cabeçalho4.fw

Nossos Corpos e Veículo: suas funções e interações

Nossos Corpos e Veículo: suas funções e interações

A Terra na qual vivemos é composta de outros Mundos além deste que percebemos com os nossos sentidos.

Do mesmo modo, nós somos compostos de outros corpos além deste corpo que percebemos com os nossos sentidos.

Pensando mais profundamente, chegaremos à conclusão que os demais corpos que que possuímos devem ser compostos dos materiais desses outros mundos que a Terra possui. Pois é uma lei cósmica que para podermos funcionar em um determinado mundo ou região de um mundo, deve-se construir um corpo com material ou matéria desse mundo ou dessa região, cujo material é diferente daquela que é composto o nosso corpo físico.

Dá-se o nome de Corpo Vital ao corpo formado por matérias da Região Etérica do Mundo Físico, os éteres.

Dá-se o nome de Corpo de Desejos ao corpo formado de matéria do Mundo do Desejo.

E dá-se o nome Mente, ao veículo formado por matéria da Região Concreta do Mundo do Pensamento.

Estes 3 corpos e o veículo mental são os instrumentos pelos quais trabalhamos para aprender, para servir e para viver.

São Paulo chamou o Corpo Denso e o Corpo Vital de corpo natural, composto de sólidos, líquidos, gasosos e éteres. E de corpo espiritual, o Corpo de Desejos e a Mente (I Cor 15; 44-49).

Esses corpos se interpenetram na seguinte ordem: o Corpo Vital interpenetra o Corpo Denso; o Corpo de Desejos interpenetra os Corpos Denso e Vital; e a Mente interpenetra os Corpos: Denso, Vital e de Desejos. Ou seja, os corpos ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo. Todos eles são concêntricos, uns com os outros.

Falemos um pouco sobre o Corpo Denso, ou o corpo físico. O Corpo Denso é o nosso mais valioso instrumento, não só por ser o mais antigo, mas também o mais organizado.

Sem dúvida é o mais grosseiro dos corpos – no conceito de massa e peso que temos, a partir da Região Química do Mundo Físico – e por nos colocar em contato com a Região Química do Mundo Físico, traz-nos todas as qualidades e deficiências que já conhecemos. Entretanto é o mais bem construído, basta lermos nos livros de anatomia e fisiologia que logo chegaremos a essa conclusão.

Um outro ponto interessante é lembrarmos que o baluarte da nossa evolução é aqui no Mundo Físico e, para aprendermos tudo que esse Mundo possa nos fornecer, é preciso ter um corpo bem organizado a fim de, um dia, alcançarmos a perfeição e o domínio dos elementos e Leis deste Mundo.

Como disse São Paulo em ICor 6; 19-20: “Não sabeis que o corpo é o templo do Espírito Santo, que em vós? (...) Glorificai, pois a Deus no vosso corpo”.

E ainda: o Corpo Denso é o "Templo de Deus”, o templo do Espírito interno, um Templo vivo e devemos cuidar bem dele se quisermos funcionar conscientemente nele e, realmente viver nele.

Um cuidado especial que deve ser tomado esta relacionado a alimentação. Durante toda vida o Corpo Denso está sujeito a um processo de solidificação, o que o torna cada vez mais duro conforme passamos pela infância, adolescência, juventude, virilidade e velhice. A causa desse processo é um crescente depósito de fosfato de cálcio, carbonato de cálcio, sulfato de cálcio e outras substâncias minerais encontradas nos alimentos. Essa solidificação endurece os vasos sanguíneos, os músculos e as outras partes do corpo que movimentamos. Este processo também obstrui os capilares tornando a circulação sanguínea deficiente e, consequentemente, os órgãos que se alimentam do sangue que ali transita.

Podemos retardar esse processo escolhendo alimentos que contenham pouca matéria calcária ou terrosa, estimular a transpiração, principalmente por meio de atividades físicas. Também evitar alimentos estimulantes e alimentos de difícil assimilação pelo nosso corpo.

Enfim: nossa alimentação deve ser alterada conforme se passam os anos e conforme altere o nosso ritmo de vida. É impossível dar uma regra geral sobre nutrição, pois "o que é alimento para uma pessoa, pode ser veneno para outra”.

