Arquivo mensal setembro 2019

poradmin

Acredite…se quiser

Acredite…se quiser

Há pouco tempo, aguardando o ônibus para São Paulo na rodoviária de Campinas, detive-me a folhear um livro numa banca de jornais. Chamou-me a atenção uma frase de Edgard Mitchell: “A tripulação da espaçonave Terra amotinou-se contra a Ordem do Universo.”

Entrei no ônibus e ocupei minha poltrona. Em seguida, sentou-se ao meu lado uma figura estranhíssima. Um homem totalmente calvo, orelhas muito pequenas, arredondadas, e a pele de um tom arroxeado. Nunca tinha visto algo semelhante. Fiquei na minha.

Quando o veículo começou a   movimentar-se, ele me dirigiu a palavra, com uma voz singularmente rouca:

— Senhor João, não vai usar o cinto de segurança?

Agradeci-lhe a observação e travei o cinto. Curioso, perguntei-lhe como sabia meu nome, pois não me lembrava de antes tê-lo visto ou conhecido.

Ele respondeu: — Eu sei. Sei de coisas de sua vida e de muitos habitantes deste Planeta.

— Como é possível? — Redargui.

— Eu sou aquilo que vocês terráqueos chamam de alienígena. Vim de uma estrela localizada em uma longínqua galáxia. Na Terra existem outros como eu, encarnados e vivendo entre vocês, sem que nos   reconheçam. Não estamos aqui para simplesmente bisbilhotá-los, mas apenas tentando entender o que se passa em suas Mentes, a ponto de provocarem tantos desequilíbrios.

Achei o estranho muito pretensioso, e um pouco irritado perguntei-lhe o nome. Ele me respondeu que em sua estrela as pessoas se conhecem e se identificam pelas vibrações que emitem. Não precisam de nome.

— Quer dizer então que vocês constituem uma civilização mais avançada que a terrestre? – perguntei-lhe.

— Modestamente, posso dizer que sim, porém, isso não nos torna arrogantes. Estamos preocupados com a maneira como vocês vivem e agem.

— Posso então entender que vocês, alienígenas, convivem conosco disfarçados de humanos para cumprir uma missão, – afirmei com uma pitadinha de ironia.

— Se o senhor quer entender assim, tudo bem. A verdade é que pensam e agem como se este planeta fosse o centro do Universo, imaginando que somente aqui há vida inteligente. Não têm a mínima ideia de que no Universo cósmico visível e em sua contraparte invisível tudo se encontra interconectado. Os seus atos, pensamentos, sentimentos e palavras repercutem, para bem ou para mal, em todos os pontos do Cosmos. Isso já se tornou motivo de preocupação, porque as vibrações que partem daqui são desarmoniosas e afetam os outros mundos.

Perguntei-lhe: — Então me esclareça, senhor E.T., o que realmente está acontecendo? O que quer saber a nosso respeito?

Aquela figura tão estranha foi direto em sua resposta:

— Queremos saber qual é o nível de inteligência dos terrestres. Fico analisando os problemas que vocês enfrentam e me pergunto como uma espécie que desenvolveu a razão, capacidade de previsão e prerrogativa de fazer escolhas, pode conduzir-se com tamanha estreiteza de visão. Vocês são tão inteligentes como imaginam?

Continuando, disse-me — Qual é o nível de inteligência de uma espécie capaz de destruir o ecossistema vital à sua própria sobrevivência? Qual é o nível de inteligência de seres que se apoderam de vastas áreas de terras férteis para cobri-las com concreto e asfalto, poluir seu ar, espantar a maioria das outras criaturas vivas, e pagar fortunas para nelas viver? Como podem envenenar os alimentos que ingerem e a terra que os produz?

A conversa seguiu nesse tom, até que o meu interlocutor se fechou no mais absoluto mutismo. Eu também fiquei em silêncio, meditando sobre tudo aquilo que acabara de ouvir.

Talvez eu tenha cochilado um pouco. Despertei com o ônibus chegando no terminal do Tietê. Para minha surpresa aquele ser estranho não se encontrava mais no ônibus. Onde teria desembarcado?

Fiquei pensativo por alguns instantes e me lembrei da frase de Edgard Mitchell. Coincidência?

Por Gilberto A V Silos

poradmin

Como os registros na Memória da Natureza aparecem à visão espiritual? Como os atos da vida anterior de uma pessoa são representados?

Pergunta: Como os registros na Memória da Natureza aparecem à visão espiritual? Como os atos da vida anterior de uma pessoa são representados?

Resposta: Isso depende de onde se leia na Memória da Natureza. No Éter Refletor existem imagens de tudo que aconteceu no mundo, num período de, pelo menos, várias centenas de anos atrás, talvez muito mais em certos casos. Aparecem semelhantes a imagens projetadas numa tela, com a diferença que as cenas se desenrolam em sentido contrário. Portanto, se desejarmos estudar a vida de Lutero ou de Calvino na Memória da Natureza, podemos, por meio da concentração, evocar quaisquer pontos de suas vidas e daí começar mantendo a cena com a qual iniciamos a observação ou outra cena qualquer, pelo tempo que desejarmos pela simples vontade de a contemplar. No entanto, descobriremos que a película se desenrola para trás, assim, se começarmos com a cena em que Lutero, segundo consta, lançou o tinteiro contra a parede a fim de expulsar sua Majestade Satânica, e se quisermos saber o que aconteceu depois disso, nada conseguiremos. Passarão diante de nós todas as cenas ocorridas anteriormente e, para conseguir a informação desejada, deveremos começar a partir de um ponto posterior ao tempo daquele acontecimento. Então as cenas desenrolar-se-ão de frente para trás, numa sequência ordenada, até que cheguemos ao episódio do tinteiro e, em consequência, poderemos mais tarde reconstituir a cena completa da forma progressiva que se obtém diária e habitualmente na vida física.

Contudo, se lermos na Memória da Natureza no reino superior seguinte, onde o registro é guardado, ou seja, na subdivisão mais elevada da Região do Pensamento Concreto, obteremos uma visão consideravelmente diferente. Ao concentrarmos o pensamento em Lutero, evocaremos em nossa Mente, de uma só vez como num lampejo, o registro completo de sua vida. Não haverá começo nem fim, mas experimentaremos imediatamente o aroma ou a essência de toda a sua existência. Esse filme — ou pensamento ou conhecimento — não estará localizado fora de nós como se fôssemos simples espectadores assistindo a vida de Lutero. Na verdade, ele estará dentro de nós, e nós nos sentiremos como se fôssemos realmente Lutero. Esse filme falará à nossa consciência interna e dar-nos-á um entendimento completo da vida e dos objetivos dele, o que não poderia ser adquirido através de uma simples visão externa. Saberemos o que ele sabia durante algum tempo. Sentiremos o que ele sentiu e, embora não haja emissão sonora, obteremos um profundo conhecimento desse homem desde o berço até o túmulo.

