Categoria Informações Importantes

poradmin

O Evangelho do Serviço, como preconizado pela Fraternidade Rosacruz

O Evangelho do Serviço, como preconizado pela Fraternidade Rosacruz

A Fraternidade Rosacruz, no cumprimento de suas finalidades precípuas, tem envidado esforços no sentido de divulgar os Ensinamentos Rosacruzes, utilizando, para tal, os veículos ao seu alcance, como revistas, folhetos, livros, cursos orais e epistolares etc. Tais conhecimentos são desinteressada e amorosamente colocados ao alcance de todos aqueles que aspiram a verdades mais profundas a respeito do ser humano e do mundo. Quantos seres desalentados recobraram ânimo e encontraram nova motivação para sua vida ao “descobrirem” os maravilhosos ensinamentos transmitidos à humanidade por Max Heindel! Quantos seres humanos encontraram-se a si mesmo ao tomarem a decisão de batalhar pela causa dos Irmãos Maiores!

A Fraternidade Rosacruz tem prestado relevantes serviços ao gênero humano. Numa época em que o materialismo campeia ameaçadoramente, ela desponta como um amenizador de impactos, indicando, sabiamente o caminho do equilíbrio.

E não se julgue que esse trabalho tem sido fácil! E não se pense que tudo tem sido um mar de rosas! Não! Pelo contrário! A caminhada da Fraternidade tem sido pontilhada de lutas e sacrifícios.

Não é fácil, nos dias de hoje, manter uma entidade com estas características de ineditismo, “sui generis”!  Poucas organizações congêneres mantêm cursos por correspondência e outros serviços sem a exigência de um pagamento; o que pesa em cada um é a consciência do dever cumprido.

Todo sacrifício que se faça em prol desse Ideal ainda será pouco. Ele é tão elevado, que poder aspirá-lo constitui, por si só, um grande privilégio. A Fraternidade é uma grande seara onde há abundância de oportunidades de trabalho. Há muito que se fazer. Há falta de obreiros. Ela é a magna oportunidade de realização anímica por meio da purificação e do serviço.

Mediante o estudo aumentamos gradativamente nosso cabedal de conhecimentos, todavia, se não os aplicarmos permaneceremos na estaca zero. E de que forma podem ser aplicados os conhecimentos? Pelo aprimoramento do caráter e pelo serviço prestado em favor da humanidade. Conhecimento implica “fé racional”. E a “fé sem obras é morta”.

Alguns estudantes antigos queixam-se de seu exíguo e lento progresso no caminho Rosacruz. Talvez eles não tenham compreendido o sentido exato do Ideal. Só teoria não é suficiente. O estudo é indispensável, mas não é um fim em si mesmo. De intelectuais o mundo está repleto, mas há uma carência enorme de espiritualistas práticos. Pouco vale conhecer todas as obras rosacruzes se na vida diária nós as renegamos por meio de nossas atitudes incoerentes. De que adianta nosso dom de oratória, se ao proferirmos nossa elocução de uma tribuna não alimentamos nossas palavras com a convicção de quem vive realmente as verdades enunciadas?

Não se pode dissociar rosacrucianismo de SERVIÇO. Quem não se dispuser a arregaçar as mangas e fazer a sua parte dará passos miúdos na senda evolutiva. A Filosofia Rosacruz encerra em si mesma o EVANGELHO DO SERVIÇO, e na Fraternidade encontramos um campo de ação extraordinário, pois ela tende a crescer e a preparar os homens para a futura Era de Aquário.

PELA FRATERNIDADE “FAÇA-SE O MELHOR, FAÇA-SE TUDO!”.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 04/1971)

poradmin

Nossa Capa que aparece em todas as publicações de nossa biblioteca

Nossa Capa que aparece em todas as publicações de nossa biblioteca

Parece-nos oportuno, com a mudança de formato e de capa de nossa Revista, explicar aos que ainda não entendem nosso símbolo, a razão desse clichê colorido.

 

Notem que há as três cores primárias, designativas da Trindade (Deus Trino) e correspondentes às notas musicais Dó – Mi – Sol que formam o acorde perfeito. A cor Vermelha correspondente ao Espírito Santo, é a nota Dó; o amarelo, correspondente ao Filho, é a nota Mi; e o azul, correspondente ao Pai, é a nota Sol. Designam também os três meios mais importantes da educação humana: a Religião, a Arte e a Ciência.

