cabeçalho4.fw

11 - Nosso Trabalho para Renascer - dos 28 aos 35 anos

Nosso trabalho para renascer – dos 28 aos 35 anos

Fase: do Princípio da Vida Sensata até o Início do Segundo Crescimento

 

Durante nossa existência terrestre estamos vivendo alternativamente nesse Mundo Físico, ou seja, estamos sob a Lei dos Ciclos Alternados a qual decreta a sucessão de fluxo e refluxo, do dia e da noite, do verão e do inverno, da vigília e do sono.

Aqui semeamos as ações e ganhamos experiências com respeito ao nosso horóscopo.

Que veículos (instrumentos) nós dispomos?

  • nosso veículo Espírito Divino
  • nosso veículo Espírito de Vida
  • nosso veículo Espírito Humano
  • nosso veículo Mente
  • nosso Corpo de Desejos
  • nosso Corpo Vital
  • nosso Corpo Denso ou Físico

Atualmente trabalhamos somente em 3 Mundos:

  • Mundo Físico
  • Mundo do Desejo e
  • Mundo do Pensamento

Todas as vezes que morremos neste Mundo Físico, nascemos nos Mundos Espirituais. Então, estamos prontos a assimilar os frutos da nossa existência terrestre e incorporá-los como nossos poderes nos Mundos Espirituais.

Portanto, daqui nós já concluímos que nascimento e morte nessa vida terrestre não são mais do que passagens de uma fase da nossa vida para outra e mais: a vida que agora nós vivemos não é mais do que uma das muitas da série.

É aqui que nos livramos do nosso Corpo Físico, levando conosco o seu Átomo Semente, resumo de tudo que aprendemos. Nesse momento tudo que passamos nessa existência recém-terminada, e que está gravado no Corpo Vital, transferimos para o Corpo de Desejos, o assento do sentimento.

Terminada essa transferência nos livramos do nosso Corpo Vital levando conosco o seu Átomo Semente, resumo de tudo que aprendemos com ele.

Despertamos no Mundo do Desejo. Entramos no nosso Purgatório. Repudiamos todos esses desejos, sentindo todo o mal que ocasionamos. A quintessência do sofrimento se converte em consciência.

Após o que entramos no nosso Primeiro Céu. Assimilamos toda a gratidão que provocamos e que externamos. A quintessência do bem se transforma em benevolência e altruísmo.

Depois nos livramos do nosso Corpo de Desejos levando conosco somente o Átomo-semente, resumo de tudo que aprendemos com ele. Entramos no Segundo Céu. Exercemos nosso poder criador em toda sua plenitude. Criamos novos corpos, novos ambientes, novas criações.

Em seguida, nos livramos da Mente levando conosco somente o Átomo-semente, resumo de tudo que aprendemos com ele.

Ultrapassamos a Região central do Mundo do Pensamento, a conhecida Região das Forças Arquetípicas.

Entramos no Terceiro Céu. Estamos sem nenhum veículo. Estamos Uno com Deus. A consciência de que o objetivo dessas existências terrestres é a aquisição de experiências é a mais completa possível. Estamos ávidos para cumprir as promessas que fizemos a nossos amigos ou inimigos; para colher a alegria ou sofrer a dor que são os frutos de nossas existências anteriores nesse Planeta Terra. Mergulhamos para mais um renascimento. Os Anjos do Destino nos fornecem uma indispensável e necessária ajuda:

  • Como escolher a vida terrestre?
  • O que fazer para renascer?
  • Como não nos deixar desistir quando estivermos cegos para os Mundos Espirituais?

Do Mundo do Pensamento, utilizamos o átomo semente da Mente, colhendo materiais afins para construir uma nova Mente. Do Mundo do Desejo, utilizamos o átomo semente do Corpo de Desejos colhendo materiais afins para construir um novo Corpo de Desejos.

 

Da Região Etérica do Mundo Físico, nós utilizamos o átomo semente do Corpo Vital, colhendo materiais afins de Éteres: Químico e de Vida para o nosso Corpo Vital. Os materiais dos éteres superiores: Luminoso e Refletor são atraídos pelas forças que compõe o nosso próximo principal Corpo, “o dourado vestido de bodas”, o Corpo Alma.

Os Anjos do Destino modelam o nosso Corpo Vital, que dará a forma ao nosso Corpo Físico. Colocam o Átomo semente do nosso Corpo Físico na cabeça do espermatozóide que fecundará o óvulo.

E estamos de volta, manifestados com os nossos veículos:

¨      o veículo Espírito Humano

¨      o veículo Espírito de Vida

¨      o veículo Espírito Divino

¨      um novo veículo Mente

¨      um novo Corpo de Desejos

¨      um novo Corpo Vital

¨      um novo Corpo Físico

Essa é a nossa constituição conhecida como sétupla.

