Arquivo de tag Era de Touro

poradmin

A Fraternidade Rosacruz e a Era de Aquário

A Fraternidade Rosacruz e a Era de Aquário

A Fraternidade Rosacruz é uma Escola Filosófica-Cristã que divulga a Filosofia Rosacruz ou Cristianismo Esotérico, tal como foi ensinado a Max Heindel, seu fundador, pelos Irmãos Maiores, Mestres da Ordem Rosacruz. É um movimento aquariano por excelência, acolhendo e selecionando espontaneamente, pelo interesse de cada membro, os futuros aquarianos. Sua mensagem aí está, lançada ao mundo e ao futuro. Uma nova era social se avizinha, à medida que o Sol, em seu movimento precessional, caminha do Signo de Peixes ao Signo de Aquário. O Sol entrou na órbita de influência aquariana em meados do século passado e se aproxima, um grau cada 72 anos, do Signo de Ar de Aquário, regido por Urano. Sua influência, cuja nota-chave é originalidade e renovação, começa a manifestar-se nas invenções e conquistas do ar, captação e transmissão da eletricidade, da energia solar, da energia atômica, forças essas que estão mudando a história do mundo e impulsionando o homem para rumos imprevisíveis. Muitas passagens dos Evangelhos, as cartas de Paulo e principalmente o Apocalipse, tratam da Nova Era, dizendo que o Cristo, quando vier pela segunda vez, virá nos ares, isto é, ao advento das extraordinárias condições desses tempos futuros dizendo: “Eis que quando entrardes na cidade encontrareis um homem levando um cântaro d’água. Segui-o até a casa em que ele entrar, Lc: 22:10. A casa é símbolo de um dos doze departamentos das doze divisões terrestres. A casa era de um homem rico, pois há riqueza no futuro homem de Aquário: suas oportunidades para avançar no caminho evolutivo são pérolas de grande valor… então, já noite avançada, o Senhor ENTROU NAQUELA CASA E PREPAROU A SEUS DISCÍPULOS para o grande acontecimento cósmico, social, espiritual. ELE JÁ HAVIA DITO que não restaria pedra sobre pedra de todos esses edifícios que vemos à nossa volta.

Porque o grande tempo chegou e uma nova humanidade colocará os cimentos para edificar a Igreja Universal, sem divisões de tribos nem de castas. Ao final da Era de Touro, o touro, há uns 4.000 anos, o “povo de Deus” fugiu do furor que se aproximava quando rumaram para fora do Egito, país dedicado ao culto do touro. Nessa fuga foram conduzidos por Moisés, cuja cabeça, em antigas gravações, aparece adornada com cornos enroscados de carneiro, indicação simbólica de que era o heraldo dos 2.100 anos da Era de Áries durante a qual, na manhã de Páscoa, o Sol coloria de vermelho as portas das casas, semelhante a sangue de carneiro, quando passava pelo equador na constelação (não no Signo) do carneiro, Áries. Semelhantemente, quando o Sol, por precessão, se aproximava da constelação de Peixes, os peixes, João Batista submergia aos convertidos à religião messiânica nas águas do Jordão, e Jesus chamou a seus Discípulos de “pescadores de homens”. Olhando para o futuro através da perspetiva do passado, é evidente que uma nova era terá início quando o Sol entrar na constelação de Aquário, o portador de água. Julgando pelos acontecimentos do passado, é razoável supor-se que uma nova fase de religião substituirá ao sistema atual, revelando-nos ideais mais nobres do que nosso atual conceito de Religião Cristã.

Nos primeiros tempos da Época Atlante vivíamos nos vales mais profundos da Terra, onde a névoa era mais densa. Respirávamos então, por meio de órgãos semelhantes as guelras dos peixes atuais. No transcurso do tempo, o desejo de exploração causou o invento de barcos aéreos que foram impelidos pelas forças expansivas dos grãos em brotação. A história da “Arca” é uma rememoração corrompida daquele fato. Aqueles barcos realmente funcionavam sobre as cristas das montanhas, nas quais, a atmosfera mais rarefeita permitia-lhes sustentar-se. Hoje, nossos navios e barcos flutuam sobre o elemento em que os antigos barcos atlantes viviam submersos. Utilizamos vários meios de propulsão, permitindo-nos voar às partes mas elevadas da terra que ocupamos atualmente. Tão seguramente como nossos antecessores atlantes fizeram um belo caminho do líquido elemento em que viviam, e se elevaram sobre as águas, para viver em outro elemento, do mesmo modo, nós conquistaremos o elemento ar e nos elevaremos sobre ele, para o elemento recém-descoberto que chamamos Éter.

