cabeçalho4.fw

Regeneração Espiritual – o Relato de uma Experiência Pessoal de um Astrólogo

Regeneração Espiritual – o Relato de uma Experiência Pessoal de um Astrólogo

Algumas religiões julgam que a Bíblia condena a Astrologia, mas isso, além de um engano, é uma interpretação incorreta. O que a Bíblia realmente condena é o mau uso da Astrologia e o culto das estrelas e dos Astros. Os povos que viveram no tempo do Velho Testamento adoravam ídolos de madeira e de pedra, e, muitos deles, veneravam as estrelas e os Astros. Adoração por alguém ou por alguma coisa que não seja o Criador é idolatria e, por isso, corretamente condenado.

As estrelas e os Astros foram colocados nas suas posições de acordo com o desejo e o propósito de Deus, assim como seguem e estão seguros em seus cursos por Seu Poder. Podemos calcular e saber onde esses Astros estarão daqui a muitos anos, porque eles não se desviam de seus cursos. No livro do Eclesiastes 3:2 lemos: "Um tempo para nascer, um tempo para morrer, um tempo para plantar, um tempo para colher". Isso parece-nos suficientemente claro, indicando que um indivíduo nasce no momento certo, num lugar certo, por uma determinação e um propósito, e não por acaso.

O horóscopo mostra-nos esse propósito, assim como a indicação geral das prováveis circunstâncias que surgirão no decorrer de uma vida. O propósito da Astrologia é dar orientação e, conselho para que cada pessoa, cada indivíduo, possa nascer no tempo, no lugar e entre pessoas que lhe darão as oportunidades para a experiência, que ele precisa, para o seu desenvolvimento.

Duas cartas foram dadas à humanidade: as Escrituras e a Astrologia. Servem para orientar cada ser no caminho e na finalidade de sua existência. O ser humano foi criado à imagem de Deus, é uma parte integrante d'Ele e tem em si todas as potências divinas. Teve de descer na matéria para desenvolver todos os seus poderes através de contínuas experiências até alcançar e, então desfrutar do seu destino glorioso. No entanto, foi tentado (pelos Espíritos Lucíferos) a desenvolver as leis de Deus (pecado) e, em consequência, teve de sofrer a doença e a morte.

Do começo ao fim da Bíblia, há dois temas constantes: a constatação do pecado e como o ser humano pode redimir-se dele. É pena que a maior parte da humanidade julgue o pecado como alguma coisa de aparência só externa, como o homicídio, o roubo, o adultério. Na realidade, a manifestação de uma desobediência à lei divina é resultado de uma desarmonia interior e é necessário, neste caso, uma análise muito mais profunda.

Essa desarmonia interna é consequência de atitudes como o egoísmo, ressentimento, ódio, ciúme, luxúria etc. Se o pecado é incompatível com Deus e Suas leis, é incompatível com o nosso semelhante. Essas desarmonias, muitas vezes, causam profundos sentimento de culpa que agem através do subconsciente até o corpo físico, causando posteriores enfermidades. As palavras-chave do lado adverso dos Astros no nosso Sistema Solar mostram essas coisas.

Plutão tem suas palavras-chave: pecado, culpa, a Mente subconsciente, o submundo mental, forças no plano interno e oculto que ainda não foram redimidos, crimes etc. Por isso, quando nós reprimimos ou interiorizamos nossos sentimentos de culpa, sérios conflitos e tensões podem surgir. No seu lado positivo, Plutão representa a necessidade de renovação, transformação, regeneração espiritual, purificação e liberação. As forças plutonianas mostram que há um caminho para libertar os complexos de pecado-culpa. Isso é possível mediante a experiência, a vivência espiritual e o resultado será a conquista da paz interna.

O papel de Saturno no plano da vida é mostrar onde nos desviamos e disciplinar-nos nas áreas onde precisamos ter força e firmeza e conduzirmo-nos da desobediência para o arrependimento e, em consequência, para a obediência.

Ambos, Saturno e Plutão, pode dizer-se, são Planetas do destino; através deles somos forçados a aprender nossas lições pela disciplina e sofrimento. Somos forçados a colher o que semeamos. Se não fosse por sofrimentos ou circunstâncias adversas (usualmente mostrados por Plutão e Saturno), nós continuaríamos no nosso caminho, cometendo sempre e novamente os mesmos erros, não parando para pensar; do contrário estaríamos indo pelo caminho errado.

Netuno é outro Planeta ligado com o subconsciente e regiões ocultas de nossas vidas. Conflitos internos e complexos psicológicos estão muitas vezes ligados a profundos sentimento de culpa e, como Netuno rege a glândula pineal, culpas recalcadas podem causar um desequilíbrio nas funções dessa glândula, resultando distúrbios psíquicos. Da mesma forma, Netuno está ligado ao progresso espiritual, sensibilidade para forças e revelações espirituais. Isso tudo mostra como a culpa pode ser erradicada e os problemas psicológicos desaparecerem.