A Filosofia Rosacruz é um ensinamento integral, dado ao mundo ocidental para corresponder permanentemente às necessidades desta parte do globo, pois leva-nos a conceber a Unidade da Trindade a expressar em todos os nossos atos o Belo (arte), o Verdadeiro (ciência) e o Bom (religião). Ela se propõe para tornar a Religião artística e científica; para fazer a Arte religiosa e científica; e para criar a Ciência religiosa e artística.

Nos antigos templos de mistérios, a Ciência, a Religião e a Arte eram ensinadas conjuntamente, mas tornou-se necessário, para melhor desenvolvimento de cada uma delas, separá-las durante algum tempo. A Religião reinou na Idade Média; a Arte floresceu na Renascença; e a Ciência Moderna predomina hoje, subjugando suas companheiras. Tornando-se materialista, a Ciência afastou-se do lado oculto da criação. Prevendo os desastrosos efeitos das ideias materialistas na evolução humana e a fim de neutralizar tão grandes prejuízos, a Ordem dos Rosacruzes foi fundada por um grande instrutor espiritual que tem o nome simbólico de Christian Rosenkreuz – o Cristão Rosacruz. Posteriormente, sob sua orientação (no início deste século) fundou-se a Fraternidade Rosacruz, que é a expressão material dessa Ordem Oculta no mundo, por meio de Max Heindel, com o objetivo de lançar uma luz oculta sobre a mal-entendida Religião Cristã e para explicar o mistério da Vida e do Ser do ponto de vista científico, em harmonia com a Religião.

Hoje, espalhada por todo o mundo livre, a Filosofia Rosacruz busca eliminar o abismo criado entre a mente e o coração, harmonizando e equilibrando as forças do lado místico e do lado ocultista. É o que representamos no clichê com a lanterna a esquerda (intelecto, sabedoria) e o coração à direita (sentimento, intuição) na cor de Cristo, do Filho, cujo atributo é Amor-Sabedoria. Esse atributo deve ser desenvolvido dentro do ser humano, pela sublimação de suas atividades etéricas, que são governadas pelas forças Crísticas.

Tal desenvolvimento formará o “Filho de Cristo”, o Dourado Manto Nupcial, dentro de cada um de nós, pondo-nos em consonância com o Mundo do Espírito de Vida, o Primeiro Plano Cósmico onde atua Cristo, a fim de que flua através do nosso coração a Sabedoria Cósmica e unitária de que falamos atrás. Notem que a lanterna (mencionada simbolicamente na, história de Aladim) e o coração estão no mesmo plano, dentro da estrutura filosófica Rosacruz.

Eis a razão por que escolhemos essa Capa. Ela aparece em todas as publicações de nossa biblioteca, identifica de imediato a “THE ROSICRUCIAN FELLOWSHIP” – Associação Internacional de Cristãos Místicos, com sede mundial em Oceanside, na Califórnia, USA, e diversos Centros e Grupos de Estudos por toda a parte do território nacional, além de inúmeros estudantes isolados.

Cumpre-nos esclarecer que existem outras organizações com nome de Rosacruz ou similar, até mesmo centros espíritas. Gostaram do nome e usaram. A liberdade é sagrada, mas é mister explicar, sem intuito de crítica, que a Ordem Rosacruz e sua contraparte material, a Fraternidade Rosacruz, de cunho essencialmente cristão, desinteressado, traz sempre o apêndice “The Rosicrucian Fellowship”, fundada por Max Heindel.

Quanto ao emblema Rosacruz que aparece no centro da capa, temos já explicado sua simbologia por diversas vezes, sob diversos aspectos, nesta revista. Remetemos o caro Amigo e Estudante ao “O Conceito Rosacruz do Cosmos”, obra básica de nossa Filosofia. Aqueles que ainda não a possuem, recomendamos adquiri-la, estudá-la e divulgá-la, passando, com isto, a gozar do privilégio de participar desse glorioso movimento de elevação da humanidade pelo verdadeiro caminho, o da razão, harmonizado com o do coração.

Como disse o Senhor: “Aquele que quiser ser o maior entre vós, seja o servo de todos”.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de 03/1962)

poradmin

Informação a respeito de outras Sociedades

Informação a respeito de outras Escolas de Pensamento, filosófica-cristã, que divulga a filosofia ou cristianismo esotérico

“Frequentemente recebemos cartas de estudantes informando que tal ou qual sociedade ensina tal ou qual coisa relacionada com determinado assunto, perguntando-nos se na realidade é verdadeira, se se harmoniza com nossos Ensinamentos e que os informem a razão pela qual nossos Ensinamentos são diferentes”.

