cabeçalho4.fw

Relação da Sabedoria com o Conhecimento e o Amor

Relação da Sabedoria com o Conhecimento e o Amor

Como fator de relação com a Sabedoria, seria errôneo menosprezar o conhecimento, tal a sua importância em nossa vida, mesmo porque o sistema educacional obriga-nos adquiri-lo.
Dada essa circunstância, Max Heindel aponta para uma complementação, quando diz: "Tão seguramente como o pensamento existiu antes do cérebro e o construiu e ainda está construindo para sua expressão; tão seguramente como a Mente está abrindo caminho, pela força de sua audácia, arrancando segredos da natureza, com a mesma segurança o coração encontrará a forma de romper suas cadeias satisfazendo seus anelos agora impedido pelo cérebro dominante. Porém, algum dia dar-se-á o aumento de sua força e lhe será possível remover as barras de sua prisão, para converter-se em um maior poder do que a Mente".

Esse será o momento em que os Ensinamentos Rosacruzes virão em auxílio daqueles intelectualmente inclinados, atraídos pelo desenvolvimento do poder cerebral para conduzi-los através do raciocínio ocultista ao desenvolvimento místico cristão do coração.

O conhecimento é poder. O conhecimento em si mesmo não é nem bom nem mau, já que poderá ser usado com um ou outro propósito, o que é demonstrável na ação do gênio, cuja tendência poderá ser boa ou má. O indivíduo de guerra, tal como Napoleão, poderá ser cruel e destruidor, espezinhando sentimentos, porém, um governante sábio é tão bom de coração como poderoso intelectualmente, o que dá margem para realizar uma ação equilibrada permitindo-lhe promover o que é de melhor para seu povo. O conhecimento que se desenvolve ao longo ou em fases ocultas ou religiosas apenas, não é sabedoria, tal como disse São Paulo na 1ª Epístola aos Coríntios – Cap. 13: "Se compreendêssemos todos os mistérios e toda ciência...e não tivéssemos Amor, nada seríamos".

Como não há contradição na natureza, o Coração e a Mente devem ser capazes de se unir, uma vez que "a Mente auxiliada pela intuição do Coração poderá sondar mais profundamente os mistérios do ser, o que não seria possível se cada um agisse separadamente. O Coração, unindo-se com a Mente, não poderá extraviar-se" - (Livro Conceito Rosacruz do Cosmos). A natureza do Coração – o Amor – sente que há algo mais elevado do que apenas a Mente poderia captar. O Coração pode enveredar-se nas profundas verdades desconhecidas.

Através da nossa literatura sabemos que a Filosofia significa "Amor e Sabedoria". A Sabedoria é o Segundo Aspecto do Deus Trino – o Principio Crístico – a meta da Humanidade, que será alcançada quando nosso conhecimento tenha se desposado com o amor. Então teremos Sabedoria, uma expressão do Espírito de Cristo.

Max Heindel afirma no livro Ensinamentos de um Iniciado: "Devemos ter muito cuidado em discernir adequadamente este ponto, pois podemos ter discernimento entre o que é conveniente para o desenvolvimento de um determinado fim e o que poderá obstaculizá-lo, já que podemos fazer uma má opção com olhos a uma realização futura, o que não demonstra sabedoria, evidentemente. O conhecimento, a prudência, a discrição e o discernimento nascem na Mente, armadilhas do mal, as quais Cristo na Oração Dominical nos ensinou, como orando, nos livrássemos delas. Somente quando temperadas pela faculdade do Amor que nasce do coração poderão mesclar-se convertendo em Sabedoria".

Se substituíssemos a palavra Sabedoria pela palavra Amor na 1ª Epístola aos Coríntios, cap. 13, compreenderíamos que esta grande faculdade é a que deveríamos ardentemente desejar.

(Revista Serviço Rosacruz – 04/81 – Fraternidade Rosacruz – SP)