Cada pensamento e ato, por mais íntimos e ocultos que tenham sido, chegarão ao nosso conhecimento com todos os seus motivos e tudo que os ocasionou. Isso nos levará a uma compreensão mais ampla da sua vida, um entendimento tão íntimo que, provavelmente, nem ele próprio, durante a sua vida, imaginou a extensão do conhecimento que teríamos dele.

Podemos pensar que, tendo adquirido um conhecimento tão profundo e completo sobre Lutero, Calvino, Napoleão ou qualquer outro ser humano, acontecimento histórico ou até pré-histórico antes da história ser escrita, seríamos capazes de escrever livros que explicariam todas essas coisas de maneira maravilhosa. Os que tentarem ler a Memória da Natureza, conforme ela se apresenta nessa Região elevada, confirmarão a declaração do autor, que foi exatamente isso que sentiram quando deixaram a pesquisa e voltaram para a sua consciência cerebral comum. No entanto, o pensamento deve se manifestar através do cérebro e, para se tornar inteligível para os outros, deve ser traduzido em frases que contenham e desenvolvam consecutivamente as ideias a serem expostas, e ninguém que ainda não tenha sentido esta limitação ao voltar do Mundo Celestial com informações tão valiosas, pode avaliar o desapontamento e o desespero que a pessoa sente ao fazer esse esforço. Nessa subdivisão elevada da Região do Pensamento Concreto, todas as coisas estão incluídas num eterno aqui e agora. Não há tempo nem espaço, começo nem fim, e é quase impossível ajustar ordenadamente as ideias sobre o que lá foi visto, ouvido e sentido. Parece simplesmente que o cérebro se recusa a deixar filtrar essas ideias. Nós, que temos visto e ouvido, sabemos o que vimos e ouvimos, mas somos incapazes de expressá-lo. Não há idioma ou língua humana que possa traduzir essas coisas de maneira adequada e só podemos transmitir aos outros uma fraca impressão, uma sombra atenuada da gloriosa realidade.

Há ainda outro registro da Memória da Natureza no Mundo do Espírito de Vida que, segundo os Irmãos Maiores da Rosacruz, abrange os eventos que remontam aos primórdios da nossa atual manifestação. São tão sublimes, tão maravilhosos que não encontramos palavras que possam descrevê-los. Há muitos mistificadores que se enganam a si mesmos e aos outros, julgando que são capazes de ler esse registro, mas, segundo os Irmãos Maiores, somente eles próprios e outros Hierarcas de outra Escola de Mistérios, juntamente com os Adeptos que se graduaram nessas instituições, são capazes de ler esse registro.

 (Perg. 66 do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Vol. II – Max Heindel – Fraternidade Rosacruz SP)

poradmin

Propósitos e Condições Favoráveis para o seu Desenvolvimento Espiritual

Propósitos e Condições Favoráveis para o seu Desenvolvimento Espiritual

Mais revelações espirituais são oferecidas ao Aspirante, conforme ele gradativamente fornece provas de que está, fortemente, percorrendo o caminho da realização espiritual. Caberá a ele estar atento para observar e compreender os ensinamentos oferecidos.

Qualquer comportamento humano consciente e direcionado necessita de um propósito subjacente que guie ou forneça sentido para as ações. Por exemplo, um empresário que objetiva tornar seus negócios bem-sucedidos poderá permanecer meses, anos, até mesmo a vida toda, com esse objetivo que fornece sentido para todas as demais ações. O fato desse empresário ficar todos os dias até tarde no escritório, passar finais de semana planejando e executar ações para melhorar os rendimentos da empresa, terá sua explicação se conseguirmos enxergar o propósito que ele acredita ser o correto de buscar. Outro exemplo seria a pessoa que deseja fazer uma aquisição material qualquer, mas não possui o dinheiro imediato para comprar.  Ela procurará um segundo emprego ou realizará horas extras no trabalho para conseguir o dinheiro. Com o tempo e sacrifício, conseguirá acumular o dinheiro e concretizará seu desejo.

Desse modo, verifica-se que é o propósito subjacente que faz uma pessoa elaborar diversas estratégias e ações para concretização dele. Sem o propósito, não haverá sentido para as ações. Caso o propósito esteja ausente na consciência, não haverá motivação necessária para um indivíduo agir em uma determinada direção, mas apenas respostas automáticas a estímulos ambientais. Isto é claramente verificado em pessoas que sofrem de algumas demências ou de doenças que tem como sintoma a abulia.

O maior propósito que um Aspirante sincero à vida superior tem é aquele de cumprir os preceitos Esotéricos do Cristianismo em sua vida diária. É exatamente esse propósito que fornece sentido às ações que normalmente pratica em seu cotidiano. Dentre as ações, destacamos aquelas relacionadas a sacrifício do eu inferior, de retidão, perdão, serviço desinteressado ao próximo, vigília e oração. Ele não se preocupa com a redenção particular ou seu desenvolvimento pessoal, pois seu objetivo prioritário é o auxílio ao alheio. Se um terceiro conseguir enxergar esse propósito subjacente, compreenderá o sentido pelo qual um Aspirante sincero realiza todos esses atos tão “sem sentidos”, de acordo com os parâmetros materialistas e individualistas comumente observados no atual contexto que vivemos.

É exatamente a não observação ou compreensão desse propósito, pelas pessoas que não estão percorrendo o caminho, que gera o julgamento equivocado e que contribui para o Aspirante caminhar cada vez mais sozinho. Apesar de aparentemente sozinho, conforme se torna uma fonte de água da vida (que jorra sem parar, não importando quem se aproxima para dela beber), novos horizontes e novas companhias de propósito lhe aparecem automaticamente.

Cada evento vivenciado é, então, observado cuidadosamente sob a direção dos propósitos espirituais que escolheu para sua vida. O Aspirante deverá, então, utilizar suas faculdades tais como: percepção, atenção, inteligência, aprendizado vicário (aprendizado por observação) e sua experiência prévia, para realizar o discernimento necessário para agir. Além disso, deve também contar com sua força de vontade para conseguir concretizar, no Mundo Físico, aquilo que julga ser correto. Desse processo, ocorre a evolução ou produção de poderes anímicos.

Além de sua vontade e propósito espiritual, há, durante o todo o ano, condições propícias para que o Aspirante consiga amalgamar poderes dinâmicos ao seu Espírito. É também sobre essas condições que o presente artigo objetiva descrever.

De modo a concentrar forças e ter uma maior eficácia no processo de produção de poderes anímicos, os Estudantes Rosacruzes de todo o mundo da Fraternidade Rosacruz se reúnem, todos os dias, atendendo suas aspirações espirituais e oficiam o Ritual do Serviço do Templo. Essa reunião tem o objetivo de gerar pensamentos-formas de amor, de fraternidade e de cura. Os pensamentos-formas gerados são concomitantemente envolvidos com sentimentos de igual natureza, que fornecem a força necessária para que os pensamentos-formas cheguem ao seu propósito. Essa é a primeira condição favorável que o Aspirante pode unir aos seus propósitos espirituais, para conseguir maior eficácia em seu trabalho no mundo.

