cabeçalho4.fw

Você realmente quer alcançar o conhecimento direto?

Você realmente quer alcançar o conhecimento direto?

 

Diversos aspirantes à vida superior chegam até a Fraternidade Rosacruz (FRC) revelando grande interesse em desabrochar seus poderes espirituais. Muitos, apesar de convictos, vêm em busca de respostas as seus anseios. Outros desejam co-validar créditos de outra Escola, isto é, relatam que já passaram por correntes espiritualistas e, por isso, acreditam que já galgaram etapas básicas do treinamento esotérico e podem iniciar etapas mais profundas. “Você pode me adiantar para o curso superior de astrologia ou me inscrever no probacionismo?”, dizem alguns.

Quando são lhe informado que devem realizar o Curso Preliminar de Filosofia Rosacruz, antes de se inscreveram nos cursos de astrologia e que somente após um período mínimo de 24 meses recebendo semanalmente instruções espirituais do Mestre, podem se candidatar ao probacionismo, saem desapontados. Tal atitude revelam que ainda não compreenderam o que significa a busca pelo verdadeiro desabrochar espiritual.

Mas a questão não é somente esta. Há outro fator que não parecem compreender. É o fato básico de possuir os requisitos básicos necessários para que o Mestre possa realmente iniciar o neófito nas tão almejadas verdades espirituais. Sem tais requisitos, esta aspiração não passa de sonho. A pergunta natural que se faz, neste ponto, é a mesma que o jovem aspirante fez ao sábio: "Senhor, o que devo fazer para tornar-me um sábio?" (Introdução do Livro o Conceito Rosacruz do Cosmos), ou quais são estes requisitos para que o Mestre venha até mim e me inicie?

Todos concordam que para  adquirir uma formação acadêmica, a consagração de tempo constitui um dos principais ingredientes para que isso se torne uma realidade. Apesar de necessária, essa consagração não é suficiente. Veja bem, sabemos que muitos jovens alcançam a formação acadêmica, todos os anos. Mas, quantos jovens saem da universidade com mais do que o título e a formação? Isto é, quantos jovens saem com um domínio total do conhecimento adquirido. Quantos realmente saem do nível de aprendiz e passam para o nível de mestre no assunto? Pouquíssimos! Compreende o porquê o tempo é necessário, mas insuficiente?

Os alunos que realmente adquiriam poder sobre algum assunto foram além do tempo. O que lhes conferiu tal poder foi o SACRIFÍCIO. Pelo sacrifício, ganhamos! “É dando que recebemos; é morrendo que nascemos para vida eterna” (Trechos da Oração de S. Francisco). Entre os sacrifícios para formar um bom profissional, destacamos: lazer; período diário para não apenas assistir as aulas, mas para estudar e se aprofundar no assunto; recusar trabalhos que ajudariam no orçamento mensal, pois tem foco; horas de sono; momentos agradáveis com amigos e família; entre muitos outros interesses concorrentes. Por meio da consagração de tempo para o estudo e o Sacrifício de diversos outros hábitos ou afazeres que poderiam preencher sua vida neste período de formação, ele obteve FOCO e pôde se aprofundar, adquirindo poder sobre os assuntos estudados.

"Senhor, o que devo fazer para tornar-me um sábio?" Finalmente o sábio deu-lhe ouvidos, e então desceu a um rio próximo. Entrou na água convidando o jovem e levando-o pela mão. Quando alcançaram certa profundidade o sábio, pondo todo seu peso sobre os ombros do rapaz, submergiu na água, apesar dos esforços que este fazia para livrar-se. Por fim o sábio largou-o, e quando o jovem recuperou alento perguntou-lhe: "Meu filho, quando estavas debaixo d'água o que mais desejavas?" O jovem respondeu sem hesitar: "Ar, ar! eu queria ar!" "Não terias antes preferido riquezas, prazeres, poder ou amor, meu filho? Não pensaste em nenhuma dessas coisas?" indagou o sábio. "Não, senhor! Eu desejava ar, só pensava no ar que me faltava", foi a resposta imediata. "Então", disse o sábio, "para te tornares sábio deves desejar a sabedoria com a mesma intensidade com que desejavas o ar. Deves lutar por ela e excluir de tua vida qualquer outro objetivo. Essa e só essa deve ser, dia e noite, tua única aspiração. Se buscares a sabedoria com esse fervor, meu filho, certamente tornar-te-ás sábio".

Esta aspiração traduz-se em sacrifício! Muitos que chegam à FRC possuem este anseio sincero por sabedoria, mas poucos estão dispostos a compreender e a realizar os sacrifícios necessários para se adquirir o conhecimento direto, o poder espiritual. “Saber o caminho é diferente de percorrer o caminho”. Se estas pessoas que relatam possuir conhecimentos avançados e, por isso, querem cortar caminho, (isso também vale para os membros antigos que, muitas vezes, acabam caindo na cilada de deixar de realizar os exercícios e buscar fora algo “mais elevado”), por que ainda não conseguiram o contato consciente com o Mestre, o único capaz de lhe oferecer algo mais elevado? O leitor agora percebe o motivo que o chamamos estas pessoas de “perdidos”?

Pelo sacrifício, recebemos! Pelo sacrifício, temos graça! “(...) aniquilou-se a Si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.
E achando-se na condição de homem, humilhou-se a Si mesmo, tornando-se obediente até à morte, a morte na Cruz. Pelo que também, Deus o exaltou soberanamente e Lhe deu um nome que está acima de todo o nome, para que ao nome de Cristo-Jesus, se dobre todo o joelho, e toda a língua confesse, que Cristo-Jesus é o Senhor, para a glória de Deus Pai" (Trechos do Ritual do Serviço Devocional Rosacruz). Cristo – Caminho, Verdade e Vida – ensinou-nos o sacrifício em seu mais alto significado. Por isso ele obteve graça.

Abraão foi capaz de sacrificar seu filho Isaac (obras de seu Eu Superior) em favor da vontade do Senhor. Mas foi divinamente impedido, pois Deus já tinha visto que tinha a coragem para tal. Por isso, foi agraciado, alcançou iniciações ainda maiores. Do mesmo modo, Salomão desejou sabedoria para governar seu povo, ao invés de pedir faculdades ou regalias pessoais. Por isso, entrou em estado de graça e Jeová o tornou o ser humano mais sábio que já viveu.

“Aquele que não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim. Aquele que acha sua vida, a perderá, mas quem perde sua vida por causa de mim, a achará”. (Mateus, 10: 38,39). Este constitui um dos fatores que faz o aspirante passar muitos anos sem contato com o Mestre. Isto é, o interesse pessoal ou egoísmo sutil e inconsciente que o envolve o aspirante durante sua tentativa de percorrer o caminho da senda da preparação (Para mais informações sobre a senda da preparação, vide Conferencia XI do livro Cristianismo Rosacruz).

Quem consegue abandonar (sacrificar) o próprio anseio de obter acesso direto as verdades espirituais, em favor de servir ao próximo? O maravilhoso poeta de Longfellow, A Lenda Formosa, retrata com maestria este sacrifício em favor dos outros. João Batista também fornece uma das fórmulas para adquirir este poder: “É necessário que ele cresça e que eu diminua”. (João 3:30).

Estimado amigo, se desejas verdadeiramente adquirir poderes espirituais, trabalhe para despertar em seu coração, a sabedoria do sacrifício equilibrado. Sem este requisito, todos os livros e conhecimentos que adquiriu serão estéreis.

“Que as rosas floresçam em vossa cruz”