cabeçalho4.fw

Os Dani e o Sexo

Os Dani e o Sexo

"A tribo Dani, composta por aborígenes de Nova Guiné, é um estranho caso de comportamento humano, pois contradiz um dos mais fortes instintos da natureza – o sexo. Os 'danis' se interessam bem pouco pelo sexo. Durante toda a sua vida se dedicam a outras atividades, para grande espanto dos cientistas que estudam sua civilização e costumes. ".

"Um casal Dani realiza comedidamente suas relações conjugais. Só as inicia após dois anos de convivência. Como regra geral, abstém-se de relações durante cinco anos, após o nascimento de cada filho. "

"Esses inteligentes indígenas não conversam sobre sexo nem se manifestam frustrados pela abstinência sexual. O professor Karl G. Heider, da Universidade de Carolina do Sul, conviveu diversos anos com os Danis e acredita que tais fatos "têm importantes implicações para nossa compreensão do comportamento sexual humano. "

"Segundo Heider, essa descoberta parece desafiar a teoria de Freud, segundo a qual existe em todos os seres humanos certa quantidade de energia psicológica que se expande de uma forma ou outra: ou nas atividades sexuais ou na violência (guerra) ou em criações artísticas ou científicas. "

"Esclarecemos que os Danis são fortes, corajosos e gozam de excelente saúde. Às vezes lutam com tribos vizinhas, mas o fazem sem o ódio e agressividade, que são as características da maioria dos outros povos. O adultério é quase desconhecido entre eles e a abstinência sexual não parece torná-los insatisfeitos. "

"O prof. Heider se pergunta: 'Os Dani terão de aprender de nossa sociedade, ou, pelo contrário, deveremos nós seguir o seu exemplo? "

É louvável o esforço dos cientistas e lamentável que fiquem condicionados à ciência acadêmica, limitada pelas estreitas possibilidades comuns. Se o dr. Heider se desse à abertura de ler um pouco da Filosofia Rosacruz, poderia encontrar uma clara resposta à sua dúvida.

A deturpação sexual é um vício profundamente arraigado na raça humana em geral; um ignorante hábito, bem antigo. Como sabemos do enorme poder do hábito, não recomendamos violentas e súbitas mudanças, que podem ocasionar recalques e frustações piores. O método Rosacruz baseia-se na reforma em geral no próprio veículo dos hábitos: o Corpo Vital (ou etérico). Pela persistente e gradual mudança de hábitos, para melhor (segundo as revelações mais elevadas que recebemos por Max Heindel), buscamos efetivar a transformação de modo racional e equilibrado.

Que é o ideal na questão sexual?

O apontado pela Bíblia: o sexo deveria ser utilizado apenas na fecundação, do modo mais puro possível, para gerar corpos puros, sem paixão, que leva a semente da discórdia e da enfermidade.

Após a fecundação, os atos sexuais, carregados de paixão, causam perturbações vibratórias e fazem sofrer a criança que se forma no ventre da mãe. Diríamos que é melhor fazer a abstinência sexual durante a gestação do que após o nascimento. No entanto, no caso da mãe amamentar o filho (já se vai tornando raro, infelizmente), também a paixão sexual afeta o leite.

Há uma distância entre o que somos e o que deveremos ser. Mas não devemos perder de vista o ideal, buscando aproximar-nos dele, por um método racional. Os conceitos científicos são muito relativos. Um espiritualista sincero tem possibilidades incomuns. Entretanto, o casamento implica diálogos e nenhuma decisão deve ser imposta unilateralmente. De comum acordo, num fraterno diálogo, a questão sexual deve ser resolvida, sem exageros, senão baseada numa atenta observação das possibilidades internas.

Com as gerações, a verdade se estabelecerá, mostrando que, pelo menos nesse aspecto, os Danis estão mais certos que os "civilizados".

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz dez/76)