Os Átomos sementes estão nas suas posições de recepção dos ensinamentos que adquiriremos:

  • Átomo semente do Corpo Físico no ápice situado no ventrículo esquerdo do coração.
  • Átomo semente do Corpo Vital na posição relativa no Corpo Físico, conhecida como Plexo Solar ou “boca do estômago”.
  • Átomo semente do Corpo de Desejos na posição relativa no Corpo Físico onde está o Fígado
  • Átomo semente da Mente na posição relativa no Corpo Físico onde está o seio frontal.

Conectamos os nossos Átomos sementes através de um cordão, conhecido como Cordão Prateado, tríplice em sua constituição.

Assim, nasce o Corpo Físico. Inicia-se a Infância, primeiro período setenário (0-7).

Aqui, timidamente, começa a continuação do nosso trabalho de espiritualização do nosso Corpo Físico, ou seja: trabalhamos através do nosso veículo Espírito Divino no nosso Corpo Físico extraindo a quintessência desse trabalho construindo, assim, mais um pouquinho da nossa Alma Consciente.

Não esqueçamos das duas palavras-chaves que devemos praticar, como educadores, ou exemplos, para os nossos irmãos (filhos naturais ou espirituais) nesse primeiro período setenário:

  • Nós, através do exemplo,
  • Estimulando nos nossos filhos a imitação

Por volta dos 7 anos o nosso novo Corpo Vital nasce. A pressão normal do ar retém o nosso Corpo Vital dentro do nosso Corpo Físico mais do que nunca, cada um dos átomos prismáticos que compõe os Éteres Inferiores do nosso Corpo Vital Irradiam de si mesmos as linhas de força que fazem voltear os átomos físicos em que estão inseridos, provendo a vitalidade do nosso Corpo Físico.

Quando estamos bem de saúde, a direção dessas linhas de força estende-se além da periferia do nosso Corpo Físico (por volta de 4 cm).

Inicia-se a Puberdade, o segundo período setenário. (7-14)

Aqui, timidamente, começa a continuação do nosso trabalho de espiritualização do nosso Corpo Vital, ou seja: trabalhamos através do nosso veículo Espírito de Vida no nosso Corpo Vital extraindo a quintessência desse trabalho construindo, assim, mais um pouquinho da nossa Alma Intelectual.

Não esqueçamos das duas palavras-chave que devemos praticar, como educadores, ou exemplos, para os nossos irmãos (filhos naturais ou espirituais) nesse segundo período setenário:

  • Nós, pela autoridade,
  • Estimulando em nossos filhos o discipulado

Por volta dos 14 anos, nasce o nosso Corpo de Desejos. Inicia-se a Adolescência, o terceiro período setenário (14-21).

Aqui, timidamente, começa a continuação do nosso trabalho de espiritualização do nosso Corpo de Desejos, ou seja: trabalhamos através do nosso veículo Espírito Humano no nosso Corpo de Desejos extraindo a quintessência desse trabalho construindo, assim, mais um pouquinho da nossa Alma Emocional.

Começa a primeira luta interna, entre:

  • nosso Corpo Vital (construindo o Corpo Físico) e
  • o nosso Corpo de Desejos (destruindo o Corpo Físico).

Resultado disso: consciência no Mundo Físico.

Não esqueçamos das duas palavras-chaves que devemos praticar, como educadores, ou exemplos, para os nossos irmãos (filhos naturais ou espirituais) nesse terceiro período setenário:

  • Nós, pelo conselho (ou sugestão),
  • Estimulando nos nossos filhos a valorizar o exemplo

Até aqui nossa Mente não nasceu, está latente.

Todos os nossos pensamentos e idéias são nutridos por material mental fornecido pela Mente Macrocósmica que nada mais é do que a Região Concreta do Mundo do Pensamento.

Em torno dos 21 anos nasce o nosso Corpo Mental, a nossa Mente, atingimos a Maioridade. Inicia-se o quarto período setenário (21-28).

Começa a segunda luta interna, entre:

  • nossa Mente, voando de uma descoberta material para outra, ansiosa, satisfazendo apenas com explicações materialmente demonstráveis sobre o mundo e
  • o nosso coração, que sente, instintivamente, que algo de maior existe e, aspira aquilo que pressente como verdade.

Resultado disso: essa nossa busca incessante do equilíbrio entre cabeça e coração.

Com o foco despertado – a Mente, o foco pelo qual nós, Espíritos Virginais, trabalhamos sobre as nossas ferramentas, os nossos Corpos – o nosso trabalho de espiritualização dos nossos 3 Corpos torna-se mais efetivo e eficiente.