“A Carne e o Sangue não podem herdar o Reino dos Céus”, como tampouco puderam os seres que respiravam por meio de órgãos parecidos às guelras, os atlantes, viver sob as condições naturais prevalecentes na Era atual em que o “reino do homem” existe. Por conseguinte, nossos corpos terão que mudar antes que o Cristo possa vir.

Quando falamos da “Idade Futura”, do “Novo Céu” e da “Nova Terra”, mencionados na Bíblia, e também da Era de Aquário, a diferença não aparecerá clara nas Mentes dos Estudantes Rosacruzes. A confusão de termos é um dos terrenos mais férteis para a falácia. Os Ensinamentos Rosacruzes procuram e se esforçam para evitá-la por meio de uma nomenclatura determinada. Em nossos escritos diz-se que quatro grandes épocas de desenvolvimento precederam ao presente estado de coisas; que a densidade da Terra, suas condições atmosféricas e as leis da natureza que prevaleceram em uma época determinada foram tão diferentes de outras épocas, assim como a correspondente constituição física da raça humana em quaisquer outras épocas diferia totalmente de uma época para outra. Os corpos de ADM (este nome significa TERRA VERMELHA), a humanidade da incandescente da Época Lemúrica, foram formados do “pó da terra”, daquele barro quente, vermelho, vulcânico e estavam adaptados justamente para aquele ambiente. A carne e o sangue ter-se-iam dissipado com o terrível calor daquela época e, ainda que esteja agora adaptado às condições atuais, São Paulo diz-nos que não podem herdar o “Reino dos Céus”. Antes de que uma nova ordem de coisas possa ser inaugurada, a constituição física da raça humana deve ser radicalmente mudada, sem dizer nada com respeito às condições espirituais.

Milhões de anos serão necessários para a regeneração da totalidade da humanidade e adaptá-la para viver em Corpos Vitais, formados pelos Éteres.

Este é um dos trabalhos que a Fraternidade Rosacruz, por meio de seus Ensinamentos modernos, procura realizar.

(Publicada na Revista Serviço Rosacruz – 02/1978)

poradmin

A Fraternidade Rosacruz como Impulso Espiritual para o Mundo e os Dez Primeiros Anos de um Século

A Fraternidade Rosacruz como Impulso Espiritual para o Mundo e os Dez Primeiros Anos de um Século

 A Ordem Rosacruz é uma das Sete Grandes Escolas de Mistérios do Ocidente. Seus representantes escolheram Max Heindel como mensageiro de Sua admirável Filosofia, que tem por finalidade lançar luz sobre o lado científico e espiritual dos problemas relacionados a origem e evolução do ser humano e do Universo. Desde a publicação do livro “O Conceito Rosacruz do Cosmos”, um novo impulso espiritual foi lançado ao mundo, sendo que muitos avanços foram realizados por aqueles que responderam ao mesmo. Entretanto, há ainda muito trabalho para ser feito, e se deixarmos de empregar nossos talentos em prol dessa Grande Obra, “o trabalho ficará incompleto e seremos servos improdutivos dos Irmãos Maiores”. Além disso, tal Obra necessita de muitos colaboradores e, a não ser que tomemos consciência de sua importância e da melhor época para semearmos novas ações que fortaleçam o mencionado impulso, a colheita para o próximo século será pouco produtiva. Deste modo, o objetivo do presente artigo é fornecer informações a respeito da importância e papel da Fraternidade Rosacruz no Mundo, do período referente aos dez primeiros anos de um século e da responsabilidade de cada Aspirante neste processo.

No meio científico, antes que um novo método possa ser empregado como parte da solução de um problema, requisitos básicos devem ser preenchidos. Dentre estes, dois se destacam:

(1) provas de que o método seja eficaz e eficiente;

(2) e garantias sobre a replicabilidade de seus resultados.

Do mesmo modo, verdadeiros ensinamentos espirituais destinados a contribuir com o avanço espiritual do ser humano devem, antes de serem ministrados à maioria, produzir resultados seguros a uma minoria, e, ainda que as experiências espirituais sejam totalmente subjetivas, sua replicabilidade refere-se ao desenvolvimento seguro de todos aqueles que legitimamente seguiram seus procedimentos. A Fraternidade Rosacruz possui e disponibiliza um método espiritual seguro, eficaz e eficiente, capaz de despertar em qualquer Aspirante suas potencialidades latentes em poderes dinâmicos, de modo a torná-lo um verdadeiro discípulo de Cristo.

