Categoria Dicas e Material para Você Utilizar Melhor o Processo de Cura Rosacruz

poradmin

O Lado Oculto da Oração

O Lado Oculto da Oração

Na noite em que a Lua[1] está transitando por em torno do décimo quinto grau de Signo Cardinal[2], realizamos nosso Ritual do Serviço Devocional de Cura. Nesse sentido, é muito importante ter em mente que os Estudantes da Fraternidade Rosacruz, que residem em várias partes do mundo, concentram nesse dia dirigindo seus pensamentos para a Pró-Ecclesia, com o mesmo objetivo que estamos agora tentando realizar, ou seja: gerar pensamentos de auxílio e de cura e concentrá-los em uma única direção: os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz, para que os utilizem no seu benéfico Serviço em prol da humanidade.

Porém, se realmente queremos realizar algo naquele sentido, devemos ter uma compreensão clara e definitiva do que é o nosso ideal e quais são os meios para alcançá-lo. Não é suficiente sabermos de modo vago que existem no mundo a doença e o sofrimento, nem que façamos uma ideia, também vaga, de auxílio para aliviar esse sofrimento, seja ele físico ou mental. Devemos fazer algo definido para atingir nosso objetivo e, portanto, será bom colocar diante de nossas Mentes uma ilustração que possa nos ajudar.

Vamos supor, que um de nossos prédios está em chamas. Muito lixo se acumulou em um canto e, por combustão espontânea, finalmente pegou fogo. Temos mangueira, água e um bico para que possamos esguichar sobre o fogo e tentar apagá-lo. Contudo, para fazer isso, precisamos primeiro ligar a água e apontar o bico para o fogo; além disso, o fluxo de água deve ser adequado para enfrentar o fogo. Não nos ajudará em nada se apenas abrirmos a torneira pela metade ou se tivermos um fluxo fraco e esguicharmos aqui e ali. Devemos apontá-lo diretamente para o centro do fogo e devemos ter força e volume adequado para lidar com o material em chamas. Se tivermos esses requisitos, seremos capazes de apagar o incêndio no edifício e, portanto, teremos cumprido nosso propósito pelo uso adequado de meios eficientes.

A cura de enfermidades oferece uma analogia perfeita, pois em qualquer patologia, podemos dizer, há realmente um incêndio, o invisível fogo que é o Pai tentando dissolver as cristalizações que acumulamos em nossos corpos. Reconhecemos a febre como sendo um fogo, mas os tumores, como o câncer e outras doenças, são, também em realidade, o efeito desse fogo invisível, que tenta purificar o organismo e libertá-lo das condições que criamos ao transgredir as Leis da Natureza.

Agora, os pensamentos de cura.

Este mesmo poder que está procurando, lentamente, purificar o Corpo pode ser aumentado, em alto grau, pela concentração adequada, o que é realmente uma prece, desde que tenhamos as condições apropriadas.

Para ilustrar essas condições tomaremos como exemplo a tromba marinha. Talvez nenhum de nós tenha presenciado este fenômeno da natureza, que, embora maravilhoso, inspira pavor.

Em geral, quando ele ocorre o céu parece aproximar-se da água; há no ar um tenso estado de concentração.

Gradualmente, um ponto do céu desce até a superfície das águas e as ondas, em certa extensão, parecem saltar para cima até que, ambos, céu e água, unem-se formando um redemoinho de voragem vertiginosa.

Algo semelhante ocorre quando uma pessoa ou várias pessoas estão em prece fervorosa. Todas as forças da natureza que realizam o trabalho conosco estão trabalhando apenas no éter – eletricidade, força expansiva no vapor etc. – todas são etéreas. Contudo, existem forças no universo muito mais potentes e sutis, entre elas, o poder do pensamento. Quando uma pessoa se absorve numa intensa súplica a um Poder superior, sua aura parece afunilar-se em forma semelhante à parte inferior da tromba marinha. Isso eleva-se no espaço a uma grande distância e, sintonizando-se com a vibrações do Cristo, do Mundo Interplanetário do Espírito de Vida, atrai para si uma força divina que penetra na pessoa ou num grupo de pessoas e vivifica o pensamento-forma que elas criaram. Desse modo, o fim pelo qual se uniram, será atingido.

Mas gravemos bem em nossas mentes que esse processo de orar ou de concentrar, não é um frio processo intelectual. É preciso haver um grau adequado de sentimento para atingir o fim desejado, pois, se faz necessário uma quantidade de água para apagar o fogo. Se não estiver presente esta intensidade de sentimento, o objetivo não será alcançado, contudo se utilizar apenas uma pequena quantidade de água, isto não apagará um grande incêndio. Este é o segredo de todas as preces milagrosas que já foram registradas: a pessoa que orava, fazia-o sempre com intenso fervor; todo o seu ser se submergia no desejo de obter aquilo por que orava, e dessa forma, elevava-se aos reinos divinos, trazendo de volta a resposta do Pai.

No ano passado, tivemos um caso desse tipo, aqui em Mount Ecclesia. Um dos trabalhadores se feriu em um acidente de automóvel e sofreu um traumatismo craniano. Naquela noite, aqui na Pró-Ecclesia, todos nos juntamos à uma súplica silenciosa ao nosso Pai Celestial para que ele pudesse ser auxiliado na cura.

Claramente, o escritor percebeu a intensidade do sentimento e como ele deu origem àquele canal na parte inferior em forma de funil, que trouxe a resposta divina. Naquela noite, o trabalhador recuperou a consciência, algo muito incomum na história desses tipos de casos. Também descobrimos que em certas comunidades sagradas, como, por exemplo, “a mesa redonda do rei Arthur”, ou em um círculo de espiritualistas, uma condição semelhante é provocada. As pessoas que estão sentadas em círculo, sintonizam com uma vibração comum, cantando certas músicas. E, assim, estando unidas, formam um único funil áurico que traz de volta a resposta do que desejam, de acordo com a intensidade de seus desejos e sua concentração.

