Arquivo de tag Cabeça do Dragão

poradmin

A Cabeça e a Cauda do Dragão

A Cabeça e a Cauda do Dragão

O único Aspecto, na Astrologia Rosacruz, que se considera para a Cabeça e Cauda do Dragão é a Conjunção e, assim mesmo, com uma Órbita de Influência de apenas 3 graus.

A Conjunção com a Cabeça do Dragão favorece e acelera assuntos pessoais da maneira mais benevolente. Já a Conjunção com a Cauda do Dragão exerce uma influência de repressão e obstrução.

É nas Efemérides que você toma a posição da Cabeça do Dragão, ao meio-dia mais próximo, sem a necessidade de qualquer correção. A Cauda do Dragão será localizada no Signo e grau diretamente opostos.

Efeitos na estatura

As tendências para estatura alta e esguia são marcadas pela Cabeça do Dragão em Conjunção com o Ascendente.

A baixa estatura é indicada quando a Cauda do Dragão está em Conjunção com o Ascendente.

Os Signos Fixos e o de Áries são os que dão a estatura tanto às pessoas mais altas como às mais baixas. No entanto, deles, Escorpião é o que menos sofre as influências dos nódulos lunares.

Quando um Astro se encontra junto ao Ascendente, ajuda a melhorar a altura.

Quando a Lua está em Conjunção com a Cabeça ou quando a Cauda do Dragão está em Conjunção com a Lua, na parte superior do horóscopo, a estatura é mais alta.

Mas o tamanho diminuirá, se a Cabeça estiver na parte inferior do horóscopo. A Lua em Conjunção com a Cabeça ou a Cauda, estando a Cauda no hemisfério superior, também abaixa a estatura.

Efeitos sobre a personalidade

Um Ascendente afligido por um nódulo lunar afetará os assuntos pessoais até o meio da vida.

A Cabeça, perto do Ascendente, dá refinamento e gentileza.

Relação do nativo com o meio social e a profissão

A Cabeça e a Cauda do Dragão, em Conjunção com o Meio do Céu, respectivamente, ajudam ou prejudicam essa relação, como efeito de vida anterior (mereçamos ou não).

Influências genéricas sobre os Signos

Os nódulos lunares são mais poderosos nos Signos Comuns. Os Signos de Gêmeos e Virgem são favoráveis à Cabeça, enquanto os de Sagitário e Peixes são menos adversos com a Cauda. A Cabeça em Peixes não é tão boa.

Influência sobre as Casas

Na primeira e sétima Casas (além do que já dissemos acerca da personalidade), a Cabeça do Dragão confere dignidade. São pessoas habilidosas e cultivam a reputação, podendo subir na vida.

A Cabeça do Dragão em Conjunção com o Ascendente também nos mostra pessoas que gostem de chamar a atenção, mas com arrogância. Devem lutar muito para conquistar bom conceito; não têm refinamento; às vezes, apresentam deficiência na expressão oral.

Segunda e oitava Casas, Cabeça do Dragão. Numerosos horóscopos de pessoas afortunadas têm a Cabeça do Dragão sobre a cúspide da segunda Casa. Sua posição na 2ª Casa favorece. O êxito é precoce. Quando no meio da 2ª Casa, torna o nativo generoso. Na 8ª, traz legados com benefícios temporários.

Cauda do Dragão: na cúspide da 2ª Casa é bem adversa: tendência a perder a fortuna, crédito periclitante e adiamento das realizações financeiras. Na 8ª Casa, traz perda de herança e má saúde.

Terceira e nona Casas. A Cabeça, na 9ª Casa, aumenta a atividade mental e sua habilidade; também está ligada a grandes aspirações; jornalismo; distinção no estrangeiro; comércio internacional; representações comerciais. A Cauda, na 9ª Casa, suscita superstição, medo de magia negra, apreensões mórbidas; mas também habilidades: advogado de causas impopulares; pioneiro de doutrinas inaceitáveis; investimentos fracassados no exterior.

Quarta e décima Casas: a Cabeça, na 10ª, traz êxitos na vida; colheita de honrarias; elevação social acima do nível de nascimento; favorece um bom casamento. A Cabeça, na 4ª, mostra um pai de filhos ilegítimos, uma mulher desquitada ou divorciada. A Cauda, na 10ª, revela dificuldades, fracassos ou desgraças. Quando houver vitórias, serão por meios impopulares. As crianças sem pais geralmente têm a Cauda na 10ª Casa. Essa posição, com Conjunção, aponta escândalos e distúrbios ligados à mãe ilegítima.

Quinta e 11ª Casas. A Cabeça, na 11ª Casa, é muito favorável para tudo, exceto para jogos, apostas e especulações. Contudo, também indica uniões ilegais e filhos ilegítimos. A Cauda na 11ª indica péssima situação: ausência de amigos ou então a traição e falta de ajuda deles. Se há progresso, arrisca-se perdê-lo.

Sexta e 12ª Casas. Favorece profissões em entidades assistenciais. Estando a Cauda na 6ª, leva a trabalhos mais grosseiros; indica os desertores. A Cauda na 12ª é séria advertência para o nativo evitar o desenvolvimento de poderes psíquicos, porque isso lhe trará inconvenientes.

Área de ação favorável. As melhores posições para a Cabeça do Dragão estão no hemisfério horoscópico compreendido entre a metade da oitava Casa e a metade da 2ª Casa. Contrariamente, as piores posições para a Cabeça do Dragão estão na área que vai da metade da 2ª até à metade da 8ª.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de maio/1976)

poradmin

Influência da Cabeça e da Cauda do Dragão

Influência da Cabeça e da Cauda do Dragão

Onde quer que caia a Cabeça do Dragão, nos signos e casas do Tema, seu efeito sobre os assuntos daquele departamento, será como os do Sol em Áries (exaltação): adianta e acelera os negócios pessoais, tal como faria Júpiter. Ela lubrifica a máquina da manifestação onde quer que esteja colocada, aumentando a força dos Astros benéficos, com os quais entre em Conjunção. Ao mesmo tempo ameniza a influência maligna dos Astros adversos, com os quais esteja em Conjunção.

Em Oposição exata à Cabeça do Dragão sempre está a Cauda do Dragão, procurando anular os benefícios da Cabeça. Assim, a Cabeça e a Cauda do Dragão se assemelham às naturezas espiritual e material, constantemente em luta em nosso íntimo. A Cauda do Dragão tem efeito restritor semelhante ao de Saturno. Quando associado a algum mau aspecto, aumenta-lhe o prejuízo. Quando em Conjunção com qualquer benéfico (Sol, Júpiter, Vênus) rouba-lhes o benefício com a fúria de um dragão.

A Cabeça do Dragão é o ponto espiritual mais sensível no horóscopo, enquanto que a Cauda indica o ponto de maior limitação. A Cabeça mostra a linha de maior desenvolvimento do nativo; a Cauda revela o ponto em que ele é mais falto de espiritualidade.

A Cabeça do Dragão é benevolente — uma força ígnea, masculina. Ela confere a determinação para que o nativo se sobreponha ao horóscopo, firme sua própria divindade e crie seu próprio destino. Representa as virtudes conquistadas em vidas anteriores, ao seu dispor agora.

A Cauda do Dragão é adversa, aquosa, feminina e induz o nativo a continuar transgredindo e retrocedendo. Representa as falhas de caráter irregeneradas, de outras vidas, que agora tentam à repetição.

Cabeça e Cauda do Dragão figuram a batalha do céu, até que o Dragão seja vencido e cai aos pés da Alma Aspirante, como bem simboliza a figura de S. Jorge, com o cavalo branco (um corpo puro), armadura (da virtude) e uma lança (o poder espiritual), dominando o Dragão escuro (a natureza inferior).

Consideremos, agora, suas manifestações no mapa natal ou no tema progredido:

Na lª e 7ª Casas: A Cabeça do Dragão inclina o nativo a receber favores e honras. Dá mais atrativo e poder ao nativo. Mas, nessa posição terá a Oposição da Cauda do Dragão na 7ª Casa, que procura dar tendências negativas e tornar o nativo mal reconhecido ou ingrato aos favores recebidos. Indica inimigos declarados e competidores, buscando antagonizá-lo através de demandas com sócios, desentendimentos com a esposa, forçando-o de todos os modos para libertá-lo das associações. Saturno é exaltado em Libra e na 7ª Casa e na época das provas é um coletor das más qualidades de caráter. Ora, Saturno é relacionado com a Cauda do Dragão. Pelo contrário, a Cabeça do Dragão na 7ª Casa diminui o número de inimigos, dá êxito em todas as uniões ou associações, apesar de, a Cauda, na lª Casa, opôr tribulações, escândalos, falta de magnetismo pessoal e buscando inclinar o nativo a uma vida curta e sem proveito.

Na 2ª e 8ª Casas: A Cabeça do Dragão na 2ª Casa ajuda o afluxo de recursos, elimina as ansiedades. A Cauda em Oposição na 8ª Casa procura varrer os lucros através de decepções e pode provocar morte violenta e repentina. Se a posição é invertida, a Cabeça na 8ª e a Cauda na 2ª, a saúde do nativo será duradoura e terá longa vida, com dádivas e heranças legítimas de parentes, pelos benefícios da Cabeça na 8ª. Mas a Cauda, na 2ª, trará perdas e danos nos negócios, adversidade nas finanças, ansiedades e medos nos assuntos de dinheiro e posses.

Na 3ª e 9ª Casas: A Cabeça na 3ª Casa traz lucros, através dos irmãos e íntimos, viagens, facilidade de expressão, mente progressista e facilidade nos assuntos educacionais. A Cauda, na 9ª procurará varrer a fé, indica viagens miseráveis, conclusões desafortunadas, sonhos com previsões falsas. A Cabeça do Dragão na 9ª Casa aumenta a fé, inclina aos assuntos religiosos e espirituais, favorece as viagens e residência em lugares estrangeiros, adiciona veracidade aos sonhos e visões, aumenta a intuição profética. A Cauda na 3ª traz ansiedade mental, dificuldades com irmãos e íntimos e rouba disposição à expressão verbal e escrita.

Na 4ª e 10ª Casas: A Cabeça na 4ª augura boa sorte para a mãe. A velhice será feliz para o nativo e sua mãe. A décima casa terá a Cauda indicando prejuízos para o pai, perda de empregos, honras e favores para o nativo. A Cabeça na 10ª  dá boa sorte ao pai e promete honras e postos elevados ao nativo. Já a Cauda na 4ª rouba a alegria e paz da mãe, provoca distúrbios entre o nativo e a genitora, na infância. Na velhice, o nativo pode ver sua carreira abalada em confusão.

Na 5ª e 11ª Casas: A Cabeça na 5ª liberta O nativo de muitas dificuldades, dá-lhe alegrias e proporciona ocupações alegres e felizes, filhos afortunados e muita satisfação em seus afazeres. A oposição da Cauda na 11ª atrai amizades indesejáveis e a morte dos mais caros ideais e esperanças. Pelo contrário, a Cabeça na 11ª atrai amizades meritórias que vão colaborar com o nativo na realização de seus anelos. A Oposição da Cauda na 5ª nega os filhos ou os destrói, não permitindo nenhuma alegria com eles. Também traz sofrimentos, pela indulgência em prazeres prejudiciais.

Na 6ª e 12ª Casas: A Cabeça na 6ª  promete um corpo forte e são. A Cauda, oposta na 12ª inclina a perseguições de inimigos secretos, com possibilidade de ser preso e inclinando à própria ruína. Inversamente, a Cabeça na 12ª Casa, traz lucros por meio de empresas secretas e êxito em assuntos ocultistas, ainda que a Cauda, na 6ª  lhe roube a saúde, provoque lutas, desgastes físicos prolongados e duros, dificultando cada atividade pelas debilidades do corpo.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de maio/1978)