cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

Quais são as características do Alimento do Futuro?

CARACTERÍSTICAS DO NOSSO ALIMENTO NO FUTURO

Pergunta: Visto que o progresso exige, periodicamente, mudança na alimentação humana poderia eu saber algumas características do alimento do futuro?

Resposta: Atualmente, o alimento que recebemos internamente desfaz-se e decompõe-se devido ao calor interno do corpo, permitindo, desse modo, que o Éter Químico, com qual estão impregnadas todas as partículas alimentares, combine-se com o Éter Químico do nosso Corpo Vital. O alimento, que está magnetizado pela ação do sol sobre as plantas, é então assimilado, e permanece conosco até que se esgote o magnetismo. Quanto mais diretamente os alimentos vierem do sol até nós, tanto mais magnetismo solar eles conterão. Constantemente, eles permanecerão conosco durante um tempo maior se forem comido crus. Quando um alimento sofre o processo de cocção, uma parte do Éter nele contido perde-se, pois uma certa parte das partículas sutis é desenvolvida pelo calor e impregna o ar da cozinha com odor do alimento que provém. Portanto, as células do alimento cru e os alimentos que já foram assimilados pelos outros animais têm muito pouco Éter Químico em si, exceto o leite, que é obtido através de um processo vital e contém uma quantidade maior de Éter que qualquer outro alimento.

No que se refere à carne dos animais, podemos dizer que a maior parte do Éter Químico das suas rações foi absorvida pelo Corpo Vital antes que o animal fosse morto, e ao ocorrer a morte o Corpo Vital deixa a carcaça. Portanto, a carne apodrece muito mais depressa que os vegetais e permanece conosco somente por pouco tempo depois de temo-Ia comido.

A morte e a doença são largamente devidas ao fato de insistirmos em tomar alimentos compostos de células desprovidas de seu Éter Químico individual obtido durante a assimilação vegetal. Este Éter é diferente e não deve ser confundido com o Éter químico planetário que impregna os minerais, as plantas, os animais e ser humano. A alimentação carnívora, pois, privada pela morte, do Corpo Vital individual que envolve o animal durante a vida, fica reduzida realmente a sua forma química mineral que tem pouco valor nos processos vitais; de fato, é prejudicial a eles e deve ser eliminada do sistema tão rapidamente quando possível, pois sendo minerais, essas partículas de carne estão mortas ou são de movimento difícil. Portanto, elas, gradualmente, vão se acumulando. Mesmo a parte dos vegetais que é compostas de cinzas e minerais permanece em nosso sistema, de maneira que há um processo gradual de obstrução que nos consideramos como sendo o crescimento.

Isto acontece porque privamos os vegetais e outros alimentos de seu Éter Químico. Se fossemos semelhantes às plantas e capazes de impregnar os minerais com Éter, seríamos, provavelmente, capazes de assimilá-los e desenvolver nossa estatura de um modo gigantesco, mas tal como somos, o material morto acumula-se cada vez mais até que finalmente o crescimento cessa, devido a nossos poderes de assimilação terem-se tornado cada vez menos eficientes.

Futuramente não digeriremos os alimentos no interior do corpo, mas extrairemos o Éter Químico e o inalaremos pelo nariz onde ele entrará em contacto com o corpo pituitário. Este é o órgão geral de assimilação e agente de crescimento. Nosso corpo tornar-se-á, então, cada vez mais etéreo, os processos vitais não serão embaraçados pelos resíduos obstrutores, e, consequentemente, a moléstia desaparecerá e a vida aumentará em extensão. É significativo, em relação a este fato, que muitos cozinheiros não sentem apetite, pois os aromas picantes dos pratos que eles preparam os satisfazem bastante.

A ciência está aprendendo gradualmente as verdades anteriormente ensinadas pela ciência oculta, e sua atenção está sendo voltada para as glândulas endócrinas, que lhes darão a solução de muitos mistérios. Eles, contudo, não parecem estar inteirados ainda de que há uma ligação física entre o corpo pituitário, o principal órgão de assimilação e, portanto, do crescimento, e as glândulas supra-renais, que eliminam os resíduos e assimilam as proteínas. Elas também estão ligadas fisicamente com outras glândulas: baço, timo e as tireóides. Nesta ligação é significativo, do ponto de vista astrológico, que o corpo pituitário é regido por Urano, que é a oitava superior de Vênus, o regulador do plexo solar, onde está localizado o Átomo-semente do Corpo Vital. Deste modo, Vênus aguarda a entrada do fluido vital que nos vem diretamente do sol através do baço e Urano é o guardião da porta de entrada do alimento físico. É a função dessas duas correntes que produz poder latente armazenado em nosso Corpo Vital, até que seja convertido em energia dinâmica pela natureza marcial do desejo. (P&R da Revista Serviço Rosacruz ago/80 – Fraternidade Rosacruz SP)