Essa vibração espiritual é tão poderosa que, às vezes, pode ser transmitida e permanecer ao redor, mesmo em objetos aparentemente inanimados. Por exemplo, muitas pessoas sentiram, algumas foram até superadas, pelas poderosas vibrações no órgão daqui. Você notará que há sobre o órgão uma cópia do Cristo pintada por Hoffman[3]. Não há dúvida na Mente do orador de que quando Hoffman pintou esse quadro, ele sentiu muito intensamente a posição e o sentimento de Cristo no Getsemani; portanto, impregnou-se a sua imagem, uma representação desse mesmo canal áurico. Isso não seria reproduzido e não permaneceria como uma cópia impressa da imagem.

Contudo, esse quadro que está aqui na Pro-Ecclesia foi pintada por um de nossos membros que solidarizou ao sentimento do artista original e foi tomado de uma compreensão do mistério do sofrimento de Cristo naquela hora solitária. Assim, conseguiu trazer esse mesmo canal a sua imagem e, portanto, as vibrações são emanadas dela.

Tudo isso nos ensina que essa força está disponível e pode ser usada cientificamente com muito maior efeito do que se a usássemos de maneira aleatória, vagamente desejando isso, aquilo ou outra coisa. Todavia, há um grande perigo se fizermos mau uso desse maravilhoso poder; portanto, façamos sempre nossas súplicas em favor dos outros, acrescentando estas palavras de Cristo: “Pai, Faça-se a Tua Vontade e não a minha”. Caso contrário, somos suscetíveis de causar sofrimento onde deveríamos ajudar. Você provavelmente notou que eu disse “nossas súplicas em favor dos outros”. Deixe essa ideia aprofundar em nossas Mentes, de que nunca devemos pedir nada a nós mesmos. Isso é supérfluo. O Cristo nos garantiu que, se buscarmos primeiro o Reino de Deus e Sua justiça, todas as outras coisas nos serão dadas por acréscimos.

Também temos a promessa da Bíblia: “O Senhor é meu pastor, não me faltará”, e muitos anos de experiências demonstraram ao autor que esse é um fato real, que se trabalharmos com a lei para os outros, então, a lei cuidará de nós, pois somos trabalhadores dela.

A grande razão pela qual a oração não está sendo ouvida hoje é que as pessoas que suplicam estão sempre pedindo algo para si mesmos, contrariamente ao bem comum. Se estamos cuidando de nós mesmos e sempre tentando obter o melhor de nós mesmos, independentemente de todos os outros, então não é necessário que Nosso Pai Celestial cuide de nós. Porém, no momento em que nos colocamos em Suas mãos e pensamos em como podemos realizar Sua obra, como podemos realizar Sua vontade na Terra, assim como está sendo feita no Céu, então nos tornamos colegas de trabalho com Ele, trabalhadores em Sua vinha. Portanto, cabe a Ele cuidar de nós, e então podemos confiar plenamente que tudo o que for necessário de material ou para o nosso conforto espiritual estarão disponibilizados. A providência também não será pequena, escassa ou mesquinha, mas receberemos a medida completa, precisa e transbordante.

Com esses pensamentos, entraremos no silêncio e, por dez minutos, focaremos nossa Mente no objeto para o qual nos reunimos – para ajudar e curar nossos irmãos sofredores, mas particularmente aqueles que se inscreveram à sede para buscar ajuda as suas dificuldades.

(de Max Heindel; publicado na: Rays From The Rose Cross de agosto de 1915 – Traduzido pela Fraternidade Rosacruz em Campinas – SP – Brasil)

[1] Auxiliares visíveis são tão necessários quanto Auxiliares invisíveis, e nossos amigos e pacientes podem compartilhar desse grande privilégio, que além de aumentar muito o poder da força curadora liberada, também juntamos em oração pelos enfermos. Nosso Serviço de Cura é oficiado todas as noites no Templo de Cura às 18h30 (19h30 nas localidades onde vigora o horário de verão) e na Pro-Ecclesia às 16h15 (aberta ao público), quando a Lua estiver em um Signo Cardinal: Áries, Câncer, Libra e Capricórnio). Relaxe, feche os olhos, faça uma imagem mental da rosa branca pura do centro do emblema Rosacruz na parede oeste de nossa Pró-Ecclesia e concentre-se no amor e na cura divina.
[2] N.T.: Áries, Câncer, Libra ou Capricórnio
[3] N.T.: Johann Michael Ferdinand Heinrich Hofmann foi um pintor alemão, notável pela vasta obra de representação da vida de Jesus.
poradmin

De Coração a Coração

De Coração a Coração

“Um só carvão não produz fogo, mas, quando se juntam vários carvões, o calor latente em cada um deles pode converter-se em chama, irradiando luz e calor. De acordo com esta mesma Lei da Natureza, neste momento, unimos nossas aspirações espirituais, esforçando-nos por gerar pensamentos de auxílio e de cura e concentrá-los em uma única direção: os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz, para que os utilizem no seu benéfico Serviço em prol da humanidade.”

Levamos a efeito essas reuniões de cura quando a Lua transita por um Signo Cardeal ou Cardinal (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio). Nesses momentos, todos os trabalhos se infundem de uma superabundância de energia cósmica, havendo, então, mais acentuadas possibilidades de êxito. Aproveitamos, assim, as vantagens oferecidas por essas forças; e o pensamento é o veículo que empregamos para transmitir a energia curadora.

“Mas antes que essa força possa ser transmitida deverá ser gerada; e para fazê-lo devemos conhecer o método mais adequado”. Há um ensinamento de Cristo explicando satisfatoriamente o assunto: “Como o homem pensa em seu coração, assim ele é”. Essa assertiva atinge o mais profundo do ser, pois, ainda que não manifestemos de viva voz nossa crença, iludindo, assim, a outrem, unicamente o que cremos em nosso coração tem valor real. Se declaramos crer em Deus e viver a vida para fazer o bem aos outros, independentemente do que eles nos façam, é possível, apesar dessas afirmações e mesmo de exemplos de elevada conduta, que vivamos uma dupla existência e sejamos hipócritas. Mas, se realmente pensamos essas coisas desde o mais íntimo de nossos corações, não nos é necessário proclamá-lo verbalmente. Cada um dos atos de nossa vontade expressará exatamente como pensamos em nossos corações. As outras pessoas perceberão prontamente que tipo de seres humanos nós somos ao observar nossos atos, melhor do que ouvindo nossas palavras.

