cabeçalho4.fw

Por que investigar os Mundos invisíveis?

Os Mundos invisíveis

Pergunta: Por que investigar os Mundos invisíveis?

Resposta: Se soubéssemos, com absoluta certeza, que em um dia mais ou menos remoto seremos levados para um país onde deveremos viver durante muitos anos sob condições novas e estranhas, não seria razoável acreditar que aceitássemos com prazer a oportunidade de conhecer, antecipadamente, alguma coisa sobre esse país?

Pergunta: Isso se aplica a todos os seres humanos?

Reaposta: Sim. Há só uma coisa certa na vida: é a Morte. Quando passarmos ao além e enfrentarmos novas condições de existência, o conhecimento que tenhamos delas, sem dúvida nos será de grande auxílio.

Pergunta: Existem outras razões?

Reaposta: Outra razão muito importante é que, para compreender o Mundo Físico, que é o Mundo dos efeitos, é necessário compreender o Mundo suprafísico, que é o Mundo das causas.

Pergunta: Que evidência temos desse fato?

Resposta: Vemos como os ônibus elétricos correm pelas ruas e podemos escutar o tique-taque dos aparelhos telegráficos, mas para nós permanece invisível a força misteriosa que é a causa desses fenômenos.

Pergunta: Não lhe damos o nome de eletricidade?

Resposta: Sim; dizemos que é a eletricidade, mas o nome não explica. Nada sabemos da força em si própria, unicamente vemos e ouvimos os seus efeitos.

Pergunta: Isso é também verdadeiro para todas as formações físicas?

Resposta: Sim; se em uma atmosfera de temperatura suficientemente baixa colocamos um prato cheio de água, começarão a formar-se cristais de gelo e poderemos observar o processo de sua formação. As linhas em que se cristaliza a água foram, durante todo o tempo, linhas de força invisíveis, até o momento da congelação da água.

Pergunta: Tais Mundos são tão reais quanto o Mundo Físico?

Resposta: Quanto à realidade desses mundos superiores, comparada com a do mundo físico, por estranho que isso pareça, esses mundos superiores, que para a maioria são miragem, ou, pelo menos, menos substanciais, são na verdade muito mais reais e os objetos que neles se encontram muito mais permanentes e indestrutíveis do que os objetos do Mundo Físico.

Pergunta: Que exemplos podem ser dados para provar essa afirmação?

Resposta: Um arquiteto não começa a construção de uma casa adquirindo os materiais necessários e contratando os trabalhadores para que sobreponham as pedras ao acaso. Primeiramente ele idealiza ou traça um plano de construção. Começa, primeiramente, pensando na casa. Aos pouco esse pensamento assume em sua mente uma forma e finalmente adquire uma ideia clara da casa, tal como deve ser; um pensamento-forma.

Pergunta: A casa material não é mais real do que sua imagem?

Resposta: Não. A casa material poderá ser destruída por dinamite, por terremoto ou pelo fogo, mas o pensamento-forma que a criou permanecerá enquanto for vivo o arquiteto que o idealizou e desse pensamento-forma poderão ser construídas tantas casas quantas se queiram. Nem mesmo o arquiteto poderá destruí-lo. Ainda depois de sua morte, esse pensamento-forma poderá ser examinado por qualquer pessoa qualificada para ler na memória da natureza.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 11/1978)