cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

Qual é o verdadeiro poder gerado pela oração em grupo?

Pergunta: Qual é o verdadeiro poder gerado pela oração em grupo?

Resposta: o falecido Dr. Alexis Carrel apropriadamente assinalou que a oração é "a forma mais poderosa de energia que alguém pode gerar". Por meio da oração a pessoa se torna um libertador e um dirigente do poder espiritual. Além disso, inúmeras pessoas tonalizadas e olhando em conjunto, em uma unidade de mútua aspiração, constitui uma combinação para libertação de poder muito maior do que se orassem isoladamente. Maior poder liberta-se através de um grupo e, consequentemente, obtém-se maiores resultados. Esse poder não é criado pelo grupo, mas resulta de um fator necessário que é o da oração em grupo. É algo da partilha do esforço de cada um que permite ao grupo libertar, utilizar e dirigi-lo para finalidades dignas. Quando o poder-espírito sincero e consagrado de um indivíduo adiciona-se ao de outro e, ainda, a de um outro, o resultado em aritmética espiritual não é a adição, mas uma multiplicação satisfatória, generosa e maravilhosa, pronto para ser empregado na solução de qualquer problema presente.

Entretanto, o que realmente acontece na atividade de orar? Qual o princípio envolvido? Quais as pessoas que poderão formar esse grupo? Para o que deve esse grupo orar? Como conduzir tais grupos? Consideremos essas perguntas:

O que acontece?

Várias pessoas unidas, em consonância, atuam umas com as outras, fundindo suas energias numa consciência de grupo, daí tornando-se um instrumento para geração de um poder espiritual muito maior do que aquele que poderia ser obtido isoladamente. Por meio da profunda realização da cada um, a unidade de esforços põe em movimento dinâmico as energias espirituais invocadas. Conforme é dito no Serviço de Cura da Fraternidade Rosacruz: "Quando uma pessoa suplica intensa e sinceramente a um poder superior, sua aura parece afunilar-se identicamente a parte inferior de uma tromba marinha. Esta forma áurica salta no espaço a uma grande distância, sintonizando-se com a vibração crística do Mundo interplanetário do Espírito de Vida, fazendo fluir um poder divino que penetra no indivíduo ou no grupo de pessoas, animando a forma de pensamento que eles criaram. Assim a finalidade pela qual se uniram se realizará".

Qual o princípio evidente?

O desejo intenso de um, fortalece-se igualmente pelos desejos intensos dos outros, adicionando, assim, um grau ao desejo que ninguém havia previamente fortalecido. Uma vez que todos desejam a mesma coisa, a sua valorização cresce, bem como a confiança na sua realização.

Quem comporá tal grupo?

Qualquer grupo com um objeto espiritual comum pode orar efetivamente em conjunto, porém seus esforços combinados serão mais poderosos se os membros entre si tonalizarem-se astrologicamente. Homens de negócios, esposas, donas de casa, fazendeiros, estudantes, mestres, pessoas jovens e idosas, quaisquer grupos em que os corações de seus membros sintam a necessidade de servir, podem lealmente unirem-se em oração. E mais: podemos dizer que essa congregação será espontânea, resultado do impulso interno de cada um em congregar-se com outros. Métodos promocionais para organizarem-se não são aconselháveis, pois muitas vezes uma família pode formar uma pequena unidade, o essencial é que todos tenham um sincero desejo de atingir o objetivo comum.

Quais são as qualificações?

Já que o objetivo principal da oração é – ou deverá ser – “estabelecer uma íntima comunhão com Deus, a fim de que a Vida e a Luz Divinas possam fluir e iluminar, permitindo que se cresça à Sua imagem e semelhança," aquele que ora deve antes de qualquer coisa, possuir uma fé verdadeira, unida a um sincero desejo de servir, tornando-se um canal para a manifestação de Deus-Poder. Quanto mais possam concentrar-se, acompanhando esse esforço por um intenso sentimento de amor e devoção, mais eficiente será a oração. Além disso, cada membro do grupo deve, de boa vontade, subordinar seus interesses e cuidados pessoais as necessidades do grupo, tais como a reunião semanal e a meditação diária individual. Isso demonstra o grau de altruísmo necessário para as realizações do grupo.

Por que orar?