Cada pensamento é uma chispa nascida do próprio Ego, atraindo certa qualidade de material apropriado à sua natureza. Esse pensamento-forma pode ser enviado a outros pontos, para o bem ou para o mal, reagindo da mesma forma sobre quem o emite. Quem desenvolveu a visão espiritual observa ao nosso redor uma sutil atmosfera áurica, colorida conforme o curso particular de nossos pensamentos, ainda que, por suposto, a cor básica seja determinada pelas características pessoais.

Se geramos em nossos corações pensamentos de otimismo, bondade e benevolência, de ajuda e serviço, eles colorem gradualmente nossa atmosfera de certo modo a expressar todas essas qualidades e virtudes. Como nosso corpo formado é conforme os modelos do nosso pensamento, isso se refletirá novamente sobre nosso veículo físico, atraindo simpatia e saúde. Por essa razão os ensinamentos do Novo Pensamento são corretos ao afirmarem que, dessa maneira, concretizam-se a saúde e a prosperidade. Isso vem provar a exatidão das palavras de Cristo: “Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas”.

O profeta de Israel expressou essa segurança quando asseverou: “Eu fui jovem, e agora sou velho. Mas nunca vi a semente da retidão mendigando o pão”. É uma lei universal: se trabalhamos com Deus, logicamente ele cuidará do que é Seu. Todos na palavra de Deus temos a promessa de que, se trabalharmos com fé, honestamente, empregando o melhor de nossas habilidades, lutando pelas coisas do Reino Divino, empenhando-nos em Sua Vinha, Ele cuidará de nós.

Quando houvermos criado ao nosso redor uma atmosfera áurica desenvolvida mediante atos de bondade e serviço (porque é suficiente desejarmos ser úteis e lutarmos denodada e diariamente por esse ideal), então recolhemo-nos à noite talvez muito cansados, mas altamente venturosos por termos sido úteis à comunidade como servidores de Cristo.

E quando fizermos tudo isso, encontraremos um mundo transformado, notando nos demais as mesmas qualidades que possuímos, porque essa Áurica atmosfera é como um cristal: através dela observaremos os outros.

Como um fato, vemos o mundo através dessa atmosfera áurica.

Se ela se encontra vibrante de benevolência e bondade, nós nos encontraremos sempre rodeados de pessoas também irradiadoras dessa mesma atmosfera. Isso é verdade, porque atraímos as qualidades (deles) que nós expressamos, com base no princípio científico segundo o qual um diapasão quando golpeado coloca em vibração outros afinados no mesmo tom.

Por conseguinte, uma pessoa benevolente percebe a benevolência dos demais e, indubitavelmente, ela se manifesta. Mas, outra pessoa que pense egoisticamente e com desconfiança acerca dos outros, fará manifestar-se neles essas características, sofrendo diretamente suas consequências. Possuímos um certo tom pessoal. O átomo-semente no coração é a nota-chave da existência física e das vibrações que nós irradiamos.

É imensamente benéfico conhecer esse fato científico, porque através dele podemos controlar nossos pensamentos e conduzir nossas vidas cientificamente. Consequentemente, cultivemos amiúde o otimismo, a benevolência, o desejo de ajudar, a bondade e a própria felicidade, servindo enormemente a toda a evolução.

A menos que possamos contar com alguma das ditas qualidades, ser-nos-á impossível ajudar no trabalho de cura. Milhares de estudantes em todo o mundo fazem suas concentrações sobre a Rosacruz nessas ocasiões em que nos reunimos aqui. Esse acúmulo de bons pensamentos flutua agora sobre a Pró-Ecclesia com uma força poderosa. O emblema Rosacruz é o instrumento ou foco que recolhe essa bendita força para ser enviada aos necessitados. Aqui temos a estrela dourada de cinco pontas e a cruz com quatro hastes. O 5 e o 4 formam o místico 9, o número de Adão, a humanidade. A cruz é totalmente branca, simbolizando a purificação necessária a quem aspire ser um auxiliar da humanidade. As sete rosas adornam o símbolo, refletindo a natureza do sangue purificado.

Enquanto a humanidade e os animais de sangue quente e vermelho são dominados por paixões e desejos, as plantas são castas. A rosa vermelha, é um símbolo da imaculada concepção, que tem lugar quando o Cristo nasce internamente, purificando-nos de nossos pecados passados, santificando-nos para o trabalho futuro. Esse é o grande ideal a que aspiramos. Devemos concentrar nossos pensamentos sobre a rosa branca, símbolo do coração puro e altruísta do Auxiliar Invisível. Oremos para que nossos pensamentos sejam tão puros como essa ROSA. Contudo, quando tivermos realizado a nossa parte, confiemos os resultados a Deus, eliminando nossa própria personalidade.

Somos demasiado débeis para lutar contra as leis cósmicas. Deus é onipotente. Não nos atreveríamos a cruzar o oceano em um bote, pois certamente soçobraríamos. Embarcando, porém, em um transatlântico, as possibilidades de enfrentar qualquer tempestade são muito mais seguras. O mesmo ocorre na viagem que encetamos rumo à nossa meta espiritual. Se nos empenhamos em depender exclusivamente de nossas próprias forças é bem possível que fracassemos. Se confiamos, todavia, todas as coisas a Deus e pedimos Sua ajuda, notaremos crescer enormemente nossas possibilidades de êxito.

E por pedir não se quer significar a oração que sai dos lábios, mas a procedente do coração. Como Emerson afirmou:

“Ainda que teus joelhos nunca se dobrem,

Ao céu chegam tuas constantes orações,

Sejam elas proferidas para o bem ou para o mal,

São registradas e respondidas também”.

