cabeçalho4.fw

O verídico e autêntico Batismo Espiritual do Cristão Místico

O verídico e autêntico Batismo Espiritual do Cristão Místico

 

"Nesse tempo, veio Jesus da Galileia ao Jordão até João, a fim de ser batizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: 'Eu é que tenho necessidade de ser batizado por ti e tu vens a mim?'. Jesus, porém, respondeu-lhe: 'Deixa estar por enquanto, pois assim nos convém cumprir toda a justiça'. E João consentiu. Batizado, Jesus subiu imediatamente da água e logo os céus se abriram e ele viu o Espírito de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele. Ao mesmo tempo, uma voz vinda dos céus dizia: 'Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo'" (Mt 3:13-17). Todos os quatro Evangelhos registram a ocorrência do ritual místico do Batismo, sendo isso um passo definido na Senda do Cristão Místico. É também um dos sacramentos que podem ser chamados chaves de abóbada da evolução, pois imprimem no espírito, preceitos morais da mais sublime natureza. Exatamente o que significa o Batismo, porém, é uma questão acerca da qual tem havido argumentos de grande alcance e intensidade.

Para que se adquira uma ideia verdadeira do Batismo é preciso que retrocedamos à história primitiva da raça humana, tal como está gravada na Memória da Natureza. Houve um tempo em que a humanidade vivia na atmosfera brumosa que envolvia a terra, naquela fase de nossa evolução. Viviam como uma vasta irmandade, inocente e infantil. Mais tarde o nevoeiro condensou-se e a água inundou as depressões que existiam na superfície da terra. Simultaneamente a atmosfera aclarou-se e os olhos do ser humano se abriram e apercebeu-se de si mesmo como um Ego separado. Então o Espírito Universal de amor foi substituído pelo egoísmo e interesse próprio. Hoje, quando uma pessoa é admitida numa instituição espiritual chamada Igreja, onde o amor e a fraternidade são a base da ação, costuma-se levá-lo para ser banhado pelas águas do batismo, simbolizando as belas condições de inocência e amor que existiam quando o ser humano vivia sob a neblina, naquele período, há muito tempo. Como Max Heindel descreveu na "Iniciação Antiga e Moderna". "Então o Espírito é conduzido sob as águas atlantes, onde vê o primitivo estado de amor e bondade fraternais; onde percebe a Deus como o Grande Pai de todos os seres, os quais estão ali rodeados de Seu Amor divino e maravilhoso. Pela sua volta de maneira consciente a tal Oceano de Amor, o candidato fica tão inteira e intensamente imbuído desse sentimento de afinidade com a sua espécie, que o espírito de egoísmo é banido dele para sempre. É devido a essa saturação do Espirito Universal, que pode mais tarde dizer: "Se um homem te tira o casaco, dá-lhe também a tua capa; se te pede para caminhares com ele uma milha, vai com ele duas milhas". Sentindo-se um com todos, o candidato não considera nem mesmo o seu assassinato como uma ofensa que se lhe faça, mas pode dizer: "Pai, perdoa-lhes".

Eles são idênticos a ele que sofre por sua ação; ele é tanto o agressor como a vítima.

Assim é o verídico e autêntico Batismo Espiritual do Cristão Místico, e qualquer outro batismo que não produza esse sentimento de simpatia e afeição universais, não é digno de tal nome.

Esse Batismo pode acontecer em qualquer tempo e lugar, pois ocorre no momento em que o candidato sente, com suficiente intensidade, a ânsia ardente de conhecer a causa do sofrimento e aliviá-la.

 

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de março/78 – Traduzida da Rays from the Rose Cross)