Categoria Astrologia

poradmin

Ao levantar um horóscopo devemos levar em consideração as condições e o ambiente que afetam a vida de uma determinada pessoa?

Pergunta: Ao levantar um horóscopo devemos levar em consideração as condições e o ambiente que afetam a vida de uma determinada pessoa, ou os critérios formulados nos livros de Astrologia são corretos se aplicados a qualquer pessoa e a qualquer momento da vida?

Resposta: Não, as leituras não são corretas se aplicadas a qualquer momento da vida. Devemos sempre dizer que tais e tais Aspectos e configurações em um horóscopo conferem tais e tais tendências. Da mesma forma que uma planta exige tempo para crescer e revelar suas diversas e pequenas folhas e flores, também a planta humana deve crescer, e aquilo que se encontra em estado latente no momento do nascimento, desenvolver-se-á gradualmente no decurso da vida. Isso se dará tanto quanto o permita o meio ambiente.

Os Aspectos representam coisas diferentes para pessoas colocadas em situações diferentes. Para citar um caso histórico, se a memória não nos falhar, uma criança nasceu no mesmo instante em que na parte mais baixa da cidade de Londres nascia George III no palácio de Windsor. Essas duas crianças cresceram e cada uma iniciou uma carreira independente no mesmo dia, isto é, uma tornou-se um monarca e a outra entrou no mundo dos negócios. Casaram no mesmo dia, tiveram o mesmo número de filhos (embora isso possa ser apenas uma coincidência, pois os filhos dependem também do horóscopo do outro cônjuge), e morreram também no mesmo dia. Como vemos, os acontecimentos principais de suas vidas foram similares, embora fossem diferentes por terem sido colocados em ambientes diferentes. Um foi rei, o outro um ferragista. Se lerem o Capítulo “O grau de Receptividade às Vibrações Astrais” no livro “A Mensagem das Estrelas”, verão que a humanidade aprende a responder a todos os Astros, um após outro. Muitos de nós estamos começando a responder a Urano, mas pouquíssimos respondem às vibrações de Netuno.

(Pergunta nº 121 do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas, Vol. II)

poradmin

O Significado Esotérico das Pedras Preciosas

O Significado Esotérico das Pedras Preciosas

Que história maravilhosa tem o resplendor da Safira; que segredo tem a cintilação do Diamante; quais os sonhos do coração da Pérola? Com que deleite nos adornamos com a beleza exterior das pedras preciosas sem perceber sua natureza íntima e a história de sua criação.

Os sábios dizem que poderemos encontrar o porquê de todo ser buscando-o nos arquivos espirituais. Todas as coisas grandes ou insignificantes convergem-se no Universo em uma sinfonia multicor de harmonia e luz. As grandes Hierarquias pensam nos acordes da música. Os átomos da música vibram no éter e formam núcleos que atraem outros átomos semelhantes em cor e vibração. A maravilhosa sinfonia encontra os primeiros e sutis reflexos no coração do cristal, que depois de épocas incomensuráveis manifesta seu esplendor.

Qualquer pedra preciosa é uma forma de pensamento de uma grande Hierarquia. Este pensamento foi enviado à Terra para concretizar-se no cristal, anunciando sua mensagem. É por isso que a pedra preciosa emite as vibrações em harmonia com seu Signo e Astro, que elaboram sua formação harmônica e vibratória.

A dinâmica força de Marte dirigida à Terra em fusão é conhecida como Signo de Áries, que trabalhou na formação da pedra que chamamos Diamante. No Mundo dos Astros, o Diamante tem seu idêntico espírito de ascensão; no Plano terrestre, esse desejo se manifesta em sua forma inferior como ambição descontrolada. Esse mesmo fogo, que se apresenta no Plano inferior como ambição desmedida, transforma-se em desejo de elevação, quando purificado e transfigurado. Admirável é o significado oculto do fogo. Há poucos capazes de entender e sentir a força interna que emitem as pedras preciosas.

O Jaspe rosado é o raio de amor celestial que Mercúrio, o mensageiro dos deuses, leva através do Signo de Virgem, que representa o princípio maternal, a idealização do amor — a grande alma feminina na criação, que anima toda a natureza e expressa os sentimentos de amor de todas as religiões, na proporção do seu alcance; esse raio, no mundo terrestre, é o símbolo do perdão, porque o atributo divino é o amor.

