cabeçalho4.fw

O Evangelho do Serviço, como preconizado pela Fraternidade Rosacruz

O Evangelho do Serviço, como preconizado pela Fraternidade Rosacruz

A Fraternidade Rosacruz, no cumprimento de suas finalidades precípuas, tem envidado esforços no sentido de divulgar os Ensinamentos Rosacruzes, utilizando, para tal, os veículos ao seu alcance, como revistas, folhetos, livros, cursos orais e epistolares etc. Tais conhecimentos são desinteressada e amorosamente colocados ao alcance de todos aqueles que aspiram a verdades mais profundas a respeito do ser humano e do mundo. Quantos seres desalentados recobraram ânimo e encontraram nova motivação para sua vida ao “descobrirem” os maravilhosos ensinamentos transmitidos à humanidade por Max Heindel! Quantos seres humanos encontraram-se a si mesmo ao tomarem a decisão de batalhar pela causa dos Irmãos Maiores!

A Fraternidade Rosacruz tem prestado relevantes serviços ao gênero humano. Numa época em que o materialismo campeia ameaçadoramente, ela desponta como um amenizador de impactos, indicando, sabiamente o caminho do equilíbrio.

E não se julgue que esse trabalho tem sido fácil! E não se pense que tudo tem sido um mar de rosas! Não! Pelo contrário! A caminhada da Fraternidade tem sido pontilhada de lutas e sacrifícios.

Não é fácil, nos dias de hoje, manter uma entidade com estas características de ineditismo, “sui generis”!  Poucas organizações congêneres mantêm cursos por correspondência e outros serviços sem a exigência de um pagamento; o que pesa em cada um é a consciência do dever cumprido.

Todo sacrifício que se faça em prol desse Ideal ainda será pouco. Ele é tão elevado, que poder aspirá-lo constitui, por si só, um grande privilégio. A Fraternidade é uma grande seara onde há abundância de oportunidades de trabalho. Há muito que se fazer. Há falta de obreiros. Ela é a magna oportunidade de realização anímica por meio da purificação e do serviço.

Mediante o estudo aumentamos gradativamente nosso cabedal de conhecimentos, todavia, se não os aplicarmos permaneceremos na estaca zero. E de que forma podem ser aplicados os conhecimentos? Pelo aprimoramento do caráter e pelo serviço prestado em favor da humanidade. Conhecimento implica “fé racional”. E a “fé sem obras é morta”.

Alguns estudantes antigos queixam-se de seu exíguo e lento progresso no caminho Rosacruz. Talvez eles não tenham compreendido o sentido exato do Ideal. Só teoria não é suficiente. O estudo é indispensável, mas não é um fim em si mesmo. De intelectuais o mundo está repleto, mas há uma carência enorme de espiritualistas práticos. Pouco vale conhecer todas as obras rosacruzes se na vida diária nós as renegamos por meio de nossas atitudes incoerentes. De que adianta nosso dom de oratória, se ao proferirmos nossa elocução de uma tribuna não alimentamos nossas palavras com a convicção de quem vive realmente as verdades enunciadas?

Não se pode dissociar rosacrucianismo de SERVIÇO. Quem não se dispuser a arregaçar as mangas e fazer a sua parte dará passos miúdos na senda evolutiva. A Filosofia Rosacruz encerra em si mesma o EVANGELHO DO SERVIÇO, e na Fraternidade encontramos um campo de ação extraordinário, pois ela tende a crescer e a preparar os homens para a futura Era de Aquário.

PELA FRATERNIDADE “FAÇA-SE O MELHOR, FAÇA-SE TUDO!”.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 04/1971)