Arquivo de tag Era de Peixes

poradmin

Éter: A Nova Fronteira

Éter: A Nova Fronteira

Nesta lição trataremos da Região Etérica do Mundo Físico. Se bem que o Éter não seja visível para a grande maioria das pessoas, pertence, ainda assim, ao plano físico e é considerado como matéria física. O Éter envolve os átomos físicos como uma aura que os rodeia, interpenetra e protege todo o tempo. Os átomos físicos nadam num mar de Éter. Quando os desejos de uma pessoa tenham esgotado a estes átomos, o Corpo de Desejos atrai, do Sol e por meio do baço, a vitalidade necessária para revivificá-los. O Corpo Denso está constantemente sofrendo mudanças e seus átomos necessitam constante renovação. O Corpo de Desejos está sempre em estado cambiante e em rodamoinho, mas os átomos etéricos prismáticos do Corpo Vital assumem uma posição estacionária, permanecendo sempre no mesmo lugar desde o nascimento até a morte, se bem que estejam, ao mesmo tempo, pulsando e enviando suas forças com sua influência protetora através do Corpo Denso inteiro. Acontece o mesmo com relação aos Éteres planetários da Terra, das plantas e dos animais.

O Éter está dividido em quatro estados de crescente vibração, a saber: o Éter Químico, o Éter de Vida, o Éter Luminoso e o Éter Refletor, cada um deles desempenhando funções específicas. O Éter Químico, que é o mais denso, pode ser visto como uma bruma azul que rodeia as montanhas. Especialmente é este o caso ao amanhecer e ao anoitecer, quando as forças vitais da Terra são mais fortes. O Éter Químico tem dois polos. O polo positivo atua na assimilação dos elementos nutritivos, no crescimento ou na acumulação de tais elementos no corpo e na conservação da forma. Estas funções involuntárias são executadas sob a direção dos Espíritos da Natureza que têm a seu cargo a construção das formas minerais dos quatro reinos. As forças que trabalham pelo polo negativo controlam a eliminação e a excreção das toxinas e dos catabólitos. O Éter Químico é o construtor e o limpador. Podemos compará-lo à enfermeira, que alimenta, cuida e restaura a saúde, mas também limpa, purifica e elimina todos os detritos. Os Éteres Químicos e de Vida encontram-se e rodeiam as folhas e a vegetação apodrecidas, os corpos mortos do animal e do ser humano, até que a decomposição tenha destruído inteiramente os átomos físicos, que são devolvidos ao reino mineral.

O Éter de Vida é um fator determinante na propagação da espécie. As forças que atuam pelo polo positivo deste Éter, trabalham durante a gestação através da matriz colocada pelos Anjos no útero da mãe, para dar à luz um novo Ego. O sexo é determinado antes de que esta matriz seja colocada no útero. Se a matriz é constituída por átomos etéricos positivos, atraem para si átomos físicos de polaridade negativa, os quais constroem um corpo feminino; mas, se a matriz é feita de átomos etéricos negativos, então constrói um corpo masculino. O polo negativo do Éter de Vida permite ao macho produzir o sêmen.

Os cientistas estão lutando por compreender as leis que determinam o sexo. Até agora têm sido capazes de controlar em certo grau o sexo de várias espécies, mas, ao que se refere à onda de vida humana fica mais difícil. Se bem que seja possível trabalhar com as ondas de vida mais jovens, que estão sob o controle dos Espíritos-Grupo, devemos recordar que o ser humano é um ser individualizado e é o senhor de seu próprio destino. Seu destino, resultado das vidas passadas, está escrito no diminuto átomo-semente, do qual extraem os Anjos Arquivistas (ou Anjos do Destino ou Senhores do Destino) o núcleo para a matriz, que é feito especialmente para acomodar-se a cada Ego particular, quando este está pronto para o renascimento, e o sexo é determinado pela escolha feita quando o Ego está ainda no Terceiro Céu (na Região do Pensamento Abstrato). Portanto, um cientista com o fim de controlar o sexo de qualquer ser humano teria que ser sapientíssimo e poderoso, e começar a controlar as circunstâncias dos mundos internos e ainda das vidas anteriores ao presente renascimento desse Ego.

