cabeçalho4.fw

Ritual do Serviço Devocional - O SERVIÇO DE CURA

NOTA: Semanalmente, quando a Lua ingressar em Signo Cardeal: Áries, Câncer, Libra, Capricórnio, ao invés do Serviço do Templo, devemos fazer este aqui abaixo: o Ritual do Serviço Devocional - "O Serviço de Cura".

Para verificar quais são esses dias, clique aqui: Datas para realizar o Serviço de Cura.

 

 

 

FRATERNIDADE ROSACRUZ
Ritual do Serviço Devocional

 

1. Um membro, de preferência de sexo oposto ao do orador, convida os presentes a cantarem, de pé, o Hino Rosacruz de Abertura e, após, o Hino Astrológico do Mês.

2. O Leitor ilumina e descobre o Símbolo Rosacruz e apaga as luzes, exceto a que o ilumina e auxilia na leitura.

3. Em seguida lê em voz alta e suave:

 

O SERVIÇO DE CURA

 

Queridas irmãs e irmãos: (Fixa o Símbolo)

 

"QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ"

 

(Todos respondem: E na vossa também)

(Todos sentam menos o oficiante)

 

Aqui nos reunimos semanalmente, com o propósito de dar cumprimento ao segundo mandamento de Cristo: curar os enfermos. Um só carvão não produz fogo, mas, quando se juntam vários carvões, o calor latente em cada um deles, pode converter-se em chama, irradiando luz e calor. De acordo com esta mesma Lei da Natureza, neste momento, unimos nossas aspirações espirituais, esforçando-nos por gerar pensamentos de auxílio e de cura, e concentrá-los em uma única direção – Os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz – para que os utilizem no seu benéfico Serviço em prol da humanidade.

Se desejamos ser verdadeiros auxiliares no trabalho iniciado pelos Irmãos Maiores, devemos converter nossos corpos em instrumentos adequados e purificá-los por meio de uma vida pura, pois num vaso sujo não pode haver água pura e saudável, nem pode uma lente manchada dar uma imagem nítida. Também, não é possível irradiarmos uma força curadora pura e forte, se não mantivermos limpos e puros os nossos corpos e as nossas mentes.

É um privilégio estarmos aqui no meio de todos estes pensamentos de amor e de prece, e oferecermo-nos como canais, para receber e libertar a força curadora que provém diretamente do Pai. Mas antes que essa força possa ser transmitida, deverá ser gerada; e para fazê-lo devemos conhecer o método mais adequado. Não é suficiente sabermos de modo vago que existem no mundo a doença e o sofrimento, nem que façamos uma ideia, também vaga, de auxílio, para aliviar esse sofrimento, seja ele físico ou mental. Devemos fazer algo definido para atingir nosso objetivo. A enfermidade, bem o sabemos, é realmente um fogo, o invisível fogo que é o Pai tentando dissolver as cristalizações que acumulamos em nossos corpos. Reconhecemos a febre como sendo um fogo, mas os tumores, como o câncer e outras doenças, são, também, em realidade, o efeito desse fogo invisível, que tenta purificar o organismo e libertá-lo das condições que criamos ao transgredir as Leis da Natureza.

Este mesmo poder que está procurando, lentamente, purificar o corpo, pode ser aumentado em alto grau, pela concentração adequada, o que é realmente uma prece, desde que tenhamos as condições apropriadas.
Para ilustrar essas condições tomaremos como exemplo a tromba marinha. Talvez nenhum de nós tenha presenciado este fenômeno da natureza, que, embora maravilhoso, inspira pavor. Em geral, quando ele ocorre, o céu parece aproximar-se da água; há, no ar, um tenso estado de concentração. Gradualmente, um ponto do céu desce até à superfície das águas e as ondas, em certa extensão, parecem saltar para cima, até que ambos, céu e mar, unem-se formando um redemoinho de voragem vertiginosa.

Algo semelhante ocorre quando uma pessoa, ou um grupo de pessoas, está em prece fervorosa. Se alguém se absorve numa intensa súplica a um poder superior, sua aura parece afunilar-se em forma muito semelhante à parte inferior da tromba marinha. Essa forma eleva-se no espaço a grande distância, e, sintonizando-se com as vibrações do Cristo, do Mundo Interplanetário do Espírito de Vida, atrai para si uma Força Divina que penetra na pessoa ou no grupo de pessoas e vivifica o pensamento-forma que elas criaram. Desse modo, o fim pelo qual se reuniram, será atingido.

Mas gravemos bem em nossas mentes que esse processo de orar ou de concentrar, não é um frio processo intelectual. É PRECISO HAVER UM GRAU ADEQUADO DE SENTIMENTO PARA ATINGIR O FIM DESEJADO, POIS, SE NÃO ESTIVER PRESENTE ESTA INTENSIDADE DE SENTIMENTO, O OBJETIVO NÃO SERÁ ALCANÇADO. Este é o segredo de todas as preces milagrosas que a história registra: a pessoa que orava, fazia-o sempre com INTENSO FERVOR; todo o seu ser se submergia no desejo de obter aquilo por que orava e, dessa forma, elevava-se aos reinos divinos, trazendo de volta a resposta do Pai.

Concentremo-nos, agora, sobre o Símbolo Rosacruz que temos em frente: a rosa branca e pura é o símbolo do coração do Auxiliar Invisível; as rosas vermelhas representam seu purificado sangue; a cruz branca, lembra-nos seu corpo; e a estrela dourada simboliza o Dourado Manto Nupcial, tecido através de uma vida pura.

Libertemos a Força Curadora por nossas preces ao Pai, o Grande Médico, a fim de socorrer a todos aqueles que nos solicitaram ajuda e também aos outros que não puderam fazê-lo. Ponhamos toda a intensidade possível de sentimento nesta prece, para que possamos, realmente, formar um canal que trará até nós a Divina Força do Pai. Todavia, há um grande perigo se fizermos mau uso desse maravilhoso poder; portanto, façamos sempre nossas súplicas em favor dos outros, acrescentando estas palavras de Cristo: "Pai, Faça-se a Tua Vontade e não a minha".

Concentremo-nos, agora, por alguns minutos, sobre a Cura.

 

(em torno de 5 minutos)

 

4. Se houver orador:

• Depois da concentração, recobre o Símbolo, acende as luzes e anuncia o orador da reunião;

• Terminada a conferência, o oficiante convida os presentes a cantarem, de pé, a última estrofe e o refrão do

Hino Rosacruz de Encerramento:

 

5. Se não houver orador:

• O oficiante acende as Luzes, recobre e apaga a luz que ilumina o Símbolo e convida os presentes a cantarem, de pé, a última estrofe e o refrão do Hino Rosacruz de Encerramento:

 

Deus te guarde até retornar;
faze a vida virtuosa;
no ideal da Cruz de Rosas,
até quando a voltes a saudar.
Até outro dia, até outro dia;
para a Cruz de Rosas saudar.
Até outro dia, até outro dia;
Deus te guarde até retornar.

 

5. Em seguida, profere a seguinte exortação:

 

Agora deixemos a Força Curadora libertada, com Cristo e os Auxiliares Invisíveis, para que a utilizem onde mais se fizer necessária.

 

QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