cabeçalho4.fw

Cuidados para a alimentação do geronte (nós, quando idosos)

Cuidados para a alimentação do geronte (nós, quando idosos)

Primeiro - A debilidade do aparelho digestivo nos idosos é uma realidade, bem como a sua menor capacidade de absorção.

Segundo - Os componentes dos alimentos não devem ser ricos em celulose, fibras de vegetais, que não são facilmente absorvidos. É aconselhável não abusar de alimentos que propiciam a formação de gases intestinais.

Terceiro - O volume das refeições deve ser diminuto, evitando o empanzinamento do aparelho digestivo.

Quarto - Cautela com o uso de gorduras: estas devem figurar nos cardápios apenas em doses mínimas; porque retardam à digestão, preferindo-se o uso de gorduras de origem vegetal, porque, segundo dizem consagradas autoridades. Elas podem provocar o aumento do colesterol, predispondo à arteriosclerose.

Quinto - O idoso deve dar a máxima importância ao uso de sais minerais e vitaminas que devem ser naturais.

Sexto – Cautela com o uso e abuso do sal. Esse condimento em doses altas pode provocar edemas, inchações e até a hipertensão arterial.

Sétimo - O uso do leite, ovos, feijão e queijo devem ser reduzidos; portanto, de consumo moderado.
Para garantir a longevidade sadia é preciso não ser glutão, não comer demais.

Oitavo - O idoso não deverá de forma alguma ficar inativo. Nada de ser preguiçoso, devendo, portanto, movimentar-se de acordo com a idade.

Nono - Se o idoso não adotar essas medidas, pode ocorrer o aparecimento da obesidade. E a obesidade do idoso é uma condição que predispõe a várias doenças próprias da velhice, como sejam: arteriosclerose, hipertensão, enfermidades hepáticas, doenças do coração, etc.

A principal regra da alimentação do idoso consiste na temperança e frugalidade.

Não sigam a norma prussiana: de manhã comer como um rei, almoçar como um príncipe e jantar como um mendigo.

Prudência, cuidado e cautela com as refeições copiosas no último estágio da vida.

 

(Cozinha Vegetariana)