cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

Quando um braço ou um membro são amputados, existirão independentemente no Mundo do Desejo após a amputação?

Pergunta: Quando um braço ou um membro são amputados, existirão independentemente no Mundo do Desejo após a amputação? E depois da morte, uma pessoa aparece sem uma mão ou um pé no Mundo do Desejo? Conheci pessoas que sentiam dores num membro mesmo depois da amputação ter sido feita há anos. Como isto se explica?

Resposta: Quando um braço, membro, ou qualquer órgão é removido do Corpo físico por meio de uma intervenção cirúrgica, somente a parte densa do órgão permeada pelo éter planetário é tirada. Os quatro éteres que constituem o Corpo Vital do homem ou da mulher assim operada permanecem; mas há uma certa ligação magnética entre a parte que se decompõe no túmulo e a contraparte etérica que permanece com a pessoa. Em consequência, ele ou ela sente a dor e o sofrimento na parte extirpada, ainda por algum tempo após a operação, até que esta se deteriore e a contraparte etérica se desintegre.

Encontraremos alguns casos interessantes comprovando este ponto e algum ensinamento adicional a respeito deste assunto no "Conceito Rosacruz do Cosmos".

Quando uma pessoa ferida passa para o reino invisível, ela pensa com a mesma Mente, imagina-se com a aparência que tinha neste mundo. Consequentemente, uma cicatriz na testa ou a perda de um braço ou membro serão reproduzidas pelo seu pensamento na matéria do Mundo do Desejo e ela aparecerá lá tão desfigurada como estava aqui.

Isso foi muito observado durante a Guerra Mundial, pois todos os soldados que faleciam em consequência de ferimentos visíveis e cujos efeitos sabiam determinar, reproduziram esses ferimentos nos seus Corpos de Desejos.

Sentiram uma dor semelhante à que teriam sofrido se tivessem permanecido em seus Corpos físicos, porque imaginavam que teriam a dor relacionada com seus ferimentos. Não obstante, procuraram ajudar-se mutuamente, sendo assistidos pelos que já tinham sido auxiliados pelos Irmãos Maiores a ver a realidade, isto é, que não havia realmente dor. Quando se convenceram que suas feridas eram ilusórias, puderam moldar seus Corpos em condições normais e saudáveis, e assim rapidamente controlaram e remediaram a situação.

(Perg. 41 do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Vol. II – Max Heindel – Fraternidade Rosacruz SP)