auxiliar Invisível falou e que acreditava em tudo. “Desde que eu sei tudo isso, eu farei o meu melhor para fazer um bom homem do meu menino”, disse ela. “Também vi tudo isso e farei minha parte”, disse o pai.

“Você é um anjo?”, perguntou a mãe, e o Auxiliar Invisível disse-lhe que não e explicou o trabalho deles como Auxiliares Invisíveis. “Que lindo deve ser sair à noite ajudando as pessoas! Eu também gostaria de fazer isso “, disse o outro.

A Auxiliar Invisível prometeu que voltaria algum dia e lhe diria como poderia fazer isso. Auxiliar Invisível deu a ela o endereço de um lugar para onde ela poderia escrever e ter alguma literatura sobre o assunto.

Outra noite, esses Auxiliares Invisíveis trabalhavam em uma região inundada, onde milhares de pessoas estavam desabrigadas, doentes e famintas. Eles viram esse mesmo garoto e notaram uma grande melhora em sua caminhada. Quando ele estava com pressa, ele ficava de quatro, como os gorilas fazem na selva. Os Auxiliares Invisíveis disseram-lhe para não andar daquele jeito, pois ele desenvolveria excessivamente seus braços. “Você deve ser um bom homem ereto, marchando na vertical com os pés somente”, disse a Auxiliar Invisível.

Os Auxiliares Invisíveis foram informados de que os Seres Superiores iriam mudar o contorno de sua cabeça e do seu rosto. Isso pode ser feito alterando seu arquétipo, que é o padrão de seu corpo físico.

Mais tarde ainda os Auxiliares Invisíveis descobriram que o rosto do menino estava bastante mudado e que ele parecia muito melhor. Sua mãe ficou muito feliz com a grande melhora em sua aparência.

Os antropoides pertencem à nossa onda de vida e é possível que esses irmãos e irmãs atrasadas voltem a reencarnar em corpos humanos, novamente. Quando um desses gorilas, por exemplo, salva uma vida ou se sacrifica por outra pessoa, ele via progredindo mais acentuadamente, assim como nós. Quando você lê sobre pessoas que criaram gorilas como animais de estimação e outros antropoides, e que esses demonstraram grande inteligência, você pode ter certeza de que esses antropoides voltarão como seres humanos quando morrerem e renascerem novamente.

Vamos ver, agora, como um menino Ubangi foi salvo da morte. Certa noite, dois Auxiliares Invisíveis percorriam as selvas da África e chegaram aonde morava uma tribo de nativos. Lá eles viram um garoto negro com cerca de treze anos correndo e gritando. Eles olharam para baixo e viram um grande crocodilo com a boca aberta correndo atrás do garoto. O crocodilo estava se aproximando rápido do garoto.

“Vamos descer e salvá-lo”, disse a Auxiliar Invisível, e ela começou a avançar, mas quando chegaram perto do menino, ela ficou com medo e pediu a seu parceiro que fosse salvá-lo. Veja que ela tinha esquecido que ela não estava em seu corpo físico e, portanto, não poderia ser ferida.

O outro Auxiliar Invisível passou por ela, já que não havia tempo para discutir, e pegou o menino no momento em que o crocodilo o alcançou e o derrubou. Parecia que o crocodilo estava de pé e soltou um ruído engraçado que soou como se ele dissesse: “Caramba! Perdi uma boa refeição”.

Os Auxiliares Invisíveis não ousaram voltar àquele lugar com o menino, pois o crocodilo era feroz. Ele estava fazendo ruídos e sacudindo a cauda ao redor. O Auxiliar Invisível perguntou ao menino onde ele morava, mas ele estava tão assustado que não conseguia sequer falar. O Auxiliar Invisível teve que perguntar a alguém à distância, por meio do pensamento, onde o menino vivia. Ele descobriu que o menino vivia longe dali. Os Auxiliares Invisíveis levaram-no pela selva até a sua casa. Quando os Auxiliares Invisíveis chegaram ao local e deixaram o menino, ele correu e caiu aos pés da mãe. Ela era uma espécie de governante. A mãe soltou um grito e muitos guerreiros correram para dentro e cercaram os Auxiliares Invisíveis, e a Auxiliar Invisível começou a ficar muito nervosa.

O Auxiliar Invisível contou à mãe o que havia acontecido e disse ao menino: “Espere, garoto. Fale e depois vá embora. Não, vá agora”.

**

O Auxiliar Invisível foi buscar o menino para lhe dar força, mas a mãe o deteve. Então o Auxiliar Invisível olhou para ela e ela recuou.

“Pegue-os. Mate-os”, ela ordenou.