(de uma conferência proferida por Max Heindel na Pró-Ecclesia, traduzido e publicado na Revista Serviço Rosacruz de maio/1976)

poradmin

O Pecado e a Doença

O Pecado e a Doença

Geralmente, é considerada uma superstição grosseira quando alguém expressa seriamente a ideia de que a doença é o resultado do pecado, e quem faz tal afirmação corre o risco de ser ridicularizado fora dos tribunais. No entanto, se analisarmos o assunto com cuidado veremos que não é uma ideia tão absurda, pois o argumento científico não pode fugir do fato de que existe e deve haver uma inteligência superior que governa e guia o universo; além disso, que existem certas leis imutáveis ​​que preservam a ordem em todos os departamentos, e tudo, do simples micróbio até o ser humano, que está sob o domínio dessas leis. Se cairmos de uma janela do segundo andar, pecamos contra a lei da gravidade e a queda pode ocasionar ossos quebrados por causa de nossa descida muito rápida em direção ao solo; se colocarmos a mão no fogo, pecamos contra a lei da vibração e nossa mão é queimada devido à rapidez e à intensidade das correntes etéricas, e por esses pecados contra as leis da natureza, podemos sofrer por um bom tempo.

Casos bem definidos onde o pecado contra uma Lei da Natureza implica um sofrimento correspondente e são tão óbvios que, como regra geral, ninguém transgrida deliberadamente, temos muito cuidado em não cometer; contudo somos muito propensos a cometer pecados onde a penalidade não parece estar diretamente envolvida e de onde ganhamos, muitas vezes, das pessoas à nossa volta uma certa satisfação prazerosa – quando não de nós mesmos -, como é o caso da satisfação do apetite à mesa ou das paixões de natureza inferior. Todavia, “Embora os Moinhos de Deus moam devagar, eles moem muito bem”, e toda transgressão certamente trará sua justa penalidade, pois a escala da Justiça deve se equilibrar; não pode ser permanentemente pressionada de um jeito ou de outro. Enquanto não recuperamos o equilíbrio, sofremos pelos pecados que causam a depressão e, quando o equilíbrio é alcançado, os pecados são perdoados ou eliminados.

No entanto, embora a escala da justiça deva encontrar seu equilíbrio, seria uma ideia totalmente equivocada inferir que Deus ou a Natureza pretendem se vingar. Longe disso; assim que a lição foi aprendida e nos arrependemos e deixamos de pecar, estamos na condição propícia para que um mediador ou curador habilidoso no uso de forças ocultas possa intervir e nos salvar do sofrimento normalmente exigido para a expiação de nossos pecados, isto é, a dor que teríamos que sofrer durante o curso normal da natureza; e é exatamente isso que o Método de Cura da Rosacruz faz. Quando o Evangelho de Viver Correto, incorporado nos Ensinamentos Rosacruzes, foi assimilado pela pessoa que precisa de ajuda, a tal ponto que ela se declara pronta para se esforçar em viver sua vida em harmonia com as leis de Cristo e seguir Seus ensinamentos, ela se alinhou mentalmente com as Leis Universais da Saúde e pode ter os seus problemas resolvidos espiritualmente (que é a causa de tudo).

A Cura nem sempre pode ser milagrosa e instantânea, principalmente quando a doença é de longa duração, mas quando o transgressor da lei de Deus, ou da Natureza, ouve o Evangelho, ou a Boa Nova, e pede para ser curado de sua fraqueza, ele já está no caminho da recuperação.

(Publicado na Revista Rays From the Rose Cross – jan/1916 e traduzido pela Fraternidade Rosacruz – Campinas – SP)

poradmin

Uma Mensagem de Saúde Inspirada no Amor

Uma Mensagem de Saúde Inspirada no Amor

Uma atitude corajosa e otimista é essencial para manter a nossa saúde, bem como para ajudarmos outros que estejam doentes. Há uma razão científica para isso, mas só será revelada plenamente pela filosofia oculta.

A energia do Sol flui constantemente em nosso Corpo Denso por meio do baço, um órgão especialmente adaptado para a atração e assimilação desse Éter universal. No plexo solar esse Éter é convertido em um fluído rosado que banha o sistema nervoso. Por meio deste fluído vital os músculos se movem e os órgãos desempenham suas funções vitais.

Quanto melhor for a saúde, maior será a quantidade deste fluído solar que poderemos absorver, mas dele só utilizamos uma parte; o excesso é irradiado do corpo em linhas retas. Os germens das doenças não poderão entrar do exterior devido a essas invisíveis torrentes de força e os microrganismos que entrem no corpo com o alimento são rapidamente expelidos. Não obstante, toda a vez que tivermos pensamentos de medo ou de ódio, o baço funciona mal e deixa de especializar o fluído vital em quantidade suficiente. As linhas de força se curvam, permitindo assim o acesso fácil aos organismos deletérios que podem então se alimentar nos nossos tecidos, sem nenhuma oposição, causando as doenças.

Além disso, os pensamentos de medo e de ódio tomam forma e com o decorrer do tempo se cristalizam naquilo que nós conhecemos como micróbios das doenças infecciosas são particularmente, a incorporação do medo e do ódio e por isso, só poderão ser vencidos pela força contrária — coragem e amor. Se estamos perto de uma pessoa infectada por doença contagiosa, temendo o contágio, é quase certo atrairmos para nós os micróbios venenosos, mas se pelo contrário, nos aproximarmos de tal pessoa em atitude mental sem nenhum temor escaparemos à infecção, particularmente se o fizermos inspirados pelo amor.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de abril/1978)

poradmin

O que é Caneta Tinteiro e por que tem que escrever somente com esse tipo para o Departamento de Cura?

O que é Caneta Tinteiro e por que tem que escrever somente com esse tipo para o Departamento de Cura?

Antes que os Auxiliares Invisíveis possam trabalhar com o paciente, eles devem ter o eflúvio de seu Corpo Vital.

Esta é a contraparte etérica do Corpo físico e da esfera operacional das forças vitais.

Os eflúvios são obtidos por meio das palavras (preenchidas na Ficha ou Formulário de Inscrição para o Departamento de Cura) e das Datas e Assinaturas que o paciente escreve semanalmente na Ficha de Assinaturas com a caneta tinteiro (ou pena mosquitinho).

Isso é muito importante, pois uma caneta carregada de fluído, como é o nanquim da caneta tinteiro, é um condutor de magnetismo muito maior do que um lápis seco ou uma caneta esferográfica ou hidrográfica ou, ainda, qualquer outro tipo de meio de escrita.

O Éter, que impregna o papel sobre o qual o paciente escreve, semana a semana, fornece uma indicação de sua condição no momento da escrita, e é uma chave de entrada para acesso à parte (ou -partes) doentes do seu Corpo.

