cabeçalho4.fw

3 - Nosso Trabalho para Renascer - Preparativos para um Novo Renascimento

NOSSO TRABALHO PARA RENASCER:

PREPARATIVOS PARA NOVO RENASCIMENTO

 

Depois de termos:

  • assimilado tudo que podíamos dos aspectos morais relacionados a vida passada, durante a nossa estada no Purgatório e Primeiro Céu;
  • trabalhado sobre os Arquétipos que alterarão a aparência do Planeta Terra a fim de nos proporcionar o ambiente necessário para a próxima existência terrena;
  • aprendido, pelo trabalho nos corpos dos outros a construir um corpo apropriado à nossa manifestação aqui no Mundo Físico durante a nossa estada no Segundo Céu.

 

Depois de estarmos no Terceiro Céu sem nenhum véu que nos obscurece de ver o verdadeiro propósito dessa existência física.

E, com isso, estamos certos de quanto erramos e o que fazer para corrigirmos.

Estarmos lá ansiosos para ressarcir os prejuízos que causamos aos nossos irmãos e ao plano traçado pelo nosso Deus Pai.

Estarmos conscientemente envergonhados de, mesmo recebendo a ajuda de tantos seres, insistirmos aqui em sermos: egoístas, ignorantes, hipócritas e negligentes nasce de dentro do nosso íntimo a Vontade sincera e honesta de renascer; de obter novas experiências de mostrar a nossa gratidão a todos esses seres e ao nosso Pai de que realmente aprendemos as lições que assimilamos no Purgatório e no Primeiro Céu que aprendemos no Segundo Céu e, quem sabe, que aspiramos no Terceiro Céu.

É neste ponto que surge, novamente, seres de incomensurável sabedoria, conhecidos, na Religião Cristã como: os Anjos do Destino ou os Anjos Relatores, ou os Senhores do Destino ou os Anjos Arquivadores que nos ajudam nessa tarefa de escolher o que queremos fazer nessa nova existência.

Tais Seres estão acima de todo erro que, no nosso atual estágio de desenvolvimento, podemos cometer e nos dão exatamente o que necessitamos para o nosso desenvolvimento.

E como se dá esta escolha?

Lembrem-se, no Terceiro Céu estamos:

  1. sem nenhum véu que nos obscurece de ver o verdadeiro propósito dessa existência física;
  2. certos de quanto erramos e o que fazer para corrigirmos;
  3. ansiosos para ressarcir os prejuízos que causamos aos nossos irmãos e ao plano traçado pelo nosso Deus;
  4. conscientemente envergonhados de, mesmo recebendo a ajuda de tantos seres, insistimos aqui com o nosso egoísmo, ignorância, hipocrisia e negligência;
  5. ansiosos para desenvolver as potencialidades latentes que herdamos de nosso Pai, para sermos mais úteis e efetivos no Plano Divino.

Portanto o desejo que nasce de dentro do nosso íntimo sincero e honesto de voltar

a renascer nesse Mundo Físico só pode estar impregnado de fortes sentimentos de obter novas experiências, de mostrar a nossa gratidão a todos esses seres e ao nosso Pai de que realmente aprendemos as lições assimiladas nesses Mundos Superiores.

E por estes motivos que escolhemos melhor vida para ser vivida no novo renascimento. E agora? O conceito de melhor vida neste contexto (do ponto de vista espiritual) é muito diferente do conceito de melhor vida aqui?

Digamos que, para muitos, tais conceitos são diametralmente opostos. Com a nossa própria decisão de querer aprender mais e colaborar mais fica mais fácil escolher a próxima vida.

Afinal, já tivemos por aqui encarnado no Mundo Físico inúmeras vezes. Construímos relações; fortalecemos laços; afrouxamos outros; fugimos de algumas relações; outras completamos totalmente, através do amor, aliás, único modo de se realizar uma relação.

Enfim, temos uma teia completa e complexa de relações para escolher como nosso próximo renascimento.

Com o desejo, a nossa vontade e, portanto, respeitando nosso livre arbítrio, os Anjos do Destino elaboram vários panoramas que constam os principais acontecimentos que teremos que passar durante o próximo renascimento.

