cabeçalho4.fw

O Valor do Inventário Espiritual

O valor do inventário espiritual

O ano passado, com tudo o que nos proporcionou em termos de venturas e tristezas, êxitos e malogros, já faz parte do passado. É mister, entretanto, proceder-se a um inventário espiritual. O estudante Rosacruz sincero, por certo, analisará sua atuação durante o período recém-findo, objetivando verificar a extensão de seu progresso e a estatura de seu patrimônio moral. É uma autoanálise. Seguramente evidenciará as falhas de caráter e as virtudes já conquistadas. Fará vir à tona uma série de distorções subconscientes. Mostrará, enfim, as debilidades a serem substituídas gradativamente pelas qualidades opostas, e os pontos positivos que deverão ser fortalecidos. É um dever ao qual não podemos nos eximir.

Não olvidemos o trabalho empreendido pelo Espírito de Cristo, cujo clímax é atingido pelo Natal. Estejamos cientes de nossa responsabilidade perante essa ajuda. O refrão popular "Deus ajuda a quem se ajuda” tem sua razão de ser. Não poderemos usufruir dessa infusão de energia espiritual se nos mantivermos "impermeáveis” a ela. Nosso crescimento será maior e mais rápido na medida em que agirmos consoante a Lei Cósmica.

É lógico, o ser humano mundano é também envolvido pelo Auxílio Crístico, porém em amplitude bem menor do que o espiritualista que se esforça por tornar-se não só um elemento receptível, mas também um canal a espargir as mais elevadas bençãos. Na proporção em que se aumenta a capacidade de dar, ampliam-se as possibilidades de receber. É uma Lei!

É importante conscientizarmo-nos de que somos canais. Mas só isso não basta. O canal necessariamente deverá estar limpo e desimpedido para que o fluxo através dele não sofra solução de continuidade. Aí encontramos o valor do inventário espiritual. Ele nos propicia o real vislumbre dos atritos a serem eliminados, dando-nos a dimensão exata do trabalho de purificação e regeneração a ser executado.

É louvável nosso desejo de ajudar a humanidade. É compreensível e confortadora nossa ânsia de trabalhar na Vinha do Senhor. Contudo, nós o faremos mais eficientemente se nos libertamos pouco a pouco de nossas falhas.

Preparemo-nos convenientemente para a labuta do ano entrante, delineando alguns objetivos a serem colimados. E que um deles seja o aprimoramento de nosso caráter.

(Gilberto A V Silos – Editorial da Revista Rosacruz – jan/73 – Fraternidade Rosacruz - SP)