A assimilação é um processo natural e diferente para cada um. A reação química aos alimentos quando fora do Corpo Denso segue leis bem definidas.

Entretanto, quando dentro do Corpo Denso, são impregnadas pela vida, pelo sentimento e pelo pensamento de cada um de nós de uma maneira individual.

É por isso que as moléculas individualizadas são difíceis de serem assimiladas por nós, tais como a da carne. Isso sem se falar das calcárias contidas nela. E isso sem se falar no aspecto moral de obrigarmos a pessoas matarem os animais para nos fornecer alimento.

Apesar de termos tabelas que nos orientem, de fazermos exercícios físicos que nos colocam em forma, de cuidarmos dos alimentos que ingerimos, é indispensável ter uma atitude interna positiva sobre a alimentação. Façamos, sempre, essa pergunta: “comemos para viver ou vivemos para comer?”.

Do ponto de vista oculto é importante que vivamos o maior tempo possível em cada Corpo Denso. Pois se leva muitos anos até que consigamos educar tal Corpo, sendo necessário passarmos pela infância, adolescência e, finalmente chegarmos à virilidade. E só a partir do ponto em que despertamos para a vida espiritual é que, realmente, vivemos! Portanto, se quisermos dirigir plenamente o nosso Corpo temos que dar uma especial atenção à alimentação.

A mais pura expressão do Corpo Denso pode ser encontrada no nosso sistema esquelético, nas cartilagens, nos tecidos, na pele e nos pelos. Esses traduzem uma das suas principais funções: o de dar estrutura e sustentação. Astrologicamente os signos estão também relacionados com o Corpo Denso. Através do Signo de Câncer, renascemos nesse Mundo Físico e, através de Capricórnio, deixamos o mesmo.

Agora, de nada valeria o Corpo Denso se não tivéssemos um Corpo Vital para vitalizá-lo. É o Corpo Vital que nutre o Corpo Denso. Ele é a exata contra parte do Corpo Denso. É formado pelos 4 Éteres: Químico – responsável pela assimilação dos alimentos e pela excreção dos produtos não utilizados; de Vida – responsável pela propagação da espécie; Luminoso - responsável pelo calor do sangue, pela circulação da seiva e pelos sentidos; e Refletor – responsável pela memória.

Apesar de ser a contra parte do Corpo Denso, o Corpo Vital é ligeiramente maior, estendendo cerca de 4 cm além da periferia do Corpo Denso. Cada átomo do Corpo Vital penetra em cada átomo do Corpo Denso fazendo-a vibrar numa frequência que é a nota-chave de cada pessoa, imbuindo a cada átomo a força vital. Podemos ter um certo vislumbre disso quando “adormece”, por exemplo, a nossa mão, quando a circulação do sangue diminui. A sensação de formigamento e de dor são os átomos do Corpo Vital reanimando os átomos do Corpo Denso, aumentando-lhe a vibração até a frequência da nota-chave.

O Corpo Denso nasce assim que renascemos nesse Mundo Físico. Já o Corpo Vital só nasce por volta dos sete anos, e assim só o Éter Químico. Os outros Éteres entram em atividade total em cada 7 anos subsequentes. Esses são os motivos que vemos do crescimento do Corpo Denso. Já que vemos o Corpo Denso através dos olhos físicos. Já para ver o Corpo Vital devemos desenvolver a visão etérica, a visão dos Éteres. Ela é uma extensão da visão física, já que ambas servem para ver as “coisas” do Mundo Físico. Através dela pode-se ver os Corpos Vitais e os Éteres trabalhando em toda natureza.

Toda e qualquer doença manifesta-se no Corpo Vital e é só depois que se manifesta no Corpo Denso. Quando temos saúde, o Corpo Vital emite um som contínuo semelhante à de um besouro. Mas quando estamos enfermos o som decresce em amplitude, os átomos vibram desarmonicamente. A nota desse som difere de pessoa para pessoa e é determinado pelo ascendente quando nascemos.

O Corpo Vital especializa a força vital que provém do Sol. É essa força que usamos para nos mantermos conscientes nesse Mundo Físico e para expelirmos os microrganismos que causam doenças.