Uma segunda condição favorável ocorre quando a órbita da Lua atravessa o raio de vibração de uma Hierarquia Criadora Cardinal (Signos Zodiacais cardinais ou cardeais). Nessa situação, há favorecimento de produção de pensamentos-formas e sentimentos direcionados à CURA e é o dia para oficiar o Ritual do Serviço de Cura. É como se houvesse um forte vento a favor, e se aproveitarmos esse vento que sopra para a direção da cura, nossas orações serão muito mais eficazes e, consequentemente, a produção anímica também. Todo aquele que quiser contribuir para esse serviço, automaticamente também recebe a cura que necessita, seja física ou mental. Mas a recompensa particular desse trabalho não deve ser prioridade para o Aspirante, mas sim, a certeza de que irmãos que buscam esse auxílio estão recebendo essas bênçãos.

Juntamente a esses serviços, o Aspirante busca, onde quer que esteja, ser útil como canal de amor e de trabalho. Por mais trabalhoso e árduo que esse tipo de vida parece ser, ele o faz porque compreendeu que os demais propósitos oferecidos pela vida material são estéreis – “…Senhor, para quem iremos? Só tu tens as palavras de vida eterna” (Jo 6:68). Cada trabalho que consegue realizar nesse sentido produz materiais invisíveis que alimentam três pessoas diferentes: a (as) pessoa (as) envolvida (as) que recebeu (eram) o produto desse trabalho; a si próprio (pois esse material invisível para seus olhos fará parte do radiante Dourado Manto Nupcial, seu Corpo-Alma) e, finalmente, o Cristo, que aguarda pelo dia de Sua Libertação (Segunda Vinda) – “Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a Mim o fizestes” (Mt  25:40).

Como sabemos, o exercício de Retrospecção representa o momento do dia em que realizamos nosso Purgatório e Primeiro Céu. Mas há um período em cada mês, que é propício para que o Aspirante possa realizar essa alquimia espiritual, ou seja, transformar cada ato de serviço acumulado durante o mês em poderes dinâmicos utilizáveis instantaneamente pelo Aspirante. É o período de Lua Cheia e ela está a leste no céu. No entanto, a menos que o Aspirante tenha acumulado material para realização do processo, ele não poderá fazer a alquimia. O tempo de acúmulo se dá nos 15 dias precedentes à Lua Cheia.

Analogicamente, a posição da Lua durante o período de Lua Cheia, a Sala Leste do Tabernáculo do Deserto continha toda a parafernália para o desenvolvimento da alma. Havia nela os pães da proposição, o candelabro de sete braços e o altar com o incenso. Assim, nesse dia de Lua Cheia, o Aspirante entra na Sala Leste do Tabernáculo, e assimila todo o produto dos ensinamentos que a mesma sala o ensinou a praticar fora dela.

Nos dias procedentes, a Lua vai gradativamente tornando-se escura no céu. Quando ocorre de ficar totalmente escura, também fica a Oeste no céu. Nessa data, ocorre a noite mais escura do mês. Apesar da escuridão física, esse período encerra momentos de maior espiritualidade de todo um mês. O Aspirante então fica mais próximo dos Mundos Internos, se souber aproveitar essa corrente favorável. Mas deverá estar preparado com os requisitos necessários para poder aproveitar essa maré de força espiritual. Do contrário, pouco resultado alcançará.

Analogicamente, a Sala Oeste do Tabernáculo do Deserto era totalmente escura fisicamente. Mas havia nela uma Luz Espiritual. Essa era a sala conhecida como o Santo dos Santos, que continha a Arca da Aliança. Sobre a arca, havia um FOGO INVISÍVEL ou a presença de Deus manifestada entre os homens.

Há, portanto, um período em cada mês, que é propício para que o Aspirante possa ficar conscientemente em maior contato com os Planos Internos devido à forte corrente espiritual presente nessa época do mês. É exatamente o período em que a Lua fica escura ou Nova no céu. O requisito para se por em contato com essa corrente é a produção prévia de luz interna, pois há muita obscuridade exterior. A luz interior é gerada pelo acúmulo de serviço amoroso que realizamos no Serviço de Lua Cheia, que transformou os materiais invisíveis de serviço em Corpo-Alma. Assim, o Serviço de Lua Cheia é requisito para o Serviço de Lua Nova.

Desse modo, há 12 ou 13 (depende do ano) oportunidades anuais de realização do Serviço de Lua Cheia, e 12 ou 13 (depende do ano) oportunidades de Serviço de Lua Nova. Mas, o Aspirante deve gravar em sua memória que esses períodos constituem a culminação de processos que devem ser realizados diariamente. Sem esse requisito (serviço diário e Retrospecção), não há como aproveitar esses momentos abençoados que ocorrem durante a Lua Cheia e a Lua Nova.

Vê-se, portanto, que há muitas oportunidades dadas para que o Aspirante possa se desenvolver com maior eficácia. Mas, como já mencionado no início deste artigo, deve estar atento para observar e compreender os ensinamentos oferecidos e as condições mais favoráveis.

Possa o Aspirante aproveitar todas essas oportunidades que lhe são constantemente apresentadas.

Que as Rosas Floresçam em Vossa Cruz

poradmin

Os Exercícios Noturno de Retrospecção e Matutino de Concentração

Os Exercícios Noturno de Retrospecção e Matutino de Concentração

Exercício Noturno – Retrospecção

Muitos Estudantes Rosacruzes têm dificuldade em realizar convenientemente os exercícios da Noite e da Manhã. Vamos, por essa razão, indicar um bom método a seguir. Começaremos pelo exercício da Noite.

É errado supor que deveis pensar minuto por minuto durante vossa retrospecção a tudo quanto tendes feito durante o dia que passou, controlando assim todos os atos automáticos e todas as ações diárias. Tendo uma tal concepção desse exercício, descobrireis que o sucesso é nulo ou que perdereis um tempo precioso. Há Estudantes Rosacruzes que desejam voluntariamente fixar seu pensamento sobre ideais elevados, a fim de que a passagem seja tão harmoniosa quanto possível. É muito prosaico, ou indesejável, que vosso exercício noturno se detenha sobre o fato de ter comido uma fatia de pão com goiaba ou de ter amarrado vosso calçado.

O êxito de vosso exercício noturno depende de uma vida diária consciente e do poder de pensar de maneira abstrata. Uma vida diária consciente é uma condição e pensar de maneira abstrata não toma quase tempo.

Deveis refletir sobre a beleza deste método, ele justifica-se por si mesmo; o exercício Noturno não pode tornar-se um meio para atingir a Iniciação a não ser que esse mesmo exercício se torne a este respeito, um serviço diário. Se esse último ponto não for atingido milhões de exercícios não darão nenhum resultado.

