cabeçalho4.fw

Qual é o Mistério Incontestável

Qual é o Mistério Incontestável

Vamos decifrar esse mistério: “A quem vencer, eu o farei coluna do Templo do meu Deus, e dele nunca sairá” (Apo 3:12).

Essas palavras aparecem no Apocalipse de São João e são de natureza profética. Seu significado é muito claro e conciso. Adaptando-lhe os termos da Filosofia Rosacruz, quer dizer que aqueles que extraíram da existência física o Corpo-Alma, ou seja, o Veículo de Cristo, tornam-se servos em Sua Vinha ou Reino e não mais retornam ao mundo material. Os que não vencerem, devem retornar à Terra pelo renascimento para poderem progredir, sendo-lhes dada assim outra oportunidade de revestirem-se do Manto Dourado Nupcial.

Temos aqui uma positiva evidência do RENASCIMENTO, cuja doutrina é indispensável para podermos aceitar a evolução. O progresso depende de substituir o velho pelo novo, à medida que avançamos; a morte para o velho e o nascimento para o novo, como acontece com a vida.

A forma é uma necessidade para a expressão da vida que é eterna. Em sua evolução, a vida teve, necessariamente, de usar diversas formas que sempre foram melhorando conforme a vida progredia. Daí a morte e o renascimento resultando da verdade: “Deveis nascer de novo”. Quando a forma se torna imprestável para uso do espírito deve ser abandonada, daí resultando a morte, e uma nova forma deve ser construída para que o desenvolvimento do espírito continue. Tal é o princípio do Renascimento. O Renascimento é, portanto, um fator incontestável na evolução, já que o progresso, sem ele, é inadmissível, e o renascimento torna-se parte da nossa concepção da eternidade, uma necessidade para aquilo que era, é e será.

O Renascimento é, na verdade, um fator indiscutível na evolução, pois o progresso é impossível sem ele. Velado em mistério, sua aceitação ainda depende da nossa fé. Para alguns, todavia, há dificuldades em aceitá-lo, porque não podem compreender que o espírito perca a lembrança de sua existência espiritual superior durante as encarnações. Isso acontece para que ele dê maior importância à sua vida física, pois se tivesse lembrança de sua vida nos mundos superiores não daria a devida importância à sua existência material e sua vida aqui na Terra seria de pouca valia para ele. Pode-se facilmente reconhecer a sabedoria que preside a essa circunstância, quando verificamos que o espírito desceu à existência no Mundo Físico para aprender tudo o que puder a respeito deste mundo como parte da sua evolução e, não tendo conhecimento de sua existência superior, é impelido a aplicar-se na vida aqui na Terra. O ocultista sabe que o renascimento é uma verdade porque vê o Ego e pode acompanhá-lo desde a sua saída do corpo por ocasião da morte até que reaparece na Terra por meio de novo renascimento.

A Filosofia Rosacruz estabelece que o Corpo Denso do ser humano era semelhante ao mineral durante a Época Polar; semelhante ao vegetal durante a Época Hiperbórea; semelhante ao animal, possuindo um Corpo de Desejos, na Época Lemúrica, tendo chegado ao estado humano, possuindo Mente, na Época Atlante e que agora está desenvolvendo o terceiro aspecto do seu Tríplice Espírito, o Ego, na Atual Época Ária. As mudanças feitas por meio das referidas mortes e nascimentos foram feitas pelo próprio espírito em seu estado inconsciente, mas atualmente adquiriu a CONSCIÊNCIA DE SI MESMO, exercendo em alguma extensão sua vontade individual, o que o está habilitando a desenvolver seu poder Espiritual Divino.

Atualmente o ser humano é grandemente responsável por seus atos estando sujeito à Lei de Consequência. Esta Lei, agindo em harmonia com as estrelas, traz o ser humano ao nascimento quando as posições dos corpos do sistema solar fornecem as condições necessárias à sua experiência e progresso na escola da vida. As Leis do Renascimento e de Consequência têm sido ensinadas secretamente em todos os tempos, porém não foi ensinada publicamente no Mundo Ocidental durante os últimos dois mil anos.

A Hierarquia Criadora de Escorpião, os Senhores da Forma, tem a seu cargo os três germes dos Corpos Denso, Vital e de Desejos durante o presente estado evolutivo. Essa Hierarquia sob a direção de outras ainda mais elevadas, faz, realmente, o principal trabalho nesses corpos, usando a vida evoluinte como uma espécie de instrumento. Atualmente estão com o encargo do terceiro aspecto do Espírito no ser humano, o Espírito Humano, no resto do Período Terrestre.

