cabeçalho4.fw

A Menina Boa Salva de um Incêndio

A menina boa salva de um incêndio

Contarei uma história de uma garota que foi salva da morte de uma maneira muito estranha. Ela vivia a boa vida, e ganhou a proteção dos Seres Superiores, os quais estão tentando promover o bem estar de todos os seres vivos na Terra.

 

Numa tarde de janeiro, um Auxiliar Invisível pôs-se a dormir, deixou seu Corpo Denso e saiu para os estados do noroeste. Em um dado lugar um passarinho pintarroxo voou sobre ele e tentou pousar nele; não conseguindo, passou por ele.

 

“Oh, você quer passear, não quer?” – disse o Auxiliar Invisível ao passarinho.

 

Ele pegou o passarinho e neste instante notou uma pequena etiqueta em volta de seu pescoço.

 

Nesta etiqueta havia o nome e o endereço de uma mulher. Havia também um pedaço de papel preso em sua perna. O Auxiliar Invisível retirou o papel e leu o seguinte: “Por favor, siga este passarinho até minha casa. Estou enferma”.

 

 “Certo, Amigo, vamos para casa” - disse o Auxiliar Invisível. “Vou lhe acompanhar”. O Auxiliar Invisível e o pintarroxo voaram rapidamente para o edifício que estava em chamas. A garota morava no terceiro andar.

 

Uma grande quantidade de fumaça estava saindo da sua janela. O Auxiliar Invisível entrou e encontrou a garota em sua cama, que tinha sido queimada pelo fogo. Ela gritava por ajuda. O Auxiliar Invisível pegou a menina, jogou para o lado a roupa de cama queimada e a levou para fora, pela janela.

 

As pessoas na rua gritaram quando os viram, porque eles acharam que o Auxiliar Invisível tinha se jogado com a garota e que eles estariam mortos ao se chocarem com o chão. Ao invés disso flutuaram e o Auxiliar Invisível colocou a garota no chão. Alguém a cobriu. Neste instante o Corpo de Bombeiros chegou e a garota foi levada para o hospital, porque estava muito queimada.

 

Depois de resgatar a garota, o Auxiliar Invisível voltou ao edifício em chamas para ver se havia mais alguém lá, mas ele não encontrou ninguém.

 

O Auxiliar Invisível então foi ao hospital e encontrou a menina toda enfaixada na cama. “Você pode me ouvir?” – ele perguntou. Ela não prestou atenção. O Auxiliar Invisível então saiu para o corredor e se materializou e voltou ao quarto em seu corpo físico. “Quem você gostaria de ver?” – perguntou a enfermeira.

 

 “Poderia ver a senhorita que foi trazida para cá com queimaduras” - ele respondeu.

 

“Ela está agora sob sedativo, para aliviar a dor” - disse a enfermeira.

 

O Auxiliar Invisível foi até a cabeceira da cama da menina e ela o viu desta vez. “Onde está meu passarinho?” – ela perguntou - “Por favor, vá e traga meu passarinho”.

 

O Auxiliar Invisível retornou a cena do incêndio e encontrou o passarinho num galho de árvore. Ele o chamou e este veio até ele sem hesitar.

 

“De quem é este passarinho?” – Perguntou o policial que estava observando.

 

“Ele pertence a senhorita que foi queimada no edifício” - disse o Auxiliar Invisível.

 

“Eu poderia tomar conta do passarinho” - respondeu o policial.

 

“Não. Ela me pediu que o levasse para ela” - disse o Auxiliar Invisível.

 

“Nada sei sobre isso, mas vou ter que apreendê-lo” - disse o policial.

 

“Certo, mas eu cuidarei do passarinho” – disse o Auxiliar Invisível, e desapareceu no ar com o passarinho. As pessoas observaram o passarinho até perder de vista.

 

O Auxiliar Invisível retornou ao Hospital com o passarinho e foram para um lado do Edifício. Quando ninguém estava olhando, ele se materializou, e colocou o passarinho embaixo de seu casaco, para entrar com ele no Hospital. Ele entrou na enfermaria onde a garota estava e entregou o passarinho a ela. Quando ela falou com o pintarroxo, ele cantou.