O Auxiliar Invisível olhou ao redor, mas sua companheira não estava em lugar algum que poderia ser vista. Os homens começaram a partir para cima do Auxiliar Invisível, mas eles foram parados por um comando silencioso que eles tiveram que obedecer, e ficaram imóveis.

O Auxiliar Invisível foi até o menino, pegou-o e esfregou o rosto e a garganta. Logo ele começou a conversar com sua mãe e contou-lhe o que havia acontecido e que ele deixara sua irmã em uma árvore. “Pegue-me”, disse o garoto virando-se para o Auxiliar Invisível.

“O que você quer dizer?”, perguntou o Auxiliar Invisível.

“Pegue o outro eu”, disse o garoto.

Então ocorreu ao Auxiliar Invisível que era sua irmã gêmea que ele queria. O Auxiliar Invisível desapareceu e foi encontrá-la em uma árvore.

Quando o Auxiliar Invisível foi até a essa menina, ela lutou com uma longa faca que ela carregava consigo. O Auxiliar Invisível desapareceu e voltou, pegou-a e a colocou para dormir.

Ela se acalmou rapidamente e logo ficou inconsciente, e o Auxiliar Invisível a levou para casa, depois a colocou no chão e a acordou.

Então ela não queria deixá-lo. O Auxiliar Invisível mandou os guerreiros irem embora e eles foram rapidamente, pois não conseguiam entender por que tinham sido incapazes de se mover, enquanto o estranho se foi. A mãe do menino foi ao Auxiliar Invisível de joelhos e agradeceu. O Auxiliar Invisível levantou-a e ela ficou surpresa.

O Auxiliar Invisível disse ao menino que não fosse mais àquele lugar e ele prometeu que não o faria. A mãe disse que seus filhos estavam sempre saindo e que isso a deixava transtornada. Ela queria dizer que sempre estava preocupada com a segurança deles. O Auxiliar Invisível então partiu, já que seu trabalho ali estava terminado.

Certa manhã, uma Auxiliar Invisível acordou se lembrando de uma cena estranha que havia testemunhado durante a noite enquanto estava fora do seu corpo dormindo. Ela estava na casa de uma garota onde havia sérios problemas. Essa menina tinha sido muito próxima de um jovem que ela conhecia na vizinhança. Ela permitiu que ele se apaixonasse profundamente por ela e depois o ignorou.

Seus dois irmãos tomaram a parte dela e todos trataram muito mal o jovem.

O jovem ficou muito irritado com o tratamento rude e injusto que recebeu e resolveu ir para a sua casa e pegar sua arma para matar todos os três. Com esse plano assassino em mente, ele foi para sua casa, pegou sua arma e partiu para a cidade, onde pretendia ficar à espera e acabar com as três pessoas que haviam o tratado muito mal. A Auxiliar Invisível estava com um Liberado e vários outros Auxiliares Invisíveis, e ela viu o que havia acontecido. Ela compreendeu os sentimentos de raiva do jovem e ficou alarmada com o que poderia acontecer. Então ela perguntou ao Liberado, o líder da equipe, se algo não poderia ser feito para salvar a menina e seus irmãos.

“Eu vou cuidar dele”, a Irmã Leiga respondeu, e ela foi até ao jovem irritado e de alguma forma apagou todos os sentimentos de ódio contra esses três de sua consciência e memória. “Daí em diante eles serão estranhos para ele”, disse ela à Auxiliar Invisível.

A Auxiliar Invisível pensou que isso era uma coisa maravilhosa para poder fazer. Esse feito parece impossível até que nos lembremos de que o ser humano tem outros corpos além do Corpo Denso que vemos e que os pensamentos-formas que enviamos podem ser facilmente vistas por aqueles que são capacitados para vê-los.

Temos aqui a história de como a ajuda foi dada através de uma elevada Irmã Leiga. Certo homem voltou para casa depois do trabalho, em uma manhã, e encontrou seu bebê de treze meses deitado na cama, chorando de dor. Ele estava sozinho na sala. O homem olhou para o bebê e o pegou. Quando sua mão tocou o lado direito do bebê, esse gritou alto.

O homem despiu o bebê e viu que seu lado direito estava um pouco inchado e muito sensível. Ele suspeitou que o bebê estivesse com apendicite e o levou direto para o hospital. Um médico examinou o bebê, disse que estivava com apendicite e deveria ser operado imediatamente.

– “Não!”, disse o pai, que levou o bebê para casa em um táxi.

Durante todo o caminho ele orou a Deus para salvar seu bebê. Quando chegou até a sua casa, colocou o bebê na cama e untou o local inchado com um pouco de pomada. Então uma mulher muito bonita se aproximou dele e disse para massagear a região com movimentos para cima e realizar uma leve lavagem intestinal.

