cabeçalho4.fw

Crise Econômica e Saúde Mental

Crise Econômica e Saúde Mental

Os internamentos nos hospitais psiquiátricos e a situação da economia são fatos inter-relacionados.

O dr. Harvey Brenner, da Universidade de Harvard, examinou os registros de todos os hospitais psiquiátricos do Estado de New York, nos últimos 127 anos. Suas pesquisas, como outras efetuadas pelos drs. Louis Kopolow e Frank M. Ochberg, do Instituto Nacional para a Saúde Mental, confirmam esse paralelismo entre a prosperidade ou recessão no campo econômico e o índice de pessoas internadas em hospitais psiquiátricos.

A faixa mais atingida é a de pessoas do sexo masculino, entre 45 e 60 anos de idade. As profissões mais sensíveis às oscilações da economia são as dos operários semiespecializados e dos trabalhadores em seções de montagem nas indústrias.

Os distúrbios emocionais são, tão somente, parte do problema, pois as mesmas tensões produzem doenças físicas que acompanham os altos e baixos da economia. A medicina psicossomática tem verificado esses efeitos, especialmente no campo dos distúrbios das coronárias e na incidência de úlceras gástricas. A ação recíproca dos fatores emocionais, ambientais e físicos constitui um conhecimento essencial, "pois que a crise econômica, aliada às depressões emocionais e doenças físicas, representa uma ameaça ao ser humano" de Science News, 14 de fevereiro de 1976.

Não reputamos surpreendentes as revelações acima. Como aspirantes a uma vida espiritual, fácil se nos depara verificar a urgência do assentamento de bases espirituais mais sólidas na vida da humanidade. Certamente, a crise econômica representa uma grande provação, especialmente para os pais de família, responsáveis pelo bem-estar de seus dependentes.

Também a monotonia de um trabalho excessivamente rotineiro, como o de uma linha de montagem, pode conduzir a distúrbios emocionais, caso não se adote uma filosofia de vida. Nunca é demais repetir que o reto pensar e o reto viver estimulam evolução do Ego, provendo a harmonia de seus veículos.

Tal atitude ensejará forças durante a provação; e esta será compreendida como uma lição evolutiva – o que realmente ela é – sendo o resultado um aumento de poder anímico.

Não somos obrigados a aceitar as realidades desagradáveis do mundo material. Podemos dar um passo à frente e compreender as lições que ele contém, as oportunidades que oferece e assim manter o nosso equilíbrio físico, mental e emocional.

(Traduzido da Revista Rays from the Rose Cross e publicado na Revista Serviço Rosacruz de 08/1977)