 

“Leve esse passarinho para fora” – disse a enfermeira.

 

“Não!” - disse a garota - “Eu achei o passarinho quando era bebê com a perna quebrada, e cuidei dele até que ficou bom e agora ele dorme comigo, e onde quer que eu vá, ele vai comigo”.

 

“O pintarroxo olhou para ela como se dissesse: “Qual o seu problema?”

 

“Por que não me deixa morrer?” – a garota perguntou ao Auxiliar Invisível - “Meu rosto e meu corpo estão arruinados e terei que desistir do meu cargo na Escola Dominical. Sou a superintendente e temos quinhentas crianças matriculadas. Estou tentando ensiná-las e conduzi-las corretamente para se tornarem pessoas úteis”.

 

“Talvez você possa ter uma aparência melhor, depois que estiver recuperada” – disse o Auxiliar Invisível, sorridente.

 

 “Obrigada, mas não acredito nisso” - respondeu a garota - “Posso sentir o formato do meu rosto agora e a dor é muito forte”.

 

“Deixe-me segurar sua mão” - disse o Auxiliar Invisível e tocou em suas mãos - “Gosto de você porque ajudou o passarinho quando estava ferido e porque cuidou muito bem dele”.

 

Nesse momento, o pai, a mãe e a irmã da garota apareceram e a mãe desmaiou quando viu sua filha naquelas condições.

 

“Leve-a daqui” - disse o Auxiliar Invisível - “Não precisamos dela aqui”.

 

A irmã ficou com raiva e começou a questionar o desconhecido sobre sua irmã: “Você é namorado da minha irmã?” – perguntou ela.

 

“Eu poderia ser seu colega, seu irmão, seu amigo ou qualquer outra coisa, exceto o marido dela” - respondeu o Auxiliar Invisível.

 

“Você fala em enigmas!” - disse o pai da garota.

 

A mãe recuperou a consciência e ficou muito irritada.

 

“Se você não tivesse sido tão rude com sua filha, isto não teria lhe acontecido” - disse o Auxiliar Invisível - “O tratamento dado a ela por você a obrigou a viver em outro lugar”. Ele se virou para a garota enfaixada.

 

“Você não está com dor agora. Peça a enfermeira um pouco de água e em seguida peça um copo de leite”.

 

A enfermeira trouxe a água, mas se recusou a dar o leite.

 

“Vamos, enfermeira” - disse o Auxiliar Invisível - “Traga o leite e seja tão amável como o é na aparência. Eu sei que você é formosa”.

 

A enfermeira sorriu e se foi e trouxe o leite. “Você terá que assumir a culpa por isto” - disse a enfermeira, quando retornou.

 

“Eu sei” - respondeu o Auxiliar Invisível.

 

A garota bebeu o leite e se sentiu bem melhor.

 

 “Veja se está dolorida” - disse o Auxiliar Invisível, depois de alguns minutos.

 

 “Claro que estou e as bandagens estão secas” – disse a garota.

 

Em seguida ela começou a apalpar-se e seus olhos se arregalaram e, espantada, começou a se mover. “Não tenho mais dor!”  - disse com voz surpresa.

 

 “O que aconteceu aqui diante dos meus olhos!” - exclamou o pai da garota.

 

“Tire as bandagens de seu rosto e do corpo” - disse o Auxiliar Invisível.

 

“As bandagens estão secas e vai doer para retirá-las” - disse a garota.

 

A garota não entendia que tinha sido curada, mas a força da cura vem de Deus.

 

“Experimente” - sugeriu calmamente o Auxiliar Invisível.

 

A garota verificou que as bandagens saíram facilmente e ela o fez rápido. Quando ela removeu todas as bandagens verificou que não tinha nenhuma marca ou cicatriz em seu corpo, exceto que seus cabelos e suas sobrancelhas estavam chamuscados.

 

 “Seus cabelos e suas sobrancelhas crescerá com o tempo” - disse o Auxiliar Invisível. “Ouça bem o que digo: Deus cuidará dos Seus, quando eles mesmos se negarem a fazer pelos outros o que você tem feito”.

