cabeçalho4.fw

Mensagem aos que relutam em Servir

"Os nossos serviços, tanto na Sede, como nos Centros, destinam-se a DAR e não a receber: a ajudar os outros através do poder espiritual. É claro que quem dá desta maneira, também recebe. No entanto, a idéia principal deverá sempre ser a de servir, ao nível espiritual. Este é o principio básico do Trabalho Rosacruz e constitui uma das razões mais importantes para participarmos desses serviços, tanto na Sede como nos Centros e Grupos de estudo."

"SERVIR é o desejo mais premente e elevado que se apresenta à consciência de um aspirante sincero, quando participa de um serviço ou medita a sós. A Luz e o Poder espirituais irradiados de Mount Ecclesia e dos Centros refletem a aspiração e as preces (a concentração imbuída da força do amor) de todos os colaboradores nesses trabalhos."

Do acima exposto depreende-se que o grande objetivo da Fraternidade Rosacruz é ajudar a humanidade em seus passos evolutivos. O método de desenvolvimento preconizado pelos Irmãos Maiores conduz o aspirante, com toda segurança e à realização espiritual, ao reconhecimento e vivência de sua própria divindade.

Sendo assim, somente aqueles homens e mulheres predispostos internamente a dar e não a receber, sintonizam-se harmoniosamente com a corrente espiritual da Rosacruz. Sabemos quão difícil é proceder dessa maneira, ainda mais na época em que vivemos. Entretanto, só há essa via de acesso ao portal da Iniciação na Ordem.

"Muitos são os chamados, mas poucos do os escolhidos". Estas palavras de Cristo servem também “como uma luva" para os estudantes rosacruzes. Muitas pessoas, representando todas as camadas sociais e culturais da sociedade, já assistiram às conferências promovidas pelos Centros e Grupos, inscrevendo-se, grande parte, no Curso Preliminar. Nosso quadro de estudantes, porém, ainda não é muito numeroso.

Por que alguns nem sequer chegam a quinta lição? Outros, por que desistem, estando já bem adiantados no Curso Suplementar?

Isso intriga muita gente. Contudo, nas entrelinhas da matéria publicada no ECOS cremos ser possível encontrar uma ou várias das razões pelas quais ainda não somos muitos.

Se o indivíduo ingressa na Fraternidade com intuito exclusivo de resolver seus problemas, ou seja, de receber apenas, por certo, com o passar do tempo deverá revisar sua atitude, passando também a dar. Se tal não ocorrer, encontrará dificuldades em prosseguir, porque não está devidamente harmonizado com a dinâmica da Grande Obra. O próprio estudante acabará por se excluir.

É certo que todos, ou quase todos trazem suas cargas de problemas, carências ou limitações. São frutos de erros passados. Mas sempre é tempo de corrigir antigos desvios, de iniciar uma reforma interior.

Também é certo que essas dificuldades absorvem grande parte do tempo e dos esforços do aspirante, sendo justo procurar resolve-las. Tenhamos em mente, entretanto, que a realização espiritual implica, primeiramente, no sacrifício de interesses pessoais no altar do serviço. É condição sine qua non, pois é necessário grande desprendimento para trabalhar em prol de um ideal superior.

É conveniente esclarecer: essa atitude de abnegação não significa o abandono das obrigações familiares e profissionais. Pelo contrário, exige maior zelo no cumprimento de todos os deveres. Mas, e as horas que sobram muitas vezes desperdiçadas em entretenimentos e conversas inúteis? Por que não aproveitá-las, por escassas que sejam em servir ao próximo?

Muitas pessoas afirmam não terem condição de ajudar a outrem, porquanto se vêem as voltas com problemas insolúveis. Será verdade? Tomamos a liberdade de sugerir-lhes o seguinte:

1.         Façam um esforço no sentido de esquecer parte de suas dificuldades, pelo menos temporariamente;

2.         Preencham o tempo anteriormente despendido com algumas de suas preocupações, com a ocupação de interessar-se pelos problemas alheios;

3.         Procurem servir ao próximo, no que for possível (sem a pretensão de milagres) com humilde e desinteresse, sem ferir o livre arbítrio de ninguém.

Passado algum tempo acabarão sentindo uma indescritível paz interior, uma satisfação íntima capaz de infundi-lhes mais coragem e decisão diante dos desafios. E, ficarão surpresos quando notarem que seus problemas, aqueles que os atormentavam e amarguravam, foram solucionados naturalmente.

Todo esforço empregado em benefício do semelhante, será ressarcido ao seu devido tempo pela Lei do Dar e Receber. Todavia, nem cogite em esforçar-se na caridade com intuito de retribuição.  Se o fizer automaticamente se excluirá.

A Fraternidade Rosacruz e uma obra de Amor. É uma associação de serviço, a nível espiritual. Ninguém se iluda julgando ser passível atingir a meta apenas pela aquisição de conhecimento. Este é apenas o passo inicial. O aspirante há que exercitar-se no amor, pelo serviço prestado aos demais. Não há outra via de progresso espiritual. (por Gilberto A. V. Silos – Editorial da Revista Serviço Rosacruz – 09/79 – Fraternidade Rosacruz São Paulo – SP)