Conforme mude o estado do paciente, muda igualmente o registro nas Fichas semanais !

É algo que ele deu voluntariamente e com o propósito expresso de fornecer acesso aos Auxiliares Invisíveis.

A menos que o doente faça a sua parte nesse aspecto, os Auxiliares Invisíveis são incapazes de fazer qualquer coisa pelo paciente.

Portanto: os eflúvios que procedem da mão do paciente ao escrever proveem aos Auxiliares Invisíveis uma chave de admissão ao organismo do paciente.

Por mais simples que seja essa regra, são muitos os que deixam de cumpri-la!

Com isso veja como é importantíssimo ser fiel no preenchimento semanal da Ficha de Assinaturas e o imediato envio (quando terminar de preencher as 4 assinaturas) para o Departamento de Cura da Fraternidade Rosacruz.

poradmin

Escala (Tom) de Música para Cada Signo como Auxílio para Cura

Escala (Tom) de Música para Cada Signo como Auxílio para Cura
A música é a linguagem do mundo celeste, o verdadeiro lar do espírito, e apresenta-se à chispa divina aprisionada na carne, como a mensagem de sua terra natal.
A música impressiona a todos, sem levar em conta raça, credo ou qualquer outra distinção mundana.
E quanto mais elevado e espiritual é o indivíduo, tanto mais claro ela lhe fala. Mesmo o indivíduo mais rude não fica impassível ao ouvi-la.

Em cada um de nós há um tom que produz uma vibração clara e distinta na parte inferior da cabeça.

Toda vez que se toque a nota, sente-se nesse lugar a mesma vibração.
Essa nota ou som é a nossa “nota-chave”.
Se for tocada lenta e suavemente, descansa e repousa o Corpo, tonifica os nervos e restaura a saúde.
Da mesma forma, cada Signo do Zodíaco (ou Hierarquia Criadora ou, ainda, onda de vida) possui a sua nota-chave.
Assim, uma música tocada suavemente no tom da nota-chave de um determinado Signo é um tratamento para minimizar os efeitos da doença ou enfermidade na parte do Corpo regida por esse Signo.
Veja na Tabela abaixo, para cada Signo, qual é o tom da música que se deve ouvir quando em tratamento de doenças e enfermidades e alguns exemplos de músicas com melodia, harmonia e ritmo apropriado (você encontra outras na internet ou adquirindo em CD ou Streaming):
poradmin

Uma Mensagem de Saúde Inspirada no Amor

Uma Mensagem de Saúde Inspirada no Amor

Uma atitude corajosa e otimista é essencial para manter a nossa saúde, bem como para ajudarmos outros que estejam doentes. Há uma razão científica para isso, mas só será revelada plenamente pela filosofia oculta.

A energia do Sol flui constantemente em nosso Corpo Denso por meio do baço, um órgão especialmente adaptado para a atração e assimilação desse Éter universal. No plexo solar esse Éter é convertido em um fluído rosado que banha o sistema nervoso. Por meio deste fluído vital os músculos se movem e os órgãos desempenham suas funções vitais.

Quanto melhor for a saúde, maior será a quantidade deste fluído solar que poderemos absorver, mas dele só utilizamos uma parte; o excesso é irradiado do corpo em linhas retas. Os germens das doenças não poderão entrar do exterior devido a essas invisíveis torrentes de força e os microrganismos que entrem no corpo com o alimento são rapidamente expelidos. Não obstante, toda a vez que tivermos pensamentos de medo ou de ódio, o baço funciona mal e deixa de especializar o fluído vital em quantidade suficiente. As linhas de força se curvam, permitindo assim o acesso fácil aos organismos deletérios que podem então se alimentar nos nossos tecidos, sem nenhuma oposição, causando as doenças.

Além disso, os pensamentos de medo e de ódio tomam forma e com o decorrer do tempo se cristalizam naquilo que nós conhecemos como micróbios das doenças infecciosas são particularmente, a incorporação do medo e do ódio e por isso, só poderão ser vencidos pela força contrária — coragem e amor. Se estamos perto de uma pessoa infectada por doença contagiosa, temendo o contágio, é quase certo atrairmos para nós os micróbios venenosos, mas se pelo contrário, nos aproximarmos de tal pessoa em atitude mental sem nenhum temor escaparemos à infecção, particularmente se o fizermos inspirados pelo amor.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de abril/1978)

poradmin

Fome por Abundância

Fome por Abundância

Por paradoxal que seja, a verdade é que há muita gente desnutrida e faminta em meio à abundância. Segundo os nutricionistas, isso se deve, principalmente, ao excesso de alimentação, bem como ao consumo de alimentos inapropriados.

Afinal, o organismo nutre-se somente de substâncias capazes de ser digeridas e assimiladas. Os elementos inaproveitáveis convertem-se em venenos dentro do organismo.

As pessoas consomem, em excesso, uma gama variada de alimentos desvitalizados, antinaturais, nocivos, mal sãos.

Como resultado veem sua saúde em progressiva decadência. As enfermidades, especialmente as de natureza degenerativa, alcançam proporções aterradoras. Os indivíduos mesmo aparentemente saudáveis, ou quando se crê que o são, ao passarem por um exame médico, revelam sofrer de uma ou outra doença. Mais dia menos dia, acabarão num leito de hospital, numa mesa de operação ou no túmulo.

Frequentemente ouve-se dizer que algum amigo ou conhecido, repentinamente viu-se acometido de diabete, asma, trombose coronária, câncer, ou algum outro mal degenerativo. Os jornais também noticiam casos de pessoas que foram internadas numa casa de saúde ou morreram vitimadas por um ataque cardíaco, na flor da idade.

A alimentação adequada não constitui apenas um medicamento efetivo para as doenças físicas, como também para as mentais. As deficiências do processo metabólico, o qual consiste em converter os alimentos em energia, tecidos e secreções no corpo humano, originam-se de dietas pobres, com açúcar e farinhas em demasia e escassez de frutas e hortaliças.

São sérios e bem conhecidos os transtornos devidos ao consumo exagerado de gorduras. Para evitá-las recomenda-se não ingerir alimentos gordurosos ou frituras, tomar diariamente alguns copos de água não muito gelada e comer frutas três vezes ao dia.

