cabeçalho4.fw

Perguntas e Respostas

Será que é aconselhável a educação sexual nas escolas?

Pergunta: Tenho lido muitos artigos em revistas atuais sobre os prós e os contras da educação sexual nas escolas. Parece haver argumentos válidos tanto a favor como contra, mas o fato é que um número cada vez maior de escolas está incluindo esta matéria em seu "curriculum". Será que isto é aconselhável?

Resposta: Esta pergunta não pode ser respondida com um arbitrário "sim" ou "não". O problema da educação sexual trata de uma parte fundamental e mal compreendida da natureza humana, portanto, envolve muitos fatores que devem ser levados em conta, se queremos resolvê-los satisfatoriamente. Podemos dizer, respondendo parcialmente a esta pergunta, que em nossa opinião, o LUGAR onde esta informação for dada é menos importante do que a natureza da informação e a maneira como ela for transmitida.

É um assunto profundo sobre o qual a humanidade precisa ser informada e esclarecida com a máxima seriedade.

As pessoas precisam aprender que a função criadora não é só uma necessidade biológica primária, mas é também uma função sagrada. Precisamos saber que fomos destinados a converter a nossa energia criadora em canais mentais e espirituais. A atitude que só visa prazeres em relação ao casamento e ao sexo – como infelizmente é evidenciado nos dias de hoje, por meio de filmes, revistas, jornais, televisão, rádio, etc. – e também é observada na conduta de muitos adultos e adolescentes, acarreta grandes sofrimentos futuros.

O mais importante para a educação dos filhos é a boa educação dos pais. Não há função mais bonita que a do pai e da mãe, como construtores do lar e por isso deveria proporcionar também aos pais, cursos esclarecedores em colégios e universidades e assim alcançaríamos as raízes da delinquência juvenil, crimes sexuais e vários níveis de agressividade. Felizmente, algumas escolas americanas já oferecem cursos úteis que tratam do casamento, da paternidade, da dinâmica de um lar. No entanto, abordam o assunto da educação sexual do ponto de vista puramente biológico e isto não é suficiente. Deveria ser ensinado que todos nós, pais e filhos, temos uma origem divina, feitos a imagem espiritual de Deus e que a força criadora que se encontra dentro de nós e também de origem divina. Como as crianças aprendem principalmente pela imitação, é óbvio que elas precisam de exemplos dignos e só assim poderemos levá-las a cultivar o anseio espiritual de um "Eu" superior e a viver uma vida moralmente digna.

Pais bem informados com respeito à verdadeira natureza e função da energia criadora (estudantes do ocultismo) estão preparados para dar a criança uma resposta correta e elevada, às perguntas naturais que ela fizer. Como muitos pais não estão preparados para esta informação, é naturalmente melhor que as crianças procurem informações mais completas com um professor. A criança imbuída de atitudes corretas estará mais preparada e fortalecida para encarar as tentações da puberdade e da vida adulta, com maior compreensão e com o desejo de seguir modelos morais elevados. É dever de todos os pais prepararem-se para posteriormente estarem aptos a transmitir estes ensinamentos a seus filhos. Um dos ensinamentos que podem ser dados é o seguinte:

"De acordo com a Bíblia, a humanidade era macho–fêmea antes que fosse separada em dois sexos diferentes e distintos como homem e mulher. Ainda existem entre nós hermafroditas que possuem esta formação considerada anormal nos dias de hoje, mas que comprova a verdade dessa afirmação bíblica e fisiologicamente o órgão do sexo oposto está latente em todos. Durante o período em que o homem era assim constituído, a fecundação ocorria dentro dele e isto não nos parece tão estranho quando sabemos que tal fato ocorre até hoje, na fecundação das plantas".

''Vamos ver agora pela Bíblia qual o efeito da autofecundação nos primórdios da humanidade. Há dois fatos importantes que se sobressaem: Um é que existiam naquela época, gigantes na Terra; o outro é que os patriarcas viviam durante séculos. Essas duas características, crescimento exagerado e longevidade são encontrados em muitas plantas atuais. "O grande porte e a longa vida de certas árvores são maravilhosos; elas vivem séculos enquanto o ser humano vive poucos anos".

"É de conhecimento geral dos horticultores que as plantas cessam o seu crescimento quando florescem muito. Uma rosa pode florir a tal ponto que morrerá depois; portanto, um jardineiro sábio podará os brotos da planta para que a força possa ir, em parte, para o crescimento ao invés de ir para a floração. Assim, conservando a semente dentro de si, alcançará a força necessária para o crescimento e a longevidade".

"É evidente que a essência geradora na semente é uma substância espiritual e podemos observar e comparar a intrepidez e a impaciência de um garanhão ou de um touro, com a mansidão de um novilho ou de um cavalo castrado. Além disso, sabemos que um libertino convicto e um degenerado tornam-se estéreis e enfraquecidos.

Quando tomamos consciência destes fatos não será difícil entender a verdade da afirmação bíblica que diz: o fruto da carne que nos traz sob lei do pecado e da morte é, antes de tudo, fornicação, enquanto que os frutos do espírito que nos levam a imortalidade, como nos é mostrado no mesmo livro, são a abstinência e a castidade".

"'Vamos considerar agora a criança e como a força criadora, usada dentro da criança e para ela, causa um grande crescimento durante os primeiros anos da infância. No entanto, quando chega à puberdade, o despertar da paixão, esta força começa a ser um empecilho para o crescimento. A força vital produz, então, a semente que irá encontrar condições de crescimento e expressão em outro lugar e daí o crescimento ser estancado. Se continuássemos a crescer como durante a infância, seríamos gigantes, como os hermafroditas dos tempos passados".

"A força espiritual gerada na época da puberdade e durante toda a vida pode ser usada para 3 fins: procriação, degeneração ou regeneração. Dependerá de nós qual dos 3 métodos escolheremos. A escolha que fizermos pesará sobre nós durante toda a vida, pois as consequências do uso desta força não estão restritas ao tempo nem a ocasião em que esta força foi usada. Quer sejamos capazes de agarrar nossas oportunidades ou deixa-las escapar; quer sejamos saudáveis ou doentes; quer vivamos nossa vida de acordo com um objetivo satisfatório ou não; tudo isto dependerá da maneira como usarmos a força vital".

"Se ao invés de gastarmos nossa substância, resolvermos viver castamente, dirigindo a força criadora para a regeneração estaremos sublimando e refinando nossos corpos físicos ao mesmo tempo que fortificamos nossos Corpos-Alma. Desta maneira podemos prolongar a nossa vida material e aumentar as oportunidades de maior crescimento anímico e progressos no Caminho".

(Traduzido da revista ''Rays from the Rose Cross" e publicado na Revista Serviço Rosacruz – 08/81 – Fraternidade Rosacruz – SP)