O Éter Luminoso e as forças que trabalham através do seu polo positivo geram calor e movimento; também controlam a circulação da seiva nas plantas, do sangue nas artérias e veias e do fluido rosado nos nervos motores. As forças que trabalham através do polo negativo fazem funcionar os sentidos, manifestando-se como funções passivas da sensação, audição, visão, olfato e paladar. Também constroem e nutrem os órgãos sensoriais (particularmente o olho) e seus correspondentes nervos. Esta é também a avenida de depósito para os pigmentos e matéria colorante, não apenas do sangue, do cabelo e da pele do animal e do ser humano, mas também das folhas e pétalas das plantas e das flores.

O Éter Refletor é a avenida através da qual a Mente do ser humano se comunica com o cérebro físico. Também registra ou reflete todos os acontecimentos que tenham sucedido, algum dia, nas vidas passadas e presentes do ser humano. Tudo faz uma impressão que é registrada sobre este Éter em forma de memória. Também reflete impressões e formas de pensamentos armazenadas na verdadeira Memória da Natureza, que se encontra nos reinos superiores.  Existem, pelo menos, três principais níveis de memória: a memória subconsciente do Éter Refletor, que tem assento no sangue; a memória consciente no Mundo do Pensamento, mas que também é refletida no Éter Refletor, tratando estas duas classes de memória com a presente vida terrestre, e a memória supraconsciente no Mundo do Espírito de Vida, que pode evitar a Mente e impressionar ao Éter Refletor diretamente em forma de lampejos de intuição, tratando esta última classe de memória, essencialmente  com as atividades das vidas passadas.

Até recentes décadas a Ciência tem conhecido muito pouco a respeito destes Éteres, mas várias de suas especialidades modernas, tais como a Astronomia, a Astrofísica, a Biologia, a Bioquímica, a Física Nuclear e as Ciências do Espaço para citar apenas algumas têm-se esforçado em estudar e compreender coisas tais como a transmissão da luz, a gravidade, as comunicações espaciais, a fotossíntese, a reprodução celular, a engenharia genética, a fusão nuclear, as estruturas subatômicas, e assim sucessivamente, as quais estão sob o ordenado controle dos Éteres. Neste último terço da Era de Peixes a Ciência vai se tornar mais forte e finalmente nos levará a redescobrir a perfeita ordem subjacente no Mundo Físico, revelando a maravilhosa sabedoria de Deus — seu Criador — com Quem logo devemos aprender a trabalhar e viver em harmonia.

Mediante orações repetidas e concentração tem sido atraídos os Éteres superiores ao Templo de Cura de Mount Ecclesia, e agora o banham, com um poder que aumenta a cada dia. Quando nos colocamos em sintonia, atraímos para nós um mar destes Éteres superiores e nos convertemos em poderosos agentes de Cristo e de seu bálsamo curador, para ajudar a humanidade. Assim como os atlantes tiveram que desenvolver os pulmões com a finalidade de respirar acima da atmosfera carregada de névoa, assim nós devemos desenvolver o Corpo Anímico, composto dos Éteres superiores, o que permitirá que nos elevemos sobre a densa atmosfera para flutuar à vontade, através dos Éteres, a fim de ajudar a humanidade que sofre.

Nossos astronautas do presente estão simplesmente indicando o caminho, e à falta de um Corpo-Alma devem colocar-se em um traje espacial. Contudo, quando regeneramos nossas vidas e com alegria nos damos para servir desinteressadamente à humanidade, construímos o novo traje espacial etérico, o Corpo-Alma, o qual rapidamente nos abrirá a Nova Fronteira do Espírito: o Espaço.

(Publicado na Revista ‘Serviço Rosacruz’ –  Jul/Ago/88)

poradmin

A relação entre a Água e as Emoções

A relação entre a Água e as Emoções

No Evangelho Segundo São Mateus 8:23-27 lemos:

“Então, entrando Ele no barco seus Discípulos o seguiram. E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto Cristo Jesus dormia. Mas os Discípulos vieram acordá-Lo clamando: ‘Salva-nos, pereceremos’. Acudiu-lhes então Cristo Jesus: ‘Por que sois tímidos, homens de pequena fé?’. E levantando-se repreendeu os ventos e o mar e fez-se grande bonança. E maravilharam-se os homens dizendo: ‘Quem é Este que até o vento e o mar Lhe obedecem?’”