O suco de frutas não deve ser conservado durante muito tempo após sua extração, pois dez ou quinze minutos após perderá a maior parte de suas enzimas, ou sejam, essas partículas que conduzem a atividade vital ao corpo. O suco de vegetais cultivados em solos tratados com adubo orgânico é incomparavelmente mais rico em enzimas que os procedentes de solos adubados quimicamente. Os agricultores deveriam levar em conta esse fato.

A desnutrição campeia entre pessoas habituadas a uma dieta composta de “alimentos incompletos ou de enganoso poder nutritivo, como batatas fritas, doces, chocolate, refrescos. O pior de tudo é que o dano produzido é muito sério, afetando quem se habitua a tão equivocada dieta, como também a seus descendentes.

Uma alimentação à base de gorduras animais é a causa do crescente registro de enfermidades cardiovasculares. O excesso de gorduras conduz a uma degeneração prematura do fígado, do coração, dos rins e das artérias. E como os efeitos prejudiciais dos maus hábitos alimentares não se notam de imediato, atribui-se a outras causas as doenças que provocam.

São poucos os indivíduos capazes de atribuir os resfriados, a asma, a artrite, os males cardíacos e desvios mentais às condições tóxicas do organismo. Encontramos no estômago a origem de muitas enfermidades.

Dá-se pouca importância ao verdadeiro valor nutritivo dos alimentos que, ao invés de recomendar-se consumi-los em seu estado natural – frescos e crus – considera-se um avanço econômico e tecnológico, o funcionamento de indústrias voltadas a enlatar, desidratar e conservar por meios químicos produtos tais como o leite, frutas, ovos e outras substâncias. Tal consumo equivale a forrar o estômago com pedras ou algo parecido. “Que homem há entre vós a quem, se seu filho pedir pão, dar-lhe-á pedra? E se lhe pedir peixe, dar-lhe-á uma serpente”? (Mt 7:9-10).

 (Traduzido de texto do Departamento de Cura da The Rosicrucian Fellowship e Publicado na Revista Serviço Rosacruz de junho/1978)

poradmin

A Formação do Ambiente e as Enfermidades Físicas e Mentais

A Formação do Ambiente e as Enfermidades Físicas e Mentais

Estabelecendo-se uma comparação entre os reinos animal e humano, nota-se que, enquanto os animais agem e reagem de maneira idêntica sob as mesmas circunstâncias, por serem guiados por um Espírito-Grupo, o ser humano comporta-se diferentemente. Cada indivíduo é uma “lei em si mesmo”. Ninguém pode predizer as ações de cada ser humano, nem como agirá sob circunstâncias análogas. Pode agir distintamente, e provavelmente o fará, diante de condições idênticas e em ocasiões diferentes.

Por esta razão, é extremamente complexo tentar definir ou elucidar devidamente um assunto como o véu do destino, pois nossas mentes, ainda têm uma capacidade limitada. Para compreender totalmente esta matéria, seria necessária a sabedoria de grandes seres como os Anjos do Destino, por exemplo, que têm a seu cargo este intrincado aspecto da vida.

Cada ato de cada indivíduo produz uma determinada vibração no universo, reagindo sobre ele e outros ao seu redor. Não tem, a mente humana, condições de vigiar e calcular os resultados dessas ações e reações que se produzem em meses, anos ou vidas.

Porém, temos visto, graças ao quadro geral impresso em nossa Mente, quando desenvolvíamos este tema, o modo de classificar as causas engendradas no passado, segundo se nos apresentam, com seus efeitos na vida atual. No decurso deste estudo investigaram-se várias centenas de pessoas. Em alguns casos, retrocedemos três, quatro e até mais vidas, com o objetivo de chegar à raiz da questão, determinando a forma em que as condições do passado reagem para criar as atuais. Porém, ainda que fazendo conscienciosamente esse trabalho de investigação, devemos advertir o leitor: não considere nosso juízo como um ensinamento conclusivo e definitivo sobre a matéria. Considere-a um passo inicial e contamos poder ajudá-lo a solucionar determinados problemas.

Com referência ao meio ambiente parece-nos que as pessoas dotadas de uma natureza toda peculiar, difíceis de se relacionar com outras de seu meio, têm diante de si uma vida pontilhada de provações. Nascem frequentemente entre estranhos, dos quais não receberão nenhum sentimento de afeto. Seus sofrimentos não despertarão entre seus familiares nenhuma impressão de simpatia ou apreciação. Ou bem se tornam órfãos, ou são separados dos pais, quando não se ausentam de sua terra em tenra idade. Quando é este o caso, essa alma, amiúde, anela a um afeto, a simpatia ou carinho, sentimentos que ela recusou a dar em vidas anteriores.

Também observamos casos de indivíduos responsáveis pelos maiores ultrajes, no passado, tendo levado a desonra e a vergonha a seus entes queridos, os quais sofreram horrores, justo pelo acendrado amor nutrido pelo desafeto. Na existência em que tal alma se dispõe a emendar-se, purgando seus erros pretéritos, encontrar-se-ão em um ambiente totalmente hostil. Sofrerá fome de amor, pois negou-o anteriormente. Se tal criatura não aprender toda a lição numa só vida, diferentes encarnações com experiências semelhantes, ensinar-lhe-ão a ser agradecido aos que o amam, bem como a agir correta e honestamente.

Também observamos que, amiúde, uma alma errou em vidas passadas devido à falta de uma influência bondosa por parte de seus familiares, que deviam ter sido fiéis, amorosos e complacentes. A carência desse ambiente de simpatia não encontrou, como é lógico, justificativa para suas faltas ante a lei, vendo-se obrigada a expiá-las em vidas posteriores. Nestes casos, todavia, as condições foram contrárias. A família que, em vidas passadas, houvera sido indiferente, agora lhe será querida, tendendo a sentir extraordinariamente todo o sofrimento que ela tiver de suportar em consequência de seu passado. Deste modo, a família também expiará a parte que lhe corresponde, pela sua responsabilidade em haver recusado carinho e simpatia.

