cabeçalho4.fw

As Chaves do Reino dos Céus

As Chaves do Reino dos Céus

17Jesus respondeu-lhe: “Bem-aventurado és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi carne ou sangue que te revelaram isso, e sim o meu Pai que está nos céus. 18Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja, e as portas do Inferno nunca prevalecerão contra ela. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus e o que ligares na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.” (Mt 16:17-19).

Para bem compreender o procedimento de Cristo Jesus, dando a Pedro as chaves do reino dos céus, torna-se necessário primeiramente ter uma ideia lógica do significado do termo “Reino dos Céus”. Em vez de admitir o céu como um lugar para o qual iremos para eterno descanso, depois de termos perdido a nossa “capa mortal”, atentemos para as Escrituras e consideremo-lo como um estado de consciência. “O Reino dos Céus está dentro de vós”, nos é ensinado, daí porque devemos admitir a expressão literalmente e aplicá-la cientificamente em nossas vidas diárias, a fim de que possamos desenvolver o poder espiritual interno que nos dá a possibilidade de contato e de funcionamento nos planos superiores.

Existem sete planos do Ser em nosso Universo. Para penetrar e funcionar neles conscientemente devemos possuir as chaves espirituais correspondentes a cada um. São as chaves a que Cristo Jesus se referia e que, por sua vez, Max Heindel nos ensina como sendo realmente as “chaves musicais” ou fórmulas mágicas adotadas em todas as Ordens Ocultas. Os maçons modernos têm algo similar por meio das diferentes Lojas. Adotam diferentes palavras de passe e diferentes apertos de mão, de maneira que um Maçom iniciado em determinado grau efetivamente será afastado de outros, como um estranho, porque não tem as “chaves” que abrem as portas. Nas Ordens Ocultas, tais como a dos Rosacruzes, há notas-chaves formuladas para cada grau diferente entre si, de forma que todo aquele que não tiver a chave é incapaz de tonalizar-se, ficando impedido, por assim dizer, por uma parede invisível, de penetrar no Templo.

“Há uma vibração diferente no Mundo do Desejo inferior, rodeando a Terra. É o que constitui o inferno, daí prevalecendo a nossa atmosfera que constitui a Região superior do Mundo do Desejo e a Região do Pensamento Concreto. Essa gama de vibração novamente difere do tom dos estados de matéria que se encontram no interior da Terra, isto é, em cada um dos nove estratos subterrâneos. Portanto, cada uma dessas divisões do mundo invisível tem a sua nota-chave, que gradualmente é revelada aos Iniciados, na medida em que progridem no caminho do Adeptado. A São Pedro foi dada uma ou mais notas-chaves desses vários reinos, bem como a outros, por Cristo, que, nesse caso, foi o Iniciador.

“As mesmas chaves” são atualmente dadas aos Seus seguidores, dignos de conhecer os mistérios para assim servirem a seus semelhantes numa maior escala.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 08/1971)