cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

Haverá Unificação entre as Igrejas no Futuro?

A UNIÃO DAS IGREJAS

Pergunta: Li um artigo publicado em dezembro de 1947 no “Saturday Evening Post” sobre o trabalho do Sr. Stanley Jones em unir todas as Igrejas Protestantes. O que pensa a Fraternidade Rosacruz a respeito desse movimento?

Resposta: A missão do Cristo é unificadora, promovendo o sentimento de fraternidade entre os seres humanos, portanto, todos os esforços dispendidos para dissolver barreiras de raça, religião, etc., realizando uma justa união de toda a humanidade serão profundamente elogiáveis.

Analisando-se racionalmente o problema das querelas existentes entre os credos cristãos, observa-se certa incoerência ou um contraste aos ensinamentos básicos do Cristianismo. Cristianismo em essência é amor e não conflitos.

Hoje, quando a unificante força de Cristo manifesta-se em cada fase da realização humana, não nos é estranho que homens como o Stanley Jones, guiados pelos Seres Superiores, promovam movimentos de unificação. Há premência de trabalhos dessa natureza num período crítico de transição, como este pelo qual passamos.

Com referência ao tema de unificação das igrejas Protestantes é mister recordarmos certas afirmações de Max Heindel num artigo que escreveu, aludindo-se à importância do ritual: “cada uma das seitas protestantes luta atualmente para resolver o problema da vida segundo suas próprias concepções. Em cada uma delas soa uma nota diferente. Falham, portanto, ao passo que a Igreja Católica, ainda mantém forte ascendência sobre seus seguidores, em virtude do ajustado poder do ritual”.

Sem dúvida alguma há certa união no seio do Catolicismo, porquanto não se cogita de empreender disputas inúteis em relação a detalhes. Os fatores “livre arbítrio e predestinação” não constituem motivos de dissidência entre os católicos. As palavras de Abraham Lincoln: “Na essencial unidade e não na essencial liberdade.., devem ser observadas antes de qualquer iniciativa visando à união das igrejas”.

“O emprego do ritual nas igrejas Protestantes poderia ser observado sob dois ou talvez três aspectos. Poderia consistir na leitura de certos trechos bíblicos, dispostos de maneira a tornarem-se um serviço conectado e consecutivo. Alguns rituais poderiam ser elaborados de modo a adaptarem-se a determinadas festividades, ao passo que outro poderia ser utilizado nas práticas mais corriqueiras. As cerimonias da Igreja Episcopal poderiam ser adaptadas em sua forma atual ou em outra modificada. Poder-se-ia utilizar um ritual elaborado especialmente por um ocultista com possibilidades de manter-se em contato com as fontes cósmicas de conhecimento. Esse talvez seja o mais eficiente para a realização do fim colimado, porém, antevemos uma série de dificuldades quanto a sua aplicação. Antes de qualquer ritual produzir o efeito sobre um grupo de pessoas, estas deverão sintonizar-se com ele. Esta ação diz respeito ao trabalho sobre seus Corpos Vitais”.

“Segundo a Ciência Oculta, o renascimento constitui-se num quádruplo evento. A formação do Corpo Denso é apenas um grau no processo. O Corpo Vital também se encontra sujeito a um desenvolvimento análogo ao crescimento intrauterino do Corpo Denso, mais ou menos aos sete anos de idade. Durante os sete anos seguintes processa-se o amadurecimento do Corpo de Desejos, culminando aos quatorze anos, isto é, quando no inicio do período da adolescência. A Mente completa-se aos vinte e um anos”.

“O Corpo Vital é o veículo da memória. O ritual católico afeta diretamente o Corpo Vital de seus seguidores. As orações repetidas, o tempo e a tonalidade dos vários cantos e o incenso exercem uma influencia toda especial no veiculo etérico, gravador por excelência. Eis porque os sacerdotes católicos concentram seus esforços de uma maneira bem acentuada sobre as crianças. “Dai-nos uma criança até aos sete anos e ela será nossa para sempre”. Através da repetição imprimem suas ideias nos Corpo Vitais dos infantes, extraordinariamente maleáveis. Não importa que seja o ritual oficiado em língua desconhecida para os assistentes, pois essa mensagem vibratória é um canto divino e colorido, intangível por todos os Espíritos”.

“Os ministros protestantes operam com a natureza emocional, demonstrando não compreenderem a inutilidade de seus esforços, pois estão lidando com um veículo que impulsiona o ser humano, despertando emoções e sentimentos dos mais variados, induzindo os membros das igrejas a buscar algo novo e sensacional. Eis a razão do número inconstante de fieis nas seitas protestantes”.

“Alguns católicos postam-se contra sua igreja de origem. Alguns chegam mesmo a combatê-las, porém, subconscientemente permanecem católicos até o derradeiro dia de suas existências. O Corpo Vital é difícil de ser mudado. As linhas de força nele produzidas durante o seu período gestatório são mais fortes do que qualquer esforço individual”.

“Se desejamos mudar as tendências do mundo, impelindo os seres humanos à busca de ideias superiores devemos antes de qualquer coisa iniciar o trabalho pelas crianças. Se as reunirmos diante de um altar, ensinando-lhes a amar a Casa de Deus e imprimirmos em seus Corpos Vitais as vibrações de determinadas preces, formaremos belos caráteres, estreitamente ligados ao ideal. Construiremos gradativamente ao redor da estrutura de pedra, um templo invisível de luz e da vida, tal como descreve Manson no “The Servant in The House”.

 

(Revista Serviço Rosacruz – 10/68)