As pedras lunares significam, no Mundo Celeste, o espírito místico, o aprofundar-se em Deus. Na Terra, simbolizam as almas dos sonhadores e místicos. São formados pelos raios cristalizantes de Saturno e seu Signo, Capricórnio, que falam de penas e tristezas: a tristeza amadurece o místico, por isso ele pode entender melhor as penas do mundo. O maior místico foi aquele que levou a coroa da amargura.

O coração fogoso do Signo de Leão e os raios amarelos do Sol formam o Rubi. Seu raio avermelhado transpassa os Mundos superiores como espírito da verdade e desce à Terra para penetrar a vida como serviço.

Os acordes amorosos de Vênus nos trouxeram, pelo sopro de Libra, o magnífico mistério que chamamos Opala. No País espiritual, a Opala é símbolo do espírito dos mistérios. Os mistérios da vida atual só podem ser compreendidos à luz das reminiscências de vidas passadas.

As forças sublimes da Hierarquia de Câncer criaram a Esmeralda. No Mundo Celeste, é o raio da caridade. Na Terra, esse raio é a esperança: acima de toda luta na Terra, é, a esperança, a gentil filha da caridade. Nas profundezas do coração da Esmeralda descansa o beijo ensolarado da esperança.

A Ametista irradia a chispa fogosa que Marte preparou nos cadinhos ferventes de Áries. No Mundo Celeste, brilha o espírito curador como o raio da Ametista; para o ser humano a Ametista é o símbolo da compaixão. Até que o verdadeiro significado da compaixão seja compreendido, a saúde (ou cura) permanente não poderá ser alcançada.

O ancião Saturno abre as portas de Aquário. A estranha luz tão pouco entendida e emitida por ele formou a Safira. Nos Mundos Celestes, a Safira é a luz da profunda percepção e emite suas sombras sobre a Terra, na Lei divina da compensação. Como Afrodite emerge da lagoa dourada, assim o espírito da beleza surge do coração de Touro. Ele ilumina todos os espaços e seu enorme reflexo chega à Terra trazido por Vênus. Para nós, filhos da Terra, ele vive no fogo dourado da Ágata.

A deusa das recordações tece fios tênues no céu e imerge todas as coisas atingidas por seus sonhos nos profundos matizes violáceos. O raio de Mercúrio, mensageiro dos deuses, sempre está pronto a ajudar a humanidade. Ele nos incumbe desse raro sentimento de simpatia que bem poucos são capazes de discernir e encontra sua expressão na Água Marinha. Os portadores dessa pedra preciosa deveriam aguçar os ouvidos para o ciciar dos deuses.

Quem é que conhece o significado do misterioso Ônix negro? Ele teve seu começo no meio misterioso de Câncer — aquele Portal empírico pelo qual a alma humana desceu à Terra. A Lua, como uma mulher enlutada e triste, dá-nos essa bela pedra para lembrar-nos de que necessitamos desenvolver o espírito de comiseração. O Ônix nasceu do Signo de Câncer, o Signo das lágrimas, e só o conhecimento da origem das penas e lágrimas faz a alma desabrochar-se em flor maravilhosa de diáfano esplendor, em uma doçura silenciosa.

A casta mão de Saturno e seu sóbrio domicílio, o Signo de Capricórnio, formou o Ônix branco, alma gêmea do negro no desenvolvimento do mineral. Saturno, o Senhor do tempo, com o relógio de areia e a foice, é ao mesmo tempo o raio purificador que guia a alma escura à pureza. A alegria dos Anjos com cada alma que faz penitência encontra sua expressão no Ônix branco. Essa pedra tem em certas formações também a coloração do índigo: essa cor tão mística, incluindo em si muitos diferentes tons que lhe dão sua profunda significação e indicam com a sua mistura de dores — “a luz-sombra” — as múltiplas esperanças do ser humano na sua peregrinação rumo ao Alto, onde vencerá. Ele, por isso, recebe a Pedra branca (Jo 2:17) como símbolo da divina amizade. O Ônix branco simboliza o espírito da amizade.

O sublime espírito do idealismo emite, da casa de Sagitário, poderosos luminais azuis do éter. Eles atravessam a aura de Júpiter, que os devolve à Terra. São resplandecentes da bem-aventurança que se cristalizaram na Turquesa. Por intuição, toda humanidade gosta de abrir-se à influência mística dos tons azuis. Eles falam dos ideais superiores e de um País de felicidade no almejado Firmamento. Aquele que possui uma Turquesa devia lembrar-se de que ela traz em si um raio azul da sonhada felicidade nos Éteres distantes.

