cabeçalho4.fw

A Lanterna e o Coração

A LANTERNA E O CORAÇÃO

 

Como os nossos leitores tiveram a oportunidade de notar, iniciamos o ano novo introduzindo algumas modificações na capa desta revista, dentre as quais destacamos a inserção de dois símbolos importantíssimos: o coração e a lanterna.

Os Ensinamentos da Sabedoria Ocidental, promulgados pela Fraternidade Rosacruz, são dirigidos especialmente àqueles que não aceitam o Cristo exclusivamente pela fé. Tais pessoas, amadurecidas, mas caracteristicamente intelectuais, correm o risco de perigosamente se enlearem nas teias retardadoras do materialismo. Através de uma explicação lógica e profunda do Cristianismo – somente propiciada pelo Cristianismo Esotérico – poderão, uma vez satisfeita a Mente, atender aos reclamos do coração.

O embasamento do nosso crescimento anímico não poderá ser unilateral, pois caso contrário "haverá fome em alguma parte" do nosso ser. A segurança do nosso desenvolvimento depende de um método equilibrado e equilibrador. Tal equilíbrio compreende o desenvolvimento paralelo de nossas naturezas ocultista e mística, isto é, no cultivo da razão (simbolizada pela lanterna) e do sentimento (simbolizado pelo coração). Daí resultará um corpo sadio e melhor serviço à humanidade. Segundo Platão, devemos ser "sábios, santos e atletas". E o lema rosacruz o parafraseia: “Mente pura, coração nobre, corpo são".

Com o propósito de realizar essas duas finalidades, a Fraternidade Rosacruz promove conferências públicas, aos sábados e domingos.

Isto tem maior importância do que podemos imaginar. Se realmente levamos a sério nosso ideal, na medida do possível devemos comparecer as mencionadas reuniões. Antecedendo a conferência Iê-se o "Oficio Devocional", o ritual composto por Max Heindel, sob a orientação dos Irmãos Maiores, para cultivo da natureza interna dos assistentes. A repetição das mesmas palavras ritualísticas a cada reunião grava em nosso íntimo preceitos básicos para nossa formação cristã esotérica. Esta, devidamente sedimentada e sinceramente expressa em obras na vida diária, constrói o "TEMPLO SEM RUÍDO DE MARTELOS".

Cultivar os dois polos de nossa divindade interna é condição essencial para um crescimento harmonioso. O potencial equilibrado desses dois pólos é que nos tornará gradativamente uma "usina de força", uma fonte de luz. Deus é Luz. Somos feitos a sua imagem e semelhança. Essa Luz encontra-se em toda parte, principalmente em nós. Como manifestá-Ia? Através do despertamento dos divinos atributos latentes em nós, objetivo maior do método rosacruz de desenvolvimento.

Devorar ansiosamente os livros, correr de conferência em conferência atrás de novidades intelectuais, percorrer diletantemente várias escolas filosóficas ao mesmo tempo, não conduz a nenhum resultado positivo. O intelectual é presa fácil da vaidade e do personalismo. Igualmente, o místico, por falta de discernimento, pode ser enganado nas suas experiências internas, confundindo os meros reflexos de seu subconsciente com os raios da intuição, originários do supraconsciente, do Espírito de Vida.

As razoes apresentadas justificam sobejamente a natureza equilibradora do método rosacruz, conduzindo o aspirante com segurança pelo, geralmente íngreme, caminho da realização espiritual. Daí a simbologia maravilhosa da lâmpada e do coração.

(Gilberto A V Silos – Editorial da Revista Serviço Rosacruz de 1/71)