O Fundador da Ordem Rosacruz, juntamente com os Doze Irmãos Maiores, realizou profundas pesquisas relacionadas às tendências pelas quais as mentes da humanidade atual respondem, bem como a provável direção que as mesmas seguirão no futuro. Estas pesquisas indicaram que as principais necessidades espirituais ou fontes de pecado da humanidade provavelmente seriam: “o orgulho intelectual, a intolerância e a impaciência diante das limitações e restrições” (Veja mais no Livro Ensinamentos de um Iniciado, Capítulos XX, XXI e XXII). Por isso, um método de desenvolvimento espiritual capaz de satisfazer tanto o exigente intelecto, como o anseio do coração foi desenvolvido, ensinando o ser humano como vencer suas próprias limitações, por meio do autodomínio e da compreensão dos Mistérios do Ser e do Universo.

Períodos propícios para iniciar um trabalho espiritual como o acima mencionado ocorrem apenas duas vezes durante um século. São exatamente durante as primeiras e sextas décadas de um século que um novo ciclo espiritual dá início, e a possibilidade de pôr em movimento novas forças nesses períodos traz, ao mundo, muitos benefícios que em outros é raro conseguir. Esse é o motivo pelo qual a publicação do método Rosacruz de desenvolvimento ocorreu durante a primeira década do séc. XX. O fato é que estamos presentemente vivenciando os últimos 12 meses relacionados a um novo ciclo como esse e, como representantes do impulso espiritual que a Fraternidade Rosacruz estabeleceu há 100 anos, não há momento mais propício para empregarmos nossos talentos em prol dessa Grande Obra.

O Aspirante sincero pode, neste momento, estar se perguntando qual seria a linha de ação eficaz que poderia auxiliá-lo a fortalecer ainda mais esse impulso. Como o método Rosacruz é ausente de fórmulas prontas ou mestres externos, uma breve recapitulação do caminho pelo qual o ser humano percorreu no passado e das lições que ele deveria ter aprendido durante as Era que viveu pode fornecer direções úteis que o auxilie nessa busca.

Quando Deus criou o ser humano (a Sua Imagem e Semelhança), a humanidade era um Grande Todo e sem separatividade. Um grande trabalho, então, para que cada ser humano adquirisse uma consciência separada teve início. Para isso, o meio pelo qual isso poderia ocorrer era construindo veículos separados por cujo intermédio seu Espírito poderia se manifestar. O período em que ocorreu esse trabalho é denominado, na filosofia Rosacruz, como período de “Involução”. Como efeito deste processo, o ser humano foi gradativamente percebendo a realidade do mundo exterior e vislumbrando a diferença entre si, o “eu” e os outros. Então, compreendeu que era separado e, desde então, a consciência do “eu”, o egoísmo, predominou. (Veja mais detalhes em Mensagem das Estrelas – Cap. I – Sua evolução segundo o Zodíaco; Conceito Rosacruz do Cosmos – A Queda do Homem – A Época Atlante – Capítulo XIII – Retorno à Bíblia – ambos de Max Heindel).

No final deste período de Involução, o ser humano tinha conquistado uma constituição de corpos completa (veja maiores explicações e todo o processo na segunda parte do Livro Conceito Rosacruz do Cosmos) e estava apto para iniciar uma nova jornada: a de transformar suas potencialidades divinas latentes em poderes dinâmicos. Este segundo período é denominado, pela filosofia Rosacruz, de período de “Evolução”. Assim, o ser humano iniciou sua jornada para aprender lições que o tornará uma Grande Inteligência Criadora. Entretanto, tais lições não eram dadas de uma vez, mas seguindo uma espécie de cronograma (ou Eras) que obedece ao movimento de precessão do Sol no Zodíaco.

Além disso, conforme um número mínimo necessário de seres humanos completava seu aprendizado, novas lições eram gradativamente sendo apresentadas. Até o presente, duas Eras foram completamente vivenciadas e uma terceira está chegando ao fim.

