cabeçalho4.fw

O Astro-diagnóstico - diagnóstico sobre a saúde através dos Astros

O Astro-diagnóstico

O Astro-diagnóstico ou diagnóstico através dos Astros é a ciência e a arte de obter conhecimento a respeito das enfermidades e suas causas, bem como os meios de evitá-las ou curá-las, pelas indicações dos Astros.

A nosso ver, a definição de medicina deveria ser: "A ciência de promover a saúde", e não a "Ciência de curar", como registram os dicionários.

O velho método de diagnóstico pelo sintoma é muito falho. Hoje se acrescentaram os exames de raios X, o diagnóstico pela íris, as análises de sangue, de urina, etc., para alcançar melhores métodos de diagnóstico*.

Mas o ideal é surpreender as tendências e os estágios latentes para evitar que a enfermidade se desencadeie. Cremos não estar longe do dia em que médicos, oficialmente nomeados, se dedicarão a esclarecer a humanidade a EVITAR as enfermidades; mas essa dedicação sempre deverá estar pautada com a Lei de Consequência.

Então, o ASTRO-DIAGNÓSTICO exercerá um importante papel.

Podemos considerar as enfermidades sob dois aspectos:
1. A Latente; e
2. A Ativa.

As tendências latentes estão indicadas pelas configurações adversas do Horóscopo.

Se os pais são astrólogos ou tomam a sério os conselhos do astrólogo espiritual, a respeito das tendências de seus filhos, poderão ajuda-los de modo que as doenças possam ser evitadas ou, no caso em que isso não for possível, a pessoa possa ter condições de melhor lidar com ela e extrair o crescimento anímico que a doença lhe proporciona. É a mesma lei que diz: "se um elo de uma corrente está fraco, mas nunca a esticamos além do que ela pode, jamais se romperá".

Todavia, se as mesmas tendências de outras vidas, os abusos e as transgressões às leis de harmonia continuam nesta existência, aí se manifestarão os pontos débeis. Primeiramente surgem os sintomas: são indícios de que a enfermidade se acha em processo de materialização (pois começa nos veículos: Vital, de Desejos e Mente, para, finalmente, manifestar-se no Corpo Denso).

Quando se provocam os Aspectos adversos e a enfermidade aparece, as posições progredidas dos Astros orientam o médico a estabelecer um quadro completo do caso.

Nossa esperança é que muitos médicos de Mentes amplas e aquarianas, dispostos a estudar um método mais avançado de diagnóstico, se achem dispostos a empregá-lo uma vez comprovada a sua eficácia.

COMO CONHECER E AJUDAR OS ENFERMOS

Só o exame global do Horóscopo nos pode dar orientação segura do caráter da pessoa e o melhor modo de ajudá-la. A natureza física é indicada pelo Ascendente; pela posição e Aspectos do governante e suas configurações. Também precisamos examinar a sexta Casa, que rege a saúde e enfermidade. Isto tudo nos dará uma chave da natureza da enfermidade e o modo de removê-la ou contemporiza-la em estado latente. Por outro lado, devemos ver o papel que o enfermo deve desempenhar, em colaboração: e aí entra sua disposição física e tendências morais, marcadas pela posição do Sol e outros pontos do Horóscopo.
Apenas como linhas gerais, para início de estudos, vejamos como ajudar enfermos dos diversos Signos:

CARÁTER GERAL DOS ENFERMOS DOS DIVERSOS SIGNOS

ÁRIES: impulsivo, agressivo, age e fala rapidamente. Excesso de energia e tendência a dissipá-Ias. Não guarda rancor. Prático. Suporta 3 ou 4 graus de febre mais que as pessoas de outros Signos. É positivo e se confia no médico ou curador, colabora decididamente.

TOURO: teimoso e persistente. Negativo: quando contrai a enfermidade, mantém-se nela obstinadamente. Medo de enfermidades. Nunca devemos dar a impressão de que está mal porque seu medo atrai condições piores. É mister doçura e otimismo.

GÊMEOS: negligente com a saúde e hábitos desorganizados. Constitui a maioria dos tuberculosos. Quando ajudado, pode curar-se facilmente.

CÂNCER: vitalidade baixa. Tímido. Não colabora e tem a tendência de fazer justamente o contrário do que se recomenda para sua saúde. Cheio de justificativas, sem fé nos demais, difícil de tratar. Mas, se adquire fé no curador, é fiel e colabora. Sensitivo, não perdoa facilmente. É preciso tato para tratá-lo. Em geral, os males provêm de distúrbios digestivos, daí a necessidade da dieta.