Mostram-nos as causas principais que poremos em movimento, desde o nascimento até a morte. Note que o panorama nos é mostrado no sentido inverso aquele mostrado quando morremos. Por quê?

Porque aqui o objetivo é nos mostrar como determinadas causas geram certos efeitos.

Com isso fechamos completamente nossa aprendizagem da Lei de Causa e Efeito: quando morremos e passamos pelo Purgatório e Primeiro Céu, o panorama é nos apresentado desde o momento da morte até o nosso nascimento como cada efeito foi gerado por uma determinada causa, posta em movimento por nós. Já quando estamos prestes a renascer, partindo do Terceiro Céu, o panorama é nos apresentado desde o momento do nosso próximo nascimento até a nossa próxima morte e como cada causa posta em movimento por nós, gera um determinado efeito.

Observe: somente as causas e acontecimentos principais, em termos de conceitos e linhas gerais nos são apresentados. Ou seja: os detalhes ou modos de expressão ocorrem por nossa conta. Ou seja, podemos colocar novas causas em movimento!

Nesse clima tão maravilhoso não é difícil olharmos o nosso destino maduro e querermos ser provados nele. Não é difícil vermos uma causa complicada ser nos apresentada e nós, com grande disposição para enfrentá-la para gerar efeitos construtivos e mostrar nossa aprendizagem.

Obviamente, que os Anjos do Destino orientam-nos e aconselhando-nos a escolher, comentando a nossa escolha. Mas, no final, a decisão é nossa.

Esse panorama mostra qual a parte das nossas dívidas passadas liquidaremos e o que aprenderemos.

Estamos quase prontos para mergulhar, mais uma vez, nos Mundos Inferiores e renascer

Com um novo Corpo Denso (Físico), um novo Corpo Vital, um novo Corpo de Desejos e uma nova Mente.

O que temos para construí-los? O átomo-semente de cada um deles.

E o que contém o átomo-semente de cada um deles? A Quinta-essência de tudo que aprendemos utilizando esses nossos veículos desde quando obtivemos esses átomos-sementes das Hierarquias Criadoras nas Épocas passadas do nosso Período Terrestre e nos Períodos de Saturno, Lunar e Solar até a nossa última existência.

Vejam, então, que temos material de sobra para construir veículos que contemplem as necessidades e as características que precisaremos para essa existência recém-escolhida.

Outra coisa a se notar é que somente os nossos veículos são novos. Então, pode surgir a pergunta: e a Alma? Nascemos com Almas novas?

Já que os Corpos são novos e as Almas são a Quinta-essência do trabalho do Espírito sobre os Corpos, então as Almas não são novas. Não criamos novas Almas só porque os Corpos são novos.

Lembrando que durante a nossa existência terrestre e até o descarte de cada Corpo nos mundos superiores, após a nossa morte, nós, Egos (Espírito Virginal manifestado como um Tríplice Espírito), trabalhamos sobre e no nosso Corpo Tríplice (Denso, Vital e de Desejos), através do nosso veículo Mente. Esse trabalho traz à existência a tríplice Alma que é o produto espiritualizado dos Corpos.

Assim:

  • a Alma Consciente é o produto do trabalho do Espírito Divino sobre o Corpo Denso
  • a Alma Intelectual é o produto do trabalho do Espírito de Vida sobre o Corpo Vital
  • e a Alma Emocional é o produto do trabalho do Espírito Humano sobre o Corpo de Desejos

Assim, cada Alma aumenta a consciência, o poder e a eficiência do Espírito no trabalho nesses Mundos Físicos, de Desejo e do Pensamento. Portanto, a Alma é a mesma.

Representa o controle que o Espírito terá sobre seus novos Corpos: quão eficientemente utilizará seu Corpo de Desejos; quanto poder terá sobre o seu Corpo Vital e quão consciente estará do seu Corpo Denso.

Uma vez revisto isso, estamos prontos para renascer.

 

QUE AS ROSAS FLORESÇAM EM VOSSA CRUZ