Desejo afirmar mais uma vez que não é possível responder a tais perguntas, porque é contrário aos princípios Rosacruzes discutir Ensinamentos de outras sociedades.

A disseminação de nossos próprios Ensinamentos requer o emprego de todo nosso tempo e ao se estudar nossa própria literatura teremos a resposta satisfatória. Não há nenhuma afirmação por parte da The Rosicrucian Fellowship que não repouse sobre a razão e a lógica onde nos fundamentamos para sempre reiterar e ampliar e, de todas as formas possíveis, dar satisfação aos nossos Estudantes, entretanto, não podemos nem contradizer e nem aceitar os Ensinamentos de outras sociedades.

(Publicado por Max Heindel – Echoes setembro de 1914; reproduzido pela Revista Serviço Rosacruz em ago/80)

 

poradmin

Um lembrete sempre oportuno: como devemos nos comportar quando participamos de reuniões no Templo

Um lembrete sempre oportuno: como devemos nos comportar em reuniões no Templo

 

De um artigo intitulado: “Viagem a Rosacruz Mundial”, publicado na Revista Rosacruz, edição de novembro de 1974, destacamos o seguinte trecho: “Às 18 h e 30 min, há uma reunião no Templo, onde se condensa a Panaceia de Cura, sob a direção do Mestre, a qual é enviada à humanidade. Dessa reunião participam somente Probacionistas Ativos, pois é indispensável que se conheça a palavra de passe, a fim de que se possa ter acesso ao referido Templo. Quando se chega a área que o circunda, pede-se silêncio: não se pode conversar nada. Solicita-se que cada um chegue uns minutos antes do início da reunião, e se ponha a meditar” (o negrito é nosso).

 

Não pretendemos aqui insinuar que a conduta de alguém mereça reparos por não se preparar convenientemente antes de assistir as reuniões da Fraternidade. Não. Desejamos apenas reiterar um padrão de comportamento irreversível pela natureza essencial da Filosofia Rosacruz.

Os vários trabalhos desenvolvidos pela Fraternidade tem o condão de ensejar duplo benefício: individual e coletivo.

 

Consideremos, para exemplificar, as reuniões devocionais e/ ou de estudos, e seus elementos componentes: a música, o ritual e o tema apresentado.

 

A música – elevada e inspiradora, o ritual – com seu mágico poder de unificação, o tema – apresentado da tribuna, enriquecedor nos sentidos espiritual e intelectual – formam um conjunto harmonioso, emitindo vibrações tão puras e poderosas, a ponto de excederem os limites da compreensão humana.

 

Para se auferir algum benefício dessas vibrações harmoniosas, necessário torna-se sintonizar-se com elas.

O estudante Rosacruz pode, frequentemente, sentir-se premido por dificuldades de toda ordem, quando deseja estabelecer a devida sintonia. Muitas vezes teve um dia atribulado com problemas de ordem profissional ou familiar. Ou, então, algumas provas – que estão aparando suas arestas, tornando possível reluzir seu diamante interno – perturbaram-lhe o íntimo.

 

Nessas circunstâncias, dirige-se para o Centro ou Grupo Rosacruz, assaltado por depressões de toda espécie. Surge, então, a necessidade de um esforço maior: remover as nuvens interiores, substituindo-as por pensamentos e sentimentos de amor e paz.

 

É recomendável mentalizar-se o Símbolo Rosacruz e o ideal de regeneração e progresso anímico por ele encerrado. A harmonia será prontamente restabelecida e o estudante poderá ingressar na sala de reuniões, preparando-se para participar do trabalho a ser realizado.

 

Pode ocorrer, também, outro fato: o dia do estudante constituiu-se de uma sucessão de êxitos pessoais e eventos agradáveis. Ou, então, no percurso ele deparou com uma cena curiosa. Pode não resistir ao desejo de relatá-los aos irmãos da Fraternidade, ao aproximar-se ou já no interior da sede. Isto é natural e compreensível em circunstâncias ordinárias. Contudo, o estudante não deve esquecer-se que na Fraternidade não há circunstâncias ordinárias, e os assuntos por ele abordados, em sua euforia, são estritamente mundanos e materiais. Eles não são afins a natureza e aos objetivos da Fraternidade. Fogem ao âmbito da reunião prestes a ser iniciada.

