cabeçalho4.fw

Valioso Patrimônio

Valioso Patrimônio

Muitos se queixam das dores físicas e morais pelas quais passam nesta vida. Em vez de nos queixarmos, devemos pôr em prática o autoexame, a fim de percebermos em que ponto está à insuficiência para descobrir a falta, ou seja, a causa das tribulações. Deste modo a vergastada de Saturno durará pouco ou até perderá seu efeito. Não é propósito de Deus, amoroso e justo como é, que soframos neste mundo. Nós é que, pela transgressão das leis da natureza, provocamos efeitos dolorosos.

O autoexame e o descobrimento da causa de nossas dores é uma preciosa lição que deve ser aprendida por todo aspirante sincero a espiritualidade. Ao descobrir e assimilar a razão do sofrimento, eleexperimentará a alegria que sente o que encontra a valiosa pérola do conhecimento. E essa alegria superará as dores elembranças tristes que envolveram a aprendizagem da lição. Compensa em muito. E, no decorrer do tempo se desenvolverá, no aspirante, a posse mais valiosa do Ego: o EQUILÍBRIO – que o levará acima das exigências do mar das emoções, ao reino de paz eterna que sobrepassam todo o entendimento. Esta é a lição que nos transmite aquela passagem dos Evangelhos em que o Cristo vem andando sobre as águas e sua aparição atemorizou os discípulos no barco. Então, Pedro pediu permissão ao Mestre de ir ao Seu encontro, andando também sobre omar. Mas temeu e ia afundando, quando o Mestre o amparou. Isto significa: o aspirante deve confiar em suas possibilidades espirituais e buscar sobrepor-se a sua instabilidade emocional, contando, entretanto, com auxílio superior, nos momentos de fraqueza (pois o único fracasso é deixar de lutar).

Ao atingir ele esse ponto de seu desenvolvimento, tanto Saturno como Júpiter ou outros Espíritos Planetários não mais terão poder de impulsioná-lo, pois foi aprendida a regra do domínio próprio e desde então, poderá tomar o timão de seu destino e orientá-lo pelo adequado uso da razão superior, que está de acordo, sempre, com a vontade divina. É o que significam as palavras de Paulo: “Já não sou em quem vive, mas o Cristo (o Espírito Interno) em mim”; e as de Cristo: “Eu e o Pai somos um”. Goethe, o grande Iniciado alemão esclareceu a este respeito: “O homem se liberta de todas as forças que encandeiam o mundo quando alcança o domínio de si mesmo”.

A Fraternidade Rosacruz e a Ordem Rosacruz, como Escola de Mistérios Ocidentais, adaptada à necessidade evolutiva desta parte mais adiantada do globo, nunca louva e jamais condena; nunca obriga o Aspirante a nada. Apenas o orienta, deixando que o anseio de libertação brote espontaneamente de seu íntimo. O discernimento, a capacidade de julgar os atos, pensamentos e emoções, cabe a cada um, orientado pela Rosacruz. Em todos os Aspectos os Irmãos Maiores ensinam-no a manter-se e andar com suas próprias pernas, de modo a não depender de ninguém, nem mesmo deles. Esta é uma das diferenças entre o método Ocidental (Rosacruz) e o Oriental (demais escolas, algumas até indevidamente com o nome de Rosacruz, também).

Diz acertadamente o provérbio: “quanto mais alto subimos, tanto maior é a queda”. Isto no caso de cairmos e há esse perigo. Em qualquer grau de nosso desenvolvimento

Preparatório ou mesmo iniciáticos pode um indivíduo cair numa prova. E as provas existem para testar sua firmeza eavaliar-lhe o mérito de atingir pontos mais altos, como os exames e sabatinas ao estudante que deseja avançar na escola. Somente pelo cultivo do EQUILÍBRIO e da autoconfiança, ligadas ao zelo de uma firme devoção, estaremos aptos aprosseguir. Não importa o que possam dizer de nós. Por mais discretos que sejamos em nossa atuação (e a discrição é importante mesmo) não podemos evitar que muitos nos julguem “diferentes” e outras coisasmais. Não importa, repetimos. As opiniões, as palavras, não tem o poder intrínseco de nos ferir, se vibramos superiormente. É nossa própria atitude mental em relação as palavras e atitudes dos outros que determinam seu efeito sobre nós, tanto para o bem como para o mal. Paulo, face a perseguição e maledicência, afirmou que “nenhuma dessas coisas me comove”. OEQUILÍBRIO é indispensável à quem pretende avançar espiritualmente. Sem ele o Corpo de Desejos se desenfreia ou se congela na proporção da natureza das emoções geradas no convívio com osoutros.

Ser pacífico numa vida fácil ou nas montanhas ou ainda vivendo como um eremita é simples e não tem méritos. Como disse Cristo: “ser amigo de quem nos ama e agrada é muito fácil; é preciso que amemos nossos inimigos”. Realmente é difícil manter uma atitude equânime, equilibrada, pacífica, num ambiente industrial ou em meio à tribulação. Todavia é preciso que essa atitude seja por nós conquistada. Muitas pessoas famosas chegaram a sê-lo porque verificaram, em tempo, que a perda de equilíbrio interferia em suas ambições. Por isso praticaram o equilíbrio. Em suas biografias e observações relatam que o equilíbrio lhes trouxe um aumento de eficiência nos negócios, na saúde e, por corolário, na felicidade em geral. Ora, se o autocontrole pode ser conseguido pelas pessoas mundanas e tanto benefício tem trazido às condições ordinárias da vida, igualmente é benéfico nos esforçarmos para seguir o “caminho”. Aliás, somos observados por nossos familiares e companheiros. Em nós o equilíbrio deve ser uma coisa natural, porque constituem um reflexo lógico da fé e da esperança. Se damos um bom exemplo, nos constituímos defensores daqueles companheiros mais novos que ainda não tem grande iluminação, dando-lhes ânimo para alcançá-la também.

A depressão e a soberba são nocivas. O EQUILÍBRIO deve ser cultivado, como auxílio na obtenção e manutenção da saúde e condição de maior avanço espiritual.

Esperamos que todos consigam possuir esse patrimônio valioso.

(Revista: Serviço Rosacruz – 04/65 – Fraternidade Rosacruz – SP)