LEÃO: grande vitalidade, difícil de enfermar. Quando se entrega está muito enfermo. Restabelecimento rápido. Orgulhoso, não gosta de dar trabalho aos outros, quando doente. Positivo, impulsivo: põe desnecessariamente muita energia no que faz, comprometendo seus pontos fracos: coração e baço, com seus distúrbios e anemia. Faz-lhe bem o banho de sol pela manhã (baço), sucos frescos, dieta vegetariana, carinho e equilíbrio, no tratamento.

VIRGEM: negativo e feminino. Tem resistência porque é de temperamento nervoso. Mas, quando enfermo tem dificuldades para libertar-se do mal. Disposição negativa, não exerce a própria vontade para libertar-se das circunstancias limitadoras. Como Virgem é o sexto Signo, correspondente a sexta Casa, das enfermidades, os que têm Ascendente e Sol em Virgem a tendência é de entregar-se a elas e se converterem em doentes crônicos.

Embora sejam excelentes enfermeiros, não devem exercer tal atividade porque atraem enfermidades dos pacientes. Devem ser tratados com firmeza racional: explicando-lhes o porquê e não admitindo desobediência.

LIBRA: débil, idealista, oscilando entre alegrias e tristezas, nem sempre reage favoravelmente quando enfermo. Jamais devemos desanimá-lo em suas esperanças porque acaba doente. Carece e deve exercitar o equilíbrio. O melhor modo de tratá-lo é com bom gosto, tudo bonito, flores, conversas e leitura, músicas e pintura. Tudo positivo e alegre, idealista e animador.

ESCORPIÃO: é de tipo variado: o menos compreendido. Natureza retraída, tímida, reservada, às vezes; outras vezes discutidor, até cruel. Regra geral explosivo o que é a causa geral de seus males. Pode ser bom médico, cirurgião e enfermeiro. Frequentemente sensual. Deve ser tratada com bom humor, equilíbrio, compreensão e atenção, pois atende pelo coração.

SAGITÁRIO: gentil, positivo, facilmente curável. Natureza bondosa, franca, colaboradora. Mas, pode ser influenciado negativamente por alguns de seus inúmeros amigos que lhe digam: você está amarelo ou coisa semelhante. O mais importante é que sejam protegidos de tais sugestões.

CAPRICÓRNIO: dificilmente sucumbem à enfermidade. Persistentes e estoicos sofrem muito a dor antes de acamar. E uma vez enfermos, são lentos e persistentes nesse estado tornando-se, não raro, hipocondríacos.

Devemos tratá-los com diplomacia para romper-lhes a cristalização. Às vezes, resistem à ajuda e até evitam as pessoas que o intentem. Supersensitivos, retraídos, reservados, melancólicos e desalentados. É preciso paciência, tato, diplomacia, persistência e distração do seu pensamento para coisas que atraiam pessoalmente o enfermo.

AQUÁRIO: fixo, de forte vontade, porém dado a melancolia (co-regente: Saturno), pessimismo e sensibilidade. Mas, pode ir ao outro extremo: temerário, atrevido (Urano). Isto lhe dá nervosismo. Tendência a excessos, não mede os esforços para atingir o objetivo de sua ambição. Facilita a ajuda do médico e coopera. Atende muito pela razão cientifica. Quando enfermo fica em extrema sensibilidade nervosa, como se pelo corpo andassem pequenos insetos, numa sensação de deslizamento. Faz-lhe bem o relaxamento e alimentos ricos em vitamina B (coalhada, germe de trigo, levedo de cerveja, ameixa preta, brócolis, etc.) dentro de uma dieta de frutas, verduras, legumes, ovos, bem equilibrada.

PEIXES: linfático, negativo, psíquico. Responde muito bem as sugestões, tanto boas como más. Quando enfermo, devemos colocar na porta do quarto, no lado de fora, um cartaz que diga: "proibida à entrada aos simpáticos". Essas pessoas simpáticas que animam o doente a contar seu mal em pormenores, lamentando com ele as circunstâncias e que depois da visita lhe provocam a recaída. Deve, pois, ser protegido contra as sugestões negativas. As visitas devem ser instruídas a desviar o assunto da enfermidade e tratar de coisas alegres e animadoras. A tendência dos piscianos ao luxo, comodismo e alimentos ricos, pede uma dieta eliminadora, música, banhos (hidroterapia), massagens, caminhar um pouco, etc.

 

* (Nota do revisor: Este é um texto da década de 70. Atualmente, os avanços tecnológicos permitem uma precisão muito mais aguda e melhor. No entanto, a medicina ainda se perde nos efeitos e não nas causas, visto que tudo aquilo que é material, incluindo as doenças físicas, tem origem espiritual).

(Revista Serviço Rosacruz – 06/76 – Fraternidade Rosacruz – SP)