São casos extremos, diga-se de passagem. Naturalmente, porém, podemos extrair lições dos casos pouco claros, pois quanto mais brutais e chocantes forem os fatos postos à nossa consideração, tanto mais fácil será catalogá-los. A lei que convém aos casos extremos, também se ajusta aos de menor importância, com as modificações graduais necessárias, aplicadas nas diferenças de ambiente.

Os fatos relatados indicam claramente que nós somos os guardiões de nossos irmãos, sendo conveniente exteriorizarmo-lhes toda simpatia e bondade, pertençam ou não à nossa família. Olhando as coisas desde a superfície, e sob o ponto de vista do nosso estado atual, talvez não transpareça nenhuma responsabilidade que nos cabe pelas ações de nossos infelizes familiares. Se pudéssemos ver por detrás do véu, provavelmente descobriríamos que nós mesmos fomos, em grande parte, culpados de suas desditas.

Ouve-se, frequentemente, a expressão: “fulano ou sicrano são o pesadelo de certas famílias”. Mas, podemos considerar essas pobres criaturas como seres estranhos entre gente estranha, devendo viver naquele meio devido a desajustes de vidas passadas. O “sangue é mais espesso que a água” diz um velho provérbio. O certo, porém, é que o laço sanguíneo não traz consequências, a menos que os espíritos de uma família estejam unidos entre si pelo amor ou pelo ódio do passado, fatores determinantes das relações da vida atual.

Uma alma pode envolver-se com determinada família em laços carnais, sentar-se à sua mesa, usufruir o direito legítimo de herança, e ser, entretanto, tão estranha quanto um mendigo que bata à porta pedindo um prato de comida.

Recordemos as palavras de Cristo: “Pois estava faminto e me destes de comer, estava sedento e me destes de beber, era um estranho e me admitistes ao vosso lado”; e depois: “Tudo o que haveis feito em favor do menor de meus irmãos, a mim mesmo o haveis feito”. Quando encontrarmos uma pobre alma, dessas marcadas pela desgraça e pela solidão, devemos como cristãos, imitar o exemplo de Cristo. É mister contribuir para que essa infeliz criatura se veja rodeada do calor de um lar, sentindo-se em sua casa, entre os seus. É necessário, por difícil que possa parecer, cultivar sua amizade, por amor de Cristo, sem levar em consideração suas fraquezas e excentricidades.

A humanidade é afetada por enfermidades classificadas em mentais e físicas. À incapacidade mental, quando congênita, é o resultado do abuso da força criadora, com uma exceção. Pode-se incluir no caso, as afecções dos órgãos vocais, e isto é lógico e compreensível.

O cérebro e a laringe foram construídos através da metade da força criadora. Assim o ser humano, bissexual antes da aquisição desses órgãos e capaz de gerar por si mesmo, perdeu esta faculdade, dependendo, agora, da colaboração de alguém de sexo ou polaridade oposta, para criar um novo veículo para um espírito reencarnante.

Quando se usa a visão espiritual para observar um indivíduo na memória da Natureza, durante a época em que ainda estava em formação percebe-se o seguinte: onde agora existe um nervo, havia anteriormente uma corrente de desejos; e que o próprio cérebro foi feito de substância de desejos, bem como a laringe.

Foi o desejo que, primeiramente enviou um impulso por meio do cérebro e criou tais correntes nervosas, para o corpo mover-se e conseguir, para o espírito, qualquer satisfação ou anelo. À linguagem, da mesma forma, é utilizada para atingir um objetivo. Por meio dessas faculdades o ser humano alcançou certo domínio sobre o mundo, e se pudesse voar de um corpo a outro, não teria fim o abuso de seu poder para satisfazer qualquer capricho ou desejo. Porém, sob a Lei da Consequência carrega consigo, em cada novo corpo, as faculdades e órgãos semelhantes aqueles utilizados em veículos precedentes.

Quando as paixões arruínam um veículo, em uma vida, isto fica gravado no átomo-semente. Na “descida” para o renascimento, é impossível para esse espírito, juntar material puro no sentido de organizar um cérebro de estrutura estável. Nesse caso, renasce geralmente sob um dos signos planetários comuns. Nestas circunstâncias, os quatro signos comuns se encontram posicionados nos quatro ângulos de seu horóscopo, porque, através deles (dos signos) o desejo passional defronta sérias dificuldades para manifestar-se. Em consequência, esse poderoso impulso que anteriormente regeu seu cérebro e que poderia ser usado agora com o propósito do rejuvenescimento, acha-se ausente e o indivíduo carece de incentivo na vida. Converte-se num inválido, uma tábua sobre o oceano da existência, frequentemente um louco.

O espírito, todavia, não é louco. Vê, conhece e alimenta um desejo ardente de utilizar seu corpo, ainda que lhe seja impossível, pois, amiúde não pode enviar sequer um impulso adequado aos seus nervos. Os músculos do rosto e do corpo não estão sob o controle de sua vontade; há falta de coordenação.

Deste modo, o espírito aprende uma das mais duras lições da vida, porquanto é muito pior do que a morte, achar-se sujeito a um corpo e não poder expressar-se através dele. Isto aconteceu porque a força de desejos necessária para pensar, falar e mover-se, exauriu-se em uma vida depravada, no passado, deixando o espírito sem energia para manipular seu atual veículo físico.

(Por Max Heindel, Publicado na Revista Serviço Rosacruz de novembro/1977)

poradmin

As Mãos Milagrosas

As Mãos Milagrosas

A despeito dos quadros muitas vezes dolorosos que os jornais e os noticiosos de TV nos oferecem diariamente, nosso ânimo, como Estudantes Rosacruzes, não se deixa abalar. Os acontecimentos conturbadores deste final de século, ao contrário do que pensa a maioria, constituem o prenúncio de uma nova Era. Vivemos uma fase de transição. E como só acontece em épocas de mudanças tão bruscas e velozes, o mundo parece envolver-se numa atmosfera de confusão, exotismo e fatos surpreendentes.

Muitos leitores indagam: Há uma relação entre esse estado de coisas e a futura Era de Aquário?