– “Alimente-o com comida líquida por alguns dias e ele se recuperará com segurança”, ela disse.

O bebê logo ficou bom e não teve sinais de problemas desde então. Mais tarde, o homem descobriu quem era a mulher que veio ajudá-lo em resposta a sua oração.

Em 1910, certo homem deixou um dos portos do sul em um navio com destino à África do Sul. O mar estava agitado, quando chegaram ao extremo sul da América do Sul, mas o resto da viagem foi bom. Na viagem de volta, eles estavam no Oceano Pacífico, indo para o oeste. Quando estavam a cerca de dois dias do Havaí, o navio atingiu algo e começou a afundar rapidamente. Enquanto os botes salva-vidas estavam sendo baixados, um velho o chamou e a outro homem e lhes disse para entrar em um dos botes.

Os três homens entraram no bote e fugiram bem a tempo de escapar da morte. De repente, o navio mergulhou de nariz e afundou. O Sol estava se pondo e, enquanto havia luz, procuraram outros barcos e pessoas, mas não viram qualquer coisa, a não ser eles mesmos: estavam sozinhos no amplo Oceano Pacífico.

Esse homem não viu o jarro de água ou a caixa de comida e começou a temer que morresse de fome ou sede. Olhou para o velho e se perguntou quem ele era. Esteve por todo o navio e tinha certeza de que nunca o tivesse visto antes. Quem poderia ser? Então perguntou ao velho se havia água no jarro e ele lhe pediu para verificar. Seu coração partiu quando pegou o jarro, pois havia apenas um pouco de água.

O velho disse para não beber mais do que precisasse e ele obedeceu, embora sentisse que precisasse de toda a água do jarro naquele momento.

“Não consigo encontrar a caixa de comida na frente do barco.”, disse, ansioso.

“Há comida sob todos os assentos.”, respondeu o novo amigo.

A essa hora já era noite e estava muito escuro. Ele procurou o melhor que pôde, encontrou a caixa de comida e pegou alguns biscoitos que o outro homem e ele comeram juntos. O velho não aceitava um único biscoito. Eles não viram esse velho comendo ou bebendo durante todos os três dias em que estiveram flutuando no Oceano Pacífico.

Na primeira noite, o homem não conseguiu dormir, pois estava com medo de que algo pudesse virar o barco. Durante o dia seguinte, viram uma coisa muito grande na água, olhando para eles, e ficaram aterrorizados. Ele estava quase paralisado de medo, preocupado com sua segurança. O velho então pediu para não pôr a mão na água, porque havia peixes enormes em toda parte.

Naquela noite havia luar e o homem viu muitos tipos de luzes vermelhas e redondas aparecendo. Algumas eram grandes e distantes, outras eram pequenas e próximas. Ele não conseguia dormir, porém as observava enquanto iam e vinham.

Quando acordou na manhã seguinte, encontrou o velho lá, em seu lugar, observando. Por alguma estranha razão, a água nunca diminuía, não importando com que frequência eles bebessem e cada vez que procuravam comida encontravam a mesma quantidade. O homem falou sobre isso com o velho, ao se questionar: “Sei que ontem comi dois biscoitos e hoje há o mesmo número na caixa?”.

Estava muito cansado e com sono, naquele dia; contudo, tinha medo de dormir. Parecia que todos os peixes daquela parte do oceano vinham observá-los no barco. Outras criaturas que viviam na água apareceram e olharam para eles. Parecia que houvessem divulgado que esses peixes receberiam um pouco de comida, ali. O homem deduziu que estivessem famintos: “Não vai demorar muito, agora.”, pareciam dizer uns aos outros.

O homem, excessivamente cansado e assustado, tornou-se sensível, sua visão foi ampliada e começou a imaginar coisas. Ele se perguntou onde o peixe o morderia primeiro. Descobriu que havia muitos animais no oceano que os cientistas não descobriram. Ele viu criaturas que aparentavam ser cobras de cor prateada e outras, de cor dourada. Quando o Sol brilhou sobre essas criaturas na água verde, deu ao homem uma terrível sensação de estar desamparado e sozinho. Ele parecia esperar a hora em que seria comido. Então seus pensamentos se voltaram para Deus.

E começou a rezar em voz alta.

“Ó, Senhor! Tenha piedade de mim e me salve.”, implorou.

“Deixe de fora o ‘MIM’ e diga ‘NÓS’.”, falou o velho, em voz baixa. “E se esforce mais, porque duvido que suas orações deixem este barco.”.