 

O Auxiliar Invisível viu que esta garota tinha desenvolvido um belo Corpo Alma pela ajuda prestada durante a sua vida.

 

 “Quem é você?” – a garota perguntou, maravilhada.

 

“Eu sou um servo como você” - respondeu o Auxiliar Invisível.

 

 “Tenho que saber onde você mora, assim posso ir e lhe ver” – disse a garota.

 

“Não, você não pode fazer isto” – respondeu o Auxiliar Invisível.

 

A garota ficou inquieta e queria se levantar.

 

“Suas unhas vão quebrar e seus dedos poderão ficar doloridos, mas poderá ir para casa amanhã à tarde se você sentir que está melhor” - disse o Auxiliar Invisível - “Devo ir embora. Seja meiga e boa”.

 

A garota queria beijar o Auxiliar Invisível, mas ele disse: “Não, não criança, isso poderia lhe machucar”. (Isto aconteceria porque o Auxiliar Invisível estava em um corpo materializado).

 

 “Sou grata a você por tudo que fez para me ajudar” - disse a garota.

 

 “Que Deus abençoe você, minha irmã” - ele disse e desapareceu.

 

“Meu Deus!” - exclamou a mãe - “Ele deve ser um Anjo”.

 

Este Auxiliar Invisível e seu parceiro voltaram para ver a garota, aproximadamente cinco horas depois, e eles a encontraram dormindo, tranquilamente, na cama do hospital. O homem Auxiliar Invisível não se materializou, neste momento, mas a senhora Auxiliar Invisível se materializou e eles entraram no quarto. A enfermeira mostrou a ela a cama da garota e a Auxiliar Invisível a acordou.

 

 “Onde está o Anjo? – Perguntou a garota - “É você?”.

 

“Não” - respondeu a Auxiliar Invisível - “mas ele está aqui”.

 

“Oh, você é um Anjo, também!” - exclamou a garota, rapidamente.

 

“Não” - disse a Auxiliar Invisível - “Eu sou somente uma serva da humanidade” - e conversou com a garota por algum tempo.

 

A garota continuou a perguntar pelo Auxiliar Invisível, e finalmente ele se materializou e falou com ela, o que a deixou satisfeita. Em seguida, a garota pediu a senhora Auxiliar Invisível para ser sua amiga e que ela viesse  vê-la quando ela estivesse restabelecida.

 

 “Você vai retornar à sua vida normal? – perguntou a Auxiliar Invisível.

 

“Não, não vou” - respondeu a garota.

 

Quando a Auxiliar Invisível estava pronta para sair, a garota pediu que a beijasse. “Sim” - a Auxiliar Invisível disse, que inclinou-se e a garota a beijou.

 

“Sou muito grata, por ter beijado um Anjo” - disse a garota.

 

 “Dei a menina um pouco de força, pois, ela estava muito exaltada” - o homem Auxiliar Invisível expressou-se através do pensamento.

 

A senhora Auxiliar Invisível colocou a garota em seus braços, expandiu a sua aura e a garota disse: “Oh!”. Então a Auxiliar Invisível desapareceu.

 

A enfermeira veio e correu até a cama. Os outros pacientes acordaram assustados e ficaram extasiados.

 

 “Você é uma santa a quem os Anjos vieram, e a ajudaram?” – perguntou a enfermeira - “Eu ouvi sobre você, da enfermeira que disse ter se curado. Como você pode ser tão boa?”.

 

 “Não sou santa” - disse a garota - “Simplesmente rezo e ensino crianças em uma escola dominical, porém, sou a garota mais feliz do mundo”.

 

A enfermeira fez o sinal da cruz. “Quando os Anjos aparecem é que a morte se aproxima” - disse ela.

 

O homem Auxiliar Invisível pediu a sua companheira para materializar-se rapidamente e dizer-lhes que isto não é verdade.

 

A senhora Auxiliar Invisível materializou-se e falou com a enfermeira.

 

“Isto não é verdade” - ela disse - “Não diga isto novamente”.

Depois disso os Auxiliares Invisíveis partiram e continuaram seu trabalho.

(I.H. - AMBER M. TUTTLE)