cabeçalho4.fw

Cristo ressuscitou ou não os mortos?

Pergunta: Em "PERGUNTAS E RESPOSTAS" lemos que Cristo não ressuscitou os mortos. Em São João, Capítulo 11, versículo 11, Cristo disse, "Nosso amigo Lázaro dorme", e, em seguida, no versículo 14, Jesus disse-lhes claramente, "Lázaro está morto". Isso nos leva a pensar que Cristo se enganou na primeira passagem. O que está correto? Novamente em São Mateus, Capítulo 1, versículo 8, os Apóstolos recebem a missão de ressuscitar os mortos, etc.

Resposta: A maior dificuldade e os equívocos que resultam da leitura dos Evangelhos surgem do fato da maioria das pessoas acreditarem que os Evangelhos têm como finalidade relatar a história da vida de um indivíduo chamado Jesus Cristo. É a pura verdade que os Evangelhos tiveram como modelo a vida de Jesus, relatando a grandeza dessa vida e como ele serviu de exemplo para os que registraram as quatro diferentes Escolas de Iniciação. No entanto, o que esses homens pretenderam realmente escrever foram as fórmulas de Iniciação, e os quatro Evangelhos incorporam, ocultas debaixo de uma camada externa de fatos não essenciais, as fórmulas de Iniciação de quatro diferentes Escolas de Mistérios. A passagem mencionada, a ressurreição de Lázaro, ou o filho da viúva de Naim, não significa que um Espírito que partiu tenha sido chamado a retornar ao veículo descartado.

Isso não foi feito. Uma vez rompido o Cordão Prateado, o Espírito volta para Deus que o enviou e ao pó de onde foi tirado. Quando um candidato atinge o ponto em que deverá ser elevado a um nível superior e a um maior poder do que já possuía antes, deve, então, primeiro morrer para as coisas passadas, que ficaram para trás. O caminho torna-se mais e mais estreito a cada passo, e ele não pode entrar pelo portão que conduz direto a um reino mais elevado da natureza, enquanto não largar o Corpo que o prende ao reino inferior imediato. É por isso que, no momento em que ele está pronto para essa transição, diz-se que ele está morto. Se lermos o livro Maçonaria e Catolicismo verificaremos que Lázaro foi anteriormente Hiram Abiff, o Mestre Maçom, e construtor-chefe do Templo de Salomão; que Jesus incorporou anteriormente como Salomão; e que o Espírito de Cristo, habitando em Jesus na época da citada ressurreição de Lázaro, foi o grande Iniciador que ergueu Lázaro e tornou-o um Hierofante dos Mistérios Menores. Ele é conhecido atualmente como Christian Rosenkreuz, o chefe da Escola da Sabedoria Ocidental, trabalhando juntamente com Jesus para unir a humanidade e conduzi-la ao Reino de Cristo.

De maneira semelhante, e numa escala menor, os Apóstolos receberam o poder de ressuscitar os mortos. Aos inexperientes eles deram somente leite, mas aos fortes eles deram a carne da doutrina, instruindo-os nos mistérios até que eles atingissem um certo ponto em que, após viverem a vida, morressem, e fossem elevados a uma vida mais plena em uma esfera de utilidade maior. No entanto, como já foi dito, essas mortes não implicam no que, comumente, chamamos de morte do Corpo.

(Do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Vol. II – Pergunta Nº 73 – Fraternidade Rosacruz – SP)