Quando comemos em demasia utilizamos muito dessa força vital para digerir o alimento. Daí a sonolência que advém. Aqui também vemos a importância da alimentação.

O desenvolvimento do Corpo Vital é feito através da repetição de coisas boas; pois ele é o nosso veículo dos hábitos e para que uma coisa boa se torne um hábito é necessário repeti-la muitas vezes. A intensidade com que realizamos e tornamos a realizar as coisas boas, constrói os bons hábitos. Daí a importância do exercício noturno de Retrospecção em nos lembrar das coisas boas que fizemos durante o dia, reforçando-as e das coisas não boas, rechaçando-as.

As experiências repetidas nele podem criar o hábito. A oração é um dos meios de produzir pensamentos delicados e puros que agem sobre o Corpo Vital, purificando-o. A oração do Pai Nosso, promulgada por Cristo, é a mais completa de todas. Sua repetição nos ajuda a conquistar o domínio próprio, a harmonizar o Corpo Vital e a nos tornarmos mais fraternos.

As forças do Corpo Vital têm sua mais pura expressão no Corpo Denso através do baço, do sangue, do coração, do sistema circulatório, das glândulas endócrinas e dos órgãos sensoriais. Astrologicamente, os astros estão relacionados com o Corpo Vital. E através dele, no nosso mapa astral e nas configurações astrológicas temos toda gama de aprendizagem e as oportunidades para fazer coisas boas, repeti-las, transforma-las em hábitos e, extraindo a quinta essência deles, assimila-los como virtudes.

De nada adiantaria possuir o Corpo Vital que nos possibilita movimentar o Corpo Denso se não tivéssemos o Corpo de Desejos que nos dá o incentivo para a ação, para movimentar o Corpo Denso. É ele que nos dá o interesse, ou o desinteresse, para desejar algo.

É por causa dele que somos capazes de sentir desejos, sentimentos, emoções e paixões. O Corpo de Desejos não tem a mesma forma que os Corpos Denso e Vital. Durante a vida aqui na Região Química do Mundo Físico (enquanto estamos encarnados) tem a aparência de um ovoide que envolve completamente o Corpo Denso, atingindo de 33 a 44 cm para fora desse Corpo, na humanidade ordinária.

O Corpo de Desejos só nasce por volta dos 14 anos de idade, marcando o início da puberdade – onde começa a atração pelo sexo oposto, com seus desejos desenfreados e demais características próprias dessa fase.

Assim como enxergamos o Corpo Vital com a visão etérica, assim também, para enxergarmos o Corpo de Desejos é preciso a visão espiritual do Mundo do Desejo. Então o veremos formado de vórtices que giram, no ser humano comum, no sentido dos ponteiros do relógio, e que têm como centros determinados pontos do Corpo Denso. Também veremos que ele apresenta todas as cores e nuances que conhecemos e outras que nem imaginamos que exista. Essas cores variam de pessoa para pessoa, e dependem das emoções e desejos que em determinado momento experimentamos. No nosso tema astrológico é o astro regente que imprime sua própria cor no nosso Corpo de Desejos. Por exemplo, se for Marte haverá uma tonalidade básica vermelha carmim no nosso Corpo de Desejos. Mas isto varia de acordo com um momento ou do trabalho que o Ego faz sobre seus Corpos.

Ainda não dominamos o nosso Corpo de Desejos. Por esse motivo principal ainda somos vítimas da Lei – base da religião de raça – que tem como um dos principais objetivos subjugar o desejo.

Como disse São Paulo em Romanos Cap. 7 Vers. 14 a 19: “Não entendo absolutamente o que faço, pois não faço o que eu quero, mas faço o que aborreço (...) eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita o bem, porque o querer o bem está em mim, mas não sou capaz de efetivá-lo. Não faço o bem que queria, mas faço o mal que não quero”. O mal aqui é o desejo incontrolado que nos faz satisfazer os nossos sentidos, independente se são egoístas ou não; se prejudicam os outros ou não.

Fazer o mal aqui é relativo e depende de cada um.