Em cada indivíduo foi submergido o espírito da Vontade criadora. Em muitos corações ele ainda está adormecido, em outros já começa a despertar e apenas alguns conseguiram manifestá-lo. Do tesouro de Escorpião, o raio fogoso de Marte nos presenteia com o Topázio, que traz em si o espírito da transmutação. É um processo que somente o fogo possa realizar. A Vontade criadora e a transmutação são dois grandes guias da alma no caminho da evolução e ninguém pode fazer a obra prescindindo de um deles: o Topázio simboliza ambas. Contemple a luz do Topázio e verá a mensagem que ele quer dar — habita nele o espírito da transmutação aureolado pela Vontade criadora.

O significado íntimo do Signo de Peixes é harmonia e união; como nenhum outro, esse Signo está ligado à nossa humanidade, a qual, considerando sua futura grandeza, ainda percebe a verdade como através dum vidro opaco. Nesse Signo criam-se os começos da Turmalina, na qual as ondas amorosas azuis de Júpiter se expressam. Falam à humanidade do espírito de união que repousa no fundo do coração do Signo de Peixes, que um dia perceberemos frente a frente. O espírito da promessa, que mora no Mundo Espiritual, para nós ao mesmo tempo tão perto e tão distante, deu-nos esse símbolo adornado de alegria.

“Tu és o amor todo compreensivo

Tu és a força que tudo envolve —

Se essa luz não me acompanhasse,

Como é que encontraria o caminho na noite?”

Assim, o azul do amor divino envolvente e o fogo da força divina cristalizaram-se no âmago da Terra. Ambos se uniram no fogo escarlate do Sol e na luz amorosa da Turmalina. Os que possuem essa pedra deveriam procurar sobrepor-se ao seu próprio eu pessoal, porque ela significa um raio do espírito do altruísmo. No seu íntimo ressoa sem cessar a canção do “Serviço por Amor — o caminho mais curto a Deus”.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de outubro de 1970)

poradmin

O Processo de Redenção e as Hierarquias Zodiacais

O Processo de Redenção e as Hierarquias Zodiacais

“O caminho evolutivo da humanidade está indissoluvelmente unido às divinas Hierarquias que regem os Astros e os Signos do Zodíaco”, diz Max Heindel no Livro Mensagem das Estrelas, e no “Conceito Rosacruz do Cosmos” nos diz que essas Hierarquias têm a seu cargo diferentes partes do controle da evolução humana, assim como a do animal e a do vegetal, e que guiam a evolução da vida e da forma em outros Astros também.

Enquanto o Sol passa através do Signo de Capricórnio, de 22 de dezembro a 21 de janeiro, faremos bem em estudar o Ensinamento de Sabedoria concernente às diferentes fases da manifestação relacionadas com estes símbolos espirituais.

Cada estrela, Planeta ou Sol é o corpo de uma entidade que se manifesta por meio de raios de energia que compenetram todo o espaço. O Signo de Capricórnio está relacionado com as hostes angelicais, e o Sol com o Cristo.

Os Arcanjos operam mediante corpos compostos da substância do Mundo do Desejo, mas seus poderes chegam a muitos mundos que se encontram acima e abaixo desse mundo. O Senhor da Terra é conhecido por meio do nome composto Jesus Cristo.

Os Arcanjos atuam como Espíritos de Raça sobre a Terra e influenciam ao ser humano através do Corpo de Desejos humano. São Espíritos-Grupo dos animais e guiam a evolução da onda de vida animal.

À medida que a Terra gira em torno do Sol, converte-se no ponto focal dos raios solares em combinação com cada Signo do Zodíaco; estas Hierarquias estimulam atividades especiais na Terra.

Todo fenômeno da Natureza tem um especial propósito espiritual. Ensina-nos que o grande ciclo da Precessão dos Equinócios, que equivale a um período de 25.868 anos, assinala a elevação e a queda das raças, das nações e suas religiões.

Durante o trânsito de Precessão do Sol através de um Signo, que dura aproximadamente 2.156 anos, é feito um trabalho especial com uma nação ou um grupo de nações, como o atestam as 1ª e 2ª Guerras Mundiais, que são as culminações da separatividade nacional entre as nações, durante a precessão através do Signo de Peixes. O efeito final será a unidade.