Quais são as Eras e suas respectivas lições? As Eras são: Era de Touro, de Áries e de Peixes, e suas lições incluem tanto aprendizado de conceitos e experiências do Mundo Físico (incluído o aprimoramento de seus Corpos e do Planeta Terra como campo de evolução), como o aprendizado espiritual que o ser humano deveria alcançar. Seus detalhes são descritos abaixo.

A primeira Era, ou Era de Touro, tinha o objetivo de tornar o ser humano ainda mais consciente da Região Química do Mundo Físico. Para isso ele deveria conquistar e dominar esta Região, pelo acúmulo de bens materiais e domínio dos elementos químicos que constituem Mundo Físico (veja mais detalhes no Livro: Mensagem das Estrelas – Cap. I – Sua evolução segundo o Zodíaco – Max Heindel). Por meio destas lições, incorporou o primeiro e então necessário valor: EU TENHO. A prática espiritual desta Era constituía-se da seguinte maneira: o ser humano separava-se em castas que serviam de Sacerdotes nos Templos (Tabernáculo do Deserto) e buscava o lado oculto das coisas disponíveis apenas a estes (sacerdotes tinham acesso à iniciação e a população geral não; por isso o restante seguia a orientação daqueles e sacrificavam suas melhores posses).

A segunda Era, ou Era de Áries, tinha o propósito de ensinar o ser humano a deixar de TER, e desenvolver a capacidade de SER. Foi-lhe, então, ensinado os conceitos de pioneirismo, iniciativa e ambição. Correlato Bíblico desta época refere-se à resposta que Deus deu a Moisés, quando este último não acreditava que poderia influenciar as grandes massas daquela época: Resposta: “EU SOU AQUELE QUE SOU”. “Eis como responderás aos israelitas: EU SOU, envia-me junto de vós.” (Ex 2:12-14). No entanto, nem todos os seres humanos tinham acompanhado o percurso natural da evolução, sendo que o valor EU TENHO estava tão enraizado em sua identidade que se recusava aceitar qualquer nova lição ou convite para dar esse novo passo. O Estudante Rosacruz pode compreender o quão difícil deveria ser deixar esse antigo valor de lado, pois as reminiscências desta Era ainda persistem até os dias atuais. Concomitante a essas novas lições, as condições da Terra estavam mudando e somente àqueles que tinham se adaptado às novas lições espirituais aprenderam a aprimorar seus veículos para sobreviver sobre a nova Terra. Aqueles que persistiam em não dar o próximo passo acabaram por sucumbir e atrasaram todo o progresso da humanidade. O correlato bíblico que descreve essa transição é: Eles Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e consumiu a todos (Lucas Capítulo 17, versículo 27). Como ideais espirituais da segunda época estavam: a justiça, a perfeição, o coração justo e reto. Um exemplo Bíblico destes valores está na seguinte passagem: “Esta é a história de Noé. Noé era um homem justo e perfeito no meio dos homens de sua geração. Ele andava com Deus.” (Gn 6,1-9).

A terceira Era (Atual) ou Era de Peixes convidava o ser humano a aprender incorporar em seu Ser a compaixão para com seus irmãos, o desenvolvimento do senso da unidade com toda a vida, de inspiração e renúncia. Os Ideais Espirituais que deveria desenvolver era o de Serviço, da Pureza, do discernimento e da análise. Muitos desses ideais são muito bem promulgados pelo Cristianismo Exotérico das Igrejas. Mas, novamente, as reminiscências das duas Eras anteriores estavam (e ainda estão) frustrando o desenvolvimento espiritual do ser humano. É isso o que a afirmação “vivemos na Era de Touro e Áries durante a Era de Peixes” quer dizer.

Atualmente, a Era de Peixes está chegando ao fim, sendo possível sentir as influências da quarta Era ou Era de Aquário. Nesta nova Era, será possível dar significados mais lógicos a muitos dos mistérios da vida e do universo. Entretanto, a persistência em conquistar o Mundo Físico, de acumular bens materiais (Era de Touro), da ambição pessoal (Era de Áries) e do Egoísmo, faz com que as mentes atuais incorporem tais significados lógicos como “orgulho intelectual, intolerância e impaciência diante das limitações e restrições” dos outros.