Um Estudante Rosacruz sério desempenhará conscientemente toda ação diária; ele será igualmente consciente de suas palavras, pensamentos, atos, baseando-se sempre sobre a lei Santa para o Estudante Rosacruz. Esse fundo místico de toda sua manifestação torna-se semelhante a uma segunda natureza e ele notará sem demora que, cada erro em palavra, ato ou pensamento, toma imediatamente sua desforra e que a consciência de sua falta se impõe imediatamente. É por essa razão que alguns Estudantes Rosacruzes sérios que realmente vivem a vida, dizem: “o exercício noturno é para mim um serviço diário”, o que prova que se acham “no caminho”. Entretanto, quando tiverdes feito essa experiência, não deveis cometer a falta de crer que o exercício da Noite é supérfluo. Assim seria se o exercício da Noite não fosse mais do que um meio para atingir o conhecimento de si mesmo; ele é igualmente um dos meios dados pelos Irmãos Maiores para chegar à Iniciação.

Consideremos agora o exercício na suposição que vós o fazeis como um serviço diário.

Depois de entrar no leito, tomai uma posição a mais confortável possível e estendeis o corpo. Fixai vosso pensamento sobre o emblema da Rosacruz e deixai aproximar-se de vós mais e mais a Cruz com as Rosas até que ela se imponha a vós de maneira luminosa. Depois disso examinai rapidamente tudo o que se passou durante o dia (o que é fácil pelo pensamento abstrato). Isso supera o trabalho do cérebro e vereis como as experiências importantes e notáveis do dia se apresentarão com a rapidez do relâmpago tocando vosso coração e vossa cabeça, conforme sejam as experiências de natureza mística ou intelectual.

Seguem-se primeiramente sensações de alegria e de paz ou sensações de tristeza e desespero (pelas boas ou más ações). Em seguida, pelo choque ocasionado, importantes órgãos latentes do corpo material recebem vibrações mais elevadas graças às quais o caminho da liberação desenha-se de mais em mais. (Quando a Cruz luminosa se acha diante de vós, podeis pronunciar uma pequena prece antes de começar a retrospecção).

Depois do exercício que não dura mais do que alguns instantes, elevai-vos no abstrato, e depois de um certo tempo vos será possível passar conscientemente ao estado de sono, onde o outro Mundo vos acena. Estamos persuadidos de vos ter dado uma outra visão desse serviço bem conhecido do Estudante Rosacruz. Temos refletido muito tempo para saber se podíamos falar disso; os numerosos pedidos a esse respeito nos indicaram que o tempo era chegado.

Esperamos que compreendereis bem o que foi explicado acima; nós rogamos para que nossos Estudantes Rosacruzes possam rapidamente franquear a porta de ferro do Serviço diário para ir ao verdadeiro exercício da Noite que é de ouro. Assim vós transformareis o ferro em ouro e vos tornareis um alquimista da Rosacruz.

Exercício Matutino – Concentração

Em nosso artigo precedente nós vos demos esclarecimentos sobre o exercício Noturno.

Muitos Estudantes Rosacruzes que antes quebravam a cabeça para preencher o exercício da noite acham-se capacitados agora de se submeterem harmoniosamente ao plano estabelecido pelos Irmãos Maiores para nos auxiliarem em nossos esforços para atingir uma consciência mais elevada.

Esperamos poder vos auxiliar igualmente, submetendo-vos uma nova perspectiva sobre o exercício da Manhã.

Sabeis que o exercício da Noite, depois que o neófito atingiu a prática do serviço diário, é uma penitência para desenvolver uma mais alta vibração em certos órgãos do corpo físico. É a Glândula Pituitária que é mais especialmente atingida pelo exercício da Noite. O exercício da Manhã age por sua vez sobre a Glândula Pineal, excitando-a a mais elevadas vibrações.

Não há nenhuma razão em se abster de um dos exercícios e de crer conveniente realizar o outro. Um exercício feito sem o outro é perfeitamente inútil e mesmo prejudicial. Trata-se de um só exercício com dois aspectos. Uma metade é feita antes de dormir, a outra, depois. Trata-se de poder evadir-se conscientemente da chamada consciência de vigília para o inconsciente e de poder voltar conscientemente para poder em seguida, como bem vos parece, ir de um mundo a outro.

Antes de falar do segundo aspecto desse importante exercício mágico, nós chamamos novamente vossa atenção sobre o “serviço diário”. Reledes o que temos dito acima; economizaremos tempo.

Quando o Estudante Rosacruz vive verdadeiramente a vida e na mais elevada expressão da palavra, toda sua vida, suas idas e vindas, todas suas ações estarão em concordância com o Fim Essencial de toda existência humana e tudo o que ela deve atingir; e dessa maneira, todo pensamento se dirigirá para esse Ideal. Cada dia ele vê diante de si sua vocação crescer em natureza, com todas as consequências relativas.

Podeis, pois, facilmente imaginar que um tal Estudante Rosacruz não tem falta de assuntos de reflexão para seu exercício matinal, esse exercício baseando-se sobre a verdadeira vida. Não deve perder-se nas origens de um palito de fósforo, de um vestido ou de qualquer outro objeto empregado, pois quando vós aspirais à realidade do ato em todas as coisas o fato de ser pioneiro pode levar a situações grotescas nas quais nós podemos nos perder. Agora o método!

Depois da penitência consciente que levou o trabalho do fogo purificador ao Estudante Rosacruz, ele terá uma noite de atividade intensa, não obstante o Estudante Rosacruz novato não se lembrar de nada disto, a lembrança virá mais tarde.

Assim passam-se as horas da noite até o momento de despertar. Voltamos lentamente ao inconsciente na vida material. Cada um conhece esse estado passageiro. A vida que se aproxima traz-nos seus conflitos, suas necessidades e suas forças, em relação aos deveres diários; o Estudante Rosacruz experimenta fora dessa multidão de coisas que se defrontam o que se acha em relação com sua tarefa particular, sua vocação e é isso que ele estuda durante esses momentos encantadores que precedem o despertamento real. Resulta disso um movimento oscilatório, um movimento ritmado; um retorno ao sono depois a aproximação do despertar. Depois vê uma formidável visão sobre seu trabalho, sua tarefa, sua vocação; um transporte da verdadeira essência espiritual sobre a personalidade toda, inteira, um verdadeiro banho espiritual, um afastamento de fronteiras.

Qual é, pois, o resultado de tudo isso? A glândula pineal foi levada pelo processo descrito a uma atividade intensa. A ação radiante desse órgão se amplifica e ele vibra em uníssono e entra em contato com a ação radiante do corpo pituitário. É um turbilhão de forças agindo o fluxo e o refluxo: é uma união contínua devida a uma reação constante; de onde resulta segundo a perspectiva idealizada um alargamento de consciência.

