cabeçalho4.fw

Esclarecendo a Filosofia Rosacruz

Esclarecendo a Filosofia Rosacruz

Um dos trechos mais esclarecedores do Ofício Devocional Rosacruz diz o seguinte: "Os Anjos do Destino dão a cada um e a todos exatamente o que necessitam para o seu desenvolvimento". Isto nos faz lembrar que as sublimes Hierarquias não descuram de nossa evolução, se bem que tenhamos o privilégio do livre-arbítrio, é bom ressaltar os limites do mesmo, face, ainda, ao desconhecimento que temos, em boa parte, das Leis Divinas. Não é difícil, portanto, chegar a esta conclusão: a medida de nossa liberdade de ação corresponde ao grau do nosso desenvolvimento interno. O ser humano, pelo uso distorcido e abusivo da sua liberdade, não deixou outro caminho às Grandes Hierarquias, senão o de intervir quando a integridade humana vê-se ameaçada.

Não obstante as limitações naturais, temos a prerrogativa da liberdade e por ela estamos trabalhando, aprendendo a nos dirigir e a credenciarmo-nos a serviços mais elevados dentro do nosso meio-ambiente. Aliás, somos colocados no ambiente mais adequado ao nosso desenvolvimento e nele encontramos as oportunidades para fazer uso da prerrogativa em questão. Cada um está no lugar certo e as mudanças para melhor ou pior dependem das novas causas postas em ação.

Consideramos um privilégio conhecer a Filosofia Rosacruz. A maior honra ainda, é trabalhar pela sua disseminação, tornando-a fator vivente na existência dos seres humanos. Não se veja nesse esforço uma intenção ou pretensão de proselitismo. Não, Max Heindel desaconselhou agir dessa maneira, porquanto configura uma tentativa de violentar o livre-arbítrio e as tendências naturais de cada pessoa.

Muitos caminhos conduzem a Roma e cada ser humano segue aquele que lhe é afim. Todos, considerando o estágio evolutivo de cada membro da raça humana, são dignos de respeito.

Notamos, todavia, nos dias de hoje, uma crescente procura de esclarecimentos sobre as causas dos problemas humanos. Muitas pessoas não se mostram satisfeitas com as explicações ensejadas pelas escolas e igrejas. No afã de encontrar aquilo de que necessitam, não vacilam em procurar obras esotéricas nas livrarias espalhadas pelas cidades. Com o tempo podem sentir atraídas pelas Escolas Filosóficas promulgadoras dos ensinamentos contidos nos livros.

Dessa forma, muitas pessoas acercou-se da Fraternidade Rosacruz. Houve quem ficasse apenas nos primeiros contatos. Outros se inscreveram no Curso Preliminar, trilharam a senda até certa altura e acabaram por desistir. Uns encontraram-se no Movimento Rosacruz, ou melhor, encontraram o seu ideal no glorioso caminho inspirado pelos Irmãos Maiores. Os primeiros não pertenciam ao “raio” particular da Rosacruz, ou não se encontravam aptos a ingressar em suas fileiras. De qualquer maneira, cada um procura saciar sua fome espiritual e essa "busca da verdade" valoriza qualquer esforço. Por isso não temos o direito de censurar ninguém, nem tecer críticas a outros movimentos filosóficos ou religiosos. Max Heindel exemplificou; jamais denegrindo ou subestimando a quem quer que fosse. Ele soube compreender que ninguém é dono da verdade.

Mas, como afirmamos, existe uma procura insaciável de conhecimentos. E a ninguém e lícito esconder a luz. Devemos prosseguir e intensificar a divulgação dos ensinamentos rosacruzes, sem, contudo, forçar o íntimo das pessoas.

Tudo o que for dito sobre a Filosofia Rosacruz deve ser com intuito de esclarecer. E essas oportunidades não devem ser desperdiçadas porque carregam a luz em si mesma. Falemos sobre estes sublimes ensinamentos com convicção e entusiasmo, equilibrados, entretanto, por uma sincera humildade. Se nosso ou nossos interlocutores têm seus pontos-de-vista, saibamos conversar respeitando-lhes a liberdade de pensamento. Disponhamo-nos também a ouvir: eles podem nos ensinar muita coisa.

(Gilberto A. V. Silos – Editorial da Revista Rosacruz – out/75 – Fraternidade Rosacruz - SP)