O homem olhou para a água e viu algo que tinha olhos tão grandes quanto uma banheira; então começou a orar de modo sério. Agora, incluiu todos os três em suas orações a Deus por segurança.

“Querido Deus, se o Senhor nos deixar chegar à terra firme, qualquer terra, farei o que o Senhor quiser que eu faça.”. Depois de rezar por um longo tempo, ficou com muito sono.

“Senhor, tenha piedade de nós.”, ele disse.

Então o homem perdeu de vista tudo e esqueceu que estivesse dentro do barco.

“Essa é a maneira correta de orar e chegaremos a algum lugar, agora.”, ele ouviu fracamente alguém dizer. Quando voltou a si, não teve tanto medo, aceitou seu destino e falou: “Estou cansado demais para ficar acordado.”; então foi dormir e não mais pensou no que poderia acontecer.

Na manhã seguinte, o barco estava sobre terra firme, quando os dois marinheiros acordaram. Estavam na costa ocidental da América do Norte e o velho tinha sumido. O jarro de água estava vazio e não havia biscoitos. Então os dois marujos conversaram sobre os eventos dos três dias anteriores. O segundo homem disse que era marinheiro há dez anos e nunca havia naufragado antes.

Eles falaram sobre o quanto a comida e a água duraram.

“Nunca vi um jarro de água que eu não pudesse beber em menos de três dias.”, comentou o segundo homem.

Os dois não conseguiam entender por que a água não acabava e sempre havia a mesma quantidade de comida, por mais que comessem. Eles se perguntavam quem era o velho e para onde havia ido. Suas vidas foram milagrosamente salvas e agora eles estavam sozinhos.

Foram para a cidade mais próxima; o primeiro homem conseguiu trabalho e depois pagou a volta para sua casa. Ele nunca mais viu o outro homem, desde o dia em que chegaram à costa em segurança.

O primeiro homem encontrou o velho novamente, anos depois. Uma noite, enquanto estava fora do corpo, dormindo, ele o achou e o velho se deu a conhecer.

“Acho que você não me conhece.”, disse o velho.

“Não, eu não conheço.”.

“De qualquer forma, você está parcialmente cumprindo a promessa que fez a Deus.”.

“Que promessa?”, perguntou.

O velho continuou e contou o que havia acontecido dentro do barco, no Oceano Pacífico, muitos anos antes.

“Você é o homem que estava conosco?”, perguntou, surpreso.

“Eu sou ele.”, respondeu o velho.

Os dois homens se tornaram então bons amigos e o homem perguntou ao velho mais sobre aquele mistério. O velho explicou tudo e mostrou todos os principais eventos através da Consciência Jupiteriana.

O velho foi para o navio em seus veículos mais elevados no momento em que estava prestes a submergir, porque não era o destino do homem morrer afogado. Ele se materializou e ajudou os dois a entrar no bote salva-vidas. Manteve todas as criaturas do mar longe deles e esperou até que se arrependessem e pedissem ajuda a Deus. Então puxou o barco até a praia, depois de reverter a Lei da Gravidade para que flutuasse. Após estarem salvos, ele os deixou. O homem descobriu que esse velho, que o salvou, era um Irmão Leigo que abandonou seu Corpo Denso durante três dias para ajudá-los e salvá-los. Ele, desde então, manteve sua promessa.

Um Auxiliar Invisível, normalmente, não pode ficar fora do seu Corpo Denso por três dias, a fim de cumprir alguma missão como a que acabamos de relatar; no entanto, os Irmãos Leigos e Irmãs Leigas mais elevados podem.

A maioria dos Auxiliares Invisíveis tem seu trabalho no mundo e o fazem apenas durante as habituais horas de sono. Os Auxiliares Invisíveis geralmente resgatam pessoas que naufragam. Ao contar essa história, o náufrago revelou ter aprendido que era preciso desistir do próprio ser para orar e obter resultados; também falou que a oração era a chave do Céu e que a fé verdadeiramente abre portas e leva aos resultados esperados.

