cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

O Ego sobrevive à morte da personalidade, porém, ele é imortal?

Pergunta: Sei que o Ego sobrevive à morte da personalidade, porém, ele é imortal? No Conceito Rosacruz do Cosmos consta o seguinte: "Na sétima Revolução do Período Lunar, os Senhores da Chama surgiram, novamente, cooperando com os Senhores da Individualidade no sentido de relacionar o Espírito Humano com o Espírito Divino. Dessa forma, o Ego separado, o Tríplice Espírito, veio à existência”. Se o Ego veio à existência tão recentemente, ele teve um começo, e como tudo aquilo que teve um princípio deve ter um fim, então ele não é imortal. Se o Ego é um Tríplice Espírito, o que vem a ser então o Espírito Virginal que o absorverá no fim do Período de Vulcano?

Resposta: Cremos que a dúvida reside na primeira pergunta, onde nos cumpre esclarecer o significado da palavra Ego. No Conceito Rosacruz do Cosmos lemos o seguinte: "Antes do início do Período de Saturno, os Espíritos Virginais, constituintes da Onda de Vida Humana, encontravam-se no Mundo dos Espíritos Virginais. Possuíam uma consciência global como Deus, em Quem (não de Quem) foram diferenciados. Não possuíam autoconsciência, pois a aquisição dessa faculdade constitui um dos objetivos da evolução. A descida dos Espíritos Virginais a planos de maior densidade, foi dissipando essa consciência global”.

“No Período de Saturno, os Espíritos Virginais, em sua descida, alcançaram o Mundo do Espírito Divino, penetrando nesse primeiro véu com a ajuda dos Senhores da Chama. No Período Solar alcançaram o Mundo do Espírito de Vida, onde se insensibilizaram mais ainda à consciência global, por meio do segundo véu, formado de substância desse Mundo. Nesse particular, receberam a ajuda dos Querubins. Não obstante, o sentimento de unidade não estava totalmente perdido, porquanto o Mundo do Espírito de Vida é um mundo universal, interpenetrando todos os Astros de um sistema solar. No Período Lunar, entretanto, os Espíritos Virginais imergiram-se na substância mais densa da Região do Pensamento Abstrato, onde lhes foi adicionado o mais opaco dos véus. Daí em diante perderam o sentido de consciência global”.

Assim, cada Espírito Virginal ficou encerrado num tríplice véu, insensibilizando- se à unidade da vida, tornando-se um Ego, preso à ilusão da separatividade contraída durante a involução. A evolução dissolverá gradualmente essa ilusão.

Ante o exposto, concluímos que o termo Ego designa certa fase do desenvolvimento do Espírito Virginal, indicando a fase de despertamento dos seus três aspectos e dos véus de substância dos Mundos do Espírito Divino, do Espírito de Vida e da Região do Pensamento Abstrato. A última substância mencionada é de natureza separativista, obscurecendo a visão do Espírito Virginal, embora isso não altere sua condição de imortalidade. Com o tempo essa ilusão de separatividade desaparecerá, e o Tríplice Espírito readquirirá a consciência global, acrescendo-se ainda a autoconsciência. Por conseguinte, o Ego é imortal. Não podemos adotar o termo Ego corretamente, sem incluir nele o Espírito Virginal como causa essencial interna. Usamos o mencionado termo para indicar o Tríplice Espírito mais o resultado da involução.

Com referência à ultima pergunta, afirmamos ser o Espírito Virginal inerentemente Tríplice. Foi criado à imagem e semelhança de Deus, possuindo implicitamente os princípios da Vontade, Amor-Sabedoria e Atividade, para os quais correspondem as designações Espírito Divino, Espírito de Vida e Espírito Humano. Esses princípios ou aspectos do Espírito foram despertados em determinados Períodos durante a jornada involutiva, dando origem aos respectivos veículos ou Corpos, por meio das experiências adquiridas através desses veículos, desenvolve-se a tríplice alma que será absorvida pelo Tríplice Espírito. Além disso, o Espírito Divino absorverá o Espírito Humano ao final do Período de Júpiter; o Espírito de Vida ao final do Período de Vênus e a Mente ao final do Período de Vulcano. Afirmar-se que o Espírito Virginal será absorvido pelos Espíritos Divino, de Vida e Humano não é de todo correto. O Espírito Divino, um dos aspectos do Tríplice Espírito, absorverá os outros dois aspectos, porém os três estarão em íntima relação, uns com os outros. Não poderíamos afirmar que o Espírito Virginal absorveria os Espíritos Divino, de Vida e Humano, porque nesse caso ele absorveria a si mesmo.

Assim, o Espírito Virginal que deverá absorver a Tríplice Alma e a Mente ao final do Período de Vulcano, e essencialmente o mesmo que iniciou a peregrinação no Período de Saturno, adquirirá PODER ANÍMICO e MENTE CRIADORA como fruto de sua peregrinação através da matéria. Avançará da IMPOTÊNCIA à ONIPOTÊNCI A, DA INCONSCIÊNCIA à OMNISCIÊNCIA.

(P&R da Revista Serviço Rosacruz jan/68 – Fraternidade Rosacruz SP)