A Ordem Rosacruz envia um impulso espiritual diário que estimula, de forma direta e indireta, o desenvolvimento espiritual do ser humano e o influencia contra essas tendências intelectuais egoístas. Por exemplo, o avanço da ciência faz com que os níveis de exigência para novas descobertas sejam tão altos que é praticamente impossível uma pessoa realizá-las sozinha. Ainda que haja muitas mentes brilhantes coordenando diversos laboratórios experimentais no mundo, tais mentes sabem que sem a ajuda de uma rede de ação harmoniosa, que conta com o trabalho coletivo de diversos integrantes e parceiros, é impossível atingir progresso. Do mesmo modo, muitas empresas já compreenderam que quanto mais assistência se dá a seus clientes (servindo-os quase que incondicionalmente) mais retorno e maiores probabilidades de vendas ocorrem.

Esse serviço, ainda que não aceito ou percebido por empresários que apenas visam lucros e acumular bens, constitui um preceito básico Cristão: “Aquele que quiser o maior entre vós, seja o servo de todos”. Em nossas vidas pessoais, todas as vezes que sentimos medo ou ambição, e acabamos por acumular riquezas, poderes e bens com a justificativa de termos que estabelecer uma condição financeira estável, dar o melhor para nossos filhos, suprir as
necessidades e imprevistos e que temos que acumular para poder gozar de boa vida durante a velhice, indubitavelmente estamos vivendo as lições do passado (Era de Touro e de Áries) no presente.

Obviamente que todos necessitam de bens materiais, de estudo e de bons empregos e não há nenhum problema moral em possuir tudo isso. Mas, todas as vezes que nossas ações são direcionadas apenas a esses propósitos, não há como negar que estamos respondendo as reminiscências passadas. O fato é que muitas das dádivas materiais que Deus nos fornece acabam por não ser suficiente para suprir os padrões ilusórios de necessidade e conforto que queremos ter. Uma reflexão sincera sobre quais são os reais motivos que constituem os fatores motivacionais de nossos pensamentos e comportamentos revelará que a astúcia taurina e a ambição ariana estão mais do que presentes em nossas vidas, e representam boa parte do conjunto de nossas ações.

É tempo de responder ao impulso espiritual que nos convida a dar novo significado aos valores da vida, a afinar nossas ações com o propósito do Esquema da Evolução e a perceber que as falhas e restrições de nossos irmãos são, em realidade, nossas próprias falhas. Isto porque o esforço individual terá pouco efeito se não aprendermos a progredir conjuntamente. É uma verdade indiscutível que todas as vezes que auxiliamos nosso próximo, também progredimos na senda do desenvolvimento. Mas devemos ir além de um conceito intelectual a respeito das necessidades espirituais do homem. Todo esse conhecimento é bastante interessante para brincarmos com nossas mentes e para fazermos profundas discussões metafísicas com nossos amigos. Porém, esse saber intelectual não nos ajudará no caminho da evolução, a menos que saibamos utilizá-lo na prática. Quando aprendemos um novo ideal espiritual não devemos utilizá-lo apenas algumas vezes ou quando for conveniente. Devemos tratá-lo com profundo respeito e utilizá-lo em todos os momentos de nossas vidas, como parte de nós.

Tão certo como transformações ocorreram no passado, são iminentes as transformações futuras. Tão certo como os pioneiros da Era de Touro foram salvos na “Arca” por terem desenvolvido pulmões necessários para que pudessem respirar sob as novas condições de Áries, tempo virá em que somente aqueles que possuam um Corpo-Alma poderão viver sob as condições da Nova Terra, da qual João fala no Livro do Apocalipse. É somente por meio do Serviço amoroso e desinteressado que podemos construir esse Corpo Alma (Lições das Eras de Peixes e Aquário).

Nos próximos 12 meses que constituem o último ano propício para alimentarmos o impulso espiritual, reservemos um tempo em nossos tumultuados dias para empregar nossos talentos e habilidades para elevação de nossos irmãos. O objetivo principal do Aspirante cristão é (ou deveria ser) alcançar a UNIÃO COM CRISTO. Max Heindel fez um trabalho digno de reverência nos últimos anos que compuseram a primeira década do séc. XX. Esse trabalho despertou novo impulso espiritual e iluminou muitas almas sedentas durante todo o século que passou. Os próximos 12 meses são “momentos de ouro” e temos uma maravilhosa oportunidade para plantar sementes espirituais que florescerão no futuro. Possam nossos esforços ser abundantes neste período e que possamos estar aptos para contribuir com esse abençoado impulso espiritual. Se assim o fizermos, temos a certeza que um maravilhoso crescimento anímico pessoal e coletivo ocorrerá e, deste modo, poderemos adiantar o dia da libertação de Nosso Senhor.

Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz