cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

A enfermidade e saúde são problemas de vibração e ritmos variados? Uma doença pode ser curada mudando o seu ritmo?

Pergunta: Li num livro de ocultismo a explanação sobre a cura de câncer numa mulher. Em relação a essa enfermidade os médicos e enfermeiras disseram a essa mulher que a operação seria coroada de êxito, embora não tenha se realizado em virtude de que a paciente estivesse muito mal. O autor diz: “Muito vem sendo feito no campo das vibrações, demonstrando-se que enfermidade e saúde são problemas de vibração e ritmos variados. Tais ritmos, se forem alterados num dado momento, farão com que prótons e elétrons se juntem, originando diferentes padrões, dando formação a tecidos e substâncias de espécies diferentes, provando que dentro do ser humano há uma vontade ou força com poder de atuar sobre padrões e propósitos, bases sobre as quais os tecidos são construídos. Mudando seu ritmo, poderá dar expressão a uma nova forma no mesmo espaço”. Concordam com o que foi dito?

Resposta: Vimos afirmando, baseados na ciência oculta, que não existe limite para o poder do Espírito curar; por isso, sem receio de errar, podemos dizer que qualquer enfermidade pode ser curada, o que também foi demonstrado por Cristo Jesus durante o tempo de Seu Ministério. Contudo, devemos lembrar que as Leis de Renascimento e de Consequência deverão ser levadas em consideração e que nenhuma pessoa está sujeita à cura fenomenal ou instantânea. O câncer e a lepra resultam do mau uso da força criadora durante vidas passadas, de forma a ser exigido um grande poder espiritual para o reajustamento das partes enfermas do Corpo de uma pessoa que sofre dessas enfermidades.

O ponto de vital importância é a mudança que deve operar-se dentro do indivíduo. Se se arrependeu sinceramente, reformando-se, poderá assim tonalizar-se com as forças espirituais, para que as chamadas curas milagrosas tenham lugar. As curas notáveis operadas no Santuário de Lourdes são exemplos extraordinários daquilo que pode ser conseguido pelos meios espirituais.

O falecido Dr. Alexis Carrel afirmou, em seu livro “O Ser humano Esse Desconhecido”, ter visto a materialização de um novo tecido e a prolongação de um membro corporal encolhido, operados nesse Santuário. Mesmo os profissionais médicos já estão começando a admitir a evidência da cura espiritual.

A respeito do tema vibrações, Max Heindel afirma: “O Corpo Vital emite um som similar ao zumbido da abelha. Durante a vida esse zumbir etérico atrai e situa elementos químicos de nossa alimentação para a formação de órgãos e tecidos.   Tanto quanto o som etérico vibra em nosso Corpo Vital, e esteja em harmonia com a nota-chave de nosso arquétipo, os elementos químicos, por meio dos quais nutrimos o Corpo Denso, ficam propriamente dispostos a assimilação, prevalecendo dessa forma a saúde; porém desde que as vibrações sonoras do Corpo Vital variem em relação à nota-chave arquetípica, fica estabelecida uma dissonância produzindo uma incongruência entre os elementos químicos e as linhas de força nos arquétipos”.

O que ficou dito acima corrobora o que você afirmou. Os ritmos de uma determinada parte (enferma) de um tecido podem ser alterados, e uma nova forma de ritmo pode lhe ser imposta. Contudo, é essencial que esse novo ritmo esteja em harmonia com a nota-chave original do Corpo, se se deseja realmente um resultado duradouro. Podemos concordar também que o ser humano tenha dentro de si uma “vontade ou força” implicitamente poderosa, porém isso apenas inicia o processo de cura espiritual. A cura em si mesma processa-se por intermédio de uma fonte muito mais elevada, à qual o ser humano está ligado por meio da natureza espiritual de seu Ser.

Como essa cura espiritual se produz, temos uma vívida exposição dada por Max Heindel, na sua descrição do efeito da Panaceia Espiritual:

“Quando a Vida de Cristo irrompeu no Gólgota começando a dispersar a atmosfera de medo produzida pela lei inexorável pendente como uma mortalha sobre a Terra, quando milhões de seres humanos foram impulsionados em direção ao caminho da paz e da boa vontade houve como que uma cura. Assim também a Panaceia quando aplicada faz com que a Vida de Cristo, nela contida, precipite-se através do Corpo do paciente, infundindo em cada célula o ritmo que desperta o Ego aprisionado de sua letargia, levando-o de volta à vida e à saúde”.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 9/1971)