No Evangelho Segundo São Mateus 14:22-33:

“Logo a seguir compeliu Jesus os Discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto Ele despedia as multidões. E, despedidas as multidões, subiu ao monte a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde lá estava Ele, só. Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas porque o vento era contrário. Na quarta vigília da noite foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os Discípulos ao verem-no andando por sobre as águas ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma. E tomados de medo gritaram, mas Cristo Jesus imediatamente lhes falou: ‘Tende bom ânimo. Sou eu. Não temais’. Respondendo-lhe Pedro disse: ‘Se és tu Senhor, manda-me ir ter contigo por sobre as águas’. E Ele disse: ‘Vem’. E Pedro descendo do barco andou sobre as águas e foi ter com Cristo Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo e começando a submergir, gritou: ‘Salva-me Senhor’. E, prontamente Cristo Jesus estendendo a mão tomou-o e lhe disse: ‘Homem de pequena fé, porque duvidastes?’. Subindo ambos para o barco, cessou o vento. E os que estavam no barco o adoraram dizendo: ‘Verdadeiramente és Filho de Deus’”.

Nessas passagens desse Evangelho observamos algo muito mais transcendente do que Cristo Jesus produzindo uma de suas maravilhas. Ele não estava literalmente dominando os elementos próprios do Mundo Físico, tais como a tempestade, ventos e ondas fortíssimas. Na realidade, estas passagens do Novo Testamento relatam experiências ocorridas em outra dimensão. Na literatura ocultista a água simboliza as emoções e o Mundo do Desejo.

À natureza da água lembra muito o Mundo do Desejo cuja substância encontra-se em constante movimento. Max Heindel afirma em suas obras que a permanência no Mundo do Desejo requer muito equilíbrio e discernimento. Quando faltam essas qualidades ocorre justamente o pânico que sobressaltou Pedro no capítulo 14 de São Mateus.

Pedro deixou o barco (o corpo) e aventurou-se na região das emoções. Porém, ainda não conseguia manter-se sereno para lá permanecer, tendo assim que receber a ajuda do Cristo. Caminhar sobre as águas é dominar os elementos do Mundo do Desejo.

Max Heindel diz no Conceito Rosacruz do Cosmos: “A lei que rege a matéria da Região Química é a inércia, a tendência a permanecer em status quo. É necessária certa soma de energia para vencer essa inércia, para fazer com que se mova um corpo em repouso ou para deter um que esteja em movimento. Tal não acontece com a matéria componente do Mundo do Desejo. Em si própria é quase vivente, está em movimento incessante, fluídico. Pode tomar formas inimagináveis com inconcebível facilidade e rapidez brilhando ao mesmo tempo com milhares de cores coruscantes sem termos de comparação com qualquer coisa que conhecemos neste estado físico de consciência. Desta ligeira descrição pode-se deduzir quão difícil será para o neófito que acaba de abrir os olhos internos, encontrar o equilíbrio no Mundo do Desejo. É um manancial de toda espécie de perturbações e perplexidades”.

No Conceito Rosacruz do Cosmos lemos: “A característica principal dos globos lunares pode-se descrever como ‘umidade’. Os ocultistas-cientistas chamam ‘água’ aos globos do Período Lunar e descrevem sua atmosfera como se fosse névoa ígnea”.

No mesmo livro dessa obra básica dos Ensinamentos Rosacruzes, Max Heindel afirma que cada dia da semana corresponde a um dos Períodos e é regido por um Astro em particular. À segunda-feira corresponde ao Período Lunar e é regida pela Lua que exerce decisiva influência sobre as águas, os fluídos, as marés, etc.

O domínio das emoções representa uma transição de um estado de consciência para outro. Os israelitas para entrar na Terra Prometida, primeiro tiveram de atravessar o Mar Vermelho e depois o Rio Jordão.

Cruzar as águas é uma vitória sobre as emoções, sobre si próprio. Se você supera alguma dificuldade, você cruzou o Jordão.

A arca de Noé, esotericamente interpretada representa um estado de consciência mais elevado, uma vitória sobre a comoção e insegurança causadas por grandes transformações. O dilúvio é uma alegoria do desaparecimento da Atlântida. Os sobreviventes simbolizam um tipo superior de humanidade, capaz de responder positivamente às necessidades evolutivas da Época Ária.

As Épocas contêm em si mesmas espirais evolutivas menores. As Eras são algumas dessas espirais. O ser humano da Era de Peixes é emotivo por excelência. Eis porque esta Era está intimamente ligada ao elemento água: o batismo com água nas igrejas cristãs, a água benta, a emotividade que envolve a devoção.

Na próxima Era — Aquário — essas características serão modificadas. O ser humano aquariano será mais racional. A atmosfera mais seca e elétrica que predominará ensejará o fortalecimento da atividade intelectual. A representação astrológica de Aquário consiste em um homem, o aguador, despejando a água do seu cântaro.

Num futuro mais distante ainda, às emoções serão totalmente sublimadas e amalgamadas à constituição espiritual do ser humano. Isso foi anunciado no Capítulo 21 do Apocalipse: “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeiro terra passaram e o mar já não existe”. Temos, portanto, uma árdua tarefa pela frente.

(Publicada na revista ‘Serviço Rosacruz’ – mar/abr – 88)

poradmin

Sementes da Nova Era, ainda aqui na Era de Peixes

Sementes da Nova Era, ainda aqui na Era de Peixes

A Era (ou Idade) de Peixes apresenta algumas características marcantes. Uma delas é a predominância de uns poucos sobre a maioria. Tal faceta pode ser notada com facilidade se observarmos, principalmente, os campos da religião e da política.

Nos últimos séculos, todas as grandes decisões que marcaram a vida das nações foram tomadas por poucos indivíduos, por grupos hegemônicos, ou em função do que eles pensavam e lhes atendia os interesses.

Os povos se acomodaram a essa situação, permitindo que um indivíduo tomasse iniciativa por eles. Não se discutia o valor das decisões, quais os critérios que a norteavam e se o objetivo final era o bem coletivo. O líder decidiu e ponto final. Revogam-se as disposições em contrário.

Esse sistema de lideranças foi legítimo numa época em que era necessário promover o desenvolvimento coletivo. Mas hoje, quando a influência de Aquário se faz sentir com intensidade crescente, esse estado de coisas tende a mudar.

O crescimento da individualidade assume importância prioritária e isso já vem promovendo uma significativa mudança na ordem social. As lideranças estão desaparecendo gradativamente, dando lugar a formas mais democráticas de tomadas de decisões. Os direitos individuais devem ser respeitados e a liberdade de expressão defendida, como sendo embriões de uma sociedade mais consciente de seus direitos, deveres e ideais.

A medida em que o líder carismático se torna uma figura do passado, as nações e as instituições passam a ser dirigidas por pessoas responsáveis, a quem são delegados poderes para tal, mediante critérios justos e democráticos.

Desses dirigentes exige-se competência, probidade e, acima de tudo,um acendrado amor aos seus concidadãos. Todos os seus atos devem representar e expressar as aspirações e vontades coletivas. Só se justifica a tomada de grandes decisões após amplos e profundos debates entre a população e, na medida do possível, procurar-se-á sempre o consenso.

Esse respeito à liberdade individual, propugnado e praticado no seio da Fraternidade Rosacruz, constitui um prelúdio do que será a futura sociedade humana.

Como membros da Fraternidade Rosacruz e colaboradores na disseminação do evangelho da Era (ou Idade) de Aquário, façamos uma autocrítica, verificando se nossos hábitos, ideias e procedimentos ainda recebem a influência de Peixes. Caso isso ocorra empenhemo-nos num esforço consciente e perseverante, no sentido de transmutar essa maneira de ser, dando-lhe características aquarianas. Notaremos, então, como nossa colaboração será muito mais eficiente.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 04/86)

poradmin

Todos nós podemos e devemos decifrar a mensagem e resolver o mistério do Universo: eis um exemplo

Todos nós podemos e devemos decifrar a mensagem e resolver o mistério do Universo: eis um exemplo

Diz-se amiúde e com razão, por certo, que “o menino é o pai do homem” e sobre o mesmo princípio podemos dizer que o Filho do Homem é o Super-homem. Portanto, quando o Sol entrar, por precessão, no Signo celestial de Aquário, o aguador, virá uma nova fase da religião do Cordeiro exotericamente e o ideal que devemos perseguir está indicado no Signo oposto: Leão.

A Lua, habitação do regente autocrático da raça e o dador de leis, Jeová, está, exaltada em Touro, Signo do touro, e quando o Sol transitou, por precessão, por esse Signo, todas as religiões de raça, mesmo a fase mosaica da religião ária do Cordeiro, pediam uma vítima propiciatória para cada transgressão da lei.

Mas o Sol está exaltado em Áries e ao entrar nesse Signo, por precessão, o grande espirito Solar, Cristo, veio como um Sumo Sacerdote da Religião Ária, ab-rogou o sacrifício de outros ao oferecer-se a Si mesmo como um sacrifício perpétuo pelo pecado do mundo.

Observando o ideal maternal de Virgem durante a Era de Peixes e seguindo o exemplo de Cristo como um serviço de sacrifícios, a imaculada concepção converte-se numa experiência real para cada um de nós, e Cristo, o Filho do Homem (Aquário), nasce internamente.

Deste modo, gradualmente a fase terceira da religião Ária se manifestará e um novo ideal será encontrado no Leão de Judá (Leão). Valor e convicção, fortaleza de caráter e virtudes semelhantes farão do ser humano realmente o Rei da Criação, digno da confiança e do afeto dos reinos inferiores de vida, bem como do amor das divinas Hierarquias que sobre ele estão.

Assim, a mensagem mística da evolução do ser humano está marcada em caracteres de fogo no campo celestial, onde qualquer investigador pode ler.

E quando estudemos o propósito de Deus, revelado no Zodíaco, aprenderemos a nos conformarmos inteligentemente com Seus desígnios e deste modo abreviar o dia da emancipação de nosso limitado ambiente atual, para sermos perfeitamente livres como espíritos, sobrepondo-nos à lei do pecado e da morte, por meio de Cristo, o Senhor do Amor e da Vida.

Todos nós podemos e devemos decifrar a mensagem e resolver o mistério do Universo.

A entrada do Sol em Aquário, em que teremos mais estreita união com o Cristo, por uma forma elevada da religião do Cordeiro, está indicada, além do Zodíaco, no Evangelho de São Lucas (22:10-11), São Marcos (14:13-15) e São Mateus (26:18), pois o Cristo Solar é simbolizado em Astrologia pelo Sol, quer na evolução do ser humano, como das nações e do mundo. Aquário, às vezes, é representado por uma mulher derramando água de um cântaro; outras vezes por um menino e outras ainda, por um homem. O correto é de um rapaz, que simboliza o Cristo já crescido no ideal dentro de nós; a água que se derrama sob controle do cântaro, pelo rapaz, significa o equilíbrio das emoções. Será, pois, a época do Amor racional, inteligente, o equilíbrio entre o Coração e a Mente, preconizado pelos Rosacruzes.

A palavra chave de Aquário, como Signo Fixo, é: Estabilidade.

(Publicado na Revista ‘Serviço Rosacruz’ – 01/64)

poradmin

A Fraternidade Rosacruz como Impulso Espiritual para o Mundo e os Dez Primeiros Anos de um Século

A Fraternidade Rosacruz como Impulso Espiritual para o Mundo e os Dez Primeiros Anos de um Século

 A Ordem Rosacruz é uma das Sete Grandes Escolas de Mistérios do Ocidente. Seus representantes escolheram Max Heindel como mensageiro de Sua admirável Filosofia, que tem por finalidade lançar luz sobre o lado científico e espiritual dos problemas relacionados a origem e evolução do ser humano e do Universo. Desde a publicação do livro “O Conceito Rosacruz do Cosmos”, um novo impulso espiritual foi lançado ao mundo, sendo que muitos avanços foram realizados por aqueles que responderam ao mesmo. Entretanto, há ainda muito trabalho para ser feito, e se deixarmos de empregar nossos talentos em prol dessa Grande Obra, “o trabalho ficará incompleto e seremos servos improdutivos dos Irmãos Maiores”. Além disso, tal Obra necessita de muitos colaboradores e, a não ser que tomemos consciência de sua importância e da melhor época para semearmos novas ações que fortaleçam o mencionado impulso, a colheita para o próximo século será pouco produtiva. Deste modo, o objetivo do presente artigo é fornecer informações a respeito da importância e papel da Fraternidade Rosacruz no Mundo, do período referente aos dez primeiros anos de um século e da responsabilidade de cada Aspirante neste processo.

No meio científico, antes que um novo método possa ser empregado como parte da solução de um problema, requisitos básicos devem ser preenchidos. Dentre estes, dois se destacam:

(1) provas de que o método seja eficaz e eficiente;

(2) e garantias sobre a replicabilidade de seus resultados.

Do mesmo modo, verdadeiros ensinamentos espirituais destinados a contribuir com o avanço espiritual do ser humano devem, antes de serem ministrados à maioria, produzir resultados seguros a uma minoria, e, ainda que as experiências espirituais sejam totalmente subjetivas, sua replicabilidade refere-se ao desenvolvimento seguro de todos aqueles que legitimamente seguiram seus procedimentos. A Fraternidade Rosacruz possui e disponibiliza um método espiritual seguro, eficaz e eficiente, capaz de despertar em qualquer Aspirante suas potencialidades latentes em poderes dinâmicos, de modo a torná-lo um verdadeiro discípulo de Cristo.

O Fundador da Ordem Rosacruz, juntamente com os Doze Irmãos Maiores, realizou profundas pesquisas relacionadas às tendências pelas quais as mentes da humanidade atual respondem, bem como a provável direção que as mesmas seguirão no futuro. Estas pesquisas indicaram que as principais necessidades espirituais ou fontes de pecado da humanidade provavelmente seriam: “o orgulho intelectual, a intolerância e a impaciência diante das limitações e restrições” (Veja mais no Livro Ensinamentos de um Iniciado, Capítulos XX, XXI e XXII). Por isso, um método de desenvolvimento espiritual capaz de satisfazer tanto o exigente intelecto, como o anseio do coração foi desenvolvido, ensinando o ser humano como vencer suas próprias limitações, por meio do autodomínio e da compreensão dos Mistérios do Ser e do Universo.

Períodos propícios para iniciar um trabalho espiritual como o acima mencionado ocorrem apenas duas vezes durante um século. São exatamente durante as primeiras e sextas décadas de um século que um novo ciclo espiritual dá início, e a possibilidade de pôr em movimento novas forças nesses períodos traz, ao mundo, muitos benefícios que em outros é raro conseguir. Esse é o motivo pelo qual a publicação do método Rosacruz de desenvolvimento ocorreu durante a primeira década do séc. XX. O fato é que estamos presentemente vivenciando os últimos 12 meses relacionados a um novo ciclo como esse e, como representantes do impulso espiritual que a Fraternidade Rosacruz estabeleceu há 100 anos, não há momento mais propício para empregarmos nossos talentos em prol dessa Grande Obra.

O Aspirante sincero pode, neste momento, estar se perguntando qual seria a linha de ação eficaz que poderia auxiliá-lo a fortalecer ainda mais esse impulso. Como o método Rosacruz é ausente de fórmulas prontas ou mestres externos, uma breve recapitulação do caminho pelo qual o ser humano percorreu no passado e das lições que ele deveria ter aprendido durante as Era que viveu pode fornecer direções úteis que o auxilie nessa busca.

Quando Deus criou o ser humano (a Sua Imagem e Semelhança), a humanidade era um Grande Todo e sem separatividade. Um grande trabalho, então, para que cada ser humano adquirisse uma consciência separada teve início. Para isso, o meio pelo qual isso poderia ocorrer era construindo veículos separados por cujo intermédio seu Espírito poderia se manifestar. O período em que ocorreu esse trabalho é denominado, na filosofia Rosacruz, como período de “Involução”. Como efeito deste processo, o ser humano foi gradativamente percebendo a realidade do mundo exterior e vislumbrando a diferença entre si, o “eu” e os outros. Então, compreendeu que era separado e, desde então, a consciência do “eu”, o egoísmo, predominou. (Veja mais detalhes em Mensagem das Estrelas – Cap. I – Sua evolução segundo o Zodíaco; Conceito Rosacruz do Cosmos – A Queda do Homem – A Época Atlante – Capítulo XIII – Retorno à Bíblia – ambos de Max Heindel).

No final deste período de Involução, o ser humano tinha conquistado uma constituição de corpos completa (veja maiores explicações e todo o processo na segunda parte do Livro Conceito Rosacruz do Cosmos) e estava apto para iniciar uma nova jornada: a de transformar suas potencialidades divinas latentes em poderes dinâmicos. Este segundo período é denominado, pela filosofia Rosacruz, de período de “Evolução”. Assim, o ser humano iniciou sua jornada para aprender lições que o tornará uma Grande Inteligência Criadora. Entretanto, tais lições não eram dadas de uma vez, mas seguindo uma espécie de cronograma (ou Eras) que obedece ao movimento de precessão do Sol no Zodíaco.

Além disso, conforme um número mínimo necessário de seres humanos completava seu aprendizado, novas lições eram gradativamente sendo apresentadas. Até o presente, duas Eras foram completamente vivenciadas e uma terceira está chegando ao fim.