Urano desempenha um papel importante trazendo, por vezes, crises de natureza espiritual, quando está aspectado adversamente por Netuno e Plutão. Sob os bons Aspectos é possível acontecerem revelações espirituais que mudarão, ou transformarão, para melhor, a vida de uma pessoa. Urano rege a intuição, o altruísmo e descobertas, e pode ser um fator importantíssimo ao proporcionar uma transformação espiritual quando a pessoa está consciente dos problemas que terá de enfrentar no caminho do progresso.

O horóscopo mostra as imperfeições individuais, faltas, pontos fracos de saúde, assim como a parte agradável e forte do caráter. O andamento dos Astros no Zodíaco indica períodos em que a pessoa "nada de acordo com a corrente", e faz progresso ou "enfrenta a corrente", e progride ainda mais.

Com 15 anos, quando o meu Sol progredido atingiu um Sextil do meu Netuno natal, eu tive a experiência de uma conversão espiritual. Mas fiquei muito perturbado, porque foi-me ensinado a doutrina dos tormentos e do fogo eterno para aqueles menos afortunados que não fizessem o bastante para obter a "salvação". Achei impossível conciliar a doutrina do castigo externo com o Deus de amor e justiça, perguntando-me porque um indivíduo deveria ser relegado a esse tormento eterno, depois de ter vivido uma média de somente 70 anos.

Mesmo as pessoas mais insensíveis acharão essa punição muito injusta.

Eu constatei, no meu horóscopo, um aflito Saturno no Signo de Peixes, e isso me proporcionava medos, ansiedades, preocupações e conflitos de inferioridade e autocondenação. Esses sentimentos estavam enfatizados pelo fato de que Saturno rege a minha 12ª Casa, onde estão as coisas ocultas e o subconsciente. Com Júpiter, governando a religião, fazendo uma Quadratura em trânsito com Saturno e Netuno e exatamente no meio, entre os dois, a religião era para mim uma fonte de tensões e conflitos, e isso levou-me a ter medo da morte e do que aconteceria do outro lado, além da sepultura. Marte, em Quadratura com Saturno, causava-me sentimentos de mágoa e ressentimentos contra as adversidades da vida, e eu achei impossível conciliar injustiças, sofrimentos e maldades que eu presenciava no mundo, com o tipo de Plano Divino para os seres humanos na Terra. Não encontrei propósito nem sentido no viver. Eu ainda não me tinha decidido a respeito do renascimento, mesmo que essa posição respondesse a muitas perguntas. Tinha dificuldades para acalmar os sentimentos fortes de revolta contra as aparentes injustiças da vida. Urano, que rege o meu Ascendente, está num Signo Fixo, em Quadratura, Aspecto adverso com a Lua, também num Signo Fixo.

Desde que o afligido Saturno em Peixes rege minha 12ª Casa, muitos dos conflitos internos causaram males sobre o meu Corpo físico. É um estranho paradoxo observar que, enquanto eu sentia que as coisas não estavam bem dentro de mim e o meu horóscopo mostrava exatamente isso, eu não me decidia a admitir esses mesmos problemas. Eu só tinha consciência dos meus sentimentos negativos, os quais afloravam de tempos em tempos a este mesmo nível de consciência, juntamente com a necessidade e carência de paz interior.

Uma manhã, mais ou menos às 4 horas da madrugada, eu estava totalmente acordado e ouvi uma voz interior que me falava distinta e claramente dos ressentimentos que eu abrigava há tantos anos dentro de mim como a principal razão da minha incapacidade de alcançar uma paz interior. Ouvindo isso eu compreendi que esses sentimentos só poderiam ser dominados de uma maneira espiritual e que eu, sozinho, não poderia nunca os retirar de mim.

Consegui entender que o pecado tem raízes mais profundas internamente e não se localiza só nas aparências.

Quando finalmente admiti e senti que essas coisas eram verdades, um imenso sentimento de amor e ternura envolveu-me. Mediante muita oração e confissões a Deus, consegui livrar-me dos sentimentos negativos e, em consequência, alcancei a almejada paz interior e também um grande entendimento. Entendi que quando se vive uma grande experiência de amor com Deus, como eu tive, livramo-nos de todos complexos psicológicos, de todos conflitos íntimos.