A Filosofia Rosacruz nos ensina que o objetivo das nossas orações deve ser de louvor e adoração a Deus. Isto tem a sua razão de ser, pois nossos Corpos de Desejos são formados do material das sete regiões do Mundo do Desejo em proporção as condições determinadas pela natureza de nossos pensamentos. Cada pensamento envolve-se em matéria de desejos afim à sua natureza. Tal fato aplica-se aos pensamentos formados e expressos na oração. Se egoístas, eles atraem e envolvem-se na substância inferior do Mundo do Desejo, mas se forem nobres, altruístas na tonalidade das Regiões da Luz Anímica, da Vida Anímica e do Poder Anímico da nossa natureza espiritual. "Procure primeiro o Reino de Deus e sua retidão, esse é o Meu Mandamento". Quando anuímos com esse mandamento, poderemos descansar certos de que todas essas coisas serão alcançadas. Portanto, quando orarmos por um amigo, ponhamos todo o nosso coração na súplica a fim de que ele possa permanentemente trilhar o Caminho, encontrando a Verdade e a Vida, para que encontrando-o – o maior de todos os tesouros – nenhuma necessidade possa afligi-lo.

Se o grupo for composto por membros interessados primeiramente em tornarem-se um canal para a Luz e o Poder Divinos, talvez seja sábio fazer das necessidades do indivíduo um ponto de partida para o trabalho do grupo. A primeira semana de oração poderá muito bem ser dedicada a saúde, harmonia e direção de cada membro. Daí, então, a atenção poderá voltar-se para outros indivíduos ou condições. Frequentemente verifica-se que no trabalho altruísta para o bem alheio, as necessidades de outrem são as próprias necessidades.

Como poderá o grupo ser conduzido?

A oração é íntima e sagrada, necessitando paz e inspiração para torná-la efetiva. Muitos grupos – grandes ou pequenos – beneficiam-se iniciando seus trabalhos por uma curta palestra introdutória ou por uma conversa cuidadosamente dirigida ao longo de linhas espirituais. Assim os fogos da inspiração poderão ser melhores acesos efetivamente, e a intensidade de sentimentos poderá ser lograda sendo, dessa forma, atingido o objetivo desejado. A tonalidade geral dessas reuniões deve fundamentar-se sempre nestas palavras: "Onde dois ou três reunirem-se em Meu Nome Eu estarei no meio deles."

É, naturalmente, desejável que muitos façam esse trabalho espiritual prático. Portanto, poderá haver tantas unidades quanto sejam possíveis. Uma pequena unidade quase sempre trabalha em maior harmonia do que uma grande, pois quanto maior for a unidade de sentimentos, mais poderosa será a energia gerada. Qualquer igreja ou outra organização religiosa onde muitos desejam participar de grupos de oração é bom planejar para numa determinada tarde, numa semana ou mês, reunirem-se com a duração de uma hora ou mais. No início o líder poderá proferir uma palestra inspiradora para todos, podendo, também, divulgar notícias de grupo menores, aumentando o sentimento de unidade e de desejos para atingirem o objetivo comum. Então cada pequeno grupo de três ou mais pessoas, que tenham deliberado a trabalhar em conjunto, poderá esgotar o tempo, dedicando-o à sua própria reunião. Ou poderá acontecer o contrário, isto é, deixar a reunião geral por último.

Já vi oitenta pessoas reunirem-se uma tarde por semana com esse propósito. Um porta-voz de cada grupo relata aos presentes algum extraordinário progresso ou resultado específico obtido pelo seu grupo ou pelo outro. Muitos dos relatos conterão amplas provas do sucesso da oração em grupo. Poderá ser da mudança da discórdia em paz e harmonia; a transformação da tensão em equilíbrio; a produção da cura de uma enfermidade aparentemente incurável; a solução de alguma dificuldade de ordem legal e o sucesso extraordinário dos projetos da comunidade.

Geralmente cada membro de uma unidade leva em seu bolso um cartão com o nome daqueles que pertencem ao seu grupo particular, empenhando-se em dedicar diariamente pelo menos três minutos em oração pelo bem-estar de todos. Se um dos membros necessita alguma coisa privadamente, não desejando que seus companheiros venham a saber, meramente poderá ele solicitar auxílio à Direção Divina. Se livremente se dispuser a mencionar o seu desejo, poderá condensá-lo nessas palavras: "Harmonia com meus companheiros", “um coração altruísta", "melhor saúde", etc. Essas breves anotações em seu cartão, acompanhadas do nome de cada membro, darão a todos os cooperadores um guia específico para dois ou três minutos de oração diária.

Essa é uma maravilhosa cooperação espiritual. Edifica uma profunda consciência de grupo de valor inegável, e amplia o poder individual, permitindo tocar-se em recursos ocultos jamais percebidos. A participação nessa consciência de grupo pode ser obtida por todos aqueles que estejam dispostos a por de lado seus próprios desejos especiais por uns poucos minutos, diariamente, para juntarem-se com outros também desejosos de atingirem o mesmo fim. Representa um alto privilégio para servir, dessa forma, a Cristo.(P&R da Revista Serviço Rosacruz mar/75 – Fraternidade Rosacruz SP)