Pela Observação e da ação reta e, com isso, da experiência, cresce a nossa Alma Consciente.

Pelo Discernimento (distinguir aquilo que é essencial daquilo que não tem importância) e do cultivo de bons hábitos cresce a nossa Alma Intelectual.

Pela devoção a ideais elevados (que nos ajuda a restringir os nossos instintos animais) expressando somente desejos superiores, crescer nossa Alma Emocional.

Se até aos 21 anos temos a desculpa de ainda sermos manipulados exteriormente devido a algum veículo ainda latente, ou algum polo de algum veículo ainda inativo agora não temos mais.

Mais do que nunca, daqui para frente, estamos sob a Lei da Consequência.

A partir daqui somos um ser com todos os instrumentos ativos, prontos para serem utilizados.

Cabe a nós, a nossa vontade, utilizarmos bem ou não tais instrumentos.

Se todos os cuidados que apontamos nos 3 períodos setenários anteriores foram tomados torna-se mais fácil atuarmos nesse quarto período setenário, no tocante aos cuidados com os nossos veículos para melhor utilizá-los como instrumentos de aprendizagem nessa existência.

Nesse período setenário atingimos o nosso Nadir da Materialidade (por volta dos 28 anos).

Chegamos ao ponto perigoso de ficarmos demasiadamente aderidos a nossa família e, com isso, cristalizarmos e degenerarmos essa nossa existência.

Lembremos, aqui, as palavras de Cristo: “Se alguém vem a Mim e não abandona seu pai, sua mãe, seus filhos, seus irmãos e irmãs, e até a sua própria vida, não pode ser meu discípulo”.

Isso não quer dizer que devemos deixar ou desprezar os laços familiares, mas que devemos elevar-nos acima deles.

Pai, mãe, irmão, irmã, primos, primas, tios, tias, avôs, avós são “corpos” e todas as relações são questões de família, pertencentes à forma.

Devemos reconhecer, e praticar, que não somos corpos, nem famílias, mas sim Espíritos lutando pela perfeição.

Se se esquecemos disso e nos identificamos com a nossa família – aderindo a ela com fanático apego – é o mesmo que nos fossilizar, negando-se a cumprir as experiências que escolhemos lá no Terceiro Céu, com a ajuda dos Anjos do Destino.

 

Passado essa fase, atingimos o Princípio da Nossa Vida Sensata, início do quinto período setenário. (28-35). Estamos aptos a dar tudo de nós para tentarmos alcançar o domínio de nós próprios.

Alcançamos a nossa máxima eficiência em:

-          investigar as coisas por conta própria a fim de aprendermos a formar nossas opiniões individuais;

-          Pesquisar cuidadosamente antes de julgar;

-          Conservar nossas opiniões mais fluídicas possíveis;

-          Em saber que ninguém tem o direito de procurar a vida superior sem ter cumprido antes com nossos deveres para com a família e para com os nossos irmãos.

Caso insistamos em negarnossos deveres cotidianos com o objetivo de só dedicarmos à vida superior, com certeza seremos coagidos a voltar para caminho do nosso dever pela Lei.

Não podemos escapar sem que tenhamos aprendido a lição. Agindo assim estamos cultivando a nossa faculdade fundamental: o dever.

E é por aqui que avançaremos rápido e, com muito menos tempo, despertaremos a chamada para a vida superior; afinal: quando estamos pronto o Mestre aparece.

E, com isso, as nossas condições financeiras, sociais, psíquicas e materiais viram uma mera consequência, aquelas que vêm “por acréscimo”.

Se nós temos condições físicas, financeiras, sociais e de destino para casarmos, que o façamos.

Tanto como gratidão pelos que nos ajudaram, como por serviço para com milhares de irmãos que buscam uma oportunidade saudável e boa para renascer nesse Mundo Físico.

Afinal, do ponto de vista da ciência oculta, os irmãos e irmãs que tenham corpos e mentes saudáveis tem o dever e, ao mesmo tempo, privilégio de criar veículos para os irmãos que necessitam renascer nesse Mundo Físico.

Lembremos que o nosso atual Esquema de Evolução, com a separação dos sexos há a necessidade de se ter um ser de cada sexo para a procriação.

Mas há também a facilidade de se ter um ser de cada sexo para melhor aproveitar-se das lições a ser aprendidas nessa existência. Portanto, o encontro do nosso parceiro de matrimônio é uma benção, como acelerador para a evolução de ambos. Ou, em linguagem astrológica, aquele companheiro que está mais próximo do nosso Eu, sinalizado pela 7ª casa, e que, assim, nos complementa, forma a associação completa para:

-          aguentarmos os revezes dessa existência;

-          e para compartilharmos as alegrias que provocamos.

QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