cabeçalho4.fw

O Novo Ser Humano: movimento ascensional do ser humano na ascese expansiva

O Novo Ser Humano: movimento ascensional do ser humano na ascese expansiva

"Se vós, porém, sois guiados pelo espírito, não estais debaixo da lei" - Gl 5; 18

As perspectivas de evolução e de aperfeiçoamento promulgadas pela Ordem Rosacruz, são a que há de mais cativante para o coração humano, e de mais grandioso para a sua inteligência e entendimento.

Até o advento da Fraternidade Rosacruz, que o mesmo é dizer até o aparecimento do "Conceito Rosacruz do Cosmos", o mundo ocidental não havia conhecido revelação tão sublime das imensas possibilidades latentes da perfectibilidade do ser humano.

Max Heindel, o compassivo mensageiro da Ordem, desvelando o mistério oculto nos Evangelhos, abriu e completou o sentir da Verdade, pelo entendimento profundo dos destinos espirituais prometidos pelo Senhor Cristo.

Qual foi essa mensagem esclarecedora? Numa palavra, toda se reduz a esse movimento ascensional que, tomando o ser humano nas formas mais primárias de sua carne, dos seus sentimentos e do seu pensamento, pouco a pouco, ao longo dos milênios, na ascese expansiva do latente Fogo Espiritual, o modela, o transforma, o eteriza, o transfigura em um novo indivíduo.

Lembremos como a Ordem dos Rosacruzes realiza essa transfiguração. Estabeleceu sete etapas de desenvolvimento: Estudante Preliminar, Estudante Regular, Probacionista, Discípulo, Irmão Leigo, Adepto e Irmão Maior.

Durante as primeiras etapas de Estudante e de Probacionista, o Aspirante, por assim dizer, cursa as matérias básicas e constrói os fundamentos da sabedoria e da disciplina dos seus corpos. Assimilando a Filosofia, apreende o senso das realidades, apaga pouco a pouco as ilusões e domina, aprende a, gradualmente, dominar as forças obscuras de seu ser; toma contato com a Sabedoria e conhece os primeiros vislumbres da expansão do Eu, os prenúncios da sua identidade substancial com todos os seres e coisas que o rodeiam.

Largos anos e, às vezes, vidas de trabalho, de cuidados e de esmorecimentos, de lutas e de desânimos, de quedas e de levantamentos, de augustas alegrias e de sofridos desesperos marcam esta fase preparatória do Aspirante, do ser humano novo em modelação. Mas, os esforços, as lutas, seu avanço no Caminho, são observações dos Mundos Internos pelos Guias e Condutores Espirituais. E um dia, os vislumbres tornam-se realidade viva, os obscuros contornos da visão Probacionista adquirem a nitidez ofuscante do Discípulo Iniciado.

Assim, o ser humano novo adquire uma nova estatura do Espírito Vivificante.

Até aí debaixo da lei e da contingência, os poderes da mesma lei são agora impotentes para dominá-lo. As obras do falso "eu" ou eu inferior, os zelos, o amor próprio, a vaidade, a ambição de posse, o espírito sectário, que ontem eram as características do ser humano velho, desvanecem-se para sempre. É o Espírito ou verdadeiro EU quem agora o dirige. E o "fruto do Espírito é a caridade, o gozo, a paz, a paciência, a benignidade, a bondade, a longanimidade; a mansidão, a fidelidade, a modéstia, a continência, a castidade contra estas coisas não há lei" – Gl 5; 22-23.

Mas, não imaginemos que atingido o grau de Discípulo, o novo ser humano entra numa fase de contemplação estática, absorvente, de mera assimilação dos favores dos Deuses. Não, pelo contrário!

Os poderes da ação, do trabalho, estão mais presentes, e mais presentes do que nunca em seus pensamentos, em seus nervos e em seus músculos. Seu pensamento é ocupado as vinte e quatro horas do dia com "tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é santo, tudo o que é amáveI, tudo o que é de boa fama" - Fp 4; 8.

Exemplo daqueles de que falava São Tiago em Tg 1; 22: "Sede, pois, fazedores da palavra e não ouvidores tão somente, enganando-vos a vós mesmos". Sua família, seus amigos, seus companheiros de trabalho, de associação no campo ou no mar, a sua terra, seu município, seu estado, sua pátria e a própria humanidade vão sentir a força propulsora de sua vontade, da sua cultura, da sua dedicação férrea às causas justas e nobres; vão beneficiar-se do esforço incomparável, quantas vezes do sacrifício, a par da mais extrema renúncia aos frutos do êxito.

Que poderemos, agora, imaginar das três etapas superiores do Caminho Rosacruz, do Irmão Leigo, do Adepto e do Irmão Maior? Iluminados nas transcendentes alturas do Bom, do Belo e da Verdade, são inconcebíveis as vivências e sublimidades do Ser. Max Heindel nos deixa antever algo da fecundidade da sua vida misteriosa, que aqui resumimos: "Os Irmãos Leigos vivem em diferentes partes do Mundo Ocidental e recebem uma ou mais Iniciações das Escolas de Mistérios Menores. São capazes de abandonar seu corpo físico, conscientemente, e assistir ou participar dos trabalhos no Templo dos Irmãos da Ordem Rosacruz. Os Adeptos são graduados de uma Escola de Mistérios Menores e passaram pela primeira das quatro Grandes Iniciações. A Doutrina Rosacruz diz que o Adepto pode construir novo corpo físico por processos ocultos de alquimia espiritual. Os Irmãos Maiores são graduados das Escolas de Mistérios Menores e também das Escolas de Mistérios Maiores. Seres de sublime espiritualidade faz parte da Hierarquia planetária".

Poderá haver qualquer estudante, qualquer Aspirante, jubiloso da grandeza do caminho, com sinceridade de alma ansiosamente esperando no Senhor, "como o lavrador, na expectação de recolher o precioso fruto da terra" - (Tg 5; 7), que não se entregue com todo o ânimo a esta faina construtora, a esta ingente obra de auto edificação do novo ser?

Que nos falta? "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós?" - ICor 3; 16.

(Revista Serviço Rosacruz –11/58 – Fraternidade Rosacruz – SP)