Antes de despertarmos para o caminho espiritual, tudo nos é permitido. Se este despertar ocorrer, pouco a pouco a percepção de que muito do que fazemos não é bom e fruto do egoísmo necessariamente ocorrerá. Pouco a pouco, então, passaremos a dominar de nós mesmos e a nosso Corpo de Desejos. Como diz São Paulo em Coríntios Cap. 6 Vers. 12: “Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não me deixarei dominar por coisa alguma”.

Importa ao aspirante à vida superior: “estar no mundo, mas não ser do mundo”. E para sabermos quão dominado está o nosso Corpo de Desejos vem a tentação. Ela é a prova se estamos aptos a subir mais um degrau ou não!

As forças do Corpo de Desejos têm sua mais pura expressão no Corpo Denso através do fígado, dos músculos, do sistema reprodutivo e do sistema metabólico. Essa sua expressão é que impele o Corpo Denso à ação.

Astrologicamente falando, as Casas estão relacionadas com o Corpo de Desejos. Através delas temos toda a gama de assuntos que nos despertam o interesse – provocando as forças de atração ou repulsão – ou a indiferença. Através das casas, temos o incentivo para a ação ou a deliberação para refreá-la. E é interessante ressaltar que são o interesse e a indiferença "as alavancas que movem o mundo”.

Para distinguirmos se os nossos desejos estão se tornando mais superiores, mais puros (entendamos aqui, mais superiores e mais puros, como desejos que são criados a partir de material das três Regiões Superiores do Mundo do Desejo, quais sejam: Poder Anímico, Luz Anímica e Vida Anímica; exemplos: altruísmo, fraternidade, filantropia, etc.); dependendo da natureza de nossas ações a Mente que regulará ou equilibrará os impulsos advindos dos nossos desejos. É ela que proporciona a qualidade refreadora pelo pensamento. É através dela que temos a capacidade de expressar nossas ideias e pensamentos-formas.

Ainda não nos acostumamos a viver com um raciocínio ordenado e consecutivo. Portanto, o que nos impulsiona mais são os desejos; não o raciocínio, o dever, mas sim o prazer. Isso ainda se dá porque a Mente está no seu primeiro estágio de evolução, o estágio dito mineral. Seu formato ainda é uma nuvem disposta em torno da nossa cabeça física. Por ser o veículo mais recente que recebemos então a sua utilização é muito incipiente. A Filosofia Rosacruz ensina várias técnicas e exercícios para ajudar-nos a melhorar a utilização desse valioso veículo. Com isso, tempo virá em que ela será mais ativa e bem mais desenvolvida, chegando ao seu estágio de Corpo, no caso, Corpo Mental.

A Mente nasce por volta dos 21 anos idade, quando atingimos, o que conhecemos, como maioridade. As forças da Mente acham sua mais pura expressão, no Corpo Denso, através do cérebro, do sistema nervoso e dos pulmões. Estas partes “iluminam” o Corpo Denso.

Nós agimos e utilizamos esses 3 Corpos e um veículo para evoluirmos. Durante as horas de vigília – quando estamos “acordados” na Região Química do Mundo Físico – o Corpo de Desejos e a Mente estão destruindo o Corpo Denso, através do pensamento e do desejo, que provocam o movimento e destroem os tecidos, órgãos, sistemas e demais partes do Corpo Denso. Já o Corpo Vital – que é cópia fidedigna do Corpo Denso – trabalha para reconstruí-lo, constantemente. Aos poucos, o Corpo Vital vai perdendo a força vital de tanto corrigir os estragos. Por fim paralisa-se, vem o sono e temos que dormir. Aí, então, como efetivamente o trabalho de restauro do Corpo Denso pelo Corpo Vital: saímos do nosso Corpo Denso, levando conosco os dois Éteres Superiores do Corpo Vital – o Éter Luminoso e o Éter Refletor – o Corpo de Desejos e a Mente e, deixamos junto ao nosso Corpo Denso, os dois Éteres Inferiores do Corpo Vital – o Éter Químico e o Éter de Vida. Permanecemos ligados pelo Cordão Prateado.

E, assim, depois de uma noite gostosa e restauradora de sono, estamos prontos para mais um dia de vigília, nessa escola da vida. Afinal, o baluarte da evolução é aqui, encarnado, na Região Química do Mundo Físico!

Que as rosas floresçam em vossa cruz