Arquivo de tag rosa branca

poradmin

De Coração a Coração

De Coração a Coração

“Um só carvão não produz fogo, mas, quando se juntam vários carvões, o calor latente em cada um deles pode converter-se em chama, irradiando luz e calor. De acordo com esta mesma Lei da Natureza, neste momento, unimos nossas aspirações espirituais, esforçando-nos por gerar pensamentos de auxílio e de cura e concentrá-los em uma única direção: os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz, para que os utilizem no seu benéfico Serviço em prol da humanidade.”

Levamos a efeito essas reuniões de cura quando a Lua transita por um Signo Cardeal ou Cardinal (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio). Nesses momentos, todos os trabalhos se infundem de uma superabundância de energia cósmica, havendo, então, mais acentuadas possibilidades de êxito. Aproveitamos, assim, as vantagens oferecidas por essas forças; e o pensamento é o veículo que empregamos para transmitir a energia curadora.

“Mas antes que essa força possa ser transmitida deverá ser gerada; e para fazê-lo devemos conhecer o método mais adequado”. Há um ensinamento de Cristo explicando satisfatoriamente o assunto: “Como o homem pensa em seu coração, assim ele é”. Essa assertiva atinge o mais profundo do ser, pois, ainda que não manifestemos de viva voz nossa crença, iludindo, assim, a outrem, unicamente o que cremos em nosso coração tem valor real. Se declaramos crer em Deus e viver a vida para fazer o bem aos outros, independentemente do que eles nos façam, é possível, apesar dessas afirmações e mesmo de exemplos de elevada conduta, que vivamos uma dupla existência e sejamos hipócritas. Mas, se realmente pensamos essas coisas desde o mais íntimo de nossos corações, não nos é necessário proclamá-lo verbalmente. Cada um dos atos de nossa vontade expressará exatamente como pensamos em nossos corações. As outras pessoas perceberão prontamente que tipo de seres humanos nós somos ao observar nossos atos, melhor do que ouvindo nossas palavras.

Cada pensamento é uma chispa nascida do próprio Ego, atraindo certa qualidade de material apropriado à sua natureza. Esse pensamento-forma pode ser enviado a outros pontos, para o bem ou para o mal, reagindo da mesma forma sobre quem o emite. Quem desenvolveu a visão espiritual observa ao nosso redor uma sutil atmosfera áurica, colorida conforme o curso particular de nossos pensamentos, ainda que, por suposto, a cor básica seja determinada pelas características pessoais.

Se geramos em nossos corações pensamentos de otimismo, bondade e benevolência, de ajuda e serviço, eles colorem gradualmente nossa atmosfera de certo modo a expressar todas essas qualidades e virtudes. Como nosso corpo formado é conforme os modelos do nosso pensamento, isso se refletirá novamente sobre nosso veículo físico, atraindo simpatia e saúde. Por essa razão os ensinamentos do Novo Pensamento são corretos ao afirmarem que, dessa maneira, concretizam-se a saúde e a prosperidade. Isso vem provar a exatidão das palavras de Cristo: “Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas”.

O profeta de Israel expressou essa segurança quando asseverou: “Eu fui jovem, e agora sou velho. Mas nunca vi a semente da retidão mendigando o pão”. É uma lei universal: se trabalhamos com Deus, logicamente ele cuidará do que é Seu. Todos na palavra de Deus temos a promessa de que, se trabalharmos com fé, honestamente, empregando o melhor de nossas habilidades, lutando pelas coisas do Reino Divino, empenhando-nos em Sua Vinha, Ele cuidará de nós.

Quando houvermos criado ao nosso redor uma atmosfera áurica desenvolvida mediante atos de bondade e serviço (porque é suficiente desejarmos ser úteis e lutarmos denodada e diariamente por esse ideal), então recolhemo-nos à noite talvez muito cansados, mas altamente venturosos por termos sido úteis à comunidade como servidores de Cristo.