O Sol está agora transitando por Escorpião, o Signo dos segredos, da morte e da regeneração ou renascimento. Esse segundo Signo da Trindade Reprodutora está nos preparando para um renascimento do Cristo pelo Natal, enquanto a Mãe Terra mergulha no silêncio e na morte das temperaturas frias e geladas para o Hemisfério Norte; mas, pela Páscoa, desperta para uma alegre primavera. O nascimento e a morte são necessários um ao outro como polos opostos de manifestação da vida. O segredo da morte é a preparação para o nascimento. O princípio do renascimento - APARECER DE NOVO - está sempre diante de nós: o Sol nasce pela manhã e morre à tarde para aparecer novamente no dia seguinte; nossa consciência vem ao despertarmos do sono, para morrer mais tarde quando o sono retorna.

Esse princípio de atividade consciente e inconsciente age em todos os planos, em grau diverso. Pelo renascimento cada novo aparecimento é uma melhora nas condições anteriores, se adquirimos o conhecimento por meio da experiência, à proporção em que caminhamos para a frente e para cima, sempre.

É o polo positivo do ígneo Marte, por meio de Áries, que traz o renascimento ao plano material no Mundo Físico e é o polo negativo desse planeta que introduz o renascimento no mundo celeste por meio de Escorpião, precedido da morte no Mundo Físico. Portanto, Marte é o Senhor do Renascimento.

A criação procede da geração e a geração é o resultado da atividade sexual administrada por Marte. O sexo manifesta-se em tudo, já que os princípios masculino e feminino estão sempre ativos no universo, seja no plano físico, mental ou espiritual. Toda atividade resulta da ATRAÇÃO e o sexo é o poder ativo que está por trás da atividade. No plano físico, as atividades dos elétrons, dos átomos e dos corpúsculos são simples atividades sexuais.

No plano mental, a Mente objetiva e a Mente subjetiva do homem e da mulher, respectivamente, estão em atração sexual, enquanto que no plano espiritual existe a atração das essências espirituais entre o Corpo Pituitário e a Glândula Pineal, com a correspondente boda entre o Eu Inferior e o Eu Superior. A atividade sexual, o princípio causador da criação, deu a Marte o título de AUXILAR DO SOL, o Senhor da Criação.

Vejamos agora o que a crença no renascimento pode fazer por nós em nossa vida neste plano físico. Primeiramente revela o fato de que o ser humano sendo consciente de si mesmo e agindo de acordo com seus desejos, torna-se responsável por suas ações. Essas ações, sob a Lei de Consequência, (isto é, o efeito que resulta da causa) ajudam a modelar sua vida. Aprende que colhe boas recompensas pela ação reta, e dores e sofrimentos pelos maus atos. Não pode escapar dessas consequências, pois se não aparecerem na vida atual, aparecerão em vida posterior como “destino maduro” a ser dissolvido, às vezes em situação mais difícil, quando é maléfico. Portanto, o ser humano tem muitos incentivos para se tornar melhor pessoa por sua vida evoluinte.

O Renascimento vem ao encontro da doutrina da Ressurreição, pois por seu intermédio, o aguilhão da morte é removido e perdida a vitória do túmulo, pois o que desapareceu tornará a aparecer.

O renascimento revela a eternidade da vida que dá alegria de viver e das aspirações por sucesso na evolução, pois os fracassos nesta vida poderão tornar-se vitórias na vida futura por meio de novas oportunidades para vencer o que hoje nos cerceia.

As repetidas vidas do correto viver e de correto pensar habilitam-nos a conhecer de onde viemos, para onde vamos e por que estamos aqui, bem como o que o futuro nos reserva acerca da Liberdade de escolha.

O renascimento revela a sabedoria de Deus e a justiça das Suas Leis, a Santidade da vida e, sobretudo, a grandeza do ser humano feito à imagem de Deus.

A crença no Renascimento não é coisa nova; existe na Índia desde tempos antigos; é encontrada no Budismo; contida no Corão, o livro sagrado de Islã; é conhecida dos Lamas do Tibete. Foi ensinada por Pitágoras e dos gregos foi transmitida à primitiva Igreja Crista. É religiosa, filosófica; e também podemos dizer, científica.

Na realidade a morte não existe. O que assim parece é uma perda temporária de consciência num período de transição, quando passamos de um degrau para outro superior na escada da evolução.

Erradicando o temor da morte de nossas vidas pelo conhecimento do renascimento, a transmutação e a transfiguração guiam o curso das nossas vidas para os portos celestes da paz e do amor, ao mesmo tempo que o espírito viaja para seu Criador, tendo cumprido sua missão o melhor que pôde, para alegria do seu Senhor.

“E quando tenha terminado meu trabalho na Terra,

E meu novo trabalho no céu comece.

Esqueça eu os louros que ganhei.

Enquanto trabalho pelos outros. ”

(Autor desconhecido)

(Publicado na Revista Serviço Rosacruz de novembro/1978)