É o que há de mais importante no exercício da manhã. Tenhais presentes nossas observações que nós resumimos abaixo.

Não deveis separar nunca o exercício da Manhã do da Noite. Colocai-vos na vida real e vosso exercício da Manhã se tornará igualmente uma pluralidade de realidades. Ele vos sustenta na vida e vos dá as mais altas possibilidades.

(Publicado na Revista ‘Serviço Rosacruz’ – mai-jun/88)

poradmin

A importância do Fósforo para Aspirante ansioso de se empregar em trabalhos mentais e espirituais

A importância do Fósforo para Aspirante ansioso de se empregar em trabalhos mentais e espirituais

Como lemos no livro O Conceito Rosacruz do Cosmos: “O cérebro, órgão coordenador que domina os movimentos do corpo e expressa as ideias, é constituído pelas mesmas substâncias que as demais partes do corpo, mas, além delas, tem o fósforo, peculiar somente ao cérebro.

Conclusão lógica a tirar: o fósforo é o alimento particular mediante o qual o Ego pode expressar pensamentos e influenciar o Corpo Denso. A quantidade desta substância é proporcional ao estado de consciência e ao grau de inteligência do indivíduo. Os idiotas têm muito pouco fósforo. Os profundos pensadores têm muito. No Reino Animal o grau de consciência e de inteligência está em proporção direta à quantidade de fósforo contida no cérebro.

Portanto, é de suma importância que o Aspirante ansioso de se empregar em trabalhos mentais e espirituais dê ao cérebro esta necessária substância.”

Apesar de pouco lembrado, ele é extremamente importante e tem um mecanismo delicado que precisa de um mínimo de atenção por parte dos veganos e vegetarianos.

Vamos ver para o que serve o fósforo: ingerir alimentos que são fontes de fósforo é importante porque assim você garante estrutura e força para ossos e dentes. O fósforo também compõe os ácidos nucleicos DNA e RNA, responsáveis pelo código genético e pela reprodução e reparação celular, e ainda faz parte da composição de muitas enzimas e hormônios. Ele participa do metabolismo de músculos, carboidratos e gorduras. Também equilibra o pH do sangue e é necessário para a produção de energia e o transporte de ácidos graxos (gorduras). Todas as células do corpo contêm o mineral, mas 85% dele você encontra depositado nos ossos e nos dentes.

Encontramos o fósforo na maioria dos vegetais (principalmente legumes, leguminosas, sementes, nozes e cereais integrais, mas também em verduras), frutas, quinoa, amaranto contém certa quantidade de fósforo. Maiores concentrações: uvas, cebolas, sálvia, feijões, abacaxi, alhos, e nas folhas e talos de muitos vegetais. Também no suco da cana de açúcar, mas não no açúcar refinado. A maior quantidade se encontra sempre nas folhas, geralmente desprezadas. Isso porque as plantas retiram o fósforo disponível no solo para fortalecer raízes, folhas e frutos.

O Corpo Denso de um adulto tem de 600 g a 900 g de fósforo: 85% presentes em ossos e dentes na forma de fosfato e o restante dividido entre tecidos e líquido extracelular. Quando você consome alimentos que são fontes de fósforo, entre 55% e 70% do mineral será absorvido no intestino. Em uma dieta vegetariana, essa porcentagem vale inclusive para o fósforo presente nos ovos (orgânicos) e leite (orgânico).

Para melhor absorvimento do fósforo o pH do  intestino tem que estar certo e saudável. Após a absorção, o fósforo cai na corrente sanguínea onde se junta ao cálcio, magnésio, sódio e às proteínas para chegar aos ossos, onde se deposita.

Deixar as leguminosas de molho na água por oito horas antes de cozinhar é fundamental para eliminar o fitato, um antinutriente que atrapalha a absorção do ferro, do cálcio e do zinco. Isso reduz o fitato, mas também o fósforo. Por isso que é importante uma alimentação baseada em vegetais. Entretanto, alguns alimentos, as bactérias intestinais e o levedo utilizado na fabricação de pães possuem a enzima fitase que decompõe o fósforo do fitato, sendo que esses alimentos e essas bactérias contribuem para tornar disponível certa quantidade de fósforo para absorção no trato gastrointestinal. Assim:cuide bem da flora intestinal e garanta um bom aporte de fósforo.

Além do mais, o fósforo melhora o desempenho físico porque ele faz um papel importante na produção de energia e atua na contração muscular, reduzindo a fadiga, quando você faz um esforço muscular muito grande.

Agora, como tudo, o excesso faz mal. Seu excesso no sangue é associado a maior risco de doença cardiovascular e mortalidade em pessoas com ou sem doença renal.

Seu excesso também prejudica a síntese da vitamina D e acelera o funcionamento da tireoide, que, por sua vez, pode atrapalhar a vida dos ossos, principalmente, se a ingestão de cálcio for inadequada.

Aparentemente as pessoas estão consumindo mais fósforo do que o necessário, porque aditivos fosfatos aparecem em alimentos industrializados e refrigerantes.

As deficiências do fósforo são raras, exceto em doenças que afetam a absorção do mineral, como diabetes, ou em casos extremos de fome total. Alguns sintomas de deficiência: perda de apetite, fraqueza muscular, fragilidade óssea, dormência nas extremidades, suscetibilidade a infecções e raquitismo em crianças.

Lembremos sempre que antiácidos contendo alumínio reduzem a absorção de fósforo na dieta pela formação de fosfato de alumínio, que o corpo é incapaz de absorver. Quando consumidos em altas doses, esses antiácidos podem produzir níveis muito baixos de fósforo no sangue, bem como agravar a deficiência do mineral. Também: redução da acidez estomacal, reposição hormonal em mulheres na pós-menopausa e doses excessivamente altas de forma ativa da vitamina D podem provocar uma diminuição dos níveis do fósforo no Corpo Denso.

Que as rosas floresçam em vossa cruz

poradmin

O Pecado e a Doença

O Pecado e a Doença

Geralmente, é considerada uma superstição grosseira quando alguém expressa seriamente a ideia de que a doença é o resultado do pecado, e quem faz tal afirmação corre o risco de ser ridicularizado fora dos tribunais. No entanto, se analisarmos o assunto com cuidado veremos que não é uma ideia tão absurda, pois o argumento científico não pode fugir do fato de que existe e deve haver uma inteligência superior que governa e guia o universo; além disso, que existem certas leis imutáveis ​​que preservam a ordem em todos os departamentos, e tudo, do simples micróbio até o ser humano, que está sob o domínio dessas leis. Se cairmos de uma janela do segundo andar, pecamos contra a lei da gravidade e a queda pode ocasionar ossos quebrados por causa de nossa descida muito rápida em direção ao solo; se colocarmos a mão no fogo, pecamos contra a lei da vibração e nossa mão é queimada devido à rapidez e à intensidade das correntes etéricas, e por esses pecados contra as leis da natureza, podemos sofrer por um bom tempo.