Quais são as Eras e suas respectivas lições? As Eras são: Era de Touro, de Áries e de Peixes, e suas lições incluem tanto aprendizado de conceitos e experiências do Mundo Físico (incluído o aprimoramento de seus Corpos e do Planeta Terra como campo de evolução), como o aprendizado espiritual que o ser humano deveria alcançar. Seus detalhes são descritos abaixo.

A primeira Era, ou Era de Touro, tinha o objetivo de tornar o ser humano ainda mais consciente da Região Química do Mundo Físico. Para isso ele deveria conquistar e dominar esta Região, pelo acúmulo de bens materiais e domínio dos elementos químicos que constituem Mundo Físico (veja mais detalhes no Livro: Mensagem das Estrelas – Cap. I – Sua evolução segundo o Zodíaco – Max Heindel). Por meio destas lições, incorporou o primeiro e então necessário valor: EU TENHO. A prática espiritual desta Era constituía-se da seguinte maneira: o ser humano separava-se em castas que serviam de Sacerdotes nos Templos (Tabernáculo do Deserto) e buscava o lado oculto das coisas disponíveis apenas a estes (sacerdotes tinham acesso à iniciação e a população geral não; por isso o restante seguia a orientação daqueles e sacrificavam suas melhores posses).

A segunda Era, ou Era de Áries, tinha o propósito de ensinar o ser humano a deixar de TER, e desenvolver a capacidade de SER. Foi-lhe, então, ensinado os conceitos de pioneirismo, iniciativa e ambição. Correlato Bíblico desta época refere-se à resposta que Deus deu a Moisés, quando este último não acreditava que poderia influenciar as grandes massas daquela época: Resposta: “EU SOU AQUELE QUE SOU”. “Eis como responderás aos israelitas: EU SOU, envia-me junto de vós.” (Ex 2:12-14). No entanto, nem todos os seres humanos tinham acompanhado o percurso natural da evolução, sendo que o valor EU TENHO estava tão enraizado em sua identidade que se recusava aceitar qualquer nova lição ou convite para dar esse novo passo. O Estudante Rosacruz pode compreender o quão difícil deveria ser deixar esse antigo valor de lado, pois as reminiscências desta Era ainda persistem até os dias atuais. Concomitante a essas novas lições, as condições da Terra estavam mudando e somente àqueles que tinham se adaptado às novas lições espirituais aprenderam a aprimorar seus veículos para sobreviver sobre a nova Terra. Aqueles que persistiam em não dar o próximo passo acabaram por sucumbir e atrasaram todo o progresso da humanidade. O correlato bíblico que descreve essa transição é: Eles Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e consumiu a todos (Lucas Capítulo 17, versículo 27). Como ideais espirituais da segunda época estavam: a justiça, a perfeição, o coração justo e reto. Um exemplo Bíblico destes valores está na seguinte passagem: “Esta é a história de Noé. Noé era um homem justo e perfeito no meio dos homens de sua geração. Ele andava com Deus.” (Gn 6,1-9).

A terceira Era (Atual) ou Era de Peixes convidava o ser humano a aprender incorporar em seu Ser a compaixão para com seus irmãos, o desenvolvimento do senso da unidade com toda a vida, de inspiração e renúncia. Os Ideais Espirituais que deveria desenvolver era o de Serviço, da Pureza, do discernimento e da análise. Muitos desses ideais são muito bem promulgados pelo Cristianismo Exotérico das Igrejas. Mas, novamente, as reminiscências das duas Eras anteriores estavam (e ainda estão) frustrando o desenvolvimento espiritual do ser humano. É isso o que a afirmação “vivemos na Era de Touro e Áries durante a Era de Peixes” quer dizer.

Atualmente, a Era de Peixes está chegando ao fim, sendo possível sentir as influências da quarta Era ou Era de Aquário. Nesta nova Era, será possível dar significados mais lógicos a muitos dos mistérios da vida e do universo. Entretanto, a persistência em conquistar o Mundo Físico, de acumular bens materiais (Era de Touro), da ambição pessoal (Era de Áries) e do Egoísmo, faz com que as mentes atuais incorporem tais significados lógicos como “orgulho intelectual, intolerância e impaciência diante das limitações e restrições” dos outros.