E quando fizermos tudo isso, encontraremos um mundo transformado, notando nos demais as mesmas qualidades que possuímos, porque essa Áurica atmosfera é como um cristal: através dela observaremos os outros.

Como um fato, vemos o mundo através dessa atmosfera áurica.

Se ela se encontra vibrante de benevolência e bondade, nós nos encontraremos sempre rodeados de pessoas também irradiadoras dessa mesma atmosfera. Isso é verdade, porque atraímos as qualidades (deles) que nós expressamos, com base no princípio científico segundo o qual um diapasão quando golpeado coloca em vibração outros afinados no mesmo tom.

Por conseguinte, uma pessoa benevolente percebe a benevolência dos demais e, indubitavelmente, ela se manifesta. Mas, outra pessoa que pense egoisticamente e com desconfiança acerca dos outros, fará manifestar-se neles essas características, sofrendo diretamente suas consequências. Possuímos um certo tom pessoal. O átomo-semente no coração é a nota-chave da existência física e das vibrações que nós irradiamos.

É imensamente benéfico conhecer esse fato científico, porque através dele podemos controlar nossos pensamentos e conduzir nossas vidas cientificamente. Consequentemente, cultivemos amiúde o otimismo, a benevolência, o desejo de ajudar, a bondade e a própria felicidade, servindo enormemente a toda a evolução.

A menos que possamos contar com alguma das ditas qualidades, ser-nos-á impossível ajudar no trabalho de cura. Milhares de estudantes em todo o mundo fazem suas concentrações sobre a Rosacruz nessas ocasiões em que nos reunimos aqui. Esse acúmulo de bons pensamentos flutua agora sobre a Pró-Ecclesia com uma força poderosa. O emblema Rosacruz é o instrumento ou foco que recolhe essa bendita força para ser enviada aos necessitados. Aqui temos a estrela dourada de cinco pontas e a cruz com quatro hastes. O 5 e o 4 formam o místico 9, o número de Adão, a humanidade. A cruz é totalmente branca, simbolizando a purificação necessária a quem aspire ser um auxiliar da humanidade. As sete rosas adornam o símbolo, refletindo a natureza do sangue purificado.

Enquanto a humanidade e os animais de sangue quente e vermelho são dominados por paixões e desejos, as plantas são castas. A rosa vermelha, é um símbolo da imaculada concepção, que tem lugar quando o Cristo nasce internamente, purificando-nos de nossos pecados passados, santificando-nos para o trabalho futuro. Esse é o grande ideal a que aspiramos. Devemos concentrar nossos pensamentos sobre a rosa branca, símbolo do coração puro e altruísta do Auxiliar Invisível. Oremos para que nossos pensamentos sejam tão puros como essa ROSA. Contudo, quando tivermos realizado a nossa parte, confiemos os resultados a Deus, eliminando nossa própria personalidade.

Somos demasiado débeis para lutar contra as leis cósmicas. Deus é onipotente. Não nos atreveríamos a cruzar o oceano em um bote, pois certamente soçobraríamos. Embarcando, porém, em um transatlântico, as possibilidades de enfrentar qualquer tempestade são muito mais seguras. O mesmo ocorre na viagem que encetamos rumo à nossa meta espiritual. Se nos empenhamos em depender exclusivamente de nossas próprias forças é bem possível que fracassemos. Se confiamos, todavia, todas as coisas a Deus e pedimos Sua ajuda, notaremos crescer enormemente nossas possibilidades de êxito.

E por pedir não se quer significar a oração que sai dos lábios, mas a procedente do coração. Como Emerson afirmou:

“Ainda que teus joelhos nunca se dobrem,

Ao céu chegam tuas constantes orações,

Sejam elas proferidas para o bem ou para o mal,

São registradas e respondidas também”.

(de uma conferência proferida por Max Heindel na Pró-Ecclesia, traduzido e publicado na Revista Serviço Rosacruz de maio/1976)