O trânsito anual do Sol através dos Signos marca a mudança das estações e dos processos vitais em todas as formas viventes, tanto que o impulso espiritual incorporado neste acontecimento, está sempre se dirigindo para o despertar do gênio adormecido de um Espírito individualizado.

Durante o período que antecedeu a Era Cristã, o Espírito Santo teve a seu cargo a evolução humana, e os Arcanjos e os Anjos estiveram sob o seu domínio. Eles trabalharam principalmente sobre o aspecto emocional da alma humana e foram estabelecidas a beleza e a diversidade dos tipos nacionais. O patriotismo foi a suprema expressão do amor e da devoção. O patriotismo e os aspectos nacionais da religião cegaram os indivíduos a respeito da realidade de um só Deus com muitos nomes.

Com o advento da Era Cristã, os Arcanjos das nações e os Anjos prestaram obediência a Cristo, e o Espírito de Cristo converteu-se no Espírito Interno da Terra. Agora todas as Hierarquias trabalham com o Cristo para ajudar a humanidade a converter o patriotismo em fraternidade humana.

A comunicação e o intercâmbio internacionais estão tecendo uma grande aproximação de destino, que nos envolve em tantos interesses internacionais comuns, que as barreiras nacionais estão desfazendo-se gradual e lentamente. Diante da ameaça dos horrores de uma possível guerra nuclear, estamos gradualmente despertando para o sentido comum de ideal de paz sobre à Terra e boa vontade entre os seres humanos.

Existência após existência, todo ser humano está dando um pouco mais de expressão terrena à verdade espiritual de fraternidade do ser humano. É nossa resposta ao chamamento de nosso Redentor, o Príncipe da Paz, o Senhor do Amor.

Felizmente, a religião está progredindo, transformando a idolatria, a adoração da forma, pelo místico, a adoração do princípio. O Governo tem evoluído, progredindo do despotismo, governo absoluto de um só indivíduo, à república democrática, na qual prevalece o grupo de governo representativo.

A ciência libertou-se do controle estatal e religioso e vem servindo ao bem-estar, rumando para campos cada vez mais amplos. À arte, porém, ainda não chegou a sua completa expressão, mas está fazendo progressos. Chegará o dia em que a humanidade despertará à necessidade de incorporar beleza em cada expressão de vida.

Cada ano, ao nascer o Cristo na Terra, é dado um novo impulso de vida a toda criatura vivente. Quando relacionamos esta verdade ao ensinamento de que é em Capricórnio que são dados os grandes impulsos para a evolução e progresso nacionais, compreendemos a importância da presente estação no que se refere à política, à economia, às finanças e seu emprego.

À analogia, chave-mestra de todos os mistérios espirituais, ensina-nos que o Espírito da Terra está dentro dela, desde o equinócio de setembro (quando o Sol entra em Libra) até o Equinócio de Março (quando o Sol entra em Áries). Durante essa época, a Terra enche-se de Seu Amor em uma forma íntima. Na época do Solstício de Dezembro, Ele sai em seus veículos superiores, para revivificar-se em espírito mediante a comunhão com o Pai e, tanto que, todas as criaturas dão expressão visível à vida e ao poder com os quais Sua vinda encheu a Terra.

Isto é análogo a nossos estados alternados de vigília e de sono. Trabalhamos em nossos corpos durante o dia e saímos deles durante o sono noturno. Mas as forças vitais estão ativas dentro do corpo, de modo que despertamos na manhã do novo dia, refrescados e ambiciosos.

O egoísmo, a inveja e o materialismo devem ceder lugar, como resposta, ao chamado do Princípio de Cristo a melhores condições. Capricórnio, pode-se dizer, é o Signo da engenharia de todas as classes e os engenheiros técnicos do mundo estão tratando de despertar a milhões de humanos para a libertação da pobreza e da enfermidade, em todas as partes do nosso globo, por meio de melhores métodos de cultivo à terra, da construção de caminhos e do correto cuidado com o corpo físico. Os “engenheiros” educacionais estão ajudando a erradicar a ignorância e a estimular o impulso interno do Espírito, de elevar-se para mais sublimes níveis de consciência.