Casos bem definidos onde o pecado contra uma Lei da Natureza implica um sofrimento correspondente e são tão óbvios que, como regra geral, ninguém transgrida deliberadamente, temos muito cuidado em não cometer; contudo somos muito propensos a cometer pecados onde a penalidade não parece estar diretamente envolvida e de onde ganhamos, muitas vezes, das pessoas à nossa volta uma certa satisfação prazerosa – quando não de nós mesmos -, como é o caso da satisfação do apetite à mesa ou das paixões de natureza inferior. Todavia, “Embora os Moinhos de Deus moam devagar, eles moem muito bem”, e toda transgressão certamente trará sua justa penalidade, pois a escala da Justiça deve se equilibrar; não pode ser permanentemente pressionada de um jeito ou de outro. Enquanto não recuperamos o equilíbrio, sofremos pelos pecados que causam a depressão e, quando o equilíbrio é alcançado, os pecados são perdoados ou eliminados.

No entanto, embora a escala da justiça deva encontrar seu equilíbrio, seria uma ideia totalmente equivocada inferir que Deus ou a Natureza pretendem se vingar. Longe disso; assim que a lição foi aprendida e nos arrependemos e deixamos de pecar, estamos na condição propícia para que um mediador ou curador habilidoso no uso de forças ocultas possa intervir e nos salvar do sofrimento normalmente exigido para a expiação de nossos pecados, isto é, a dor que teríamos que sofrer durante o curso normal da natureza; e é exatamente isso que o Método de Cura da Rosacruz faz. Quando o Evangelho de Viver Correto, incorporado nos Ensinamentos Rosacruzes, foi assimilado pela pessoa que precisa de ajuda, a tal ponto que ela se declara pronta para se esforçar em viver sua vida em harmonia com as leis de Cristo e seguir Seus ensinamentos, ela se alinhou mentalmente com as Leis Universais da Saúde e pode ter os seus problemas resolvidos espiritualmente (que é a causa de tudo).

A Cura nem sempre pode ser milagrosa e instantânea, principalmente quando a doença é de longa duração, mas quando o transgressor da lei de Deus, ou da Natureza, ouve o Evangelho, ou a Boa Nova, e pede para ser curado de sua fraqueza, ele já está no caminho da recuperação.

(Publicado na Revista Rays From the Rose Cross – jan/1916 e traduzido pela Fraternidade Rosacruz – Campinas – SP)

poradmin

Saiba porque a oportunidade NÃO bate apenas uma vez na porta de uma pessoa

Saiba porque a oportunidade NÃO bate apenas uma vez na porta de uma pessoa

Quantas vezes ouvimos alguém dizer que está “deprimido” e diz: “Bem, eu tive minha oportunidade uma vez e a perdi”. Não há falácia maior do que a ideia de que “a oportunidade bate apenas uma vez na porta de uma pessoa”; e aqueles que estudam Astrologia Rosacruz devem estar, particularmente, conscientes desse fato. Pois mesmo que não haja outra ajuda no horóscopo, Júpiter dá uma volta em torno dos doze Signos uma vez a cada onze anos, e durante esse tempo ele encontrará e fará Aspectos benéficos com todos os Astros em nosso horóscopo.

Além disso, todos os anos aparecem as Lunações para frutificar, pelo menos, alguns dos Aspectos do seu horóscopo e trazer a sua vida chances de melhorar sua condição. Essas influências duram apenas um mês; entretanto, são fatores potentes na fertilização da semente da oportunidade, para que ela possa dar frutos em sua vida.

Se um Eclipse acontecer no seu horóscopo, em relação a qualquer um dos Astros benéficos ou vivificar qualquer um dos Aspectos benéficos de sua natividade, essa influência durará o ano todo e trará chances sucessivas. Tudo o que é necessário é estar vigilante e aproveitar a oportunidade assim que apareça, pois é como uma semente: a menos que você a plante no solo e a cultive, ela não crescerá.

Então, pare de reclamar! Observe o que há de bom no seu horóscopo e faça o melhor uso possível. Você nasceu para vencer.

Aqui está um bom poema sobre “Oportunidade”, de Walter Malone.

Ofendem-me os que dizem que não voltarei,

Porque bati à tua porta e não te encontrei;

Porque todas as noites permaneço à tua porta,

E ordeno que despertes e te ergas para lutar e vencer.

Não chores pelas preciosas chances que passaram;

Não chores pela idade de ouro que se foi;

Todas as noites queimo o registro do dia;

Ao erguer do sol, todas as almas nascem de novo.

Ri como um menino aos esplendores que passaram.

Às alegrias que se esvaíram, sê surdo e mudo.

O meu julgamento sela o passado que morreu,

Mas nunca prende um momento ainda por vir.

Mesmo afundado na lama, não torças as mãos nem chores.

Dou o meu braço a todos os que dizem: “Eu posso! ”

Nenhum pária algum dia caiu tão baixo

Que não pudesse erguer-se e ser uma pessoa novamente!

(Publicado na Revista: ‘Rays from the Rose Cross’- 11/1915 e traduzido pela Fraternidade Rosacruz em Campinas – SP – Brasil)

poradmin

O Eco que Filipe ouviu

O Eco que Filipe ouviu

Filipe ficou alegre quando seus pais se mudaram para a fazenda. Um belo dia, estando ali brincando no campo, exclamou com toda a força dos pulmões:

“Hurra! Hurra!” Ouviu em seguida, num mato próximo, uma voz exclamando também: “Hurra! Hurra!”.

O menino assustou-se muito. Gritou logo: “Quem é você?” A voz desconhecida replicou: “Quem é você?” Irritado, tornou: “Você é louco!” “Você é louco!”, ressoou o mato.

Então Filipe ficou mais zangado ainda, e com mais força começou a dirigir insultos ao mato, os quais foram todos fielmente repetidos pelo eco.

Afinal o homenzinho foi ao mato à procura do imaginado menino, mas naturalmente a ninguém pôde encontrar.

Enfurecido, Filipe correu para casa, e queixou-se à mamãe do menino malcriado, que se havia escondido no mato, dirigindo-lhe toda sorte de nomes feios, muito feios!

Respondeu-lhe a mãe: “Dessa vez, meu filho, você se enganou muito porque se acusou a si mesmo como menino tão mau. Você não ouviu nada mais que suas próprias palavras. Assim como tem visto muitas vezes o seu rosto refletido na água, também agora ouviu somente o eco de sua voz. Se tivesse falado de maneira agradável, filhinho querido, essas mesmas palavras lhe teriam sido repetidas.”

