cabeçalho4.fw

Leão: Lealdade

LEÃO: LEALDADE

 - Sinto muito fazer isto com você, Ted. Você sempre foi um bom funcionário e eu gostaria de mantê-lo, mas eu não tenho mais condições para isso.

O velho. Sr. Gallagher estava abatido quando entregou aTed seu pagamento.

- Eu entendo Sr. G - disse Ted. Eu também sinto muito, mas eu sei que o senhor não está fazendo negócios agora. Bem - ahn - a gente se vê.

Ted foi para casa devagar. Foi um choque, mas ele conseguiria outro trabalho. OSr. Gallagher é que realmente tinha problemas. Por muitos anos, o "Sr. G." tinha sido o único empório da sua cidadezinha. Depois abriu aquele enorme supermercado a 1 kmde distância e parece que todos os fregueses do Sr. G. começaram a comprar lá. Ted, que trabalhava já há dois anos com o Sr. G., depois das aulas, tinha acompanhado a sua transformação nestes últimos meses. De um indivíduo alegre, ele tornou-se um velho triste, tenso, nervoso, que parecia liquidado.

- Derrotado! - pensou Ted - Éassim que ele parece estar. Antes ele nunca pareceu um velho, mas agora sim. Quem vai empilhar as caixas para ele e entregar os pedidos? Ele está muito velho para fazer esse tipo de coisa.

Ted não falou a ninguém sobre o que tinha acontecido, mas esteve muito quieto o resto do dia.

No dia seguinte, na escola, sua cabeça parecia estar longe das lições. Depois das aulas, ele foi para o Sr. G. como de costume e estava varrendo o depósito quando o Sr. G. o descobriu.

- Ted! - disse surpreendido - Ué, pensei que tinha dito a você que não podia continuara lhe pagar.

- Sim, o senhor disse Sr. G., mas não tem importância. Eu ainda não estouquebrado - na realidade Ted não sabia de onde ia tirar o dinheiro para o cinema de sábado - e gostaria de ficar mais algum tempo para ajudar. Além do mais - Ted sorriu - o senhor não quer me ver andando pelas ruas arranjando encrenca, não é? Olá, tem uma freguesa. Não deixe ela ir embora!

O Sr. G. ficou estranhamente engasgado quando quis falar com Ted, por isso, pouco mais foi dito, e Ted acabou seu trabalho e foi para casa. Entretanto, nessa noite seu pai recebeu um telefonema sobre o qual não disse nada, mas pôssua mão carinhosa no ombro de Ted, longamente, quando voltou à mesa do jantar. Quando Ted foi para a cama, seus pais ficaram conversando até muito tarde.

Na noite seguinte, os pais de Ted foram a uma reunião especial no clube cívico da cidade, e quando eles voltaram, ele estava muito ocupado com suas lições de casa para perguntar o que tinha acontecido. Depois, veio o fim de semana e Ted só voltou para oSr. G.” na segunda-feira. Ele entrou e encontrou quatro freguesas na loja, uma senhora estava saindo com um pacote grande nos braços. Ted ficou olhando para ela por alguns segundos até que se lembrou e disse:

- Eu levo o pacote para a senhora, Sra. Ames.

Quando chegaram ao carro, ela disse:

- Você e um bom menino, Ted. Nós estamos muito orgulhosos de você.

Ted não entendeu muito bem aquela história, assim, depois de fechar a porta do carro, encolheu os ombros e voltou para a loja. Outra freguesa entrou e o Sr. G. parecia quase tão ocupado como nos velhos tempos. Não teve tempo de conversar com Ted, que também estava tão ocupado que quase chegou atrasado para o jantar.

Desta vez,ele não ficou calado.

- Vocês deviam ver quantas freguesas o Sr. G. teve hoje - quase gritou - Aposto que ele fez mais dinheiro do que em toda a semana passada. Acho que o supermercado devia estar fechado.

Os pais se entreolharam e o pai disse:

- Não, o supermercado não estava fechado. Eles estão fazendo bastante negócio com as pessoas que moram ao redor. Mas, foi preciso que um excelente ginasiano nos fizesse ver que algumas coisas - ou algumas pessoas - em nossa cidade, são mais importantes do que um moderno supermercado.

De repente, Ted percebeu o que seu pai estava querendo dizer, ficou vermelho e começou a comer depressa.

Seu pai sorriu.

- Não fique sem jeito, Ted. Sua lealdade para com o Sr. G. nos ensinou uma lição. OSr. G. serviu muito bem esta cidade todos esses anos e seu serviço e seusprodutos são tão bons agora como sempre o foram. Não há nada de errado em comprar no supermercado e as pessoasnovasda cidade com certeza só vai comprar lá, mas os velhos fregueses do Sr. G., garanto que vão querer que ele continue no comércio!

O rosto de Ted se iluminou.

- Que ótimo! Então, foi esse o assunto da reunião especial que vocês tiveram.

- Sim, disse o pai. Depois, que o Sr. G. me contou o que você fez, eu achei que toda a cidade poderia aproveitar essa ação de lealdade.

(Do Livro Histórias da Era Aquariana para Adolescentes – Vol. VI – Compilado por um Estudante Fraternidade Rosacruz).