Nós afirmamos que sim. O Sol entrou na órbita de influência de Aquário em meados do século XIX. O Signo de Aquário é regido por Urano. Sua nota-chave expressa-se por originalidade e renovação.  A captação e transmissão das energias elétrica, solar e atômica, o surgimento de novas invenções, a conquista do ar, são algumas das manifestações aquarianas. Isso tudo traz mudanças sacudindo o pó de velhas e obsoletas estruturas, às quais a humanidade tende se acomodar. Eis porque a transição gera aparentes desequilíbrios.

O Planeta passa por transformações gradativas. A Terra está se refinando. A ação do Cristo contribui para isto. O ser humano — o microcosmos — também se renova. Seus veículos se purificam, tornando-o, dia a dia, mais sensível às vibrações espirituais. Mas tal não ocorre uniformemente. É fácil deduzir a causa: nem todos se encontram no mesmo nível evolutivo. Em termos relativos, poucos respondem corretamente às vibrações aquarianas.

Assim, não nos espantemos com relatos sobre o desenvolvimento de poderes paranormais. Eles se tornarão cada vez mais comuns e suas manifestações mais numerosas. E alguns, como o que abaixo transcrevemos do jornal “FOLHA DE SÃO PAULO”, constituem boa matéria para estudo e meditação.

“Eu não entendo nada de parapsicologia e nem de fenômenos extrassensoriais, mas acredito possuir um dom extraordinário, através do qual posso aliviar os males dos meus semelhantes”, declara o francês Aldo Moreau de la Meusse, de 65 anos de idade, agricultor por profissão e há 27 anos radicado no Chile. Ele vive na comunidade de Las Condes, nos arredores de Santiago, numa casa estilo campestre, onde diariamente formam-se filas de enfermos, certos de aquele homem alto e espigado, de olhos de forte mirada, fala mansa e vestir elegante, poderá curá-los.

O “tratamento” é simples: Aldo coloca suas mãos sobre o doente. E, quase sempre, este fica curado, ou as dores cessam como por encanto. A maioria considera milagre o que ele faz, mas o doutor Brenio Onetto, a maior autoridade chilena em parapsicologia, tem outra opinião sobre o caso: “Existe uma energia ou capacidade psicocinética que as pessoas possuem em sua natureza. Acredita-se que fortes descargas elétricas que emanam do cérebro sejam capazes de variar o equilíbrio de certas matérias. Toda pessoa tem capacidade de percepção extrassensorial, mas existem algumas que têm um sentido muito agudo. É o que nós chamamos psicocinese, ou melhor, o poder da mente sobre as coisas em movimento, neste caso sobre o corpo”. O doutor Onetto tem fortes razões para acreditar no poder de Moreau: ele curou a sua mãe, que sofria de uma úlcera. Nenhum médico conseguira tratá-la. Depois que Moreau colocou as mãos sobre o corpo da mãe do parapsicólogo, a mulher ficou boa.

Enquanto viveu na França, nada de anormal aconteceu com Aldo Moreau.

Ele estudou Direito na Sorbonne, mas não conseguiu exercer a profissão, pois logo depois de formado foi vítima de um terrível acidente automobilístico, ficando entre a vida e a morte. Onze dias em coma, hemorragias, fratura do crânio, chegou a ser desenganado pelos médicos. De repente, e como por milagre, ficou bom. “Compreendi, conta ele, que uma força sobrenatural me protegia”. E essa crença acentuou-se ainda mais, quando recebeu um tiro e a bala não lhe causou quase nenhum mal. Mais tarde, viajou para o Chile, onde sofreu um novo desastre de automóvel. Estava com o sogro, e este morreu no acidente. Aldo Moreau, no entanto, saiu do carro arrebentado sem um só arranhão. Atualmente, ele tem ótima saúde.

Tudo teve início numa certa noite, quando dormia em sua casa em Santiago. Ao acordar sentiu a estranha sensação de que poderia curar seus semelhantes. Pensou que tudo não passasse de uma alucinação, mas a coisa voltou a se repetir por três dias seguidos. Compreendeu, então, que “era uma mensagem de Deus”. Conta ele:

— Tive a certeza de que o Todo Poderoso me concedera dons especiais para fazer o bem. Uma estranha força apoderou-se das minhas mãos. Primeiro da direita, e logo em seguida da esquerda, que tremia de forma inexplicável, como nunca acontecera antes.

Aldo Moreau passou, então, a receber enfermos em sua casa. E a curá-los. Hoje essas curas atingem a centenas, e ele confessa não se lembrar da maioria. Ao seu lado, porém, está sempre presente um menino. Este garoto encontrava-se num hospital de Santiago, vítima de graves queimaduras. Durante vários dias, Aldo Moreau foi visitá-lo, colocando as suas mãos em cima do corpo da criança. As feias feridas fecharam, sem deixar uma só cicatriz.

— Também já consegui aliviar as dores de portadores de câncer. Alguns pacientes declararam estar curados, mas eu não comprovei pessoalmente nenhuma cura.

Quando querem saber o que ele sente, ao “curar os enfermos”, Moreau explica:

— Primeiro, um calor suave e logo uma corrente elétrica, que se inicia na mão direita, passando depois também para a esquerda. Alguns enfermos sentem calor ou frio. Outros, não sentem nada. Meus dedos se movem horizontalmente e de uma maneira muito estranha.

Aldo Moreau reconhece que devolveu a visão a muitos cegos, e que já tratou de úlceras, doenças do fígado, diabetes e outras enfermidades. E crê firmemente que possui um dom divino.

A advogada Alma Wilson, bastante conhecida em Santiago, foi uma das pessoas curadas por esse francês. Ela sofria terrivelmente de uma nevralgia, e nenhum médico conseguira aliviar suas dores.

“Aldo Moreau me curou totalmente. Nunca mais senti nada. Conheço um rapaz cego, que voltou a ver, depois que ele lhe colocou as mãos em cima”.

Embora confessasse nada entender do assunto, quando perguntaram a essa advogada o que acontece com os 85% da capacidade mental que o ser humano não utiliza, ela respondeu: “Ninguém o sabe ao certo, mas eu creio que no cérebro existem poderes ocultos que ainda não foram descobertos. Talvez nesse mundo desconhecido esteja a explicação para essas curas milagrosas que vêm assombrando o mundo…”

Talvez.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de agosto/1978)