cabeçalho4.fw

O que tende a acontecer com os nascimentos prematuros

Pergunta: Poderiam explicar a aparente discrepância encontrada no artigo "The Astral Rays", no exemplar mais recente do RAYS, página 110, nas últimas linhas do primeiro parágrafo, quando lemos: "... e quando parecemos retardar ou acelerar o nascimento, ESTAMOS NA REALIDADE AJUDANDO A NATUREZA em seu curso predeterminado...". Ao passo que no artigo do ano passado sobre os trigêmeos, lemos: "... seria absolutamente errado se um médico antecipasse a morte de um agonizante. Não há diferença alguma se compararmos isso com o médico que apressa o nascimento de uma criança... constatamos, por essa razão, que certas pessoas não parecem adaptadas ao seu meio ambiente. Sua vinda ao mundo foi antecipada, recebendo vibrações astrais que não se adequavam a elas". Gravei firmemente em minha mente a advertência contida no artigo sobre os trigêmeos, mas estas últimas observações parecem alterá-la.
Há também dois outros pontos que procuro esclarecer. Nesse mesmo artigo do exemplar de fevereiro é afirmado: "É melhor nascer quando a Lua está aumentando sua luminosidade...a Lua crescente sempre aumenta a vitalidade e favorece nossos negócios". Mas, em vários artigos anteriores, ressaltou-se o fato de que a Conjunção da Lua com o Sol é um dos melhores augúrios para a saúde e para a prosperidade em geral. Como conciliam essas afirmações?
Num texto que se refere às inclinações, escrevendo sobre a Quadratura de Saturno e Mercúrio, lemos: "Isso o torna crítico e sarcástico, particularmente para aqueles com quem a pessoa trabalha". Saturno é, no entanto, o Astro da diplomacia, e em textos anteriores foi dito: "...se Mercúrio está nos Signos saturninos de Capricórnio e Aquário, ou Saturno nos Signos mercuriais de Gêmeos e Virgem, ou se Saturno e Mercúrio estão configurados, isso conferirá à pessoa precaução, tato e diplomacia".

Resposta: O artigo sobre os trigêmeos foi publicado na edição de fevereiro de 1916 e, em proveito dos que não o leram, podemos dizer que a senhora que deu à luz a esses trigêmeos não era assistida regularmente por um obstetra, mas por sua tia que permitiu que a natureza seguisse o seu curso normal. O primeiro dos trigêmeos nasceu em 22 de setembro de 1915, à 1:50 A.M. O trigêmeo nº 2 nasceu em 24 de setembro de 1915 à 1:15 A.M., e o trigêmeo nº 3 nasceu dez minutos depois.

Houve assim um intervalo de quarenta e oito horas entre o nascimento do primeiro e do último. Este é um caso anormal que se assemelha à categoria de um nascimento prematuro de sete meses, e nunca vimos o horóscopo de uma criança de sete meses que se ajustasse bem. Também nunca vimos uma criança de sete meses que se adaptasse ao seu meio ambiente. Há sempre algo errado na vida quando se interferiu no período de gestação e a pessoa recebeu o seu batismo astral num período em que as configurações astrais não se adequavam ao seu caso e condição. Em consequência disso, dissemos e pensamos que é criminoso trazer uma criança ao mundo sob tais condições. No caso dos trigêmeos, a mãe não sentiu as dores do parto, senão quando o segundo estava prestes a nascer. Se um obstetra os tivesse feito nascer antecipadamente, dois dias antes da data marcada, teria, em nossa opinião, causado problemas para os dois últimos. Embora não o tenhamos expressado no artigo dos trigêmeos, a nossa opinião é que foi justamente para evitar esse dano que essa senhora não foi assistida por um profissional, mas foi entregue a uma enfermeira que não iria tomar medidas drásticas.

É possível, em nossa opinião, que um astrólogo possa, às vezes, dar um conselho que interfira no destino maduro de alguém. Citaremos o caso relatado no "Conceito", onde o autor preveniu alguém de um acidente ferroviário numa data determinada. O homem, assim mesmo, foi à estrada de ferro e feriu-se em decorrência do acidente, conforme a predição. Ele pensou que o dia vinte e oito fosse o vinte e nove, e acreditamos que, para impedir a predição do autor, os Senhores do Destino ou seus agentes fizeram o homem esquecer a data. Por isso, estamos convencidos que eles interferem em tudo que não deva ser alterado por interferência humana, e isso nos leva a crer que a mãe dos trigêmeos foi entregue aos cuidados de alguém que deixaria a natureza seguir seu curso natural.

Casos especiais são tratados de maneira especial, havendo provavelmente uma razão para explicar o nascimento prematuro. No entanto, nunca tivemos tempo ou oportunidade de investigar isso.

Quanto ao ponto levantado no segundo parágrafo, realmente dissemos todas essas coisas, e não há razão para modificar qualquer uma delas. A Conjunção do Sol e da Lua é um dos melhores augúrios para a saúde e para o sucesso geral. Quando ocorre a Conjunção, o brilho da Lua vai-se intensificando, e assim continua até a época da Lua Cheia. Realmente, é melhor nascer no período em que a Lua está aumentando de brilho do que no período que vai de Lua Cheia até a Conjunção seguinte, quando a luz vai minguando.

Quanto ao assunto mencionado no último parágrafo, o estudante deve compreender que as virtudes transmitidas por um Astro são reveladas pelos seus Aspectos favoráveis, o Sextil ou o Trígono, em particular, enquanto os vícios de um Astro são expressos pela Quadratura ou Oposição, que são Aspectos desfavoráveis. Se considerarmos algumas das virtudes de Saturno, como o tato e a diplomacia, não podemos esperar encontrá-las numa Quadratura de Saturno e Mercúrio, mas devemos procurar os vícios de Saturno e concluir que uma pessoa com essa configuração deve ser cínica, crítica e sarcástica. Não nos recordamos de nenhuma passagem em que dissemos que se Mercúrio estiver nos Signos saturninos de Capricórnio ou Aquário, ou Saturno nos Signos mercuriais de Gêmeos ou Virgem, ou ainda Saturno e Mercúrio configurados, que isso irá conferir à pessoa precaução, tato e diplomacia. Contudo, isso se torna verdade se eles estiverem configurados por Aspectos favoráveis. As virtudes de Saturno aparecerão, mas se a configuração se apresenta sob Aspectos adversos, como Quadratura e Oposição, ela revelará os vícios. Talvez tenhamos falado de um bom Aspecto nesse caso e esquecido de mencionar também o efeito modificador de um Aspecto adverso. Se esse for o caso, acreditamos que o que foi dito acima esclarecerá o assunto.

Concluindo, podemos dizer que estamos muito satisfeitos que os estudantes apresentem quaisquer pontos onde lhes pareça haver uma discrepância, ou onde não nos expressamos claramente. Dessa forma, tiraremos o maior proveito desses estudos.

(Perg. 123 do Livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Vol. II – Max Heindel – Fraternidade Rosacruz SP)