Eu tomei conhecimento da conexão bem marcada com o Signo de Libra, regida por Vênus, Planeta do amor, harmonia, equilíbrio e paz. Libra simboliza a paz celestial, quando experimentada, o relacionamento pleno com Deus; e também e em consequência traz harmonia e um bom relacionamento com outra pessoa (7ª Casa regida por Libra, oposta a Áries, regente de si mesmo). Eu descobri que todos os ressentimentos que eu tinha contra os outros desapareceram com essa experiência.

Três semanas mais tarde, ao amanhecer, eu tive outra experiência. Eu estava rezando, com os meus olhos fechados, quando uma luz brilhante me envolveu e um sentimento maravilhoso de amor apossou-se de mim e fluiu através de mim. É impossível descrever meus sentimentos, mas nos dias que se seguiram eu permanecia nessa alegria extática, que fluía continuamente em mim.

Uma terceira experiência ocorreu-me numa manhã um mês após. Pareceu-me estar andando por uma estrada e aproximando-me de uma bifurcação, resolvi entrar pelo caminho que não era a estrada principal. Andei até ao fim dessa estrada e então cai num buraco muito fundo. Tentei sair do buraco, escalando pelas paredes, mas elas eram íngremes e escarpadas, e eu escorregava. Senti, então, na minha consciência, que o buraco, o precipício representava a escravidão do pecado, que me puxava para baixo e que eu, sozinho, não me podia salvar. Ajoelhei-me, rezei profundamente e implorei a Deus pela minha salvação.

Uma voz veio do alto até mim: "Melhora, progride! Segura forte o que vou jogar e só então eu vou tirar-te daí". Uma grande cruz desceu até mim, e enquanto eu a segurava, abraçado na parte inferior dela, alguma coisa desceu também sobre mim. Senti-me limpo, assim como limpo ficou também todo o ambiente que me cercava.

A cruz foi içada e eu agarrado a ela, e então fui colocado na estrada certa. Eu olhava ao redor de mim e via um caminho glorioso que levava para diante e para cima até a Cidade Santa, a Nova Jerusalém. Então eu entendi que o futuro seria pleno de alegria e glória.

A quarta experiência aconteceu-me duas semanas mais tarde. Acordei pela manhã com uma sensação maravilhosa do amor de Deus e uma voz interior falou-me: "Você pode entregar-se confiantemente a Cristo".

Eu sabia que precisava entregar-me completamente a Ele e resolvi então fazê-lo, na entrega total de mim mesmo.

Uma luz brilhante rodeou-me e surpreendi-me dirigindo palavras de amor e louvor a Deus.

Era como se uma fonte de amor estivesse jorrando dentro de mim. A brilhante luz branca, pura como um cristal branco, tornou-se cada vez mais brilhante, foi crescendo em brilho e eu senti a mais profunda paz, sentimento esse que jamais havia experimentado em toda a minha vida. Ondas e ondas de amor fluíam sobre, dentro e através de mim. Era como uma imersão, de todo o meu ser, no amor.

A única palavra que eu posso usar para descrever essa sensação é ÊXTASE.

É significativo constatar que, durante os meses que eu tive essas experiências espirituais, todos os Astros espirituais estavam fortemente aspectados em meu horóscopo. O mais notável Aspecto durante o trânsito era o de Plutão em minha 8ª Casa, em Paralelo exato com o meu Urano natal. Plutão significa: regeneração espiritual, redenção de pecado, liberação e purificação; e Urano é o Planeta das crises. Outro trânsito importante era Júpiter sobre o Ascendente, Saturno em Quadratura com Netuno e depois em Oposição a Júpiter; mais tarde Netuno estava na minha 10ª Casa exatamente em Trígono com a Lua Natal e Urano estava Paralelo com Netuno natal (Saturno é uma influência tipo Netuno em mim, desde que é nativo em Peixes e rege minha 12ª Casa). A forte ênfase de Netuno indica experiências espirituais de natureza estática, envolvendo grande poder espiritual.

O horóscopo dá a indicação geral das circunstâncias da vida, no entanto, Aspectos envolvendo Astros espirituais não significam que um indivíduo vá ser beneficiado – cada um tem a liberdade de escolha.

Se uma pessoa responde de uma maneira negativa ele ou ela estarão em pior situação do que antes, porque rejeitaram verdades espirituais. Se responderem positivamente, construtivamente, muito progresso espiritual chegará a eles. As Escrituras nos dizem que Deus vela por todos os seus filhos, igualmente, mas que a todos são dadas oportunidades, e em todos os momentos da vida, de responder ao amor e à misericórdia de Deus, nosso Criador.

Para aqueles que sabiamente respondem a Ele haverá a recompensa de grande paz e alegria, assim como o enriquecimento da personalidade e caráter, até alcançarem e integrarem-se na perfeita "imagem de Deus".

(Traduzido da Rays of the Rose Cross – publicado na revista Serviço Rosacruz – 11/79)