cabeçalho4.fw

Leão: A Luz Brilhante - Palavra Chave: Lealdade

A LUZ BRILHANTE

PALAVRA CHAVE: Lealdade

As suaves brisas de verão acariciavam docemente as folhas das árvores e o brilho do luar tornava tudo atraente e fascinante. Décio e Rosália tiveram um dia tão feliz com o avô, no bosque que ficava na encosta da montanha, que voltaram para casa um pouco relutantes, pois queriam ficar ao ar livre, que era tão gostoso. Desejaram boa noite ao vovô e partiram. Quando Décio deitou-se na sua cama confortável, pareceu-lhe estar ainda ao ar livre, o que era muito agradável. Estava cansado e com sono, mas cheio de lembranças de um dia feliz. O avô era tão sábio – um homem maravilhoso! Ele parecia que sabia tudo. Tinha contado às crianças histórias muito bonitas sobre valentes cavaleiros, príncipes leais, princesas bondosas e nobres rainhas.

Décio, imerso nessas histórias fascinantes, pareceu ouvir de repente uma voz. Que era aquilo? Tinha a certeza que ouvira seu nome ser chamado: "Décio! Oh, Décio!".

Levantou-se rapidamente e seguiu a voz através de um caminho acidentado na montanha, curvando-se por entre árvores lindas e enormes, o chão estava coberto por vegetação delicada, onde duendes e gnomos podiam brincar. Oh, como tudo aquilo era lindo à luz do luar! Ouviu novamente a voz e assim ele andou mais depressa.

A montanha parecia mais bonita à noite do que durante o dia. Ele parou para olhar a lua e as estrelas. Ia justamente sentar-se no toco de uma árvore, quando pensou ter visto um gnomo entrando nesse mesmo toco. Então, ouviu seu nome ser chamado outra vez. Olhou tudo ao seu redor e não viu ninguém. No entanto, para sua surpresa, viu uma cabaninha bem no topo da montanha. Deve haver lá alguém chamando por mim, ele pensou. Mas ele nunca vira aquela cabana antes, embora muitas vezes já a tivesse escalado com seu pai.

- Há uma brilhante luz na cabana, então alguém deve morar lá, ele pensou consigo mesmo. Deve ser o Homem da Montanha sobre o qual Elf-kin me falou. Ele é amigo das árvores, das samambaias, dos pássaros e de todas as coisas e pessoas dos bosques. Talvez ele queira que uma tarefa seja feita. Acho melhor ir até lá ver.

Aí a voz suave disse:

- É um longo caminho para cima, para um garoto ir sozinho.

Outra vozinha perguntou:

- Você está com medo de ir sozinho pelos bosques escuros?

E outra voz acrescentou:

- É melhor voltar agora.

Mas Décio tinha aprendido a ser corajoso, a não ter medo, a ser persistente e a acabar sempre tudo o que começava. Então, endireitou-se e apressou o passo para ver quem morava na cabana. Foi uma subida dura e longa. Ele sentiu-se realmente sozinho, mas continuou. Lembrou-se muito dos Pensamentos Secretos e isso o ajudou bastante a seguir. Seus pensamentos secretos eram bons: queria ser corajoso e ajudar o Homem da Montanha, se ele precisasse de ajuda.

Exatamente naquele instante ouviu o que parecia ser um grito de dor, bem próximo dele. Olhou para baixo e viu um menino, quase do seu tamanho, deitado no chão, gemendo.

- Por favor, ajude-me, exclamou o pequeno desconhecido.

Décio curvou-se, pôs os braços ao redor do menino tentando fazê-lo ficar de pé, mas nada conseguiu, pois o garoto havia torcido o tornozelo. Dick pensou na cabana. Podia levar o rapaz até lá, pois ele era forte, embora o caminho fosse íngreme e já estivesse escuro. Parou por um minuto e determinou:

- Tenho que ajudar este menino e serei corajoso.

Olhou novamente em direção à cabana para medir a distância. Por estranho que pareça, não achou tão escuro assim e, enquanto olhava justamente à sua frente, estava a mais bela luz imaginável. A Luz era como uma Presença Luminosa. Realmente não era ninguém – apenas uma Luz maravilhosa. Então, uma voz profunda e rica disse:

- Vou ajudá-lo. Você pode carregar facilmente seu irmãozinho nas costas. Assim está ótimo e eu vou guiá-lo.

Então, a Luz seguiu à frente de Décio e de seu novo amigo e logo estavam dentro da cabana.

- Coloque-o com cuidado na cama e vejamos o que podemos fazer por ele.

A voz era muito bondosa e disse a Décio o que fazer para ajudar seu amiguinho.

Como Décio trabalhou! Estava tão feliz por fazer algo de bom pelo outro menino. Então, a Presença Luminosa disse:

- Você tem sido um rapaz corajoso, Décio, e um amigo leal na necessidade. A lealdade é uma grande qualidade e seu caráter será nobre, honesto e verdadeiro, se você continuar a ser leal!

- Décio! Ah, Décio! chamou outra voz.

- Sim, mamãe, respondeu Décio.

E, enquanto ele abria bem seus olhos, o Sol brilhou direto dentro deles. Não podia acreditar que estava na cama, e não à milhas de distância no topo da montanha. Meu Deus! Como ele vestiu-se rapidamente e correu escada abaixo para contar seu maravilhoso sonho ao avô!

O avô sorriu docemente e olhou-o satisfeito.

- Décio, meu rapaz, foi um sonho extraordinário e, sem dúvida alguma, uma experiência real. Por você ter sido constante no estudo de suas lições, honesto e leal em suas amizades, cuidadoso no seu cuidado com o corpo e fiel nos seus pequenos deveres, sua lealdade foi recompensada. Foi-lhe permitido ser, na noite passada, um pequeno Auxiliar Invisível para a Presença Luminosa e servir com amor um amigo necessitado. Talvez, algum dia, você possa ver novamente a Luz da Presença Luminosa.

(do Livro Histórias da Era Aquariana para Crianças – Vol. V - Compilado por um Estudante – Fraternidade Rosacruz)