Verdadeiramente estamos no amanhecer de uma nova era, e nós que recebemos os iluminados Ensinamentos dos Rosacruzes, devemos estar na vanguarda do novo pensamento, que promete em sua plenitude a emancipação dos antigos métodos que exploravam a muitos, em benefício de poucos. Devemos ser capazes de pensar em termos do maior bem para o número maior; devemos estar prontos a adaptar-nos à nova ordem de coisas, por meio do serviço desinteressado. Podemos pensar a nosso próprio respeito como um Corpo de Paz espiritual, fazendo todo o possível para exemplificar e disseminar os mais altos ideais de vida, onde quer que estejamos.

Durante milhares de anos quase todo o esforço do ser humano sobre a Terra, esteve centrado em obter sustento, vestimenta e abrigo. Contemplemos a visão da época que se aproxima rapidamente, na qual, uma vez asseguradas estas coisas com um mínimo de esforço, teremos tempo para dedicar uma maior proporção de nosso poder criador a resgatar os lugares desertos da Terra, e por beleza na vida, a erradicar a enfermidade e o crime, a estudar o mais amplo significado da vida.

Em nosso estudo da ciência espiritual da astrologia descobrimos que no tempo presente Netuno, o Planeta da individualidade, está transitando pelo Signo de Escorpião, que governa as forças ocultas da Natureza; Júpiter, o Planeta da expansão e da benevolência, está transitando por Peixes, o Signo da antiga ordem das coisas, e Urano, o despertador, está transitando por Virgem, o Signo que governa o serviço, o trabalho e a saúde. Sob o acúmulo destas poderosas influências, podemos esperar com segurança ver muita investigação oculta nos campos científicos, e para aqueles que estejam o suficientemente evoluído para responder ao lado superior da vibração de Netuno em Escorpião, existe a promessa de um progresso na realização espiritual, mediante a arte, a música, a dança e a poesia, assim como na cura.

A Igreja e os ideais religiosos em geral elevar-se-ão para a unidade, sob a influência de Júpiter em Peixes, e em Oposição a Urano em Virgem haverá um rompimento com os credos e práticas antiquadas, tanto na religião como na saúde. Os ideais de serviço, trabalho e saúde devem alcançar novos níveis à medida que o altruísmo aumente sua força em todas as atividades da humanidade.

Os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental nos informam que esta é a revolução Marte-Mercúrio do Período Terrestre. Marte é o significador do guerreiro, do trabalhador, do desejo, da paixão, da energia dinâmica, do impulso e da força centrífuga de repulsão. Quão claramente correspondem estas notas-chave às características das idades passadas! Porém agora estamos entrando na metade mercurial do Período Terrestre e Mercúrio representa o pensador, o escritor, a razão, a lógica, a relatividade, a habilidade mental e as mudanças. As massas do povo devem aprender a pensar, e a pensar sem se confundir pelo sentimento ou o desejo.

Ao nosso redor, ainda que invisíveis, os Grandes Seres estão em “seus postos”, guiando a humanidade para o bem maior. Quando nos desviamos da lei divina sofremos, mas, então, vem-nos a luz e damos o próximo passo em sua direção.

Cristo veio para salvar o que se havia “perdido”. Podemos vender nossa herança espiritual por um prato de lentilhas e não encontrar felicidade; olhando para cima, por sobre a tirania das coisas, O contemplamos, sorrindo, amando-nos e sempre pronto a nos inspirar com os eternos valores do real.

O ser humano perde em personalidade e na matéria a compreensão de seu ser espiritual, mas sendo essencialmente divino, redime-se a si próprio e a seu ambiente mediante a submersão na harmonia espiritual, por meio da luz de Cristo.

As nações são guiadas por meio de uma lei divina para a consciência da fraternidade do ser humano, assim como o indivíduo redime-se do egoísmo e do materialismo. O poder do iluminado é muito maior que o mal do irredento, individualmente considerado. As pessoas boas do mundo têm fracassado em estabelecer a paz sobre a Terra, porque sua bondade é, em muitos casos, passiva. O verdadeiro cristão ocultista está sempre ativo em todos os planos de expressão.

Não fiquemos inativos no bem obrar! O processo da redenção, todavia, segue adiante, lentamente. A humanidade está sendo redimida cada vez mais pelo poderoso Raio de Amor de Cristo de tudo o que aparenta separatismo. Nosso é o privilégio de apressar esse processo, por meio do serviço ativo. Tratemos de abrir nossos corações para que penetre neles a semente do Amor, a fim de sentirmos em toda sua beleza e maravilha a unidade de cada um com todos.