A Ordem Rosacruz envia um impulso espiritual diário que estimula, de forma direta e indireta, o desenvolvimento espiritual do ser humano e o influencia contra essas tendências intelectuais egoístas. Por exemplo, o avanço da ciência faz com que os níveis de exigência para novas descobertas sejam tão altos que é praticamente impossível uma pessoa realizá-las sozinha. Ainda que haja muitas mentes brilhantes coordenando diversos laboratórios experimentais no mundo, tais mentes sabem que sem a ajuda de uma rede de ação harmoniosa, que conta com o trabalho coletivo de diversos integrantes e parceiros, é impossível atingir progresso. Do mesmo modo, muitas empresas já compreenderam que quanto mais assistência se dá a seus clientes (servindo-os quase que incondicionalmente) mais retorno e maiores probabilidades de vendas ocorrem.

Esse serviço, ainda que não aceito ou percebido por empresários que apenas visam lucros e acumular bens, constitui um preceito básico Cristão: “Aquele que quiser o maior entre vós, seja o servo de todos”. Em nossas vidas pessoais, todas as vezes que sentimos medo ou ambição, e acabamos por acumular riquezas, poderes e bens com a justificativa de termos que estabelecer uma condição financeira estável, dar o melhor para nossos filhos, suprir as
necessidades e imprevistos e que temos que acumular para poder gozar de boa vida durante a velhice, indubitavelmente estamos vivendo as lições do passado (Era de Touro e de Áries) no presente.

Obviamente que todos necessitam de bens materiais, de estudo e de bons empregos e não há nenhum problema moral em possuir tudo isso. Mas, todas as vezes que nossas ações são direcionadas apenas a esses propósitos, não há como negar que estamos respondendo as reminiscências passadas. O fato é que muitas das dádivas materiais que Deus nos fornece acabam por não ser suficiente para suprir os padrões ilusórios de necessidade e conforto que queremos ter. Uma reflexão sincera sobre quais são os reais motivos que constituem os fatores motivacionais de nossos pensamentos e comportamentos revelará que a astúcia taurina e a ambição ariana estão mais do que presentes em nossas vidas, e representam boa parte do conjunto de nossas ações.

É tempo de responder ao impulso espiritual que nos convida a dar novo significado aos valores da vida, a afinar nossas ações com o propósito do Esquema da Evolução e a perceber que as falhas e restrições de nossos irmãos são, em realidade, nossas próprias falhas. Isto porque o esforço individual terá pouco efeito se não aprendermos a progredir conjuntamente. É uma verdade indiscutível que todas as vezes que auxiliamos nosso próximo, também progredimos na senda do desenvolvimento. Mas devemos ir além de um conceito intelectual a respeito das necessidades espirituais do homem. Todo esse conhecimento é bastante interessante para brincarmos com nossas mentes e para fazermos profundas discussões metafísicas com nossos amigos. Porém, esse saber intelectual não nos ajudará no caminho da evolução, a menos que saibamos utilizá-lo na prática. Quando aprendemos um novo ideal espiritual não devemos utilizá-lo apenas algumas vezes ou quando for conveniente. Devemos tratá-lo com profundo respeito e utilizá-lo em todos os momentos de nossas vidas, como parte de nós.

Tão certo como transformações ocorreram no passado, são iminentes as transformações futuras. Tão certo como os pioneiros da Era de Touro foram salvos na “Arca” por terem desenvolvido pulmões necessários para que pudessem respirar sob as novas condições de Áries, tempo virá em que somente aqueles que possuam um Corpo-Alma poderão viver sob as condições da Nova Terra, da qual João fala no Livro do Apocalipse. É somente por meio do Serviço amoroso e desinteressado que podemos construir esse Corpo Alma (Lições das Eras de Peixes e Aquário).

Nos próximos 12 meses que constituem o último ano propício para alimentarmos o impulso espiritual, reservemos um tempo em nossos tumultuados dias para empregar nossos talentos e habilidades para elevação de nossos irmãos. O objetivo principal do Aspirante cristão é (ou deveria ser) alcançar a UNIÃO COM CRISTO. Max Heindel fez um trabalho digno de reverência nos últimos anos que compuseram a primeira década do séc. XX. Esse trabalho despertou novo impulso espiritual e iluminou muitas almas sedentas durante todo o século que passou. Os próximos 12 meses são “momentos de ouro” e temos uma maravilhosa oportunidade para plantar sementes espirituais que florescerão no futuro. Possam nossos esforços ser abundantes neste período e que possamos estar aptos para contribuir com esse abençoado impulso espiritual. Se assim o fizermos, temos a certeza que um maravilhoso crescimento anímico pessoal e coletivo ocorrerá e, deste modo, poderemos adiantar o dia da libertação de Nosso Senhor.

Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz