Saiba porque a oportunidade NÃO bate apenas uma vez na porta de uma pessoa

poradmin

Saiba porque a oportunidade NÃO bate apenas uma vez na porta de uma pessoa

Saiba porque a oportunidade NÃO bate apenas uma vez na porta de uma pessoa

Quantas vezes ouvimos alguém dizer que está “deprimido” e diz: “Bem, eu tive minha oportunidade uma vez e a perdi”. Não há falácia maior do que a ideia de que “a oportunidade bate apenas uma vez na porta de uma pessoa”; e aqueles que estudam Astrologia Rosacruz devem estar, particularmente, conscientes desse fato. Pois mesmo que não haja outra ajuda no horóscopo, Júpiter dá uma volta em torno dos doze Signos uma vez a cada onze anos, e durante esse tempo ele encontrará e fará Aspectos benéficos com todos os Astros em nosso horóscopo.

Além disso, todos os anos aparecem as Lunações para frutificar, pelo menos, alguns dos Aspectos do seu horóscopo e trazer a sua vida chances de melhorar sua condição. Essas influências duram apenas um mês; entretanto, são fatores potentes na fertilização da semente da oportunidade, para que ela possa dar frutos em sua vida.

Se um Eclipse acontecer no seu horóscopo, em relação a qualquer um dos Astros benéficos ou vivificar qualquer um dos Aspectos benéficos de sua natividade, essa influência durará o ano todo e trará chances sucessivas. Tudo o que é necessário é estar vigilante e aproveitar a oportunidade assim que apareça, pois é como uma semente: a menos que você a plante no solo e a cultive, ela não crescerá.

Então, pare de reclamar! Observe o que há de bom no seu horóscopo e faça o melhor uso possível. Você nasceu para vencer.

Aqui está um bom poema sobre “Oportunidade”, de Walter Malone.

Ofendem-me os que dizem que não voltarei,

Porque bati à tua porta e não te encontrei;

Porque todas as noites permaneço à tua porta,

E ordeno que despertes e te ergas para lutar e vencer.

Não chores pelas preciosas chances que passaram;

Não chores pela idade de ouro que se foi;

Todas as noites queimo o registro do dia;

Ao erguer do sol, todas as almas nascem de novo.

Ri como um menino aos esplendores que passaram.

Às alegrias que se esvaíram, sê surdo e mudo.

O meu julgamento sela o passado que morreu,

Mas nunca prende um momento ainda por vir.

Mesmo afundado na lama, não torças as mãos nem chores.

Dou o meu braço a todos os que dizem: “Eu posso! ”

Nenhum pária algum dia caiu tão baixo

Que não pudesse erguer-se e ser uma pessoa novamente!

(Publicado na Revista: ‘Rays from the Rose Cross’- 11/1915 e traduzido pela Fraternidade Rosacruz em Campinas – SP – Brasil)

Sobre o Autor

admin administrator

1 comentário até agora

Rosaria LoboPostado em2:50 am - set 21, 2019

Quando a oportunidade bate à porta, algumas pessoas estão no quintal
procurando trevos de 4 folhas.

Deixe uma resposta