Filipe sentiu-se muito envergonhado por essas palavras de sua mãe, e saiu correndo de casa, até chegar perto ao mato. Começou logo a proferir palavras amáveis, as quais foram devolvidas fielmente pelo eco, como antes o foram os nomes feios. Convencido da verdade que lhe contara a mãe, o rapazinho pôs-se agora muito satisfeito.

É sempre o mesmo; o que nós pensamos ser mal no comportamento de outras pessoas é muitas vezes só o eco ou a repetição de nossas próprias ações.

Se tratarmos amavelmente a todas as pessoas (e também aos animais), seremos tratados de modo igual; mas se formos rudes e grosseiros, não poderemos esperar coisa melhor em troco, como recompensa de nosso comportamento reprovável.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de janeiro/1967)

poradmin

Qual é o processo que leva à consciência da quarta dimensão e tem a ver com os três canais semicirculares no ouvido?

Pergunta: No Conceito Rosacruz do Cosmos, Capítulo III — subtítulo O Segundo Céu -, consta que a faculdade de percepção do espaço está ligada ao delicado ajustamento dos três canais semicirculares no ouvido, apontando nas três dimensões do espaço. O pensamento lógico e a capacidade matemática estão em proporção da precisão do seu ajustamento.

Parece que a percepção da quarta dimensão foi alcançada por matemáticos de nível muito superior. Poderiam dizer-me se há alguma mudança na disposição desses canais semicirculares, ou qual é o processo que leva à consciência da quarta dimensão?

Parece também que os espíritos da natureza e os elementais possuem esta consciência da quarta dimensão, o que representa um grau de consciência mais elevado daquele que temos agora, e isso se aplica possivelmente à abelha ou aos cavalos Elberfeld[1]. Poderiam indicar o elo perdido? O que torna o ser humano ou a humanidade superior a esses seres, e qual é a disposição desses canais semicirculares no caso das abelhas e desses cavalos talentosos?

Resposta: Para a maioria da humanidade, os algarismos são excessivamente tediosos, pois estamos acostumados a viver uma vida externa entre outras pessoas e amigos, com os quais expressamos os nossos desejos, sensações e emoções. Quanto mais esses sentimentos são intensos, mais interessantes achamos a vida. Por outro lado, coisas que não causam qualquer emoção são tidas como monótonas e desinteressantes. Por essa razão, a maioria não é atraída pela matemática ou por qualquer outra coisa que aguce a Mente sem que, ao mesmo tempo, desperte a natureza emocional.

Sabemos que Deus geometriza, que todos os processos da natureza estão estruturados sobre cálculos sistemáticos que provam a existência de uma Inteligência Superior. Quando Deus, o grande Arquiteto do Universo, construiu o mundo todo sobre linhas matemáticas, podemos concluir que, consciente ou inconscientemente, o matemático está alcançando uma direção em que finalmente ver-se-á face a face com Deus, e isso, por si mesmo, mostra uma expansão de consciência. Se considerarmos que cada um dos canais semicirculares é realmente um nível supersensível do espírito — ajustado de maneira a indicar à nossa consciência o movimento do nosso corpo através do comprimento, largura ou profundidade do espaço — podemos facilmente entender que o seu presente ajuste é necessário para a percepção do espaço. Se esses canais são bem ajustados, a percepção da pessoa é perfeita e, se ela empreender o estudo da matemática, as suas teorias estarão em concordância com o que ela vê no mundo como fatos reais. Em algumas Mentes elevadas, isso gera um verdadeiro amor pelos algarismos, o que se torna um fator de descanso para essas pessoas, ao invés de serem uma fonte de cansaço como o são para a maioria. O amor pelos algarismos pode despertar nelas as faculdades espirituais latentes, mas não através de qualquer mudança nos canais semicirculares. Esses são estruturas ósseas e não mudam facilmente durante o período de nossa vida. No entanto, não há dúvida que aquele que possuir gosto pela música ou pela matemática irá construir esses canais mais acuradamente no Segundo Céu, no período compreendido entre a morte e um novo nascimento.

Quanto à consciência dos elementais ou dos espíritos da natureza, realmente eles possuem o que pode ser chamado consciência da quarta dimensão. Além da altura, largura e comprimento, que são as dimensões do espaço no mundo físico, há o que denominamos “interpenetração” nos Éteres. Com a visão etérica podemos ver dentro de uma montanha e, se tivermos um Corpo Vital como possuem os espíritos da natureza, podemos atravessar a mais dura rocha de granito. Esse não oferecerá qualquer obstáculo, da mesma forma que o ar não impede a nossa marcha aqui, embora, muitas vezes, sejamos perturbados pelos ventos. Contudo, mesmo entre os espíritos da natureza há diferentes entidades e uma correspondente variação de consciência.

Os corpos dos Gnomos são feitos principalmente do Éter Químico, portanto, são do solo da terra. Ninguém os vê voando como voam as Sílfides. Eles podem ser queimados no fogo e envelhecem de maneira não muito diferente da dos seres humanos.

As Ondinas que vivem na água e as Sílfides no ar são também mortais, mas sendo os seus corpos compostos, respectivamente, dos Éteres de Vida e Luminoso, têm uma longevidade maior. Acredita-se que os Gnomos não vivam mais do que algumas centenas de anos, as Ondinas e as Sílfides milhares de anos, e as salamandras, cujos corpos são feitos principalmente do quarto Éter, viveriam muitos milhares de anos. Contudo, a consciência que constrói e anima esses corpos pertence a várias Hierarquias Divinas que, dessa maneira, adquirem experiência adicional, e as formas, que foram construídas de matéria e depois animadas, atingiram um grau de autoconsciência durante essas longas existências. Eles percebem sua própria existência transitória, e é devido à sua rebeldia contra esse estado de coisas, que a guerra dos elementos, principalmente as do fogo, do ar e da água é travada. Julgando que são mantidos em cativeiro, procuram libertar-se das amarras pela força, mas, não possuindo nenhum estilo de direção, investem furiosamente de uma maneira destrutiva que resulta muitas vezes em grandes catástrofes.

A consciência dos Gnomos é vagarosa demais para tomarem a iniciativa, mas eles tornam-se frequentemente cúmplices dos outros espíritos da natureza ao abrir passagens que favorecem explosões na rocha. No entanto, isso não tem nenhuma ligação com os cavalos Elberfeld ou com outros animais prodígios. Esses são os pupilos dos seus respectivos Espíritos-Grupo, e é provável que seja a última vez que renasçam numa forma animal.

Quando isso acontece, tais Espíritos são relegados ao Caos, onde devem esperar durante a Noite Cósmica por seus irmãos menos dotados até a época em que lhes será possível iniciar a sua evolução humana no Período de Júpiter.

(Perg. 65 do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Vol. II – Max Heindel – Fraternidade Rosacruz SP)

[1] N.R.: Os célebres cavalos Muhamed e Zarif deixaram a sociedade parisiense atônita no início do século XX, quando através de um alfabeto convencional conversavam com o seu dono, rico comerciante de Elberfeld, distrito de Wuppertal, na Alemanha; além de executarem difíceis cálculos matemáticos, inclusive raízes quadradas e cúbicas.

poradmin

Max Heindel e a Grandiosidade da Sua Obra

Max Heindel e a Grandiosidade da Sua Obra

Toda e qualquer atividade sempre apresenta certos aspectos que se constituem em requisitos fundamentais para que seja executada com perfeição. Assim, para comprovar tal afirmativa vamos apresentar um exemplo ilustrativo. Um homicídio é cometido em um ponto qualquer da cidade. É óbvio que os primeiros movimentos em torno do caso partem das autoridades policiais, as quais após efetuarem as diligências costumeiras, descobrem o autor do crime e o detêm. Logo em seguida entram em ação os repórteres, pois um fato dessa natureza, invariavelmente, será publicado nos jornais, no dia subsequente àquele em que ocorreu. É lógico que o público tomará conhecimento da ocorrência conforme a exatidão, clareza, precisão e fidelidade com que for narrada. Indiscutivelmente, esses fatores pesam de maneira decisiva na elaboração de qualquer reportagem, porém, esta só poderia adquirir algo substancioso ou apresentar um conjunto harmônico, caso viesse a se estruturar na resposta às seguintes perguntas: Quem cometeu o crime? Quando? Onde? Como? Por quê? Este “por quê?” assume uma importância capital na análise da questão, pois, como todo efeito é gerado por uma causa, respondendo-se à tal pergunta, inevitavelmente atinge-se o cerne do acontecimento.

No campo espiritual a situação se nos depara em circunstâncias mais ou menos análogas, pois somente o conhecimento das causas, e dos efeitos decorrentes delas, é que pode levar o ser humano à solução de diversos problemas e do grande enigma que se resume nestas três indagações: donde viemos? Quem somos? Para onde vamos?

Atualmente a nau da humanidade singra um mar revolto, encapelado pelas ondas do materialismo e de doutrinas que, embora revestidas de belos princípios morais, ainda não demonstraram a seus seguidores que eles possuem dentro de si uma essência divina. Sim, o ser humano é espírito, mas já se convenceu inteiramente disso?

Felizmente, para contrabalançar esse estado de coisas, existem os movimentos impulsionados por comunidades espiritualistas-filosóficas no mais elevado sentido do termo, as quais procuram despertar, emancipar, esclarecer, mostrando ao ser humano o maravilhoso caminho da evolução, sua ascendência em espiral, os diversos veículos através dos quais o Ego se manifesta, os diversos mundos interpenetrando-se, proporcionando um apreciável estudo de Cosmogênese e Antropogênese, analisando os mais intrincados problemas que a humanidade encontra pela frente.

Sem querer expressar qualquer julgamento que se constitua em demérito aos demais movimentos filosóficos, colocamos a Fraternidade Rosacruz na vanguarda do neo-espiritualismo, porque embora as outras organizações lutem por um ideal semelhante, esse será alcançado com mais segurança por meio dos métodos rosacruzes, que diferem dos outros métodos num ponto básico: emancipam espiritualmente o estudante.

Além disso, a Filosofia Rosacruz concilia as exigências da razão com os ditames do coração, por meio de preceitos lógicos, simultaneamente científicos e devocionais.

Num mundo como o de hoje, onde ciência e religião permanecem divorciadas, muitos podem julgar que o ideal Rosacruz constitua mera utopia.

Aos que hesitam em acreditar na veracidade de tão maravilhosos preceitos, recomendamos que leiam a obra básica da filosofia Rosacruz: O Conceito Rosacruz do Cosmos, de Max Heindel.

Mas, quando principiarem a leitura, dispam-se de todo juízo prematuro, abandonem quaisquer rasgos de unilateralismo e, ao penetrarem na essência de cada tópico, poderão constatar realmente que essa obra se fundamenta no conhecimento. Não foi o resultado de vãs divagações ou simples pretensão de se lançar ao mundo mais um ramo filosófico, entre tantos já existentes. Não foi um livro escrito para ser lido como outro qualquer, porque a profundidade encerrada em suas linhas denota um trabalho meticuloso, consciencioso e repleto de amorosidade. Qualquer ser humano, possuidor de pelo menos uma inteligência mediana, logo verificará que o Conceito Rosacruz do Cosmos não é uma obra dogmática, mas respeita a sagrada liberdade que cada um tem de aceitar ou não uma proposição conforme o que decide a consciência.

O autor teve o especial cuidado de, ao iniciar a obra, tecer considerações alusivas às possíveis interpretações dos conceitos emitidos, pois o entendimento errôneo por parte de alguns ou uma distorção maldosa por parte de outros poderiam suscitar uma ideia de infalibilidade na exposição efetuada sobre diversos temas. Porém, Max Heindel ressaltou sobremaneira tal fato, afirmando que, dizer-se que a referida exposição fosse infalível seria o mesmo que lhe atribuir onisciência, quando até os seres mais elevados às vezes se enganam nos juízos que fazem. O Conceito Rosacruz do Cosmos encerra apenas a compreensão do autor sobre os ensinamentos Rosacruzes, sobre o mistério do mundo, revigoradas por suas investigações pessoais nos mundos internos e sobre os estados antenatal e post-mortem do ser humano, concluindo por afirmar que não considera tal obra como sendo o alfa e o ômega, o último conhecimento oculto. Isso é prova fatal de que o autor não possuía nenhum outro interesse a não ser prestar um serviço digno ao gênero humano.

A leitura pausada de cada tópico tratado no O Conceito Rosacruz do Cosmos, acompanhada de profunda meditação, faz-nos concluir que essa notável obra é verdadeiramente um “alimento sólido”. Aqueles que procuram a luz, encontrá-la-ão no O Conceito Rosacruz do Cosmos, pois a necessidade premente de cada ser humano é de olhos para ver o esplendor que realmente existe.

Muitos podem objetar — apesar de todos os prós encontrados a favor de Max Heindel: quem nos pode proporcionar uma garantia definitiva da fidelidade dos relatos contidos no livro e das intenções íntimas do autor?

A esses responderemos aconselhando que estudem a biografia de Max Heindel. Ele nos deixou, como aval de sua magnífica obra, uma vida repleta de lutas, dificuldades, sofrimentos, estudos, pesquisas incessantes, e um coração transbordante de amor, coroando a modéstia que o caracterizava. Somente um homem assim, dotado de extraordinária envergadura espiritual, poderia suportar e vencer provas tão difíceis, que facilmente aniquilariam o indivíduo comum, pois, a vulgar tentativa de se alcançar uma glória perecível ou uma projeção egoísta, fatalmente ocasionaria a inexorável derrota ante os sérios obstáculos impostos pela própria vida. Daí concluirmos que unicamente um ideal impulsionou Max Heindel a encetar essa gigantesca obra: servir a humanidade.

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de janeiro/1967)