cabeçalho4.fw

Dar Frutos

DAR FRUTOS

 

A religião do ser humano com Cristo e com o mundo é um tema abordado em João, cap. 15 “Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim não der fruto ele corta. E todo o que dá fruto, limpa para que produza mais frutos ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado. Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir frutos de si mesmo, se não permanecer na videira, assim nem vós o podeis dar se não permanecer em mim. Eu sou a videira e vós os ramos. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim será lançado fora à semelhança do ramo e secará, e o apanham, lançam no fogo e queimam”.

            Mas, como se dá essa relação? Consideremos, primeiramente, que o universo é como um todo harmônico. Se uma célula do nosso corpo tivesse consciência individual ela nos veria como um universo, isto é, como um conjunto regido por lei imutáveis, perpassado e vivificado por energias em fluxo constante.

            No livro “Conceito Rosacruz do Cosmos” Max Heindel se refere a Deus afirmando: “É uma verdade literal que nele vivemos, nos movemos e temos o nosso ser, porque ninguém pode existir fora das grandes inteligências que, com sua vida, interpenetram e sustentam os mundos”. Então, todos os seres da Criação, independentemente da onda de vida a que pertençam, indissoluvelmente ligados a esse processo cósmico, em que recebem e irradiam energia.

            Nós, seres humanos, recebemos particularmente a energia que o Cristo difunde neste planeta e a irradiação nas mais variadas formas. Ora, o que mantém os ramos de uma videira vivos e capacitados a produzir frutos é o fato de a ela os ramos estarem ligados e dela receberem a seiva vivificadora. Sem esse fluxo vital os ramos não produzem frutos. Mas, com o tempo secam e acabam morrendo. Analogamente, podemos considerar o Cristo como sendo a videira e a humanidade são os ramos a ela ligados. A chave da questão chama-se consciência. Nosso grau de consciência indica em que grau estamos ligados à videira, ou seja, ao Cristo.

            Mas não estamos ligados ao Cristo, sabendo-se que Ele assumiu a regência e a salvação do nosso planeta? SIM, porém há uma diferença entre estar em Cristo e estar ligado ao Cristo. Estar ligado ao Cristo é estar consciente desse fato e viver de acordo com ele. É fazer-se sensível e receptivo aos desígnios divinos, tornando-se um canal por onde possam fluir as bênçãos crísticas. Um cano d’água está ligado ao reservatório através de todo o sistema hidráulico. Quando a água flui pelo cano, é o primeiro a molhar-se, ou seja, a beneficiar-se. Agora, se o registro permanecer fechado a água não circulará. O destino da água é abastecer a população, irrigar o solo, dessedentar animais, levando vida a todas as paragens. Isso é produzir frutos. Se tal não ocorrer, o cano será um elemento inútil, podendo ser retirado e lançado ao lixo. Quando a vida de uma pessoa se harmoniza com o Divino Plano da Evolução, ela está ligada ao Cristo e produz frutos.

Por Gilberto Silos