cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

Durante o período de tratamento de um paciente, podemos eliminar as vibrações da enfermidade de modo que elas não voltem depois do término desse tratamento?

Pergunta: Durante o período de tratamento de um paciente, podemos eliminar as vibrações da enfermidade de modo que elas não voltem depois do término desse tratamento?

Resposta: Supomos que esta pergunta se refere ao tratamento magnético da doença, e podemos dizer que este método de cura consiste inteiramente na remoção das vibrações doentias pela absorção destas no corpo do curador, que deve ter suficiente vitalidade para lançá-las fora de si, caso contrário, ele também ficará doente. A questão já foi explicada anteriormente em nossa literatura, mas, se for analisada sob outro ângulo, poderá tornar-se interessante ou instrutiva.

Quando alguém observa com a visão espiritual uma pessoa doente, o corpo vital do paciente parecerá delgado e macilento na proporção dos estragos causados pela doença. Não haverá linhas radiantes saindo dele como quando seu corpo está são, mas veremos uma emanação doentia em forma de redemoinhos e espirais suspensos junto ao Corpo Denso. Ao invés da cor púrpura rosada, geralmente observamos uma cor cinza-escura em várias partes, e o lugar particularmente atingido encontra-se envolto em algo parecido a uma massa gelatinosa preta.

Reconhecemos isto como vibrações da enfermidade, e quando a pessoa é submetida a um tratamento de cura magnético, é esta massa preta venenosa que é absorvida pelas mãos do curador. Quando ele a joga fora por um movimento vigoroso dos braços, ela cai no chão. Se o paciente estiver perto dessa massa caída, ele a reabsorverá. Portanto, o autor costuma sempre lançar estas emanações para fora da janela ou numa lareira onde elas possam ser queimadas. Assim, não causarão mais danos.

Enquanto estamos abordando este assunto, será útil expor outro aspecto da questão, assim como o método de cura. Quando um órgão está doente, ele gera uma substância tóxica que o envolve impedindo que as correntes do Corpo Vital passem através dele. A função do curador magnético é simplesmente limpar o órgão desses miasmas, abrindo assim o caminho para o influxo das correntes vitalizadoras que favorecem a saúde. Geralmente, o alívio é temporário, pois o órgão fraco e doente continua a produzir esses miasmas, o que leva o curador magnético a ter que agir novamente. Esse tratamento prossegue até que as correntes vitais se tornem suficientemente fortes para elas próprias neutralizarem e expulsarem essa substância tóxica, limpando assim o órgão. Então, a saúde é restabelecida.

O médico osteopata enfoca o assunto do ângulo oposto, manipulando os nervos, que são as avenidas para as correntes vitais. Isto fortalece essas correntes que começam a dispersar o miasma que está na parte afetada do corpo. No entanto, isto requer uma série de tratamentos para que a saúde se restabeleça, pois, o miasma tóxico bloqueia novamente os nervos logo após o médico interromper as suas manipulações. Por conseguinte, parece ao autor, embora nunca tenha tentado isto, que uma combinação dos dois métodos, a abertura das correntes nervosas fortalecendo-as por meio dos tratamentos osteopáticos e, ao mesmo tempo, a remoção do miasma tóxico pela cura magnética, tendo o cuidado de queimá-lo ou eliminá-lo, facilitaria maravilhosamente o tratamento da doença.

(Perg. 43 do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Vol. II – Max Heindel – Fraternidade Rosacruz SP)