 

Além disso, a questão envolve outro aspecto de capital importância: a reverência para com tudo àquilo que é sagrado. Nunca fuja de nossa lembrança o seguinte: na sala de reuniões encontra-se o Símbolo Rosacruz, e em torno do local forma-se uma egrégora.

 

Tratar de assuntos completamente estranhos ao ideal Rosacruz, em tais circunstâncias, é irreverência, e desrespeito, só podendo acarretar graves prejuízos ao estudante, individualmente, e a Fraternidade, coletivamente.

 

Urge cada um conscientizar-se da imensa responsabilidade assumida, ao tornar-se membro da Fraternidade Rosacruz.

(Gilberto A. V. Silos – Editorial da Revista Rosacruz – fev/75 – Fraternidade Rosacruz – SP)

poradmin

O Símbolo Rosacruz

 

• Seu significado:

  1. A Rosa Branca e pura, é o símbolo do coração do Auxiliar Invisível;
  2. As Rosas Vermelhas representam seu purificado sangue;
  3. A Cruz Branca lembra-nos seu corpo;
  4. A Estrela Dourada simboliza o Dourado Manto Nupcial tecido através de uma vida pura.

• A exposição pública do Símbolo Rosacruz que contém a Rosa Branca visível:

  1. Recomenda-se ao Estudante que somente o exponha publicamente nos momentos em que os Rituais Rosacruzes forem realizados.
  2. O Símbolo deverá estar de frente para o Leste e de costas para o “Por do SOL”.
  3. Após o Ritual o Símbolo deve ser guardado, em local apropriado, não visível publicamente.
  4. É importante gravar o Símbolo em nossas mentes para poder projetá-lo nos momentos em que uma situação da vida cotidiana o exigir. (ex: auxílio ao próximo).
  5. Observemos também para a “Saudação Rosacruz”, que projeta em nosso Irmão o Ideal da Rosa Branca. Coloquemos nossa força, nossa devoção, nosso amor e nosso altruísmo ao desejar a ele:

“Que as Rosas floresçam em vossa cruz”.

(*) Aos estudantes e simpatizantes que desejarem aprofundar seus conhecimentos a respeito da simbologia das “rosas vermelhas” indicamos os livros O Mistério das Glândulas Endócrinas pág. 15 e 85 a 101, Princípios Ocultos de Saúde e Cura e Conceito Rosacruz do Cosmos,

 

poradmin

Os Preceitos do Estudante da Fraternidade Rosacruz

Os Preceitos do Estudante da Fraternidade Rosacruz

 

1.Cristo-Jesus será seu ideal;

 

2. Recordando a exortação de Cristo: “que o maior entre vós seja o servo de todos”, esforçar-se-á diariamente por servir seu semelhante, em qualquer oportunidade que se apresente, com amor, simplicidade e humildade;

 

3. Tendo fé inquebrantável na Sabedoria e Bondade de Deus, trabalhará de acordo com a Lei de Evolução, procurando falar, atuar e ver somente o Bem nas relações diárias com seus semelhantes e com tudo que o rodeia;

 

4. Sendo a Verdade, a Honestidade e a Justiça qualidades fundamentais da Divindade Interior procurará expressa-las em todos pensamentos, palavras e ações;

 

5. Sabendo que suas condições atuais são o resultado das ações que praticou no passado e que pode construir o seu futuro destino, melhorando-o através de uma atuação reta no presente, não deverá invejar ninguém, dedicando, pelo contrário, suas aspirações a exercitar a prerrogativa divina do Livre Arbítrio que possui, lançando desde já, boas sementes para o amanhã;

 

6. Considerando que o silêncio, em verdade, é um dos maiores auxiliares para o crescimento da alma, procurará sempre que, no ambiente onde se encontra, predomine a paz, a harmonia e a calma;

 

7. Sendo a auto-suficiência uma virtude fundamental para o Aspirante Espiritual, fará o possível por praticá?la tanto através de seus pensamentos como de seus atos;

 

8. Sabendo que a Divindade Interior é o único Tribunal Real da Verdade, se esforçará para estabelece-lo, submetendo todos os assuntos ao seu veredicto final;

 

9. Reservará, todos os dias, um certo período à Meditação e à Oração, procurando elevar?se nas asas do Amor e da Sublime Aspiração ao próprio Trono do Pai;

 

10. Sabendo que o fracasso reside apenas em deixar de luta ante qualquer obstáculo, procurará paciente e persistentemente atingir o alvo proposto, procurando realizar os elevados ideais ensinados por Cristo através da sua vivência diária.