cabeçalho4.fw

Ritual do Serviço Devocional - O SERVIÇO DO TEMPLO - diariamente

FRATERNIDADE ROSACRUZ

Ritual do Serviço Devocional

  1. Um membro, de preferência de sexo oposto ao do orador, convida os presentes a cantarem, de pé, o Hino Rosacruz de Abertura e, após, o Hino Astrológico do mês.
  2. O Leitor ilumina e descobre o Símbolo Rosacruz e apaga as luzes, exceto a que o ilumina e auxilia na leitura.
  3. Em seguida lê em voz alta e suave

 

O SERVIÇO DO TEMPLO

 

Queridos irmãos e irmãs:

Mais uma vez nos retiramos do mundo material para entrar no Templo Vivo de nossa natureza interna, em união espiritual. Como símbolo desta retirada do mundo visível, escurecemos o nosso local de reunião.

Estamos procurando a Luz Espiritual por meio dos Ensinamentos Rosacruzes; portanto, fixemos reverentemente o Símbolo da Cruz e das Rosas, enquanto ouvimos a saudação Rosacruz:

Queridos irmãos e irmãs:

(Fixe o olhar no Símbolo)

“QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ”

(Todos respondem: E na vossa também)

(Todos sentam, menos o oficiante)

Um só carvão não produz fogo, mas quando se juntam vários carvões, o calor latente em cada um deles pode converter-se em chama, irradiando luz e calor. De acordo com esta mesma Lei da Natureza, aqui estamos reunidos, irmanados pelas nossas aspirações espirituais para podermos acender e manter viva a chama da verdadeira Comunhão Espiritual, que é o bálsamo de Gileade, a única panaceia para os males do mundo.

A Bíblia foi dada ao Mundo Ocidental pelos Anjos do Destino que, estando acima de todos os erros, dão a cada um e a todos exatamente o que necessitam para o seu desenvolvimento. Por conseguinte, se procurarmos a Luz, encontrá-la-emos na Bíblia.

Leiamos alguns parágrafos da primeira Epístola de João e também das Cartas de Paulo aos Coríntios e Filipenses, cujo tema é a fraternidade.

“Deus é Luz. Se andamos na luz, como Ele na luz está, seremos fraternais uns com os outros. Aquele que ama a seu Irmão está na luz, mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas e não sabe por onde caminha, porque as trevas lhe cegaram os olhos.

Não amemos de PALAVRA, nem de LÍNGUA, mas por OBRAS e em VERDADE, pois, ainda que eu fale as línguas dos homens e dos Anjos, se não tiver AMOR, serei como o metal que soa, ou como o sino que tine. Ainda que eu tenha o dom da profecia e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de remover montanhas, se não tiver AMOR nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres, e ainda que entregue o meu corpo para ser queimado, se não tiver AMOR nada disso me aproveitará. O amor é paciente, é benigno; o amor não é invejoso, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não busca os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a Verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor nunca falha, mas se houver profecias, falharão; se houver ciência, desaparecerá; porque em parte conhecemos e em parte profetizamos. Quando, porém, vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado.

Porque agora vemos como por espelho, obscuramente, então veremos face a face. Agora conhecemos em parte, então conheceremos como também somos conhecidos. Agora pois, permanecem a Fé, a Esperança e o Amor, porém, a maior destas virtudes é o Amor.

Se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós e em nós é perfeito o seu Amor. Deus é Amor; e quem vive em Amor está em Deus e Deus nele; mas se alguém diz: ‘Eu Amo a Deus’, e odeia a seu irmão é mentiroso, pois quem não ama a seu irmão a quem vê como pode amar a Deus, a quem não vê? Nós temos d'Ele este mandamento: quem ama a Deus, ame, também, a seu irmão.

Portanto, se há alguma consolação em Cristo, se algum conforto no amor, se alguma Comunhão Espiritual não atente cada um para o que é propriamente seu, mas também para o que é dos outros. Haja, pois, em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo-Jesus, O qual, tendo a natureza de Deus, não julgou que fosse uma usurpação ser igual a Deus; no entanto aniquilou-se a Si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-Se semelhante ao homem.

E achando-se na condição de homem, humilhou-se a Si mesmo, tornando-se obediente até à morte, e morte na Cruz. Pelo que também, Deus O exaltou soberanamente e Lhe deu um nome que está acima de todo o nome, para que ao nome de Cristo-Jesus se dobre todo o joelho, e toda a língua confesse que Cristo-Jesus é o Senhor para a glória de Deus Pai”.

Queridos irmãos e irmãs:

Esforcemo-nos por seguir o exemplo de Cristo e viver a definição que Ele deu de GRANDEZA, isto é: “Aquele que quiser ser o maior entre vós, seja o SERVO de todos”.

O SERVIÇO amoroso e desinteressado para com os outros é o caminho mais curto, mais seguro e o mais agradável que nos conduz a Deus. O reconhecimento da unidade fundamental de cada um de nós com todos, a Comunhão Espiritual, é a realização de Deus. Para atingirmos essa realização esforcemo-nos por esquecer, diariamente, os defeitos dos nossos irmãos e procuremos servir a divina essência neles oculta, o que constitui a base da Fraternidade.

Entremos, agora, em silêncio e, por alguns instantes, concentremo-nos sobre o SERVIÇO.

(em torno de 5 minutos)

4. Depois da concentração, ler a Oração Rosacruz:

 

ORAÇÃO ROSACRUZ

Não Te pedimos mais luz, ó Deus, senão olhos para ver a luz que já existe;

não Te pedimos canções mais doces, senão ouvidos para ouvir as presentes melodias;

não Te pedimos mais força, senão o modo de usar o poder que já possuímos;

não mais Amor, senão habilidade  para transformar a cólera em ternura;

não mais alegria, senão como sentir mais próxima essa inefável presença, para dar aos outros tudo o que já temos de entusiasmo e de coragem;

não Te pedimos mais dons, amado Deus, mas apenas senso para perceber e melhor usar os dons preciosos que já recebemos de Ti.

Faze que dominemos todos os temores;

que conheçamos todas as santas alegrias;

para que sejamos os Amigos que desejamos ser;

para transmitir a Verdade que conhecemos;

para que amemos a pureza;

para que busquemos o Bem.

E, com todo o nosso poder, possamos elevar todas as Almas, a fim de que vivam em harmonia e na luz de uma perfeita Liberdade.

 

5. Fechar a cortina do Símbolo; acender as luzes e convidar os presentes a cantarem, de pé, o Hino Rosacruz de Encerramento.

6. Em seguida, proferir a admoestação:

 

E agora, queridos irmãos e irmãs, que vamos partir de volta ao mundo material levemos a firme resolução de expressar, em nossas vidas diárias, os elevados ideais de espiritualidade que aqui recebemos, para que, dia a dia, nos tornemos melhores homens e mulheres e mais dignos de sermos utilizados como colaboradores conscientes na obra benfeitora dos Irmãos Maiores, a serviço da humanidade.

 

“QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ”

 

7. Apagar a luz do Templo.

(todos devem se retirar do Templo em silêncio).