Max Heindel, no seu livreto A Interpretação Mística da Páscoa, nos informa que quando Cristo foi crucificado no Gólgota, Seu grande sacrifício pela humanidade somente tinha começado: “Todos os anos, desde esse tempo, quando o Sol passa do Signo zodiacal de Virgem para o de Libra, o Espírito de Cristo, retornando à nossa Terra, toca a sua atmosfera. Ele começa a sua jornada de descida em torno de 21 de junho[3], no Solstício de Junho, quando o Sol entra no Signo de Câncer. Ele chega ao centro da nossa Terra à meia-noite de 24 de dezembro. Aí Ele fica por três dias e, depois, começa a voltar. Esta volta completa-se na Páscoa. Da Páscoa até o Solstício de Junho Ele está passando pelos mundos espirituais e chega ao Mundo do Espírito Divino, o Trono do Pai, a 21 de junho[4]. Durante julho e agosto, quando o Sol está em Câncer e Leão, Ele reconstrói o seu veículo Espírito de Vida, que Ele trará ao mundo, novamente, e, com esse veículo, Ele voltará a rejuvenescer a Terra e os reinos de vida que nela evolucionam. Do Natal até a Páscoa Ele se dá a Si mesmo sem limitações nem medida, imbuindo com vida, não apenas as sementes adormecidas, mas todas as coisas sobre e dentro da Terra.”.

Numa manhã de uma quarta-feira, 21 de março, o Grande Espírito Solar Cristo se elevou da Terra e foi visto por uns mil e cem estudantes de uma escola de misticismo que se encontravam, naquela noite, no Mundo do Desejo. Um Irmão Leigo disse-lhes que ia levá-los para ver a ascensão de nosso amado irmão Jesus Cristo. Em seguida, ele e outros dois instrutores os levaram em algum lugar no Mundo do Desejo, onde poderiam ver o mundo todo.

Eles pareciam estar em um anfiteatro aberto; acharam alguns lugares e se sentaram, onde podiam ver o que estava prestes a acontecer. Eles viram uma fila de Seres Exaltados e, em seguida, uma fila de Liberados. Continuando, vieram os Arcanjos, depois Anjos e, em seguida, os Iniciados. Todos estavam rodeados por grandes e lindas auras de cores delicadas, de uma luz branca deslumbrante e de outra luz dourada que seria impossível descrevê-las.

A procissão subia uma ladeira regular. Todos os presentes ouviam a música das esferas e o canto dos Anjos. O mundo inteiro parecia como uma grande esfera de luz branca e, quando Cristo saiu da Terra, os seres que iam em procissão, em Sua direção, formaram um quadrado, com Ele no centro.

Os seres radiantes formaram, ao redor do Cristo, cinco grandes quadrados de vários tamanhos, que pareciam ser uma forte e poderosa guarda pessoal de grandes Seres em seus elevados veículos.

Alguns estudantes estavam chorando; outros estavam rezando; outros cantavam, alguns entraram em um estado de êxtase, revelando um enorme prazer e felicidade, e outros pediam a Deus que tivesse misericórdia deles. O grande público observou Cristo sair da Terra até se perder de vista.

Cristo parecia cansado e exausto, mas feliz. Devemos lembrar que Ele ficou confinado na Terra por seis meses e sentiu as tristezas, os pecados e sofrimentos de toda a vida durante esse período. A aura de Cristo iluminou toda a Terra. Esta visão maravilhosa estimulará a todos aqueles que viram e lhes fará avançar mais rápido, mesmo que não se recordem, durante a sua consciência de vigília.

[1] N.T.: Irmão Leigo ou Irmã Leiga– Vivem em diferentes partes do mundo ocidental e receberam uma ou mais Iniciações de Mistérios Menores. Ou seja, depois de realizar a 1ª Iniciação Menor, torna-se Irmão Leigo da Ordem Rosacruz. Assim, a evolução dos Irmãos Leigos (ou Irmãs Leigas) é feita por meio de várias Iniciações Menores. São capazes de abandonar seu Corpo Físico conscientemente, assistir aos serviços e participar nos trabalhos espirituais no Templo da Ordem Rosacruz, junto aos Irmãos Maiores. Portanto: o Irmão Leigo ou Irmã Leiga percorre um caminho de nove graus com sessões no Templo Rosacruz à meia-noite, cada dia da semana para cada grau do primeiro ao sétimo, sendo as reuniões do oitavo e nono graus realizadas nos Equinócios. Também podem abandonar o Corpo Denso para diversas missões de serviço altruísta, amoroso e desinteressado. A última Iniciação de um Irmão Leigo ou Irmã Leiga, nesta fase, é a 9ª Iniciação Menor. Esta é a última Iniciação disponibilizada pela Escola de Mistérios Menores da Ordem Rosacruz. A partir deste momento, o Irmão Leigo ou Irmã Leiga está preparado para tornar-se um Adepto.

[2] N.T.: Funcionário de um país responsável, em país estrangeiro, pela proteção dos interesses dos indivíduos e empresas que sejam cidadãos daquele país.

[3] N.T.: O Solstício de Junho varia entre 20 e 21 de junho, dependendo do ano.

[4] N.T.: ou 20, dependendo do ano.

Sobre o Autor

admin administrator

Deixe uma resposta