(Publicado na Revista ‘Serviço Rosacruz’ – jul/ago/88)

poradmin

A Cabeça e a Cauda do Dragão

A Cabeça e a Cauda do Dragão

O único Aspecto, na Astrologia Rosacruz, que se considera para a Cabeça e Cauda do Dragão é a Conjunção e, assim mesmo, com uma Órbita de Influência de apenas 3 graus.

A Conjunção com a Cabeça do Dragão favorece e acelera assuntos pessoais da maneira mais benevolente. Já a Conjunção com a Cauda do Dragão exerce uma influência de repressão e obstrução.

É nas Efemérides que você toma a posição da Cabeça do Dragão, ao meio-dia mais próximo, sem a necessidade de qualquer correção. A Cauda do Dragão será localizada no Signo e grau diretamente opostos.

Efeitos na estatura

As tendências para estatura alta e esguia são marcadas pela Cabeça do Dragão em Conjunção com o Ascendente.

A baixa estatura é indicada quando a Cauda do Dragão está em Conjunção com o Ascendente.

Os Signos Fixos e o de Áries são os que dão a estatura tanto às pessoas mais altas como às mais baixas. No entanto, deles, Escorpião é o que menos sofre as influências dos nódulos lunares.

Quando um Astro se encontra junto ao Ascendente, ajuda a melhorar a altura.

Quando a Lua está em Conjunção com a Cabeça ou quando a Cauda do Dragão está em Conjunção com a Lua, na parte superior do horóscopo, a estatura é mais alta.

Mas o tamanho diminuirá, se a Cabeça estiver na parte inferior do horóscopo. A Lua em Conjunção com a Cabeça ou a Cauda, estando a Cauda no hemisfério superior, também abaixa a estatura.

Efeitos sobre a personalidade

Um Ascendente afligido por um nódulo lunar afetará os assuntos pessoais até o meio da vida.

A Cabeça, perto do Ascendente, dá refinamento e gentileza.

Relação do nativo com o meio social e a profissão

A Cabeça e a Cauda do Dragão, em Conjunção com o Meio do Céu, respectivamente, ajudam ou prejudicam essa relação, como efeito de vida anterior (mereçamos ou não).

Influências genéricas sobre os Signos

Os nódulos lunares são mais poderosos nos Signos Comuns. Os Signos de Gêmeos e Virgem são favoráveis à Cabeça, enquanto os de Sagitário e Peixes são menos adversos com a Cauda. A Cabeça em Peixes não é tão boa.

Influência sobre as Casas

Na primeira e sétima Casas (além do que já dissemos acerca da personalidade), a Cabeça do Dragão confere dignidade. São pessoas habilidosas e cultivam a reputação, podendo subir na vida.

A Cabeça do Dragão em Conjunção com o Ascendente também nos mostra pessoas que gostem de chamar a atenção, mas com arrogância. Devem lutar muito para conquistar bom conceito; não têm refinamento; às vezes, apresentam deficiência na expressão oral.

Segunda e oitava Casas, Cabeça do Dragão. Numerosos horóscopos de pessoas afortunadas têm a Cabeça do Dragão sobre a cúspide da segunda Casa. Sua posição na 2ª Casa favorece. O êxito é precoce. Quando no meio da 2ª Casa, torna o nativo generoso. Na 8ª, traz legados com benefícios temporários.

Cauda do Dragão: na cúspide da 2ª Casa é bem adversa: tendência a perder a fortuna, crédito periclitante e adiamento das realizações financeiras. Na 8ª Casa, traz perda de herança e má saúde.

Terceira e nona Casas. A Cabeça, na 9ª Casa, aumenta a atividade mental e sua habilidade; também está ligada a grandes aspirações; jornalismo; distinção no estrangeiro; comércio internacional; representações comerciais. A Cauda, na 9ª Casa, suscita superstição, medo de magia negra, apreensões mórbidas; mas também habilidades: advogado de causas impopulares; pioneiro de doutrinas inaceitáveis; investimentos fracassados no exterior.

