cabeçalho4.fw

Como Curam os Auxiliares Invisíveis

Como Curam[1] os Auxiliares Invisíveis

Segundo as Santas Escrituras, o ser humano foi criado no Jardim do Éden, no sexto dia da criação. No princípio do sétimo dia, época na qual estamos vivendo, Deus descansou de sua obra.

O ser humano foi criado espírito, e os espíritos recém-criados são chamados “Espíritos Virginais”. Eles, isto é, toda a humanidade, incluindo nós, desde então vimos por séculos e séculos, como crianças, desenvolvendo-nos física e mentalmente, até nos encontrarmos agora dotados de um corpo maravilhoso, com uma Mente admirável e alma sensível. Vivemos e morremos muitas vezes. Como a noite sucede ao dia, assim tem sucedido nascimento e morte.

Em cada morte o espírito volta ao lar celestial para descansar e renovar-se, e regressa, em cada nascimento, à “Escola da Vida”. Em cada vida o espírito se veste de nova personalidade; raras vezes se recorda da vida anterior.

Como sucede em toda escola, há estudantes que aproveitam mais que outros. Alguns conseguem desenvolvimento tal que não necessitam voltar à escola; estão prontos para seguir seu curso em esferas celestiais. Entre eles alguns preferem deter seu curso para ajudar a humanidade menos avançada.

Doze desses chamamos de “Irmãos Maiores”. Um deles exerce especial influência nos serviços de cura no Templo de Fraternidade Rosacruz.

Os Auxiliares Invisíveis são Probacionistas da Fraternidade Rosacruz. Cada noite, enquanto seus corpos descansam durante o sono, eles servem curando os enfermos, sob a orientação e direção dos Irmãos Maiores, isto é, fazem-no se merecem esse privilégio.

Pede-se ao paciente que assine a “Carta Semanal” com tinta, porque assim o eflúvio de seu Corpo Vital se impregna no papel através do líquido e proporciona aos Auxiliares Invisíveis indicação de seu estado de saúde. Isto deve ser feito semanalmente nas datas indicadas no cartão que enviamos. Somente com essa chave os Auxiliares Invisíveis podem penetrar no Corpo do paciente. Por conseguinte, o ato de assinar é um pedido de ajuda dirigida aos Auxiliares Invisíveis. Se o paciente compreender isso, nunca o fará mecanicamente nem dissimulará as datas.

Deve ser um ato sincero, simples, de fé e agradecimento.

Não adoramos nem invocamos em preces os Irmãos Maiores e Auxiliares Invisíveis; eles são homens e mulheres humanos, e somente a Deus adoramos e elevamos nossas orações, em nome de Cristo Jesus.

(Publicado na revista ‘Serviço Rosacruz’ – 08/1971)

 

[1] N.T.: “healing”, em inglês, que é diferente de “curing”. O problema é que em português traduzimos ambas as palavras por “curar”. Entretanto, o conceito delas é bem diferente. “Curing” significa “eliminar todas as evidências da doença”, “eliminar todos os sintomas” – está mais para remediar; enquanto que “healing” significa curar totalmente: o Espírito, a Alma – aqui restaurar, eliminar a causa suprafísica, pois o Espírito e a Alma nunca ficam doentes (!) – e o Corpo – aqui sim: restabelecer o funcionamento normal da parte afetada, pois essa parte está doente. Quando falamos do Método de Cura da Fraternidade Rosacruz, estamos falando de “healing” (veja aqui: https://goo.gl/t5p7p4, em português e aqui: https://goo.gl/L7WgMf, em inglês). Assim, nesse texto todas as vezes que se lê “cura”, entenda “healing”