Quarta e décima Casas: a Cabeça, na 10ª, traz êxitos na vida; colheita de honrarias; elevação social acima do nível de nascimento; favorece um bom casamento. A Cabeça, na 4ª, mostra um pai de filhos ilegítimos, uma mulher desquitada ou divorciada. A Cauda, na 10ª, revela dificuldades, fracassos ou desgraças. Quando houver vitórias, serão por meios impopulares. As crianças sem pais geralmente têm a Cauda na 10ª Casa. Essa posição, com Conjunção, aponta escândalos e distúrbios ligados à mãe ilegítima.

Quinta e 11ª Casas. A Cabeça, na 11ª Casa, é muito favorável para tudo, exceto para jogos, apostas e especulações. Contudo, também indica uniões ilegais e filhos ilegítimos. A Cauda na 11ª indica péssima situação: ausência de amigos ou então a traição e falta de ajuda deles. Se há progresso, arrisca-se perdê-lo.

Sexta e 12ª Casas. Favorece profissões em entidades assistenciais. Estando a Cauda na 6ª, leva a trabalhos mais grosseiros; indica os desertores. A Cauda na 12ª é séria advertência para o nativo evitar o desenvolvimento de poderes psíquicos, porque isso lhe trará inconvenientes.

Área de ação favorável. As melhores posições para a Cabeça do Dragão estão no hemisfério horoscópico compreendido entre a metade da oitava Casa e a metade da 2ª Casa. Contrariamente, as piores posições para a Cabeça do Dragão estão na área que vai da metade da 2ª até à metade da 8ª.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de maio/1976)

poradmin

Sabemos já dos efeitos de certos Astros em determinadas Casas. Pois bem; sendo a 8ª Casa a que indica nossa saída do cenário mundial, pois é a Casa da morte, quais são os efeitos, perguntamos, de Urano e Saturno juntos nesta Casa, numa Conjunção e Paralelos?

Pergunta: Sabemos já dos efeitos de certos Astros em determinadas Casas. Pois bem; sendo a 8ª Casa a que indica nossa saída do cenário mundial, pois é a Casa da morte, quais são os efeitos, perguntamos, de Urano e Saturno juntos nesta Casa, numa Conjunção e Paralelos? Logicamente, dependerá muito de outros Aspectos com outros Astros. Mas o que desejo saber é o que pode oferecer este Aspecto num tema natal, quando esta Conjunção e Paralelos ocorrem estando a 8ª Casa abrangendo Touro e Gêmeos; isto é, passando de Touro para Gêmeos. Isto, sem contar outros Aspectos, favoráveis ou não.

Resposta: Antes de mais nada, é recomendação taxativa de Max Heindel, em “A Mensagem das Estrelas”: Nunca, nunca predigam a morte. É certo que o perguntante não levantou esta questão. Mas convém que seja feito este esclarecimento, que está implícito na pergunta.

A 8ª Casa não é apenas a Casa da morte. Ela rege também a capacidade de regeneração do nativo; isto é, ela indica o que o indivíduo conseguiu acumular em vidas anteriores, no sentido de transcender as condições humanas em direção à sua verdadeira e futura condição espiritual.

A 8ª Casa também rege as heranças, os legados.

Já que o perguntante é estudioso e inclusivamente leu Elman Bacher, há de lembrar-se do que foi dito por este autor sobre a 2ª Casa e seus reflexos nas demais. Em suma, a 2ª Casa indica o nível anímico do nativo no DAR e RECEBER, em todos os campos. Segundo os méritos adquiridos em vidas pregressas, pelo DAR; ou deméritos, pelo NEGAR; assim ele terá as facilidades dos legados inesperados ou será lesado em seus direitos de herdeiro. Nada vem do azar nem da sorte, senão como consequência natural e justa de seus atos. Paralelamente, pela capacidade de DAR ou contrariamente, pela OMISSÃO do dever cristão, pode exercitar a capacidade de regeneração, pois o “SERVIÇO AMOROSO e ALTRUÍSTA é o caminho mais curto, mais alegre e feliz que nos conduz a Deus”.

O Planeta que rege a 8ª Casa é Plutão, oitava superior de Marte. Quanto à influência que o perguntante deseja conhecer, não nos parece conveniente expô-la assim genericamente, sem levar em conta as configurações do tema, porque pode induzir a erro, como o fazem as publicações de Astrologia pelos jornais e revistas. Em Astrologia deve-se sempre combinar os fatores e tirar a conclusão.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de fevereiro/1970)